Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

ANJOS DE METAL – Grimório 3: Capitulo 17 Chave de portal

Não adianta esconder nada de você, nao é! Zaon tentava ganhar algum tempo. – Como esperado do guardião dos homens, o mais inteligente e racional de todos. Tenho uma proposta para voce.

Zaon estava sofrendo, de alguma forma sua energia megativa estava sendo rejeitada pelo hospedeiro, seu pai ainda estava lutando contra ele.

Meu pai ainda esta lutando contra voce, nao é… ele sorriu. E esta ganhando pelo que vejo.

Isso mesmo! Tenho uma proposta para acabar com tudo isso e a sua garantia de que essa sera a ultima vez que os guardiões nao vao mais interferir em meus planos se eu vencer!

Eu não tenho o tempo todo! Lucca foi categorico.

Eu tambem nao, como voce bem lembrou. Zaon ironizou Chegue a arvore da vida antes deste corpo me expulsar, ou talvez…

… Morrer! Lucca completou sem animo.

Sim, seu pai tem resistido bem ate agora, mas sua mente esta em frangalhos, a morte da sua mae pelas maos dele o fez desistir de tudo.

Isso possibilitou voce tomar o controle nao foi?

Sim, ele é um homem formidavel mas, nao é imortal, prolongou sua vida e sua juventude como pode ate agora, para reencontrar a filha e a mulher que ama.

Qual a sua proposta?

Quanto tempo voces ainda tem?

porque isso agora… no que isso importa?

Quanto tempo?

Duas, tres horas talvez.

Encontre a arvore do conhecimento e redirecione a energia elemental antes que eu encontre meu corpo nessas tres horas restantes, aprisione meu espirito novamente ou me mate, a decis ao é sua mas, se eu retomar meu verdadeiro corpo antes que voce faça isso o ciclo dos guardioes acabara com voces, caso consigam essa proesa eu devolvo a vida do seu pai, ou o que restar dela.

Um tudo ou nada!

Tudo ou nada. E se eu me recusar.

Recuse-se a isso e acabo com tudo aqui e agora.

Lucca estava encurralado, quase sem forças. mesmo morrendo Zaon ainda era forte demais, o anjo ainda nao tinha forças suficientes para enfrenta-lo sozinho.

Ele ainda precisava de mais tempo.

Um clarão fez seus olhos doerem, o cenario havia mudado mais uma vez, o cinza do plano etereo deu lugar a todas as cores novamente. Diante deles estava Zaon com um sorriso zombeteiro nos labios estendendo a mao para que Lucca selasse o acordo.

Temos um acordo.

Temos! Lucca apertara sua mao.

Lembre-se bem são apenas mais tres horas!

Diante de seus olhos Zaon virou uma cortina de fumaça e se esvaiu, desaparecendo em uma fração de segundos.

Só mais tres horas.

Lucca tinha nas maos um novo mapa e uma nova aposta a cumprir, poderia ser tarde demais.

 

***

 

Eles nao tinham muito tempo, mais aquele era um momento necessaruo, precisavam chorar pelas perdas sofridas ate aquele momento. Reunidos nos fundos do castelo Os quatro sobreviventes acabavam de prestar as ultimas homenagens aos seus mortos.

– O que fazemos agora? – Perguntou Aredhel para Lucca.

– Precisamos dos outros, e temos menos de tres horas para isso.

– Eles estao a milhares de quilometros daqui! – Respondeu Milla – é impossivel.

– Talvez nao seja. – Icaro apressou-se em dizer.

– No que voce esta pensando Icaro. – Aredhel parecia ja saber a resposta para aquela pergunta.

– Os portais elementais Dell, nao é obvio.

Ouvir aquele apelido novamente trouxera a ela a senssação nostaugica de estar entre a familia, Dell era como seu avo a chamava quando pequena e que ela fizara questao de abandonar quando se tornou regente de Ezius. A forma doce como ele a tratara trouxera de volta sentimentos que ela jurava nunca existir.

– É só uma lenda. – Ela respondeu num sorriso.

– Não, eles sao reais. E são a nossa unica chance se ele tiver um plano.

– Mas as lendas contam que eles foram lacrados ha muito tempo para evitar que os monstros usassem para atacare os humanos…

– O que nao deu muito certo… – interrompeu Lucca sorrindo e vendo todos seguirem seu exemplo.

 

***

 

O castelo deserto era o cenario perfeito para um filme de terror ou quem sabe medieval, por onde passavam via-se o rastro de morte deixado por uma batalha sem sentido, era possivel ver nos olhos deles a dor da perda.

O grupo acabara de chegar a biblioteca, um lugar de paz para ele. Lucca se permitiu passear pelas inumeras prateleiras passando a mao pelos livros cheios de poeira organizados em um numero infindavel de prateleiras.

 Icaro e Aredhel desapareceram em meio a imensidao de livros antigos , buscando um volume especifico em meio aquele mundo dentro do castelo. Voltando algums poucos minutos depois com um volume antigo engadernado em couro feito a mao.

Pondo-o em uma mesa de mogno pesado, abriu em uma paguna repleta de mapas de navegação antigos, usados para cruzar os mares de Ezius e desbravar as terras das feras em busca de tesouros.

Assim que Icaro abriu o mapa Lucca fizera o mesmo, esticando a folha sobre a mesa e comparando-a com a figura dentro do livro que o rapaz segurava.

– Aqui…, aqui… aqui e aqui. – Icaro apontou para pontos especificos dentro do mapa.

Lucca marcara os lugares apontados por ele mentalmente antes de se dar conta. Os locais marcados no mapa eram os mesmos onde os templos da terra, do fogo, da agua e do ar haviam sido constriodos e serviam como prisao para as feras.

– Esses são os templos das feras!

– Sim… – O rapaz confirmou. – São cinco portais ao todo, um em cada regiao, os templos foram construidos para proteger as pedras, que eram ate entao a fonte da magia de Eziusapenas os sacerdotes sabem sua localização exata. Eles permitem que os portadores das chaves viagem por toda a Ezius em questao de segundos. Os mais antigos dizem que com ele os portadores sao capazes de viajar por todas as camadas do multiverso, enquanto alguns apenas para lugares especificos.

– Como acionamos?

– Apenas quando os cinco portais estiverem abertos as chaves vao funcionar, pelo que pude ver quatro deles ja foram abertos e a magia elemental começa a restaurar o equilibio, mas sem o quinto portal aberto nao temos como viajar infelismente.

– Qual a localização dele, temos de ir pra la agora. – Lucca estava impaciente

– Infelizmente o quinto portal é um misterio.

Aredhel continuava a estudar ambos os mapas com afinco, olhando de um para o outro, sua mente parecia trabalhar em uma possibilidade.

– Sem eles nao temos muito o que fazer – Icaro tocou o ombro de Lucca em sinal de desistencia – sinto muito.

– Eu sei onde fica! – Aredhel fez uma pausa olhando para ambos os mapas ao mesmo tempo. – Olha so isso.

a garota pos a folha que Lucca segurava em cima do livro aberto sobre a mesa, as quatro marcas feitas no livro alinharam as marcas feitas no papel, a quinta marca no mapa de Lucca estava solitaria sem uma marca irmã dentro do livro.

Todos haviam percebido onde a garota queria chegar

– O portal esta dentro deste castelo, e eu sei onde fica. – Completou ela num sorriso.

 

 

 

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Apollo Souza

Apollo Souza

Hélio Soares de Souza, desenhista e escritor, sob o pseudônimo de Apollo Souza, nasceu em 09 de dezembro de 1986 na cidade de Natal— RN. Formou— se em pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú no ano de 2012 na cidade de Santo Antônio do Salto da Onça, onde mora desde os 09 anos de idade. Leitor assíduo prefere temas que envolvam mitologia, magia e desenhos animados, sempre gostou de criar suas próprias histórias e desenhar os personagens que fizeram parte de sua infância. Decidiu escrever seu primeiro romance/ ficção após ler A arma Escarlate de Renata Ventura e se apaixonar por muitos de seus personagens cativantes e incertos.

Estreia dia 19 de Outubro

Estreia dia 20 de Outubro

>