Anti-Herói – Episódio 09 – Meu Amigo Mais Querido

ATO DE ABERTURA

NILO
(V.O)
Há amigos de coração enorme…do tamanho do inferno que proporcionam”.

FADE IN

CENA 1 INT. – METRÔ CARIOCA / PLATAFORMA – NOITE

Local iluminado e aparentemente vazio. Até que um metrô quebra o silêncio e para por ali. Um par de sapatos pretos descem na plataforma e, aos poucos, a CAM revela o rapaz (alto, negro, cabelos curtos, trajando camisa social e calça jeans), com a sua bolsa atravessada no ombro.

As portas do metrô fecham logo atrás com pouquíssimas pessoas. Segue. Enquanto isso, o rapaz, desconfiado, olha para ambos os lados até mirar numa porta entreaberta.

= = CORTE DESCONTÍNUO = =

CENA 2 INT. – METRÔ CARIOCA / BANHEIRO – NOITE

A porta sendo aberta vagarosamente. O rapaz adentra e se assusta ao ver o cenário: o chão tem um rastro de sangue, que leva até um guarda, MORTO. As paredes manchadas e cravejadas de balas; as portas do banheiro despencando; o som insistente da água escorrendo da pia. Cenário de violência.
O rapaz desvia do rastro, observa os vasos sanitários sujos; desiste.

Uma CONVERSARIA do lado de fora. O rapaz aproxima-se da porta e, pelo seu PONTO DE VISTA, DOIS HOMENS conversam à beira da plataforma, mas é inaudível.

O rapaz saca a arma e engatilha, mas os caras ouvem.

BANDIDO #1
Mas que diabos!
É o Nilo Rodrigues!

Começa o tiroteio. O garoto acerta os tiros, enquanto desvia para o interior do banheiro para ganhar tempo. O primeiro bandido tomba; o segundo é atingido na perna. Geme de dor, mas recarrega a arma.

BANDIDO #2
Seu filho da puta, toma essa!

Nilo, com a cara e a coragem, SAI do banheiro e corre na direção do malandro, disparando as balas. Atrás do bandido, um PAINEL exibe a promocional da novela HIERARQUIA e um TIRO acerta a testa de Manuel Landetta. Outro tiro atinge a testa do bandido, que cai morto.

NILO
O cheiro da pólvora me fascina.

A arma é recarregada e quando Nilo vai sair da tela /

JACK
(O.S)
CORTA!

A CAM toma distância e revela o SET de filmagens, funcionários e curiosos assistindo. Os atores levantam-se do chão. Jack vai até o personagem Nilo, dá um tapinha em seu ombro.

JACK
Excelente, Marcos! Excelente!

MARCOS
(indignado)
Excelente? Eu posso saber porque aquele cadáver não
constava no roteiro? Eu levei um susto, sabia?

JACK
(eufórico / dá um tapinha em seu ombro)
Ossos do ofício, garoto, ossos do ofício! O importante é que a
ideia de gravar no metrô da Carioca foi ótima. (viaja)
Parece até cenário de Nova York…

MARCOS
Parece um tremendo plágio de Max Payne, isso sim!

Jack disfarça, aproxima o rosto do rapaz.

JACK
Escuta, garoto, isso aqui é inspiração, entendeu?
Hoje em dia ninguém mais é original.

MARCOS
Ninguém consegue ser original enxergando somente o que os outros fazem, né, não?

Marcos lhe dá um tapinha no ombro e sai, debochado. Jack, indignado, não consegue dizer nada.

CENA 3 EXT – HOSPITAL CENTRAL – NOITE

Ambulância chegando. Pessoas entrando e saindo do local.

CENA 4 INT – HOSPITAL CENTRAL / CORREDOR – NOITE

Murilo atrás de Nilo, que tenta seguir adiante, nervoso.

MURILO
(tentando falar baixo)
Você ia matar o delegado, cara?! Anda! Responde!

NILO
(se volta)
Mas é claro que não, Murilo!

MURILO
Eu vi você soltando os tubos, Nilo, eu vi!

NILO
Eu tava longe, tá? Voei nas ideias, nem saquei o que eu fazia.
Se não fosse por você…

MURILO
(por cima)
Se não fosse por mim, ele estaria morto e você preso,
porque aquele tal do Rafael passaria a bola pro substituto, otário!

Nilo voa pra cima de Murilo, segurando-o pelo colarinho.

NILO
Tu veio aqui pra quê? Colher minha desgraça?

MURILO
Peraí, cara, calma aí! To aqui a serviço (Nilo solta).
Thales me mandou pra cá pra fazer a matéria. Pode colaborar?

NILO
Tá de sacanagem?

MURILO
Olha, se eu quisesse eu tinha tanta coisa pra falar de você…

Nilo cruza os braços, afrontoso.

NILO
E não falou ainda por quê?

Murilo desarma, olha para ambos os lados, sem graça. Eis que enfermeiros adentram com um paciente acamado. O paciente se sacode, não fala coisa com coisa.

MURILO
Olha só…Deve ser mais um viciado em DP.

NILO
Não deve existir só essa droga no Rio, né?

MURILO
Você acha que com a invenção dessa DP, alguém gastaria dinheiro
com outras menos alucinantes? (Nilo dá de ombros) E aí?
Por que você invadiu a cafeteria? Um dia de fúria?

Nilo lhe dá uma olhada mortal. Murilo ri.

CENA 5 INT. – BAR QUALQUER – NOITE

Valdete, usando óculos escuros, cabelos amarrados e roupa discreta, toma uma coca, enquanto vigia alguma coisa do lado de fora.

Pelo seu PONTO DE VISTA, Raul SAI de um dos lados da PUB MANDRAKE.

VALDETE
(tom baixo) Ah, te peguei, malandro!

Vinnie SAI em seguida, diz alguma coisa e Raul disfarça. Segue o rumo. Vinnie entra em um carro. VOLTA em Valdete se achando esperta.

VALDETE
(sorri) Nada mal.

Valdete paga o cara do bar e vai embora. CAM vai buscar William, do alto da janela da PUB, que viu a garota.

CENA 6 INT – HOSPITAL CENTRAL / CORREDOR – NOITE

Nilo e Murilo esperando o elevador.

MURILO
Se mais gente sabe o que aconteceu, deve saber do meu envolvimento, Nilo!

NILO
O que me preocupa agora é de que maneira essas pessoas sabem.
Cada um conta a história que convém, como o teu jornal, por exemplo.

MURILO
(na defensiva)
Se eu quisesse contar uma história diferente e que te prejudicasse,
eu já tinha contado, né?

NILO
Isso também me preocupa. O que te prende, afinal?

Murilo emudece, mas é salvo pelo gongo: a porta do elevador se abre, revelando Vinnie pomposo em seu terno todo cinza.

VINNIE
Meu amigo mais querido! Que bom vê-lo bem e disposto!

NILO
Digo sempre o mesmo…a mim.

Vinnie ri, sedutor. Faz um sinal com a cabeça em cumprimento a Murilo, que responde igual.

MURILO
Ahn…Boa noite. Eu preciso ir.

Murilo dá um tapinha no ombro de Nilo e entra no elevador. Vinnie envolve Nilo em um abraço.

VINNIE
Parece que alguém aqui está voltando aos velhos tempos de heroísmo.
O que será que eu posso fazer para recompensá-lo após esse dia tão exaustivo?

Nico saca o olhar libidinoso do amigo.

NILO
Hmmm…Eu vou aguardar até ter certeza que o delegado está bem.

VINNIE
Ora, ora…Garantindo a integridade do delegado.
Você ainda consegue me surpreender. Fascinante. (Nilo se incomoda)
Uma pena que nem todos pensam em garantir a integridade de alguém, não é?

Algumas pessoas passam e observam Vinnie praticamente se jogando pra cima de Nilo. O garotão tenta se afastar.

NILO
Por que diz isso?

Vinnie retira um celular do bolso do paletó e aperta uma tecla.

VINNIE
Veja você mesmo.

Pelo PONTO DE VISTA de Nilo, o vídeo é uma gravação recente dos sets de filmagens de Anti-Herói (CENA 1). Nilo engole seco.

NILO
Isso foi hoje?

VINNIE
Em pleno metrô da Carioca, meu amigo! Jack Freitas parece desafiar
a lógica do próprio filme.

NILO
Que lógica?

VINNIE
Ora! A de que existe somente um protagonista: você.

Nilo recebe a resposta como um BAQUE diante do sorriso contagiante e estranho de Vinnie.

FADE OUT

FIM DO ATO DE ABERTURA

EPISÓDIO 9

MEU AMIGO MAIS QUERIDO

PRIMEIRO ATO

FADE IN

SONOPLASTIA: Welcome To The Jungle – Guns N’ Roses

Amanhece na cidade. Takes aéreos da Baía de Guanabara, a Presidente Vargas, o transporte alternativo correndo solto, os caras comandando a ação. Corta para a saída do metrô da Cinelândia, repleto de gente na hora do rush, indo em direção a Rio Branco.

Na fachada do prédio da redação Novo Dia /

FIM DA SONOPLASTIA

CENA 7 INT – REDAÇÃO NOVO DIA / ESCRITÓRIO – DIA

Diretamente na tela do PC, em uma publicação na página do jornal: “Nilo Rodrigues salva a vida de delegado em uma tentativa de assassinato no Rio – Jornalista e delegado Moreira estavam na cafeteria quando foram surpreendidos pela invasão de um carro”.

CAM se afasta da tela e revela, Thales, logo atrás do PC, com as mãos na cintura. Amora acaba de ler a matéria, estupefata.

AMORA
O que há com esse Murilo, Thales? Que manchete é essa?

THALES
Isso pode ser parte do jogo de aproximação dele, Amora.

Amora se levanta, indignada.

AMORA
Mas desse jeito o Nilo e toda a corja da Carioca News vão perceber!
Você e o Murilo são conhecidos como rivais dele.

THALES
Deve tá sendo difícil pra ele fazer de conta que é um pobre trabalhador
a mercê do jornal. Deixa que eu falo com ele.

BATIDAS na porta. Paulinha entra, observa o clima.

AMORA
Que é, garota? Fala logo!

PAULINHA
Fiz a matéria que me pediu. Sobre a escolha do ator em Anti-Herói.

THALES
(ri / debocha)
Cara, esse Freitas… chega a ser piada. Alguém lembrou a
esse cara que o ator precisa ser parecido com a pessoa retratada?

AMORA
Jack é um imbecil que se acha o maior diretor só porque ganhou
prêmios com o aclamado filme A Visitante. (bufa) Onde já se viu
meter um ator negro pra interpretar um loiro? Depois será quem? Um gay?
Um trans? Francamente! Querem pagar de militantes,
metendo essa gente toda em tudo que é canto.

PAULINHA
(desconcertada)
Posso liberar?

AMORA
Já era pra ter liberado, menina! Quero ver só a reação do público.

Amora ri e contagia Thales. Paulinha, chateada, SAI.

SONOPLASTIA: Jorginho, Me Empresta a 12 – MC Carol

CENA 8 EXT. – BAIRRO / MORRO DE VALQUÍRIA – DIA

Os caras doidos vendendo drogas e doces diferenciados em algumas esquinas. Uma pickup com 5 homens armados, sem camisa e posudos circulam pela rua, dando uma geral.

Corta para o morro. Gente descendo; moleques soltando pipa; alguns caras bebendo café no bar; outros já na sinuca.

FIM DA SONOPLASTIA

CENA 9 EXT – CASA DE RAUL / LAJE – DIA

Valdete tomando banho de sol, toda malandra no biquíni branco, e usando óculos escuros. Butuca SALTA a pequena mureta, de acesso fácil a outra casa. Chega por trás e tasca um beijo na testa da garota. Valdete salta de susto.

VALDETE
Porra, Butuca! Tá de sacas?

Butuca ri, apanha o bronzeador.

BUTUCA
Fica sussê, que o Raulzão tá colado lá em outra área.

Butuca espalha o bronzeador nas pernas dela e massageia.

VALDETE
(finge) Taí…Quando é que tu vai me falar quem é o cara?
Deve ser cheio da grana, né?

BUTUCA
(dengoso)
Tá te faltando alguma coisa, princesa? Não tá, então deixa quieto,
que isso tudo aqui (beija os pés dela) fica melhor bem vivo e quente.

VALDETE
Ele é pior que a Moni?

BUTUCA
Pior? (ri, malandro) Moni te encaçapa se tu vacilar, já o outro te
tira da rota só em saber que o nome dele tá na sua boca. Vai arriscar?

Valdete na dela. Butuca desliza as mãos em suas coxas, e ela gosta. CAM flagra um cara sisudão, lá na outra laje, vendo tudo.

CENA 10 INT – REDAÇÃO CARIOCA NEWS / SALA DE REDAÇÃO – DIA

Nilo sentado a uma mesa, pensativo. Roger chega alí com um salgadinho snack e um suco. Oferece, mas Nilo recusa.

ROGER
Ainda tá pensando no Vinnie? (gagueja) Quer dizer…Enfim, cê entendeu.

NILO
Aquilo foi uma ameaça, mas…Por que ele faria questão de me alertar?

ROGER
Isso parece roteiro de filme, sabe? (coloca o copo na mesa e
leva a mão ao léu, viajando) Dois atores morrem de forma suspeita.
O terceiro é salvo, porque o protagonista já sacou como funciona o esquema.
(excitado, arregala os olhos) A partir daí, o herói já se enredou numa trama
perigosa, no qual só sairá se matar o vilão. Pode terminar preso,
morto ou aliado. Alternativas não faltam.

Quando termina de falar, Nilo está encarando Roger, com cara de bobo, sem crer.

ROGER
Que foi? Vinnie é seu fã. Mais do que isso, ele é fã do herói.
Já parou pra pensar que ele pode ter criado um roteiro pra você e
tá só desenvolvendo essa trama?

NILO
Roger…(ironiza) É bem possível, hen. É bem possível que você esteja louco (ri).

Roger se senta ao seu lado, come um snack, animadíssimo com as próprias ideias.

ROGER
Pensa comigo: não faz sentido o Vinnie matar todos que te tratam mal.
A Novo Dia inteira continua de pé.

NILO
Não sei. O alvo dele poderia ser apenas o filme.

ROGER
E tudo bem a Novo Dia te esculachar? Francamente, é assim que o Vinnie te ama?

Nilo o encara, mas nem retruca: o celular sobre a mesa vibra; Nilo verifica. Trata-se de Emília.

NILO
Oi, Emília, tudo bem? (T) Sim, tá fora de perigo. (T)
Posso sim, no fim do expediente seguirei direto pra sua casa.

CORTA IMEDIATAMENTE PARA

CENA 11 INT – REDAÇÃO NOVO DIA / ESCRITÓRIO – DIA

Thales ri de alguma coisa diante do PC. Alguns redatores também. Paulinha e Murilo, sentados, entreolham-se, sérios.

Na TELA DO PC, a área de comentários da página da Novo Dia contém uma montagem do pôster de um filme qualquer com a imagem de uma drag queen sob o título “Anti-Herói”. O pôster é seguido do comentário: “Saiu o novo anti-herói, gente”.

Thales, aos risos, dá um tapinha no ombro de Paulinha.

THALES
Parabéns, Paulinha! Seu artigo não poderia render melhor comentário.

REDATOR #1
Daqui a pouco o Jack coloca uma drag mesmo, hen. Melhor não dar ideia.

Murilo se volta para ele, irritado.

MURILO
O que é engraçado? Se fosse outro branco, alguém lembraria de fazer essa montagem?

THALES
(segurando o riso) Talvez. Você sabe como são as pessoas /

MURILO
(Por cima) Eu sei quem são vocês (Thales fecha o sorriso).
Essa matéria desdenha da escolha do ator por ele ser negro (para Paulinha),
desculpa, sei que não fez por mal, mas (a todos)se fosse um branco interpretar
um negro, a maioria ia tratar como racismo, mas o contrário vira piada.

THALES
Não entendi, Murilo. Vai falar em racismo reverso agora?

Os outros riem.

MURILO
Não, Thales. Eu to dizendo o quanto as pessoas debocham do
fato de um negro interpretar um herói. E não estamos falando de
um herói com superpoderes. Trata-se de um herói comum.

Paulinha abaixa a cabeça, sem graça. Thales e os demais ouvem, com cara de quem não estão gostando. Murilo se levanta.

MURILO
Ninguém se preocupou em questionar um filme baseado em uma
história real, cujo protagonista, nós sabemos, seria visto como bandido,
nunca como justiceiro. (encara Thales) No lugar do Nilo, um negro
seria preso na primeira suspeita levantada por este jornal.
O problema é somente por ele ser negro!

Thales, passado com a lição de moral. Murilo tenta sair dalí, mas dá com Amora, encarando-o da porta.

= = CORTE DESCONTÍNUO = =

CENA 12 INT – REDAÇÃO NOVO DIA / ESCRITÓRIO – DIA

Murilo, de pé, tentando se explicar, nervoso.

MURILO
Amora, eu passei quase a noite inteira pra cobrir o acidente lá do delegado e /

AMORA
(corta) A única coisa que eu quero de você é que cumpra o nosso trato.
Depois daquela bombinha de festa junina que foi a matéria sobre Vince Lemos,
você disse que poderia descobrir o envolvimento do Nilo naquela morte.

MURILO
Sim…Trato é trato.

AMORA
Então cumpra o trato fora daqui, porque até eu to acreditando
nesse seu papel de pobre jornalista a mercê do jornal. (se levanta,
mãos sobre a mesa) Aqui, eu te quero como o Murilo Guedes que conheci. Pode ser?

Murilo vacila o olhar, mas faz que sim.

CENA 13 EXT – REDAÇÃO CARIOCA NEWS – DIA

Pessoas diante da banca do jornal, lendo as últimas manchetes. Rafael passa por entre eles e espia a capa da Novo Dia, com a notícia do filme Anti-Herói e a escolha do ator. Rafael faz a negativa.

RAFAEL
Por isso, sou a favor do aborto. Existiria menos Jacks (ri, sozinho).

Rafael olha para o prédio imponente e faz que vai entrar.

CENA 14 INT – REDAÇÃO CARIOCA NEWS / CORREDOR – DIA

Lila e Roger caminham por alí. O jornalista para um instante para jogar o copo no lixo.

LILA
Deixei o Moreira em boas mãos. O médico disse que ele terá alta amanhã.

ROGER
Por sorte, não foi nada grave. Graças ao Nilo também, né?

LILA
Mas o alvo não era o Nilo? Depois do ataque que ele sofreu…

ROGER
Não. O alvo era o delegado, Lila. (ela se surpreende)
Não posso falar muito, mas uma pessoa disse ao Nilo que a ideia era
matar o Moreira, já que ele tá investigando a morte de Vince Lemos.

Lila faz a pensativa, desconfiada. Corta para Rafael, à espreita e preocupado, tendo escutado tudo.

CENA 15 EXT – RUAS DA CIDADE – DIA / NOITE

SONOPLASTIA: Back in Black – AC/DC

Takes das principais vias, pessoas entrando em vans e ônibus, muito tumulto na hora do rush.

CAM BUSCA o pôr do sol, a noite caindo, luzes em diversos pontos iluminam o cenário, que ganha aspecto nebuloso.

FIM DA SONOPLASTIA

CENA 16 INT – REDAÇÃO CARIOCA NEWS / SALA DE REDAÇÃO – NOITE

Algumas pessoas se preparam para ir embora. Nilo ajeita sua bolsa, quando seu celular, sobre a mesa, vibra. Trata-se de um SMS de número desconhecido.

Nilo aperta uma tecla e, pelo seu PONTO DE VISTA, surge a seguinte mensagem: “Tem gravação no metrô da carioca hoje de novo. É hoje! Siga as instruções”.

Nilo olha ao léu, tenso. Rapidamente, ele SAI da tela.

FADE OUT

FIM DO PRIMEIRO ATO

Anti-Herói - fim do episódio

padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr

LEIA TAMBÉM