Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Capítulo 66 | Eu Vou Sobreviver – A Nossa Canção

Daqui seis meses…

[CENA 01 – CASA DE ALICE/ ESTÚDIO/ TARDE]
(Éster mantem a calma, respira fundo, olha para Alice)
ÉSTER – Nós não éramos amigas. A Alice nos queria por perto apenas para que aumentássemos o seu ego. Que fossemos capachos dela. A bajulando, dizendo o quanto ela é isso, o quanto é aquilo. (a Thalita) Sempre deveríamos fazer o que ela mandava. Sempre deveríamos vestir o que ela pedia. Tudo que fazíamos, tinha que ser aprovado por ela. Hoje não… agora sim eu posso fazer o que eu quero e quando eu quero. Sou livre dessa sua influência.
ALICE – Você está certa. Eu realmente era assim. Gostava de ver as pessoas me admirando. E realmente queria que vocês seguissem tudo o que eu usava.
ÉSTER – Estão vendo só?!
ALICE – E é por isso que eu estou pedindo perdão a vocês. Eu fiz muita besteira no passado, especialmente a você Manu. Felizmente a gente já se acertou, e agora eu quero me acertar com vocês meninas.
THALITA – (se aproxima de Éster) Eu sei o que passamos com a Alice, mas no fundo eu gostava. Querendo ou não, sempre íamos para as melhores festas, usávamos as melhores roupas, calçados, bolsas…
ÉSTER – Você era facilmente comprada, Thalita… ainda é, na verdade.
THALITA – Quem não gosta de coisas boas, ué? Mas o fato aqui é que você também gostava. (olha para Alice) Pode dizer o que quiser, mas quando estávamos juntas, sempre nos divertíamos. Então, agora que você disse tudo que tinha pra dizer, que tal aceitar o pedido de desculpas dela e voltarmos a comer estes lanchinhos deliciosos que a vó da Alice preparou pra gente. (caminha até a bandeja, pega outro sanduíche)
MANUELA – (se aproxima de Éster) Eu concordo com a Thalita. (a empurra até Alice) Chega de ficar guardando tanto rancor assim, isso não faz bem para ninguém.
ÉSTER – (as duas se entreolham, está pensativa) Está bem. Mas não pense que iremos voltar a fazer tudo que você quer, a qualquer hora do dia.
ALICE – (sorri) Ainda não acredita que eu mudei, né?
ÉSTER – Pessoas não ficam boas assim da noite para o dia.
ALICE – Talvez. (ri) Então, você me perdoa?
ÉSTER – (olha para Manuela, em seguida para Thalita) Já que as meninas decidiram passar um pano em tudo…
ALICE – (a interrompe) Eu não quero que você siga o que as meninas decidiram. Eu quero que seu perdão seja sincero, que ele venha do seu coração.
ÉSTER – (desvia a atenção para Thalita) Sendo assim… não! Eu ainda não posso aceitar seu pedido de desculpa.
ALICE – (recua) É essa sinceridade que eu quero.
ÉSTER – E estou sendo!
ALICE – Eu sei, por isso que eu aceito. (sorri, empurra a cadeira até o painel de som)
THALITA – Ainda podemos comer os sanduíches?
ALICE – Claro que podem. Pedi que preparassem para vocês.
THALITA – Ótimo. (pega mais outro sanduíche. Manuela volta para sua cadeira, Éster continua em pé, olha para Alice)
ÉSTER – Então… tudo bem sem o meu perdão?
ALICE – (vira-se) Sim. Eu vou mostrar para você que mudei! (sorri) E quando você se sentir à vontade para me perdoar, estarei aqui esperando. (vira-se para o painel)

Alguns dias depois…

[CENA 02 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ CORREDORES/ DIA]
(é véspera do musical e último dia de aula, Maya e Pedro caminham pelo os corredores)
MAYA – Sobrevivemos ao nosso primeiro semestre! Passou rápido, confesso.
PEDRO – É… realmente passou.
MAYA – Vai para o Brasil também?
PEDRO – Não, bem que eu queria, mas a minha tia irá passar as férias dela aqui.
MAYA – Lamento por você.
PEDRO – Por mim tá tudo bem… gosto de Nova York. Meio que já me acostumei com este ritmo acelerado dela.
MAYA – Vai dizer que não está sentindo falta da sua casa?
PEDRO – É lógico que estou. Porém, Nova York acabou se tornando o meu segundo lar.
MAYA – Ih, acho que você se deixou afetar pelo o estilo nova iorquino. (Samuka e Mônica vem em direção até eles)
SAMUKA – Elizabeth quer falar com você!
PEDRO – Comigo?
MÔNICA – Ela costuma falar com todos os alunos que vão participar do musical, relaxa que não é nada demais.
PEDRO – Está bem. (a Maya) A gente se ver na sala.
MAYA – Ok. (Pedro caminha até a sala de Elizabeth, seus amigos o observam)

Agora…

[CENA 03 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO (ao vivo)/ PALCO/ NOITE]
(Lauro olha para os jurados, enquanto os votos são contabilizados)
LAURO – Querem dar algum palpite meus amigos?
LÉO – Difícil, Lauro… eu mesmo se fosse para votar hoje, não sei se conseguiria decidir assim tão fácil.
VALÉRIA – Iriamos extrapolar o tempo do programa para chegar a uma escolha.
LÉO – Com certeza.
LAURO – E você, Igor? Também teria dificuldade em quem escolheria hoje?
IGOR – Teria. Acho que a única certeza que eu iria ter, seria em quem não votar. (olha para Amanda) Eu não sei se é verdade o que foi falado naquele vídeo, mas hoje você Amanda, decepcionou muita gente. (os demais jurados também olham com desaprovação a ela)
VALÉRIA – E o engraçado, é que sendo verdade ou não, você é uma boa cantora. Não entendemos o porquê de ter inventando uma história dessa.
IGOR – Se realmente essa história de doença for tudo uma farsa criada por você, aproveite este momento que estamos em rede nacional, para se desculpar com todos que torceram e acreditaram em você ao longo da competição. (Amanda repara os olhares de todos, fica constrangida. Pensa em contar toda a verdade, olha para sua mãe)
LAURO – (sério) Este é o momento da verdade, Amanda. Seja sincera com você e com todos.
AMANDA – (o observa, sente vontade de chorar) Eu… (abaixa a cabeça) É tudo mentira. Eu realmente tive uma doença rara no coração… (ergue a cabeça) …e fui curada por Deus. Eu tenho todos os exames, tenho como provar.
LAURO – (olha para a assistente indo até ele, recebe o resultado) Muito bem… tenho aqui em minhas mãos, o resultado do público. (o guarda em seu peito) Antes, vamos ouvir o que nossos finalistas têm a dizer? (olha para Larissa) O que acharam desta noite?
LARISSA – Nossa… essa noite foi mágica pra mim. Adorei participar do programa, Lauro… de cantar neste palco, de sentir essa sensação boa. (olha para Otávio) Concorrer ao lado de pessoas tão boas, foi uma honra.
LAURO – E você Otávio? Tem algo a dizer?
OTÁVIO – Eu… eu sou grato apenas. Independente de quem ganhe hoje, estou feliz.
LAURO – Todos tem o direito a fala, então…. e você Amanda?
AMANDA – (a câmera) Eu queria dizer a todos aqueles que torceram por mim até aqui, eu estou falando a verdade. Não deixem de acreditar em mim. Quando me inscrevi no programa, o meu objetivo era levar a palavra de Deus para todas as pessoas e eu acho que consegui isso. Eu vou conseguir provar que estou falando a verdade e embora não ganhe o programa, continuarei levando a palavra do Senhor, para todo o lugar que eu vá.
LAURO – Muito bem, todos falaram… vamos ao resultado. (olha para a ficha, a coloca no peito novamente, faz um certo suspense) A decisão foi acirrada, hein. Vou dizer logo quem ficou em terceiro lugar. (Amanda abaixa a cabeça, cruza as mãos. Larissa e Otávio se aproximam um do outro) Com apenas 5,9 % dos votos, a terceira colocada é você, Amanda Carvalho! (quase ninguém a aplaude, Amanda esperava isso) Agora… (vira-se para Larissa e Otávio) …a decisão do público ficou entre vocês. (faz um suspense) A diferença foi mínima, isso mostra o quanto vocês realmente são bons. Parabéns aos dois! (olha para a ficha) Quem fica em segundo lugar, com 46,9 % dos votos é… Larissa Oliveira! Otávio é o novo campeão do Sua Canção! (Otávio não acredita que tenha ganhado, se solta da mão de Larissa, completamente surpreso. Ela, por sua vez, fica feliz com o amigo e o abraça. O pai dele se levanta da plateia completamente eufórico, assim como sua família) Parabéns, Otávio! Levará para casa 350 mil reais e um contrato de um ano com a gravadora. (caminha até ele e o abraça)
OTÁVIO – (emocionado) Eu… eu não sei o que dizer, só tenho a agradecer.
SAULO – (grita da plateia) Parabéns, meu filho! (Otávio se cala)
LAURO – Olha só… família comemorando ali. (olha para a câmera) E a nossa temporada vai ficando por aqui, pessoal. Gostaria de agradecer a companhia de vocês ao longo destes meses. Já fizeram seu vídeo pra gente? Lembrem-se que as inscrições vão até Janeiro, hein. (aos jurados) Obrigado meus amigos, a gente se ver na próxima temporada, se Deus quiser!
LÉO – Tchau, pessoal! Feliz natal e um próspero ano novo para todos.
VALÉRIA – Tchau… boas festas!
IGOR – Até a próxima, boas festas a todos!
LAURO – (vira-se para a plateia) Plateia!! (todos ficam de pé, batem palmas) Vocês são demais. (olha para a câmera) Até mais, pessoal. Desejo a todos um feliz Natal e ótimas festas de final de ano. Tchau! (a banda começa a tocar, os jurados levantam-se e caminham até Otávio, o parabenizam. O programa se encerra)

Amanhecendo…

[CENA 04 – CASA DE ALICE/ Q. DE ALICE/ DIA]
(Pedro entra no quarto da irmã, a encontra ainda na cama)
PEDRO – Ih, a madame ainda não se levantou?
ALICE – (ri) Madame é?
PEDRO – É… pra tá nesse horário ainda na cama. (senta-se)
ALICE – Eu só não estou com vontade de ir para a fisioterapia hoje.
PEDRO – Por quê?
ALICE – Só não quero ir.
PEDRO – Já sei… você tá assim só porque perdeu a aposta de ontem e vai ter que cantar uma música brasileira pra mim. (Alice ri) Eu ia sugerir uma, mas como estou vendo que você ficou desse jeito, acho melhor deixar com você.
ALICE – O seu candidato só ganhou, porque as pessoas tinham pena dele.
PEDRO – Sabe que não é verdade. A competição foi acirrada entre os dois, a diferença foi apenas de um ponto.
ALICE – E mesmo assim, eu não tenho medo de cantar. Pode vir, diga qual é a sua sugestão, que eu irei cantá-la. (Pedro sorri)
PEDRO – Se você está dizendo. (fica de pé) Mas antes, levante dessa cama, se arrume que você tem uma sessão de fisioterapia marcada.

[CENA 05 – LANCHONETE DO IVO/ DIA]
(Ramon está sendo atendido por Andréa, que se adaptou ao seu primeiro emprego)
ANDRÉA – (coloca os pedidos dele na mesa) Aqui está, o que você pediu!
RAMON – Cadê meu sorvete?
ANDRÉA – Que sorvete?
RAMON – Ué, o meu sorvete de morango. Como pode uma garçonete esquecer o pedido do cliente dessa maneira. Vou contar para o seu gerente, viu.
ANDRÉA – (o soca de leve) Sem graça. Agora deixa eu ir, tem outras mesas me chamando. (saí da mesa)
RAMON – (esfrega o braço que foi agredido) Além de esquecer os pedidos, ainda agride os clientes. (ri, com provocação. Ivo senta-se junto dele)
IVO – Não provoca minha funcionária, Ramon.
RAMON – (ri) É engraçado o jeito que ela fica, Ivo.
IVO – Bem, vamos conversar sobre os shows.
RAMON – Chega logo Janeiro… quero cantar. E o pessoal da gravadora?
IVO – Como você sugeriu, também iremos gravas as músicas da banda no próximo mês.
RAMON – Isso. (olha para Andréa) Quero aproveitar essas últimas semanas do ano.
IVO – Vocês ainda vão precisar da lanchonete para a festa de despedida do Pedro?
RAMON – Vamos sim… ele não pode saber de nada, viu. Ele disse que vai passar as festas de fim de ano com a família, então não o veremos por um tempo.
IVO – A lanchonete é toda de vocês. Para o que precisarem, é só falar.

[CENA 06 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ DIA]
(Larissa entra no salão, é aplaudida por Nathaniel e algumas meninas que estavam ali trabalhando)
NATHANIEL – A nossa campeã!
LARISSA – Obrigada gente, mas vocês sabem que eu não ganhei.
NATHANIEL – Pra gente você ganhou sim. (a abraça) Embora, também estamos felizes com o Otávio.
IONE – E agora, quais serão seus planos Larissa?
LARISSA – Não sei… confesso que esperava ganhar o programa. Agora me resta esperar que a visibilidade que eu tive, alguma gravadora queira entrar em contato comigo.
NATHANIEL – (caminha até o bar) Eu fosse você, atenderia o celular. (o celular de Larissa toca, Nathaniel segue para o bar com um leve sorriso no rosto)
LARISSA – (a Ione) Como ele sabia?
IONE – Tá esperando o que, ué? Atende!
LARISSA – Alô? Sim, é ela…

[CENA 07 – CEMITÉRIO SANTA CECÍLIA/ DIA]
(Otávio teve o dia de folga por ter ganhado o programa, ele aproveitou então e quis visitar o túmulo de sua mãe)
OTÁVIO – (feliz) Oi, mãe! Eu ganhei o programa de música! Eu ganhei pela a senhora. (Eduardo está logo atrás dele, sorri) Queria tanto que a senhora estivesse aqui, dividindo este momento comigo. Só que eu estou bem, estou feliz, tenho amigos… (ri) O Eduardo vai me levar para a gravadora agora, em seguida iremos para o programa receber o prêmio. (fica sério) Não se preocupa, não irei deixar que ele (Saulo) toque neste dinheiro e nem que se aproxime de mim. (toca no túmulo por alguns segundos) Tchau, mãe. (vira-se para Eduardo)
EDUARDO – Já?
OTÁVIO – Já. Temos que tratar de negócios agora. (sorri, segura no ombro dele e os dois vão embora do cemitério)

Anoitecendo…

[CENA 08 – CASA DELLE ROSE/ QUARTO/ NOITE]
(Dácio está sentado na cama, espera Daniel se arrumar)
DANIEL – (em frente ao espelho) Você devia ter me contado que iria fazer aquilo ontem.
DÁCIO – Se eu tivesse contando, você teria me impedido.
DANIEL – Não teria não. (se aproxima dele) Se realmente a Amanda estava mentindo, lógico que eu iria te ajudar a desmascará-la.
DÁCIO – (pega o celular) Até agora ela ainda não mostrou nenhuma prova de sua doença. Nem os tais exames que ela disse que tem.
DANIEL – Realmente, as pessoas enganam muito. Como uma garota como a Amanda, manteve essa mentira por tanto tempo.
DÁCIO – Convenhamos que ninguém quis pesquisar, né? Ela simplesmente falou isso e todo mundo acreditou. Ninguém foi atrás do tal médico ou do hospital, nada…
DANIEL – Como você chegou aquela médico?
DÁCIO – Eu fiz uma busca na internet, e ele foi um único na cidade que é dessa área. Eu mostrei o vídeo que a Amanda cita ele, e na hora ele disse que não a conhecia. O resto, só foi ir mais afundo na rede, que encontrei a verdade.
DANIEL – (se aproxima dele) E como você invadiu o programa daquele jeito?
DÁCIO – Aquilo ali foi fácil. Fiz uma vez no ano passado, a segunda foi de boa.
DANIEL – (ri) Que namorado hacker que eu tenho. (o beija) Vamos? Acho que a casa já abriu.
DÁCIO – (levanta-se, segura na mão dele) Vamos. (os dois saem do quarto)

[CENA 09 – CASA DE ALICE/ ESTÚDIO/ NOITE]
(Pedro está lendo algumas letras de música que Alice compôs, ela apenas o observa)
PEDRO – Suas músicas são ótimas. Realmente, se eu tivesse perdido, nem sei por onde começaria uma música.
ALICE – Compor música não é nenhum bicho de sete cabeça. (pega o caderno da mão dele) Geralmente, eu apenas pego o que estou sentindo naquele momento, e coloco nesses trechos.
PEDRO – Falando assim parece ser fácil.
ALICE – Vai dizer que você não lembra daquela música que a gente compôs?
PEDRO – Claro que lembro. Na verdade, nunca mais a ouvi. Você a tem aí ainda?
ALICE – Tenho todas as minhas músicas. (se aproxima do computador, faz uma breve busca) Aqui está. (entrega os fones para o irmão, Pedro o coloca, Alice solta a música)

[CENA 10 – CASA DE CAIO/ SALA/ NOITE]
(Caio está sentado no sofá, mexe no celular. Campainha toca, ele vai atender)
CAIO – (abre a porta) Boa noite.
ADRIANA – Oi, Caio! (sorri) Lembra-se de mim? (Caio a observa e nenhuma lembrança dela vinha a sua mente. Junior e Ana estão logo atrás dela)

[CENA 11 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ NOITE]
(o cabaré está cheio, foi anunciado que a noite seria especial, em comemoração à final do programa de música. Eduardo está sentado em uma mesa, junto com Ione e Salete. Dácio e Daniel estão no bar, junto com Gaspar e Nathaniel. A cortina do palco se abre, e nele está Larissa sentada em cima do piano, com as pernas cruzadas, Otávio começa a tocá-lo)

[CENA DE MÚSICA – I WILL SURVIVE (GLORIA GAYNOR)]

[LARISSA]
At first, I was afraid, I was petrified 1
Kept thinkin’ I could never live
Without you by my side
But then I spent so many nights
Thinkin’ how you did me wrong
And I grew strong
And I learned how to get along

And so you’re back from outer space 2
I just walked in to find you here
With that sad look upon your face
I should’ve changed that stupid lock
I should’ve made you leave your key
If I had known, for just one second
You’d be back to bother me

Well, now go! Walk out the door!
Just turn around now
‘Cause you’re not welcome anymore!
Weren’t you the one
Who tried to hurt me with goodbye?
Did you think I’d crumble?
Did you think I’d lay down and die?

Oh no, not I! I will survive! 3
Oh, as long as I know how to love
I know I’ll stay alive!
I’ve got all my life to live
I’ve got all my love to give
And I’ll survive! I will survive!
Hey, hey!

[OTÁVIO]
It took all the strength I had 4
Not to fall apart
And trying hard to mend the pieces
Of my broken heart

And I spent, oh, so many nights
Just feeling sorry for myself
I used to cry
But now I hold my head up high!

[LARISSA]
And you’ll see me, somebody new 5
I’m not that chained up little person
Still in love with you

And so you felt like droppin’ in
And just expect me to be free
But now I’m savin’ all my lovin’
For someone who’s lovin’ me!

[OTÁVIO]
Go on now! Go! Walk out the door! 6
Just turn around now!
‘Cause you’re not welcome anymore!
Weren’t you the one
Who tried to break me with goodbye?
Did you think I’d crumble?
Did you think I’d lay down and die?

[LARISSA]
Oh no, not I! I will survive!
And as long as I know how to love
I know I’ll stay alive!
I’ve got all my life to live
I’ve got all my love to give
And I’ll survive! I will survive!
Oh

Go on now! Go! Walk out the door!
Just turn around now!
‘Cause you’re not welcome anymore!
Weren’t you the one
Who tried to break me with goodbye?
Did you think I’d crumble?
Did you think I’d lay down and die?

No, no, not I! I will survive!
And as long as I know how to love
I know I’ll stay alive!
And I’ve got all my life to live
And I’ve got all my love to give
And I’ll survive
I will survive!
I will survive!

1. Todos ficam eufóricos com a primeira nota da música, batem palmas. Larissa canta com os olhos fechados, e a cabeça erguida. Em um movimento sutil, troca a posição de suas pernas, ainda as deixando cruzadas.
2. Larissa abre os olhos, sorri e pula do piano, caminha pelo o palco. Todos entram no ritmo da música e dançam no salão. Algumas meninas sobem ao palco e dançam junto com ela. Ione é uma delas.
3. Gaspar se diverte no bar, uma garota o puxa para dançar. Nathaniel o observa e sorri. No palco, Larissa canta e dança sendo acompanhada pela as outras meninas.
4. Assim que Otávio começa a cantar, Ione vai até ele, se apoia no piano e o observa. Ele sorri ao reconhecer o perfume dela. Dácio e Daniel dançam juntos, divertidamente próximos ao palco, Salete os observa, sorri.
5. Durante a música, Larissa e Eduardo trocam olhares, embora ele esteja um pouco distante do palco. Gaspar volta para o bar, após ter se livrado da garota que o puxou. Nathaniel lhe entrega uma bebida, pois o amigo parece cansado.
6. Todos dançam alegremente, em uma típica noite do cabaré. Larissa encerra a música próxima as meninas, são aplaudidas. Elas agradecem e saem do palco. Ione pega na mão de Otávio e desce junto com ele.

[CENA 12 – CASA DE SAMUEL/ SALA/ NOITE]
(Samuel está sozinho, segura um porta-retrato de sua família. Campainha toca, se levanta, coloca o retrato na mesinha ao lado e caminha até a porta)
SAMUEL – Já vai. (a abre) Amanda! (tom sério) O que você quer? Veio contar algum outro falso milagre? (Amanda fica constrangida com a postura dele, abaixa a cabeça)

Continua no capítulo 67…

POSTADO POR

Anderson Silva

Anderson Silva

Um carinha qualquer apaixonado por música e contador de histórias. Atualmente é autor de A Nossa Canção.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo