Capítulo 43 | E Daí? – Minha Canção

[CENA 01 – CASA DE PEDRO/ COZINHA/ DIA]
(Pedro está em pé em frente a pia, lavando algumas coisas, Caio está sentado à mesa digitando em seu celular, ambos estão em silêncio)
PEDRO – (tenta puxar assunto) Então… está gostando da escola?
CAIO – Pra mim é igual minha última escola. (voltam a ficar em silêncio)
PEDRO – (termina de lavar e caminha até a mesa) Tem muitos amigos por lá?
CAIO – Fiz alguns.
PEDRO – Todos do primeiro ano?
CAIO – Sim.
PEDRO – Bem, eu posso te apresentar à alguns amigos meus. Assim você terá mais.
CAIO – Obrigado, mas eu não quero ter muito amigos.
PEDRO – Por que? Os amigos são essenciais para a gente.
CAIO – Para mim não.
PEDRO – Aconteceu alguma coisa para você desenvolver esse pensamento? Você perdeu algum amigo para pensar assim?
CAIO – Não. Simplesmente só acho que ter ninguém ao seu lado é melhor. Assim você precisa se preocupar unicamente com você. (Pedro volta a ficar em silêncio, caminha até a pia novamente, preocupa-se com Caio)

[CENA 02 – CASA DE OTÁVIO/ SALA/ DIA]
(Silvana acorda um pouco zonza. Encosta no sofá, e aos poucos senta-se nele, ouve seu filho o chamando)
OTÁVIO – (preocupado) Mãe, a senhora está aí?!
SILVANA – Oi, filho! Estou aqui na sala.
OTÁVIO – (caminha apressado até o som da sua mãe) Mãe, a senhora está bem? Estou chamando pela senhora há um tempo e nada de resposta.
SILVANA – Eu estava no meu quarto. Acabei de chegar à sala.
OTÁVIO – (percebendo o tom estranho da voz dela) A senhora está bem?
SILVANA – Sim, estou. Só me bateu uma tontura, mas está passando.
OTÁVIO – (se aproxima dela) Quer que eu pegue algum remédio ou ligue para o hospital?
SILVANA – Não é necessário, filho. Está passando.
OTÁVIO – Vou pegar algo para a senhora comer então. Não sai daí, já volto. (vai em direção à cozinha, Silvana continua sentada no sofá, pálida)

[CENA 03 – LANCHONETE DO IVO/ DIA]
MANUELA – Então? O que você quer fazer depois?
TIAGO – Sério mesmo que você vai querer passar o dia inteiro comigo?
MANUELA – Eu prometi, não prometi?! Pois então, hoje serei todinha sua o dia inteiro.
TIAGO – A gente pode dar uma volta por aí, ver um filme depois. Mas antes, o que eu gostaria mesmo é que você cantasse mais uma. Dessa vez comigo.
MANUELA – Isso posso resolver agora. Tem alguma específica?
TIAGO – Não, não. A que você cantar, eu irei gostar. (ambos sorriem, levantam-se e sobem para o palco. Tiago pega o violão e começa a tocar)

[CENA DE MÚSICA – AREIA (SANDY part. LUCAS LIMA)]

[MANUELA]
Quer parar o tempo 1
Natural que seja assim
Ainda eu não te sei de cor
Tem tanto que eu não aprendi

[TIAGO]
Quer parar o tempo? 2
Pra eu ver daqui
Teu mundo vir assanhar meu rio
Eu posso até te olhar sem ir

[MANUELA]
Tudo no seu tempo 3
Tão veloz por dentro
Em mim passa devagar
A me acertar

[MANUELA E TIAGO]
Feito areia êa-ah
Feito areia êa-ah
Em mim
Em mim
Feito areia êa-ah
Feito areia êa-ah
Em mim

[TIAGO]
Tenho fragmentos 4
De uma vida com você
E tantos intervalos só
De longe, mas querendo crer

[MANUELA E TIAGO]
Tudo no seu tempo (tudo no seu tempo)
Tão veloz por dentro (tão veloz por dentro)
Em mim passa devagar
A me acertar

Feito areia êa-ah
Feito areia êa-ah
Em mim
Em mim
Feito areia êa-ah
Feito areia êa-ah
Em mim

[MANUELA]
Corta essa distância 5
Se agarra nesse vento e vem
Me abraçar
Dá pra juntar tudo
Espera o tempo certo e vem
Não deixa passar
E assim
Enquanto der, enquanto quer
E assim

Feito areia êa-ah
Feito areia êa-ah
Em mim
Em mim
Feito areia êa-ah
Feito areia êa-ah
Em mim

1. Tiago começa a tocar de frente para Manuela, que envergonha-se.
2. Manuela vai para o outro lado do palco, ainda sendo observado por Tiago que começa a cantar.
3. Os dois continuam cantando um de frente para o outro, e praticamente ignoram que estão sendo observado pelas pessoas da pizzaria.
4. Tiago se afasta, mas continua cantando olhando para ela. Os dois trocam de posição e voltam a se aproximar novamente.
5. Ambos encerram a música um de frente para o outro, se beijam e são aplaudidos.

[CENA 04 – CASA DE PEDRO/ SALA/ DIA]
(Pedro e Caio retornam para a sala, Paula, Camila e Cláudio estavam sentados no sofá)
PEDRO – Cortei já os legumes.
PAULA – Obrigada, querido.
CAMILA – Então… vocês conversam muito?
PEDRO – (olha para Caio, o ver mexendo no celular) A gente deu para se conhecer um pouco.
CAMILA – Caio às vezes é um pouco solitário, Pedro. Sei que você é novo na cidade, mas sempre que você puder, e quiser dar uma passadinha lá em casa, fica à vontade viu. As portas estarão sempre abertas para você.
PEDRO – Obrigado. Qualquer dia desses apareço por lá.
CAMILA – (Caio senta-se ao lado de sua mãe, que sorri para ele) E o seu pai, Paula? Voltou para Minas?
PAULA – Voltou. Ele disse que tem alguns assuntos para ficar tomando de conta do sítio. Da última vez que ele deixou o sítio sozinho, algum fazendeiro vizinho tocou fogo nas plantações dele.
CLÁUDIO – Mas ele sabe quem fez isso?
PAULA – Ele diz que tem suspeitos, mas não tem como comprovar quem foi o responsável.
PEDRO – Nas férias vou ajudar o meu avô. Ele já tem uma certa idade, precisa de alguém ao lado dele.
CAMILA – Bom que ele tem vocês, né. (olha para Pedro, com vontade de perguntar sobre Felipe)

[CENA 05 – PIZZARIA/ DIA]
(Laila continua entrevistando Daniel. Dácio está sentado em uma das mesas da pizzaria, continua observando-os. Minutos depois de conversa, Laila segura a mão de Daniel e vai para cozinha em seguida. Daniel se aproxima da mesa de Dácio, com um sorriso no rosto)
DÁCIO – Conseguiu?
DANIEL – Consegui! Começo amanhã mesmo.
DÁCIO – (levanta-se e o abraça) Parabéns. Sabia que você iria conseguir.
DANIEL – Nem acredito que consegui um emprego. Vou poder ajudar o Eduardo agora.
DÁCIO – E eu vou poder comer pizza de graça. (os dois riem, e sentam-se)
DANIEL – (fica sério) Eu só estou preocupado com uma coisa.
DÁCIO – Que coisa?
DANIEL – Mesmo essa pizzaria não sendo tão perto da minha casa, tenho medo de um dia eu acabar encontrando meu pai aqui. Ou algum conhecido e for contar diretamente para ele.
DÁCIO – Sabe que as possibilidades disso acontecer são pouquíssimas.
DANIEL – Mesmo assim, vou tentar me precaver com isso. Meu pai não pode saber que eu estou trabalhando aqui.

[CENA 06 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ DIA]
(Larissa e Eduardo continuam se olhando, Nathaniel está ao lado dele, os observando com um leve sorriso)
NATHANIEL – (entrega o dinheiro para Eduardo, desviando sua atenção) Aqui está o dinheiro da pizza, querido.
EDUARDO – (recebe o dinheiro, pega o troco e entrega para ele) Obrigado.
NATHANIEL – Eu que agradeço. (se aproxima de Larissa)
LARISSA – Pensei que você tivesse me chamado para algo urgente.
NATHANIEL – E pizza não é urgente?
EDUARDO – Eu tenho que ir agora. Tenho mais entregas para fazer. (olha novamente para Larissa, dessa vez ela foca-se para o palco) Tenham um bom dia. (coloca sua mochila nas costas e sai do salão)
LARISSA – (dando um leve tapa no ombro de Nathaniel) Posso saber o que significa isso?
NATHANIEL – Aí… (esfrega seu ombro) … significa o que?
LARISSA – Você chamou esse rapaz aqui.
NATHANIEL – Eu não fiz nada demais. Simplesmente pedi uma pizza, e ele veio deixar. Não tenho culpa se ele é o entregador.
LARISSA – Com tantas pizzarias próximas, você foi ligar justamente para a dele?! Não vem com essa, Nathan. Eu saquei o seu plano.
NATHANIEL – Não tenho plano algum. Simplesmente eu pedi uma pizza, que aliás… (caminha até o balcão) …está esfriando já. Você quer um pedaço?
LARISSA – Só se for para jogar na sua cara, de tão falso que você é! (se aproxima dele, e retira uma fatia, Nathaniel ri)
NATHANIEL – Uau, se eu soubesse que ia ficar assim, nem teria pedido pizza. Teria pedido bolo. E de limão, de preferência.
LARISSA – Engraçadinho. (come a pizza, e continua pensando em Eduardo)

Anoitecendo…

[CENA 07 – CASA DE ALICE/ ESTÚDIO/ NOITE]
(Alice está em seu estúdio junto com Marcelo, os dois estão se beijando)
MARCELO – (encerrando o beijo, sorri) Pensei que você tivesse me chamado aqui para me mostrar uma música?!
ALICE – Também. Mas te chamei aqui, para isso. (o beija novamente, segundos depois ela mesma encerra e levanta-se) Mas você tem razão. Realmente te chamei aqui para te mostrar uma música.
MARCELO – Qual é?
ALICE – Já deixei ela selecionada no computador. (caminha até a sala de som) Quando eu der o sinal, você pode dar play. (entra na sala, coloca os fones. Marcelo mexe no computador, olha para Alice que dar o sinal, solta a música)

[CENA DE MÚSICA – SO WHAT (PINK)]

Na na na na na na na 1
Na na na na na na

Na na na na na na na
Na na na na na na

I guess I just lost my husband
I don’t know where he went
So I’m gonna drink my money
I’m not gonna pay his rent (nope!)
I got a brand new attitude
And I’m gonna wear it tonight
I wanna get in trouble
I wanna start a fight

Na na na na na na na 2
I wanna start a fight
Na na na na na na na
I wanna start a fight

So, so what?
I’m still a rock star
I got my rock moves
And I don’t need you

And guess what?
I’m having more fun
And now that we’re done
I’m gonna show you tonight
I’m alright, I’m just fine
And you’re a tool

So, so what?
I am a rockstar
I got my rock moves
And I don’t want you tonight

Uh, check my flow, uh

The waiter just checked my table 3
And gave to Jessica Simp (shit!)
I guess I’ll go sit with drum boy
At least he’ll know how to hit
What if this song’s on the radio
Then somebody’s gonna die
I’m gonna get in trouble
My ex will start a fight

Na na na na na na na
He’s gonna start a fight
Na na na na na na na
We’re all gonna get in a fight!

So, so what? 4
I’m still a rock star
I got my rock moves
And I don’t need you

And guess what?
I’m having more fun
And now that we’re done
I’m gonna show you tonight
I’m alright, I’m just fine
And you’re a tool

So, so what?
I am a rock star
I got my rock moves
And I don’t want you tonight

You weren’t there 5
You never were
You wanted all
But thats not fair
I gave you life
I gave my all
You weren’t there
You let me fall

So, so what?
I’m still a rock star
I got my rock moves
And I don’t need you

And guess what?
I’m having more fun
And now that we’re done (we’re done)
I’m gonna show you tonight
I’m alright (I’m alright), I’m just fine (I’m just fine)
And you’re a tool

So, so what? 6
I am a rock star
I got my rock moves
And I don’t want you tonight
(I don’t want you tonight)

No no, no no
I don’t want you tonight
You weren’t fair
(I’m gonna show)
I’m gonna show you tonight
I’m alright, I’m just fine
And you’re a tool

So, so what?
I am a rock star
I got my rock moves
(And I don’t want)
I don’t want you tonight

Ba da da da da da

1. Alice começa cantando sentindo o rock da música. A mesma energia contagia Marcelo do outro lado da sala que a observa sorrindo.
2. Marcelo começa a mexer no computador, fazendo alguns ajustes na música.
3. Alice começa a dançar na sala de som, de acordo que a música iria aumentando o ritmo.
4. Marcelo volta a prestar atenção em Alice, ora ou outra adiciona alguns efeitos na música.
5. Alice anda pelo sala, dançando e se divertindo. Marcelo levanta-se, mas continua em frente do painel.
5. Encerra a música, sala da som e abraça Marcelo, que a parabeniza.

[CENA 08 – CASA DE CAIO/ SALA/ NOITE]
(Cláudio e Camila estão preparando a mesa para o jantar)
CLÁUDIO – Eu meio que percebi que você ficou alegre por Caio ter se aproximado de Pedro.
CAMILA – Claro que fiquei. Quero que os dois sejam amigos, se possível igual eu e a mãe dele fomos.
CLÁUDIO – No entanto, eu acho que você deveria ter perguntando para ele se ele queria.
CAMILA – Como assim?
CLÁUDIO – Eu não sei se você percebeu, mas o Caio não ficou muito à vontade com a situação que você criou ontem para ele.
CAMILA – Não ficou à vontade? Do que você está falando, Cláudio? Caio gostou muito de conversar com o Pedro.
CLÁUDIO – Tá, pode até ser que os dois gostaram de conversar um com o outro, mas não é assim que se faz. Meio que você está tentando obrigar os dois a serem amigos, força uma amizade entre eles, igual era a sua com a da Carla.
CAMILA – Eu não estou forçando nada. Os dois conversaram, ficaram amigos e agora é só questão de tempo, para essa amizade crescer ainda mais.
CLÁUDIO – Às vezes você esquece que o Caio não é mais nenhum bebê. Ele sabe muito bem escolher as próprias amizades dele.
CAMILA – Nossa, sabe mesmo? Ou você esqueceu daqueles garotos que o obrigaram a roubar a joalheria naquela época?! Aqueles garotos diziam ser amigos dele.
CLÁUDIO – É, dessa vez ele não escolheu direito. Mas o Caio aprendeu. Tenho certeza que dessa vez ele sabe escolher melhor quem ele quer chamar de amigos.
CAMILA – O Pedro será um ótimo amigo para ele, Cláudio. Você vai ver.
CLÁUDIO – Eu não duvido. Só estou pedido que não queira forçar nada entre eles. Deixa que se for para ser uma amizade sincera, ela surgirá com o tempo.
CAMILA – Ok, se você está tão preocupado assim, não irei fazer nada. Deixaremos que o tempo mostre que eu estou certa!

[CENA 09 – CASA DE TIAGO/ SALA/ NOITE]
(Tiago e Manuela estão na sala vendo um filme, ambos estão abraçados no sofá)
TIAGO – Gostei de passar meu dia com você.
MANUELA – E você acha que ele já acabou?
TIAGO – Pensei que ver o filme fosse a última atividade que iriamos fazer?
MANUELA – (se aproxima do rosto dele) Tem mais uma atividade que a gente pode fazer. (os dois se olham por um tempo, Tiago entende a mensagem e sorri)
TIAGO – Sério? (Manuela confirma com a cabeça, os dois se beijam, Tiago a empurra que a faz deitar no sofá, ficando em cima dela. Os dois ignoram o filme e sobem para o quarto)

Amanhecendo…

[CENA 10 – CASA DE PEDRO/ COZINHA/ DIA]
(Pedro entra na cozinha, com o uniforme e mochila no ombro)
PEDRO – Bom dia!
PAULA – Bom dia, querido. Então você vai mesmo para a escola?
PEDRO – Vou. Me sinto bem, não posso mais ficar perdendo aulas assim.
PAULA – Está certo! E eu também estou voltando para o trabalho. Conversei com a minha gerente, ela soube o que aconteceu e deixou minha vaga lá.
PEDRO – Que gerente boa. Nem parece a que a senhora vive dizendo que é chata.
PAULA – Ela no fundo não é chata, só algumas vezes.
PEDRO – Então o dia de ambos será puxado?!
PAULA – Sim. Você virá almoçar?
PEDRO – Não, não se preocupa, tia. Qualquer coisa como na lanchonete do Ivo.
PAULA – Ainda bem. Por que não sei se teria tempo de chegar em casa, preparar o almoço e ter que voltar para o trabalho. Eu também vou almoçar fora.
PEDRO – Então até mais tarde. (indo em direção a sala)
PAULA – Você não vai nem tomar o café da manhã?
PEDRO – Não. Mas estou levando dinheiro. Fui! (Pedro vai embora, Paula terminar o café da manhã dela)

[CENA 11 – CASA DE ALICE/ SALA/ DIA]
(Alice vem descendo as escadas com sua mochila no ombro, mexendo no celular. Encontra seu pai na sala)
ALICE – (sorri, caminha até ele e o abraça) Pai! O senhor está de volta.
FELIPE – (cansado) Acabei de chegar, filha.
ALICE – Pelo visto a viagem foi bem cansativa.
FELIPE – Muito. Tanto que nem vou para a empresa pela manhã. Quero mais tomar um banho, e ir para minha cama.
ALICE – Está certinho, pai. Trabalho demais também mata.
FELIPE – E você tá com essa mochila nas costas… você vai para o colégio?
ALICE – Vou. Andei pensando bem, se eu faltar mais talvez prejudique meu desempenho quando eu mudar para outra escola. Preciso acompanhar os alunos que já iniciaram, não posso ficar para trás.
FELIPE – Certo, filha. E já que você me lembrou, essa semana mesmo procuro outro colégio e faço sua transferência.
ALICE – Sem problema. Agora deixa eu ir, que já deixei o motorista lá embaixo me esperando. Até mais pai, bom descanso para o senhor. (sai de casa)
FELIPE – Obrigado, tchau e boa aula. (depois que a filha sai, sobe para seu quarto)

[CENA 12 – COLÉGIO ESTADUAL OLIVEIRA SANTOS/ PÁTIO/ DIA]
(Marcelo está sentado em um dos bancos, mexendo em seu notebook. Manuela, Éster e Thalita estão sentadas em outro, próximo a ele)
ÉSTER – Pelo visto o domingo com o Tiago foi bom, hein?!
MANUELA – Foi meninas! Vocês nem imaginam o tanto.
ÉSTER – Deixa eu adivinhar… Ele levou você para comer, vocês foram ver um filme na casa dele e vocês ficaram.
MANUELA – Foi quase isso.
ÉSTER – É típico dele. As meninas que ele pegava no nosso antigo colégio repetiam esse mesmo roteiro.
MANUELA – Mas duvido que com alguma delas, ele cantavam.
ÉSTER – Realmente. Acho que a única que ele cantava, era a Alice. (repara em Thalita que não tirava os olhos de Marcelo) Tá esperando o que para ir pra cima dele logo?
THALITA – Estou esperando a oportunidade perfeita. Não posso chegar nele direto, como uma oferecida.
ÉSTER – E você não é oferecida?
THALITA – Não tão oferecida! Me deixa, Éster… daqui a pouco ataco.
ÉSTER – Olha só quem voltou. O gatinho do Pedro.
MANUELA – E ele não foi o único. (as três focam-se em Pedro e Alice entrando no pátio)
PEDRO – (de frente para Alice) Oi!
ALICE – Oi!
PEDRO – Como você está?
ALICE – (repara ao redor, nos alunos olhando para eles) Estaria melhor se não fosse todos olhando para gente. (Pedro também repara)
PEDRO – Talvez todos saibam da nossa história. (Marcelo aparece ao lado de Alice)
MARCELO – Oi, que bom que você chegou. (coloca o braço ao redor do pescoço de Alice) Tenho umas músicas que queria apresentar a você. E aí, Pedro? Beleza?
PEDRO – Beleza.
ALICE – Eu e o Marcelo estamos namorando? (isso surpreende tanto Marcelo, como Pedro)
MARCELO – (surpreso) Estamos?
PEDRO – Parabéns! Fico feliz por vocês. (Alice repara que os alunos ainda estavam olhando para eles, fica de frente para Marcelo e o beija. Pedro fica constrangido, desvia sua atenção para outra coisa)
ÉSTER – É, amiga… acho que você perdeu. Alice foi mais rápida que você! (Thalita olhava a cena, enciumada)

Continua no Capítulo 44…

padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr

LEIA TAMBÉM