Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Capítulo 01 | Algo Está Chegando – A Nossa Canção

Daqui um ano…

[CENA 01 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ AUDITÓRIO/ NOITE]
(o auditório está lotado e todos estão assistindo o musical que é organizado anualmente pela Academia Performática de Música de Nova York. Pedro está andando pelo o palco no meio de sua apresentação solo. Todos estão atentos a ele, Elizabeth está na primeira fileira e o assiste orgulhosa. Arthur entra no auditório com os olhos cheios de raiva e lágrimas, com um revólver na mão. Vai se aproximando até o palco pelo lado esquerdo. Observa Elisa na borda do palco, junto com alguns outros alunos. Vê-la sorrindo para Pedro aumenta mais ainda sua fúria. Foca-se em Pedro e o vê-lo cantando tão feliz, aumenta sua inveja. Afinal, em sua cabeça ele quem deveria estar naquele palco, ele quem deveria estar cantando aquela música. Sem pensar duas vezes, levanta seu braço e aponta a arma em direção à Pedro. Como todos estavam focados no palco e o auditório estava com pouca iluminação, ninguém percebe Arthur segurando a arma. Chorando e nervoso, pensa em abaixá-la e desistir daquilo. Pedro era seu amigo apesar de tudo. Mas assim que Pedro encerra sua apresentação e todos levantam-se de surpresa para aplaudi-lo, Arthur se assusta e acaba atirando no amigo. Na mesma hora, todos ficam assustado com o som do tiro e com Pedro caindo no meio do palco, sangrando com a mão no peito. Arthur deixa a arma cair no chão e sai correndo do auditório com medo. Elisa e os demais alunos correm até Pedro para tentar socorrê-lo)
ELISA – (desesperada, ao lado de Pedro) Pedro, não fecha os olhos! Pedro, escuta minha voz. Alguém chama uma ambulância, rápido! Pedro, olha para mim. Olha para mim, não fecha os olhos. Olha para mim! (Pedro mesmo ouvindo a voz de Elisa, ao seu redor tudo começava a ficar escuro e aos poucos vai fechando os olhos)

Agora…

[CENA 02 – TIMES SQUARE (NOVA YORK)/ TARDE]
(Pedro, Samuka e Arthur estão no meio da Times Square. Os três se entreolham e começam a cantar. Durante a música os três aparecem em diversos lugares de Nova York)

[CENA DE MÚSICA – ONE WAY OR ANOTHER (TEENAGE KICKS) / (ONE DIRECTION)]

[SAMUKA]
One way or another I’m gonna find ya 1
I’m gonna get ya, get ya, get ya, get ya
One way or another I’m gonna win ya
I’m gonna get ya, get ya, get ya, get ya

[PEDRO]
One way or another I’m gonna see ya 2
I’m gonna meet ya meet ya meet ya meet ya
One day, maybe next week
I’m gonna meet ya, I’m gonna meet ya, I’ll meet ya

[ARTHUR]
I will drive past your house 3
And if the lights are all down
I’ll see who’s around

[SAMUKA]
Let’s go!

[PEDRO]
One way or another I’m gonna find ya 4
I’m gonna get ya, get ya, get ya, get ya
One way or another I’m gonna win ya
I’ll get ya, I’ll get ya

[ARTHUR]
One way or another I’m gonna see ya 5
I’m gonna meet ya meet ya meet ya meet ya
One day, maybe next week
I’m gonna meet ya, I’ll meet ya

[SAMUKA]
And if the lights are all out 6
I’ll follow your bus downtown
See who’s hanging out

[PEDRO, SAMUKA E ARTHUR]
Na na na na

[ARTHUR]
I wanna hold you, wanna hold you tight 7
I wanna hold you, wanna hold you tight
I wanna hold you, wanna hold you tight

[SAMUKA E PEDRO]
Yeah, teenage kicks right through the night
Come on!

[SAMUKA]
I wanna hold you, wanna hold you tight 8
I wanna hold you, wanna hold you tight
I wanna hold you, wanna hold you tight

[ARTHUR E PEDRO]
Yeah, teenage kicks right through the night

[PEDRO]
One way or another I’m gonna see ya 9
I wanna meet ya meet ya meet ya meet ya
One day or another I’m gonna win ya
I’m gonna get ya, get ya, get ya, get ya

[SAMUKA]
One way or another I’m gonna see ya 10
I wanna meet ya meet ya meet ya meet ya
One day or another I’m gonna win ya
I’m gonna get ya, get ya, get ya, get ya

[ARTHUR]
One way or another I’m gonna see ya 11
I wanna meet ya meet ya meet ya meet ya
One day or another I’m gonna win ya
I’m gonna get ya, get ya, get ya, get ya

[PEDRO]
One way or another 12

  1. Samuka começa a cantar andando pela Times Square, Pedro e Arthur estão logo atrás dele.
  2. Os três agora estão em um parque, Pedro quem está cantando no meio dos dois, também sendo acompanhado.
  3. Arthur está no meio do pátio da universidade, alguns alunos estão batendo palmas e dançando, Samuka e Pedro também.
  4. Pedro dessa vez está andando em algumas calçadas. Samuka e Arthur que estão logo atrás, puxam algumas pessoas para dançar com eles.
  5. Os três estão no meio da Times Square novamente, dessa vez quem está cantando é Arthur, Pedro e Samuka se divertem logo atrás dele, ambos dançando.
  6. Os três estão dentro do metrô dessa vez, Samuka quem está cantando, enquanto Pedro e Arthur observavam um senhor lendo um jornal.
  7. Os três aparecem dançando no meio de Nova York novamente, com algumas pessoas ao redor dançando junto.
  8. Os três aparecem na universidade, dançando com os alunos.
  9. Pedro está dançando no metrô, sendo acompanhado por várias pessoas.
  10. Os três aparecem em um parque dançando, enquanto são observados e filmados por algumas pessoas.
  11. Os três aparecem no meio da Times Square novamente, com várias pessoas dançando ao redor.
  12. Pedro encerra a música, com os três no meio da Times Square, fascinado pelo o encanto de Nova York.

[CENA 03 – LANCHONETE (NOVA YORK)/ TARDE]
(após a música os três decidiram lanchar algo numa lanchonete favorita de Arthur)
ARTHUR – O garoto tem talento, Sam!
SAMUKA – Eu disse para você.
ARTHUR – (olha para Pedro) É… ele tem grandes chances de entrar sim.
PEDRO – Dizem que a última parte da seleção só são os melhores do mundo.
SAMUKA – Relaxa, cara. Eu tinha esse mesmo nervosismo quando participei.
ARTHUR – E olha que o Samuka tentou três vezes.
PEDRO – Sério?
SAMUKA – Sim. Mas eu nunca desisti. Em cada não que eu recebia, mais motivação eu ganhava para tentar no próximo ano.
ARTHUR – E de tentativas em tentativas, esse chato aí conseguiu entrar. (soca de leve o ombro de Samuka)
PEDRO – E você, Arthur? Tentou mais de uma vez também?
ARTHUR – Não. Eu entrei de primeira.
SAMUKA – Esse aí é o queridinho da turma. Sempre faz o papel principal nos musicais, nos eventos de finais de ano. Praticamente assim que sair da universidade, irá direto para algum musical na Broadway!
ARTHUR – Posso ser um dos favoritos, mas… sabe que ir para Broadway não é tão fácil assim. Eu mesmo já participei de uma seleção para um papel em Hamilton, e não fui selecionado.
SAMUKA – Eu sei, mas é só uma ligação da Elizabeth que você teria conseguido o papel na mesma hora.
PEDRO – Essa Elizabeth tem tanta influência assim?
ARTHUR – Bem… digamos que se você quer fazer sucesso nesta área, ela é o caminho. (Pedro fica pensativo)
SAMUKA – Vamos continuar nosso tour?! (levanta-se) Temos muitas coisas para te mostrar na universidade ainda, antes da sua apresentação. (os três levantam-se e saem da lanchonete)

[CENA 04 – LANCHONETE DO IVO/ TARDE]
(Ramon está lanchando junto com Andréa, a mesma não tira os olhos do celular)
ANDRÉA – Tem certeza de que Pedro disse que a apresentação seria as 19h, Ramon?
RAMON – Foi o horário que ele me passou.
ANDRÉA – (deixa o celular de lado) O resultado deve sair 21H por aí. Será que o Pedro tem chance?
RAMON – Com toda certeza. (Andréa fica pensativa) O que foi?
ANDRÉA – Nada.
RAMON – Se fosse nada, você não teria ficado com está cara aí?!
ANDRÉA – Tá… andei pensando e talvez eu deveria pedir desculpas a ele.
RAMON – Melhor tarde do que nunca!
ANDRÉA – Você me ajuda, Ramon? Eu sei que errei, assumo isso.
RAMON – O que você fez foi uma grande mancada. Quase também perco a amizade dele.
ANDRÉA – Mas não perdeu. Vocês continuam sendo melhores amigos ainda, então por favor, me ajuda a fazer as pazes com ele.
RAMON – Tá, mas se você voltar a fazer algo semelhante a isso, tenha certeza de que não estarei ao seu lado. (Andréa fica em silêncio, pega celular e volta a mexê-lo)

[CENA 05 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ AUDITÓRIO/ TARDE]
(Pedro, Samuka e Arthur entram no auditório, caminham em direção ao palco)
SAMUKA – Você já conheceu as principais salas, o refeitório, nosso local de lazer onde todos se reúnem, cantam e se divertem. Agora, aqui é onde ocorre a mágica!
ARTHUR – Este é o nosso auditório!
PEDRO – Uau, é enorme.
ARTHUR – Precisa vê-lo lotado! Vem, vamos subir no palco. Você precisa sentir a sensação de que é estar em cima dele. (os três sobem no palco, Pedro fica bem no centro olhando para frente)
SAMUKA – Os calouros normalmente não têm chance de se apresentarem aqui.
ARTHUR – Então não crie expectativas achando que irá cantar muito aqui, viu.
SAMUKA – (se aproxima de Pedro) Então aproveite bem está noite, que a comunidade inteira estará te prestigiando.
PEDRO – E quando os alunos podem cantar?
ARTHUR – Isso ocorre em duas ocasiões. Duas vezes ao ano são realizadas apresentações musicais aberta ao público, como para a comunidade acadêmica.
SAMUKA – Produtores, diretores, artistas, todo tipo de influência vêm prestigiar nossos musicais.
PEDRO – São momentos como estes que os melhores alunos recebem a ajuda da Elizabeth?
ARTHUR – Se você for talentoso o suficiente, sim! A Elizabeth conhece vários tipos de pessoas que podem te ajudar com uma simples ligação. Se você realmente tem talento, ela sabe muito bem as pessoas certas a serem convidadas.
PEDRO – Vocês já cantaram aqui?
SAMUKA – Eu ainda não.
ARTHUR – Eu já. Duas vezes. E se tudo der certa, este ano farei minha terceira participação.
SAMUKA – Convencido!
ARTHUR – Uma aluna que se formará agora, elaborou um roteiro de um musical como trabalho de conclusão de curso e que será representado neste palco. Eu obviamente consegui o papel principal.
SAMUKA – Você e a Elisa!
PEDRO – Elisa?
ARTHUR – Elisa é a minha parceira de dueto. E também minha namorada. Você vai conhecê-la em breve.
PEDRO – E como é feita a seleção dos alunos?
SAMUKA – Normalmente os alunos são escolhidos a dedos pela a Elizabeth. Foi o que aconteceu com o Arthur.
ARTHUR – No meu primeiro ano Elizabeth entrou no meio da sala de dança, caminhou até minha frente e apontou para mim.
PEDRO – Sério?
SAMUKA – Claro que não, ele tá inventando isso. (os três riem)
ARTHUR – Estou brincando, ela não fez isso. Digamos que quando saiu a lista de quem interpretaria os personagens, meu nome estava no meio.
PEDRO – Sem nenhuma seleção?
ARTHUR – Sem nenhuma seleção!
PEDRO – Isso não é meio injusto? Tipo, certamente outros alunos gostariam de um papel.
SAMUKA – Logo você vai entender que existe meio que uma hierarquia aqui.
ARTHUR – Quem tem talento, não precisa de seleção! É quase isso. (Pedro fica alguns segundos pensativo, foca-se para as poltronas)
SAMUKA – (se aproxima dele) Quer cantar?
PEDRO – Não, acho melhor voltarmos para o apartamento. Daqui algumas horas é a minha apresentação.
SAMUKA – Você tem razão. Vamos! (os três descem do palco e caminham em direção à saída. Pedro continua observando com detalhe o auditório)

Anoitecendo…

[CENA 06 – CASA DE PEDRO/ SALA/ NOITE]
(Paula está na sala falando ao telefone com Pedro, Felipe está em pé ao lado dela)
PAULA – Fica tranquilo, está bem. Vai dar tudo certo, você vai entrar para esta universidade e estarei morando junto com você em Nova York ano que vem. Pensa que estou brincando, é? Não se preocupa, eu avisei o horário da sua apresentação e mesmo a diferença de horários, ele garantiu que iria tentar acompanhar. Uma hora dessa ele deve estar voltando para o sítio, mas vou mandar mensagem para ele daqui a pouco. (olha para Felipe) O Felipe está aqui também. Não, a Alice não veio com ele. Ela está em turnê ainda. Sim. Tá, vou passar para ele. (entrega o celular para Felipe)
FELIPE – (se afasta um pouco) Oi, Pedro! Relaxa está bem, você é talentoso, assim como Alice. Vocês dois puxaram a mim, né. (ri) Mas brincadeira à parte, arrebenta viu?! Vamos estar aqui torcendo por você… filho! Tá, vou passar para sua tia. (entrega o celular para Paula novamente, em seguida senta-se no sofá, com um leve sorriso no rosto)
PAULA – Assim que você se apresentar não esquece de enviar uma mensagem, ok?!

[CENA 07 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ AUDITÓRIO/ NOITE]
(Pedro entra no auditório junto com Samuka, os dois caminham pelas poltronas)
PEDRO – (repara em Elizabeth com alguns outros professores no centro do auditório) Não esperava que viesse tanta gente assim!
SAMUKA – Relaxa que todos aqui são só alunos. A seleção felizmente é aberta somente para a comunidade acadêmica. Vem, vamos sentar ali. (os dois caminham até a terceira fileira um pouco à frente da banca examinadora)
PEDRO – Quem são os demais participantes? Quase não consigo diferenciá-los dos alunos?!
ARTHUR – (sentando-se ao lado de Pedro, que o surpreende) Eu já fiz isso para você, meu caro.
SAMUKA – Por isso não quis vir com a gente, né?! Foi investigar os candidatos.
ARTHUR – Mas é lógico! Querendo ou não todos são meus concorrentes. (foca-se em Pedro) Bem, vamos ao primeiro. (olha para uma garota de óculos, conversando com outras duas garotas) Aquela ali é Sarah Norake. Veio da Alemanha, tem um canal no YouTube com quase 1,5 milhões de inscritos.
SAMUKA – Uau.
ARTHUR – Assisti alguns vídeos dela, e digamos que ela é uma das melhores cantoras líricas que já ouvi. Mas, relaxa. Bem, vamos para o próximo. Aquele ali é Joy Anderson. Está tentando pela terceira vez consecutiva e sempre reprova na última etapa.
PEDRO – Um experiente então?!
ARTHUR – Digamos que sim. Aquela é Merlanie Martinez!  Veio do México, fala 3 idiomas, viciada em musicais e segundo algumas fontes, ganhou seu primeiro papel aos 04 anos de idade em uma peça da escola.
PEDRO – Ninguém consegue um papel aos 04 anos de idade!
SAMUKA – Vai se acostumando com essas histórias. Você vai ouvir coisas mais absurdas que estas por aí.
ARTHUR – E por fim, temos Amélia Oliver. Bonita, tem uma voz angelical, acreditem… ouvi alguns vídeos dela na internet e a menina é um anjo cantando. Bem, esses são os seus concorrentes, Pedro.
PEDRO – Todos me parecem bons.
ARTHUR – Todos são bons! Se não eles não teriam chegado até aqui.
SAMUKA – Fica tranquilo, cara. Eles podem até ser bons, mas você é melhor e vai arrebentar. (Pedro tenta se manter confiante na frente de seus amigos, mas dentro dele estava surgindo um pequeno nervosismo e uma dúvida de seu talento)

[CENA 08 – CASA DELLE ROSE/ Q. DE LARISSA/ NOITE]
(Larissa está em frente ao espelho, com o celular na mão ainda esperando uma resposta da produção de Sua Canção, Nathaniel entra no quarto)
NATHANIEL – Oi, está pronta?
LARISSA – (caminha até a cama, colocando o celular em cima) Estou. (volta para o espelho) Muita gente?
NATHANIEL – Sim. Todos estão loucos para verem o musical da Casa Delle Rose. (caminha até ela) E você é a estrela desta noite. O palco será todo seu! (sorri, porém Larissa continua preocupada) O que foi? Que carinha é essa?
LARISSA – Desculpa, Nathan. Eu deveria estar feliz porque essa noite é sua, mas…
NATHANIEL – (interrompendo-a) Mas continua preocupada com a resposta que a produção do programa pode dar, não é isso? (Larissa confirma com a cabeça, Nathaniel caminha até ela, segura em sua mão) Meu amor, você é a pessoal mais talentosa que aquele programa um dia vai ouvir.
LARISSA – (solta um sorriso) Eu sei que você quer me ver sorrir, mas também não precisa exagerar assim.
NATHANIEL – Não é exagero algum, é a verdade. Se eles te proibirem de participar do programa porque você trabalha em um cabaré, o problema é deles, pois estarão perdendo uma grande estrela como você.
LARISSA – (se afasta dele) Olha que um dia vou começar a acreditar no que você diz, hein.
NATHANIEL – Deveria. Agora trate de esquecer essa produção trouxa, e foca nessa noite. Tem uma multidão ali louca para ver você brilhando no palco.
LARISSA – (fica em frente dele novamente) Obrigada! Você sempre me fazendo bem. (o abraça, Nathaniel sorri)

[CENA 09 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ AUDITÓRIO/ NOITE]
ELIZABETH – (em pé no centro do auditório) Good evening everyone! Welcome to another selection of candidates for the New York Performing Academy of Music.
PEDRO – (cochichando no ouvido de Samuka) Ela vai falar em inglês?
SAMUKA – Se você vai estudar aqui meu amigo, é melhor você ir aperfeiçoando seu inglês.
ELIZABETH – This is the third night of presentations, where 5 candidates will compete against each other in solo presentations for one of the vacancies available for next semester. The order of presentation, as usual, was decided by previous draw with the evaluators present tonight. Before inviting the first candidate, I want to introduce the teachers who will evaluate the candidates tonight. Professor Santigo Hernandes, our dance teacher. (os alunos batem palmas, Santiago agradece) The teacher Helena Graviolle, our teacher of lyric music. (alunos batem palmas e chegam a soltar alguns gritos de euforia quando Helena é anunciada, ela se levanta e agradece) And we have the singing and piano teacher Olivia Benedit. (Olivia também se levanta e agradece as palmas que recebeu) Each of them, including me, will give notes during the presentations of the candidates present here. (olha a lista dos candidatos) In alphabetical order Amelia Oliver from England. Joy Anderson from Austria. Merlanie Martinez from Mexico. Pedro Rodrigues from Brazil. And Sarah Norake from Germany. (conforme eram chamados, um a um iam se levantando) Some are having the opportunity to visit our auditorium for the first time. Others, let’s say already knows this stage well. (Pedro repara em Joy) Anyway, I wish you all the best of luck and that you all make a good presentation. Regardless of any outcome, you have come this far, you are already talented. (todos batem palmas) Now I would like to call the first candidate to come up here on stage. The first to perform, according to the draw, will be Pedro Rodrigues! (repara em Pedro, que fica surpreso em ser o primeiro)
SAMUKA – Boa sorte!
PEDRO – Valeu! (Pedro levanta-se e caminha em direção ao palco)
ELIZABETH – (se aproxima dele, e diz em seu ouvido) Boa sorte, garoto! (desce do palco, retorna para a banca. Pedro fica no centro do palco, observa todos prestando atenção nele, isso o paralisa)
ARTHUR – Ih, acho que ele travou.
SAMUKA – Vamos, garoto! (levanta-se) Vamos lá, Pedro! Mostre que você não veio de tão longe à toa! (todos olham de forma estranha para Samuka, mas isso não o intimidou. Essa atitude fez com que Pedro tomasse conta de seu nervosismo, caminha até o pessoal da banda e informa a música que irá cantar. Em seguida retorna para o centro do palco, olha para a banda dando sinal para que eles começassem. Pedro fecha os olhos, abaixa um pouco a cabeça e começa a cantar)

[CENA DE MÚSICA – SOMETHING’S COMING (WEST SIDE STORY)]

Could be! 1
Who knows?
There’s something due any day;
I will know right away,
Soon as it shows.
It may come cannonballing down through the sky,
Gleam in its eye,
Bright as a rose!

Who knows? 2
It’s only just out of reach,
Down the block, on a beach,
Under a tree.
I got a feeling there’s a miracle due,
Gonna come true,
Coming to me!

Could it be? Yes, it could.3
Something’s coming, something good,
If I can wait!
Something’s coming, I don’t know what it is,
But it is
Gonna be great!

With a click, with a shock,
Phone’ll jingle, door’ll knock,
Open the latch!
Something’s coming, don’t know when, but it’s soon;
Catch the moon,
One-handed catch!

Around the corner, 4
Or whistling down the river,
Come on, deliver
To me!
Will it be? Yes, it will.
Maybe just by holding still,
It’ll be there!

Come on, something, come on in, don’t be shy, 5
Meet a guy,
Pull up a chair!
The air is humming,
And something great is coming!
Who knows?
It’s only just out of reach,
Down the block, on a beach,
Maybe tonight . . .

  1. De olhos fechados e cabeça baixa, Pedro começa a cantar. Todos ficam a atentos a ele, Samuka continua em pé, torcendo.
  2. Pedro abre os olhos, e um pouco mais confiante começa a se soltar no palco. Samuka senta-se, ao vê-lo se recuperando.
  3. Solto e sorrindo, Pedro começa a andar pelo palco, como se já o conhecesse. Os professores o assistem, admirando-o. Arthur também está curtindo a apresentação, sorri. Elizabeth permanece atenta a ele, com um leve sorriso.
  4. Bem à vontade, Pedro canta e dança em cima do palco, sua energia contagia todos, incluindo seus concorrentes.
  5. Ele retorna para o centro do palco, encerra sua apresentação e é aplaudido por todos. Pedro agradece, olha para seus amigos e sorri.

[CENA 10 – CASA DE PEDRO/ SALA/ NOITE]
(Paula está andando de um lado para o outro, enquanto Felipe está sentado no sofá mexendo no celular)
PAULA – As apresentações devem ter começado uma hora dessa.
FELIPE – Começaram sim, foi publicado uma foto do primeiro participante e adivinha?!
PAULA – O que foi?
FELIPE – Pedro quem começou as apresentações.
PAULA – (caminha até ele) Sério? (Felipe exibe a foto de Pedro cantando em cima do palco, publicado no site da universidade, Paula sorri) Ele deve estar arrebatando. (celular dela toca) É o papai, eu vou atender. (caminha em direção a escada, Felipe volta a mexer no celular) Oi, pai. Sim, as apresentações já começaram. E Pedro foi o primeiro. Não, ele ainda não mandou mensagem. Acreditamos que esteja se apresentando ainda.

[CENA 11 – CASA DE RAMON/ GARAGEM/ NOITE]
(Ramon está fazendo alguns ajustes em alguns instrumentos, enquanto Andréa está sentada em um banquinho, mexendo no celular)
ANDRÉA – O Pedro começou as apresentações, ele está cantando Something’s Coming.
RAMON – Não conheço está música.
ANDRÉA – Também não. Mas vou pesquisa já. (após uma pesquisa rápida, encontra a música) Será que foi Pedro quem a escolheu?
RAMON – Talvez. Ou pode ter sido o amigo dele que estuda lá, o tal de Samuka.
ANDRÉA – Parece que essa música é de algum musical, sei lá.
RAMON – Esperto.
ANDRÉA – A apresentação dele já deve ter terminado. Estou tão ansiosa por este resultado.
RAMON – Imagino. (continua focado em seu instrumento, responde baixinho) Passou o dia inteiro falando disso!

[CENA 12 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ AUDITÓRIO/ NOITE]
(Pedro saiu do auditório após a apresentação, sendo acompanhado por Arthur e Samuka)
PEDRO – (ansioso, começa a andar pelo corredor) Será que eles gostaram? Sei lá, comecei a apresentação nervoso, acho que eles perceberam.
ARTHUR – Certeza. Creio que todos perceberem seu nervosismo lá em cima.
PEDRO – Eu não sei o que deu em mim. Nunca senti isso, mesmo tendo pouca experiência em cantar em público, nunca fiquei tão nervoso daquele jeito.
SAMUKA – Relaxa, está bem. É compreensível, afinal você está concorrendo para uma vaga em uma das melhores universidades de música do país. Super compreensível, ok?!
ARTHUR – (caminha até Pedro, coloca seu braço ao redor do pescoço dele) Cara, relaxa. Apesar de seu início meio tímido, você mandou bem ao longo da música. Vai por mim, você vai conseguir essa vaga e nos três… (Samuka se aproxima, Arthur coloca seu braço ao redor dele, ficando no meio dos dois) …vamos aprontar muito ano que vem! Anotem o que eu estou dizendo, ninguém vai segurar esse trio! (os três sorriem, Pedro olha para Arthur e o vê-lo confiante, o deixa tranquilo)

Daqui um ano…

[CENA 13 – HOSPITAL (NOVA YORK)/ NOITE]
(Pedro está sendo levado pelos corredores do hospital direto para a sala de cirurgia, o mesmo continua desmaiado, enquanto uma enfermeira tenta reanimá-lo. Samuka junto com Elisa e alguns amigos o acompanham até uma parte do caminho)
ENFERMEIRA – You cannot continue from here.
SAMUKA – Save him, please. (observa Pedro sendo levado para a sala, fica parado no meio do corredor, começa a andar preocupado)
ELISA – (caminha até Samuka) Calma, Samuka. Pedro ficará bem! (o abraça)
SAMUKA – Pedro não pode morrer, Elisa. Eu jamais vou me perdoar se isso acontecer! (começa a chorar)

Continua no Capítulo 02…

Quer ouvir todas as músicas que foram interpretadas em Minha Canção? Se liga na playlist disponível nas plataformas abaixo. É só clicar na imagem e ouvir! 

                         

POSTADO POR

Anderson Silva

Anderson Silva

Um carinha qualquer apaixonado por música e contador de histórias. Atualmente é autor de A Nossa Canção.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo