Capítulo 35 | Jarro de Corações – Minha Canção

leia em 8 min


[CENA 01 – LANCHONETE DO IVO/ DIA]
IVO – (surpreso) Como assim você vai sair da banda? Por quê?
PEDRO – Eu decidi abandonar a banda. Sei o quanto isso é importante para os garotos, e o quanto se tornou para eu também, só que… infelizmente não dá!
IVO – Mas o que aconteceu para você tomar essa decisão?
PEDRO – A banda precisa de um vocalista, de alguém que os guie. Eu no momento não posso ser esse cara.
IVO – É claro que pode. Estamos a um passo da final, você não pode nos deixar agora.
PEDRO – Sinto muito…
IVO – Você está estragando os sonhos daqueles. Todos estão contando com você, Pedro. (Pedro tem vontade de chorar, abaixa a cabeça e sai da lanchonete apressado, Ivo o observa preocupado. Jorge aparece ao lado dele) Foi isso que vocês vieram me avisar, não foi?
JORGE – Foco, Ivo. A banda precisará de você. (os dois observam a entrada da lanchonete)

[CENA 02 – ÔNIBUS/ DIA]
(o pessoal estão voltando para suas casas, com a mesma empolgação que vieram, cantando e dançando ao longo da viagem)

[CENA 03 – PRAIA/ DIA]
(Alice está andando pela praia, se aproxima do mar, senta-se na areia e observa, em silêncio. Começa a chorar)

[CENA 04 – CASA DE ALICE/ SALA/ DIA]
(Felipe vem descendo as escadas a procura da filha, encontra o irmão na sala)
FELIPE – Você viu a Alice, Paulo?
PAULO – Não, não vi. Ela não está no quarto?
FELIPE – Não. O Pedro apareceu por aqui?
PAULO – Também não. Você acha que os dois estão juntos?
FELIPE – Meio receio é que não. Os dois saíram arrasado ontem, duvido que estejam.
PAULO – Bem, talvez eles se encontraram para se resolverem.
FELIPE – Não, Paulo. Não quero nem pensar no que os dois tem para resolverem. Vou ligar para Alice novamente. O pior que ela nem está me atendendo.
PAULO – Você procurou em todos os quartos?
FELIPE – Não. Estou vindo do quarto dela, mas nem sinal. Onde será que essa menina se meteu?! (liga, enquanto Paulo observa. Pedro chega em casa nesse momento, Felipe desliga o celular) Pedro! Bom dia.
PEDRO – (sério) Bom dia.
FELIPE – Você por acaso viu a Alice?
PEDRO – (fica alguns segundos em silêncio) Não.
FELIPE – É que ela não está no quarto, imaginei que estivesse com você.
PEDRO – Não está. (caminha até a escada)
FELIPE – Você não vai para o colégio?
PEDRO – Vou arrumar minhas coisas. Estou voltando para a minha casa.
FELIPE – Você pode ficar aqui o tempo que quiser, não precisa ir.
PEDRO – Não, obrigado! (sobe o quarto de cabeça baixa, Felipe o observa, preocupado)
PAULO – Acho que a notícia afetou demais esses garotos.
FELIPE – Eu tô percebendo isso também. (volta a ligar para Alice)

[CENA 05 – CASA DE PEDRO/ COZINHA/ DIA]
(Paula entra na cozinha, ainda tentando falar com Pedro. Frederico está tomando café da manhã)
FREDERICO – Ainda nada?
PAULA – (senta-se ao lado dele) Nada, papai. Será que devo ligar para o Felipe e saber se ele apareceu por lá.
FREDERICO – Sim.
PAULA – (disca para Felipe) Oi, Felipe. Bom dia. É… estou ligando para saber se o Pedro apareceu ai hoje. Apareceu! (alivia-se) Que bom. É que estou tentando ligar para ele, mas só cai na caixa postal. Ele está arrumando suas coisas? Quer dizer que ele vai voltar para cá?! Sim. Está bem. Tá, vamos aguarda-lo chegar. Eu te aviso depois. Obrigada.
FREDERICO – Pedro está voltando para cá?
PAULA – Sim. De acordo com o Felipe, ele acabou de chegar, subiu para o quarto e está arrumando suas coisas.
FREDERICO – Ele sente muita falta desta casa. Normal que ele queira voltar para cá, ainda mais depois que você acordou.
PAULA – Vamos aguarda-lo.

[CENA 06 – COLÉGIO ESTADUAL OLIVEIRA SANTOS/ PÁTIO/ DIA]
(o ônibus deixa os garotos em frente do colégio, ambos chegam um pouco atrasado para a aula, mas conseguem entrar)
ÉSTER – Após um dia incrível de diversão, voltamos para o reino do tédio!
ANDRÉA – Vocês tem que ganhar logo a próxima etapa, para a queridinha da Alice planejar outro evento igual este!
RAMON – Pode deixar que a semifinal está no papo. (enquanto alguns entram na escola, Dácio e Daniel continuam fora)
DÁCIO – Você não sente saudade da escola?
DANIEL – Sinto. Mas, já conversamos. Sabe porque não posso voltar.
DÁCIO – Por que você não resolver logo isso com o seu pai.
DANIEL – Meu pai é incompreensível, você sabe disso. E mesmo, em poucos meses completo 18 anos. Serei maior de idade, e ele não poderá mais tomar conta de mim.
DÁCIO – Embora você fique atrasado nos estudo 1 ano.
DANIEL – Sem problema. Ao menos terei esse tempo para focar no programa.
DÁCIO – Que programa?
DANIEL – Sua Canção.
DÁCIO – (sorri) Você irá se inscrever?
DANIEL – Sim. Esse passeio com o pessoal, me incentivou a acreditar que tenho talento.
DÁCIO – Que ótimo. Tenho certeza que você tem muitas chances de ganhar.
DANIEL – Não sei. Porém, vou tentar. Se eu ganhar ou não, espero ao menos me divertir.
DÁCIO – É assim que se fala.

[CENA 07 – CASA DE ALICE/ SALA/ DIA]
(Pedro vem descendo as escadas, com algumas mochilas. Paulo continua na sala)
PAULO – Já?
PEDRO – Já. Queria poder agradecer a todos por terem me acolhido, mas… creio que você conseguirá passar para todos.
PAULO – Não precisa se preocupar. Você é da família. (Pedro fica em silêncio, caminha em direção à porta) Sempre que quiser, sua família vai está aqui, te esperando. (Pedro continua sem responder, caminha até a porta e vai embora. Felipe entra na sala)
FELIPE – Era o Pedro?
PAULO – Sim.
FELIPE – Imagino que ele quis ir sem se despedir.
PAULO – Acho que ele precisa apenas de um tempo, sabe?! Ele precisa organizar a bagunça que deve ter se formado dentro dele.
FELIPE – Eu tenho que ir para empresa, mas continuarei tentado ligar para Alice. Caso ele aparece, por favor, me avisa.
PAULO – Tá, pode deixa. (Felipe pega sua pasta que estava em cima do sofá e vai embora)

Mais Tarde…

[CENA 08 – LANCHONETE DO IVO/ TARDE]
(Ramon e o pessoal da banda entram na lanchonete do Ivo e caminham em direção ao palco. Ivo sai da cozinha com um pedido, o deixa na mesa do cliente, e em seguida vai até o palco)
RAMON – (conectando alguns cabos) E aí, Ivo!
IVO – Beleza, pessoal. Como foi o passeio?
RAMON – Foi ótimo. Embora o Pedro e Alice tenham ido antes da gente.
IVO – Por falar em Pedro, ele veio aqui hoje mais cedo.
RAMON – (descendo do palco, fica de frente para Ivo) Veio?
IVO – Sim. Veio conversar comigo.
RAMON – O que ele queria.
IVO – Ele veio dizer que não pode mais participar da banda. Pedro deixou a banda.
RAMON – (surpreso, os demais garotos param de fazer o que estavam fazendo e se aproximam dele) Como assim quer deixar a banda?
IVO – Ele não me deu um motivo concreto para isso, só disse que não tinha condições para continuar com a gente.
RAMON – Que estranho. Ele deveria ter falado comigo primeiro. (pega seu celular e liga)
IVO – Pois é, ele chegou hoje sério, com os olhos vazios, sei lá. Você não sabe o que aconteceu?
RAMON – Não. Ontem ele a Alice saíram cedo, porque o pai dela queria falar com eles. Depois então, não sei mais o que aconteceu.
IVO – Ele tava estranho. Enfim, espero que você consiga conversar com ele.
RAMON – (desliga o celular) Ele não está atendendo. Vou ligar para a Alice!
IVO – Bem, tenho que atender algumas mesas. Qualquer coisa, só chamar. (se afasta dele, Ramon continua em pé ao lado do palco, ligando para Alice, que também cai na caixa postal)

[CENA 09 – CASA DE PEDRO/ Q. DE PEDRO/ TARDE]
(Pedro está sentado em sua cama, olhando para o berço. Lembra do momento do momento em que ele e Alice se conheceram na lanchonete do Ivo. Em seguida lembra do primeiro beijo que os dois deram no estúdio dela. E por fim, lembra do momento deles na praia)

[CENA 10 – CASA DE MANUELA/ SALA/ TARDE]
(Manuela está na sala estudando, quando alguém bate na porta. Ela, imaginando quem seja, levanta e vai atender)
MARCELO – Desculpa a demora, é que quase não encontrava sua casa.
MANUELA – Sem problema. Entra. (Marcelo entra e os dois voltam para a sala)
MARCELO – Então, qual música você quer cantar.
MANUELA – Na verdade, pensei que você me sugerisse algumas. Você também vem ajudando a Alice com algumas músicas, né?
MARCELO – Sim. Ela me chama algumas vezes para ir até a casa dela, normalmente já com as músicas prontas.
MANUELA – Eu quero aprender cantar músicas internacionais.
MARCELO – Internacionais?
MANUEL – Sim. Como fiz minha inscrição para o programa Sua Canção, preciso ter um repertório bem vasto de músicas. E as que conheço maioria são nacionais.
MARCELO – E você acha que para ganhar este programa, precisa ser com músicas internacionais.
MANUELA – Bem, a Alice ganhou a temporada passada cantada só esse estilo de música.
MARCELO – Porém, Alice tem talento. Creio que independente da música, a pessoa precisa ter talento. Algo que você também tem. A música que você cantou ontem a noite foi linda.
MANUELA – (envergonhasse) Obrigada. Mas, eu também quero ampliar meu repertório de música. Por isso, preciso de sua ajuda.
MARCELO – Tá bem. (retira sua mochila do ombro, coloca no sofá, retira seu notebook e o liga. Senta-se no sofá, coloca em suas pernas e começa a mexer) Tem certeza que não tem nenhuma sugestão?
MANUELA – Não. Infelizmente não tenho nenhuma.
MARCELO – Sem problema, tenho uma pasta ampla de cantoras internacionais, e tenho uma aqui que se encaixa bem na sua voz. (Manuela senta-se ao lado dele e observa-o procurando músicas)

[CENA 11 – LANCHONETE DO IVO/ TARDE]
(os garotos estão em cima do palco, testando os equipamentos. Alice entra na lanchonete, os ver e caminha até eles)
RAMON – (descendo do palco) Alice, você viu o Pedro? Estou tentando falar com ele desde cedo.
ALICE – Eu não sei onde ele está.
RAMON – (a percebe estranha) O que aconteceu ontem com vocês após terem voltado?
ALICE – (muda de assunto) Vocês irão cantar alguma música?
RAMON – Estamos testando os equipamentos.
ALICE – Será que eu posso cantar uma.
RAMON – Claro. (Alice não diz mais nada, sobe para o palco. Ramon percebe que tem algo estranho, sobe para o palco, em direção a bateria, aguarda Alice dá sinal)

[CENA DE MÚSICA – JAR OF HEARTS (CHRISTINA PERRI)]

I know I can’t take one more step towards you 1
Cause all that’s waiting is regret
Don’t you know I’m not your ghost anymore
You lost the love I loved the most

I learned to live, half alive
And now you want me one more time

And who do you think you are? 2
Running ‘round leaving scars
Collecting your jar of hearts
And tearing love apart
You’re gonna catch a cold
From the ice inside your soul
So don’t come back for me
Who do you think you are?

I hear you’re asking all around
If I am anywhere to be found
But I have grown too strong
To ever fall back in your arms
I’ve learned to live, half alive
And now you want me one more time

And who do you think you are? 3
Running ‘round leaving scars
Collecting your jar of hearts
And tearing love apart
You’re gonna catch a cold
From the ice inside your soul
So don’t come back for me
Who do you think you are?

Dear, it took so long just to feel alright
Remember how to put back the light in my eyes
I wish I had missed the first time that we kissed
Cause you broke all your promises
And now you’re back
You don’t get to get me back

And who do you think you are? 4
Running around leaving scars
Collecting your jar of hearts
And tearing love apart
You’re gonna catch a cold
From the ice inside your soul
So don’t come back for me
Don’t come back at all

And who do you think you are?
Running around leaving scars
Collecting your jar of hearts
And tearing love apart
You’re gonna catch a cold
From the ice inside your soul
Don’t come back for me
Don’t come back at all

Who do you think you are? 5
Who do you think you are?
Who do you think you are?

1. Alice começa cantando de olhos fechados, em um ritmo lento. Em sua memória vem lembranças de Pedro.
2. Alice lembra da primeira vez que conheceu Pedro, e da música que os dois cantaram na lanchonete.
3. Lembra de quando Pedro foi atrás dela, no casamento da Carla, e do beijo que ela deu nele.
4. Lembra do momento que os dois passaram na ilha, abre os olhos, com vontade de chorar. Os garotos percebem o estado melancólico que ela se encontra.
5. Ivo que estava no balcão, também estranha o estado que Alice está, semelhante com o de Pedro. Alice encerra a música, desce do palco chorando, sai da lanchonete apressada.

[CENA 12 – CASA DE PEDRO/ Q. DE PEDRO/ TARDE]
(Pedro continua sentado na cama, Paula bate na porta do quarto, entrando)
PAULA – Oi, querido. Posso entrar? (Pedro não responde, mas deixa um espaço na cama, exemplificado que sim. Paula senta-se ao lado dele) Acho que chegou a hora de conversarmos.
PEDRO – (sério) Por que todos vocês mentiram para mim?!

Continua no Capítulo 36…


Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Anderson Silva

Um carinha qualquer apaixonado por música e contador de histórias. Atualmente é autor de A Nossa Canção.
>
Criar conteúdo
Enquete
Votação para tomar decisões ou determinar opiniões
Cyber Editor
Publique ou agende capítulos e chamadas de divulgação de sua História