Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Capítulo 72 | Chegaste – A Nossa Canção (Últimas Semanas)

[CENA 01 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ REITORIA/ TARDE]
(Arthur já imagina o motivo de Elizabeth tê-lo chamado ali. Depois que perdeu Elisa, a universidade era o que menos importava agora)
ARTHUR – Só diz onde eu devo assinar.
ELIZABETH – (pega um dos documentos que assinou, entrega a ele) Eu já assinei. (Arthur nem ler o papel, apenas o dobra e o guarda na sua mochila)
ARTHUR – (fica em pé) Posso ir embora?
ELIZABETH – Você é um cantor incrível, Arthur. Eu não entendo por que você fez isso?!
ARTHUR – Inveja. Raiva. Preciso dizer mais alguma coisa?
ELIZABETH – Tudo isso por causa de um papel! Eu cheguei a acreditar que você estava preparando para o mundo lá fora. Quando anunciei o resultado, esperava que você fosse gerar confusão, mas até que você se conteve.
ARTHUR – Iria adiantar alguma coisa? Pedro é o seu favorito.
ELIZABETH – Eu nunca disse que Pedro é o meu aluno favorito, até porque eu não tenho aluno favorito. Eu apenas gosto de dar oportunidade para aqueles que merecem. O mesmo eu fiz com você quando chegou aqui. O meu único receio é de ter me enganado tanto assim. Eu pensei que você estivesse pronto para o mercado, Arthur. Mas no primeiro momento que foi substituído por alguém, você chega a este ponto. Fico me perguntando e se fosse lá fora? Você também iria atirar em seu concorrente?
ARTHUR – Lá fora, a situação é completamente diferente!
ELIZABETH – Não, não é. A nossa proposta aqui além de ensinar música, é mostrar justamente um pequeno reflexo do que espera vocês lá fora. Veterano como você deveria ter isso em mente já. Você perderá papeis para pessoas bem mais talentosas e populares que você. A questão é saber como você agirá em situações assim. Ao menos, dentro da academia a gente já sabe como.
ARTHUR – (um pouco irritado) Já que não tenho mais nada para fazer aqui. (caminha até a porta)
ELIZABETH – (vira-se para o computador) Oportunidades fora daqui não faltariam a você, Arthur. E se você quer que elas continuem existindo, é bom refletir um pouco sobre as suas ações. (Arthur saí da sala)

[CENA 02 – HOSPITAL (NOVA YORK)/ QUARTO/ TARDE]
(após receber a notícia de que talvez nunca mais pudesse cantar, Pedro pediu que ficasse um tempo sozinho para descansar um pouco. Ele está sentado na cama, refletindo e lembrando de todas as músicas que já cantou até hoje. Sente um aperto no peito, ao imaginar que não teria mais está sensação)

Alguns dias depois…

(a banda Órbita Três tem feito sucesso por onde passa. Otávio e Larissa também, apesar dos poucos shows que realizam. Pedro tem se sentido melhor, então foi liberado e voltou para o apartamento. Samuka, Elisa e Mônica viajaram para o Brasil, para aproveitarem o resto das férias e visitarem seus parentes. Embora Pedro não tenha feito uma denúncia contra Arthur, as provas e a própria confissão dele, o levaram a ser indiciado por crime doloso. Ele ficou em Nova York, e aguarda seu caso ser julgado em liberdade. Felipe e Alice voltaram para o Rio de Janeiro, ela por sua vez, voltou a cuidar do seu projeto. O dia do casamento entre Horácio e Salete finalmente chegou. Os dois já são casados na igreja e optaram por uma cerimônia simples no civil. Após o casório e Ione ter pegado o buquê, a festa continuou no Delle Rose)

[CENA 03 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ NOITE]
(os recém-casados estão dançando no meio do salão, junto com Larissa e Eduardo, Ione e Otávio)
EDUARDO – (dança com Larissa) Quem sabe o próximo não será o nosso?!
LARISSA – E quem disse que eu quero me casar?
EDUARDO – (se afasta um pouco) Ah, é? Quer dizer que estou sendo iludido esse tempo todo?! (ri)
LARISSA – Talvez!
OTÁVIO – (ao lado deles) Quando vamos marcar a data do nosso?
IONE – Quando você quiser, bebê!
OTÁVIO – Sério?
IONE – (se aproxima dele) Eu não sou mulher de brincadeiras! (o beija. Após alguns minutos de dança, Larissa e Otávio sobem ao palco, decidem cantar para o casal)
LARISSA – (observa Salete e Horácio abraçados, próximos ao palco) Que casal lindo, gente! É em nome desse amor, que iremos cantar está música. (olha para Otávio, que começa a tocar o violão)

[CENA DE MÚSICA – CHEGASTE (ROBERTO CARLOS part. JENNIFER LOPES)]

[OTÁVIO]
Tanto tempo já vai caminhando 1
E ainda me pego recordando

[LARISSA]
Lágrimas rolaram dos meus olhos
Enxuguei mais de uma vez

[OTÁVIO]
Tenho algumas marcas que ficaram
Em meu sorriso nesses anos

[LARISSA]
E também lembranças tão bonitas
Que o tempo não desfez

[LARISSA E OTÁVIO]
Quem diria que você viria sem dizer que vinha? 2

[OTÁVIO]
Porque nunca é tarde
Para apaixonar-se

[LARISSA E OTÁVIO]
Chegaste 3
Senti na minha boca um: Te quero
Como um doce com caramelo

[LARISSA]
Necessitava um amor sincero

[LARISSA E OTÁVIO]
Chegaste
E ouvi da tua boca um: Te quero
Pra se apaixonar, sempre é tempo

[OTÁVIO]
Necessitava um amor sincero

[LARISSA]
E agora que eu conheço os caminhos 4
Que me levam pros seus braços

[OTÁVIO]
Agora que o silêncio é uma carícia
Que a felicidade traz

[LARISSA]
Você e o seu sorriso iluminam minha vida
E meus espaços

[OTÁVIO]
E chega me dizendo num sorriso
Não me deixe nunca mais

[LARISSA E OTÁVIO]
Quem diria que você viria sem dizer que vinha? 5
Porque nunca é tarde
Para apaixonar-se

Chegaste
Senti na minha boca um: Te quero
Como um doce com caramelo

[OTÁVIO]
Necessitava um amor sincero

[LARISSA E OTÁVIO]
Chegaste
E ouvi da tua boca um: Te quero
Pra se apaixonar, sempre é tempo

[LARISSA]
Necessitava um amor sincero

[LARISSA E OTÁVIO]
Quem diria que você viria sem dizer que vinha?

[OTÁVIO]
Porque nunca é tarde
Para apaixonar-se

[OTÁVIO E LARISSA]
Chegaste 6
Senti na minha boca um: Te quero
Como um doce com caramelo
Necessitava um amor sincero
Chegaste
E ouvi da tua boca um: Te quero
Pra se apaixonar, sempre é tempo
Necessitava um amor, um amor

Chegaste
Senti na minha boca um: Te quero
Como um doce com caramelo
Necessitava um amor sincero

1. Larissa retira o suporte do microfone da frente e o coloca ao lado. Se aproxima de Otávio, o observa a cantar, sorri. Horácio e Salete se entreolham, ele a puxa para dançar.
2. Larissa se apoia no ombro de Otávio, os dois cantam bem próximos. Dácio e Daniel estão próximo ao bar, se entreolham.
3. Ione e Eduardo estão de frente ao palco, logo atrás deles estão Horácio e Salete dançando junto com alguns outros casais. Larissa se afasta de Otávio, caminha um pouco pelo o palco. Otávio continua tocando e cantando no mesmo lugar.
4. Eduardo troca olhares com Larissa, em seguida, ela volta para perto de seu parceiro de dueto, se apoia novamente no ombro dele.
5. Dácio e Daniel saem por um breve momento do salão, vão em direção aos quartos. Ione se aproxima de Eduardo e diz:

IONE – Temos sorte de tê-los, não é?! (Eduardo sorri e confirma com a cabeça)

6. Larissa se afasta de seu parceiro, volta para a sua posição inicial. Os dois encerram a música, Salete e Horácio se aproximam do palco e os aplaudem. Pessoal pedem mais uma.

[CENA 04 – APARTAMENTO DE ARTHUR (NOVA YORK)/ Q. DE PEDRO/ NOITE]
(Pedro está sentado na cama, conversa com Alice por vídeo chamada)
PEDRO – Você está sendo muito exigente, pedindo um auditório deste tamanho.
ALICE (por vídeo) – Nada, só quero um espaço adequado para as crianças mostrarem o número delas.
PEDRO – E vai ter números?
ALICE (por vídeo) – Claro. Andei pensando e a única forma de atrairmos mais pessoas para ajudar e apoiar este projeto, seria fazer apresentações para o público, pelo menos uma ou duas vezes por ano.
PEDRO – Sim, é interessante!
ALICE (por vídeo) – Creio que em alguns meses, tudo estará pronto. E você, como está?
PEDRO – Estou bem. Tenho usado a bombinha, sempre que as crises de ar vêm! (a exibe em frente ao computador, ri) Ela se tornou minha companheira.
ALICE (por vídeo) – E pensou o que vai fazer daqui pra frente?
PEDRO – (seu rosto fica sério por um momento) Estou a ver isso ainda. Amanhã vou até a universidade. Decidi trancar o curso de música!

[CENA 05 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ NOITE]
(os casais voltaram a ocupar o salão, dessa vez Eduardo e Larissa estão no palco, Otávio está no piano)

[CENA DE MÚSICA – WE’VE GOT TONIGHT (KENNY ROGERS & SHEENA EASTON)]

[EDUARDO]
I know it’s late 1
I know you’re weary
I know your plans don’t include me
Still here we are
Both of us lonely

Longing for shelter from all that we see
Why should we worry?
No one will care, girl
Look at the stars now, so far away

We’ve got tonight
Who needs tomorrow?
We’ve got tonight, babe, why don’t you stay?

[LARISSA]
Deep in my soul 2
I’ve been so lonely
All of my hopes fading away
I’ve longed for love
Like everyone else does
I know I’ll keep searching after today

[EDUARDO]
So there it is, girl 3
We’ve got it all now

[LARISSA]
And here we are, babe
What do you say?

[LARISSA E EDUARDO]
We’ve got tonight 4
Who needs tomorrow?
We’ve got tonight, babe, why don’t we stay?

[EDUARDO]
I know it’s late and I know you’re weary
I know your plans don’t include me

[LARISSA]
Still here we are

[LARISSA E EDUARDO]
Both of us lonely , both of us lonely 5

We’ve got tonight
Who needs tomorrow?
Let’s make it last
Let’s find a way
Turn out the light, come take my hand now
We’ve got tonight, babe, why don’t we stay?
We’ve got tonight, babe, why don’t we stay?

1. Eduardo e Larissa estão um de frente para o outro. Aos poucos, ele se aproxima dela e segura a sua mão.
2. Salete e Horácio estão sentados em uma mesa de mãos dadas, observam o casal cantando. Ione sobe até o palco, se apoia no piano e admira Otávio tocar. Ele sente a presença dela a sua frente, sorri.
3. Dácio e Daniel voltam para o salão de mãos dadas. Caminham até o bar, sentam-se e prestam atenção no palco.
4. Eduardo e Larissa continuam de mãos dadas, cantam como se só tivessem os dois ali.
5. No trecho final da música, os dois vão se aproximando um do outro. Encerram a apresentação e estão bem próximo de se beijarem. Ao receber os aplausos, se lembram da plateia que os assistiam, se separam um pouco envergonhados e agradecem. Ione por sua vez, se senta ao lado de Otávio e o beija.

[CENA 06 – LANCHONETE DO IVO/ NOITE]
(Andréa deixa os pedidos em uma mesa, em seguida vai até o balcão. Observa a movimentação baixa da lanchonete)
ANDRÉA – É impressão minha ou a movimentação nos últimos dias têm diminuído?!
RITA – Não é impressão sua. Realmente, o fluxo aqui diminuiu. Querendo ou não, meu irmão é a alma desta lanchonete. A simpatia dele, o seu carisma e o jeito que trata todos, é o que mantêm o público.
ANDRÉA – Quando eles irão voltar, hein?
RITA – Meu irmão disse que eles irão passar por mais duas cidades e voltarão para o Rio.
ANDRÉA – (uma mesa a chama) Espero que voltem logo. Querendo ou não, eles fazem falta aqui. Isso nunca saiu da minha boca, viu?! (Rita ri)
RITA – Eu também não sou muito de assumir isso, mas você tem razão. (Andréa vai atender a mesa, Rita a observa)

[CENA 07 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ NOITE]
(Salete e Horácio estão se despedindo do pessoal)
DÁCIO – (se aproxima) Vocês já vão? (Daniel está ao lado dele)
HORÁCIO – Temos um compromisso marcado agora.
SALETE – Só vou me despedir das meninas e já vamos, amor.
HORÁCIO – Tá, bem. (Salete se afasta, vai até Larissa do outro lado do salão) Você vai ficar bem morando esses três meses com a sua tia e sua prima?
DÁCIO – Vou sim. Até porque, quase não tenho parado em casa, desde que entrei pra faculdade.
HORÁCIO – (a Daniel) E como está seu pai? Ele realmente mudou…
DANIEL – Aparentemente, sim. Pelo menos a minha relação com o Dácio, ele tem aceitado tranquilo.
HORÁCIO – Eu confesso que cheguei a pensar que o seu pai nunca fosse mudar. Pelo o visto, estava enganado. Mas saibam, mesmo estando fora por um tempo, se qualquer coisa acontecer, é só me ligarem. Está bem?
DÁCIO – Ok, pai!
DANIEL – Ok. (os três olham em direção a Salete)
LARISSA – Aproveite a viagem, querida. Não se preocupa, que cuidaremos bem do Delle Rose.
SALETE – Eu sei. Não vou poder me despedir de todas, mas enviarei fotos dos lugares que passaremos.
IONE – Quando eu me casar, quero que a minha lua de mel seja tão longa quanto a sua, Salete.
OTÁVIO – (ao lado dela) Podemos providenciar isso. (sorri)
SALETE – (olha para todos, sente falta de alguém) Que sensação estranha. É como se faltasse alguém aqui.
IONE – Está todo mundo aqui, Salete. (Larissa tem a mesma sensação)
SALETE – Verdade, todos os mais próximos vieram para a festa. (abraça um a um) Aproveitem o finalzinho, pessoal. Comportem-se, viu?! Qualquer coisa, é só mandar mensagem.
LARISSA – Pode deixar. Divirta-se, querida.
IONE – Aproveite bem! (Salete volta para perto de Horácio e o filho. Lá os dois se despendem e vão embora.)

Amanhecendo…

[CENA 08 – APARTAMENTO DE ARTHUR (NOVA YORK)/ COZINHA/ DIA]
(Pedro entra na cozinha, Paula está terminando de preparar o café)
PEDRO – Bom dia, tia.
PAULA – Bom dia!
PEDRO – (senta-se) Eu vou hoje lá na universidade. A senhora quer vir comigo?
PAULA – Quero sim. Você está se sentindo bem mesmo?
PEDRO – Estou, sim.
PAULA – Depois então poderíamos conhecer um pouco Nova York. Se você realmente estiver se sentindo melhor.
PEDRO – (ri) A gente faz um pequeno tour pela cidade, tia!
PAULA – (comemora) Ótimo! Então vou me arrumar um pouquinho e vamos dar uma volta. (deixa a garrafa de café sobre a mesa e saí da cozinha apressada, Pedro sorri com a empolgação de sua tia)

[CENA 09 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ CORREDORES/ DIA]
(Pedro e Paula estão caminhando pelo os corredores da universidade. Como estão em período de férias, o ambiente está em silêncio)
PAULA – Aqui é bonito, né?!
PEDRO – Sim, muito. (conforme caminha, se lembra do que viveu ali nos últimos meses)
PAULA – A gente pode ir ver o auditório? (Pedro caminha em direção ao mural de informação da universidade, parece que não escutou a pergunta de sua tia. Paula o observa)
PEDRO – (para em frente ao mural, observa a lista de melhores cantores do semestre, seu nome está na primeira posição) Pedro Rodrigues, primeiro colocado. (Paula se aproxima dele, ver a lista)
PAULA – Que lista é essa? (ver o nome dele em primeiro) É a lista dos melhores alunos?
PEDRO – É, sim. (o aperto em seu peito volta) Vamos, tia. (segue o seu caminho em direção a reitoria)
PAULA – (observa algumas outras informações, depois vai atrás de Pedro) Espera, querido. (brinca) Sou capaz de me perder, nesse lugar tão grande.

[CENA 10 – CASA DE ALICE/ ESTÚDIO/ DIA]
(Elisa e Alice estão tratando sobre alguns assuntos da instituição de música. Após conhecer sobre o projeto da irmã de Pedro, ela se interessou e se candidatou em ajudar)
ELISA – Eu achei interessante, confesso. Tenho planos em abrir um colégio de música após a graduação. E o que você está fazendo, é bem parecido com o que eu tenho em mente.
ALICE – É, no meu caso a instituição será voltado mais para crianças com necessidades. Porém, creio que não terá problema algum ampliar isso e receber outras crianças.
ELISA – Até porque, creio eu que o objetivo é levar música para as crianças, independente de como elas sejam.
ALICE – Sim.
ELISA – Como tá a sua equipe de professores?
ALICE – Confesso que baixa. Com você, acho que tenho confirmado outros dois apenas.
ELISA – Se você quiser, eu posso convidar alguns amigos meus de turma. Só não sei a disponibilidade deles de virem para cá. Até porque, a maioria mora em Nova York.
ALICE – Eu andei pensando em fazer alguns encontros por meio de plataformas digitais, sabe?! Tirar proveito da internet e das inúmeras plataformas existentes por aí. Tenho alguns conhecidos que são de outros estados, pensei que eles poderiam mostrar algo que sabem, mesmo à distância.
ELISA – É, isso pode funcionar.
ALICE – Acabei de lembrar que preciso ligar para alguém. (pega seu celular e faz uma ligação)

[CENA 11 – CASA DE OTÁVIO/ SALA/ DIA]
(Otávio e Eduardo estão tirando a poeira da casa, já que ela ficou fechada durante as semanas que eles passaram em viagem)
EDUARDO – (tosse) Eu sei que conversamos isso uma vez, mas eu acho que a ideia de contratarmos alguém para dar uma limpeza pela menos uma vez por semana, até que não é uma má ideia.
OTÁVIO – Eu disse pra você que isso seria bom. Ainda mais, quando ficamos tanto tempo assim fora.
EDUARDO – (tira a poeira das almofadas do sofá, tosse) Você tem razão. Vou fazer uma busca na internet e vou ver se acho algum anúncio de alguma diarista. (celular de Otávio toca)
OTÁVIO – (deixa o pano de lado, atende) Alô? (fica surpreso quando a pessoa do outro lado se apresenta) Alice Almeida?!
ALICE (por telefone) – Está ocupado no momento? É que tenho uma proposta a te fazer. Será que podemos conversar? (Otávio fica em silêncio, olha em direção a Eduardo, que também parece surpreso com a ligação dela)

[CENA 12 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ REITORIA/ DIA]
(Elizabeth está digitando algo em seu computador, Pedro bate na porta, a abre)
PEDRO – Oi, licença Elizabeth. A senhora tem um minuto?
ELIZABETH – Oi, Pedro. Entre, por favor. (Pedro e Paula entram)
PAULA – Oi! (os dois sentam-se)
PEDRO – Essa é a minha tia Paula!
ELIZABETH – (fica de frente a eles) É um prazer conhecê-la, Paula.
PAULA – O prazer é meu. A senhora é tão linda.
ELIZABETH – Obrigada. (observa Pedro) Mas então… o que veio fazer aqui?
PEDRO – Acho que a senhora sabe o que eu vim fazer aqui. (abaixa um pouco a cabeça, a observa em seguida) Eu vim solicitar a minha desistência do curso! (diz com o aperto no peito o incomodando, Elizabeth apenas o observa)

Continua no capítulo 73…

POSTADO POR

Anderson Silva

Anderson Silva

Um carinha qualquer apaixonado por música e contador de histórias. Atualmente é autor de A Nossa Canção.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo