Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Capítulo 38 | Casa – A Nossa Canção

Daqui seis meses…

[CENA 01 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ SALA DE MÚSICA/ DIA]
(Arthur está sentado ao fundo da sala, vendo alguns vídeos na internet. Samuka entra, o procura)
SAMUKA – Sabe que aqui não é um lugar mais tão secreto assim, né? (caminha até ele)
ARTHUR – (saí do vídeo que estava vendo, presta atenção em seu amigo) O que quer?
SAMUKA – Vim conversar. Saber se estar tudo bem no apartamento novo? (senta-se) Se precisa de alguma coisa…
ARTHUR – (guarda o celular) Eu estou bem. Não precisa se preocupar. (os dois ficam em silêncio por alguns segundos)
SAMUKA – A Elisa me mandou o seu novo endereço.
ARTHUR – Sabia que ela iria fazer isso.
SAMUKA – Se você precisar de ajuda com alguma coisa, só avisar.
ARTHUR – Tá. (o silêncio volta entre eles)
SAMUKA – (levanta-se) Tá tendo muitas avaliações nessa reta final de semestre?
ARTHUR – Um pouco. Mas tá tudo sob controle. Estava justamente aqui procurando uma música para a professora Rachel.
SAMUKA – (ri) Deixa eu adivinhar, você tem que escolher um clássico de algum filme e cantá-lo?!
ARTHUR – Se fosse só isso era fácil. Sabe como o meu repertório de filmes musicais é enorme. Só que ela quer que seja a semana do sexo oposto. Ou seja, homens deverão interpretar músicas cantadas por mulheres…
SAMUKA – E as mulheres deverão cantar músicas interpretadas por homens.
ARTHUR – Exatamente.
SAMUKA – Pede ajuda para a Elisa, ué.
ARTHUR – Eu não quero incomodá-la com isso. É uma avaliação da minha turma, e também ela está ocupada com os ensaios.
SAMUKA – Se você quiser, eu estou livre agora. Posso procurar contigo.
ARTHUR – Não, valeu. Eu já tenho uma música aqui em mente.
SAMUKA – Tudo bem. Bem, vou encontrar com a Mônica agora. Precisando de qualquer coisa, só chamar. (sorri, caminha em direção a saída)
ARTHUR – (levanta-se, o chama) Sam… (Samuka vira-se para ele) Valeu! (sorri, Samuka retribui e saí da sala. Arthur senta-se novamente, volta assistir vídeos)

Anoitecendo…

[CENA 02 – APARTAMENTO DE ARTHUR (NOVA YORK)/ SALA/ NOITE]
(Pedro e Samuka chegam ao apartamento, ambos caminham até o sofá)
SAMUKA – Pelo visto a noite de ontem dele com a Elisa, foi boa. A gente não chegou a conversar muito assim, mas ele tá voltando ao normal.
PEDRO – Que bom. (joga a mochila no sofá)
SAMUKA – Esperemos que até o final deste semestre, nenhum incidente ocorra.
PEDRO – (ri) Pode ficar tranquilo, que se depender de mim, não ocorrerá nada.
SAMUKA – Ele também está focado agora nas avaliações finais. Tava até procurando uma música para um número que a professora pediu.
PEDRO – Será que ele vai voltar pra cá um dia?
SAMUKA – Olha… conheço o Arthur quando ele coloca algo na cabeça, mas eu espero que sim.

Alguns dias depois…

[CENA 03 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ SALA DE CANTO/ DIA]
(alguns dias se passaram e zero problemas apareceram na universidade. Os ensaios do musical estão indo muito bem, algumas avaliações finais já começaram e todos estão naquela loucura de final de semestre. A turma de Arthur estão se preparando para iniciarem a avaliação. Os alunos foram para a sala de canto, que é a segunda maior sala da universidade. A apresentação da turma é aberta, portanto qualquer aluno pode assistir. Arthur e Elisa entram na sala)
ARTHUR – (a puxa até duas cadeiras vazias) Vem, vamos sentar ali. (sentam-se)
ELISA – (próximo dele) Confesso que estou surpresa por você ter escolhido está música.
ARTHUR – Ué, surpresa porque? Só porque é de um desenho de princesas? (Elisa sorri, confirma com a cabeça) Não vejo problema algum nisso. A música é boa, passa uma mensagem bacana e a versão que eu encontrei na internet, consigo cantá-la perfeitamente.
ELISA – Eu sei que consegue, bobo. Eu só fiquei surpresa, apenas. Você vai arrebentar nessa avaliação e tirará nota máxima. (os dois se beijam)
ARTHUR – Espero, hein. (a professora entra na sala, caminha até a frente, se posiciona no meio)
RACHEL – Good morning, dear students. Today we begin our final evaluation of the discipline. Befero we start our presentations, I would like to say that it was a pleasure to work with you this semester. You who will soon enter the arts market, I hope you learned during this period that we spent together, that music has no genre. There are no songs exclusively for men and exclusively for women. Because music is essence. She is feeling… she is soul… she is heart. When you put that thought inside you, you will certainly know a new and wide musical world. (os alunos batem palmas) Without further ado, let’s go to our first student. (caminha até sua cadeira, pega a lista) Arthur Oliveira!
ELISA – (segura a mão dele, lhe dar um selinho) Boa sorte.
ARTHUR – Obrigado. (Arthur levanta-se, vai até a frente) Good Morning. I will sing the Frozen II movie soundtrack today, Into the Unknown. Only with a slightly different version. A little more rock. (sorri, olha para banda que começa a tocar)

[CENA DE MÚSICA – INTO THE UNKNOWN (TRILHA DO FILME FROZEN II versão de PANIC! AT THE DISCO)

Ah ah oh oh oh 1
Ah ah oh oh oh oh oh oh
Into the unknown
Into the unknown
Into the unknown
Ah ah ah ah ah

I can hear you but I won’t 2
Some look for trouble
While others don’t
There’s a thousand reasons
I should go about my day
And ignore your whispers
Which I wish would go away, ah ah oh oh
No

You’re not a voice
You’re just a ringing in my ear
And if I heard you, which I don’t
I’m spoken for I fear
Everyone I’ve ever loved is here within these walls
I’m sorry, secret siren,
But I’m blocking out your calls
I’ve had my adventure, I don’t need something new
I’m afraid of what I’m risking if I follow you

Into the unknown 3
Into the unknown
Into the unknown

Ah ah ah ah ah
Ah ah ah ah ah oh oh

What do you want? 4
‘Cause you’ve been keeping me awake
Are you here to distract me so I make a big mistake?
Or are you someone out there who’s a little bit like me?
Who knows deep down I’m not where I’m meant to be?
Every day’s a little harder
As I feel your power grow
Don’t you know there’s part of me that longs to go

Into the unknown?
Into the unknown
Into the unknown

Ah ah ah ah ah
Ah ah ah ah ah
Oh oh oh

Are you out there? 5
Do you know me?
Can you feel me?
Can you show me?
Ah ah ah ah
Ah ah ah ah
Ah ah ah ah
Ah ah ah ah
Ah ah ah ah
Ah ah ah ah
Ah ah ah ah
Ah ah ah ah

Where are you going?
Don’t leave me alone
How do I follow you
Into the unknown?
Whoo!

1. A banda ao fundo começa fazendo o coro. Arthur está de cabeça baixa, sente o ritmo da música crescendo em seu corpo. Ergue a cabeça assim que começa a cantar, surpreendendo todos, inclusive a professora Rachel que fica boquiaberta. Elisa assovia para ele, assim como alguns alunos batem palmas.
2. Arthur anda pela sala, confiante e mostrando o domínio sobre a canção. Rachel está curtindo muito a apresentação dele, principalmente pelo o jeito que ele está se sentindo à vontade. Em segundos, todos entram no ritmo da música e se divertem de suas cadeiras.
3. Ele volta para o meio da sala, fecha os olhos e mostra a potência de sua voz. Pedro e Samuka entram nesse momento, ficam ao fundo e admiram a apresentação do amigo.
4. Arthur abre os olhos e ver seu rival ao fundo, canta olhando diretamente para ele, anda pela a sala. Rachel tá louca para se levantar e dançar. Como não queria atrapalhar a apresentação de seu aluno, decide curtir de sua cadeira mesma. Com a presença de Pedro ali, Arthur se sente incentivado. Era a chance de mostrar o seu melhor ali, para todos.
5. Ele volta para o meio da sala, os alunos batem palmas, eufóricos com os agudos que Arthur alcançava na música. Pedro está surpreso e feliz, nunca o tinha visto cantar daquele jeito. Arthur fecha os olhos e dar o seu máximo no último trecho da música.

RACHEL – (levanta-se, aplaudindo-o. Os demais alunos também, alguns assoviam) Congratulations, Arthur! That’s what I want, guys. This delivery in music, this passion. Congratulations.
ARTHUR – Thank you! (agradece, vai para perto de Elisa. Todos sentam-se novamente, Rachel chama o próximo aluno. Arthur dar uma encarada em Pedro, como se dissesse: “Quero ver você fazer melhor?”. Presta atenção no aluno que foi para frente)

Agora…

[CENA 04 – LOCAL DA FESTA/ SALÃO/ NOITE]
(Alice e Pedro continuam abraçados. Os convidados batem palmas)
ALICE – Eu adorei! Que incrível isso que você fez pra mim. (se afasta do irmão, olha para o óculos)
PEDRO – É, foi graças a ajuda de um pessoal bem bacana. (olha para Ramon e Dácio ao lado, sorri)
ALICE – Eu quero ir de novo.
PEDRO – Ele é seu, você pode brincar quantas vezes quiser. (ri) Só que agora, estamos no meio da nossa festa. (Alice olha ao redor, repara nos convidados)
ALICE – Verdade! (olha para Pedro, sorri) Bem… (entrega o óculos para ele) … é hora de iniciarmos está festa. (caminha em direção ao palco, todos se aglomeram) Olá, pessoal! (feliz) Obrigada por terem vindo para a festa de aniversário minha e do meu maravilhoso irmão que me preparou uma surpresa incrível hoje. E eu pensando que o maior presente seria o meu, só que dessa vez ele me surpreendeu. Sério, não sei se mereço um irmão incrível como este, gente. Estou até agora super emocionada! (faz sinal de coração com as mãos para Pedro) Te amo! E, gostaria muito que meu queridíssimo irmão me acompanhasse nessa música. (olha para Marcelo na mesa de som, ela começa assoviar, ele solta a música)

[CENA DE MÚSICA – HOME (EDWARD SHARPE & THE MAGNETIC ZEROS)]

[ALICE]
Alabama, Arkansas 1
I do love my ma and pa
Not the way that I do love you

[PEDRO]
Holy, moley, me, oh my
You’re the apple of my eye
Girl I’ve never loved one like you

[ALICE]
Man oh man you’re my best friend 2
I scream it to the nothingness
There ain’t nothing that I need

[PEDRO]
Well, hot and heavy, pumpkin pie
Chocolate candy, Jesus christ
Ain’t nothing please me more than you

[PEDRO E ALICE]
Ahh home, let me come home 3
Home is wherever I’m with you
Ahh home. Let me go ho-oh-ome
Home is wherever I’m with you

[ALICE]
La, la, la, la, take me home

[ALICE E PEDRO]
Mother, I’m coming home

[PEDRO]
I’ll follow you into the park 4
Through the jungle through the dark
Girl I never loved one like you

[ALICE]
Moats and boats and waterfalls
Alley-ways and pay phone calls
I’ve been everywhere with you

[PEDRO]
We laugh until we think we’ll die 5
Barefoot on a summer night
Nothin’ new is sweeter than with you

[ALICE]
And in the streets you run afree
Like it’s only you and me

[ALICE E PEDRO]
Geeze, you’re something to see 6

Ahh home, let me go home
Home is wherever I’m with you
Ahh home. Let me go ho-oh-ome
Home is wherever I’m with you
La, la, la, la, take me home
Daddy, I’m coming home

[PEDRO]
Ahh home, let me go home
Home is wherever I’m with you

[ALICE]
Ahh home, let me go ho-oh-ome 7
Home is where I’m alone with you
Home, let me come home
Home is wherever I’m with you

Ahh home, yes I am ho-oh-ome
Home is when I’m alone with you

[ALICE E PEDRO]
Alabama, Arkansas
I do love my ma and pa
Moats and boats and waterfalls
Alley-ways and pay phone calls

Ahh home, let me go home
Home is wherever I’m with you
Ahh home, let me go ho-oh-ome
Home is where I’m alone with you

1. Pedro sorri e caminha em direção ao palco. Alice pega o microfone e entrega para ele assim que sobe. Os dois cantam um de frente para o outro.
2. Alice caminha pelo palco, se diverte. Pedro a observa, ainda no mesmo lugar. No salão, os convidados dançam em frente ao palco. Daniel e Dácio dão as mão e aproveitam juntos a música. Marcelo observa Alice cantar, sorri.
3. Gaspar aparece ao lado da mesa de doces, caminha entre os convidados, porém ninguém o ver. No palco, Alice se aproxima de Pedro, segura na mão dele. Gaspar fica ao lado de Felipe, que está admirando os filhos cantar. Ana e o pai estão próximos a mesa de doce. Ela observa Alan dançando com uma garota, fica com inveja.
4. Dessa vez é Pedro quem anda pelo palco e Alice fica parada, observando-o. Andréa e Ramon também estão próximos a mesa de doces, dançam. Caio está ao lado deles, porém quietinho no seu canto. Gaspar continua observando seus protegidos, sorri. Na mesa de som, Marcelo aproveita para implementar alguns efeitos sonoros na música.
5. Pedro e Alice se aproximam novamente, cantam um de frente para o outro, seguram a mão novamente. Gaspar caminha pelo o salão, fica ao lado de Dácio e Daniel. Ver os dois curtindo a música abraçados, depois presta atenção em seus protegidos.
6. Ramon puxa Andréa para perto do palco, dançam juntos assim como alguns dos convidados. Alice puxa Pedro para o centro do palco, os dois continuam cantando de mãos dadas, sorriem.
7. Gaspar caminha pelo o salão novamente, vai até a mesa dos doces e observa o final da música de lá. Pedro e Alice encerram a canção de mãos dadas, se abraçam no final, sendo aplaudidos.

[CENA 05 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ NOITE]
(hoje é Quinta-feira e como todas as quintas desde que o programa de música começou, o cabaré tem fechado as portas para acompanhá-lo. Todas as garotas estão no salão, vendo o programa)
NATHANIEL – (um participante está se apresentando, comenta sobre ele) Esse rapaz canta bem, hein. Essa versão que ele deu a música do Paulo Ricardo ficou ótima.
LARISSA – Verdade. Essa temporada tem muitas vozes boas, não sei se conseguirei ir longe.
NATHANIEL – Conseguirá sim. (olha para ela) Algo me diz que dessa vez o programa será seu! (volta a prestar atenção na TV)
LARISSA – (olha para a mesa onde está Salete e Ione) A Salete conversou com você?
NATHANIEL – Sobre o que?
LARISSA – Ah, você sabe… sobre tomar conta do cabaré?
NATHANIEL – (fica sério) Ela me procurou, me fez algumas perguntas, mas disse que não apresento condições para administrar o cabaré como ela.
LARISSA – Como não? Você ama este lugar. Sempre trás alguma ideia inovadora, cuida da gente… você é perfeito, Nathan.
NATHANIEL – Eu também não quero muito essa responsabilidade, sabe? O Casa delle Rose é da Salete, não posso estragá-lo.
LARISSA – E não irá. (segura a mão dele) Eu iria ficar muito feliz se você aceitasse. Todas nós iriamos! (Nathaniel a observa, uma dúvida começa a surgir dentro dele)

[CENA 06 – CASA DE SAMUEL/ SALA/ NOITE]
(Samuel está sentado no sofá, vendo o programa de música. Campainha toca, coloca o controle ao lado, levanta-se e vai até a porta)
HORÁCIO – (sério) Boa noite.
SAMUEL – (surpreso) O que você está fazendo aqui?
HORÁCIO – Precisamos conversar! Será que eu posso entrar? (os dois se encaram)

[CENA 07 – LOCAL DA FESTA/ SALÃO/ NOITE]
(Alice e Pedro desceram do palco, estão se divertindo no salão. Alguns convidados vão até eles e os parabenizam. Ramon e a banda se organizam em cima do palco)
RAMON – Boa noite, pessoal. (todos prestam atenção, se aglomeram) Antes de começarmos a tocar, queria desejar parabéns para esses dois irmãos que se reencontraram não tem muito tempo, e desde então nunca mais se largaram. Apesar de conhecer um mais que o outro, eu sei que a Alice é uma garota fantástica, bonita, talentosa, famosa… quem dera eu tivesse uma irmã assim. (ri) O outro… (balança a cabeça) …cara, vai faltar adjetivos para dizer a você. (ri) Para quem não o conhece, o Pedro é um cara parceiro demais. Sempre está do lado dos amigos, alto astral, disposto a ajudar todo mundo. Talvez o único defeito dele, seja que em alguns meses ele vai para Nova York e vai abandonar os amigos aqui. (Pedro ri) Tô, brincando. Esse cara é demais e desejo todo o sucesso do mundo pra ele.
PEDRO – (envergonhado) Tá bom de papo, hein. Queremos música.
RAMON – Eu sei, eu sei. Me prolonguei demais aqui e olha que eu nem sou disso. Só quero parabenizar vocês dois, de verdade. (os observa) Olhando bem pra vocês aí juntos, não sei dizer quem teve a sorte de ser irmão de quem. (Pedro e Alice sorriem, se entreolham e se abraçam) Agora, vamos para música que é isso que vocês querem. (se aproxima da banda, começam a tocar)

[CENA DE MÚSICA – TEMPOS MODERNOS (JOTA QUEST)]

Eu vejo a vida melhor no futuro 1
Eu vejo isso por cima de um muro
De hipocrisia que insiste em nos rodear
Eu vejo a vida mais clara e farta
Repleta de toda a satisfação
Que se tem direito do firmamento ao chão

Hoje o tempo voa, amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Que não há tempo que volte, amor
Vamos viver tudo o que há pra viver
Vamos nos permitir 2

Vamos nos permitir
(Hoje o tempo voa, amor)
(Hoje o tempo voa, amor)

Eu quero crer no amor numa boa
Que isso valha pra qualquer pessoa
Que realizar a força que tem uma paixão
Eu vejo um novo começo de era
De gente fina, elegante e sincera
Com habilidade pra dizer mais sim do que não, não

Hoje o tempo voa, amor 3
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Que não há tempo que volte, amor
Vamos viver tudo o que há pra viver
Vamos nos permitir

Vamos nos permitir 4
Vamos nos permitir
(Hoje o tempo voa, amor)
(Hoje o tempo voa, amor)
Vamos nos permitir
(Hoje o tempo voa, amor)
(Hoje o tempo voa, amor)

Vamos nos permitir
(Hoje o tempo voa, amor)
(Hoje o tempo voa, amor)
(Hoje o tempo voa, amor)
(Hoje o tempo voa, amor)

Vamos nos permitir

1. Assim que os convidados reconhecem a música, todos começam a pular no meio do salão. Ramon faz o mesmo, junto com pessoal da banda. Até quem tava na mesa de doce comendo alguma coisa, começa a pular. Alice e Pedro dançam juntos, assim como Daniel e Dácio ao lado.
2. Gaspar está ao fundo do salão, observa tudo. Felipe e sua mãe estão na mesa de doces, se divertem vendo aquele pessoal todo pulando, dançando e cantando. Caio e Ana estão sentados nas cadeiras. Ele, porque não está se divertindo muito, e ela porque está com inveja do Alan se divertindo ao lado de uma garota desde que a festa começou.
3. Ramon vai até a borda do palco e canta para Andréa. Alice subiu até a mesa de som e puxa Marcelo para dançar com ela no salão. Pedro fica sozinho próximo ao palco, observa seus amigos cantar. Ramon caminha pelo o palco, anima o pessoal a dançar e cantar mais forte.
4. Ele volta para perto de seus amigos, canta próximo de Jota. Volta para a beira do palco, encerra a música com a galera eufórica, pedindo mais. Olha para Pedro e o chama para subir.

(Pedro sobe no palco, Ramon vai para a bateria, Guto vai para o baixo e Pedro fica no vocal. Os garotos tocam outra música)

[CENA DE MÚSICA – CHEGOU DE MANSO (LAGUM)]

[PEDRO]
Chegou de manso 1
E falou que curtiu o meu balanço
E se amarrou no jeito que eu danço
Ela mente o tempo todo, mas não me canso nunca

[RAMON E PEDRO]
Faço, tudo que ela me pedir eu faço
Café na cama, amarrar o cadarço
Nessas coisas de amor eu sou fraco, mano, eu sou

[PEDRO]
Ela fala que a gente fala pouco 2
Sempre me põe nesse sufoco
Vira a casa e me deixa louco
Mas eu curto o jeito que ela reclama
Eu reclamo e ela ama
Me chamando pra ficar na cama

Ai
Eu sempre quero mais

[RAMON E PEDRO]
Quando eu quero, ela não quer mais 3
É aí que eu quero mais

[PEDRO]
Mas tá difícil, né? Né? Né?

[RAMON E PEDRO]
Já tô com ranço 4
E quando ela me liga eu nem balanço
E se ela não me liga, eu ligo e torço
Pra que me atenda com: Olá, bom dia, amor

Eu passo
Não posso ver uma raiva que eu passo
Não te aguento, isso é um fato
Te amo agora, acho que sou bipolar, eu sou

[PEDRO]
Ela fala que a gente fala pouco
Sempre me põe nesse sufoco
Vira a casa e me deixa louco
Mas eu curto o jeito que ela reclama
Eu reclamo e ela ama
Me chamando pra ficar na cama

Ai

[RAMON E PEDRO]
Eu sempre quero mais 5
Quando eu quero, ela não quer mais
É aí que eu quero mais
Mas tá difícil, né?

[PEDRO]
Não me leve a mal
Porque eu não levo ninguém
A sério, é sério
Eu cheio de humor
E você sempre tão calada
Não quero mistério

[RAMON E PEDRO]
Ai
Eu sempre quero mais
Quando eu quero, ela não quer mais
É aí que eu quero mais
Mas tá difícil, né?

1. Pedro entra no ritmo da música, começa a dançar. Ele retira o microfone do suporte e vai até seus amigos. O pessoal continuam dançando, em um ritmo mais calmo dessa vez. Daniel e Dácio se divertem, bem a vontade.
2. Gaspar troca de posição novamente, ele vai para o outro lado do salão, apenas observa tudo. Pedro volta para o centro do palco, canta para o pessoal. Alice está se divertindo com Marcelo, os dois se beijam.
3. Caio continua sentado na cadeira, repara que seu pai não parava de olhar para ele, então se levanta e decidi fingir que está se divertindo.
4. Felipe ver o filho a vontade em cima do palco, sorri. Pedro volta para perto do pessoal da banda, Caio vai até a mesa de doces e come alguma coisa. Daniel e Dácio dançam juntos, com nenhuma timidez. Junior vai até a sua filha, a chama para dançar, porém ela nega. Ele percebe que ela não está muito feliz ali.
5. Pedro vai até Ramon, canta um pouco ao lado do amigo. Volta para o centro do palco, encerra a música de frente para os convidados. É aplaudido pelo o pessoal, que pedem mais uma música. Pedro olha para Ramon, os garotos se entreolham e decidem tocar uma original dessa vez. Começam a tocar outra música.

[CENA 08 – CASA DE MANUELA/ SALA/ NOITE]
(Manuela está na sala acompanhando o programa de música junto com suas amigas. Além do programa, ela também está acompanhando a festa de aniversário de Pedro e da Alice)
THALITA – (comenta do participante que acabou de se apresentar) De onde é que vem tantos cantores bons assim?
ÉSTER – Parece que está temporada tá cheia deles. (repara em Manuela, focada no celular) Tá acompanhando seus concorrentes, Manu?
MANUELA – Na verdade estou acompanhando a festa do Pedro. (mostra alguns trechos da festa) A Alice não para de postar stories.
THALITA – A gente deveria ter aceitado. Ele convidou todo mundo da turma, só a gente que não foi
ÉSTER – E perder a oportunidade de estudar os concorrentes da Manu? Mas nem pensar. Fizemos muito bem de não ter ido, Manu. Não se preocupa. (foca na TV, Manuela continua olhando os trechos da festa, arrependida por não ter aceitado)

[CENA 09 – CASA DE SAMUEL/ SALA/ NOITE]
SAMUEL – O seu filho veio com você?
HORÁCIO – Não. Eu vim sozinho.
SAMUEL – Sobre o que você quer conversar?
HORÁCIO – Bem, se você me deixar entrar eu te digo. (mesmo não querendo, Samuel permite Horácio entrar. Os dois vão para o sofá)
SAMUEL – Senta-se, se quiser.
HORÁCIO – Obrigado. Assim tá bom pra mim.
SAMUEL – Pode dizer então. O que você veio fazer aqui?
HORÁCIO – Eu quero ter uma conversa entre um pai que ama muito o filho para um outro pai que também deveria amar o seu.
SAMUEL – Eu não vou falar do meu filho com você. (caminha até a porta) Se é sobre isso, então pode ir embora.
HORÁCIO – Não, eu não vou embora. (olha para um porta-retrato ao lado, o pega. Observa a foto de Samuel, sua esposa e Daniel quando era bebê) Você lembra o que você sentiu quando o seu filho nasceu?
SAMUEL – (com a porta aberta) Eu já disse que não vou conversar com você.
HORÁCIO – Eu lembro muito bem quando o Dácio nasceu e eu o segurei pela primeira vez no colo. (Samuel escuta, embora não quisesse, fecha a porta) Ele era tão pequeno e frágil… (coloca o porta-retrato no lugar) … que daquele dia em diante, eu prometi para mim mesmo que cuidaria dele, não importa o que acontecesse. (se aproxima de Samuel) Por mais que digam que o amor de uma mãe para seu filho é incondicional, seja pela a relação que eles desenvolvem desde a gestação, algo que nós homens nunca saberemos… (ri) …eu gosto de dizer que o amor de um pai também é. (em relação a ele e Samuel) Nós amamos nossos filhos, desde o momento que descobrimos que iriamos ser pai. De que aquela vida que estava sendo gerada, precisaria de alguém ao lado dele, para protegê-lo do mundo aqui fora. Eu sei que você entende o que eu estou dizendo, porque apesar de ser um jeito estranho de demostrar, eu sei que você ama o Daniel e quer apenas protegê-lo do mundo.
SAMUEL – Eu só quero o meu filho de volta morando comigo, sendo quem ele realmente é.
HORÁCIO – E ele não está sendo ele mesmo?
SAMUEL – Não! Ele tá com umas ideias absurdas na cabeça e eu tenho certeza de que ele está sendo influenciado pelo o seu filho.
HORÁCIO – Na verdade, acho que o seu filho, quem libertou o meu. Antes deles se conhecerem, o Dácio era um garoto tímido, que passava o dia trancado dentro do quarto, mexendo no computador. Não tinha muitos amigos, não gostava de sair de casa…
SAMUEL – (o interrompe) O meu filho não fez nada com o seu. Foi o seu que o levou para essa vida pecaminosa.
HORÁCIO – Eu não sou muito religioso e nem nada. Na verdade, ninguém da minha família é…
SAMUEL – (o interrompe novamente) Por isso o demônio se apossou do seu filho. Vocês não tinham a presença de Deus em sua casa.
HORÁCIO – Se esse é o caso, pelo o que eu sei a sua família cresceu na presença de Deus e mesmo assim Daniel foi possuído, então.
SAMUEL – Isso foi uma falha, mas Deus vai curá-lo.
HORÁCIO – Isso é o que você acredita. Para mim, Deus não odiaria duas pessoas que se amam de verdade. Além do mais, as igrejas ainda continuam espalhando o amor, certo?!
SAMUEL – Você não tem direito de falar nada, sendo que não participa de nenhuma. Então por favor… (abre a porta novamente) … vai embora.
HORÁCIO – O Daniel só quer um pai ao lado dele para protegê-lo. (caminha até a porta) Os nossos filhos escolheram o próprio caminho, para serem felizes. E nós como pais devemos acreditar neles incondicionalmente. Mesmo que muitas vezes não seja o que tínhamos planejado.
SAMUEL – Acabou com esse discurso decorado?
HORÁCIO – Eu já falei o que tinha pra dizer e confesso que não esperava muito ter resultado com essa conversa.
SAMUEL – Que bom que você sabe que não adiantou.
HORÁCIO – Se você continuar assim, você não terá seu filho de volta, nem hoje e nem nunca. (saí de casa, Samuel fecha a porta com força, caminha até o sofá, pensativo)

[CENA 10 – LOCAL DA FESTA/ SALÃO/ NOITE]
(todos estão no salão, Viviane e Felipe trazem o enorme bolo de 5 andar, o pessoal começa a cantar parabéns. Alice e Pedro ficam em frente para o bolo, batem palmas, observam os demais cantarem. Todos encerram a música de parabéns, Alice e Pedro seguram as mãos, assopram a vela de 18 anos)
FELIPE – Aêêê. (abraça Alice) Parabéns, filha.
ALICE – Obrigada, pai. (Viviane a abraça)
FELIPE – (abraça Pedro) Parabéns pra você também, filho.
PEDRO – Valeu. (observa o bolo, um pouco cabisbaixo)
FELIPE – Sua mãe também estar te desejando parabéns, esteja onde ela estiver. (toca no ombro dele, Pedro sorri)
PEDRO – Eu sei. Às vezes eu sinto ela do meu lado, sabe? Me protegendo. (Viviane vai até ele e o abraça)
VIVIANE – Parabéns, querido. (observa ele e Felipe) Você tá tão grande quanto o seu pai. (sorri) Seja feliz!
PEDRO – Obrigado.
ALICE – Bem, é hora de cortamos o bolo. (se aproxima do irmão, os dois seguram a espátula e cortam o bolo. Todos batem palmas, Alice e Pedro retiram o primeiro pedaço)
PEDRO – Pra quem será que vai esse primeiro pedaço, hein?! (sorri)
ALICE – Bem… nós dois conversamos um pouco momentos antes, e decidimos em comum acordo, que não tem pessoa melhor pra receber o primeiro pedaço, do que alguém muito especial para a vida da gente. (olham para Felipe) Para o senhor, pai.
FELIPE – (surpreso) Para mim? (sorri, recebe o bolo e os abraça)
ALICE – Agora, enquanto a vovó corta os demais pedaços e entrega para o pessoal… (a Pedro) …que tal cantarmos mais uma?
PEDRO – Só se for agora! (os dois sorriem e sobe para o palco, Marcelo solta a música e eles começam a cantar)

[CENA DE MÚSICA – LITTLE TALKS (OF MONSTERS AND MEN)]

[ALICE E PEDRO]
Hey! Hey! Hey! 1

[ALICE]
I don’t like walking around this old and empty house

[PEDRO]
So hold my hand, I’ll walk with you, my dear

[ALICE]
The stairs creak as you sleep, it’s keeping me awake

[PEDRO]
It’s the house telling you to close your eyes

[ALICE]
And some days I can’t even dress myself

[PEDRO]
It’s killing me to see you this way

[ALICE E PEDRO]
‘Cause though the truth may vary 2
This ship will carry our bodies safe to shore

Hey! Hey! Hey!

[ALICE]
There’s an old voice in my head that’s holding me back 3

[PEDRO]
Well, tell her that I miss our little talks

[ALICE]
Soon it will be over and buried with our past

[PEDRO]
We used to play outside when we were young
And full of life and full of love

[ALICE]
Some days I don’t know if I am wrong or right

[PEDRO]
Your mind is playing tricks on you, my dear

[ALICE E PEDRO]
‘Cause though the truth may vary 4
This ship will carry our bodies safe to shore

Hey!
Don’t listen to a word I say
Hey!
The screams all sound the same
Hey!
Though the truth may vary
This ship will carry our bodies safe to shore

You’re gone, gone, gone away; I watched you disappear 5
All that’s left is a ghost of you
Now we’re torn, torn, torn apart, there’s nothing we can do
Just let me go, we’ll meet again soon
Now wait, wait, wait for me, please hang around
I’ll see you when I fall asleep

Hey!
Don’t listen to a word I say
Hey!
The screams all sound the same
Hey!
Though the truth may vary
This ship will carry our bodies safe to shore

Don’t listen to a word I say
Hey!
The screams all sound the same
Hey!
Though the truth may vary
This ship will carry our bodies safe to shore
Though the truth may vary
This ship will carry our bodies safe to shore
Though the truth may vary
This ship will carry our bodies safe to shore

1. Alice e Pedro estão no centro do palco, dançam os segundos inicias da música. Cantam um de frente para o outro. No salão, alguns convidados decidem ir para perto do palco e aproveitar o show. Outros, estavam perto do bolo, esperando receber seu pedaço.
2. Felipe está ajudando sua mãe com o bolo. Camila e Cláudio se voluntariam para ajudar também, organizam os pedaços cortados sobre a mesa.
3. Daniel e Dácio dançam juntos no meio do salão, próximo deles está Andréa e Ramon, que dançam separados. Marcelo está na mesa de som, cuidando dos detalhes da música. Caio volta a sentar-se, aproveita seu pedaço de bolo, enquanto observa o pessoal dançando.
4. Junior e Ana estão sentados próximos ao Caio, também estão comendo bolo. Aqueles que terminavam, iam para perto do palco. Gaspar caminha pelo o salão, observa seus protegidos, só que dessa vez está sério.
5. Com os trechos alegres do final da música, Alice e Pedro se soltaram um pouco. No último verso, os dois ficam próximos um do outro e encerram a canção. O pessoal novamente pedem bis.

(Alice desce do palco, pega seu pedaço de bolo e vai comê-lo junto com Marcelo. Ramon sobe junto com o pessoal da banda, e se preparam para tocar outra música. Pedro está junto com eles)

[CENA DE MÚSICA – DANSE MACABRE (SCALENE)]

[PEDRO]
Sou o começo e o fim 1
O que há de bom e ruim
Um pedaço de ti
Forçado a se reprimir
Sem nem mesmo poder
Te ter sem me conter
Me limitar a um ser
Medíocre, com pudor

És o pedaço de mim 2
Verdadeiro e ruim
Preso em um manequim

Diga que vai cair (suma, logo)

[RAMON]
Me deixar em paz

[PEDRO]
Diga que vai sumir (caia, logo)

[RAMON]
Se você for real

[PEDRO]
Sei, você não quer lutar 3
E quer me avocar
Então me deixe assumir
E prometo suprir
O vazio que consome
O que resta de ti
A incerteza é forte
Cortante sem cessar

Diga que vai cair (suma, logo) 4

[RAMON]
Me deixar em paz

[PEDRO]
Diga que vai sumir (caia, logo)

[RAMON]
Se você for real

[PEDRO E BANDA]
Sou o começo e o fim
Verdadeiro e ruim
O que você mais quer

1. Pedro canta agarrando-se com o suporte do microfone. Alice e Marcelo estão comendo o pedaço do bolo, enquanto prestam atenção nos garotos. Os convidados se reúnem em frente ao palco, alguns soltam gritinhos assim que a música começou.
2. Todos gritam e pulam de euforia. Felipe e Viviane que continuam cortando os pedaços finais do bolo, olham para o palco, veem os garotos dando um show e o pessoal entrando no pique deles.
3. O pessoal se controlam um pouco, param de pular. Gaspar passa pela a mesa de Alice, a observa e em seguida desaparece, ainda com uma expressão séria no rosto.
4. Todos ficam eufóricos novamente, Alice e Marcelo levantam-se e se aproxima do palco. Dançam e cantam o trecho final da música. Alice como não conhece a música apenas dança. Os garotos encerram a canção com os convidados eufóricos, se entreolham e agradecem.

[CENA 11 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ NOITE]
(o programa está no último bloco, e desde que Larissa tocou no assunto de quem assumirá o cabaré, Nathaniel está apreensivo)
LARISSA – (no bar, conversa com Ione) Sei lá, mas o Nathan ficou estranho, depois que conversei com ele.
IONE – Será que ele não quer ficar no lugar da Salete?
LARISSA – Não sei. Ele tem a vida dele também, né?! Talvez não seja isso que ele quer pra vida. Talvez nem queira ficar com a gente pra sempre.
IONE – E para onde ele vai? Todos que estão aqui é porque ou foram expulso ou fugiram de casa.
LARISSA – Melhor não tocarmos mais nisso, Ione. Pelo menos, deixa a Salete tomar a decisão dela.
IONE – Tá. Tirando o Nathan, a segunda pessoa mais provável é você. Você largaria o seu sonho para cuidar do cabaré? (Larissa a observa, sem uma resposta em mente)

[CENA 12 – CASA DE OTÁVIO/ SALA/ NOITE]
(Horácio chega em casa e encontra a irmã vendo TV)
REGINA – Boa noite, querido. Tava com a namorada?
HORÁCIO – Boa noite. (senta-se no sofá) Não, não estava. Fui atrás do pai do Daniel.
REGINA – (surpresa) E o que você foi fazer atrás dele?
HORÁCIO – Pensei em ajudá-lo com o filho, mas parece que aquele ali não quer ajuda de ninguém.
REGINA – Tem pessoas que as vezes não querem ajuda, fazer o que?!
HORÁCIO – Eu sei. (levanta-se) Bem, eu vou me deitar. O Dácio já chegou?
REGINA – Não. Ele disse que horas essa festa iria terminar?
HORÁCIO – Não. Qualquer coisa, ligo para ele mais tarde. (vai para o quarto, Regina continua vendo o programa de música)

[CENA 13 – CASA DE SAMUEL/ SALA/ NOITE]
(o programa de música acabou, que Samuel nem reparou. Desde que Horácio saiu, ele ficou pensativo sobre o que conversaram. Olha para o lado, pega o retrato de sua família e o observa, pensativo)

[CENA 14 – LOCAL DA FESTA/ SALÃO/ NOITE]
(Marcelo está tocando uma música animada, Alice está ao lado dele)
ALICE – São quase 23h. Melhor eu ir, senão vou chegar atrasada no evento.
MARCELO – Não quer que eu vá com você?
ALICE – Não, não precisa. Além do mais, você é o DJ da festa. Precisa ficar aqui animado o pessoal.
MARCELO – A festa vai terminar daqui a pouco e mesmo assim, os garotos da banda estão aí. Eles podem animar até o final.
ALICE – Mesmo assim, eu vou com o pessoal da banda que vieram, nosso ônibus está ali fora. Vamos ficar repassando um pouco o som, creio que com você lá iria atrapalhar. (o beija) Quando eu terminar o evento te mando uma mensagem.
MARCELO – Ok. (os dois se beijam novamente, dessa vez bem mais duradouro que o primeiro)
ALICE – Aquela música está preparada?
MARCELO – (se afasta dela, fica de frente do painel) Está sim.
ALICE – Ok. Vou lá entregar o último presente do meu irmãozinho. (beija o rosto de Marcelo, vai em direção ao palco. Marcelo encerra a música, todos prestam atenção nela) Desculpem parar no meio da música, mas é que eu tenho um compromisso daqui a pouco. (Pedro a observa) E antes de partir, eu gostaria de entregar o seu último presente.
PEDRO – Mais?
ALICE – Confesso que até uns dias atrás eu não conhecia está música. Felizmente ao talento que eu tenho, precisei ouvi-la poucas vezes apenas e já a aprendi. (sorri, olha para Marcelo que inicia a música) Espero que goste! (começa a cantar)

[CENA DE MÚSICA – SERPENTE (PITTY)]

Logo mais, amanhã já vem 1

Um presságio, eu vi também 2
Arrastou o céu numa conjuração
Corpos ébrios em confusão
A sustentação é que a manhã já vem
Logo mais, amanhã já vem

O acaso empurra quem
Se agarra à borda, preso em negação
Solitário na multidão
A sustentação é que a manhã já vem
Logo mais, amanhã já vem

Chega dessa pele, é hora de trocar 3
Por baixo ainda é serpente
E devora a cauda pra recomeçar

(Om Namah Shivaya)

(Om Namah Shivaya)

Pelo fogo, transmutação 4
Sem afago, lapidando o aprendiz
O que sobra é cicatriz
A sustentação é que a manhã já vem
Logo mais, amanhã já vem

Chega dessa pele, é hora de trocar
Por baixo ainda é serpente
E devora a cauda pra continuar

(Om Namah Shivaya) 5
(Om Namah Shivaya)
(Om Namah Shivaya)
(Om Namah Shivaya)

(Om Namah Shivaya)
(Om Namah Shivaya)
(Om Namah Shivaya)
(Om Namah Shivaya)

(Om Namah Shivaya)
(Om Namah Shivaya)
(Om Namah Shivaya)
Logo mais, amanhã já vem 6

(Om Namah Shivaya)

Logo mais, amanhã já vem

(Om Namah Shivaya)

1. Alice canta olhando especialmente para Pedro. Ele sabe que ela não gosta de músicas nacionais, por achá-las desinteressante. Então vê-la cantando uma brasileira é uma grande surpresa e fica feliz por acreditar que a irmã está mudando. Felipe e Viviane se aproximam do palco, ficam ao lado dele. Dácio e Daniel estão abraçados, curtem a vibe da música.
2. Ana está sentada em uma das mesas, presta atenção no palco. Alan já havia ido embora, com a outra garota. Achando tarde da noite, Camila também pensa em ir embora, chama o marido e o filho e saem do local.
3. Mesmo não sendo uma de suas favoritas, Alice canta perfeitamente a música. Afinal, era um presente para seu irmão, então não podia fazer feio. Desse verso em diante, a cena corta para Alice saindo do local da festa e entrando no ônibus, junto com sua equipe. A música continua sendo tocada ao fundo.
4. No ônibus, Alice repassa o som com o pessoal. Ela fará um show na cidade vizinha, então terá uma pequena viagem estimada de 1h até chegar ao local. Todos continuam alegres devido a boa festa que acabaram de sair, então vão a viagem inteira se divertindo. Isso é especial para Alice, já que nunca ela tinha feito aquilo. Não próximo dali, vem um cara dirigindo um caminhão um pouco embriagado e em uma velocidade bem acima da permitida.  Ele parece estar com raiva por alguma coisa. Passa por uma curva, indo na contramão sem ao menos saber se havia outro carro a sua frente.
5. Gaspar aparece nessa curva e o rapaz passa por ele em alta velocidade. Próximo dali, o ônibus de Alice continua a viagem com todos tranquilo e se divertindo. Alguns estão em pé, outros de joelhos em cima das poltronas, incluindo Alice. O cara do caminhão continua em contramão, pega uma cerveja ao lado, tenta abri-la só com um mão, enquanto a outra se mantém no volante. Não conseguindo, ele retira a mão do voltante para abrir a garrafa. O ônibus de Alice aparece logo a sua frente buzinando. Isso o assusta, deixa a garrafa cair, nervoso e embrigado, tenta sair da frente, mas na velocidade que vinha não evitou que os dois se chocassem.
6. Com o impacto, os dois veículos saem da estrada. O caminhão por ser mais pesado, capotou próximo à uma árvore, deixando um rastro de destruição e peças do ônibus. Como o passageiro estava sem cinto, ficou bastante ferido. O ônibus foi jogado alguns metros de distância dali, com sua frente um pouco destruída e alguns passageiros para fora. Alice está com a cabeça sangrando, para fora da janela, com suas pernas sendo pressionada pelo o que sobrou do ônibus. A música se encerra.

Contínua no capítulo 39…

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Anderson Silva

Anderson Silva

Um carinha qualquer apaixonado por música e contador de histórias. Atualmente é autor de A Nossa Canção.

Estreia dia 19 de Outubro

Estreia dia 20 de Outubro

>