Capítulo 42 | Mil Razões – Minha Canção

[CENA 01 – CASA DE OTÁVIO/ SALA/ NOITE]
(Eduardo se afasta um pouco de Silvana, confuso)
SILVANA – Preciso saber se meu filho pode sempre contar com você, Eduardo. Preciso saber se ele não ficará sozinho depois que eu estiver ido embora.
EDUARDO – Não. Claro que estarei ao lado do Otávio. Ele se tornou meu amigo. É um garoto legal, vou continuar ao lado dele.
SILVANA – (se aproxima dele) Então promete pra mim que assim que eu partir, você ficará tomando de conta dele. Promete pra mim, Eduardo?!
EDUARDO – Você falando assim, me assusta. É como se você estivesse se despedindo.
SILVANA – Eu não sei quantas semanas me restam ainda… por isso preciso saber se terá alguém ao lado do meu filho quando eu partir.
EDUARDO – Não se preocupa. Eu não vou deixar o Otávio sozinho, pode ficar tranquila. Prometo a você que cuidarei dele. (Silvana solta um leve sorriso, Otávio retorna para a sala)
OTÁVIO – Será que podemos jantar agora? Se não a pizza esfria. Ou, podemos pular o jantar e comermos a pizza agora.
SILVANA – (se aproxima do filho) Não, querido. Vamos jantar, depois comeremos a pizza. (olha para Eduardo) Vamos?
EDUARDO – Vamos. (os três vão para cozinha, Eduardo logo atrás, observando Otávio feliz)

[CENA 02 – SHOW DE ALICE/ CAMARIM/ NOITE]
(Marcelo e Alice continua se beijando, ela quem encerra o beijo dessa fez)
ALICE – Preciso voltar para o palco! (caminha até o espelho, arruma o cabelo)
MARCELO – Sim, claro.
ALICE – Vou cantar mais algumas músicas, encerrarei o show e vamos para a festa.
MARCELO – E sua família?
ALICE – Minha avó sabe que quando faço meus shows, costumo chegar tarde em casa. Então não terá problema algum.
MARCELO – Sendo assim, ok!
ALICE – (se aproxima dele novamente) Até mais! (sai do camarim em direção ao palco. Segundos depois, Marcelo ouve o público gritando o nome de Alice)

[CENA 03 – CASA DE MANUELA/ SALA/ NOITE]
(Tiago continua em pé na porta, olhando para Manuela)
MANUELA – Não quer entrar?
TIAGO – (pensativo, olha para as meninas) Melhor uma outra hora. Acho que eu deveria ter avisado, para não ter estragado a noite de vocês.
MANUELA – Não, que é isso. Você pode entrar, pode ver o filme com a gente.
TIAGO – Melhor não. A gente ver um filme outro dia, pode ser.
MANUELA – Tá, pode sim.
TIAGO – Então eu vou indo. Bom filme para vocês. (se aproxima dela, a beija e sai em seguida. Manuela o observa ir embora, em seguida fecha a porta e volta para a sala)
MANUELA – Vocês também perceberam que ele saiu meio decepcionado daqui?
ÉSTER – Pra mim ele saiu normal.
THALITA – Eu meio que percebi que ele ficou desconfortável.
MANUELA – Amanhã vou tentar marcar algo com ele.
ÉSTER – (sarcástica) Que lindo… casal feliz vai se divertir amanhã. (as três ficam em silêncio, prestam atenção no filme)

[CENA 04 – CLUB/ NOITE]
(Alice e Marcelo chegam à festa do amigo dela. Os dois andam pela pista de mãos dadas, dançando. Param no meio da pista, ficam um de frente para o outro e se divertem)

Amanhecendo…

[CENA 05 – LANCHONETE DO IVO/ DIA]
(Ramon e Andréa estão sentados em uma das mesas, dessa vez Ramon veio sem a banda)
ANDRÉA – Então, analisou a modificação que eu fiz na música?
RAMON – Sim, aparentemente ficou legal. No entanto não vou adicioná-la.
ANDRÉA – Como não?
RAMON – A letra dessa música conta a história da banda, Andréa. Mudar algo nela vai ser contra ao que a banda passou até chegar aqui.
ANDRÉA – Olha, eu entendo… mas você mesmo disse que o trecho que eu adicionei ficou legal. E tenho certeza que essa trechinho não vai estragar a essência da música, já que você está preocupado com isso.
RAMON – Nem é só isso… eu gostei de verdade do trecho que você escreveu, só não posso adicioná-la.
ANDRÉA – (fica chateada, mas disfarça) Tá, tudo bem. Então desejo que vocês ganhem com a música original de vocês. (levanta-se) Bem, tenho que resolver algo agora.
RAMON – (levanta-se, segura na mão dela) Você não ficou chateada, ficou? Você entende o meu lado, não entende?
ANDRÉA – Relaxa, Ramon. Eu entendi. Não estou chateada. (se solta dele, e sai da lanchonete. Ramon volta a sentar-se e a observa ir embora)

[CENA 06 – CASA DE CAIO/ SALA/ DIA]
(Caio está deitado no sofá, mexendo no celular. Cláudio e Camila entram na sala)
CAMILA – Bem, já que tenho o dia de folga hoje para passar com a minha família, estava pensando que tal visitarmos a Paula. Soube que ela saiu do coma, e voltou para a antiga casa dela. Quero saber como ela está. Vocês topam vim comigo?
CLÁUDIO – Claro. Né, filho?
CAIO – (sentando-se) Não tenho nada para fazer mesmo!
CAMILA – Ótimo. Então vamos. (Caio levanta-se e acompanha seus pais)

[CENA 07 – PIZZARIA/ DIA]
(Eduardo está no balcão, pensando na conversa que teve com a mãe de Otávio na noite anterior. Sua lembrança é interrompida com Laila o chamando)
LAILA – Com a cabeça nas nuvens?
EDUARDO – Quase isso. Só estava pensando em algo.
LAILA – Pois é bom voltar para a terra, que você tem entregas para fazer. (Eduardo pega as caixas de pizza e coloca na mochila)
EDUARDO – Já conseguiu encontrar alguém para ficar no lugar do Pedro?
LAILA – Ainda não. Ia hoje mesmo colocar a placa na entrada.
EDUARDO – Bem, eu conheço um amigo que precisa de emprego.
LAILA – Um amigo?
EDUARDO – É. Atualmente ele está dividindo o aluguel comigo, mas é um garoto legal.
LAILA – Tá. Pede para ele vim aqui conversar comigo. Vou avaliar esse seu amigo, se eu gostar dele, será contrato.
EDUARDO – (sorri) Vou enviar uma mensagem agora mesmo para ele. (sai da pizzaria, digitando no celular)
LAILA – Não vai ficar mexendo no celular no meio da rua!

[CENA 08 – PENSÃO/ Q. DE EDUARDO/ DIA]
(Daniel e Dácio estão se beijando em cima da cama, chega uma mensagem no celular dele que encerra o beija)
DÁCIO – (após Daniel sair de cima dele) Sério que você me deixou por uma mensagem?
DANIEL – Pode ser importante. É do Eduardo. Ele falou com a chefe dele e me indicou para trabalhar lá.
DÁCIO – Na pizzaria onde o Eduardo trabalha?
DANIEL – Isso. (levanta-se da cama, começa a trocar de roupa)
DÁCIO – Ah sim… deve ser para ficar no lugar do Pedro. Ele pediu demissão.
DANIEL – Pedro é aquele seu amigo que descobriu que estava apaixonado pela a irmã?!
DÁCIO – Ele mesmo!
DANIEL – Por que ele pediu demissão?
DÁCIO – Não sei. Pedro ultimamente tem feito umas coisas bastante estranha. Preciso conversar com ele!
DANIEL – Bem, espero que eu consiga esse emprego. Meio que não me sinto a vontade dividir esse quarto com o Eduardo, sem poder ajuda-lo financeiramente.
DÁCIO – (levanta-se, se aproxima dele) Não se preocupa que você conseguirá sim está vaga. (o beija)
DANIEL – Quer vim comigo?
DÁCIO – (sorri) Pensei que não fosse pedir! (o beija novamente, retorna para a cama, enquanto Daniel termina de se arrumar)

[CENA 09 – LANCHONETE DO IVO/ DIA]
(Ramon continua sozinho na mesa, mexendo no celular. Manuela e Tiago entram na lanchonete e escolhem uma mesa próxima ao palco)
TIAGO – Você gostou mesmo dessa lanchonete.
MANUELA – Sim, aqui é legal. É um dos lugares que rolam karaokê que eu mais gosto.
TIAGO – Recebeu a resposta do programa?
MANUELA – Ainda não. Mas as inscrições acabaram está semana, creio que em breve o pessoal da produção devem está entrando em contato com os selecionados.
TIAGO – E você será uma delas!
MANUELA – Tomara. Se não for, não tem problema. É bom que poderei focar na faculdade.
TIAGO – Eu também estou pensando em cursar uma. No entanto, não sei qual escolher.
MANUELA – Em que você tem afinidade?
TIAGO – Tira notas baixas é uma delas? (os dois riem)
MANUELA – Não, né. Sério, em que você tem afinidade? Que tipo de conteúdo você gosta mais?
TIAGO – Sei lá. Costumo ser bom em texto. Cálculos não é comigo.
MANUELA – Bem, tem vários cursos voltados para a área de humanas. Você pode ser professor também…
TIAGO – Não, esse eu passo. Não tenho paciência para ficar cuidado de aluno.
MANUELA – Vai ser difícil encontrar um curso para você. Mas não se preocupa, eu vou ter ajudar. (olha ao redor da lanchonete e repara que está um pouco vazia, em seguida olha para o palco)
TIAGO – O que foi?
MANUELA – Estou vendo se não irei passar muito vergonha com o que irei fazer.
TIAGO – E o que você vai fazer?
MANUELA – Observa! (levanta-se e sobe para o palco. Chegando lá, pega um violão que estava disponível e caminha até o microfone, olha para Tiago e começa a cantar)

[CENA DE MÚSICA – MIL RAZÕES (TIAGO IORC)]

Se você chega 1
Tudo incendeia
Põe tudo em jogo
Tudo clareia

O sal no afago
O tris de tristeza
O sexo fogo
Sem gentileza

E o dia em que lhe vi chorar 2
Não que lembrar precise
Uma represa não tem reprise
O cio macio que dói
E aonde você foi?
A teimosia
A poesia

Posso lhe dar mais mil razões pra te querer
Coisas que eu já nem sei o nome
Posso compor mais cem canções de amor
Pra quê?
Se quando eu canto você some

O doce instinto 3
Deus indeciso
Eu indefeso
No teu sorriso

O gosto atípico
E o jeito sério
Teu rosto místico
Mais um mistério

E o brilho que de ti reluz
E a tantos sóis seduz
É realeza, não tem deslize
Pornos, por nós dois nus

E os clássicos céus azuis 4
Os tantos ui ui uis
Os cantos doidos e doídos
Que pra cada céu que é seu eu já compus

Posso lhe dar mais mil razões pra te querer
Coisas que eu já nem sei o nome
Posso compor mais cem canções de amor
Pra quê?
Se quando eu canto você some

1. Manuela começa a cantar olhando diretamente para Tiago, que sorri.
2. Ramon para de mexer no celular e foca-se em Manuela no palco, assim como as poucas pessoas que estavam na lanchonete.
3. Manuela desvia a atenção para o pessoal da lanchonete, e ao ver que os mesmo estão gostando, se anima para cantar.
4. Volta a focar em Tiago, que não para de admirá-la em cima do palco. Manuela encerra a música, é aplaudida, agradece e desce do palco. Ao chega em sua mesa, Tiago a beija e o pessoal voltam a bater palmas.

[CENA 10 – CASA PEDRO/ SALA/ DIA]
(Paula está varrendo a casa, Pedro está na cozinha cortando algumas verduras. Campainha toca, Paula coloca a vassoura ao lado do sofá e vai atender)
PAULA – (surpresa) Camila!!
CAMILA – Oi, Paula! (as duas se abraçam)
PAULA – Que surpresa você aqui. Entrem.
CLÁUDIO – Licença.
CAMILA – Eu soube que você saiu do coma, precisava te visitar.
PAULA – É, saí e fiquei sabendo de algumas notícias.
CAMILA – Da Carla, né. Sinto muito.
PAULA – Sem problema, já superei. Seu filho?
CAMILA – É. Tá grandão, né?!
PAULA – Né.
CAMILA – Estuda na mesma escola que o Pedro.
PAULA – Sério?
CAMILA – Sim.
PAULA – Vou chama-lo aqui. (grita em direção à cozinha) Pedro! Temos visitas. (Pedro entra na sala)
PEDRO – Oi!
CAMILA – Oi, acho que devem se lembrar da gente?
PEDRO – Lembro sim. Você era a melhor amiga da minha mãe, né.
PAULA – Melhor amiga era pouco. A sua mãe confiava mais na Camila do que em mim mesmo que era irmã de sangue dela.
CAMILA – Eu e sua mãe tínhamos uma confiança muito forte. Você deve lembrar do Caio, né? Vocês certamente se veem muito no colégio, já que estudam na mesma escola.
PEDRO – (olhando para ele) Não… Não o vejo muito.
CAIO – Eu sou do primeiro ano, mamãe. Pedro está no terceiro.
PEDRO – Deve ser por isso. São muitos alunos do primeiro ano, se um dia eu passei por você não devo ter te reconhecido.
CAIO – Tranquilo, minha mãe apenas insiste que precisamos ser amigos.
PAULA – Quer que a história se repita com os filhos, né Camila?!
CAMILA – Estava tentando. Mas as condições com que eu conheci a Carla são diferente para eles hoje. Deve ser por isso.
PEDRO – Bem, se for o caso podemos nos conhecer. Estou na cozinha ajudando no almoço, se você quiser me acompanhar.
CAIO – (olha para todos, surpreso com o convite) Tá, pode ser. (segue Pedro até a cozinha)
CLÁUDIO – Será que agora vai?
CAMILA – Espero que sim!

[CENA 11 – PIZZARIA/ DIA]
(Daniel chega a pizzaria com Dácio. Ele segue para o balcão sozinho um pouco nervoso, enquanto Dácio decide escolher uma mesa para sentar)
DÁCIO – Boa sorte! Estarei torcendo por você daqui. (senta-se, cruza os dedos e o observa)
DANIEL – (se aproxima do balcão, Laila está mexendo no computador) Bom dia!
LAILA – Bom dia! Bem-vindo a pizzaria da Laila. O que vai pedir?
DANIEL – Na verdade eu vi para a vaga de emprego.
LAILA – (foca-se nele) Ah, sim. Você deve ser o amigo do Eduardo?!
DANIEL – Sou eu mesmo! Me chamo Daniel!
LAILA – Pois, bem. Muito bem, Daniel… me fale um pouco sobre você?! (se aproxima dele, que o deixa um pouco constrangido. Daniel a encara, sem resposta a sua pergunta)

[CENA 12 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ DIA]
(Nathaniel está arrumando o salão, quando Eduardo entra com uma pizza na mão)
EDUARDO – Oi, bom dia. Foi aqui que pediram uma pizza?
NATHANIEL – Oi, foi sim. (se aproxima dele e recebe a pizza. Coloca a pizza em cima do balcão, e finge procurar o dinheiro) Ih, parece que esqueci o dinheiro lá dentro. É só um instante, tá. Já que eu volto. (sai apressado do salão em direção aos quartos. Eduardo caminha um pouco até o palco, e imagina Larissa em cima dele cantando. Segundos depois, Larissa aparece no salão procurando por Nathaniel)
LARISSA – Posso saber por que você me mandou uma mensagem para eu vim correndo para o salão… você? (Eduardo se aproxima dela)
EDUARDO – Oi.
LARISSA – O que faz aqui?
EDUARDO – Vim deixar uma pizza.
LARISA – Quem pediu? (Nathaniel aparece logo atrás dela)
NATHANIEL – Eu quem pedi. (caminha até Eduardo) Pedi uma pizza para gente. Gostou? (Larissa e Eduardo continuam se olhando, Nathaniel apenas os observa, sorrindo)

[CENA 13 – CASA DE OTÁVIO/ SALA/ DIA]
(Otávio entra na sala, a procura de sua mãe. Silvana está desmaiada ao lado do sofá)
OTÁVIO – Mãe? (caminha até o piano) Mãe, a senhora está aí? (sem resposta, segue procurando sua mãe até a cozinha, enquanto Silvana continua deitada no chão) Mãe?!

Contínua no Capítulo 43…

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr
Rolar para o topo