Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

A CESAREIA – EPISÓDIO 4 (VIDA LONGA AO REI?) – Parte II

CENA 16. INT. PALÁCIO. COZINHA. TARDE.
Sra. Martine entra, ensaguentada. Mirtes corta uns nabos.
MIRTES: Senhora, deseja que eu a acompanhe ao lavabo?
SRA. MARTINE: Já estás à preparar a degustação do rei?
MIRTES: Sim, senhora.
SRA. MARTINE: Mirtes, somos amigas há tempos e construimos uma cumplicidade enorme ao longo do tempo.
MIRTES (Estranhando): Quando falas assim, temo, senhora, sabes disso.
SRA. MARTINE: Peço-lhe que ponha mais sabor, principalmente, na bebida dele.
Sra. Martine entrega um potinho para Mirtes, que se apavora.
MIRTES: Não me obrigue à tal, senhora. Suplico-lhe.
SRA. MARTINE (Convicta/Possessiva): O rum real estará caprichado essa noite.
Sra. Martine se afasta.

ESPARTA

CENA 17. INT. PALÁCIO. SALA DE ARTILHARIA. TARDE.
Heros atirava com a flecha, sem graça. Ciro entra.
CIRO: Excelente flechada!
Heros se alegra ao vê-lo e inesperadamente o abraça.
HEROS: Achei que nunca mais me perdoaria.
CIRO: Vossa mãe foi ao meu encontro e disse-me sobre a arena.
HEROS: Realmente! E tomei essa decisão por vós, Ciro. Pelo bem de nossa amizade! Sabia que com isso o traria novamente.
CIRO: Mas não vim apoiá-lo.
HEROS (Confuso): Hãm?
CIRO: Eu vim pedir-lhe que se case com Anastácia.
CLOSE em Heros, desnorteado.

ATENAS

CENA 18. INT. PALÁCIO. SALÃO. TARDE.
Agatha sentada, chora. Apolo entra e ao vê-la se aproxima.
APOLO: Sinto muito! Foi realmente triste.
Agatha cabisbaixa se levanta e o olha.
AGATHA: Eu preciso tanto de um abraço.
Apolo o abraça. Ela chora no ombro dele. O rei ao vê-los, estranha.
REI PETRUS II: Não sabia que ambos tinham tanta intimidade.
Agatha se afasta.
AGATHA (Chorando): Perdoe-me mas estou inconsolável.
REI PETRUS II: Não te preocupes, Agatha.
O rei olha para Apolo, piscando.
AGATHA: Se me permite, meu pai. Vou retirar-me!
REI PETRUS II: Vá mas ao anoitecer, desejo-a conosco.
Agatha acena e sai. Apolo se aproxima do rei.
APOLO: Se me permite, rei, peço-lhe que não retardes o enlace matrimonial. Confesso que estou enamorado por vossa filha.
REI PETRUS II: Não penses que sou ingênuo, rapaz. Sei que vossos interesses são políticos, não sentimentais.
APOLO: Talvez haja a união de ambas, apesar da beleza de vossa filha ser um chamariz.
REI PETRUS II: Entendo. Pena que não pode procriar.
APOLO: O que disse?
REI PETRUS II: Nada! Apenas sugiro que vista-se como um nobre.
APOLO: Como posso eu, um reles plebeu, possui vestiduras de um nobre?
REI PETRUS II: Procure, Aristides. Ele era alfaiate, possui vestes nobres em seu acervo.
APOLO: Não nos damos bem.
REI PETRUS II: Vá em meu nome e em meu nome exija dele uma posição. Apresse-te, homem, desejo vê-lo mais tarde.
APOLO: Mui grato, majestade.
Apolo sai.

ESPARTA

CENA 19. INT. PALÁCIO. SALA DE ARTILHARIA. TARDE.
HEROS: Eu não entendo, Ciro. O motivo da intriga foi exatamente esse enlace e num discurso livre disseste que era pra mim priorizar a felicidade. Não achas hipócrita, pedir-me isso?
Ciro coça a cabeça e olha para os lados, inquieto.
CIRO: Eu não queria isso, sabe? Mas se for pra vê-lo morrer numa arena, prefiro o enlace.
Heros se aproxima e puxa Ciro, ambos se olham.
HEROS: O que sentes por mim, Ciro?
CIRO: És meu amigo, Heros.
HEROS: Mas o que sentes?
CIRO: O que desejas que eu respondo?
Heros fecha os olhos e tenta beijá-lo. Ciro se afasta.
CIRO: Era apenas isso que eu desejava dizer-lhe. Seja sensato em sua decisão. Por mim!
Ciro sai. Heros decepcionado, esmurra o peito.
CENA 20. INT. PALÁCIO. SALÃO. TARDE.
Ciro apressado, caminha cabisbaixo. Ariadne ao vê-lo se aproxima abruptamente.
RAINHA ARIADNE: E então? Conseguiu convencê-lo?
CIRO (Revoltado): Aguarde e verás.
Ciro sai rapidamente.
RAINHA ARIADNE (Pensando alto): Mas o que deu nele?

ATENAS

CENA21. INT. TEATRO. ARQUIBANCADA. TARDE.
Aristides caído, chorava. Melina com a espada nua, gargalhava. Apolo entra e os aplaude. Ambos ficam perplexos.
APOLO (Sarcástico/Aplaudindo): Estou comovido!
Aristides o olha, furioso.
ARISTIDES: Preguiçoso, isso são horas de vim ao trabalho?
APOLO: Não me trates como um escravo teu, respeite-me.
ARISTIDES: Que audácia!
APOLO: O rei enviou-me para buscar um traje à altura de um nobre. Os melhores tecidos do vosso acervo.
Melina abismada, gargalha.
APOLO: E não é mentira, prima.
ARISTIDES: Prima?
APOLO: Eu te reconhecerei sem as sobrancelhas também e essa gargalhada apenas concretiza minha ideologia.
Melina envergonhada, se reprime.
ARISTIDES: E afinal, o que deseja de mim?
APOLO: Um traje nobre à mandato do rei e espero que o encontre rapidamente.
ARISTIDES: Então não estás blefando?
APOLO: Detesto zombarias, trate-me com respeito e providencie logo o meu traje, tenho compromisso, não sou um qualquer como vós.
Aristides se afasta, com raiva. Melina se aproxima e abraça Apolo.
APOLO: Oh prima, O que fizeram contigo?
MELINA (Chorando): Ele me vendeu à uma cortesã, Apolo. Ele não me ama!
APOLO: O tio fez isso convosco?
MELINA: Sim! (TEMPO/Ela olha para os lados, desconfiada) Temo em vê-lo e ser entregue ao bordel. Não mereço tal destino, mereço?
APOLO: Não! Não mereces! Mas venha comigo ao palácio e prometo proteger-lhe. Ficarei satisfeito em tê-la comigo.
MELINA: E onde está o Aquiles?
Aristides se aproxima com uma veste nas mãos. Melina se afasta.
ARISTIDES: Pronto! Aqui está.
Aristides entrega para Apolo.
APOLO: 
Dessa vez, eu permito que fales assim comigo. Venha, Melina.
ARISTIDES (Preocupado): Para onde vais levá-la?
APOLO: Não lhe diz respeito.
Apolo olha para Melina e sorri. Melina olha para Aristides.
MELINA: Até mais! Obrigado pelo cuidado, devo-lhe muito.
ARISTIDES: Então, realmente vais?
FLASHBACK – Melina lembra do dia em que chegou.
MELINA: Oh Apolo, deixe-me por hoje. Preciso arrumar as coisas aqui.
APOLO: Não faltará nada à vós.
MELINA: Mas prefiro ficar, apenas hoje. Juro-lhe que ao amanhecer, vou ao vosso encontro.
APOLO: Se preferes assim, respeito-a. Mas não se misture tanto com esse ser repugnante.
Apolo sai. Aristides, confuso, a olha.
ARISTIDES (Intrigado): Por que não foi com ele?
MELINA: Não se abandona um espetáculo pela metade.
Ambos se entreolham, sorrindo.

ESPARTA

CENA 22. INT. PALÁCIO. SALÃO. NOITE.
Anastácia sorridente degusta calmamente. O rei sério, a observa.
REI HERMES: O que há convosco? Viste Afrodite no luar?
Anastácia constrangida, se reprime.
ANASTÁCIA: Perdoe-me, majestade. Estava à pensar em vosso filho e me inquietei.
REI HERMES (Entusiasmado): E o que ele fez que agradou-a?
Heros entra, alegre.
HEROS: Simplesmente decidi que irei casar com ela e peço que esse enlace aconteça o mais rápido possível.
O rei Hermes abismado, abre um sorriso. Anastácia o olha, confusa.

ATENAS

CENA 23. INT. PALÁCIO. SALÃO. NOITE.
O rei nervoso, rói as unhas. Agatha, entristecida, debruça sobre a mesa. Sra. Martine, desinquieta, mexe as pernas freneticamente. Apolo entra, desengonçado. Todos ficam espantados.
REI PETRUS II: Já não era tempo! Estou demasiadamente esfomeado.
Agatha levanta a cabeça e olha Apolo.
AGATHA: Então é ele a visita?
REI PETRUS II: Sim! E decidi que ele será o vosso esposo.
Apolo sorri. Agatha revoltada, olha para o rei.
AGATHA (Revoltada): Achas que tenho capacidade de tratar desse assunto, sabendo que minha mãe está morta?
SRA. MARTINE: Acho viável! Sem uma esposa para o rei, o certo é a consumação de um sucessor à altura.
Sra. Martine levanta a taça.
SRA. MARTINE: Um brinde ao futuro rei de Atenas.
Mirtes se aproxima e entrega uma taça para o rei. Ambos brindam e tomam. CLOSE no rei aproximando a taça à boca. Corta para: Sra. Martine, ansiosa. CLOSE em Petrus tomando. Corta para: Sra. Martine olha para a CAM.
SRA. MARTINE (Irônica): Vida longa ao rei.

CONTINUA…



POSTADO POR

Samuel Brito

Samuel Brito

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
  • Que trama muito bem amarrada, e bem ágil! Todos os acontecimentos levando a provável posse de Apolo como rei, acredito eu. Sra. Martine maravilhosa! Ainda desejou vida longa ao rei.
    Gosto de como a relação de Ciro e Heros está se desenvolvendo. Ansioso pra saber se haverá mesmo o casamento com Anastácia.

    • Sra. Martine é muito humana, é boa, é má, é irônica… amo <3 Ciro e Heros estão confusos, não sabem bem o que sentem… vamos esperar pra ver o que vai acontecer rsr. Obrigado pelos elogios, amigo. Continue acompanhando… a trama ainda tem muitas reviravoltas.

  • >
    Rolar para o topo