Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

DIVAS – Capítulo 18

CENA 1/ INTERIOR/ NOITE/ MOTEL

         Jamily sentada na cama com a mão na cabeça. Laerte em pé, nervoso e inquieto.

         LAERTE – Eu não acredito que eu cai nesse seu golpe, sua vagabunda!

         JAMILY – Eu não tô te aplicando nenhum golpe… Eu também não esperava por isso.

         LAERTE – Você acha que consegue mentir pra mim?

         JAMILY – (se levanta e grita) Eu não estou mentindo! E outra: esses testes de farmácia nem sempre dá pra acreditar.

         LAERTE – Reze pra você estar certa, por que se tiver um bebê meu nessa sua barriga, você vai ser obrigada/

         JAMILY – (corta) Eu nunca tiraria meu bebe!

         LAERTE – (fala baixo, ameaçador) Ah você vai tirar sim… (pega nos ombros dela) Se não, eu acabo com você! Não quero nenhum bastardinho!

         JAMILY – Você tá me ameaçando?

         LAERTE – Exatamente isso.

         JAMILY – Você é horroroso! Monstro! Me solta, senão eu grito!

         Laerte solta Jamily e ela chora.

         LAERTE – Você vai amanhã no hospital fazer o teste e se você estiver gravida, eu vou resolver esse problema. Eu não vou deixar você aplicar esse golpe em mim

         Jamily olha pra Laerte, amedrontada.

         CORTA PARA/

CENA 2/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ QUARTO DE CAMILA

         Continuação da cena 11, do capítulo anterior.

         Camila surpresa ao ouvir de Kaio que ele está apaixonado por Tarcísio.

         CAMILA – Gente… Tô perplexa!

         KAIO – (se levanta, decepcionado) Eu não devia ter contato…

         CAMILA – (puxa ele pelo braço, fazendo o sentar novamente) Calma aí. Você não queria conversar? Então vamos.

         KAIO – Você não vai saber o que me dizer… Tá tão confusa quanto eu.

         CAMILA – Não, eu so fiquei muito surpresa mesmo. Eu nunca imaginei que você… Enfim. Você tá apaixonado pelo Tarcísio. Aconteceu depois de você se declarar pra mim?

         KAIO – Assim que ele chegou, eu já comecei a sentir coisas diferentes por ele… Pra mim era só carência, por eu ter te perdido. Mas o tempo foi passando e eu não consigo tirar ele da cabeça.

         CAMILA – E você não falou isso com ele, aposto.

         KAIO – Claro que não! Por isso vim falar com você. Precisava contar pra alguém…

         CAMILA – E sua mãe?

         KAIO – Ela sabe… Ela viu nosso beijo/

         CAMILA – (corta, surpresa) Já teve beijo?

         KAIO – Já… Enfim, minha mãe viu, no outro dia veio falar comigo, dizendo que estava tudo bem, que eu teria que entender meus sentimentos e conversar com o Tarcísio.

         CAMILA – Ela falou a coisa certa pra você. Você tem que falar sobre seus sentimentos com ele.

         KAIO – Mas é muito difícil…

         CAMILA – Você não conseguiu comigo? Vai conseguir com ele também. Dá um jeito, só não deixa de viver isso.

         KAIO – Falando assim parece simples…

         CAMILA – Mas é, Kaio. Sei lá, chama ele pra sair, pra um jantar, pra pegar um cinema… Ah! Já convidou ele pra sua festa de formatura?

         KAIO – Ainda não.

         CAMILA – Então faz isso! Hoje ainda, se possível!

         KAIO – Tá bom…

         Camila sorri pro amigo e eles dão um abraço.

         CAMILA – Tô feliz por você… Vou ficar mais ainda quando você assumir esse amor

         KAIO – Eu tô mais ainda, por sua carreira estar decolando assim. Sempre soube que um dia você iria fazer o sucesso que merece!

         CAMILA – Obrigada, amigo… Te amo!

         KAIO – Também de amo!

         Eles permanecem abraçados. Instantes.

         CORTA PARA/

CENA 3/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DE JUDITE/ SALA

         Josias assiste a tv. Judite entra.

         JOSIAS – Demorou, mãe. Aconteceu alguma coisa?

         Judite vai andando até o sofá e senta ao lado do filho.

         JUDITE – Menino… Hoje foi um quebra pau lá naquela mansão.

         JOSIAS – É mesmo? Laerte fez alguma coisa?

         JUDITE – Dessa vez foi a filha dele. Quer dizer, enteada. A dona Giselle brigou feio com uma outra cantora lá. Tal de Camila.

         JOSIAS – Camila Oliveira?

         JUDITE – Essa mesma, como tu sabe?

         JOSIAS – Ela é filha do Jurandir, cara que trabalha comigo lá na obra. Ela vai ser cantora, tá trabalhando com o Laerte.

         JUDITE – (pensa) Pera aí… Camila, filha do Jurandir, casado com a Olinda? Olinda Oliveira?

         JOSIAS – É esse mesmo o nome da esposa dele. Ele já comentou. Conhece ela?

         JUDITE – Nossa, há muito tempo… A gente se conheceu num prédio da barra. Ela trabalha num apartamento e eu em outro. Depois ela saiu e eu nunca mais vi… Mas ela sempre falava do marido Jurandir e da filha.

         JOSIAS – Que coisa…

         JUDITE – Mas coitada da filha dela, Camila… Não sabe com quem tá lidando.

         JOSIAS – Pois é, com o pilantra do Laerte. Tadinha da Ana… Mulher tão boa, ela sempre vai me visitar lá na obra.

         JUDITE – Ela não merece aquele homem. Quando eu sai de lá, ele ainda nem tinha chegado.

         JOSIAS – Deve ter amante, né?

         JUDITE – Com certeza!

         JOSIAS – Coitada dessa amante também…

         Nesse momento, Jamily entra, com rosto molhado e olhos vermelhos. Ela vai caminhando pro quarto.

         JUDITE – Jamily? Tá chorando?

         JAMILY – Tô não, mãe… Vou dormir.

         Judite se levanta e entra no caminho dela.

         JUDITE – Não, pera aí. Que isso? Não vai falar nada?

         JAMILY – Eu tô cansada… Deixa eu ir pro meu quarto.

         JUDITE – Mas me fala antes por que tá chorando?

         JAMILY – Sai da frente, por favor…

         JOSIAS – Deixa ela, mãe. Não tem jeito.

         Judite hesita, mas deixa sua filha passar.

         JUDITE – O que será que essa menina tá aprontando, em.

         JOSIAS – Pra mim, a Jamily tá metida com alguma coisa errada.

         JUDITE – Será?

         Judite fica intrigada.

         CORTA PARA/

CENA 4/ EXTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS

         Plano geral na mansão. Laerte entra com seu carro.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 5/ INTERIOR/ NOITE/ MANSAO RIOS/ SALA

         Laerte entra na sala, joga sua maleta no sofá, desafrouxa a gravata e segue pro bar, perto da mesa de jantar. Ele serve um uísque e bebe, pensativo.

         LAERTE – (em off) Essa criança não pode nascer…

         Instantes.

         CORTA PARA/

CENA 6/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ QUARTO DE CAMILA

         Continuação da cena 2.

         Kaio e Camila abraçados. Tarcísio bate na porta e entra. Kaio e Camila desfazem o abraço.

         TARCÍSIO – (sem graça) Oi… É… Camila, estão perguntando por você!

         CAMILA – (se levanta) Estou indo. Vamos, Kaio?

         KAIO – Vamos.

         Camila sai primeiro. Depois Kaio sai e ao passar por Tarcísio, olha fixamente nos olhos dele. Tarcísio estranha. Ele fecha a porta.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 7/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ SALA

         Camila perto da mesa de jantar. Olinda, Kaio, Bruno e Brenda mais próximos dela. Os outros convidados mais dispersos.

         CAMILA – Gente, eu queria agradecer todo mundo que veio. Minha mãe maravilhosa por organizar a festinha e chamar vocês. Meu padrasto lá na churrasqueira. Quem diria em Jurandir?

         Todos riem. Jurandir fica sem graça.

         CAMILA – Quero agradecer meu amor aqui… (Bruno se aproxima e a abraça. Eles dão um selinho) Sem ele eu não poderia compor nada e minha carreira não daria certo do jeito que está começando a dar!

         BRUNO – O mérito é seu, minha cantora.

         Eles se beijam novamente. Os convidados aplaudem.

         CAMILA – Quero agradecer também, meu melhor amigo. Um anjo na minha vida, que sempre me apoiou e acreditou no meu sonho! Kaio!

         Kaio se aproxima e Bruno se afasta. Camila pega na mão de Kaio e olha nos olhos dele.

         CAMILA – Você faz parte disso tudo. Foi meu primeiro incentivador, antes mesmo de eu contar pra minha mãe, o meu sonho em ser cantora. Sem você eu não teria conseguido.

         KAIO – Que isso… Como o Bruno falou, o mérito é seu. Isso tá acontecendo por causa do seu talento.

         Eles se abraçam. Todos batem palma e gritam o nome de Camila.

         Camila desfaz o abraço.

         CAMILA – Gente, assim eu vou ficar com vergonha!

         Camila fica emocionada com o carinho de todos.

         CORTA PARA/

CENA 8/ EXTERIOR/ DIA/

         Amanhece na cidade.

         Plano geral da escola de música. Uma grande porta de metal na frente. Nas laterais, janelas horizontais.

         Para um carro em frente e dele desce Ana Alice.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 9/ INTERIOR/ DIA/ ESCOLA DE MUSICA

         Ana Alice entra e fica encantada.

         Há alguns pedreiros, incluindo Josias e Jurandir, dando retoques finais nas paredes. Vemos um longo corredor com 6 portas. Nas paredes, desenhos de notas musicais.

         Ana Alice caminha lentamente. Josias a vê e se aproxima. Instantes.

         JOSIAS – Bom dia, dona Ana!

         ANA ALICE – Como vai, Josias? Tudo bem?

         Eles dão um aperto de mãos.

         JOSIAS – Tudo, e a senhora.

         ANA ALICE – Melhor agora! Está lindo isso aqui!

         JOSIAS – Está praticamente no final!

         ANA ALICE – Não vejo a hora de começar a dar minhas aulas.

         JOSIAS – Está com sorrisão lindo. Bom te ver feliz assim.

         Ana Alice fica sem graça. Abigail vem por trás e se aproxima da amiga.

         ABIGAIL – Veio cedo. Ana Alice.

         ANA ALICE – Cheguei agora a pouco.

         JOSIAS – Bom, vou deixar as duas a sós. Bom dia!

         Josias sai, Ana Alice fica olhando-o sair, sorrindo.

         ABIGAIL – Já conseguimos juntar o dinheiro pra todos instrumentos.

         Ana Alice continua olhando Josias, aérea.

         ABIGAIL – Ana? Tá me ouvindo?

         ANA ALICE – Oi? Tô sim.

         ABIGAIL – (ri) Tá é interessada no pedreiro, né.

         ANA ALICE – Que isso, sou uma mulher casada.

         ABIGAIL – Com um homem asqueroso, do qual você devia ter se separado há muito tempo. Aí estaria livre pra se jogar nos braços do Josias.

         ANA ALICE – Não… Ele é bem mais novo… É filho da minha empregada.

         ABIGAIL – E qual o problema?

         ANA ALICE – Esquece isso, Abigail. Vamos ver as salas.

         Ana Alice vai em direção as salas e Abigail a acompanha, rindo.

         CORTA PARA/

CENA 10/ INTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ COZINHA

         Laerte sentado à mesa, com o café posto. Seu celular toca.

         LAERTE – Bom dia.

         ROMEU – (off) Laerte Rios, como vai?

         LAERTE – Muito bem, Sr. Romeu. E o senhor?

         ROMEU – (off) Bem. Tenho boas notícias.

         LAERTE – Eu imagino o que seja.

         ROMEU – (off) Traga sua agenciada, Camila Oliveira, que queremos propor um contrato a ela.

         LAERTE – Confesso que já esperava por isso.

         ROMEU – (off) Não seja tão pretencioso…

         LAERTE – Sei reconhecer um talento, meu querido.

         ROMEU – (off) Realmente, a garota tem talento. Espero vocês amanhã, as 4 da tarde.

         LAERTE – Estaremos ai!

         ROMEU – (off) Até mais.

         LAERTE – Até… (desliga o telefone, pensativo) Só falta a vagabunda da Jamily acabar com essa gravidez pra tudo ficar do jeito que que quero…

         CORTA PARA/

CENA 11/ INTERIOR/ DIA/ HOSPITAL/

         Jamily sentada na recepção, apreensiva. Uma enfermeira chama seu nome, ela se levanta e vai em direção ao corredor.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Jamily na sala de consulta, com um médico sentado na sua frente, lendo o resultado de um exame.

         MÉDICO – Parabéns, Jamily. Você será mãe.

         Jamily dá um pequeno sorriso, depois chora.

         MÉDICO – Tudo bem?

         JAMILY – Tudo bem sim…

         Jamily respira fundo.

CENA 12/ INTERIOR/ DIA/ HOSPITAL RECEPÇÃO

         Camila e Olinda entram no hospital. Jamily vem do corredor, com olhos marejados. As três se cruzam na recepção. Olinda observa o rosto de Jamily.

         OLINDA – Parece que eu conheço essa garota…

         CAMILA – Deve ser impressão sua.

         As duas chegam a atendente da recepção. Camila entrega um documento.

         CAMILA – Bom dia. Minha mãe veio pra última quimio dela.

         ATENDENTE – Ah sim. O oncologista já está a caminho.

         Olinda continua a olhar pra Jamily, que já está fora do hospital.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 13/ INTERIOR/ DIA/ HOSPITAL/ QUARTO

         Olinda deitada na maca, com o medicamento intravenoso. Camila ao seu lado.

         O celular de Camila toca.

         CAMILA – Já volto, mãe.

         OLINDA – Tá bem.

         Camila sai do quarto e fecha a porta.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Camila atende o celular, no corredor.

         CAMILA – Alô?

         LAERTE – (off) Camila, se prepare para ótimas notícias.

         CAMILA – Ai meu Deus! A Rio Records ligou?

         LAERTE – (off) Exatamente! Querem fechar o contrato amanhã!

         CAMILA – (quase grita de felicidade) Não acredito!

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Camila volta pro quarto, exalando felicidade.

         OLINDA – Quem era minha filha?

         CAMILA – Mãe, adivinha quem é a mais nova contratada da Rio Records? Eu!

         OLINDA – Que maravilha, Camila… Eu fico tão feliz por você, minha preciosa.

         CAMILA – Laerte me ligou (Olinda fica apreensiva) e me contou. Inclusive, ele vai dar uma festa lá na mansão dele na próxima quinta. Quero que a senhora vá comigo.

         OLINDA – (amedrontada) Na casa do Laerte, Camila? Não sei… Acho melhor não… E na próxima quinta é a formatura do Kaio…

         CAMILA – É verdade… Mas ele vai entender se eu não for. E eu faço questão que a senhora vá comigo.

         Olinda fica em silencio e disfarça um sorriso.

         CORTA PARA/

CENA 14/ EXTERIOR/ DIA-NOITE

         Anoitece na cidade.

         Plano geral no prédio onde mora Aristóteles.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 15/ INTERIOR/ NOITE/ APARTAMENTO DE ARISTÓTELES

         Sala do apartamento vazia. A campainha toca várias vezes.

         Aristóteles vem correndo do quarto, enquanto veste uma camisa.

         ARISTÓTELES – Já vai!

         Ele abre e dá de cada com Giselle.

         GISELLE – (ameaçadora) Boa noite, Aristóteles! Acho que precisamos acertar umas contas.

         Closes alternados entre Giselle, decidida; e Aristóteles, surpreso.

         CORTA PARA/

CENA 16/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ QUARTO DE KAIO

         Kaio estuda sentado na escrivaninha. Tarcísio bate na porta e entra. Kaio vira pra ele.

         TARCÍSIO – Cheguei. Você disse mais cedo que queria falar comigo…

         KAIO – Sim. Senta aí.

         TARCÍSIO – (senta na cama) Tá estudando o que?

         KAIO – É pra prova da OAB.

         TARCÍSIO – Ah sim… Então, o que queria falar?

         KAIO – (pega um convite na escrivaninha) Queria te convidar pra minha formatura.

         TARCÍSIO – Nossa…

         KAIO – Foram poucos convites… Mas deixei um pra você.

         TARCÍSIO – Ah… Obrigado pela consideração.

         KAIO – (nervoso) Quero te pedir desculpas também por ignorar você durante esse tempo… Mas vamos deixar as coisas acontecerem naturalmente…

         TARCÍSIO – Tudo bem… (pega na mão dele) Nossa, você tá gelado, tremendo…

         KAIO – (voz embargada) É que é difícil pra mim… Falar sobre isso.

         TARCÍSIO – Tá tudo bem… Posso te dar um abraço?

         Eles se abraçam. Kaio fecha os olhos. Instantes.

         CORTA PARA/

CENA 17/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DE ARISTÓTELES/ SALA

         Continuação da cena 15.

         Aristóteles surpreso com a presença de Giselle.

         ARISTÓTELES – Se você veio por causa das mentiras que sua mãe deve ter te contado, nem perca seu tempo.

         Giselle entra e passa por ele, intempestiva. Aristóteles fecha a porta.

         GISELLE – Não foi mentira nenhuma! Eu imagino muito bem o que você pode ter tentado fazer. Eu já estava te sacando!

         ARISTÓTELES – Mas pra mim você estava querendo também.

         Giselle se aproxima dele, perto da porta.

         GISELLE – (grita) Eu nunca quis nada! Você tá inventando coisas!  

         ARISTÓTELES – Olha, vamos abaixar esse tom que eu não quero escândalo aqui.

         GISELE – Sem problemas. Eu já providenciei com meu advogado, (pega papeis na bolsa) a nossa rescisão de contrato. Nunca mais quero te ver nessa vida.

         ARISTÓTELES – Tudo bem. Iria te propor isso mesmo. Não quero mais perder meu tempo com uma fracassada como você.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Na mesa de jantar, os dois terminam de assinar os papeis. Giselle coloca todos em sua bolsa novamente. Ela cumprimenta Aristóteles.

         GISELLE – Foi um desprazer trabalhar com você.

         ARISTÓTELES – (maliciosa) Mas poderia ter sido um prazer. Se você deixasse, gostosa…

         Giselle desfere um tapa na cara de Aristóteles. Ele segura o braço dela fortemente.

         ARISTÓTELES – (nervoso, pausadamente) Mulher nenhuma me bate!

         GISELLE – Merecia mais, seu pilantra! Me solta agora, anda!

         ARISTÓTELES – E se eu não quiser? Eu ainda não fiz tudo que que queria fazer com você…

         GISELLE – (assustada) Para com isso, Aristóteles, me solta…

         ARISTÓTELES – Primeiro eu vou te dar um trato, pra você ficar menos nervosa.

         Aristóteles agarra Giselle e ela se debate, tentando se livrar das mãos dela. Ele a leva pro sofá. CAM fica parada na mesa de jantar, com o bar ao lado.

         Ouve-se gritos de Giselle, que em seguida, são abafados.

         ARISTÓTELES – (off) Fica quietinha, fica…

         Mais gritos abafados de Giselle. Sons de luta corporal.

         De repente, ouve se um corpo caindo no chão.

         ARISTÓTELES – (off) Desgraçada!

         Giselle chega perto do bar. Ela está apenas de sutiã. Giselle pega uma garrafa de uísque e quebra na mesa.

         Plane geral na sala. Aristóteles se levantando do chão e Giselle o ameaçando com o pedaço da garrafa.

         GISELLE – Não chega perto de mim!

         ARISTÓTELES – Você não sabe brincar…

         Giselle pega sua bolsa no sofá, mas sempre olhando pra Aristóteles. Ele a assusta, se aproximando um pouco.

         GISELLE – Fica ai! Para! Eu te furo com essa garrafa.

         ARISTÓTELES – (ri) Fica tranquila, vou deixar você ir.

         Giselle vai chegando perto da porta.

         ARISTÓTELES – Mas se me denunciar eu te mato, tá me ouvindo?

         Giselle sai e fecha a porta.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Giselle joga a parte da garrafa no chão, pega uma echarpe na sua bolsa e cobre seu colo. Ela sai, rapidamente.

         CORTA PARA/

CENA 18/ EXTERIOR/ NOITE/ RUA

         Jamily na rua, perto de outras garotas de programa. Uma delas se aproxima de Jamily.

         GAROTA – Tá bem, Jamily?

         JAMILY – Tô…

         GAROTA – Hum… Tá esquisita.

         JAMILY – Coisa minha.

         O carro de Laerte para.

         GAROTA – Ih, ala. Chegou seu cliente.

         Jamily vai rapidamente pro carro. A garota de programa estranha.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Laerte e Jamily dentro do carro. Ele ansioso.

         LAERTE – Foi no hospital?

         JAMILY – Fui. Tô gravida mesmo.

         LAERTE – Já esperava por isso…

         JAMILY – O que a gente faz?

         LAERTE – Já fiz. (pega um cartão) Consegui achar essa clinica que vai resolver nosso problema.

         JAMILY – Eu não quero tirar meu bebe, Laerte…

         LAERTE – Você não tem querer! Eu não vou deixar você me aplicar esse golpe! E outra, você não tem onde cair morta! Vai criar um bebe como?

         JAMILY – Para de falar assim…

         LAERTE – Para você, de dizer que vai ter esse filho. Eu já marquei pra você a cirurgia na próxima quinta. Se você não for, eu acabo com sua raça!

         Jamily fica chocada. Closes alternados entre os dois.

         CORTA PARA/

CENA 19/ INTERIOR/ NOITE/ APARTAMENTO DE MARISA/ SALA

         Giselle sentada no sofá, abatida. Marisa em pé, revoltada. Continuação de uma discussão.

         MARISA – Giselle, isso não pode ficar assim! Ele tentou abusar de você!

         GISELLE – Eu sei, Marisa. Mas ele disse que iria me matar!

         MARISA – Você acha mesmo que ele faria isso? Ele disse só pra te amedrontar!

         GISELLE – Eu não sei… Eu não conheço o Aristóteles direito, mesmo nesse tempo que trabalhei com ele. Hoje ele me provou que as aparências enganam…

         MARISA – Eu fico indignada que isso vai ficar por isso mesmo.

         GISELLE – É melhor assim…  Eu quero paz na minha vida… Já encerrei o contrato com ele e nunca mais vou vê-lo!

         MARISA – Mas ele pode ir atrás de você! Te perseguir, sei lá.

         GISELLE – Ele pode tentar, mas não vai encontrar.

         MARISA – Como assim?

         GISELLE – Eu vou embora!

         MARISA – Como assim? Embora pra onde?

         GISELLE – Não sei ainda, mas quero ficar longe de tudo! Dessa cidade, do Laerte, do Aristóteles, da pirralha da Camila, de todos esses escândalos. Eu quero paz, sabe? Estou cansada de tudo! Vou tirar um ano de férias! Vida nova a partir de agora!

         Gisele decidida e Marisa surpresa.

FIM DO CAPÍTULO

        

POSTADO POR

Tales D

Tales D

Mineiro de 21 anos. Autor de "Divas" (CyberTV), "Sangue do meu Sangue" (Recanto das Letras), "Espírito Vingativo" (Jovens Escritores).

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo