Capítulo 75 | Fica – Sua Canção (fim da segunda fase)

[CENA 01 – HOSPITAL/ SALA DE ESPERA/ NOITE]
(Frederico continua olhando para o médico, esperando por boas notícias)
MÉDICO – A Paula teve arranhões nos braços e nas pernas. Mesmo usando o cinto de segurança, talvez devido a força de impacto do acidente, a batida na cabeça muito forte, o que causou um sangramento interno.
FREDERICO – Ela vai ficar bem, não vai? Por favor, me diga que ela vai ficar bem!
MÉDICO – Conseguimos controlar o sangramento, só que infelizmente, ela não está apresentando nenhuma reação.
FREDERICO – O que senhor que dizer com isso?
MÉDICO – A Paula entrou em coma! (Frederico se surpreende com a notícia)

[CENA 02 – CASA DE LETÍCIA/ SALA/ NOITE]
(Cássia chega em casa, chateada. Horácio que estava vendo o programa, repara na sobrinha)
HORÁCIO – (levanta do sofá e caminha até ela) Eu vi o que aconteceu. O que o Dácio fez…
CÁSSIA – (irritada) Eu não quero falar com você agora. Tudo que aconteceu foi por culpa do seu filho. (sobe para o quarto)
HORÁCIO – E a Letícia? Ela desmaiou no meio da apresentação, ela está bem? (Cássia ouve, mas o ignora e continuou subindo. Horácio volta a ver programa, e Augusto estava se apresentando com Léo)

[CENA 03 – HOSPITAL/ SALA DE ESPERA/ NOITE]
(Eduardo e Dácio estão sentados, Eduardo está arrasado com a morte de Letícia e não ter conseguido chegar a tempo, para menos se despedir dela. Dácio tenta se manter forte, por ele)
EDUARDO – Eu devia está aqui. Se eu tivesse aqui, poderia ter a ajudado, poderia ter pedido socorro mais rápido e talvez a teria salvado.
DÁCIO – Letícia vinha lutando com a doença dela há anos, Eduardo. Ela lutou bem. Suportar o que ela passou, por anos não é para qualquer.
EDUARDO – Eu a amava, Dácio. (começa a chorar) Eu devia ter feito alguma coisa por ela, eu devia tê-la a salvado. (Regina chega ao hospital, e ao vê-los juntos se aproxima)
REGINA – Como está a Letícia, Dácio? (Eduardo ao vê-la, imediatamente uma raiva cresce em seu peito)
EDUARDO – (se levanta rapidamente, caminha até ela, expressão de raiva no rosto) Satisfeita? Era isso que você queria? (Dácio também levanta, e se coloca entre os dois, para evitar qualquer coisa que Eduardo queira fazer)
REGINA – Do que você está falando, garoto?
EDUARDO – A Letícia está morta, por culpa sua!
REGINA – (surpresa) Morta? Ela…
EDUARDO – Ela tinha uma chance de cura. (grita) Os exames mostraram que ela poderia ficar curada, e por sua culpa a doença dela se agravou! (Dácio entra no meio dele e tenta empurrá-lo para longe de Regina, que sentou-se na cadeira, triste) Ela poderia ainda está com a gente… Mas o seu egoísmo, para ficar recebendo o dinheiro que o pai deixou para ela… (começa a chorar) Para o talento que ela tinha…
REGINA – Você não sabe do que está falando, rapaz. Sim, eu não queria que a Letícia ficasse curada, porque querendo ou não, era o dinheiro que o pai dela deixou para a filha que nos mantinha naquela casa. Posso ter errado por esse lado, mas eu nunca fui a favor de que a Cássia usasse o talento dela. Letícia tinha uma voz linda, o pai dela a amava vê-la cantar. (tem vontade de chorar) Eu prometi a ele que cuidaria da filha… E não foi isso que eu fiz.
EDUARDO – Se arrepender agora, não vai trazê-la de volta. (se aproxima dela, Dácio continua o empurrando) Estou bem, Dácio. Não vou fazer nada, não se preocupa. (vendo que ele está mais calmo, deixa se aproximar de Regina) Espero mesmo que você esteja sofrendo. Que você sinta essa dor, por tê-la a matado, por resto da sua vida. (se afasta dela, saindo da sala de espera. Regina começa a chorar, Dácio não sabe se acompanha Eduardo ou se consola sua tia)

[CENA 04 – CASA DE MANUELA/ SALA/ NOITE]
(Manuela está novamente com suas amigas, Éster e Thalita, e seu namorado acompanhando a final do programa)
ÉSTER – Será que não vão mostrar novamente aquela garota no hospital? Quero saber o que aconteceu com ela.
TIAGO – É difícil acreditar que um programa igual esse, algo desse tipo tenha acontecido. Sei não, vai que tem outros participantes que não estão dublando por aí também.
MANUELA – Lauro garantiu que não tem, e mesmo assim, estão investigando.
THALITA – A Alice ao menos sei que não dubla, em todas as apresentações é a voz dela mesma.
ÉSTER – E pelo visto, ela vai ganhar. Já que a única competidora que tinha potencial para competir com ela foi eliminada.
TIAGO – Também concordo.
ÉSTER – Vocês podem anotar o que eu estou dizendo, se a Alice já tinha um nariz em pé, só porque é rica, depois que ela ganhar este programa, o ego dela vai estar lá no alto.
THALITA – Ao menos ela não está mais na nossa escola, para termos que suportar isso. Pior que a gente tentou de tudo para mudá-la, mas é o que dizem, né. Nem sempre as pessoas mudam. (todos voltam a assistir em silêncio, Manuela ao ouvir aquelas palavras, fica pensativa)

[CENA 05 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO/ PALCO/ NOITE]
(Alice está no meio do palco, se preparando para cantar sua segunda música solo da noite, algumas cenas são mostradas durante a música)

[CENA DE MÚSICA – STAY (RIHANNA feat. Mikky Ekko)]

All along it was a fever 1
A cold sweat hot-headed believer
I threw my hands in the air and said: Show me something
He said, if you dare come a little closer

Round and around and around and around we go
Ohhh, now tell me now tell me now tell me now you know

Not really sure how to feel about it 2
Something in the way you move
Makes me feel like I can’t live without you
It takes me all the way
I want you to stay

It’s not much of a life you’re living 3
It’s not just something you take, it’s given
Round and around and around and around we go
Ohhh, now tell me now tell me now tell me now you know

Not really sure how to feel about it 4
Something in the way you move
Makes me feel like I can’t live without you
It takes me all the way
I want you to stay

Ohhh, the reason I hold on 5
Ohhh, ‘cause I need this hole gone
Funny you’re the broken one but I’m the only one who needed saving
‘Cause when you never see the light, it’s hard to know which one of us is caving

Not really sure how to feel about it 6
Something in the way you move
Makes me feel like I can’t live without you
It takes me all the way
I want you to stay, stay
I want you to stay, ohhh

1. Alice está no meio do palco, sentada em frente ao piano, tocando. Alguns refletores estão focado nela.
2. Plateia está em silêncio ouvindo-a cantar, assim como seu pai. Pedro está sentado no sofá, junto com Carol, abraçados.
3. Frederico entra no quarto de Paula, se emociona ao vê-la. Augusto está junto com Lauro, também vendo a apresentação.

AUGUSTO – Ela canta muito bem!
LAURO – Ótima competidora, hein.
AUGUSTO – Eu não me importaria se perdesse para ela. (os dois voltam a aprestar atenção na apresentação novamente)

4. A palco inteiro está em silêncio, se ouve praticamente a voz de Alice, em sintonia com a do piano.
5. Alice olha para o seu pai admirando-a. Fecha os olhos, sorri, volta a focar nas teclas do piano.
6. Alice encerra a música focando-se para a plateia em geral. Ao termino, todos levantam e batem palma. Alice sai do palco, Lauro vai até a borda anunciando a próxima apresentação da noite, que é Valéria cantando.

LAURO – Que apresentação, Alice! Muito linda, parabéns. Bem, antes de chamarmos nossa jurada aqui para o palco, tenho uma novidade para vocês. Está abertas as inscrições para a nossa próxima temporada de Sua Canção. Se você sonha em estar cantando ano que vem, neste mesmo palco, para está linda plateia, não perca tempo. Escolha sua canção favorita, grave seu vídeo e envie para o nosso site. (é exibido a endereço do site) As vagas são limitadas, então garanta já a sua enviando o seu vídeo. As inscrições irão até o Março. Sem mais delongas, é hora de ouvir a nossa querida jurada… (apontando para Valéria que já estava no palco, Lauro sai do palco)

[CENA 06 – CASA DE SAMUEL/ SALA/ NOITE]
(entediado, Daniel decide descer para sala, e encontra seu pai vendo o programa)
DANIEL – (surpreso) Uau, o senhor vendo este programa. Por essa eu não esperava.
SAMUEL – O programa é bom, fazer o que.
DANIEL – (deita-se no outro sofá) É, a prima de um amigo meu está participando. Ela já cantou?
SAMUEL – Qual é o nome dela?
DANIEL – Cássia, se não me engano.
SAMUEL – Ela foi desclassificada! (Daniel olha para o pai, surpreso) Ela estava dublando a voz de uma outra garota.
DANIEL – Como assim?
SAMUEL – Não sei ao certo, mas parece que essa garota é a irmã dela. Enfim, apareceu essa outra garota cantando em um hospital, depois ela desmaiou, a produção não falou mais nada. Deram um pronunciado e seguiram o jogo.
DANIEL – Que doideira! Na final então, só tem dois competidores?
SAMUEL – Sim. E eu estou torcendo para o rapaz, o Augusto.
DANIEL – Tá, então vou torcer para a Alice. (os dois voltam a assistir em silêncio, Samuel olha para o filho, pensativo)
SAMUEL – Filho?
DANIEL – Senhor?
SAMUEL – Você não pensa em participar desse programa ano que vem?
DANIEL – Não, eu não. Talvez nem seria classificado.
SAMUEL – Eu acho que sim. Você canta bem, todos da igreja gostam quando você canta. Sem contar que já teria uma torcida por você.
DANIEL – Eu não sei, pai. Eu gosto de cantar, mas não é algo que eu quero levar a sério.
SAMUEL – Não custa nada tentar? Ano que vem você irá se inscrever. Eu mesmo farei sua inscrição.
DANIEL – O que?
SAMUEL – Sim, está decido. Ano que vem farei sua inscrição e você participará deste programa. Imagina, você cantando para o Brasil inteiro músicas religiosas, que espalha amor, fé entre as pessoas.
DANIEL – Eu não sei se eu iria muito longe, cantando só músicas religiosas. Para entrar num programa desse, precisa ter um repertório grande.
SAMUEL – Tá, vez ou outra você poderia cantar uma música diferente, mas o importante é que você, meu filho, leve a palavra de Deus para as pessoas. Sua mãe ficaria tão orgulhosa, eu também ficaria orgulhoso! (Daniel olha para seu pai, e ver os olhos dele brilhando, certamente imaginando-o na competição, sorri. Volta a olhar para a TV, e também se imagina no palco de Sua Canção)

[CENA 07 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO/ PALCO/ NOITE]
(Augusto está no centro da noite, preparando-se para cantar sua segunda música solo)

[CENA DE MÚSICA – EVIDÊNCIAS (CHITÃOZINHO & XORORÓ)]

Quando eu digo que deixei de te amar 1
É porque eu te amo
Quando eu digo que não quero mais você
É porque eu te quero
Eu tenho medo de te dar meu coração
E confessar que eu estou em tuas mãos
Mas não posso imaginar
O que vai ser de mim
Se eu te perder um dia

Eu me afasto e me defendo de você 2
Mas depois me entrego
Faço tipo, falo coisas que eu não sou
Mas depois eu nego
Mas a verdade
É que eu sou louco por você
E tenho medo de pensar em te perder
Eu preciso aceitar que não dá mais
Pra separar as nossas vidas

E nessa loucura de dizer que não te quero 3
Vou negando as aparências
Disfarçando as evidências
Mas pra que viver fingindo
Se eu não posso enganar meu coração?
Eu sei que te amo!

Chega de mentiras 4
De negar o meu desejo
Eu te quero mais que tudo
Eu preciso do seu beijo
Eu entrego a minha vida
Pra você fazer o que quiser de mim
Só quero ouvir você dizer que sim!

Diz que é verdade, que tem saudade 5
Que ainda você pensa muito em mim
Diz que é verdade, que tem saudade
Que ainda você quer viver pra mim

1. Augusto começa a música no centro do palco, plateia vibra assim que ele começa a cantar.
2. Plateia começa a cantar junto com Augusto, num grande coral. Ele começa a andar pelo palco, sorrindo.
3. Alice que está ao lado de Lauro assistindo a apresentação de Augusto, finge está gostando, com um falso sorriso de comemoração.
4. Augusto volta para o centro do palco, e em nenhum momento a plateia parou de cantar com ele, dessa vez estão cantando em um tom mais baixo.
5. Augusto encerra a música, todos levantam, batem palma e gritam pelo nome dele. Lauro retorna para o palco.

LAURO – E é ao som de Evidências que encerramos a nossa votação. Após o intervalo, conheceremos a voz campeã da terceira temporada de Sua Canção! (plateia volta a bater palma, programa entra no intervalo)

[CENA 08 – HOSPITAL/ REFEITÓRIO/ NOITE]
(Dácio entra no refeitório atrás de Eduardo e o encontra encostado na parede)
DÁCIO – Eu estou indo até em casa, a Regina me pediu que eu pegasse alguns documentos da Letícia para o velório, enfim… queria saber se você vai continuar aqui?
EDUARDO – Eu não vou deixar a Letícia sozinha.
DÁCIO – Eu sei, entendo. Só que não acha que é melhor você ir para casa, tomar um banho.
EDUARDO – Eu não vou deixar a Letícia sozinha!!
DÁCIO – Está bem. Eu só vou, mas não demoro. (pensa em pegar no ombro dele, acaba desistindo e sai do refeitório, Eduardo continua encostado na parede e lembra de Letícia. Nathaniel está do outro lado da lanchonete, observando-o. Arael aparece ao lado dele)
ARAEL – Creio que chegou a hora de desapegar dessa história e deixa-lo viver.
NATHANIEL – Ele está sofrendo, por não ter insistido na cura de Letícia.
ARAEL – É hora de seguir em frente, Nathaniel. Você precisa saber da sua próxima missão.
NATHANIEL – (olha uma última vez para Eduardo, e foca-se em Arael) Estou pronto!
ARAEL – É assim que se fala. Bem, na sua próxima missão você voltará para terra como humano.
NATHANIEL – Como humano?
ARAEL – Isso, você irá trabalhar em um cabaré. Não se lembrará que era anjo, mas se fizer por merecer, continuará com alguns dons.
NATHANIEL – Espera, como assim irei trabalhar em um cabaré?
ARAEL – Quanto menos você souber melhor. Isso ajudará na sua próxima missão. Bem, é hora de irmos. (Arael estala os dedos antes que Nathaniel fizesse outra pergunta, tudo fica branco e os dois desaparecem)

[CENA 09 – CASA DE ANA/ SALA/ NOITE]
(Ana está vendo o programa, Junior vem descendo as escadas apressado)
JUNIOR – O Frederico me ligou. Conseguiram encontrar a Paula, só que ela sofreu um acidente.
ANA – Um acidente?
JUNIOR – O ex maluco dela, queria fugir da cidade. Começou uma perseguição com a polícia, acabou batendo em um caminhão e os dois foram para o hospital.
ANA – E como ela está?
JUNIOR – Frederico me disse que ela entrou em coma. Ele pediu que eu fosse até a casa dela, pegar umas coisas.
ANA – Quer que eu vá com o senhor?
JUNIOR – Não precisa, filha. Está tarde já, vou lá e não demoro. (caminha até Ana, beija a testa dela) Não vá ficar até tarde vendo TV, hein. Já volto.
ANA – O programa está acabando, não se preocupa. (Junior sai de casa, Ana volta a prestar atenção no programa)

[CENA 09 – SÍTIO DE FREDERICO/ Q. DE CARLA – SALA/ NOITE]
(Carla continua gemendo de dor de cabeça, Miguel está ao lado dela)
MIGUEL – Eu não aguento mais isso, Carla. Vou te levar para o hospital agora mesmo. Eles devem ter alguma forma de amenizar essas dores que nunca passam.
CARLA – Eu quero a minha, irmã. Liga para o papai, por favor. Liga para ele. Pergunta se a encontraram. (Miguel se afasta dela, e desce até a sala)
[SALA]
(desce até onde Pedro e Carol estão, com o celular nas mãos)
PEDRO – Ela conseguiu dormir?
MIGUEL – Não. Parece que os remédios não fazem mais efeito, sua mãe toda hora preocupada com a irmã. Vou ligar para o seu avô, ver como está a situação lá. (se afasta um pouco do sofá, liga para Frederico) Oi, Frederico. A Carla quer saber se tem alguma notícia da irmã dela. A encontraram? (Pedro levanta-se rápido, caminha até ele)
PEDRO – Encontraram minha tia? Ela está bem?
MIGUEL – Um acidente? (Pedro começa a ficar preocupado) Meu Deus…
PEDRO – O que aconteceu, Miguel? (Miguel faz sinal para que Pedro ficasse quieto, enquanto ele conversava com Frederico)
MIGUEL – Não se preocupa, Frederico. Ela vai sair dessa, tenha fé. Eu não sei se eu deveria contar isso para a Carla, tenho medo de piorar a dor que ela está sentindo. Você sabe que ela não pode passar por emoções fortes, na atual situação dela. Eu vou tranquilizá-la, está bem. Vou contar que a encontraram, só não irei dizer do acidente. Quando ela tiver melhor, conto o que aconteceu. Eu sei que ela não vai gostar, mas não tem jeito, Frederico. Nesses últimos dias, a Carla está frágil, vou fazer isso está bem. Qualquer notícia, não esqueça de nos avisar. Tchau.
PEDRO – Então, Miguel? O que aconteceu com minha tia?
MIGUEL – Encontraram o paradeiro que aquele cara estava mantendo ela. Ele tentou fugir da cidade com a Paula, o carro deles sofreu um acidente, o cara acabou morrendo, mas a sua tia…
PEDRO – Ela morreu?
MIGUEL – Não. Ela entrou em coma. (Pedro choca-se com a notícia) Eu não vou contar isso para sua mãe, se você ficou assim, imagina ela.
PEDRO – Claro, ela surtaria com uma notícia dessa. Você faz bem.
MIGUEL – Que bom que você me apoia, Pedro. (não diz mais nada e sobe para o quarto, Carol caminha até Pedro e o abraça)
[QUARTO]
(Miguel entra no quarto, e encontra Carla sentada na cama)
CARLA – Eu já estava descendo até a sala, saber por que você estava demorando tanto.
MIGUEL – Eu falei com o seu pai.
CARLA – Então? Encontram minha irmã?
MIGUEL – Encontraram.
CARLA – Graças a Deus. E como ela está? (Miguel fica pensando numa desculpa, mas a cara dele faz Carla ficar preocupada) O que aconteceu com minha, irmã? (levanta-se meio tonta, e tenta se aproximar até ele, Miguel a segura) Por favor, não me esconda nada.
MIGUEL – Ela está bem. Está em casa já.
CARLA – Você está mentido. Você está mentindo, eu sei. Me dar o telefone, eu quero ligar para o papai.
MIGUEL – (a levando até a cama) Melhor você continuar descansando. Ela está bem, acredita em mim.
CARLA – Não está!! (ficando nervosa) Eu sinto que alguma coisa está acontecendo, me diz Miguel. Ou vou agora mesmo para o Rio de Janeiro. (vendo que não tem outro jeito, Miguel procura uma forma de dizer a verdade, sem a deixá-la mais nervosa)
MIGUEL – Está bem. Mas quero que você se deite primeiro.
CARLA – É grave, meu Deus.
MIGUEL – Calma, calma. Não é grave, só quero que você fique deitada. (Carla se deita, Miguel senta-se ao lado dela) O ex namorado dela, tentou fugir da cidade. O carro que os dois estavam, acabou sofrendo um acidente com um caminhão.
CARLA – (começa a chorar) O que aconteceu com minha irmã?
MIGUEL – Sua irmã… ela…
CARLA – (grita) Me diz, Miguel, o que aconteceu com a minha irmã?
MIGUEL – Ela entrou em coma! (Carla também fica chocada com o que acaba de ouvir, começa a chorar)
CARLA – Não, minha irmã não. (Miguel a abraça, em poucos segundos, Carla sente uma pontada forte na cabeça) Aí. (cai na cama, com a mão na cabeça, sofrendo de dor) Tá doendo, tá doendo muito.
MIGUEL – Eu sabia que não devia ter contado isso a você. Você não pode passar por emoções fortes, Carla.
CARLA – (grita na cama) Tá doendo muito, Miguel. Me ajuda, por favor. (Miguel se desespera, sem saber o que fazer)

[CENA 10 – CASA DE LETÍCIA/ EXTERNA DA CASA – SALA/ NOITE]
(Salete, mãe de Dácio, após ver o filho na TV, rapidamente pegou um táxi e foi atrás de Dácio. Ela desce do táxi, olha para a casa dele, e boas lembranças surgem em sua cabeça)
SALETE – A casa tá igualzinha! (se emociona) Será que meu filho vai me perdoar? (cria coragem, caminha até a porta e toca a campainha. Horácio, que estava vendo o programa, levanta do sofá e vai atender)
HORÁCIO – (surpreso ao vê-la) Salete?
SALETE – Oi, Horácio.
HORÁCIO – (sorri, mas logo desaparece) O que faz aqui?
SALETE – Eu posso entrar?
HORÁCIO – Não. Você mesma quis sair dessa casa, não faz mais parte dessa família.
SALETE – Por favor, vamos conversar. (Horácio pensa em não a deixar entrar, mas era o grande amor da vida dele na porta e ele também precisava de respostas) Obrigada! (ela entra e os dois vão para a sala) Por dentro, a casa parece ter mudado um pouco.
HORÁCIO – Minha irmã, vez ou outra muda alguma coisa. O que você quer?
SALETE – (coloca a bolsa no sofá, e se aproxima dele, ele se afasta) Eu tinha um sonho… (Dácio chega em casa, antes que Salete contasse sua história)
DÁCIO – Boa noite. (se aproximando de seu pai, mas olhando para Salete) Eu te conheço?
SALETE – (sorrindo) Oi, filho! Você está tão lindo.
DÁCIO – Filho? (olha para o pai, surpreso. Horácio olha para Dácio, sem saber o que fazer)

[CENA 11 – CASA DE ANA/ SALA/ NOITE]
(Ana está vendo TV, quando a campainha toca. Como não esperava ninguém, estranha. Levanta, caminha até a porta calmamente)
ANA – Quem é? (ninguém responde, bate na porta dessa vez) Se não responder, vou chamar a polícia.
ALAN – Sou eu, Ana.
ANA – (ao reconhecer a voz de Alan, rapidamente abre a porta e se surpreende ao vê-lo um pouco sujo, mais magro e com o semblante faminto) O que aconteceu com você, Alan?

[CENA 12 – CASA DE RAMON/ SALA/ NOITE]
(Ramon está deitado no sofá, aguardando o programa voltar do intervalo para saber quem ganhou. Chega um email em seu celular da produção do programa de bandas. Ele levanta-se rapidamente, assustado e nervoso, com receio de abrir e não ter sido selecionado)
RAMON – (sentando-se, olhando fixamente para o email, espera alguns segundos antes de abri-lo. Ler, fica sério por alguns segundos, sorri. Dar um salto do sofá para o chão, pula comemorando por sua banda ter conseguido entrar.) Conseguimos, conseguimos, conseguimos!! Preciso avisar ao Pedro. (entra no aplicativo de conversa, e grava um áudio) Cara, sei que tá um pouco tarde, mas tu deve tá assistindo o programa também… (senta-se no sofá) …você não vai acreditar no que acabou de chegar pra mim. (envia o áudio, entra no email, tira um print e envia para Pedro, volta a gravar) Vamos participar da competição de bandas ano que vem! Isso não é um máximo! (envia, olha para o celular por alguns segundos, feliz. Sem resposta de Pedro, pensa em mandar para Andréa, mas como continua brigados, desiste, guarda o celular e volta a prestar atenção na TV)

[CENA 13 – CASA DE SAMUEL/ SALA/ NOITE]
(Daniel e seu pai continua vendo o programa, chega uma mensagem em seu celular, ver que é de Henrique, abre ansioso)
HENRIQUE POR MENSAGEM – “Olá, falso! Eu li suas mensagens, nossa nem imagino o quanto você deve está preocupado comigo. Você e o seu namorado, né? Quer saber por que eu saí de sua casa sem avisar? Eu vi as mensagens que você trocava com seu namoradinho. Eu vi que vocês estavam combinando de me fazer de idiota, para apagar o vídeo. E eu caí que nem um patinho, né mesmo? Só que eu tenho uma triste notícia para te dar. Eu não apaguei todas as cópias.” (Daniel senta-se no sofá, surpreso e preocupado com o resto da mensagem) “Eu sinceramente estava pensando em ter algo sério contigo, mas depois do que eu descobri. Que você pediu para aquele cara invadir minhas redes sociais. Eu não sei mais quem é você. Alias, nem seu pai sabe quem o filho dele. Que bom que eu vou dá uma ajudinha e vou mostrar para ele, quem é o filho dele de verdade. Espero que seu pai curta o vídeo que acabei de enviar para ele” (chega uma mensagem no celular de Samuel, Daniel rapidamente tenta impedir de ver)
SAMUEL – Que mensagem estranha? O link de um vídeo com a frase “esse é o seu verdadeiro filho”.  (Samuel por impulso, clica no link)
DANIEL – Não abra pai, é vírus!
SAMUEL – (ver o vídeo da primeira vez de Daniel com Henrique, levanta do sofá, assustado) Que brincadeira é essa, Daniel? (mostra o celular para Daniel, que levanta sem saber o que fazer)

[CENA 14 – SÍTIO DE FREDERICO (MINAS)/ SALA – Q. DE CARLA/ NOITE]
(Pedro e Carol estão sentados no sofá, a mensagem de Ramon chegou em seu celular, ela não quis ver ainda, por está preocupado com sua mãe. Miguel vem descendo as escadas apressado e nervoso)
MIGUEL – Pedro, sua mãe… ela quer conversar com você. Vem logo.
PEDRO – Minha mãe. (levanta do sofá rapidamente e sobe para o quarto, Miguel logo atrás. Os dois entram no quarto, Pedro senta-se ao lado de sua mãe e a ver sofrendo) Mãe!
CARLA – Me desculpa, filho.
PEDRO – Desculpa pelo o que, mãe. (querendo chorar ao vê-la naquele estado) A senhora não precisa se desculpar por nada.
CARLA – Eu menti para você esses anos todo.
PEDRO – O que a senhora está dizendo?
CARLA – Seu pai não morreu. Ele está vivo, e ele está… (começa a sentir-se mal, ver as coisas rodarem, desmaia)
PEDRO – Mãe, acorda! Mãe não faz isso, acorda mãe, por favor! (chora, Miguel se aproxima dele, também tentando acordá-la)
MIGUEL – Acorda meu amor, não nos deixe!

[CENA 15 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO/ PALCO/ NOITE]
(Lauro está no meio do palco, Augusto e Alice estão do lado dele, todos estão ansiosos pelo resultado. A assistente de palco caminha até Lauro, trazendo a ficha com a decisão do público)
LAURO – (recebendo a ficha da assistente, não olha ainda) Obrigado. Bem, chegamos ao fim. Em minhas mãos, a decisão do público. (olha para os finalistas, ambos ansiosos) Querem dizer algumas palavras?
ALICE – Eu só queria agradecer a todos. Participar desse programa foi um máximo, parte de um sonho realizado. Queria agradecer a toda produção, pela dedicação a todas as solicitações minha durante essa reta final, sei que não foram poucas, sei que exigi demais. Mas mesmo assim, obrigada a tudo.
AUGUSTO – Eu também queria agradecer a todos, primeiramente a Deus, por nos ter proporcionado este momento. Por permitirmos estarmos aqui hoje, ao Léo, por ter aceitado cantar uma música comigo. A todos que estão torcendo por mim, que votaram em mim. Enfim, obrigado também.
LAURO – Nos que agradecemos por termos vocês, dois participantes fortes, guerreiros nessa final. Bem, sem mais delongas. Ultrapassamos alguns minutos já do nosso programado… (ri e olha o resultado) Bem, por decisão do público… (fazendo suspense. O pai de Alice, que está na plateia cruza os dedos, torcendo para que seja a filha, o mesmo fazem os pais de Augusto, Lauro faz um certo silencio de suspense) A nova voz do Brasil é…

CONTÍNUA EM MINHA CANÇÃO…

Quer ouvir todas as músicas que foram interpretadas em Sua Canção? Se liga nas playlist disponível nas plataformas abaixo. É só clicar na imagem e ouvir! 

                         

clique na imagem para comprar
clique na imagem para comprar
padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr

LEIA TAMBÉM