Cyber Backstage – Programa 37

Boa noite, querido(a) leitor(a)! O Cyber Backstage começa junto com a noite deste domingão. Hoje vêm as novidades dos bastidores e uma entrevista muito especial com o autor do lançamento da semana. Vamos lá!

A


  • A novela De Volta Pra Casa, de Eric Carvalho, colocou a audiência da DNA nas alturas! O sucesso da trama é inegável.
  • Maneiras de Ser e Rio Tropical seguem no mesmo ritmo. A web-emissora de Miguel Rodrigues e Henzo Viturino não brinca em serviço. Assim os leitores ganham com uma das várias plataformas presentes na literatura internauta. Muito bom! Parabéns à turma da DNA.
  • Quase Perfeito, a minissérie literalmente bombástica da WebTV, chega aos episódios finais com muitas revelações.
  • Uma morte agitará o próximo capítulo de Excelsior. Quem será o mais novo presunto da novela? Faça suas apostas.
  • Um Só Coração é o título da próxima novela de Henzo Viturino. Marcelo Delpkin prepara Um Sonho de Amor, e Marcelo Maia escreve Por Um Triz.
  • Marcos Vinicius da Silva, de En Las Cercanías de Alcatraz, anunciou a segunda temporada de O Assassino dos Meus Sonhos para 2020.
  • Na próxima semana serão anunciadas as datas das próximas estreias, como a novela Custe o que Custar (de Felipe Veiga) e a minissérie Anti-Herói (de Cristina Ravela).

A


Na terça (20/08) às 22h, estreia uma nova série aqui na Cyber TV. Trata-se de Minha Doce Patroa – Negociando com Espíritos, escrita por Yago Tadeu. Aproveitei para conversar um pouco com ele sobre a história e também sobre sua trajetória autoral. Confira:

1) Como você se descobriu escritor? Como é ter o dom de criar histórias?
Eu sempre quis ser escritor, talvez esse fato insistente desde muito pequeno finalmente me tornou um. Eu nunca me senti dotado por dom, pode até ser clichê afirmar isso, no entanto minha tendência criativa sempre foi fértil, ainda que não concluísse um bom texto, as ideias choviam e chovem incessantes na minha mente.

2) Conta um pouco sobre sua trajetória na escrita até agora.
Minha trajetória resume-se à publicação do meu livro “Vagão dos Sonhos” pela editora Autografia em 2016 que começou como um projeto interativo de reality show literário em que os leitores decidiam os sobreviventes por votação online. Teve outras edições mas apenas a primeira foi lançada seguida por “No topo do fundo do poço”, obra poética publicada de forma independente em 2017.

3) Você lê bastante? Se sim, que estilos e temas são os seus preferidos?
Eu já fui muito mais assíduo em leitura, estou retomando hábitos. O e-book nunca me agradou, o físico sempre foi a raiz indispensável de uma boa leitura mas acho que Sidney Sheldon e seu estilo criminal de jogo de poder floresceu em minha mente desde os 15 anos. Porém também admiro autores televisivos como JEC [João Emanuel Carneiro] da Globo, estrangeiros como Roberto Aguirre-Scasa, Stephen King e poetas como Fernando Pessoa e o russo Iessenien.

4) Como você conheceu a Cyber TV?
Conheci por outros autores e suas divulgações [de Marcelo Delpkin] no Facebook.

5) O que você acha do surgimento crescente de novos escritores através de plataformas, entre elas a Cyber TV, o Wattpad e a Kindle da Amazon?
Eu não sou fã do e-book, mas apoio a leitura digital em todos os sentidos, facilita em algumas situações o mercado literário e o alcance de leitores e do nosso público alvo torna-se mais objetivo e estratégico. Acho plataformas muito necessário para a progressão do costume da leitura.

6) Você estreia na Cyber com Minha Doce Patroa – Negociando com Espíritos. Conte um pouco sobre a história.
Minha Doce Patroa é simples, direto e tem um mistério despretensioso mas com boas doses novelísticas de reviravoltas, tensão. Priscila que enfrenta uma crise no casamento tem marcas obscuras guardadas e aceitando a proposta da nova patroa Lisbela Reis, Priscila e sua família se envolverão numa teia escura e sombria da família Reis e seus segredos juntamente com o pavoroso vilarejo Sweetvillage.

7) Como foi escrever Minha Doce Patroa? Que experiências você tira desta série?
Minha Doce Patroa começou como um simples conto dos 16 anos e se tornou um original com subtítulo e tudo. Minha Doce Patroa apresenta todas minhas ideias iniciais como escritor e mora dentro de mim como uma base.

8) Muitos autores fazem um verdadeiro ritual quando vão escrever. Você tem uma rotina de escrita? Se sim, como ela é?
Não tenho uma rotina de escrita, porém as músicas são meus alicerces mais vivos de criatividade. Não sei o que seria do meu laboratório mental sem minhas músicas-tema.

9) Para os escritores de primeira viagem ou muitas, que conselhos você deixaria para eles?
Não escrevam para convencer alguém ou para preencher uma carreira, escreva porque gosta e o que realmente te comove. No final das contas sempre será você e sua obra como pai e filho até o último ponto.

10) O que você acha sobre a falta de comentários da parte dos leitores nos trabalhos de escrita nas obras virtuais?
Acho esquisito o interesse pífio da humanidade pela arte e cultura em geral. Se a arte sustenta o ser você nunca conhecerá a si mesmo se não aprecia isso.

11) Como você lida com o temido bloqueio criativo?
Tenho vários em estágios ruins psicologicamente mas quando me recupero torno-me um escritor diferente e assim sucessivamente diante dos fortes bloqueios, tomara que seja em sentido de evolução.

12) Pra você, o clichê na literatura é algo necessário, descartável ou entra em meio termo?
O clichê é como café requentado. O café requentado só é bom, e só satisfaz quando é casado bem com algo, porque se ele vier sozinho você sempre vai preferir um café novo. Certos clichês servem para reanimar um público desestimulado, sabendo-o usar. Apoio uso dosado.

Muito obrigado por sua participação no programa, Yago! Desejo sucesso para sua trajetória e para a série a estrear.

A


COMO DESENVOLVER A ESCRITA?

Você é ou deseja ser um(a) escritor(a) de qualidade? Acredite: você pode usar o YouTube a seu favor. Há cerca de um mês, anunciei no Observatório da Escrita o canal Ficçomos. Com muita simpatia e espontaneidade, Wlange Keindé apresenta uma série de vídeos com dicas sobre divulgação, criatividade, recursos literários, bloqueio criativo, postagens no Wattpad e tudo mais que se possa imaginar.

Outra escritora dedicada a ensinar seus truques é Gaby Brandalise. É impossível não se envolver com seu jeito impagável — e até ferino no melhor estilo Cristina Ravela — enquanto você absorve o conteúdo. Fofura também é o forte de Maria Angélica, do Vamos Ler. Os vídeos sobre os Clichês que Odeio são os melhores. Bem, a última postagem é de março de 2017, mas os toques são atemporais. Vilto Reis é outro nome bastante conceituado entre os aprendizes youtubeanos. Vídeo é o que não falta no canal do moço.

Mais uma sugestão? Com larga experiência no ramo, o editor Sandro Bier representa o canal Café do Escritor e também dá dicas preciosas para quem escreve e disponibiliza um grupo no Whatsapp, onde o escritor Robertson Frizero lança desafios diários para os participantes. Olha aí o resultado da minha atividade de ontem:

Você conhece outros canais interessantes sobre o tema? Deixe nos comentários, ok? 😉

A


O Backstage termina por aqui, mas não deixe de ler o Observatório. Hoje tem resenha sobre um dos capítulos da novela Maneiras de Ser, da DNA. Espero você!

Antes assista ao vídeo citado no ClassifiCyber, Clichês que Odeio:

padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr