Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Capítulo 44 | Dar um Tempo ao Seu Coração – Minha Canção

[CENA 01 – COLÉGIO ESTADUAL OLIVEIRA SANTOS/ PÁTIO/ DIA]
(Alice e Marcelo continuam se beijando na frente de todos. Pedro desviou sua atenção para o lado, já Thalita continuava olhando para o casal, enciumada)
MARCELO – (Alice encerra o beijo, se afasta dele e olha ao redor) O que deu em você hoje?! (sorri)
ALICE – (foca em Pedro, que olha para ela) Só para deixar claro a relação que estamos tendo.
PEDRO – Creio que não era necessário, mas… parabéns mesmo assim.
ALICE – Obrigada.
PEDRO – Bom, vou falar com uns amigos ali agora. (se afasta deles, Alice o observa)
MARCELO – Estamos namorando mesmo?
ALICE – Sim, estamos. Agora me acompanha até a sala, por favor. (segura na mão dele e o puxa para dentro da escola)
ÉSTER – É Thalita, Alice fisgou o DJ primeiro.
THALITA – Aquela oferecida. Certeza que só porque não pegou o “priminho” dela, decidiu pegar o DJ.
ÉSTER – Alice não perde tempo! O que ela quer, ela consegue. Sempre foi assim, e sempre será. (as três focam-se em Pedro, que estava conversando com Ana e Alan)

[CENA 02 – CASA DELLE ROSE/ Q. DE LARISSA/ DIA]
(Larissa está em frente ao espelho e pensa em Eduardo. Salete bate na porta, que a trás de volta de seus pensamentos)
SALETE – Posso entrar, querida?
LARISSA – (se aproximando da cama) Claro, Salete. Fica à vontade.
SALETE – Alguma notícia sobre o seu caso?
LARISSA – Josué disse que iria entra em contato em caso de novidades.
SALETE – E sobre o programa de música?
LARISSA – Nathan já contou para você, não foi?!
SALETE – Também vi o vídeo que fizeram. Você está ótima nele.
LARISSA – Ainda não tive retorno. Mas estou confiante que irie entrar.
SALETE – E quando o entregar de pizza?
LARISSA – O que tem ele?
SALETE – Ele não tem mais aparecido por aqui. Você o dispensou?
LARISSA – Nunca tivemos nada para dispensá-lo.
SALETE – Só que ele costuma vim aqui quase todas as noites. Tem um bom tempo que ele não apareceu mais.
LARISSA – Talvez ele tenha percebido que eu não sou a tal Letícia dele, e tenha desistido.
SALETE – Você realmente não quer ir atrás dessa história? Você não quer saber porque vocês duas são tão parecidas?
LARISSA – Eu não sei, Salete. Isso para mim não vai interferir em nada. Pode ser apenas coincidência, sei lá…
SALETE – Bem, você quem sabe, querida. Mas, se existisse alguém parecido comigo, eu iria atrás investigar.

[CENA 03 – COLÉGIO ESTADUAL OLIVEIRA SANTOS/ PÁTIO/ DIA]
(Pedro está sentado junto com Ramon e Dácio, logo atrás deles estão Alice e Marcelo, bem juntinhos)
DÁCIO – (repara que Pedro está meio que incomodado ao ver Alice com Marcelo juntos, tenta desviar a atenção dele) Que bom que você voltou, cara.
RAMON – É. Estávamos pensando já que você voltaria para Minas ou mudaria de escola, sei lá.
PEDRO – Confesso que já pensei em voltar para o sítio do meu avô, porém, creio que chega de tantas mudanças. Está na hora de escolher um local fixo.
RAMON – Então você vai ficar de vez no Rio?
PEDRO – Não sei. Estou atrás de um sonho pra mim, e se ele for aqui, talvez eu fique. Caso seja em outro lugar, irei atrás dele.
DÁCIO – E qual é seu sonho?
PEDRO – Eu ainda não o encontrei… (olha para Alice novamente) … mas vou encontra-lo!
RAMON – Topa ir na lanchonete do Ivo depois da aula ver o nosso ensaio para a final do programa?
PEDRO – Eu na verdade estava pensando em ir para casa.
RAMON – Qual é? Vamos, vai te animar um pouco. Sei lá, estou te percebendo um pouco pra baixo.
PEDRO – No final da aula eu dou uma resposta para você. (repara em Caio entrando no pátio) É já que eu volto, pessoal. (levanta-se e caminha até ele) Opa, Caio! Tudo bem, cara?
CAIO – Tudo.
PEDRO – Eu tô sentado com alguns amigos ali. Se quiser, posso te apresentar para eles.
CAIO – Não, obrigado. Eles são os seus amigos, não os meus. (continua andando, deixa Pedro sozinho no meio do pátio. Pedro retorna para a mesa de seus amigos)
DÁCIO – Novo amigo?
PEDRO – Estou tentando ser. Na verdade, a mãe dele era a melhor amiga da minha mãe. E ela está tentando que sejamos também.
RAMON – Mas quem teve essa ideia?
DÁCIO – Ela acha mesmo que só porque ela era amiga da sua mãe, vocês também serão?!
PEDRO – Talvez se crescêssemos juntos sei lá, poderíamos até ser amigos. Mas agora… as vezes percebe que ele não tá muito interessado nisso.
RAMON – Então por que você continua?
PEDRO – Por que eu não sou de deixar ninguém para trás. O Caio vai ser meu amigo, vocês vão ver.

Mais Tarde…

[CENA 04 – LANCHONETE DO IVO/ TARDE]
(Ramon e seus colegas de banda estão em cima do palco organizando os equipamentos. Marcelo e Alice também estão na lanchonete)
MARCELO – E como anda os preparativos para sua viagem?
ALICE – Está tudo acertado já com o empresário e meu pai. Viajo amanhã para São Paulo. Passarei dois dias lá fazendo shows, retorno e semana que vem viajo para Goiás.
MARCELO – Então praticamente você faltará à aula amanhã.
ALICE – Sim. Durantes essas minhas viagens pelo país, terei meus dias de aulas intercalados.
MARCELO – Não ficará cansativo para você?
ALICE – Creio que não. Eu consigo dar conta. Preciso me comprometer com os dois, se não meu pai vai diminuir ainda mais minha agenda de shows.
MARCELO – Só que por um lado ele está certo. Está preocupado com a sua educação.
ALICE – Eu vou ser famosa, Marcelo. Não preciso de ensino médio. Isso eu posso consigo mais para frente.
MARCELO – Desculpa, mas acho que o melhor momento para você conseguir isso é agora.
ALICE – (irrita-se) Que seja. (olha para os garotos no palco) Preciso cantar! (levanta-se e caminha até eles, Marcelo a observa) Oi, meninos. Vocês vão tocar agora?
RAMON – Vamos sim.
ALICE – Será que vocês podiam tocar uma música para mim? (subindo no palco, caminha até Ramon, cochicha a música no ouvido dele)
RAMON – Claro, você cantando com a gente será uma honra. (se afasta de Alice, caminha até um dos amigos e pede para filmar Alice cantando com eles)
ALICE – (caminha até o centro do palco, olha para os garotos) Ok, quando quiser. (começam a tocar)

[CENA DE MÚSICA – GIVE YOUR HEART A BREAK (DEMI LOVATO)]

The day I first met you 1
You told me you’d never fall in love
But now that I get you
I know fear is what it really was

Now here we are, so close, yet so far
Haven’t I passed the test?
When will you realize
Baby, I’m not like the rest?

Don’t wanna break your heart 2
Wanna give your heart a break
I know you’re scared it’s wrong
Like you might make a mistake
There’s just one life to live
And there’s no time to wait, to wait

So let me give your heart a break
Give your heart a break
Let me give your heart a break
Your heart a break
Oh, yeah, yeah

On Sunday, you went home alone 3
There were tears in your eyes
I called your cellphone, my love
But you did not reply

The world is ours, if we want it
We can take it, if you just take my hand
There’s no turn back now
Baby, try to understand

Don’t wanna break your heart
Wanna give your heart a break
I know you’re scared it’s wrong
Like you might make a mistake
There’s just one life to live
And there’s no time to wait, to wait

So let me give your heart a break 4
Give your heart a break
Let me give your heart a break
Your heart a break
There’s just so much you can take
Give your heart a break
Let me give your heart a break
Your heart a break
Oh, yeah, yeah

When your lips are on my lips
Then our hearts beat as one
But you slip out of my fingertips
Every time you run

Don’t wanna break your heart 5
Wanna give your heart a break
I know you’re scared it’s wrong
Like you might make a mistake
There’s just one life to live
And there’s no time to waste, to waste
So let me give your heart a break

‘Cause you’ve been hurt before
I can see it in your eyes
You try to smile it away
Some things you can’t disguise

Don’t wanna break your heart
Maybe I can ease the ache, the ache

So let me give your heart a break 6
Give your heart a break
Let me give your heart a break
Your heart a break
There’s just so much you can take
Give your heart a break
Let me give your heart a break
Your heart a break
Oh, yeah, yeah

The day I first met you
You told me you’d never fall in love

1. Alice começa a cantar focando-se em Marcelo, que sorri para ela. O amigo que Ramon pediu para filmar, desce do palco, filmando a apresentação de Alice.
2. Alice retira o microfono do suporte, e começa a caminhar pelo palco.
3. Pedro chega a lanchonete, ouve Alice cantando, mas não se aproxima do palco.
4. O amigo de Ramon anda pela lanchonete filmando tudo, durante a apresentação inteira.
5. Marcelo continua prestando atenção em Alice sorrindo. Alice volta para o centro do palco, e repara em Pedro observando-a. Começa a cantar focando-se nele por um tempo, em seguida volta a olhar para Marcelo.
6. Alice encerra a música, desce do palco indo para onde está Marcelo. Chegando a mesa, olha para Pedro, e o mesmo para ela.

[CENA 05 – PIZZARIA/ TARDE]
(Daniel está limpando o balcão, Dácio entra na pizzaria, indo direto para o balcão)
DÁCIO – (sorri) Oi!
DANIEL – Oi!
DÁCIO – Gostando do emprego novo?
DANIEL – Até agora sim. Vai pedir alguma coisa?
DÁCIO – Sim. Um pizza média!
DANIEL – Vai comer uma pizza média sozinho?
DÁCIO – Talvez não. Talvez chame alguém para comer comigo.
DANIEL – (sorri) Eu não posso comer durante o expediente.
DÁCIO – Eu não estou falando de você. (Daniel fica enciumado, mas percebe que é brincadeira de Dácio. Eduardo entra na pizzaria, direto para o balcão)
EDUARDO – E aí, turma?!
DÁCIO – Beleza, Eduardo.
EDUARDO – Beleza. Fico feliz que tenha conseguido o emprego, Daniel.
DANIEL – Eu que agradeço por ter me indicado. Não se preocupa, que assim que receber o primeiro salário, vou ajudar você.
EDUARDO – Não precisa se preocupar com isso, tá bem. Dácio, você tem visto sua mãe?
DÁCIO – (estranha a pergunta) Não. Na verdade, tem um bom tempo que não falo com ela. Por que?
EDUARDO – (pensa em comentar sobre Larissa, mas acaba desistindo) Nada, só curiosidade mesmo.

[CENA 06 – CASA DE FELIPE/ SALA/ TARDE]
(Felipe vem descendo as escadas, com cara de sono ainda)
VIVIANE – (surpresa ao ver o filho em casa) Você já chegou, filho?! (caminha até ele, o abraça)
FELIPE – Cheguei, mamãe. Cheguei hoje pela manhã.
VIVIANE – Imaginei que você havia chegado e tinha ido diretamente para a empresa.
FELIPE – Não, não fui. (caminham até o sofá) Cheguei muito exausto da viagem, fui para o meu quarto, tomei um banho e me joguei na cama. Era para ter acordado mais cedo, mas acordei só agora.
VIVIANE – Ao menos, você terá a tarde de folga. (ri)
FELIPE – É. A Alice já chegou?
VIVIANE – Não, ainda não.
FELIPE – Preciso procurar uma outra escola para ela.
VIVIANE – Você não vai acompanha-la durante essa viagens que ela vai fazer?
FELIPE – Não sei. A empresa não pode ficar sem mim…
VIVIANE – E a sua filha pode?
FELIPE – Alice é responsável, mamãe. Ela vai saber se cuidar. E outra, ela não estará sozinha. A equipe dela, o empresário, todos estarão juntos com ela.
VIVIANE – Mesmo assim, acho que deveria ter um responsável com ela.
FELIPE – Tá, posso ir com ela. Ou posso mandar o Paulo, não sei. Ele não viajou ainda, né?
VIVIANE – Ainda não. Ele está planejando suas novas rotas.
FELIPE – Pois pronto, posso pedir para ele acompanha-la.

[CENA 07 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ TARDE]
(Larissa está organizando o palco, Nathaniel e algumas meninas estão organizando o salão)
NATHANIEL – Estava pensando em fazermos uma apresentação especial, meninas.
IONE – Especial como?
NATHANIEL – Sei lá. A casa está precisando de algo grande, chamativo.
LARISSA – Mais chamativo do que já é, Nathan?!
NATHANIEL – Quanto mais melhor, bebê.
IONE – Qual a sua ideia?
NATHANIEL – Estou desenvolvendo ainda. Mas assim que estiver pronta, contarei para vocês.

[CENA 08 – CASA DE OTÁVIO/ SALA/ TARDE]
(Otávio está tocando uma música no piano, sua mãe entra na sala, e presta atenção no filho)
OTÁVIO – (ouve os passos dela, apesar da música) Preocupada com algo, mamãe?!
SILVANA – Com nada, filho. Por que estaria?
OTÁVIO – Sei lá… (para de tocar) … a senhora entrou na sala tão calmamente. Depois parou de andar, e ficou quieta.
SILVANA – Estava te observando apenas. Não queria te atrapalhar.
OTÁVIO – Será que vou conseguir entrar para o programa?
SILVANA – Tocando desse jeito, conseguirá sim. Espero estar aqui para te ver se apresentando.
OTÁVIO – É claro que estará. E tem mais, a senhora estará aqui, quando eu ganhar o programa também.
SILVANA – (sorri) Que Deus te ouça, filho.
OTÁVIO – Eu vou ganhar este programa, e com o dinheiro irei pagar um tratamento para senhora. (Silvana entristece, se aproxima do filho e o abraça)
SILVANA – Obrigada! (chora)

[CENA 09 – LANCHONETE DO IVO/ TARDE]
(Ramon está com o pessoal no palco, Alice voltou para a mesa de Marcelo e Pedro está conversando com Ivo no balcão)
IVO – Algo anda te preocupando?
PEDRO – (tentando ignorar Alice) Só coisas da vida mesmo! Nada demais.
IVO – Tão jovem e já se preocupa com a vida. (percebe que está preocupado com Alice) As coisas vão se acertar, Pedro. Só dar tempo, viver um dia de cada vez, e as coisas vão se ajeitar.
PEDRO – E como está sendo a vida de empresário com os garotos?
IVO – Ramon está a mil com a final do programa. Ensaio atrás de ensaio, ele realmente está focando.
PEDRO – (olha para Ramon) Imagino. Realmente desejo que os meninos ganhem este programa. É o sonho deles, nada mais justo.
IVO – Eu sei. Mas, a competição está forte. As demais bandas também tem uma grande torcida na internet, não será uma tarefa fácil.

[CENA 10 – PIZZARIA/ TARDE]
(Dácio termina de comer o último pedaço de pizza média no balcão mesmo, Daniel olha para ele surpreso)
DANIEL – Sério… se eu não tivesse visto com os meus próprios olhos, não acreditaria que você sozinho comeu uma pizza média.
DÁCIO – Vai dizer que você nunca comeu uma pizza sozinho?
DANIEL – Eu não. O máximo que eu como são quatro pedaços e olhe lá.
DÁCIO – Pois então agora acostuma-se, que você está trabalhando aqui, portanto irei comer pizza sempre.
LAILA – (aparece de surpresa ao lado de Daniel) Pagando as pizzas, é o que importa! Seu amigo, Daniel?
DANIEL – É sim.
LAILA – Sabe que não gosto de conversas paralelas no meio do expediente.
DANIEL – Sei sim.
DÁCIO – Não é culpa dele. Quis comer aqui, porque é melhor.
LAILA – Na próxima recomendo você escolher uma mesa, está bem. (olha séria para Daniel e retorna para cozinha)
DÁCIO – Será que gerei problema para você?
DANIEL – Não, relaxa. Eduardo me alertou que a Laila apenas ladra, mas não morde.

[CENA 11 – LANCHONETE DO IVO/ TARDE]
(Pedro continua no balcão sozinho, Ivo havia ido para a cozinha. Alice repara nele, decide ir até lá)
ALICE – Não quer sentar em uma mesa?
PEDRO – (surpreende-se com Alice ao lado dele) Aqui está bom, sem problema.
ALICE – Tá afim de cantar uma música?
PEDRO – Agora?
ALICE – Sim. Ou está com medo de mim?! (Pedro levanta-se, fica de frente para ela, pensando no que responder)

Contínua no Capítulo 45…

POSTADO POR

Anderson Silva

Anderson Silva

Um carinha qualquer apaixonado por música e contador de histórias. Atualmente é autor de A Nossa Canção.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo