Cumplicidade: Capítulo 7

Continuação imediata do capítulo anterior:

 

-Oi tudo bem?

-Oi. Respondeu Mildred. O Diogo se encontra?

-Não! O Diogo foi à editora para resolver alguns assuntos de seu livro novo.

-Há sim!

-Quer que eu avise que esteve aqui?

-Não, não é necessário, Desculpe você quem é?

-Oh! Desculpe não me apresentei, sou Laila, sou namorada dele.

-O que!

-Sim sou a namorada dele. Algum problema?

-Não. Meio sem jeito Mildred foi se afastando da porta em direção ao elevador. Obrigado.

Namorada? Mais porque ela estava tão abalada e ela era casada? Seria ciúmes? Claro que sim, afinal ela gostava de transar com Diogo, aquele jeito de homem e o seu doce perfume amadeirado a fazia delirar e tudo que ela pensava era ir para cama com ele. Mais agora ele tinha uma namorada. Na manhã seguinte o telefone de Mildred tocou bem cedo, ela ainda estava deitada na cama, Rafael já havia saído para o trabalho.

-Alô. Aquela voz só podia ser de Diogo.

-Oi, que fala?

-Sou eu, Diogo. Onde está?

-Estou em casa acabei de acordar.

-Pode me encontrar na livraria essa tarde?

-Sim.

-Tudo bem então, ficarei esperando.

Mildred desligou o aparelho e as lagrimas começaram a cair de seu rosto, ela iria acabar com tudo hoje mesmo, pensava consigo. Será que ela era capaz, Mildred estava vivendo uma paixão perigosa, com mistura de adrenalina e desejo, medo e angustia.

No trabalho Rafael resolveu vasculhar a rede social de Mildred, ele não costumava fazer isso, mais ela estava agindo de uma maneira muito estranha e suspeita, não seria só por que Juliano havia assumido sua homossexualidade, Rafael olhando as conversas do bate papo encontrou um Senhor “D” as conversas agradecia um presente, e marcava um encontro em uma livraria. Seria possível? Sua Dedicada mulher o traindo?

-E ai Rafael?

-Oi Thiago!

-O que aconteceu? Esta com uma cara.

-Não, não é nada. Só que…

-O que foi cara, pode falar eu sou teu amigo.

-Conhece a livraria Stock?

Naquela tarde Juliano passeava no parque junto a Douglas.

-Sabe Douglas? Você me surpreendeu.

-Com o que meu amor?

-Jamais imaginaria você e eu juntos. Tu eras tão grosso comigo e eu nunca te olhei com outros olhos, só agora percebi que você é o cara certo pra mim.

-Obrigado, tenho certeza que vamos ser felizes juntos, quero lhe entregar todo o meu ser, e gostaria de dividir com alegria cada momento juntos.

-Temos que conversar com minha mãe.

-É eu sei!

-O que acha de nos irmos lá agora?

-Acho uma boa ideia.

Eles entraram no carro e foram à direção do apartamento de Mildred, mais ela já havia saído. Então Juliano perguntou ao porteiro.

-Joaquim você sabe onde foi a minha mãe?

-Não senhor, mais essa hora ela costuma ir até a livraria Stock.

-Obrigado Joaquim vou ver se a encontro.

Na livraria Diogo e Mildred estavam sentados próximos a janela.

-O que vão querer hoje? Disse o Garçom

-Eu quero um expresso curto, por favor. E você Mildred?

-Água com gás.

-Ok! Com licença.

-Então Diogo o que queria falar comigo?

-Bem eu sei que você viu a Laila em meu apartamento e…

-E nada Diogo, eu não tenho nada haver com sua vida, você é uma pessoa livre, fique com quem você quiser.

-O que você quer dizer com isso?

-Que isso já foi longe demais. Disse Mildred se levantando.

Enquanto isso Thiago entra na Livraria e senta-se em uma mesa próxima.

-Algum pedido senhor?

-Água.

Diogo e Mildred continuam discutindo enquanto Thiago assiste tudo.

-Eu sei que tu me queres. Não será capaz de deixar de me ver.

-Então é o que veremos. Disse Mildred caminhando em direção à porta.

Diogo a puxou tomou em seus braços e a beijou.

-MÃE!

 

clique na imagem para comprar
clique na imagem para comprar
padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr

LEIA TAMBÉM