Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

DIVAS – Capítulo 14

CENA 1/ INTERIOR/ DIA/ CASA DOS OLIVEIRA/ SALA

         Continuação da última cena do capítulo anterior.

         Camila em pé, animada ao saber que Bruno registrou a música antes. Bruno no sofá, desinteressado.

         BRUNO – Você pretende processar ela?

         CAMILA – (pensativa) Claro! Mas preciso fazer isso no momento certo.

         BRUNO – Quando?

         CAMILA – Quando ela lançar a música e achar que está se dando bem. Eu vou lá, e conto toda verdade. Vou pedir uns conselhos pro Laerte e pro Rick também.

         BRUNO – (sério) Não, Camila… Eu não quero que você fique entrando nesse joguinho de gente famosa.

         CAMILA – Como assim?

         BRUNO – Uma hora você vai acabar sendo vítima dessa revolta, escuta o que eu tô dizendo…

         CAMILA – O que você quer que eu faça então? Deixar por isso mesmo?

         BRUNO – Não, mas não precisa esperar ela lançar. Imagina o escândalo que vai ser? Você processar depois que ela tiver fazendo sucesso… Isso se você conseguir ganhar esse processo!

         CAMILA – Mas a música está no nosso nome, Bruno! Qualquer um ganharia esse processo. E eu vou contar com a ajuda do Laerte.

         BRUNO – Eu não concordo com isso. Acho melhor você proibir esse lançamento hoje mesmo. Eu quero que seja assim. A música é minha também.

         Camila decepcionada e Bruno decidido.

         CORTA PARA/

CENA 2/ INTERIOR/ DIA/ CASA DE TEREZINHA/ QUARTO DE KAIO

         Continuação da cena 15 do capítulo anterior.

         Tarcísio em pé, à porta. Kaio mexendo em suas coisas na escrivaninha.

         KAIO – Eu não tenho tempo pra conversar agora, Tarcísio…

         TARCÍSIO – (se aproxima dele) Eu só queria te pedir desculpa.

         KAIO – Pelo o que?

         TARCÍSIO – Pelo beijo de ontem. Eu acho que passei dos limites mesmo. 

         KAIO – Tá tudo bem. Eu só não quero falar sobre isso.

         TARCÍSIO – Mas você gostou?

         KAIO – (pausa, olha pra ele, fala baixo) Gostei/ Quer dizer… Ah não sei, eu tô com a cabeça em outras coisas. (vai saindo do quarto)

         TARCÍSIO – (pega em seu braço e olha em seus olhos) Espera… Eu preciso te dizer que… (pausa)

         KAIO – Fala!

         TARCÍSIO – Eu amei o beijo. E toda vez que eu olho pra essa sua boca, me dá vontade de te beijar mais ainda. Eu gosto muito de você! Eu sei que a gente é primo, e tal/

         KAIO – (corta) Pois é, não tá certo isso.

         TARCÍSIO – Deixa eu terminar. Eu não vejo tanto problema nisso/

         KAIO – (corta) Como não vê problema nisso? E se sua mãe souber?

         TARCÍSIO – (desanima) Tem a sua mãe também, né… Será que ela iria entender?

         KAIO – Ela já sabe.

         TARCÍSIO – O que? Você contou?

         KAIO – Não. Ela viu…

         TARCÍSIO – (surpreso) Nossa… E o que ela disse?

         KAIO – Ela falou que a gente tem que conversar sobre nossos sentimentos.

         TARCÍSIO – Sério? A Terezinha é maravilhosa… Então, sobre isso mesmo que eu vim te falar. Sobre meus sentimentos.

         KAIO – Mas eu não tô entendendo os meus.

         TARCÍSIO – Eu sei que você deve estar confuso… Enfim, eu não vou ficar te cobrando, só queria que soubesse que tô mesmo, muito afim de você. (toca os lábios dele)

         Kaio o olha, eles se aproximam e quase se beijam, mas Kaio se afasta.

         KAIO – É só isso? Posso sair?

         TARCÍSIO – Tudo bem… Mas promete que fala comigo, quando se sentir mais à vontade, por favor. (Kaio vai saindo, mas para na porta) Kaio!

         KAIO – Tudo bem, eu falo.

         Kaio sai e Tarcísio senta na cama, pensativo.

         CORTA PARA/

CENA 3/ INTERIOR/ DIA/ CASA DOS OLIVEIRA/ SALA

         Continuação da cena 1.

         Discussão tranquila entre Camila e Bruno.

         CAMILA – Quer dizer que você não permite eu fazer as coisas do meu jeito?

         BRUNO – Tudo tem que ser do seu jeito?

         CAMILA – Você não sem ideia do que eu passei naquele estúdio/

         BRUNO – (corta, se levanta) Isso não justifica, Camila.

         CAMILA – Você não estava lá pra saber! Aquela mulher me humilhou! Me colocou pra baixo o tempo todo, na maior cara de pau. E ainda assumiu que me roubou!

         BRUNO – Mas você tem como provar que a música é sua! Dá pra você me fazer isso hoje ainda!

         CAMILA – Isso não é o suficiente. Eu preciso fazer ela se sentir tão mal quanto eu me senti.

         BRUNO – Isso é uma vingança idiota!

         CAMILA – Isso é justiça, Bruno! E outra coisa. Qual o problema de esperar um pouco? Isso não vai te afetar em nada! Em nada!

         BRUNO – Eu não gosto de escândalo, Camila!

         CAMILA – Mas isso não vai recair nem um pouco em você! Você veio aqui me pedir perdão, mas continua nem um pouco feliz por eu conseguir realizar meus sonhos.

         BRUNO – Não é isso, Camila…

         CAMILA – Se não é isso é o que? Me fala! Hein?

         BRUNO – É que…

         CAMILA – Tá vendo? Você não me apoia!

         BRUNO – Claro que eu te apoio! Eu só tenho medo das pessoas que você vai conviver quando ficar famosa. O dinheiro muda as pessoas, Camila.

         CAMILA – Então você não confia em mim? Acha que eu vou mudar por causa da fama?

         BRUNO – Eu gosto muito de você, do jeito que você é. Você é uma menina maravilhosa! E eu confesso que tenho medo de como tudo isso pode mudar com sua fama.

         CAMILA – Eu nunca mudaria! Principalmente com você! Mas se não confia em mim, vai embora daqui, vai!

         BRUNO – Calma, Camila/

         CAMILA – (corta) Não preciso ficar com ninguém que não queria me apoiar.

         BRUNO – Eu vou te apoiar! Só fico preocupado dessas pessoas te meterem em problema.

         CAMILA – Eu tô assumindo a responsabilidade!

         BRUNO – (pausa) Quer saber? Tudo bem, faz o que você quiser… Não tem como fazer você mudar de ideia.

         CAMILA – Não tem mesmo!

         Silêncio por alguns segundos.

         BRUNO – É pra eu ir embora?

         CAMILA – Não… Pode ficar.

         BRUNO – Enfim… O que você pretende fazer?

         CAMILA – Eu vou ligar pro Rick e marcar um encontro com ele e com Laerte. Combinar a hora certa de acabar com a Giselle. Ela vai ter o que merece.

         BRUNO – Eu espero, do fundo do meu coração, que não dê nada errado.

         CAMILA – Não vai dar!

         Sonoplastia – You Rock my world – Michael Jackson

         BRUNO – Chega de discussão né? Não vim aqui pra isso. (se aproxima e pega em sua cintura) Você fica mais linda assim, determinada, com raiva.

         CAMILA – E você fica mais lindo quando se rende pra mim.

         BRUNO – Você gosta de me ter na sua mão, né…

         Eles se beijam.

         CAMILA – Dorme aqui hoje?

         BRUNO – Sério?

         CAMILA – Sério, ué.

         Eles voltam a se beijar. Instantes.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 4/ INTERIOR/ DIA-NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ QUARTO DE CAMILA

         Continua áudio da cena anterior.

         Cortes descontínuos de Camila e Bruno. Eles cantam, tocam violão e anotam em papéis.

         Na janela atrás deles, vemos o anoitecer.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 5/ EXTERIOR/ NOITE

         Continua áudio da cena anterior.

         Takes aéreos da noite na cidade. A CAM sobrevoa por prédios do Rio de Janeiro.

         Plano geral no prédio da emissora.

         Fim abrupto do áudio.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 6/ INTERIOR/ NOITE/ EMISSORA/ ESTÚDIO PROGRAMA CRIS FONTANA

         Roda a vinheta do programa de entrevistas.

         CRIS FONTANA (37 anos, alta, pele negra, com um lindo coque no cabelo) desce as escadas, vestindo um lindo tomara que caia azul.

         Decoração glamurosa, muito brilho. Um sofá branco, ao lado da mesa da apresentadora, no centro do cenário.

         Ao lado, uma banda tocando uma música animada. Cris termina de descer as escadas e dá um sinal pra banda parar.

         CRIS – (sorrindo) Boa noite, meu Brasil! (caminhando até a mesa) Hoje vamos receber a diva dos anos 90; a polêmica; a deslumbrante; a maravilhosa, Giselle Rios! (aponta pra escada)

         A banda volta a tocar e Giselle desce, fazendo carão. Ela chega no centro do cenário e abraça a apresentadora. Elas trocam algumas palavras.

         Cris vai até sua cadeira atrás da mesa e Giselle senta no sofá. A banda para.

         CRIS – Que mulher é essa! Maravilhosa! Boa noite, Giselle!

         GISELLE – Boa noite, minha querida! Estou mega feliz de estar no seu programa.

         CRIS – Eu é que tô super feliz, e mega ansiosa pra saber de tudo sobre sua vida, sua carreira. Mas antes… Vamos começar com um depoimento que nossa produção fez questão de ir atrás!

         GISELLE – Gente, já começa com surpresas!

         CRIS – É, minha linda. Aqui é assim! A gente conversou com uma pessoa que se envolveu numa polêmica com você, recentemente.

         GISELLE – (fingindo curiosidade) Já quero saber!

         CRIS – Pode rodar, produção. O depoimento de Ivete Sangalo!

         Giselle fica um pouco apreensiva.

         CORTA PARA/

CENA 7/ EXTERIOR/ NOITE/ UFRJ/ SAÍDA

         Saída da faculdade muito movimentada, com alunos e carros saindo. Kaio sai e Henrique vem atrás dele, correndo, até alcança-lo.

         HENRIQUE – Qual foi, Kaio? Nem me esperou?

         KAIO – Foi mal… Estava com pressa.

         Eles caminham pelo passeio.

         HENRIQUE – Tu tá estranho em cara? Desde que chegou… Tá passando mal?

         KAIO – Não… Só tô nervoso. Ansioso pra formatura.

         HENRIQUE – Tá quase chegando, né. Não vejo a hora de chegar essa festa. Vou beber até amanhecer!

         Kaio dá um risinho sem graça.

         HENRIQUE – Ih… Tá difícil em. O que aconteceu, cara?

         KAIO – Tô confuso com um lance aí. Deixa pra lá.

         Eles chegam no ponto de ônibus e os dois se sentam.

         HENRIQUE – Já sei. Tem a ver com a Camila.

         KAIO – Não. (pausa) Mas que bom que falou nela. É com a Camila mesmo que preciso conversar.

         HENRIQUE – Tô entendendo mais nada…

         Kaio fica pensativo.

         CORTA PARA/

CENA 8/ INTERIOR/ NOITE/ EMISSORA/ ESTÚDIO PROGRAMA CRIS FONTANA

         Continuação da cena 6.

         Ivete aparece no telão do programa. Giselle assiste, apreensiva.

         IVETE – Boa noite, minha gente. Cris, que saudade de ir no seu programa! Bom, vocês me pediram pra falar de Giselle Rios. Olha, aquilo que ela falou naquele áudio foi horrível! Brasil, o carnaval, a Bahia, o nordeste todo, não é nada do que ela falou! Acho que Giselle devia tá passando por um mal momento na vida dela, pra ter tanto ódio e raiva naquelas palavras. Enfim… Espero que ela venha conhecer o que é realmente o carnaval da Bahia. Nosso povo é super acolhedor. Tomara que ela mude aquelas ideias tão preconceituosas! Isso que eu espero, realmente.

         Termina o vídeo.

         CRIS – E aí, Giselle? O que tem a dizer?

         GISELLE – (finge tristeza) Olha, Cris… Tô muito feliz em ver esse vídeo e ouvir essas palavras da Ivete. Eu realmente estava passando por um péssimo momento, falei sem pensar. Eu tô extremamente arrependida! De verdade.

         CRIS – E o convite dela? Aceita?

         GISELLE – Mas é claro! Em 2002 vai ter Giselle Rios no carnaval de Salvador! (ri)

         CRIS – Ah que maravilha! Mas Giselle, agora, eu o Brasil, queremos saber tudo sobre o que saiu nas mídias hoje.

         GISELLE – Pois é, menina… Eu decidi ser honesta com meus fãs…

         CRIS – Então conta tudo, não me esconda nada! Essa notícia de que você não é filha do Laerte Rios caiu como uma bomba!

         GISELLE – Já tinham alguns boatos né. Mas decidi confirmar e evitar o falatório. Bom, posso começar?

         CRIS – Pode, mas depois do intervalo! (para a câmera) A gente volta já.

         A banda volta a tocar. Surge a vinheta do programa.

         CORTA PARA/

CENA 9/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DE JUDITE/ SALA

         Judite e Josias entram juntos, com algumas sacolas de compras. Josias pega todas as sacolas e vai pra cozinha. Judite senta no sofá.

         JUDITE – Nossa, eu tô morta!

         JOSIAS – (em off, da cozinha) Vai tomar banho, mãe. Eu faço alguma coisa pra gente comer.

         JUDITE – Daqui a pouco eu vou… Eu tô até agora triste com a situação da dona Ana…

         JOSIAS – (chega da cozinha) Mulher tão linda daquela né, aturando um casamento horroroso.

         JUDITE – Mulher muito boa, isso sim! De bom coração! Se tivessem mais pessoas boas igual ela, o mundo seria melhor…

         JOSIAS – Mãe, quem é bom, sempre se lasca!

         JUDITE – Pois é… (pausa e se levanta) Vou tomar banho… Onde será que a Jamily se meteu em?

         JOSIAS – Pra mim, minha irmã tá se metendo em alguma coisa errada.

         JUDITE – Vira essa boca pra lá, menino.

         Judite sai. Josias vai pra cozinha.

         CORTA PARA/

CENA 10/ EXTERIOR/ NOITE/ MOTEL/ ENTRADA

         Plano geral do Motel.

         O carro de Laerte entra lentamente. Podemos ver a sombra de Jamily ao lado do empresário.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 11/ INTERIOR/ NOITE/ MOTEL/ QUARTO

         Jamily deitada, de lingerie, com um olhar provocante pra Laerte. Ele, de cueca, em pé, vai pegar algo no bolso de sua calça.

         LAERTE – Merda, não trouxe camisinha.

         JAMILY – Relaxa, eu tô tomando anticoncepcional… Vem cá, vem.

         Ele a olha maliciosamente e deixa por cima dela. Eles dão beijos intensos.

         CORTA PARA/

CENA 12/ INTERIOR/ NOITE/ EMISSORA/ ESTÚDIO PROGRAMA CRIS FONTANA

         Roda e vinheta de “voltamos a apresentar” do programa de entrevistas.

         CRIS – Estamos de volta, meu Brasil! E vamos direto ao assunto! Giselle, conte nos tudo sobre sua paternidade.

         GISELLE – Bom, meu pai… (finge um choro) Vai ser mais difícil do que eu imaginava falar isso. Meu pai de chamava José Carlos, e eu nunca o conheci. Ele morreu, vítima de um infarto, dias depois do um nascimento…

         CRIS – Que tristeza…

         GISELLE – Pois é… E eu não consigo imaginar como minha mãe, Ana Alice, conseguiu lidar com isso… (para a câmera) Beijo, mãe!

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 13/ INTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ SALA

         Ana Alice assiste a entrevista, triste e decepcionada.

         Ela desliga a TV, assim que Giselle toca no nome dela.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 14/ INTERIOR/ NOITE/ EMISSORA/ ESTÚDIO PROGRAMA CRIS FONTANA

         Continua a entrevista.

         CRIS – Mas e o Laerte? Quando ele surgiu na sua vida?

         GISELLE – Minha mãe se casou com o Laerte quando eu tinha 8 anos. Eu não lembro do relacionamento deles antes disso, minha principal lembrança mesmo é do casamento. Foi uma festa linda.

         CRIS – E como foi a sua relação com Laerte a partir daí?

         GISELLE – Eu tinha ele como um pai, não posso negar… Apesar dele ter tido algumas atitudes que eu não gostava.

         CRIS – Que atitudes são essas?

         GISELLE – Querer me mandar muito sabe? Mais que minha mãe. Ele agia como um general, pra falar a verdade.

         CRIS – E sua carreira de cantora? Foi ele quem te incentivou?

         GISELLE – Foi. Ele me viu cantando um dia e disse que podia me lançar no mundo da música. Bom, deu certo. No começo eu não queria muito. Estava no início da minha faculdade de Jornalismo… Inclusive, lá que conheci minha amiga Marisa Moreira.

         CRIS – Nossa amiga aqui da emissora!

         GISELLE – Enfim. Eu larguei a faculdade e comecei a fazer shows e mais shows. Muitas gravações, entrevistas, festas, e principalmente cobranças. E o Laerte não aliviava.

         CRIS – Ele exigia muito de você?

         GISELLE – Nossa, era horrível! Eu não tinha descanso, não tinha vida social. Só vivia pra fama. Sofria pressões psicológicas dele… Mas o que importava era o dinheiro.

         CRIS – Você tá dizendo então, que era praticamente uma escrava?

         GISELLE – Olha, era assim mesmo, sem nenhum exagero. Eu era uma escrava, mas o Laerte só pensava na grana que eu rendia. Ele é muito, mas muito ganancioso!

         CRIS – Gente, que bafão! Foi por isso então que você desfez o contrato com ele.

         GISELLE – Na verdade foi ele quem quis desfazer. Vivia me dizendo que eu não servia mais pra ele, já que eu fiquei alguns anos fora dos holofotes, sem nenhum hit nas rádios.

         CRIS – Mas isso parece que vai mudar, não é mesmo?

         GISELLE – É o que eu espero, Cris! Venho compondo letras lindas pra meus fãs.

         CRIS – Vamos falar então sobre esses próximos lançamentos. Teremos um álbum?

         CORTA PARA/

CENA 15/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA

         Tudo apagado no cômodo, mas a Tv ligada no programa de Cris Fontana.

         De pijama, Camila assiste, Giselle falando sobre seus lançamentos.

         GISELLE – Vou lançar nesse fim de semana, Cris.

         CRIS – Qual o nome da música?

         GISELLE – “Olha pra mim”. É romântica, mas dançante. Não vejo a hora de mostrar pro mundo. (ri)

         Bruno chega no corredor, insatisfeito.

         BRUNO – Tá fazendo o que aí, Camila?

         CAMILA – Tô vendo a Giselle achando que vai fazer sucesso com minha música.

         BRUNO – Para de pensar nisso…

         CAMILA – Bem que você falou, ela mudou o nome da música. De “Não chore assim”, pra “Olha pra mim”.

         BRUNO – Tá bom. Então vamos deitar… Tava tão bom lá…

         CAMILA – Vamos… (se levanta, desliga a tv) Mas essa Giselle vai me pagar muito caro!

         CORTA PARA/

CENA 16/ EXTERIOR/ DIA

         Amanhece na cidade. Enquanto várias imagens do Rio de Janeiro surgem na tela, ouvimos a voz de um locutor de rádio.

         LOCUTOR – (off) Bom dia, Rio de Janeiro! Que dia lindo está fazendo na nossa cidade maravilhosa! E hoje acontece o tão aguardado lançamento da nova música de Giselle Rios. A cantora fará uma coletiva de imprensa hoje à tarde. Será que vem hit por aí?

         Fim do áudio da rádio.

         Plano geral da mansão Rios. Vemos Camila tocando a campainha no portão.

         CORTA PARA/

CENA 17/ INTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ SALA

         Rick abre a porta pra Camila.

         RICK – Bom dia, Camila! Estava ansioso esperando por você!

         CAMILA – Nossa, eu também. Tenho muitas novidades! O Laerte tá ai?

         RICK – Não, mas deve tá chegando. Vamos pro estúdio?

         CAMILA – Vamos!

         Eles caminham pro corredor. Giselle surge no topo da escada, imponente. Camila e Rick param ao ouvir a voz dela.

         GISELLE – Posso saber o que essa pirralha iniciante está fazendo da minha casa de novo?

         Tensão. Closes alternados entre as divas.

         CORTA PARA/

CENA 18/EXTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ ENTRADA

         Josias cuida de arbustos na entrada da mansão. Ana Alice conversa com ele, feliz.

         Vemos os dois pelo vidro do carro de Laerte, que entra na residência. Ele observa atentamente o rosto de Josias e para o carro próximo deles.

         Laerte desce do carro. Ana Alice e Josias param de conversar e ficam apreensivos. Laerte continua a olhar pra Josias.

         LAERTE – Você é o tal filho da Judite? Que foi preso?

         JOSIAS – Sim senhor. Fui preso injustamente.

         LAERTE – É, todos dizem isso mesmo.

         ANA ALICE – Não fala assim, Laerte!

         Judite vem se aproximando de longe, intrigada.

         LAERTE – Cala a boca, Ana Alice. Com você eu converso depois.

         JOSIAS – Você não devia tratar sua esposa assim não.

         LAERTE – (se aproxima dele, ameaçador) É o que? Tu acha que tem o direito de me dizer como eu devo tratar minha mulher? Seu trombadinha de merda!

         Josias ameaça agredi-lo.

         JOSIAS – Você limpa sua boca pra falar comigo!

         Judite chega.

         JUDITE – O que que tá acontecendo aqui?

         LAERTE – O que tá acontecendo, é que esse seu filho criminoso não devia estar trabalhando aqui. (para Josias) Trate de catar suas coisas e dar o fora daqui, o mais rápido possível!

         Tensão. Closes alternados entre Laerte, muito nervoso; Judite e Josias revoltados.

FIM DO CAPÍTULO

POSTADO POR

Tales D

Tales D

Mineiro de 21 anos. Autor de "Divas" (CyberTV), "Sangue do meu Sangue" (Recanto das Letras), "Espírito Vingativo" (Jovens Escritores).

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo