Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

DIVAS – Capítulo 20

CENA 1/ EXTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ PISCINA

         Continuação da última cena do capítulo anterior.

         Laerte observa o corpo de Olinda boiando, maquiavélico.

         Ele dá a volta na piscina e caminha para a entrada principal da casa, se escondendo entre os arbustos.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 2/ INTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ SALA

         Todos curtindo a festa, menos Camila, que está ao lado de Bruno, preocupada.

         CAMILA – Minha mãe disse que ia na cozinha, mas não tá lá… Onde será que ela se meteu, em?

         BRUNO – O seu empresário sumiu também, né…

         Laerte entra pela porta principal da sala, sorrindo. Ana Alice chega perto do marido.

         ANA ALICE – Tava aonde? Sumiu da festa…

         LAERTE – Tive que dar um telefonema importante.

         ANA ALICE – Vou fingir que acredito…

         Camila vê Laerte e se aproxima dele.

         CAMILA – Laerte, você viu minha mãe? Ela sumiu tem uns vinte minutos…

         LAERTE – Eu a vi na cozinha, conversando com a Judite.

         CAMILA – Pois é, ela disse que iria na cozinha, mas não está mais lá…

         LAERTE – Bom, vamos ver com a Judite.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 3/ INTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ COZINHA

         Camila, Bruno e Laerte em frente a Judite. Continuação de conversa.

         JUDITE – Eu vi a Olinda aqui, mas acho que ela voltou pra sala.

         CAMILA – Mas ela não está lá. Tô sentindo que aconteceu alguma coisa…

         LAERTE – Como assim acha? Você viu ou não viu ela voltando pra sala?

         JUDITE – A gente tava conversando, o senhor chegou, foi pra piscina, e eu fui trabalhar. Depois não vi exatamente se ela voltou pra sala.

         LAERTE – Eu fui na área externa rapidamente atender o celular, e não vi Olinda lá…

         BRUNO – Vamos ver se ela está nessa área então.

         LAERTE – Vamos.

         Camila e Bruno vão na frente. Laerte atrás, apreensivo. Os três saem e em seguida, ouve-se um grito de Camila. Judite se assusta. Tensão.

         CORTA PARA/

CENA 4/ EXTERIOR/ NOITE/ CASA DE FESTAS/ JARDIM

         Continuação da cena 24 do capítulo anterior.

         Henrique flagra Kaio e Tarcísio se beijando.

         HENRIQUE – (nervoso) Bem que eu desconfiei disso… Que tu tava gostando desse seu primo aí, mas eu não te perguntei pelo respeito que tenho por você, Kaio!

         KAIO – (se levanta) Calma, Henrique. Não tem porque você ficar nervoso assim.

         HENRIQUE – Como não, cara? Eu achei que você era meu amigo! E que gostava de mulher. Tu era louquinho pela Camila! Agora vejo tu beijando esse viado ai!

         TARCÍSIO – (se levanta, nervoso) Meu nome é Tarcísio!

         HENRIQUE – Vai se foder! O assunto não é contigo!

         KAIO – Não fala assim com ele!

         HENRIQUE – Qual foi? Tá defendendo o namoradinho?

         KAIO – Para de ser infantil, Henrique!

         HENRIQUE – Cara! Se soubessem disso antes, tu ia ser escorraçado pelo pessoal da faculdade.

         KAIO – E por você também?

         Henrique fica em silêncio. Tarcísio se aproxima dele.

         TARCÍSIO – Se o fato do Kaio gostar de mim atrapalha sua amizade com ele, isso prova que você nunca foi amigo dele e não passa de um preconceituoso babaca!

         Henrique dá um soco no rosto de Tarcísio, que quase vai ao chão. Kaio fica na frente dele para defendê-lo.

         HENRIQUE – Fala mais, viadinho! Fala, que eu quebro tua cara!

         KAIO – Sai daqui ou então eu chamo o segurança da festa!

         HENRIQUE – Ah que bonitinho, um namoradinho defendendo o outro.

         KAIO – Vai embora, Henrique! Para de escândalo!

         HENRIQUE – Vou embora sim. Vou deixar os pombinhos/ ou melhor, as bichinhas namorarem sossegadas. E tu, Kaio, nem precisa olhar mais na minha cara!

         KAIO – Não pretendo mesmo!

         Henrique se afasta. Kaio vira pra Tarcísio e toca no rosto dele.

         TARCÍSIO – Que cara ridículo.

         KAIO – Machucou?

         TARCÍSIO – Não, tá tudo bem…

         Eles se abraçam.

         CORTA PARA/

CENA 5/ EXTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ PISCINA

         Camila desesperada, chorando, ao ver a mãe afogada. Bruno a segura.

         CAMILA – (grita) Minha mãe!

         Laerte finge estar assustado e banca o herói ao pular dentro da piscina e pegar o corpo de Olinda. Laerte chega com Olinda na borda e Bruno ajuda a tirá-la da água.

         Bruno coloca Olinda deitada e faz respiração boca a boca nela. Laerte sai da piscina.

         LAERTE – Um médico amigo meu está na festa. Vou chamá-lo.

         Laerte sai. Camila se ajoelha perto da mãe, chorando. Drama. Instantes. Judite observa de longe, chocada.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         O médico amigo de Laerte faz massagem cardíaca e respiração boca a boca em Olinda. Camila em pé, sendo abraçada por Bruno. Laerte ao seu lado, preocupado. Judite chocada. Ana Alice no celular, ansiosa. Outros convidados olhando de longe, curiosos.

         Continua a massagem cardíaca em Olinda. Sai água de sua boca. O médico checa o pulso.

         MÉDICO – Ela tem pulso, mas continua desacordada. Precisamos levá-la pro hospital agora!

         ANA ALICE – (no celular) Já estou chamando a ambulância.

CAMILA – Vamos levar ela de carro, é mais rápido!

         MÉDICO – Não! Chamar uma ambulância é mais seguro, caso ela tenha alguma complicação no caminho.

         Todos preocupados.

         CORTA PARA/

CENA 6/ EXTERIOR/ NOITE/ STOCKSHOTS

         Imagens da madrugada na Ilha do Governador.

         Plano geral na casa de Terezinha. Vemos Kaio e Tarcísio subindo as escadas.

         CORTA PARA/

CENA 7/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DE TEREZINHA/ SALA

         Terezinha, já vestida pra dormir, abre a porta pra Kaio e Tarcísio, que entram, um pouco decepcionados.

         TEREZINHA – Ficaram até tarde, em. (boceja)

         KAIO – Você quem veio embora muito cedo, mãe.

         TEREZINHA – Não tenho mais idade pra isso…

         Kaio e Tarcísio sentam no sofá. Terezinha continua em pé. Ela repara no rosto de Tarcísio.

         TEREZINHA – Que machucado é esse?     

         TARCÍSIO – O idiota do amigo do Kaio que fez isso.

         TEREZINHA – (surpreso) O Henrique? Não é possível…

         KAIO – Foi ele mesmo, mãe. Amanhã te conto melhor.

         TEREZINHA – Mas por que que ele fez isso?

         KAIO – Ele se revoltou em me ver com o Tarcísio… Mas depois eu te falo sobre isso.

         TEREZINHA – Tá… Vou dormir que tô morrendo de sono. Boa noite…

         Terezinha sai.

         TARCÍSIO – Por que não falou direito com sua mãe?

         KAIO – Amanhã eu falo tudo com ela… Tenho que cuidar de você agora.

         TARCÍSIO – Tá tudo bem, nem saiu sangue. Fiquei feliz por você me defender. Achei que não iria…

         KAIO – Como não iria te defender?

         TARCÍSIO – Ah, O Henrique é seu amigo há mais tempo.

         KAIO – Isso não tem nada a ver… Essa atitude dele não tem perdão,,,

         TARCÍSIO – Também acho. Mas não quero atrapalhar sua relação com ele.

         KAIO – (se aproxima, fala sério) Tarcísio, quem atrapalhou minha amizade com o Henrique foi ele mesmo. (pausa) Meu sentimento por você vale mais…

         Tarcísio se surpreende.

         TARCÍSIO – (decepcionado) Precisou uma coisa dessa acontecer pra você assumir o que sente…

         KAIO – (sem graça) É que/

         TARCÍSIO – (corta) Não, tá tudo bem. Não vou mentir que queria saber dos seus sentimentos bem antes disso, mas que bom que essa hora chegou.

         KAIO – (envergonhado) Eu gostei de você desde que saímos na primeira vez…

         TARCÍSIO – Seria tão mais fácil se deixasse isso claro desde o início, né…

         KAIO – Eu sei disso. Mas eu tava confuso. Eu não estava entendendo meus sentimentos.

         TARCÍSIO – Sei…

         KAIO – Você é todo bem resolvido, mas eu não.

TARCÍSIO – É… Tem razão. Não deveria ter te cobrado tanto. Acho que fui até meio egoísta.

         Silêncio.

         TARCÍSIO – Desculpa…

         KAIO – Para… Não precisa pedir desculpa.

         TARCÍSIO – (sorri) Então estamos resolvidos?

         KAIO – Acho que sim…

         TARCÍSIO – Posso te beijar então? Sem sermos interrompidos, dessa vez.

         KAIO – (sorri) Pode…

         Os dois se aproximam e se beijam. Instantes. Romance!

         CORTA PARA/

CENA 8/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DE JUDITE/ SALA

         Josias dorme no sofá. Silêncio.

         O telefone toca, ele se levanta assustado e atende.

         JOSIAS – Alô?

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 9/ INTERIOR/ NOITE/ HOSPITAL PÚBLICO/ RECEPÇÃO

         A recepcionista do hospital que ligou pra Josias dá informações a ele.

         RECEPCIONISTA – Bom noite. Aqui é do pronto socorro do Hospital Evandro Freire. Com quem eu falo? (pausa) Josias, encontramos esse telefone na carteira de Jamily da Silva. (pausa) Ela deu entrada há alguns minutos. Precisamos de algum familiar aqui. (pausa) Ela teve complicações após um aborto cirúrgico. (pausa) Peço que venha até o hospital. (pausa) Ok.

         CORTA PARA/

CENA 10/ EXTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ ENTRADA

         Olinda na maca, sendo carregada pelos socorristas até a ambulância. Tensão.

         Camila perto da maca o tempo todo.

         CAMILA – Eu vou com ela.

         SOCORRISTA – Pode ir.

         BRUNO – Eu posso ir na frente?

         SOCORRISTA – Pode.

         LAERTE – Eu os acompanho de carro. Encontro você lá, Camila.

         CAMILA – Obrigada.

         Camila, Bruno e os socorristas entram na ambulância e saem rapidamente.

         Laerte visivelmente preocupado com a possibilidade de Olinda sobreviver. Ana Alice se aproxima.

         ANA ALICE – Como isso foi acontecer…

         LAERTE – Eu não faço ideia.

         Judite se aproxima.

         JUDITE – O senhor não ficou um tempão lá na piscina, Laerte?

         LAERTE – Não, foi bem rápido. Não vi Olinda lá.

         JUDITE – Que estranho…

         LAERTE – (nervoso) Virou interrogadora agora, Judite?

         ANA ALICE – Nossa, Laerte. Ela só tá preocupada.

         LAERTE – Eu também estou! Soube que Olinda tinha câncer. Provavelmente sentiu algum sintoma, desequilibrou e se afogou na piscina…

         ANA ALICE – Faz sentido.

         JUDITE – Olinda era uma amiga antiga minha…

         ANA ALICE – Era não. É sua amiga! Ela vai sair dessa.

         JUDITE – Se Deus quiser… Bom, vou lá pra dentro.

         Judite sai. Laerte se aproxima de alguns convidados, que continuam na varanda da casa, assustados.

         LAERTE – Meus amigos… Me desculpem por toda a confusão, mas como puderam ver, foi um acontecimento trágico… Preciso sair agora. Tenham um bom fim de noite.

         ROMEU – Mande um abraço pra Camila, Laerte.

         LAERTE – Pode deixar.

         Laerte vai em direção ao carro.

         Judite e Ana Alice num canto, cochicham.

         JUDITE – Dona Ana… Desculpa falar, mas eu achei muito estranho ter acontecido isso com a Olinda depois do Laerte ter ido pra área da piscina…

         ANA ALICE – Ah Judite, eu também fiquei desconfiada. No dia que a Olinda bateu aqui em casa por engano, ela parecia estar discutindo com o Laerte.

         JUDITE – Muito estranho.

         O celular de Ana Alice toca. Ela atende.

         ANA ALICE – Alo? Josias? (Judite estranha) Sua mãe tá aqui sim. Vou passar pra ela. (Judite pega o telefone)

         JUDITE – Que foi, Josias? Tá ligando essa hora por que? (longa pausa, Judite chocada, chora) O quê? (pausa) Meu Deus…

Judite quase cai e o celular vai ao chão.

         Assustada, Ana Alice a segura e pega o celular no chão.

         ANA ALICE – Oi. Josias! O que aconteceu? (pausa) Ah, meu Deus… Eu vou levar ela aí.

         Ana Alice desliga e guarda o celular no bolso. Ela abraça Judite, que chora.

         JUDITE – Minha filha…

         Drama. Instantes.

         CORTA PARA/

CENA 11/ INTERIOR/ NOITE/ CARRO

         Laerte dirigindo, muito nervoso.

         LAERTE – Não é possível que a desgraçada da Olinda vai sair dessa viva!

         Ele bate no volante.

         CORTA PARA/

CENA 12/ INTERIOR/ NOITE/ HOSPITAL PARTICULAR/ EMERGÊNCIA

         Olinda é levada na maca por 2 enfermeiros, rapidamente. Camila e Bruno acompanham.

         Eles passam pela emergência e uma médica que estava ali, acompanha a paciente até um quarto separado por uma cortina.

         Camila e Bruno são parados por um dos enfermeiros, que fecha a cortina.

         ENFERMEIRO – Preciso que esperem aqui. Vamos cuidar da sua mãe.

         Bruno abraça Camila, que continua a chorar. O enfermeiro entra na sala. Pela fresta da cortina, vemos a médica cuidando de Olinda. Tensão.

         Laerte entra no local olhando pra todos os lados até ver Camila. Ele se aproxima rapidamente.

         LAERTE – Como sua mãe tá?

         CAMILA – Não falaram nada ainda…

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Camila e Bruno ainda perto da sala. Laerte mais distante, pegando um copo d’água no bebedouro.

         A médica sai da sala e chega em Camila.

         MÉDICA – Oi. Você é a filha dela, não é? Qual seu nome?

         CAMILA – Sim, sou eu. Camila.

         MÉDICA – Olha, Camila. Sua mãe sofreu uma asfixia por afogamento que causou uma falta de oxigenação cerebral.

         CAMILA – Isso quer dizer o quê? Como ela tá?

         MÉDICA – A falta de oxigênio no cérebro levou ela a um estado de coma profundo…

         Camila chora nos braços de Bruno. Laerte observa de longe e sorri,

         CORTA PARA/

CENA 13/ EXTERIOR/ NOITE-DIA/ STOCKSHOTS

         Sonoplastia – Drama

         Amanhece na cidade.

         Imagens da Ilha do Governador. Plano aéreo do cemitério do bairro. Capela mortuária na entrada.

         CORTA PARA/

CENA 14/ INTERIOR/ DIA/ CAPÉLA

         Continua áudio da cena anterior.

         Judite chora ao lado do caixão da filha. Josias ao lado dela, consolando. Alguns amigos e familiares sentados em volta.

         Mais distante, as duas garotas de programa, amigas de Jamily.

         Instantes.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 15/ EXTERIOR/ DIA/ CEMITÉRIO

         Plano de cima. O coveiro desce o caixão de Jamily. Família e amigos em volta.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         As pessoas saem do cemitério. Judite e Josias saem por último. As garotas de programa esperam na calçada. Elas abordam Judite.

         GAROTA 1 – Oi. Tudo bem?/

         GAROTA 2 – (corta, dá um tapa na mão da amiga) Como tudo bem, menina!

         JUDITE – (estranha) Quem são vocês?

         GAROTA 2 – A gente era amiga da sua filha.

         JUDITE – Amigas?

         JOSIAS – A gente nunca ouviu falar de vocês.

         GAROTA 1 – A Jamily não devia falar muito da gente mesmo…

         JUDITE – Por quê? De onde vocês são?

         GAROTA 2 – A gente é colega da Jamily lá do ponto perto do Posto Mil.

         JOSIAS – Posto?

         GAROTA 1 – Ih amiga, eles não sabem…

         JOSIAS – Do que vocês tão falando?

         GAROTA 1 – A Jamily era garota de programa.

         Judite nervosa.

         GAROTA 2 – E a gente acha que foi um cliente dela que obrigou ela a fazer o aborto.

         Josias e Judite chocados. Instantes. Tensão.

         CORTA PARA/

CENA 16/ INTERIOR/ DIA/ CASA DE TEREZINHA/ QUARTO DE KAIO

         Kaio estuda em sua escrivaninha. Tarcísio chega com duas xícaras de café e senta na cama perto dele.

         TARCÍSIO – Café?

         KAIO – (pega a xícara) Obrigado…

         TARCÍSIO – Tá bom?

         Kaio continua concentrado nos livros e não responde.

         TARCÍSIO – Kaio?

         KAIO – Oi. Desculpa. Tá, tá bom sim.

         TARCÍSIO – Espero que você passe em primeiro lugar nessa prova da OAB, por que anda estudando tanto… Nem vê a vida em volta.

         KAIO – Minha ideia é essa!

         Ouve-se Terezinha entrando em casa.

         TEREZINHA – (off, grita) Kaio!

         Terezinha chega no quarto, ofegante.

         TEREZINHA – Kaio, a Camila me ligou e disse que a Olinda tá no hospital. Ela não falou muito, mas parece que é sério.

         Kaio e Tarcísio se assustam. Kaio se levanta e se aproxima da mãe.

         TEREZINHA – Vamos lá que a Camila precisa da gente. Já avisei pro Juradir.

         KAIO – Vamos!

         TEREZINHA – Tarcísio, você consegue cuidar da padaria pra mim? O padeiro te ajuda lá.

         TARCÍSIO – Claro! Vão lá. Pode ficar tranquila.

         Terezinha sai.

         KAIO – Coitada da Camila…

         TARCÍSIO – (se levanta, dá um beijo em Kaio e vai saindo) Ela é forte! Vou me arrumar e ir pra padaria. Tchau!

         Kaio pensativo.

         CORTA PARA/

CENA 17/ EXTERIOR/ DIA/ CEMITÉRIO/ ENTRADA

         Continuação da cena 15.

         Josias revoltado.

         JOSIAS – Como que vocês vem falar essas coisas aqui pra minha mãe depois dela ter perdido a filha? Vão embora, anda!

         JUDITE – Calma, Josias. Eu já sabia que a Jamily fazia programa. Deixa elas falarem.

         GAROTA 1 – É que a gente percebeu que a Jamily não tava bem de uns semanas pra cá. Ela tava saindo só com um cara. Um ricasso que passava lá quase todo dia num carrão preto.

         JOSIAS – E o que isso ajuda?

         GAROTA 1 – Ah, não sei… Mas a gente viu um papel do hospital. Só podia ser o exame de gravidez.

         GAROTA 2 – E depois ela tava discutindo com esse cara, mostrando o papel pra ele.

         JUDITE – E como era essa cara?

         GAROTA 1 – Ah, não dava pra ver muito bem… Mas ela branco, tipo uns 45 anos, cabelos grisalho… Usava sempre terno. Pinta de rico mesmo.

         GAROTA 2 – Era um coroa muito gato!

         JOSIAS – Vocês não têm certeza de nada… Só estão confundindo minha mãe.

         JUDITE – Não, Josias. Elas fizeram bem em falar… Elas descreveram exatamente a pessoa que eu desconfio.

         JOSIAS – Mãe, tá cheio de homem, branco de 45 anos e rico nessa cidade…

         JUDITE – Mas eu vou descobrir quem fez isso com minha filha. E essa pessoa vai pagar!

         Close em Judite. Tensão.

         CORTA PARA/

CENA 18/ INTERIOR/ DIA/ HOSPITAL PARTICULAR/ QUARTO

         Olinda desacordada. Camila sentada ao seu lado, ainda com o vestido da festa. A médica entra, Camila se levanta.

         CAMILA – O que deu nos exames, doutora?

         MÉDICA – Os órgãos de sua mãe estão funcionando bem, ela não tem risco nenhum, por enquanto. Mas infelizmente, o estado de coma é indefinido. Ela pode acordar agora, ou daqui 1, 2 anos… Como o tempo, é possível que ela entre num quadro de múltipla falência dos órgãos…

         CAMILA – Ela vai acordar, se Deus quiser…

         Camila vê Terezinha, Jurandir, Kaio e Brenda do lado de fora, pelo vidro do quarto.

         CAMILA – (sorri) Minha família…

         MÉDICA – Vou permitir que eles entrem, mas sem muito alvoroço.

         CAMILA – Sim…

         A médica abre a porta. Brenda entra correndo, chorando e abraça a mãe. Terezinha consola a garota. Kaio e Jurandir vão até Camila

         BRENDA – (abraça Olinda) Mãe… Você tá me ouvindo?

         TEREZINHA – (pega Brenda nos braços) Calma, minha filha…

         KAIO – (abraça Camila) Vai ficar tudo bem tá? A gente tá aqui…

         Jurandir beija Olinda na testa.

         JURANDIR – Como isso tudo aconteceu, Camila?

         CAMILA – Foi tudo muito sem sentido… A gente encontrou ela na piscina da casa… Ela parecia não estar gostando muito da festa…

         JURANDIR – Eu imagino…

         CAMILA – Imagina? Por quê?

         JURANDIR – Ah, aquele luxo todo né, pessoas ricas…

         CAMILA – É… Ela deve ter ido pra fora pegar um ar e se desequilibrou. É a hipótese que faz mais sentido, mas mesmo assim é muito estranho…

         KAIO – Mas a Olinda é forte. Superou o câncer e vai superar isso também…       

         CAMILA – (se aproxima de Olinda, faz carinho no rosto dela) Justo agora que estava tudo dando tão certo…

         Instantes. Emoção.

         CORTA PARA/

CENA 18/ EXTERIOR/ DIA-NOITE/ STOCKSHOTS

         Cortes descontínuos dos dias amanhecendo e noitecendo, intercalados com takes de Camila visitando Olinda no hospital e gravando músicas no estúdio de Laerte, não tão feliz.

         LETREIRO – Dias Depois…

         Plano geral na Mansão Rios.

         CORTA PARA/

CENA 19/ INTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ ESTÚDIO

         Camila gravando uma música, triste. Rick e Laerte na mesa de som.

         LAERTE – Essa situação da mãe da Camila tá prejudicando as gravações…

         RICK – Que horror, Laerte!

         Camila erra o tempo da música, faz um sinal pra Rick pausar e sai da área de gravação. Laerte se levanta, insatisfeito.

         LAERTE – Que isso, Camila? Que falta de profissionalismo é essa?

         CAMILA – (senta no sofá, com a mão na cabeça, cansada) Me deixa quieta, Laerte… Tá difícil pra mim esses dias.

         RICK – (compreensivo) Tudo bem, vamos fazer uma pausa.

         LAERTE – Rick, você cuida dela que eu preciso sair pra resolver algumas coisas do “Dois Irmãos”. Vê se finaliza pelo menos essa música hoje, Camila.

         CAMILA – Tá…

         Laerte sai. Camila olha.

         CAMILA – Ah, ainda bem! Ele tá insuportável!

         RICK – Laerte é chato mesmo… Mas vamos no seu tempo.

         CAMILA – Pelo menos a Giselle não tá aqui, por que se tivesse, eu já teria surtado!

         RICK – Parece que ela desistiu da fama mesmo…

         CAMILA – Pra mim, ela tá planejando alguma coisa e essa viagem é só um disfarce…

RICK – É… Isso é a cara da Giselle! (pausa, se levanta, vai saindo) Bom, vou pedir a Judite um lanchinho pra gente.

         CAMILA – Obrigada…

         Camila pensativa.

         CORTA PARA/

CENA 20/ EXTERIOR/ DIA/ STOCKSHOTS

         Sonoplastia: Oops…I did it again – Britney Spears

         Lindas imagens da cidade de Bueno Aires, num dia ensolarado. Imagens de diversos pontos turísticos da cidade: a Praça Maio, o Obelisco, a Casa Rosada, o Bosque de Palermo. Por fim, a extensa Avenida Costanera Norte, bem no litoral, perto do mar.

         Vemos Giselle e Marisa caminhando juntas, vestindo roupas de frio finas, felizes.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 21/ INTERIOR/ DIA/ CAFÉ

         Estabelecimento chique, com uma linda vista para o oceano. Marisa e Giselle numa das mesas.

         GISELLE – Tava com saudade de vir aqui!

         MARISA – Ai, eu tô super animada pra conhecer tudo!

         GISELLE – (ri) Vou ser sua guia turística então.

         MARISA – Gi! Sabe o que eu tava lembrando? Lembra no Arthur De Luca? Da faculdade?

         GISELLE – Da nossa turma de Jornalismo?

         MARISA – É, ele mesmo!

         GISELLE – Nossa, tem muito tempo que não vejo ele. Quase 10 anos…

         MARISA – Se você tivesse continuado no curso, provavelmente estaria casada com ele.

         GISELLE – Ai, nada a ver.

         MARISA – Para que eu sei que você sempre foi apaixonadinha por ele.

         GISELLE – Isso foi no primeiro período da faculdade, que eu nem terminei… Se gostasse dele teria procurado.

         MARISA – Mas você não tinha tempo pra nada quando começou a carreira… Enfim, você não deixou eu chegar no assunto. Sabia que o Arthur trabalha num jornal famosíssimo daqui?

         GISELLE – Sério!

         MARISA – Sério. Consolidou a carreira aqui.

         GISELLE – E por que tá me dizendo isso?

         MARISA – Talvez a gente podia encontrar ele…

         GISELLE – Ah, não…

         MARISA – Por que, Giselle?

         GISELLE – Vim aqui pra relaxar, Marisa. Não pra ficar atrás de homem.

         MARISA – Mas ele pode te ajudar a relaxar também, se é que você me entende… (ri) Ele tá solteiro, boba!

         GISELLE – Não quero saber disso! Assunto encerrado!

         Marisa se assusta com a rispidez de Giselle.

         CORTA PARA/

CENA 22/ EXTERIOR/ DIA/ SUPERMERCADO DOIS IRMÃOS

         Do outro lado da rua, Jurandir vê Laerte conversando com o gerente Manoel na entrada do supermercado. Laerte se despede de Manoel, vai andando até o carro. Jurandir atravessa a rua e se aproxima rapidamente do empresário.

         Laerte está pra entrar no carro quando Jurandir o aborda.

         JURANDIR – (sério) Laerte Rios?

         LAERTE – Oi. (curioso) Acho que te conheço de algum lugar…

         JURANDIR – (fala baixo) Nos vimos no hospital, sou o marido da Olinda. Mulher que você tentou matar!

         Laerte se assusta.

         CORTA PARA/

CENA 23/ INTERIOR/ DIA/ APARTAMENTO DE ARISTÓTELES/ COZINHA

         Aristóteles lê um jornal enquanto toma uma xícara de café.

         ARISTÓTELES – (lendo) Acontecerá na noite de hoje, a primeira coletiva de imprensa, anunciando a contratação de Camila Oliveira pela Rio Records. A nova aposta de Laerte Rios, ex-empresário de Giselle Rios, promete revelar quais os primeiros passos da carreira. Apesar de passar por um momento delicado de sua vida, com sua mãe em coma, Camila pretende lançar seu primeiro álbum no início de 2002 e já começar uma turnê!

         Aristóteles fecha o jornal e fala pra si mesmo.

         ARISTÓTELES – Laerte e Camila vão me pagar por terem destruído o meu sucesso com a Giselle… Eu vou acabar com a carreira da novata e ela vai terminar aonde? Na minha mão!

         Instantes. Suspense.

         FIM DO CAPÍTULO

POSTADO POR

Tales D

Tales D

Mineiro de 21 anos. Autor de "Divas" (CyberTV), "Sangue do meu Sangue" (Recanto das Letras), "Espírito Vingativo" (Jovens Escritores).

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo