Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

DESTINOS CRUZADOS – CAPÍTULO 5

CYBER TV                                                                                                                  CAPÍTULO5

DESTINOS CRUZADOS

NOVELA DE:

UELITON ABREU

ESCRITA POR:

UELITON ABREU

DIREÇÃO DE NÚCLEO:

ANDERSON SILVA

CENA. 1. MANGUEZAL. LAJE. EXTERIOR. DIA 

LOBÃO CAI NA RISADA. CÉSAR O ACOMPANHA 

CAIO                  quê que foi? Contei alguma piada?

CÉSAR               mano, esse cara é mó comédia!

LOBÃO              (ENCARA, SÉRIO) vem cá, tu ficou maluco, rapá

CAIO                  eu? Não! estou em perfeita sanidade! 

LOBÃO              inventando histórias sem pé nem cabeça. Véi, tu pirou, né? Só pode. Eu irmão do Samuel? Rá! De onde tu tiraste essa ideia absurda? 

CAIO                  Lobão, não subestime a minha inteligência. Sei que você é irmão dele, eu investiguei, fui a fundo nessa história toda que, por sinal, daria um bom livro 

LOBÃO              vem cá, tu usou alguma parada, né? Qual foi? Hum? fala aí pra nós! 

CAIO                  quero falar a sós, somente eu e você, sem esse aí! 

LOBÃO              tá exigente demais, tá não? (T) César, nos deixe a sós, por favor 

CÉSAR               você que manda, chefia! (SAI) 

LOBÃO              fala. Como foi que tu descobriu isso? 

CAIO                  Já tá confirmando a história, mano? Porra… 

LOBÃO              não estou confirmando porra nenhuma! Responde logo à pergunta, caralho! já estou perdendo o meu limite 

CAIO                  ui! Eu investiguei sua vida, e descobri que seu pai, Dário, o ex-traficante, dono desse morro aqui, teve um caso com a Rosa, mãe do Samuel. Logo, constatei, constatei, não. Tive a certeza. Sei também que mensalmente deixa grana lá, pra ajudar, já que o irmão perdeu o emprego 

LOBÃO              tudo isso por culpa tua, né? Teu plano de acusação por tráfico, não rolou, mas ele acabou sendo preso por desacato, calhou muito bem pra ele ser malvisto na escola onde trabalhava 

CAIO                  Já aí, eu não tenho culpa, né, se seu irmão não consegue se controlar, se desacatou lá o policial bonitão… enfim 

LOBÃO              fala logo, o que tu quer? Fala porra!

CAIO                  quero grana, muita grana! Meu silêncio: R$ 200, 000 mil reais 

LOBÃO              tu fumou maconha, só pode. Tá maluco, meu irmão? (SACA SUA ARMA, VAI ATÉ O MESMO E PÕE CONTRA A CABEÇA DE CAIO)Achou que ia vir aqui, me chantagear e ponto, foi isso? Sinto muito, mas tu se ferrou, seu otário!

CAIO                  isso, me mata! só que… eu deixei um vídeo, assim, de dois minutos, onde conto pra todos que o Samuel é seu irmão e, claro, que vim ao seu encontro. Logo, se eu morrer, todos saberão quem foi o assassino 

LOBÃO              filho da puta! sai da minha frente… Agora! Mete o pé! Sai! Vaza daqui! 

CAIO                  vou te dar um tempo. Pensa. Até logo mais, Lobão!

CAIO VAI EMBORA. FURIOSO, LOBÃO SOCA A PAREDE E ACABA CORTANDO SEU PUNHO 

LOBÃO              argg! Porra! Caralho!

CORTE PARA

CENA. 2. STOCK-SHOTS. EXTERIOR. DIA 

CENA. 3. APART DE PEDRO. INT. DIA – FINAL DE TARDE 

PEDRO ENTRANDO EM CASA. DEIXA AS CHAVES NUM CÔMODO. VAI INDO PRA SALA. NATHALIA ALI VENDO TV. PEDRO JOGA SUA MOCHILA DE LADO E SENTA AO LADO DA IRMÃ NO SOFÁ

NATHI               e aí, como foi lá com seu amigo na delegacia? 

PEDRO              foi afastado de suas obrigações por tempo indeterminado segundo o imbecil delegado 

NATHI               que nada a ver. Esse delegado é um idiota, sério. Um ignorante! De onde já se viu: afastar uma pessoa do trabalho só por ter a orientação sexual diferente da do padrão social 

PEDRO              pois é, até tentei argumentar, mas o delegado já foi logo ameaçando a me afastar. Daí, eu não pude fazer mais nada também. Vou sentir falta do meu companheiro de guerrilha, ele é como um irmãozão pra mim

NATHI               imagino. Deve ser como a minha amizade com o Samuel! a gente é bem próximo… 

PEDRO              ah, não! você tinha que tocar no nome desse garoto, Nathi? Porra! 

NATHI               ué, qual o problema?

PEDRO              o problema é que eu não gosto dele. Ponto. É isso. odeio aquele moleque do fundo da minha alma 

NATHI               sei não, viu, mas tô achando que toda essa sua raivinha aí deva ser amor reprimido por ele 

PEDRO              de novo esse assunto, Nathi? Porra! Troca a fita, mano. Isso nunca que vai acontecer, primeiro, que eu não acredito mais nesse tal de amor, e segundo, eu não sou gay. Sou muito bem resolvido quanto a minha sexualidade. Certo?

NATHI               certo!

PEDRO              ótimo. Boa noite! 

LEVANTA E VAI INDO RUMO AO QUARTO 

NATHI               tadinho, mal sabe ele que tá se apaixonando novamente… mesmo não acreditando no tal do amor… 

CORTE PARA 

CENA. 5. APART. DE PEDRO. BANHEIRO. INT. DIA – FINAL DE TARDE 

ABRE EM PEDRO DEBAIXO DO CHUVEIRO. ENSABOA-SE. SAI DO BOXE JÁ SE ENXUGANDO COM UMA TOALHA. SAI DO BANHEIRO COM A TOALHA ENVOLTO DE SUA CINTURA 

CORTE PARA

CENA. 6. APART. DE PEDRO. QUARTO. INTERIOR. DIA 

PEDRO VINDO DO BANHEIRO. VAI AO GUARDA ROUPAS. PEGA UM BERMUDÃO E VESTE. VÊ ALI NUMA POLTRONA A PASTA QUE ALAN HAVIA O ENTREGADO NO CAPITULO ANTERIOR. ELE PEGA A PASTA. SENTA-SE NA CAMA E COMEÇA A LER TODOS OS DOCUMENTOS. ESTÁ BASTANTE INTRIGADO E SURPRESO. TEMPO. O CANSAÇO ACABA POR O CONUMIR E ELE ACABA DORMINDO COM OS PAPÉIS SOBRE SEU CORPO

CORTE PARA

CENA. 7. STOCK-SHOTS. AMANHECER. EXTERIOR. DIA 

CENA. 8. APART. DE PEDRO. QUARTO. INTERIOR. DIA 

ABRE EM PEDRO A DORMIR. NATHI ENTRA JÁ O ACORDANDO

NATHI               Pedro! Pedro. Irmão, você tá atrasado pro trabalho! Vamos. Levanta!

PEDRO SE ESPREGUIÇA… BOCEJA ALTO 

PEDRO              bom dia!

NATHI               bom dia! E esses papéis aqui, mano? Hum? (JÁ CATANDO) Vou jogar no lixo! 

PEDRO              (REAGE) não! Tá maluca, doida?! 

NATHI               calma. Que foi? O que são esses papéis? Eu, hein!

PEDRO              eram do Alan, meu colega, o que foi afastado. Ele… ele acha que o delegado, o Parede, é corrupto 

NATHI               puta merda! Que babado, hein! Será que pode ser verdade? O que você acha disso?

PEDRO              eu? Não sei. Mas eu vou investigar. Ah, vou.! agora, deixa eu me levantar que já tô atrasado 

PEDRO SALTA DA CAMA. JÁ VAI INDO PRO BANHO 

NATHI               é, tá mesmo. vai lá. Bom trabalho! 

NATHI CONTINUA ALI, VENDO OS PAPÉIS

CORTE PARA

CENA. 9. UNIVERSIDADE. CORREDORES. INTERIOR. DIA 

CAIO CHEGANDO. TODOS OS OLHARES SOBRE SEUS MACHUCADOS 

NATHI               gente, o que houve contigo, Caio? 

CAIO                  um assalto. Eu reagi e acabei me ferrando, como cê pode ver 

NATHI               pois é, foi bem feia a coisa, viu! (FAZ UMA CARETA) 

CAIO                  é, mas quando eu casar sara, nãé o que dizem?

NATHI               dizem, mas não acredito… 

SAMUEL SE APROXIMA E CAIO JÁ COMEÇA OS INSULTOS 

CAIO                   olha só, a bicha histérica já foi solta! Como que é, hein, viver naquela cela imunda?

SAMUEL            é comigo isso, Caio? 

CAIO                   não vejo outra bicha aqui, a não ser tu 

SAMUEL            ah! Então, como você pode ver, néÉ. Fui solto, sim. Quer saber tanto assim, por quê? Aspira passar um tempo por láé isso? Olha, eu… eu não recomendo muito, não… 

CAIO                     bicha idiota! 

CAIO SAI ANDANDO 

SAMUEL           Beijo. (DEBOCHE) Vai cuidar de si, vai, babaca!

NATHI               amigo, que afrontoso vocêé, hein! vamos pra aula?

SAMUEL           vamos! 

OS DOIS SEGUEM JUNTOS PRA SALA DE AULA 

CORTE PARA 

CENA. 10. APTO DE HUGO. SALA. INTERIOR. DIA

ABRE EM LÍDIA A VER TV. SONORIZAÇÃO: CAMPAINHA TOCA. ELA SEGUE PARA ATENDER. ABRE A PORTA E É RENDIDA PRO UM CARA ARMADO E ENCAPUZADO 

HOMEM            Shh! (COM A ARMA APONTADA PRA ELA) Nem um pio, gatinha! Calada! 

ELE ADENTRA O LOCAL E FECHA A PORTA 

LÍDIA                calma, cara! O que você quer? 

HOMEM            Dâhh! “O que você quer?” O que um ladrão há de querer, hum? Quero grana, porra, grana! 

LÍDIA SE DEMOSTRA CALMA, FRIA, SEM MEDO ALGUM 

LÍDIA                não grita! 

HOMEM            é o que é? Pirou vadia? 

LÍDIA                olha só, eu não tenho nada aqui, tá bom? vai embora, cara. Meu namorado já deve estar chegando aí 

HOMEM            foda-se seu namorado! Quero grana, caralho. Grana! Passa tudo o que tem de valor, vai. Anda!

OUVE-SE EM OFF O BARULHO DA CHAVE NA FECHADURA DA PORTA. O HOMEM CORRE PRA PORTA. HUGO ENTRA E JÁ É RENDIDO 

HOMEM            (COM A ARMA NA CABEA DELE) quieto. Pianinho! 

HUGO                (COM AS MÃOS PRA CIMA) tá. Calma. Não atira! 

HOMEM            vai pra lá, fica lá com aquela cadela… 

HUGO VAI ATÉ LÍDIA QUE ESTÁ PRÓXIMA À MESA DE JANTAR. O HOMEM, PROCURA OBJETOS DE VALOR PELO APARTAMENTO. ELE VIRA-SE DE COSTA PARA PEGAR UM HOME-THEATER. LÍDIA PEGA SUA BOLSA DA CADEIRA, A ABRE. DE DENTRO, TIRA UMA ARMA. HUGO SE ASSUSTA E ESTRANHA O FATO DELA POSSUIR UMA ARMA. CLIMA TENSO 

HUGO                (RESMUNGA) o que é isso, Lídia? 

LÍDIA                Shh! Temos que nos defender 

LÍDIA DÁ DOIS PASSOS À FRENTE, ERGUE SUA ARMA, MIRA NAS COSTAS DO HOMEM E ATIRA O ACERTANDO EM CHEIO 

LÍDIA                perdeu, seu otário! 

O HOMEM CAI DEBRUÇADO NO CHÃO MORTO. HUGO EXTREMAMENTE ASSUSTADO E NERVOSO 

HUGO                o que você fez? Que arma é essa, Lídia? 

FECHA EM LÍDIA, SEM ESBOÇAR NENHUMA REAÇÃO

NISSO, 

FADE OUT 

CORTE PARA

FINAL DO CAPÍTULO

POSTADO POR

UELITON ABREU PASSOS

UELITON ABREU PASSOS

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo