Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

DIVAS – Capítulo 19

CENA 1/ INTERIOR/ NOITE/ APARTAMENTO DE MARISA/ SALA

         Continuação da última cena do capítulo anterior.

         Marisa em pé, surpresa com as notícias de Giselle, que permanece sentada, envolta numa echarpe, após fugir da casa de Aristóteles.

         MARISA – Giselle Rios se afastando da fama e dos escândalos. Essa é novidade!

         GISELLE – O que o Laerte fez comigo e essa situação com o Aristóteles, não dá pra suportar. Eu vou ficar louca se continuar perto disso.

         MARISA – E você vai sem se despedir de ninguém?

         GISELLE – Já falei com a única pessoa que importava: minha mãe. Inclusive pedi desculpas pra ela, por muitas coisas…

         MARISA – (chocada) Essa sua nova versão está me surpreendendo… E você vai pra onde?

         GISELLE – Pensando em ir pra Buenos aires… Lá eu vou ser pouco conhecida.

         MARISA – Ah… Deixa eu ir com você?

         GISELLE – Ué, mas e seu trabalho garota?

         MARISA – Eu entro de férias nesse fim de ano. Quero passar a virada com você lá.

         GISELLE – Combinado então… Agora eu preciso de um banho…

         CORTA PARA/

CENA 2/ EXTERIOR/ NOITE/ CARRO

         Continuação da cena 18 do capítulo anterior.

         Jamily assustada com a ameaça de Laerte.

         LAERTE – Me ouviu bem?

         JAMILY – (voz embargada) Ouvi…

         LAERTE – Um parceiro meu estará lá e vai me ligar pra avisar que você foi. Se você não for, já sabe.

         JAMILY – Tá… E depois? Como fica a gente?

         LAERTE – Depois eu te falo. Ainda tô desconfiado de que isso foi uma tentativa de golpe.

         JAMILY – Não foi, Laerte…

         LAERTE – Então me prova, estando lá na clínica na data e horário certos.

         Jamily faz que sim com a cabeça.

         CORTA PARA/

CENA 3/ EXTERIOR/ DIA-NOITE/ STOCK SHOTS

         Sonoplastia: Assim que se faz – Luciana Melo

         Vários takes do amanhecer e do anoitecer em diversos pontos da cidade.

         LETREIRO – Dias depois…

         CORTA PARA/

CENA 4/ INTERIOR/ DIA/ EMISSORA/ ESTÚDIO POP+

         Continua áudio da cena anterior, com menos volume.

         Marisa apresentando o POP+.

         MARISA – Depois do escândalo envolvendo o roubo da música, Giselle Rios anuncia longa pausa na carreira e diz estar precisando de paz. A diva irá até passar um ano fora do Brasil! (pra outra câmera) E Camila Oliveira, compositora original da música roubada por Giselle, assinou um contrato de dois anos com a Rio Records e lançará um álbum pela gravadora, em 2002! (para outra câmera) Mas antes de entrar nesses detalhes, vamos conferir como serão os feriados de fim de ano das divas e divos da nossa música.

         Fim abrupto do áudio.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Programa já fora do ar. A equipe de gravação guarda equipamentos. Marisa conversa com Armando.

         ARMANDO – Quer dizer que você vai passar suas férias com a Giselle Rios?

         MARISA – Vou sim.

         ARMANDO – Eu não me atreveria a ficar um dia com aquela louca.

         MARISA – Giselle não é assim, Armando. Ela mudou muito, alias.

         ARMANDO – Duvido! Mas de qualquer maneira, boas férias pra você!

         Eles se abraçam.

         CORTA PARA/

CENA 5/ EXTERIOR/ DIA/ STOCKSHOTS

         Takes da Ilha do Governador, numa tarde nublada.

         Plano geral na casa de Terezinha.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 6/ INTERIOR/ DIA/ CASA DE TEREZINHA/ SALA

         Tarcísio tenta arrumar a gravata de Kaio. Os dois muito bem vestidos, com roupas sociais. Há um espelho na parede perto deles.

         TARCÍSIO – (fazendo um nó na gravata) Pera aí, eu acho que é assim. (concentrado)

         Kaio sente seu pescoço apertado.

         KAIO – Ai! Quer me matar é?

         TARCÍSIO – (ri) Calma, tá ficando bom.

         Tarcísio termina de dar um nó muito mal feito e vira Kaio pro espelho.

         KAIO – Tá horrível, Tarcísio!

         TARCÍSIO – É… Não ficou muito bom mesmo.

         Kaio desmancha o nó. Terezinha vem do quarto com um lindo vestido azul. Kaio e Tarcísio se surpreendem.

         KAIO – Que isso, em mãe? Tá linda!

         Terezinha faz pose.

         TEREZINHA – Não podia fazer feio na formatura do meu filho né?

         TARCÍSIO – Tá maravilhosa, Terezinha.

         KAIO – Agora me ajuda a não fazer feio também. Arruma essa minha gravata que o Tarcísio não conseguiu nada.

         TARCÍSIO – Você que não para quieto.

         TEREZINHA – (pega na gravata) Um futuro advogado não saber dar um nó de gravata… É difícil em!

         Eles riem. Terezinha faz o nó rapidamente e Tarcísio observa. Kaio se olha. Camila chega e entra lentamente.

         CAMILA – Boa tarde, pessoal!

         KAIO – Oi, Camila.

         CAMILA – Tô passando aqui rapidinho, pra parabenizar meu amigo de novo…

         TARCÍSIO – Ué, você não vai na formatura?

         KAIO – (desanimado) Vai não, Tarcísio…

         CAMILA – Meu empresário vai oferecer um jantar pra comemorar meu contrato…

         TEREZINHA – Daqui a pouco Camila nem olha mais na cara dos pobres. (ri)

         CAMILA – Que isso… Nunca! Vocês são minha família.

         KAIO – (chega perto de Camila) Eu entendo que é uma noite importante pra você também…

         CAMILA – Pois é… O que importa não é a festa. É o apoio antes disso. E de você eu tive muito apoio.

         KAIO – Assim como eu tive de você!

         Eles se abraçam.

         CAMILA – (se afasta) Então fica assim. Boa festa pra vocês! Parabéns de novo, meu amigo… Amanhã a gente conversa sobre tudo!

         KAIO – Boa festa também, você merece esse reconhecimento.

         CAMILA – Beijos a todos! (sai)

         Terezinha, Kaio e Tarcísio dão tchau. Terezinha volta pro quarto, feliz. Kaio volta a se olhar no espelho. Tarcísio vai ao seu lado.

         TARCÍSIO – Você tá lindo!

         Kaio fica sem graça. Tarcísio dá um beijo no rosto dele.

         CORTA PARA/

CENA 7/ EXTERIOR/ DIA/ CLINICA CLANDESTINA/ FACHADA

         Sonoplastia: Suspense

         Jamily chega em frente à clínica, que se parece como uma casa normal. Ela passa pelo portão e sobe alguns degraus que dão acesso a porta de entrada.

         Do outro lado da rua, um homem observa Jamily entrando no local.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 8/ INTERIOR/ DIA/ CLINA CLANDESTINA/ RECEPÇÃO

         Continua áudio da cena anterior.

         Uma mulher atrás de uma mesa simples, em frente a um computador. Alguns bancos nos cantos, um corredor que dá acesso aos quartos e salas de cirurgia. Duas mulheres de idades diferentes nos bancos de espera.

         Jamily entra, senta ao lado dessas mulheres e faz um cumprimento com a cabeça, muito apreensiva.

         Fim do áudio em fade out.    

         CORTA PARA/

CENA 9/ EXTERIOR/ DIA/ ESCOLA DE MÚSICA/ ENTRADA

         Ana Alice sai acompanhada por Josias. Ele tranca a porta da escola.

         ANA ALICE – Não vejo a hora de chegar o dia da inauguração.

         JOSIAS – (entrega as chaves a ela) Mas está tudo pronto na obra!

         ANA ALICE – Sim, mas falta chegar os instrumentos.

         JOSIAS – Ah, é verdade. Bom, eu vou indo! Até mais.

         ANA ALICE – Não, vou te dar uma carona. Entra aí.

         JOSIAS – Não precisa, dona Ana…

         ANA ALICE – Precisa sim! E não me chama de dona!

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 10/ EXTERIOR/ DIA/ CARRO

         Ana Alice para na frente da casa de Josias.

         ANA ALICE – Está entregue!

         JOSIAS – Muito obrigado!

         ANA ALICE – Tenho que correr agora pra festa da Camila lá em casa.

         JOSIAS – Te atrasei, né?

         ANA ALICE – Claro que não!

         Silêncio por alguns segundos.

         ANA ALICE – Queria que fosse à festa também, mas/

         JOSIAS – (corta) Não. Ver o seu marido não é algo que eu quero muito.

         ANA ALICE – Na verdade, nem eu queria ver ele!

         JOSIAS – Isso a senhora pode resolver, né. Se separando dele.

         ANA ALICE – Não é tão simples…

         JOSIAS – Bom, vou indo.

         Josias vai abraça-la. Os braços dos dois se confundem no cumprimento. Eles riem e aproximam seus rostos.

         Depois de instantes de silêncio, Josias rouba um beijo de Ana Alice. Ela se afasta.

         ANA ALICE – Preciso ir embora.

         JOSIAS – (envergonhado) Desculpe. Eu não devia ter feito isso.

         ANA ALICE – Tudo bem… Tchau!

         JOSIAS – Tchau…

         Josias sai do carro. Ana Alice volta a dirigir, pensativa.

         CORTA PARA/

CENA 11/ INTERIOR/ DIA/ CASA DOS OLIVEIRA/ QUARTO DE OLINDA

         Com um lindo vertido preto, Olinda arruma seu lenço, em frente ao espelho. Jurandir entra.

         JURANDIR – Olinda?

         OLINDA – Oi, Jurandir…

         JURANDIR – Tá bem?

         OLINDA – (suspira) Não, né… Tô com medo de ir nessa festa.

         JURANDIR – Então por que vai? Deixa Camila ir só com o Bruno.

         OLINDA – Ela me pediu, Jurandir. Tenho medo dela desconfiar.

         JURANDIR – Essa história tá ficando perigosa… Como você vai ficar na casa do pai dela, que te abandonou?

         OLINDA – Eu vou dar um jeito. Só não posso estragar o sonho da Camila.

         JURANDIR – Você tá se colocando em risco…

         OLINDA – Vai dar tudo certo, Jurandir! É só essa noite!

         CORTA PARA/

CENA 12/ INTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ COZINHA

         Judite com um lindo uniforme, dando instruções a vários cozinheiros e garçons.

         Laerte chega da sala.

         LAERTE – Tudo certo por aí? Não quero erros essa noite em. Vou receber o dono da gravadora e executivos importantes.

         JUDITE – Pode deixar com a gente, Laerte…

         Laerte atravessa o cômodo e vai pra área externa.

         CORTA PARA/

CENA 13/ EXTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ PISCINA

         Laerte fala ao telefone, perto da piscina da mansão.

         LAERTE – E aí? Já viu a Jamily chegando? (pausa) Ah, que bom. Achei que ela ia me enganar. (pausa) Continua de olho!

         Laerte desliga o telefone, vira pra entrar e percebe que Judite ouvia a conversa. A empregada tenta disfarçar e correr de volta pra cozinha, mas Laerte a alcança. Eles param perto da porta da cozinha.

         LAERTE – Tá ouvindo a conversa dos outros agora, é? Intrometida!

         JUDITE – Foi sem querer…

         LAERTE – Sei…

         JUDITE – Eu ouvi você falando de uma tal de Jamily…

         LAERTE – (assustado) Sim, por que?

         JUDITE – É o nome da minha filha, só uma coincidência.

         LAERTE – Com certeza uma coincidência. Não me envolvo com filha de empregada. Só tenho contatos de alto nível! Agora volta pro seu trabalho, por que você não é paga pra ficar espionando a conversa dos outros.

         JUDITE – Sim senhor…

         Laerte sai. Judite sai depois, lentamente, muito intrigada.

         CORTA PARA/

CENA 14/ INTERIOR/ DIA/ MANSÃO RIOS/ SALA

         Laerte chega na sala. Giselle está de saída com duas malas.

         LAERTE – (irônico) Giselle Rios! Tá indo aonde minha filhinha?

         GISELLE – (ignorante, continuando a andar até a porta) Viajar! Não percebe?

         LAERTE – Vai pra onde? Tá fugindo dos escândalos, né…

         GISELLE – (para perto dele) Vou atrás de paz, Laerte. Tô cansada de tudo, de você, do Aristóteles, desses escândalos também.

         LAERTE – Me engana que eu gosto… Tenho certeza que você está tramando alguma coisa com seu empresário.

         GISELLE – Não trabalho mais com ele, nem com ninguém. Vou parar minha carreira por um bom tempo/

         LAERTE – Não pra continuar o que já acabou né…

         GISELLE – Nem adianta me ofender por que eu não caio mais nas suas provocações, Laerte… Muita sorte pra você e pra pirralha da Camila, tá? Bye!

         Giselle segue até a porta com as malas. Laerte desconfiado.

         CORTA PARA/

CENA 15/ INTERIOR/ DIA/ CLÍNICA CLANDESTINA

         Jamily continua a esperar, sozinha. Uma mulher, com um papel em mãos, vem do interior do local e chama por seu nome.

         Jamily se levanta a vai até ela, apreensiva.

         CORTA PARA/

CENA 16/ EXTERIOR/ NOITE

         Sonoplastia: Apenas Mais uma de Amor – Lulu Santos

         Anoitece.

         Plano geral de uma casa de festas, com um enorme salão coberto e uma imensa área verde com arvores, flores e bancos espalhados. Local muito iluminado.

         Fim do áudio em fade out.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 17/ INTERIOR/ NOITE/ SALÃO DE FESTAS

         Várias mesas com os formandos de direito sentados com suas respectivas famílias. Todas sendo servidas por garçons.

         Um palco com representantes e professores da universidade, e um microfone no centro.

         Um professor se aproxima do microfone.

         PROFESSOR – É uma alegria pra mim e pra todos professores aqui presentes, ver mais uma turma se formando! A gente deseja a vocês um futuro brilhante na profissão!

         Todos aplaudem.

         CORTES DESCONTÍNUOS: Os alunos se levantam, um de cada vez para subirem ao palco, pegarem seus diplomas e falarem ao microfone. Chega a vez de Henrique. Ele dá um abraço no amigo Kaio, antes de subir.

         Chega a vez de Kaio. Ele sobe, pega seu diploma e vai ao microfone.

         KAIO – (tímido) Boa noite, gente! (pausa) Bom, todo mundo sabe da minha dificuldade em falar assim, pra muita gente, mas não posso deixar de agradecer há algumas pessoas. Meus amigos de sala, principalmente você Henrique! Você foi muito importante durante esses anos do curso! (Kaio aponta pra ele) Esses professores incríveis aqui presentes, sempre dando o melhor para nos ensinar. E principalmente, acima de tudo, minha mãe, Tereza Sampaio! (Terezinha se levanta, aplausos) Minha mãe é uma mulher incrível! Forte, determinada, e sempre me ajudou e me apoiou em todos meus sonhos! E recentemente, tem me apoiado mais ainda! (Terezinha chora) Muito obrigado por tudo, mãe! Não existem palavras que possam definir o quanto eu sou grato a senhora! Te amo mais que tudo nessa vida!

         Kaio e Terezinha choram. Todos aplaudem. Instantes.

         CORTA PARA/

CENA 18/ INTERIOR/ NOITE/ CASA DOS OLIVEIRA/ SALA

         Camila ansiosa, com um lindo vestido branco e preto. Bruno bate à porta e ela abre. Ele, vestindo uma roupa social simples.

         CAMILA – Até que enfim! O carro que o Laerte mandou já está aí fora esperando a gente.

         BRUNO – Calma, cheguei! Tá boa essa minha roupa?

         CAMILA – Tá lindo! (dá um selinho nele) Cadê minha mãe… (grita) Mãe, vamos embora!

         CORTE RAPIDO PARA/

         Olinda em seu quarto, já arrumada. Ela reza, apoiada em sua cama.

         OLINDA – (off) Senhor, permita que tudo ocorra bem nessa festa e que minha filha concretize seus sonhos, até que, com o tempo, eu possa revelar a verdade a ela… (ouve-se gritos de Camila) Amém!

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Olinda chega na sala.

         OLINDA – Pronto, cheguei!

         CAMILA – Vamos que a gente tá atrasada.

         Camila, Bruno e Olinda saem.

         CORTA PARA/

CENA 19/ INTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ SALA

         Som ambiente. Instrumental – Piano.

         Cerca de 30 convidados, espalhados pela sala em pequenos grupos. Todos muito bem vestidos, com roupas socais caras. Clima agravável.

         Alguns garçons servem bebidas e canapés, bem uniformizados.

         Laerte, Romeu e mais dois executivos da gravadora, conversando em um canto.

         LAERTE – Preciso lhe parabenizar, mais uma vez, pela contratação de Camila, sr. Romeu. Nós temos uma estrela em mãos!

         ROMEU – Eu espero não me arrepender, Laerte. Quando Giselle começou também era assim…

         LAERTE – Giselle não chega aos pés dela, pode ter certeza!

         EXECUTIVO 1 – Mas onde está a Camila, afinal?

         LAERTE – Ela já deve estar chegando.

         Nesse momento, Camila entra, acompanhada de Olinda e Bruno. Olinda apreensiva, Bruno encantado com o luxo do local e Camila com um enorme sorriso

         Laerte aponta pra família e se aproxima, junto com Romeu e os executivos. Olinda fica cada vez mais nervosa.

         LAERTE – Olha nossa estrela ai!

         CAMILA – Boa noite!

         ROMEU – Como vai, Camila? Feliz?

         CAMILA – Explodindo de felicidade! Bom, esse aqui é Bruno, meu namorado. (Laerte e Romeu o cumprimentam)

         LAERTE – O parceiro das composições.

         BRUNO – (ri, sem graça) Eu mesmo…

         CAMILA – E essa é minha mãe, Olinda.

         Tensão! Laerte e Olinda se olham. Os dois demonstram muito nervosismo, mas Laerte disfarça rapidamente.

         LAERTE – (estende a mão) É um prazer conhecer a mãe da futura diva desse país!

         Olinda hesita em cumprimentar, mas dá um leve aperto de mão em Laerte. Camila estranha a situação.

         OLINDA – Prazer é meu…

         Olinda se distancia um pouco. Laerte se vira pra Camila novamente.

         LAERTE – Bom, Camila. Fique à vontade! A festa é sua!

         CAMILA – (sorri) Obrigada!

         Um garçom se aproxima de Camila e Bruno, e oferece champanhe. Os dois pegam.

         Um pouco mais afastada, Olinda observa tudo. Enquanto Camila e Bruno se distraem, Laerte lança um olhar ameaçador para Olinda.

         Tensão. Instantes.

         CORTA PARA/

CENA 20/ INTERIOR/ NOITE/ SALÃO DE FESTAS

         Sonoplastia: You Rock my World – Michael Jackson

         Todos os convidados da festa dançam, animados. Kaio sentado, junto com a mãe e seus outros convidados. Tarcísio perto da mesa chamando-o pra dançar.

         Tarcísio se aproxima e pega nos braços de Kaio.

         TARCÍSIO – Vamos, anda!

         KAIO – Melhor não, Tarcísio…

         TARCÍSIO – Você tem que comemorar esse momento, vem!

         Tarcísio puxa Kaio, que se levanta e o segue pro centro do salão, desanimado.

         TARCÍSIO – Vamos, se solta!

         Kaio envergonhado. Tarcísio dança perto dele e Kaio vai se soltando aos poucos.

         Mais distante dali, Henrique observa os dois dançando juntos e estranha a situação.

         CORTA PARA/

CENA 21/ INTERIOR/ NOITE/ CLINICA CLANDESTINA/ SALA DE CIRURGIA

         Cena em câmera lenta. Sonoplastia – Drama.

         Sala com poucas condições cirúrgicas.

         Jamily acordada, chorando e deitada na maca, com a barriga e a parte inferior de seu corpo cobertas.

         Uma médica a opera na barriga. Um assistente ao lado da paciente.

         O monitor indica algum problema no procedimento. O assistente observa o aparelho e dá uma má notícia para a médica, que passa a operar com mais velocidade e um pouco de desespero. Jamily fecha os olhos lentamente.

         CORTE RÁPIDO PARA/

         Close no monitor que indica zero batimentos do coração de Jamily. A médica aplica o desfibrilador no peito de Jamily e se afasta; mais uma tentativa e nada. A médica e o assistente desesperados. Ela faz mais uma tentativa e a linha do batimento cardíaco de Jamily continua reta. Mais uma tentativa é realizada e os dois desanimam. Perderam a paciente. Instantes. Drama e tensão.

         CORTA PARA/

CENA 22/ INTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ SALA

         Continua a festa. Laerte e seus amigos empresários rindo num canto. Ana Alice ao lado dele, desconfortável.

         Camila, Olinda e Bruno em outro canto, perto da cozinha.

         OLINDA – Não tá ficando tarde não, Camila?

         CAMILA – Que isso, mãe. A festa acabou de começar.

         BRUNO – Também não tô me sentindo tão à vontade aqui…

         CAMILA – A gente, para…

         Ana Alice passa por eles e nota Olinda.

         ANA ALICE – (curiosa) Oi? Você é a diarista que esteve aqui, não é?

         OLINDA – Ah, foi sim…

         CAMILA – Ué, mãe. Já trabalhou aqui e não me falou nada…

         ANA ALICE – Na verdade ela não chegou a trabalhar. Ela chamou aqui por engano no dia…

         OLINDA – Foi isso. Errei de casa.

         ANA ALICE – Que coincidência te encontrar! Parabéns pelo talento da sua filha!

         OLINDA – (sem graça) Obrigada…

         Ana Alice sai.

         CAMILA – Por que não me contou que já esteve aqui, mãe?

         OLINDA – Ah, Camila. Não foi nada demais.

         CAMILA – (desconfiada) Eu hein…

         OLINDA – Acho que vou procurar uma água com a empregada na cozinha… Só servem champanhe aqui nessa festa.

         CAMILA – Eu peço pra trazerem, não precisa ir lá.

         OLINDA – Não, deixa. Me entendo mais com o pessoal da cozinha.

         Olinda sai lentamente.

         CAMILA – Minha mãe tá estranha…

         BRUNO – Ela deve tá impressionada com tudo, né…

         Camila pensativa. Bruno pega na cintura dela e eles se beijam.

         CORTE RÁPIDO PARA/

CENA 23/ INTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ COZINHA

         Judite entrega bandejas com canapés para os garçons, que voltam para a sala. Olinda cruza com eles e se aproxima de Judite.

         OLINDA – Oi. Tudo bem? Você me arruma uma água, fazendo um favor?

         JUDITE – Claro! (reconhece Olinda) Olinda? É tu mesmo?

         OLINDA – Ué. Me conhece de onde?

         JUDITE – Não tá lembrada? Judite! Do prédio lá da barra. Você trabalhava pra dona Bete! Falei de você dia desses com meu filho…

         OLINDA – (reconhece e vai abraça-la) Judite! Quanto tempo, menina? Como tá a vida?

         JUDITE – Tá indo e você? Filha famosa agora em?

         OLINDA – Pois é… Tô bem… Na verdade tive um câncer. Tô no final do tratamento e tô esperando uns resultados pra ver se me livrei disso!

         JUDITE – Nossa… Mas vai dar tudo certo, se Deus quiser! Ah, a gente tem que se encontrar e botar o papo em dia.

         OLINDA – É verdade. Como estão os filhos?

         JUDITE – Joana ganhou neném, né. Tá morando em Cabo Frio. Josias tá trabalhando, ele passou por uns problemas aí, mas tá tudo bem. Só Jamily que tem me dado problema…

         OLINDA – Ela sempre foi levada né. Lembro dela criança…

         JUDITE – Tô achando que ela está se envolvendo com homem casado…

         OLINDA – Vixe… (se lembra de algo) Você falando da Jamily agora, lembrei de uma coisa… Eu vi um dia desses, no hospital, uma moça bem parecida com ela. Ela estava chorando, saindo de lá…

         JUDITE – Gente, eu não sabia que ela tinha ido no hospital… Ela nem tava doente. Pelo menos não percebi… Ela não me fala nada!

Nesse momento, Laerte vem da sala, com o celular tocando em mãos. Ele observa a conversa.

         LAERTE – Que papinho é esse aí?

         Olinda se assusta.

         LAERTE – Já te disse que eu não pago empregada pra ficar de conversa no serviço. Ainda mais com festa na casa. Vai trabalhar, anda! Imprestável!

         Judite se afasta, envergonhada. Laerte chega bem perto de Olinda. Ela fica amedrontada.

         LAERTE – (fala baixo) E você não vai fazer nenhuma gracinha! Depois da festa eu me entendo com você!

         Laerte vai pra área externa pra atender o telefone, que continuava a tocar. Olinda e Judite se olham. A empregada se aproxima.

         JUDITE – O que ele falou com você?

         OLINDA – Nada demais… Pediu pra voltar pra festa.

         JUDITE – Ah sim…

         Os garçons voltam e Judite vai até eles, se distanciando de Olinda. Olinda olha pra porta por onde Laerte saiu, intrigada. Ela observa a sua volta e vai até essa porta. Suspense!

         CORTA PARA/

CENA 24/ EXTERIOR/ NOITE/ CASA DE FESTAS/ JARDIM

         Do jardim, ouve-se o som da festa vindo do salão, em volume baixo.

         Tarcísio e Kaio caminham pela grama e se sentam num dos bancos.

         TARCÍSIO – Muito lindo aqui…

         KAIO – Sim.

         Silêncio. Eles observam o jardim e trocam olhares. Tarcísio ri.

         KAIO – Que foi?

         TARCÍSIO – Acho fofo quando você fica sem ter o que falar.

         KAIO – Mas você também não tá falando nada.

         TARCÍSIO – E o que que você quer que eu diga?

         KAIO – Nada…

         TARCÍSIO – Tudo bem, vamos ficar aqui, em silêncio, só vendo a natureza…

         Tarcísio chega mais perto de Kaio e põe seus braços por trás dele.

         TARCÍSIO – Sabia que você é o formando mais lindo da noite?

         KAIO – (ri) A gente não ia ficar em silêncio?

         TARCÍSIO – Mas eu preciso expressar o quanto te acho lindo, e como estou feliz por você… (pausa) E como estou ficando cada vez mais apaixonado…

         KAIO – (olha no fundo dos olhos dele) Faz isso em silêncio.

         TARCÍSIO – Você tá me provocando, né…

         Sonoplastia: Fallin’ – Alicia Keys

         KAIO – (sussurra) Faz o que eu te pedi…

         Tarcísio põe sua mão por trás do pescoço de Kaio e se aproxima do rosto dele. Os dois se beijam lentamente. Instantes. Romance.

         De repente, Henrique surge na frente do casal, chocado. Fim abrupto do áudio.

         HENRIQUE – Kaio?

         Kaio se afasta de Tarcísio rapidamente e olha pra Henrique, surpreso. Tensão.

         CORTA PARA/

CENA 25/ EXTERIOR/ NOITE/ MANSÃO RIOS/ PSICINA

         Sonoplastia – Suspense

         Laerte, perto da piscina, falando ao telefone, muito nervoso.

         LAERTE – Os incompetentes dessa clinica mataram a Jamily, é isso?

         Vemos Olinda mais distante, ouvindo tudo.

         LAERTE – Que merda! Bom, pelo menos meu nome não tá envolvido nisso. (pausa) Você já saiu daí, né? Por que a polícia deve parar ai! (pausa) Acho bom. Depois te encontro pra te pagar pelo serviço! Fiquei com medo da Jamily não aparecer aí. (pausa) É uma pena ela ter morrido. Era gostosa pra caramba! (pausa) Mas eu não ia continuar a ficar com ela. Tô desconfiado de que ela é filha da minha empregada. (pausa) Pois é, dei esse mole. Agora chega de papo, preciso voltar pra festa se não vão vir atrás de mim. Valeu!

         Laerte desliga o telefone e ao se virar, dá de cara com Olinda.

         LAERTE – (assustado) Tá fazendo o que aqui, desgraçada! Você tá querendo acabar com minha noite, é isso?

         OLINDA – Eu pensei que poderia deixar minha filha trabalhar com você por algum tempo, antes de dizer que você é o pai dela, mas pelo visto, você é mais monstruoso do que eu pensava!

         LAERTE – Você devia agradecer por eu ter conseguido tudo isso pra sua filha. (se exalta) E eu não quero que ela saiba que eu sou o pai dela! Minha relação com ela tem que continuar apenas profissional!

         OLINDA – Eu não vou permitir que minha filha continue perto de um assassino!

         LAERTE – Tá falando do que, maluca?

         OLINDA – (se aproxima dele) Você é amante da filha da Judite, não é? E ela morreu! Foi você quem causou isso, não foi?

         LAERTE – Cala a sua boca…

         OLINDA – Meu Deus, coitada da Judite… Você é um monstro Laerte! Um monstro!

         LAERTE – (pega nos braços dela) Eu não matei ninguém, a idiota da filha dela que/. Eu não tenho que ficar dando satisfações pra você! É melhor você voltar pra festa e fingir que nada aconteceu, senão as coisas podem piorar pro seu lado!

         OLINDA – (consegue se soltar dos braços dele) Eu vou voltar e tirar minha filha daqui! Ela nunca mais vai querer te ver depois de saber que foi abandonada por você!

         LAERTE – (se exalta) Você não vai destruiu os planos que eu tenho pra Camila!

         OLINDA – Eu é que não vou permitir que minha filha conviva com você, desgraçado!

         Olinda vai saindo, mas Laerte a pega por trás e tampa a boca dela com as mãos. Olinda tenta gritar. Tensão! Sonoplastia se intensifica!

         LAERTE – Vou calar essa sua boca…

         Laerte leva Olinda até a piscina e a joga na água.

         Olinda se debate no fundo da piscina e quando está prestes a chegar na superfície, sente a mão de Laerte, segurando sua cabeça. Olinda se debate na água.

         Laerte continua a segurar Olinda, submersa na piscina. Agora, ele põe as duas mãos na cabeça dela.

         LAERTE – Vai calar pra sempre!

         Aos poucos, Olinda para de se movimentar. Laerte a solta e o corpo da diarista boia na piscina.

         Close em Laerte, observando o corpo. Instantes. Suspense!

FIM DO CAPÍTULO

POSTADO POR

Tales D

Tales D

Mineiro de 21 anos. Autor de "Divas" (CyberTV), "Sangue do meu Sangue" (Recanto das Letras), "Espírito Vingativo" (Jovens Escritores).

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo