DIVAS – Capítulo 12

 A Cópia e reprodução deste conteúdo fora da plataforma Cyber TV sem autorização prévia da administração, é proibida e viola os direitos legais do autor.

CENA 1/ INTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ ESTÚDIO

         Continuação da última cena do capítulo anterior.

         Camila, Laerte e Rick em pé, em frente ao computador e a mesa de som, surpresos com a chegada de Giselle. Camila revoltada.

         CAMILA – (pensa, tentando entender) Pera aí… Você pegou minha música e gravou como sua? É isso? Você me roubou?

         GISELLE – (cínica) Imagina/

         CAMILA – (corta) Não, pior: Vocês me roubaram, não é isso? (olha pra Laerte e Rick)

         LAERTE – Você acha que eu te chamaria aqui se quisesse te roubar?

         CAMILA – Meu Deus, isso não é justo! Essa música é minha!

         GISELLE – É mesmo? Me dê provas de que ela é sua, vai.

         CAMILA – (grita) Fui em que compus!

         GISELLE – Como se isso importasse alguma coisa…

         CAMILA – Como não importa? É minha história naqueles versos. São meus sentimentos. Meus e do Bruno. Não foi feita pra outra pessoa cantar!

         GISELLE – Nossa, vou chorar com esse seu lindo depoimento…

         CAMILA – (para Laerte) Olha, eu não vou admitir que ela faça isso!

         LAERTE – Eu também queria reverter essa situação, mas não tem mais jeito…

         GISELLE – (se aproxima dela, irônica) Você é novinha nesse ramo né, querida. Da próxima vez, trata de registrar pra não acontecer de novo, amore.

         CAMILA – Sua ordinária! Cara de pau!

         GISELLE – Olha lá como fala comigo! Não banca a revoltadinha pra cima de mim não. Eu não tenho culpa se você é burra. Você não me deu outra escolha a não ser pegar a gravação pra mim. (ri)

         CAMILA – Ainda assume que é ladra! (quase explodindo de raiva)

         GISELLE – Digamos que eu não deixo escapar nenhuma oportunid/

         Camila não deixa ela terminar a fala, lhe desferindo um tremendo tapa na cara. Giselle quase cai, com a mão no local agredido. Laerte e Rick se aproximam rapidamente para apartar a briga.

         LAERTE – Ei, ei, nada de escândalo aqui.

         GISELLE – (se recompõe e avança sobre Camila) Eu vou destruir essa pirralha.

         Rick segura Giselle pelos braços, antes que ela consiga agredir Camila. As duas discutem calorosamente enquanto são seguradas por Rick e Laerte.

         GISELLE – Desgraçada! Você ainda vai pagar muito caro por esse tapa!

         CAMILA – Você quem vai pagar por ter me roubado!

         RICK – Gente, vamos conversar civilizadamente.

         GISELLE – (imita Rick, com voz fina) Vamos conversar civilizadamente… (grita) Ah, cala a boca, Rick! Me solta que eu preciso acabar com essa garota!

         CAMILA – (provoca) Solta ela! Quero ver se ela tem coragem.

         GISELLE – (tenta atingi-la com chutes) Vagabunda!

         LAERTE – Leva ela, Rick! Tira ela daqui! Não aguento mais gritos na minha cabeça.

         RICK – Vamos Giselle!

         Rick vai levando-a até a porta.

         GISELLE – (ameaçando) Isso não vai ficar assim!

         O produtor finalmente consegue tirá-la do estúdio. Laerte solta Camila e fecha a porta. Ela enxuga suas lagrimas de raiva e pega sua bolsa, com intenção de sair.

         LAERTE – (comenta baixo) Difícil aturar duas histéricas…

         CAMILA – (vai saindo, mas para ao ouvir o comentário) Duas o que? Do que você me chamou?

         LAERTE – (se aproxima, arrependido) Perdão Camila, não quis dizer isso.

         CAMILA – Mas disse. Olha, eu não vim aqui pra ser humilhada não.

         LAERTE – Claro que não. Mas tudo isso que a Giselle fez acabou com nossos planos… Quer dizer. Não totalmente. Você ainda pode voltar aqui pra gravar outras músicas, ou pra fazer cover de outros artistas. A gente só quer te ouvir, conhecer seu potencial.

         CAMILA – Sinceramente… Não tenho vontade nenhuma de voltar aqui de novo. Me arrependi de ter vindo e de ter te entregado aquele gravador.

         LAERTE – Não fala isso. Não joga sua oportunidade fora. Eu sei que você quer ser uma cantora famosa. E eu tenho bastante interesse em te empresariar.

         CAMILA – Tudo que eu quero agora é ir embora!

         LAERTE – Tudo bem… Vou te acompanhar até a porta. Mas você tem o meu número e o número do Rick. Ligue assim que quiser voltar! Prometo que não vai encontrar a Giselle novamente.

         CAMILA – Eu vou pensar. (vai saindo, determinada) Precisa me acompanhar não. Eu sei o caminho.

         Ela sai. Laerte senta, e respira fundo.

         LAERTE – Nada mais insuportável do que mulher escandalosa… (pausa) Mas não posso perder essa garota. Além de cantar bem ela é bem gostosinha. Vai render rios de dinheiro… (sorri, malicioso)

CORTA PARA/

CENA 2/ INTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ QUARTO DE GISELLE

         Rick entra, ainda segurando Giselle.

         GISELLE – Me solta Rick. Eu hein! Não vou brigar com a aquela ridícula de novo não.

         RICK – (solta ela e fecha a porta) Acho bom! Pra que esse escândalo todo em, Giselle?

         GISELLE – (senta na cama) Foi ela quem começou, não foi?

         RICK – Ela teve toda razão!

         GISELLE – Razão nenhuma! O que ela fez foi me acusar sem provas!

         RICK – Mas você assumiu na frente dela!

         GISELLE – Foi só pra irritar a idiota. (deita e gargalha) Ah, mas eu vou adorar provocar aquela pirralha!

         RICK – Você tá cada vez pior, sabia, Giselle?

         GISELLE – Isso pra mim é um elogio, querido. Agora vai lá, vai. Vai consolar a Camilinha, que eu tenho que me arrumar pra uma sessão de fotos.

         Rick sai e Giselle continua a rir.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 3/ INTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ SALA DE ESTAR

         Rick desce as escadas e corre até Camila, ao ver que ela está saindo.

         RICK – Ei Camila. Espera aí.

         Ela vira, descontente. Rick chega perto.

         RICK – Eu sei que tudo isso que aconteceu foi horrível e desanimador, mas você não pode desistir. Você é muito talentosa e um talento igual o seu não pode ser jogado fora. Está ouvindo?

         CAMILA – Obrigada pelos elogios, mas nada tira a raiva que eu tô sentindo. Vou ser obrigada a ouvir minha música na voz daquela ridícula.

         RICK – Eu entendo… Qualquer um ficaria com muita raiva… Mas isso vai passar e quando passar, quero que me ligue de novo pra você voltar aqui, tudo bem?

         CAMILA – Sim, o Laerte me falou. Eu pretendo ligar.

         RICK – Que bom!

         CAMILA – Vou embora antes que aquela ladra apareça.

         RICK – Ok. (abre a porta pra ela) Já estou ansioso pelo seu retorno!

         CAMILA – Até qualquer dia…

Ela sai e Rick fecha a porta. Judite vem da cozinha, curiosa.

         JUDITE – Que gritaria foi essa? Ouvi lá da cozinha.

         RICK – Nem te conto, Judite…

         JUDITE – Aposto que foi por causa da dona Giselle.

         RICK – Por causa de quem mais seria, não é?

         Rick volta pro estúdio.

         CORTA PARA/

CENA 4/ INTERIOR/ DIA/ ESTÚDIO FOTOGRÁFICO

         Sonoplastia: Oops…I did it again – Britney Spears

Giselle faz várias poses para o fotografo. Aristóteles a observa. Instantes.

CENA 5/ EXTERIOR/ DIA-NOITE/ STOCKSHOTS

         Continua áudio da cena anterior.

Take de um lindo por de sol no mar.

         Imagens da movimentação noturna na cidade.

         Fim do áudio em fade out.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 6/ EXTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLVEIRA/ FACHADA

         Um taxi para em frente a casa. Camila desce rapidamente para ajudar sua mãe a descer, visivelmente triste.

         OLINDA – Pode deixa, filha. Eu consigo,

         CAMILA – Vem, eu te ajudo. (pro taxista) Quanto deu aí moço?

         Camila deixa a mãe perto do portão e vai pagar o taxi.

         CAMILA – Obrigada!

         O carro vai embora e Camila se aproxima de Olinda.

         CAMILA – Vamos?

         OLINDA – Não precisa disso tudo. Tô bem.

         CAMILA – Tem certeza? Tá sentindo fraqueza não?

         OLINDA – Tô não…

         Camila abre o portão. Jurandir vem de dentro da casa, emocionado.

         JURANDIR – Olinda… (chorando, a abraça)

         OLINDA – O que que te deu, homem?

         JURANDIR – (fala baixo, voz embargada) Desculpa…

         Camila fica surpresa. Olinda começa a chorar. Foco no abraço emocionado. Instantes.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 7/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ SALA

         Os três entram. Olinda e Jurandir limpando as lágrimas. Brenda corre até a mãe e a abraça.

         BRENDA – Mãe, que saudade…

         OLINDA – Também estava com muita saudade, minha filha… Hum, que cheio bom é esse?

         BRENDA – O pai fez a janta.

         JURANDIR – (sem graça) Pois é, tentei fazer um jantarzinho.

         CAMILA – É, parece que alguém mudou mesmo…

         Eles param perto da porta da cozinha.

         JURANDIR – Eu reconheço que errei muito com vocês…

         OLINDA – (compreensiva) Tá tudo bem, Jurandir… Vamos comer que parece estar muito bom.

         JURANDIR – Deixa eu só falar uma coisa. Quero pedir desculpa mesmo pra vocês…

         CAMILA – Por essa eu não esperava.

         OLINDA – Deixa ele falar, Camila.

         JURANDIR – Eu não sei muito como falar não… Mas eu vou mudar. Vou arrumar um bico por aí, ajudar mais vocês.

         OLINDA – Mas e sua perna?

         JURANDIR – Acho que dá pra trabalhar assim…

         CAMILA – Não vai me dizer que você fingia esse problema na perna, Jurandir?

         JURANDIR – Não… Quer dizer, eu confesso que fazia um drama, por isso tô pedindo desculpas.

         CAMILA – Que cara de pau…

         OLINDA – Para Camila! Ele se arrependeu, poxa! Vamos dar uma chance. Não quero mais briga aqui, quero paz nessa casa. Será que vocês podem fazer isso por mim?

         CAMILA – Claro, mãe…

         BRENDA – Então vamos comer agora? Se não vai esfriar.

         JURANDIR – Isso, a Brenda tem razão. Vamos!

         Camila se distancia, em direção ao corredor.

         CAMILA – Vou só tomar um banho antes…

         OLINDA – Ah, Camila, depois quero saber o motivo da sua tristeza.

         CAMILA – Quem disse que eu tô triste?

         OLINDA – Tá sua cara, minha filha. Eu te conheço. Alguma coisa aconteceu!

         CAMILA – Não foi nada não…

         Ela vai pro seu quarto.

CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 9/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ QUARTO DE CAMILA

         Camila sentada na cama, triste, pensativa. A voz de Giselle vem em sua cabeça.

         GISELLE – (off) Você é novinha nesse ramo né, querida. Da próxima vez, trata de registrar pra não acontecer de novo, amore. […] Não banca a revoltadinha pra cima de mim não. Eu não tenho culpa se você é burra. Você não me deu outra escolha a não ser pegar a gravação pra mim.

         Camila limpa as lagrimas.

CENA 10/ INTERIOR/ NOITE/ APARTAMENTO DE ARISTÓTELES/ SALA DE ESTAR

         Som ambiente ligado em uma música dançante. Giselle no centro da sala, dançando, animada, com um copo de uísque na mão.

         Aristóteles sentado no bar, observando-a.

         GISELLE – Você tinha que ver como a tal da Camila ficou revoltada. Tava até vermelha! (ri)

         ARISTÓTELES – Você gosta, né, Giselle?

         GISELLE – Amoooo! Hoje o dia foi ótimo. Acabei com aquela pirralha, minhas fotos pra divulgação ficaram maravilhosas, e minha música sendo lançada depois de amanhã!

         ARISTÓTELES – (se levanta e se aproxima dela, acompanhando-a na dança) Tudo isso graças a quem?

         GISELLE – Graças a mim que pegou aquele hit!

         ARISTÓTELES – E eu? Não mereço nenhum mérito?

         GISELLE – Só um pouco. (ri)

         Ela apoia seus braços nos ombros dele e os dois dançam juntos. Aristóteles a olha maliciosamente e pega na cintura dela. Eles se divertem.

         De repente, ele põe uma das mãos no pescoço de Giselle e tenta beijá-la. Giselle se livra das mãos dele e se afasta rapidamente. Seu copo de uísque cai e se quebra no chão.

         GISELLE – (nervosa) O que é isso, Aristóteles? Tá louco?

         Closes alternados entre os dois. Tensão.

         CORTA PARA/

CENA 11/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DE TEREZINHA/ SALA

         Tarcísio sentado no sofá, pronto pra sair, terminando de amarrar o tênis. Terezinha vem do corredor.

         TEREZINHA – Vai sair, Tarcísio?

         TARCÍSIO – Vou, só estou esperando seu filho.  (ri)

         TEREZINHA – Kaio demora mesmo pra arrumar. (vai até a porta) Eu tô indo ali na Olinda, ver como ela tá. Juízo vocês dois, em. (e sai)

         TARCÍSIO – Até mais tarde.

         Tarcísio se aproxima da janela pra ver o movimento. Kaio vem do corredor, trajando uma linda roupa casual.

         KAIO – Vamos?

         TARCÍSIO – (se vira e fica admirado) Vamos… Você tá lindo.

         Kaio dá um sorriso sem graça. Os dois saem e Kaio fecha a porta.

         CORTA PARA/

CENA 12/ INTERIOR/ NOITE/ SHOPPING/

         Sonoplastia: Fallin’ – Alicia Keys

         Takes de Kaio e Tarcísio andando pelo shopping. Muitas pessoas ao redor. Eles compram ingressos na bilheteria do cinema.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 13/ INTERIOR/ NOITE/ SHOPPING/ SALA DE CINEMA

         Continua áudio da cena anterior, em volume baixo.

         Kaio e Tarcísio sentados lado a lado, nas cadeiras superiores da sala. Foco na tela do cinema. Uma cena do filme mostra dois amigos, de aparentemente 30 anos, conversando.

         AMIGO 1 – Eu acho que o amor é um sentimento lindo demais pra se esconder. Se você ama alguém, você tem que falar, que gritar aos quatro cantos, antes que seja tarde. Amor não é vergonha, nem pecado. É o sentimento mais lindo do mundo.

         AMIGO 2 – Mas não sei se é amor o que eu sinto.

         AMIGO 1 – Se você não dizer nada, vai ficar mais confuso ainda! O importante é se abrir.

         Áudio aumenta.

Tarcísio toca na mão de seu primo e olha pra ele. Kaio continua fixado no filme.

         Kaio permite que sua mão se encaixe com a de Tarcísio. Romance. Instantes.

         Fim abrupto do áudio.

CORTA PARA/  

CENA 14/ INTERIOR/ NOITE/ APARTAMENTO DE ARISTÓTELES/ SALA DE ESTAR

         Continuação imediata da cena 10.

         ARISTÓTELES – Eu achei que você queria. Desculpa.

         GISELLE – (pega a bolsa) Não queria nada! Minha relação com você é só profissional. Ridículo!

         ARISTÓTELES- Calma Giselle, já te pedi desculpas.

         GISELLE – (vai saindo) Eu vou embora!

         ARISTÓTELES – Não precisa disso tudo…

         GISELLE – Vê se entende de uma vez por todas: eu não quero nada com você!

         Giselle bate a porta ao sair. Aristóteles pensativo, ameaçador.

         ARISTÓTELES – Vamos ver se não quer mesmo…

         CORTA PARA/

CENA 15/ EXTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ FACHADA

         Camila acompanha Terezinha até o portão.

         CAMILA – Obrigada por ter vindo, viu?

         TEREZINHA – Foi ótimo. O jantar estava muito bom. Parece que o Jurandir se endireitou mesmo né?

         CAMILA – Pois é. Pena que precisou de minha mãe ficar doente pra isso.

         TEREZINHA – Mas vai ficar tudo bem. Deixa eu ir que amanhã abro a padaria bem cedo.

         CAMILA – Kaio tá lá, Terezinha?

         TEREZINHA – Ele saiu com o Tarcísio, devem ter chegado, eu acho…

         CAMILA – Ah sim… Tchau!

         TEREZINHA – Tchau, fica com Deus…

         Terezinha se distancia e Camila entra.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 16/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DE TEREZINHA/ SALA

         Kaio e Tarcísio terminam de subir as escadas e entram. Kaio fecha a porta mais deixa o vidro aberto, possibilitando a visão da sala pela grade.

         Tarcísio senta no sofá. Kaio vai fechando as janelas.

         KAIO – Minha mãe tá demorando, né…

         TARCÍSIO – Pois é.

         Kaio senta em outro sofá. Silêncio por alguns segundos. Eles trocam alguns olhares, apesar de Kaio tentar evitar.

         TARCÍSIO – Gostou do filme?

         KAIO – Muito…

         TARCÍSIO – Que bom que o protagonista conseguiu se declarar, né.

         KAIO – Verdade.

         Sonoplastia: Fallin’ – Alicia Keys

         Eles trocam olhares novamente. Tarcísio se levanta lentamente, e senta no outro sofá, ao lado dele. Kaio um pouco nervoso.

         KAIO – Acho que já vou deitar… (vai se levantando, mas Tarcísio não deixa) O que foi?

        TARCÍSIO – (sussurrando) Fica aqui mais um pouco… (acaricia os braços dele)

         KAIO – Eu não… (pausa, demonstra não resistir) Minha mãe deve estar chegando…

         TARCÍSIO – Não pensa em nada agora…

         Tarcísio aproxima sua boca perto da dele, lentamente. Kaio se rende e o beijo acontece, inicialmente leve e delicado, se intensificando aos poucos. Instantes.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Terezinha vê pela grade da porta, o beijo entre seu filho e Tarcísio. Tensão. Instantes.

         FIM DO CAPÍTULO

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr
  • Adorei o barraco entre Camila e Giselle. Alguém tem que colocar a metidona no lugar. Só quero ver a cara dela quando a Camila fizer mais sucesso que ela e com ajuda do Laerte. E o Aristóteles, que safado! Já vi que ele não vai deixar a Giselle em paz tão cedo. Ótimo capítulo, Tales!

  • LEIA TAMBÉM

    >
    Rolar para o topo
    Suporte Cyber TV
    Precisa de ajuda?
    Olá!
    Como podemos lhe ajudar?
    Estamos sempre disponíveis.
    Powered by