Além da porteira: Capítulo 26

 

Capítulo escrito por : Luiz Lisboa

Classificação indicativa: 

 

Na vila, todos ainda estavam querendo saber o que havia acontecido na fazenda de seu Dorico.Mas ninguém, teve a capacidade de associar uma coisa a outra.Ninguém ligou a chegada de seu Francisco com a notícia do casamento da filha de Dorico.

Dolores ,ao ver que seu Dorico estava na vila foi sem pudor pergunta-lo sobre a ida de padre Chico até sua fazenda.

DOLORES: Com licença seu Dorico.

DORICO: Como vai a senhora?

DOLORES: Eu vou muito bem .Só que estou muito preocupada com o que aconteceu na fazenda do senhor.

DORICO: E o que aconteceu na minha fazenda, que eu ainda não sei dona Dolores?

DOLORES:Eu também não sei,mas para o padre ter ido às pressas ontem com aqueles amigos dele,deve ter acontecido algo por lá.

DORICO: Ah! É sobre isso? Não se preocupe dona Dolores, e a senhora pode espalhar pra todos que o padre Chico foi até a minha fazenda ,para marcar a data do casamento de minha filha Promessa com o filho do meu compadre Francisco ,que acabou de embarcar de volta para o Pantanal.Deseja saber mais alguma coisa dona Dolores?

DOLORES: Ah ,então era isso?Haverá aquela festança por lá né seu Dorico!

DORICO: Haverá sim ,daqui a 2 meses.Vá se preparando tá.Agora eu tenho que voltar pra fazenda,não tenho tempo pra ficar vadiando pela rua a fora.

Agora sim.A população ficará a par do  motivo da ida do padre Chico até a fazenda.Dolores sabendo,a vila inteira saberá em pouco tempo.

Dico está se despedindo de Margarida para ir trabalhar na fazenda.

DICO: Não se preocupe minha cheirosa,a noitinha estarei de volta.Não vou te abandonar.

MARGARIDA: Se cuide meu peão.Não vá se machucar.

DICO: Tá bom ,até mais tarde.

Dico sai.

TENÓRIO: Quem ti viu,quem ti vê.Nunca se envolveu assim com ninguém.E foi se amarrar em um peão aqui do sertão,mana.

MARGARIDA: Ai Tenório,me apaixonei perdidamente por esse peão.Fincarei minhas raízes por aqui.Capital agora só se o meu peão for junto.

TENÓRIO: É você já se acertou,agora deixa eu ir cuidar do que me pertence.

MARGARIDA: Tome cuidado,você e o Chiquinho.

Tenório se dirigiu para a igreja para ter-se com o padre Chico.

Dolores e Santa estavam à porta do correio e viram o rapaz  adentrando-se à igreja.

DOLORES:Olha só Santa.Que tanto esses dois conversam a sós na igreja?

SANTA: É verdade.Ficaram ontem juntos a tarde inteira e agora já estão juntos novamente.

DOLORES: Precisamos descobrir o que tanto eles conversam.Se for confissão esse rapaz tem é muitos pecados.

SANTA: É pecado que não acaba mais.

DOLORES: Mas eu já sei o que vou fazer.

SANTA: No que pensou?

DOLORES: Vou colocar um gravador escondido no confessionário,assim, quando eles falarem ficará tudo gravado,e então descobriremos do que se trata.

SANTA: Ótima ideia !Mas tome cuidado.isso é perigoso.

Agora é melhor o padre e Tenório tomarem cuidado,ou a  farça  deles  será descoberta.

Na mercearia de Ciro,todos comentavam sobre o casamento, que acontecerá na fazenda, da filha de seu Dorico.

TINA: Até que enfim terá alguma coisa por aqui.

CIRO: Mais essa Dolores é uma fofoqueira mesmo.Ficou sabendo do casamento e espalhou pra todos em pouco tempo.

VERA: É minha filha, só resta saber , se nós  seremos  convidadas.

TINA: Mas com certeza toda a região será convidada.

CIRO: Mas eu tenho minhas dúvidas sobre esse casamento.

VERA: Por que Ciro?

CIRO: Não vamos esquecer que é um casamento arranjado.O difícil é a noiva nos dias atuais aceitar se casar nessas condições.

TINA: Sendo assim ,boba será ela se casar com alguém que ela não gosta.E o pir nem conhece.

NA  FAZENDA

Ceição agora tem que se preocupar com os preparativos do casamento de sua única filha.

CEIÇÃO: Filha cuida da cozinha que eu tenho que falar com dona Zenaide.

FLOR: O que a senhora tem para  falar com a patroa mamãe?

CEIÇÃO: Vou falar com ela que nós temos que ir até  a vila pra encomendar o seu vestido de noiva pra costureira.

FLOR:É mesmo, e eu quero um vestido muito bonito,com um veu bem grande.

CEIÇÃO : E além do vestido temos que comprar o seu enxoval.

FLOR: Não precisa de muita coisa não mamãe,só o básico.

CEIÇÃO:Tá bom deixa eu ir falar com a patroa.

Seu Dorico já está chegando da vila . Tiãozinho lhe pede  autorização para dar uma limpeza na casinha da chapada.Afinal de contas o casamento já está se aproximando.

TIÃOZINHO: Seu Dorico.

DORICO: O que você quer moleque?

TIÃOZINHO: Como agora eu vou me casar com Flor,eu preciso de ter uma casinha só pra nós dois.

DORICO: Já sei ,você tá querendo arrumar a casinha da chapada.Chama o seu Joaquim pedreiro e faz o que for preciso lá.

TIÃOZINHO: Obrigado patrão,vou agora mesmo falar com seu Joaquim.

DORICO: Ó moleque,você vai casar com Flor,mais não se mete a besta de fazer ela sofrer,ela é a única filha de Ceição e se você magoar ela, você vai ter comigo ,  hem.

TIÃOZINHO: Pode deixar patrão,vou cuidar da Flor direitinho,nós nos amamos muito,ninguém vai sofrer.Eu garanto pro senhor.

DORICO: Então vai traste cuidar dos seus serviços.

Tiãozinho está muito empolgado com o casamento,que é  tudo o que ele mais queria.

 

CONTINUA……-” ”>-‘.’ ”>

clique na imagem para comprar
clique na imagem para comprar
padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr

LEIA TAMBÉM

Marcelo Delpkin

Observatório da Escrita – 49

* programa criado e dirigido por WELLYNGTON VIANNA apresentação de MARCELO DELPKIN * Olá, querido(a) leitor(a)! O Observatório da Escrita de hoje traz um pouco

LEIA JÁ »