Capítulo 52 | Lobos – Minha Canção

[CENA 01 – COLÉGIO ESTADUAL OLIVEIRA SANTOS/ PÁTIO/ DIA]
(Marcelo entra no pátio correndo a procura de Pedro. Ao vê-lo, corre até ele)
PEDRO – (levanta-se e fica de frente para Manuela) Isso não pode ser verdade.
MANUELA – Está em todos os sites de notícia. (Marcelo aparece ao lado de Pedro)
MARCELO – Pedro, você tem notícia da Alice? Você tem falado com ela?
PEDRO – Não, não tenho. Vou ligar para ela… (se afasta um pouco do pessoal com seu celular nas mãos, liga para Alice, o celular dela só cai na caixa postal) Não chama. Eu vou até a casa dela.
MARCELO – Eu vou com você.
ANA – (levanta-se e caminha até Pedro) Vocês vão matar aula?
PEDRO – Eu preciso saber como estar a Alice, Ana! Preciso saber se essa notícia é verdadeira.
MARCELO – Vamos, Pedro? (caminha em direção a saída, Pedro vai atrás dele, e os dois saem da escola)
ANA – (caminha até Manuela) Será que ela…?
MANUELA – Não sabemos.
ANA – Espero que não. Se o Pedro perder mais alguém próximo a ele, receio que talvez ele não suporte dessa vez.

[CENA 02 – LANCHONETE DO IVO/ DIA]
(Ivo está arrumando as mesas da lanchonete animado, Rita aparece no balcão, olha para o irmão e solta um leve sorriso)
RITA – (indo até as mesas) Nossa, tem um bom tempo que não o vejo assim tão feliz!
IVO – Tem como não estar minha irmã. Os meninos fizeram um show incrível ontem. Nem entrei no meu email ainda, porque tenho certeza que tem vários contatos por aí, querendo contratar os garotos.
RITA – Acredita assim que esses garotos farão sucesso? Afinal, essa repercussão toda deles pode acabar com o tempo. (começa a ajudá-lo)
IVO – Pode ser. Hoje as coisas são passageiras, o que se faz sucesso hoje, amanhã pode ser passado. Mas eu acredito nestes garotos. Creio no potencial de cada um, e duvido muito que eles caiam no esquecimento rápido.
RITA – Então, de agora em diante você passará menos tempo na lanchonete?
IVO – Possivelmente sim, minha irmã. Mas não se preocupa, tenho certeza que você tomará de conta dela muito bem. Vou aproveitar que você está aqui, e vou ler meus e-mails.
RITA – Agora?
IVO – Só irei responder os principais, será rápido. (vai para cozinha, Rita o observa, em seguida volta a arrumar as mesas)

[CENA 03 – CASA DE ALICE/ Q. DE ALICE – SALA – COZINHA/ DIA]
(Alice acorda, percebe a luz do sol iluminando pela janela ainda fechada pela cortina. Senta-se na cama, pega seu celular que estava carregando ao lado e o liga. Ela o deixa na cama ainda ligando, levanta-se e vai para o banheiro. Do banheiro escuta várias mensagens chegando em seu aparelho)
ALICE – (terminando de se escovar) Nossa?! Quantas mensagens. (sorri) Devem ser meus fãs querendo saber o que houve ontem. (enxagua a boca, se olha no espelho, enxuga seu rosto. Retorna para cama, pega seu celular e sai do quarto sem olhar as mensagens. No corredor, encontra seu tio também saído do quarto)
ALICE – Bom dia, tio!
PAULO – Bom dia. Acordando agora também?
ALICE – Sim. Depois do que aconteceu ontem. Fiz questão de tirar uma ótima noite de sono, para poder olhar para o meu empresário hoje. Juro, eu só não demito o Théo, porque nessa altura do campeonato, não tenho tempo para escolher um outro empresário. (eles chegam até a escada) Custava ele ter avisado que o show tinha sido adiado.
PAULO – Realmente, custava nada ele ao menos ter mandado uma mensagem. O meu irmão está pagando ele para cuidar de você.
ALICE – Mas pode deixar, tio. Eu vou ter uma conversa com ele hoje.
PAULO – Será que a mamãe está na cozinha?
ALICE – Talvez. (os dois vão até a cozinha, chegando lá encontram a empregada organizando a mesa)
PAULO – Bom dia! (a empregada se assusta ao vê-los) Tirando a mesa tão cedo!
EMPREGADA – (assustada) Vocês… vocês estão bem?
PAULO – (estranha como ela ficou de repente) É claro que estamos. (senta-se e começa a se servir)
EMPREGADA – Como isso é possível meu Deus?
ALICE – (também a percebe estranha) Não estou entendo porque você ficou nesse estado quando nos viu? Aconteceu alguma coisa?
PAULO – Também não. Onde está a mamãe?
EMPREGADA – Ela saiu com o seu empresário, Alice.
ALICE – O Théo esteve aqui?
EMPREGADA – São vocês mesmos ou eu estou falando com espíritos? (caminha até Paulo, tenta tocar nele)
PAULO – Como assim? (começa a ficar confuso, a empregada segura em seu braço) Olha, você está estranha, hein?!
EMPREGADA – Vocês então não sofreram o acidente?
ALICE – Que acidente?
EMPREGADA – (pega o celular, pesquisa a notícia, a encontra e entrega para Paulo) O dia amanheceu com essa notícia em todos os sites. O avião que levaria a Alice ontem caiu próximo a Goiânia. (Alice levanta-se em direção ao tio)
ALICE – Como é que é? (ler a notícia também)

[CENA 04 – PIZZARIA/ DIA]
(Eduardo está se preparando para a sua primeira entrega do dia, porém está preocupado por Daniel não ter chegado ainda)
EDUARDO – Parece que o Daniel não vem hoje.
LAILA – O pai dele veio aqui ontem à noite.
EDUARDO – Veio? (se aproxima dela) O que ele queria?
LAILA – Veio dizer que o filho dele não iria trabalhar mais aqui. Que eu deveria demiti-lo.
EDUARDO – E você o demitiu?
LAILA – O que você queria que eu fizesse, Eduardo? O pai do garoto estava na minha frente, dizendo que o filho dele não poderia trabalhar mais aqui. E pela a cara que ele estava fazendo, não quis nem discutir.
EDUARDO – O que será que ele fez com o Daniel ontem à noite?
LAILA – Eu não devia ter contratado esse garoto. Só o aceitei porque realmente estava precisando de um funcionário para ficar no atendimento, e porque ele é seu amigo. Mas, devo ter tomado a decisão errada de novo.
EDUARDO – (pega seu celular) Pior que o Dácio não me mandou mensagem. Será que está tudo bem?
LAILA – Você não acha que está enrolado tempo demais aqui? O tempo tá passando, Eduardo.
EDUARDO – (guarda o celular) Estou indo, estou indo! (sai da pizzaria, Laila o observa por alguns segundos, em seguida foca-se no computador)

[CENA 05 – CASA DE DANIEL/ SALA/ DIA]
(Samuel está varrendo a casa, Daniel desce as escadas e encontra seu pai na sala)
SAMUEL – Está podendo conversar agora?
DANIEL – Não tem como conversar com você.
SAMUEL – Escuta, filho… (coloca a vassoura ao lado, e caminha até Daniel) … preciso que você esteja calmo para quando o psicólogo chegar.
DANIEL – Psicólogo? Sério isso?
SAMUEL – Precisamos iniciar seu tratamento o mais rápido possível.
DANIEL – Pode esquecer está bem. Pode vir psicólogo, médico, o que for… não irá adiantar em nada.
SAMUEL – É o que veremos, filho. De acordo com um amigo, esse psicólogo é um dos…
DANIEL – (interrompendo-o, indo em direção para cozinha) Eu não quero saber. Já que estou sendo mantido refém na minha própria casa, espero que ao menos comida eu possa receber. (vai para cozinha, Samuel pensa ir atrás, mas continua ao lado da escada, sério)

[CENA 06 – CASA DE ALICE/ COZINHA – SALA/ DIA]
(Alice e Paulo continuam lendo a notícia, ambos surpresos)
PAULO – Eles acham que a gente estava nesse avião?
EMPREGADA – Sim. Vocês saíram ontem a noite direto para o aeroporto.
ALICE – A gente foi sim para o aeroporto, no entanto quando chegamos lá, ficamos sabendo que o show havia sido cancelado.
PAULO – A gente até foi para a fila de embarque, mas acabei recebendo um telefone da organizadora do show lá de Goiânia, informando que por problemas pessoais, o show foi adiando para a próxima semana.
ALICE – O Théo não sabia disso? Ele é meu empresário, era função dele saber desse cancelamento. E o pior, que colocaram nesta notícia que não teve show por causa desse acidente. (volta para a mesa e pega seu celular, começa a ler as mensagens) Nossa, várias mensagens dos meus seguidores preocupados comigo.
PAULO – Onde minha mãe foi?
EMPREGADA – Eu não sei. Ela saiu com o empresário da Alice.
PAULO – Vou ligar para ela! (pega o celular e vai para a sala, Alice levanta da mesa e o segue, a empregada continua na cozinha tentando tentado assimilar o que estava acontecendo)
ALICE – Como esses sites são sensacionalistas! Não sabem nem de toda a verdade, e ficam divulgando notícias assim.
PAULO – Oi, mãe! Sim, sou eu. Eu estou em casa sim. Sim, junto com a Alice. Não, não aconteceu nada com a gente. A gente acabou não embarcando no avião. Onde a senhora está? Sim. E o Théo ainda está aí? Ok, estamos esperando vocês. Tchau. (desliga e se aproxima de Alice) Ela está voltando. Acredita que o Théo a convenceu a ir para Goiânia.
ALICE – Duvido não. (senta-se no sofá) Gente, quantas mensagens. Quer saber, vou gravar um storie já. (se prepara para gravar, campainha toca nesse momento. A empregada atende, Pedro e Marcelo entram)
PEDRO – (solta um sorriso ao vê-la na sala) Alice! Você está bem? (caminha até ela, pensa em abraçá-la, mas acaba desistindo)
MARCELO – Ficamos preocupados depois que a gente leu a notícia do acidente.
ALICE – Estou. Não precisava vocês terem vindo até aqui.
MARCELO – Precisava sim. (se aproxima dela) Eu pensei que…
ALICE – (desvia dele, indo para detrás do sofá) Tudo não passou de um mal-entendido, que eu mesmo já ia resolver.
PEDRO – Você pode explicar o que aconteceu?
ALICE – Depois. Antes, preciso tranquilizar os meus seguidores, eles sim são prioridade. Se me dão licença. (sobe para o quarto, Pedro e Marcelo a observam)

[CENA 07 – COLÉGIO ESTADUAL OLIVEIRA SANTOS/ SALA/ DIA]
(a aula começou, e apesar da professora está na sala passando seu conteúdo, os alunos estão preocupados com o que aconteceu com Alice. Minutos depois de aula, alguns alunos começam a mexer no celular e a cochichar com o colega do lado. Ambos começam a comentar sobre a live que Alice está fazendo. Manuela se levanta da de sua mesa, e pede para sair da sala)
MANUELA – Licença, professora. Tenho que ir urgente para o banheiro. (sai da sala apressada diretamente para o banheiro. Chegando lá, encontra algumas outras alunas que também estão vendo a live de Alice)

[CENA 08 – CASA DE ALICE/ Q. DE ALICE/ DIA]
(Alice está em pé no seu quarto, em frente ao seu espelho, fazendo sua live para seus seguidores)
ALICE – Oi, meus amores. Como vocês podem ver, está tudo bem comigo, não aconteceu nada, estou bem. Eu recebi e li a mensagem que cada um de vocês enviou, e vi o quanto estavam preocupados. Quero tranquilizá-los que não aconteceu nada comigo, porque eu não cheguei a embarcar para Goiânia. A produção que estava organizando o show, informou que o mesmo foi adiado por alguns motivos pessoais. Então, voltei para casa, e estou sã e salva. Mesmo assim eu entendo cada um de vocês. Eu fiquei chocada quando acordei hoje mais cedo, e me deparei com várias notícias como essa rolando por aí. Fiquei me perguntando se eu realmente estivesse embarcado, será que eu estaria aqui gravando essa live para vocês. (finge ficar triste) Sinto muito de verdade com aqueles que estavam no avião, entro em solidariedade com todas as famílias que perdeu alguém. E torço para que aqueles que estão em estado grave, possam se recuperar e sair do hospital logo. Bem, não pretendo prolongar essa live, só estou aqui para tranquilizar todos vocês, meus queridos. E dizer que está tudo bem comigo. Ah, e não confiem em tudo que vocês leem nesses sites sensacionalistas. Verifiquem as provas antes de ficar divulgado algo por aí, dando cliques para esse tipo de gente. Esta bém?! Daqui a pouco faço uma live especial, onde darei mais detalhes da minha turnê. Bye! (encerra a live, joga o celular na cama e caminha até o banheiro)

[CENA 09 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ DIA]
(Nathaniel continua olhando para Larissa, se afasta um pouco dele, um pouco constrangido)
NATHANIEL – Eu? De onde você tirou isso, Larissa?
LARISSA – Só eu sei o quanto você, mais do que qualquer outro daqui gosta desse lugar. É claro que o ótimo sucessor para ficar tomando de conta do cabaré, é você. (Salete aparece no salão nesse momento)
SALETE – Também concordo com a Larissa!
LARISSA – Viu.
SALETE – Bom dia, queridos.
LARISSA – Bom dia, Salete. Você também não acha que não tem melhor sucessor para cuidar da casa, se não for Nathan?!
SALETE – Acho sim. No entanto, eu não entendo o motivo de vocês estarem tendo está conversa, sendo que eu ainda estou aqui firme e forte, pronta para tomar de conta dessa família por muito tempo ainda.
NATHANIEL – É a Larissa que ficou com essa ideia na cabeça, Salete.
LARISSA – Eu simplesmente fiquei pensando nisso após a conversa que tivemos ontem. Tipo, como você dedicou praticamente sua vida inteira por este lugar.
NATHANIEL – E vai dedicar muito mais ainda. (caminha até o bar, Salete e Larissa o segue)
SALETE – Se Deus me permitir, sim.
LARISSA – Então fiquei imaginando, como ficará está casa no dia que você não estiver mais aqui?! Quem teria essa mesma garra e disposição para cuidar da gente, como você cuida Salete?
NATHANIEL – Só tem uma Salete nesse mundo. Creio que ninguém dedicará tanto como a Salete se dedicou.
SALETE – (ri) Isso é verdade! Creio que talvez não haja ninguém que se doe tanto por esta casa como eu. No entanto, eu também concordo com a Larissa, Nathan. Se fosse para escolher um sucessor, você sem sobra de dúvida seria esta pessoa.
NATHANIEL – Não brinca com isso, Salete. Eu nem sei por onde gerenciaria este lugar.
LARISSA – Ah, não vem com essa, Nathan. Logo você, que vive trazendo ideias para cá.
NATHANIEL – Quero dizer… que eu não tenho essa mesma garra que a Salete para gerenciar isso tudo.
SALETE – Tem sim, querido. Eu te conheço, esqueceu?
NATHANIEL – (encabulado) É melhor mudarmos de assunto. Vamos focar no nosso evento?
LARISSA – (brinca) Alias, evento este que foi criado por você! (Nathaniel se encabula mais, que sai do bar em direção ao palco)
NATHANIEL – Ah não, meninas. Se vocês pretendem continuar com esta conversar, melhor eu arrumar o que fazer. (Larissa e Salete continuam no bar e começam a ri dele)

[CENA 10 – COLÉGIO ESTADUAL OLIVEIRA SANTOS/ PÁTIO/ DIA]
(Manuela está sentada com suas amigas em um dos bancos do pátio, aliviada por tudo está bem com Alice)
MANUELA – Parece que tudo não passou de um grande mal-entendido.
THALITA – É, só que essa repercussão falsa, acabou sendo positivo para a Alice. Ela ganhou novos seguidores, além de ainda está sendo um dos assuntos mais comentados do país.
ÉSTER – (um pouco irritada) E se vocês não pararem de acompanhá-la, vocês só continuaram dando mais ibope para ela.
MANUELA – Nossa… o que foi, Éster? Parece que você não ficou feliz por a Alice está bem?
ÉSTER – Eu só estou cansada de quase sempre a gente ter que colocar essa garota nas nossas conversas. Do jeito que vocês ficam acompanhando a vida dela, mesmo depois de tudo que ela fez. Isso me tira do sério! (levanta irritada em direção ao colégio)
THALITA – Nossa?! Ela ficou irritada mesmo! (Manuela a observa, preocupa-se)

[CENA 11 – CASA DE ALICE/ SALA/ DIA]
(Alice retornou para a sala e está respondendo algumas mensagens e comentários de alguns fãs. Marcelo e Pedro retornaram para o colégio, Paulo está na sala também, aguardando por sua mãe)
VIVIANE – (entra em casa e fica feliz ao ver seu filho e sua neta bem) Paulo, meu filho. (corre para abraçá-lo) Eu fiquei tão preocupada após ver está notícia. (caminha até a Alice e a abraça também) Ainda bem que vocês não entraram naquele avião!
PAULO – Pois, ainda bem que o show foi adiado.
ALICE – Por falar em show adiado… (caminha até Théo) … que belo trabalho esse o seu, hein Théo? É para isso que meu pai te paga? (Théo olha para ela, sério)

[CENA 12 – CASA DE DANIEL/ SALA/ DIA]
(o psicólogo que o Samuel chamou acaba de chegar. Ele o recebe e o acompanha até a sala)
SAMUEL – Que bom que você chegou. Meu amigo disse que você é ótimo neste assunto, e que já teve alguns casos de sucesso.
PSICÓLOGO – Eu não diria que sou um expert no assunto, mas já tive alguns pacientes que foram curados.
SAMUEL – Espero que com o meu filho você consiga o mesmo. Ele não tem jeito de gay, sabe, então creio que está no estágio inicial da doença. Isso é bom para a cura, né?
PSICÓLOGO – Bom, eu não posso afirmar nada ainda sem antes conhecê-lo. (Daniel entra na cozinha nesse exato momento)
SAMUEL – (caminha até Daniel) Filho, este é o psicólogo que eu falei para você.
PSICÓLOGO – (caminha até ele, estende a mão para cumprimentá-lo) Oi. Tudo bem com você, Daniel? (Daniel continua parado, olhando sério para ele)

[CENA 13 – CASA DE RAMON/ GARAGEM/ DIA]
(Ramon entra em sua garage emocionado. Lembra do primeiro ensaio que teve com seus amigos e com a banda que até então não tinha nome. Lembra do momento que ganhou o programa ontem, e do primeiro show realizado. Caminha até o violão, senta-se, olha ao redor feliz e começa a tocar)

[CENA DE MÚSICA – LOBOS (JÃO)]

Sigo a linha do trem que é pra ter onde ir 1
Devagar é melhor, eu posso te ouvir uivar
O cara estranho que eu fingi não ser
Já renasceu, talvez eu possa descansar

Qual a graça em se comprometer
Quando eu tenho o mundo pra ver?
Aah, uoh
Aah, uoh
E quando a gente dança e se perde
As montanhas se estremecem
Aah, uoh
(Auu)

Eu podia ficar lento, só perdido (uoh, oh) 2
Mas é que solto eu fico muito mais bonito (uoh, oh)
Eu podia ficar lento, só perdido (uoh, oh)
Mas é que solto eu fico muito mais bonito

Quero sentir mais, eu
Quero beber mais, eu
Quero correr mais
Escapar na madrugada
Sentir o ar gelado
Inflar o meu peito e gritar

Nada do que você diz
Faz sentido algum
Porque eu tenho a minha própria caminhada

Qual a graça em se comprometer 3
Quando eu tenho o mundo pra ver?
Aah, uoh
Aah, uoh
E quando a gente dança e se perde
As montanhas se estremecem
Aah, uoh
(Auu)

Eu podia ficar lento, só perdido (uoh, oh)
Mas é que solto eu fico muito mais bonito (uoh, oh)
Eu podia ficar lento, só perdido (uoh, oh)
Mas é que solto eu fico muito mais bonito

Nada do que você diz
Faz sentido algum
Porque eu tenho a minha própria caminhada

Eu podia ficar lento, só perdido (uoh, oh)
Mas é que solto eu fico muito mais bonito (uoh, oh)

1. Ramon começa a cantar e em sua cabeça várias lembranças de seus amigos e da banda começam a surgir durante a música.
2. Levanta-se e começa a andar pela garagem, lembra-se em Andréa.
3. Caminha até sua bateria, encerra a música coloca seu violão ao lado, olha ao redor mais uma vez, em seguida sai da garagem feliz.

Continua no Capítulo 53…

padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr

LEIA TAMBÉM