Capítulo 73 | Tudo Que Eu Quero de Natal É Você – Sua Canção (últimos capítulos)

Anoitecendo…

[CENA 01 – SÍTIO DE FREDERICO (MINAS)/ SALA/ NOITE]
(Pedro vem descendo as escadas junto com Miguel, Frederico está na sala, tentando falar com a Paula)
FREDERICO – (desliga o celular e se aproxima de Pedro) Então, ela melhorou?
MIGUEL – Sim. Ela continua sentindo dor de cabeça, mas a tontura passou.
PEDRO – Conseguiu falar com a Paula, vô?
FREDERICO – Não. Começo a ficar preocupado também.
MIGUEL – Realmente está estranho. A Paula já era para ter ligado, dado alguma notícia.
PEDRO – Será que aquele cara está com ela?
FREDERICO – Vamos torcer para que não, Pedro. Se ao menos tivéssemos o número da mulher que ela iria ajudar.
PEDRO – Mamãe talvez deva ter.
FREDERICO – Amanhã, quando ela tiver melhor irei ver. Vou ligar para o Junior, talvez ele saiba de alguma coisa.

[CENA 02 – CASA ABANDONADA/ SALA – QUARTO/ NOITE]
(Flávio está falando com alguém ao telefone, desliga, e vai até o quarto onde Paula e Laura estão)
FLÁVIO – (entrando) Tudo certo. Em poucos dias vamos sair dessa cidade.
PAULA – Como assim sair dessa cidade?
FLÁVIO – Vamos embora. Seremos uma família, longe dessa cidade.
PAULA – Você será pego antes!
FLÁVIO – É o que veremos. Bem, vou trazer comida pra gente. Sem gracinha nenhuma das duas, hein. (sai do quarto, Laura que estava sentada ao lado de Paula, a abraça)
PAULA – Não se preocupa querida, eu vou encontrar uma forma da gente fugir daqui. (faz carinho na cabeça de Laura)

[CENA 03 – HOSPITAL/ Q. DE LETÍCIA/ NOITE]
(Letícia está sentada em sua cama, ouvindo as músicas, Eduardo entra no quarto)
LETÍCIA – (retirando o fone, sorri para Eduardo) Oi!
EDUARDO – Oi! (se aproxima dela e a beija) Como estar?
LETÍCIA – Bem, estava ouvindo as músicas para a final.
EDUARDO – Posso ver? Melhor não, na verdade… (senta-se ao lado dela) …quero que seja surpresa também. Quero ouvi-las, junto com o Brasil.
LETÍCIA – Junto com o Brasil?
EDUARDO – É, ué… essa final vai ser vista pelo o Brasil inteiro, tenho certeza. Vai ser épico.
LETÍCIA – Confesso que estou nervosa. Sei lá, sei que não vou está no palco no dia, mas… é um carinho enorme que o público vem passando, tenho medo de decepcioná-los. Decepcionar minha irmã.
EDUARDO – (segura as mãos dela) Vai dá tudo certo, você vai arrasar, vai ganhar este programa, e estarei aqui, para comemorar junto com você. (os dois se olham por alguns segundos, Eduardo faz carinho nas mãos dela. Nathaniel e Gaspar aparecem no fundo do quarto, e os observam)
GASPAR – Tá chegando a hora!
NATHANIEL – (sério) Eu sei.
GASPAR – E você ainda não viu a sua próxima missão.
NATHANIEL – Verei assim que eu cumprir a minha com a Letícia.
GASPAR – Está bem! Também tenho que me preparar.
NATHANIEL – Por quê? Vai trocar de protegidos também?
GASPAR – Não. Ainda contínuo de olho nos meus. É que vai acontecer umas coisas ruins na vida de um dos meus protegidos, ele vai precisar de mim ao seu lado.
NATHANIEL – Coisas ruins pra gente é… (não termina, mas Gaspar entendeu) Enfim, seja o que for que vai acontecer, espero que seu protegido seja forte.
GASPAR – Ele será!

[CENA 04 – CASA DE ALICE/ Q. DE ALICE/ NOITE]
(Alice está deitada em sua cama, postando alguns trechos de músicas em sua rede social, intrigando seus seguidores)
ALICE – (gravando um story) Talvez eu cante essa! Tem uma linda melodia, é popular. Enfim, mandei as sugestões para vocês. Quem será que arrisca um palpite de quais músicas irei cantar? Quero só ver quem vai acertar! (encerra e publica, Felipe entra no quarto em seguida)
FELIPE – Ocupada?
ALICE – Não. Estou vendo se meus seguidores adivinham quais serão as músicas que irei cantar no programa.
FELIPE – Eu posso saber quais são?
ALICE – Claro, a playlist tá salva no meu computador. (levanta da cama, e caminha até a mesa do quarto)
FELIPE – Outra hora eu ouço, filha. Sua mãe falou com você?
ALICE – Não. Por que ela falaria?
FELIPE – Ela vai viajar amanhã.
ALICE – (volta para a cama) Pensei que ela já tivesse viajado. Nunca mais tive notícia dela.
FELIPE – É, a Luana nunca foi uma mãe presente. Mas enfim, imaginei que você talvez precisasse saber. Sei lá, se despedir dela.
ALICE – Tá, vou mandar uma mensagem para ela. Só que, se ela realmente quisesse se despedir, ela mesma me procuraria.
FELIPE – A Luana te ama, está bem. Só que esse é o jeito dela de demostrar.
ALICE – Tá, pai. Pode deixar que vou mandar uma mensagem para ela.
FELIPE – Não esquece que daqui a pouco iremos jantar.
ALICE – Daqui a pouco eu desço. (foca-se em celular, Felipe não diz mais nada, olha ao redor do quarto e sai)

[CENA 05 – CASA DE LUANA/ Q. DE LUANA – SALA/ NOITE]
(Luana coloca sua mala ao lado de sua cama, senta-se e olha para seu guarda-roupa. Lembra-se de quando visitou o túmulo de sua filha pela primeira vez. Sorri ao fim de sua lembrança)
LUANA – Logo estarei de volta, filha. (Verônica entra no quarto)
VERÔNICA – Já arrumou sua mala! Vejo que está interessada mesmo nesta viagem.
LUANA – Preciso de umas férias, mamãe. Principalmente da senhora.
VERÔNICA – Seu namorado está lá embaixo!
LUANA – O Sérgio?
VERÔNICA – Tem outro por acaso? (Luana não responde, levanta da cama e sai do quarto)
[SALA]
LUANA – Não esperava você aqui.
SÉRGIO – Precisava garantir se você não iria desistir de última hora.
LUANA – Eu não vou desistir. Minha mala está pronta lá em cima.
SÉRGIO – Então posso passar amanhã aqui, que não correrei o risco de você me deixar viajar sozinho.
LUANA – Pode vim tranquilo. Vou estar te esperando. (Sérgio sorri, e se aproxima dela)
SÉRGIO – Não vejo a hora de estamos juntos. (a beija, Verônica que estava no começo da escada, observa a cena, com cara de desaprovação)

[CENA 06 – CASA DA ANA/ SALA/ NOITE]
(Ana está sentada na sala, tentando falar com Alan. Junior está na cozinha falando com Frederico, após encerrar a ligação retorna para a sala)
JUNIOR – Que situação, meu Deus. Frederico preocupado com o desaparecimento da Paula. A mãe do Alan me cobrando pelo o sumiço do Alan.
ANA – A do Alan, eu poderia ter evitado.
JUNIOR – Não se culpe por isso, filha. Você tentou e mesmo assim, ele sabe das escolhas que ele faz. Eu vou até a casa da Paula. Frederico tem medo de que o Flávio esteja relacionado com o sumiço dela. Assim como ele pegou a própria sobrinha.
ANA – Eu vou com o senhor.
JUNIOR – Não precisa, filha.
ANA – Eu quero. Ficar aqui sozinha, também não vai ajudar em nada.
JUNIOR – Está bem então. (Junior e Ana saem de casa)

[CENA 07 – CASA DE PAULA/ SALA – COZINHA/ NOITE]
(Junior tinha uma cópia da chave da casa da Paula, ele a abre e entra junto com Ana)
JUNIOR – (acendendo as luzes, repara ao redor) Parece que ela não chegou em casa. (caminha pela sala, ver se encontra alguma pista. Ana fica parada ao lado do sofá) As coisas estão tudo organizado. Bem, eu vou dá uma olhada no quarto dela. Talvez encontre alguma coisa lá. (Junior sobe para o quarto, sozinha na sala, Ana caminha até a cozinha, acende as luzes e percebe algo estranho. Ana sabia que tinha um jeito de saber se a Paula chegou ou não em casa ontem. E esse jeito, era usar seu dom. Volta para a sala e repara se seu pai havia voltado. Como não, ela retorna para a cozinha e caminha até a mesa. Ana toca na cadeira próxima a ela, fecha os olhos e tenta se concentrar. Uma sensação estranha começa a percorrer seu corpo, uma sensação de medo. Ana se concentra mais e consegue ter uma visão. Ana ver o que ocorreu ali duas noites atrás, quando Laura estava amarrada na cadeira, e Flávio colocava uma tigela de biscoitos para os dois jantarem. Ana ver a expressão de medo que Laura fazia, e essa mesma sensação vai para ela. A visão continua, Ana ver Flávio retirando a fita da boca de Laura, e a mesma gritando segundos depois. Sua visão se encerra, no momento que Flávio volta a tampar a boca de Laura. Junior entra na cozinha)
JUNIOR – Filha! (Ana senta-se na cadeira, um pouco tonta) Ei, ei… o que foi? (toca nela e a sente fria) Nossa, você tá gelada, Ana. O que está acontecendo?
ANA – Ele esteve aqui. A menina também estava aqui. (aponta para a cadeira a frente dela, onde dias atrás estava Laura)
JUNIOR – Como você sabe?
ANA – (olha para seu pai, com a sensação de medo ainda percorrendo seu corpo) Eu só sei!

[CENA 08 – CASA ABANDONADA/ QUARTO/ NOITE]
(Flávio retornou e trouxe alguns lanches. Laura, agora que está com a Paula, começou a comer melhor)
PAULA – (observando Laura devorar o sanduíche) Melhor comer com calma, viu. (Laura desacelera, Paula foca-se em Flávio, comendo outro sanduíche) Onde você conseguiu dinheiro?
FLÁVIO – Tenho meus contatos.
PAULA – Os mesmos contatos que conseguiram aquele carro? Os mesmos que arrumaram essa casa pra você?
FLÁVIO – Exato. Os mesmos que nos ajudarão a ir embora daqui.
PAULA – A sua irmã colocou a polícia atrás de você. Se você pensa que vai poder ir para longe, está enganado. Eles vão te pegar.
FLÁVIO – É o que veremos. Em poucos dias, estaremos todos longe daqui. (sorri e sai do quarto. Paula continua comendo, olha para Laura, e finge um sorriso)

Dias Depois…

[CENA 09 – CASA ABANDONADA/ QUARTO – SALA/ DIA]
(Paula passou os últimos dias prestando atenção na rotina de Flávio. Sabe que todo dia pela manhã ele saia, e passava pelos menos 3 horas fora de casa. Trazia comida, conversa com alguém pelo telefone e voltava a sair novamente, chegando no final da tarde. Durante esses dias, ela também traçou um plano de fuga, priorizando Laura)
PAULA – (detrás de porta, ouvindo) Parece que ele já saiu. (caminha até a cama) Essa é a nossa chance, Laura.
LAURA – O que você vai fazer, Paula?
PAULA – Vou te tirar daqui! (Paula pega um grampo que escondeu dentro do colchão. Com ele em mãos, ela consegue abrir a porta do quarto, Laura caminha até ela, feliz)
LAURA – Você conseguiu, Paula! Vamos sair daqui.
PAULA – Vem comigo. (as duas vão para a cozinha, calmamente, pois talvez Flávio ainda podia está em casa. Chegando à cozinha, Paula caminha até a janela e com um pouco de esforço, consegue abri-la) Vem cá, você precisa prestar atenção no que eu vou te dizer agora.
LAURA – A gente não vai fugir?
PAULA – Você vai. Eu preciso ficar aqui.
LAURA – Não, eu não vou embora e deixar você.
PAULA – Calma, não precisa se preocupar comigo. Eu sei me cuidar. O mais importante aqui, é te proteger daquele monstro. Eu prometi que cuidaria de você, e estou cumprindo. Então você vai sair pela janela, e vai correr o mais rápido que pode. Eu não sei muito bem onde estamos, mas eu quero que você corra até conseguir encontrar ajuda.
LAURA – Tenho medo dele fazer alguma coisa com você!
PAULA – (sabia que precisava encontrar uma forma de tranquilizá-la, olha ao redor da cozinha, encontra uma colher de madeira e a pega) Eu vou ter algo para me defender agora. (volta para próximo de Laura) Agora você precisa ir logo, não temos muito tempo.
LAURA – Está bem. Eu também prometo que vou voltar, e trarei ajuda. (as duas se abraçam, com ajuda de Paula, Laura consegue pular a janela)
PAULA – Toma cuidado, Laura. (Laura dar um leve sorriso, e sai correndo. Paula a observa por alguns segundos, fecha a janela, caminha pela cozinha, e além da colher de madeira, ela pega uma faca também) Agora é esperar você chegar! (volta para o quarto)

[CENA 10 – CASA DE PAULA/ SALA/ DIA]
(após Ana ter conseguido ver que Flávio estava ali com Laura, a polícia decidiu instalar um pequeno grupo de policiais na casa, com esperanças de que ele ou alguma das meninas dê notícias ou apareçam. Frederico, como não recebeu notícias da filha, viajou para o Rio para ajudar nas buscas. A mãe de Laura também está passando os dias aqui)
FREDERICO – (ao telefone com Miguel) Como ela está?
MIGUEL AO TELEFONE – Ainda doendo a cabeça. Quero levá-la para o hospital, mas ela se recusa a ir. Na verdade, ela queria viajar pra aí, e ajudar nas buscas da irmã.
FREDERICO – Melhor não, Miguel. Creio que isso não fará bem para ela, no estado atual que ela se encontra. Esse evento todo tenho certeza que é o principal responsável pelas dores de cabeça que ela vem sentindo.
MIGUEL AO TELEFONE – Estou tentando deixá-la calma, não se preocupa. Alguma notícia nova?
FREDERICO – Por enquanto não. A polícia está investigando. Receberam uma pista, de que alguém viu o Flávio comprando comida em um supermercado. Eles estão seguindo essa pista agora.
MIGUEL AO TELEFONE – Está bem. Por favor, nos mantenha informado.
FREDERICO – Está bem. (desliga, e caminha até a mãe de Laura, que aparentemente, parece que não dorme tem alguns dias)

[CENA 11 – HOSPITAL/ Q. DE LETÍCIA – BANHEIRO/ DIA]
(Letícia acordou, e está um bom tempo olhando para o teto. Hoje é a grande final do programa, seu coração acelera sempre que lembra disso. Letícia levanta da cama, caminha até o banheiro, e se olha no espelho)
LETÍCIA – É hoje, Letícia! Você precisa dá o seu melhor. (fecha os olhos e pensa em seu pai) Hoje irei cantar para o senhor, pai! (volta abrir os olhos, sorri)

[CENA 12 – CASA ABANDONADA/ QUARTO/ DIA]
(Paula escuta barulhos na casa, imagina que Flávio tenha retornado. Levanta da cama, segura a faca e a esconde por trás. Minutos depois, Flávio entra no quarto)
FLÁVIO – Trouxe lanche para vocês. (se assusta com Paula em frente a janela) O que está fazendo aí?
PAULA – Nada!
FLÁVIO – (olha ao redor do quarto) Cadê a Laura?
PAULA – No banheiro. (caminha em direção à porta do banheiro, para impedi-lo caso ele queira entrar)
FLÁVIO – Bem, vou colocar aqui. Vamos sair dessa cidade hoje à noite. Estou só terminando de resolver algumas coisas. (os dois ficam em silêncio, percebe que Paula está um pouco tensa) Amanhã, passaremos o natal em uma cidade nova. Tudo bem?
PAULA – Sim. (girando a faca na mão, sua vontade é de enfiá-la nele e sair correndo, só que a vontade de o ver preso é maior) Só estou esperando a Laura sair do banheiro, pois também quero usá-lo.
FLÁVIO – Anda logo, Laura. (caminha em direção ao banheiro) O que já conversarmos sobre demorar muito no banheiro?
PAULA – (entrando na frente dele) Ela deve estar saindo. O que você trouxe ontem deve ter feito mal a ela, e a mim também.
FLÁVIO – Eu comi o mesmo que vocês e não estou mal. De qualquer forma, vou comprar alguns remédios. Não quero viajar com vocês duas doentes. (sai do quarto, tranca a porta e Paula se tranquiliza)

[CENA 13 – CASA DE SAMUEL/ SALA/ DIA]
(Henrique está na sala com Daniel vendo um filme, os dois se aproximaram muito nos últimos dias, deixando Daniel um pouco confuso com seus sentimentos em relação a Dácio)
HENRIQUE – Eu estava pensando em irmos naquela lanchonete karaokê hoje à tarde. O que acha?
DANIEL – É uma boa ideia. A gente pode terminar de ver o filme e vamos.
HENRIQUE – E seu pai?
DANIEL – Eu invento uma coisa para ele depois.
HENRIQUE – (se aproxima dele) Será que eu sou o responsável por você ter se tornado tão mentiroso assim? (sorri, os dois se encaram, Henrique se aproxima para beija-lo, mas Daniel levanta do sofá rapidamente)
DANIEL – Eu vou trocar de roupa, então. Já que vamos sair. (sobe para o quarto, esquecendo seu celular em cima do sofá. Segundos depois de Henrique ter subido para o quarto, chega uma mensagem de Dácio em seu celular. Henrique pega o celular e ler)
DÁCIO POR MENSAGEM – “Hoje será a final do programa. Não vai perder, hein. Algo especial acontecerá hoje” (Henrique além de ler a mensagem que Dácio enviou, também ler as outras inúmeras mensagens que foram trocadas entre Dácio e Daniel. Henrique descobre o plano de Daniel e que os dois não terminaram. Descobre também que Dácio invadiu suas redes sociais, e imediatamente surge uma expressão de raiva em seu rosto. Ele se levanta do sofá, joga o celular em cima e sai de casa)

Anoitecendo…

[CENA 14 – CASA DE PAULA/ SALA/ NOITE]
(Frederico está em pé na sala, ao lado da mãe de Laura. Um policial está mexendo no notebook. O delegado entra em casa)
MÃE DE LAURA – (levanta assim que o delegado entra) Então, alguma notícia?
DELEGADO – Encontramos a sua filha!
MÃE DE LAURA – Ah, meu Deus! Obrigada. Muito obrigada. Como ela está?
DELEGADO – Ela está vindo para cá. Parece que o Flávio a raptou, junto com a Paula. Ele as levou para a cidade vizinha.
FREDERICO – E minha filha?
DELEGADO – Parece que ficou no cativeiro. Pretendemos pegar mais informações assim que a Laura chegar. (nesse momento, Laura entra em casa, acompanhada por outro policial, ao ver a mãe, corre até ela e as duas se abraçam)
MÃE DE LAURA – (emociona-se) Minha filha! Graças a Deus você está bem.
LAURA – Mãe, a Paula precisa de ajuda. Ela ficou lá sozinha. Vocês precisam salvá-la antes que seja tarde.

[CENA 15 – CASA ABANDONADA/ QUARTO/ NOITE]
(Flávio não havia voltado ao quarto, desde aquela hora. Paula houve sons de outros caras pela porta, e imagina que ele não esteja mais sozinho. Com medo, caminha até a cama, pega a faca e a esconde detrás dela. Minutos depois, a casa volta a ficar em silêncio, Paula caminha lentamente até a porta para tentar ouvir alguma coisa. Ouve alguns sons, mas nada de falas. Ouve passos em direção ao quarto, se afasta da porta)
FLÁVIO – (entrando no quarto) Chegou a hora! Cadê a Laura?
PAULA – Hora dessa ela está longe daqui. (aponta a faca para ele)
FLÁVIO – O que significa isso?
PAULA – Eu não vou embora com você. A Laura já deve ter encontrado ajuda, e a polícia já deve está vindo atrás de você.
FLÁVIO – (se aproxima dela, calmamente) Você não vai enfiar isso em mim!
PAULA – Quer apostar pra ver?
FLÁVIO – Se você quer brincar… (leva a mão para trás, e puxa um revólver) …vamos brincar então! (aponta para Paula) Larga essa faca agora!
PAULA – (se assusta com a arma, mas ainda se mantem firme) Vem tirar ela de mim então!

[CENA 16 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO/ ESCADAS – PALCO/ NOITE]
(Dácio e Eduardo estão sentados na escada que leva ao estúdio de sua canção. Dácio está fazendo uns ajustes em seu aplicativo, e se preparando para invadir o programa)
EDUARDO – Então, Dácio? Tudo certo?
DÁCIO – Quase.
EDUARDO – O programa vai começar daqui a pouco.
DÁCIO – Relaxa, deixa comigo que vai dá tudo certo. (alguns minutos digitando em seu computador, Dácio consegue entrar) Consegui!
EDUARDO – Você é o cara! (olha para o notebook de Dácio) É hora do show agora!
[PALCO]
LAURO – (animado) Boa noite!! É a nossa final pessoal. É véspera de natal, é final de programa. E o programa hoje está cheio de surpresas. Teremos apresentações solos dos nossos finalistas, apresentações em duplas com outros participantes que passaram por este palco nesta temporada, dos nossos jurados e muito mais. (muda de câmera) Tenho uma notícia importante para dar a vocês também. (volta a mudar de câmera) E a votação está aberta desde a semana passada. Só para lembrar a vocês… (é exibida uma tela com os finalistas e seus respectivos números) Para votar em Alice, basta ligar para o número 0303 508 001. Para votar em Augusto, o número com final 002. Para votar na Cássia, número com final 003. E no nosso site, que você pode votar à vontade. Sem mais delongas, é hora de iniciarmos o show. E para vocês, em ritmo de natal… Alice Almeida! (sai do palco, começa a tocar a música)

[CENA DE MÚSICA – ALL I WANT FOR CHRISTMAS IS YOU (MARIAH CAREY)]

I don’t want a lot for Christmas 1
There is just one thing I need
I don’t care about the presents
Underneath the Christmas tree

I just want you for my own
More than you could ever know
Make my wish come true
All I want for Christmas
Is you, you, yeah

I don’t want a lot for Christmas 2
There is just one thing I need
And I don’t care about the presents
Underneath the Christmas tree

I don’t need to hang my stocking
There upon the fireplace
Santa Claus won’t make me happy
With a toy on Christmas Day

I just want you for my own 3
More than you could ever know
Make my wish come true
All I want for Christmas is you
You, baby

Oh, I won’t ask for much this Christmas
I won’t even wish for snow
And I’m just gonna keep on waiting
Underneath the mistletoe

I won’t make a list and send it 4
To the North Pole for Saint Nick
I won’t even stay awake to
Hear those magic reindeer click

‘Cause I just want you here tonight
Holding on to me so tight
What more can I do?
Baby, all I want for Christmas is you
You, baby

Oh, all the lights are shining 5
So brightly everywhere
And the sound of children’s
Laughter fills the air

And everyone is singing
I hear those sleigh bells ringing
Santa, won’t you bring me the one I really need?
Won’t you please bring my baby to me?

Oh, I don’t want a lot for Christmas 6
This is all I’m asking for
I just want to see my baby
Standing right outside my door

Oh, I just want you for my own
More than you could ever know
Make my wish come true
Baby, all I want for Christmas is
You, you, baby

All I want for Christmas is you, baby
All I want for Christmas is you, baby
All I want for Christmas is you, baby
All I want for Christmas is you, baby

1. Alice entra no palco, caminha lentamente até chegar ao meio. Plateia bate palma assim que Alice começa a cantar.
2. Dançarinos entram no palco e começam a dançar. Alice continua no meio do palco, em frente aos jurados. Plateia fica de pé, e começam a dançar.
3. Alice caminha até os dançarinos, e começa a dançar junto com eles. No fundo, onde a banda está tocando tem um cenário de neve.
4. Alice caminha pelo palco, e para em frente ao seu pai, que está na plateia, se divertindo com a apresentação da filha. Alice manda beijo para ele, e volta a dançar pelo palco.
5. Alice volta a dançar junto com os dançarinos, segundos depois retorna para o meio do palco e fica até o final da música, dançando sozinha.
6. Plateia, jurados, todos estão dançando. Alice encerra a música, todos batem palma, gritando o nome dela.

Contínua no Capítulo 74…

 

Quer ouvir todas as músicas que já foram interpretadas até agora em Sua Canção? Se liga nas playlist disponível nas plataformas abaixo. É só clicar na imagem e ouvir! 

                         

padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr