Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Divino Maravilhoso – Capítulo 14

Divino Maravilhoso

Escrita Por:

Guilherme Teixeira

Direção Artística:

Wellyngton Vianna

Núcleo:

Cyber TV

Personagens:

VALENTINA

RICARDO

MARIA PIA

OLAVO

RITA

REI

VICENTE

LARISSA

MALCOM

MIGUEL

EVA

VERÔNICA

HELÔISA

YOLANDA

JENNIFER

VINÍCIUS

RAQUEL

MADÁ

OLGA

JONAS

MATHEUS

GERMANO

RAUL

MOSQUITO

ZEFA

ANTERO

DOLORES

VALDETE

DORA

NORTON

PASTOR SEVERO

———————————————————————

Cena 1/Casa de Jennifer/Morro/Ext./Dia

Jennifer: O que você veio fazer aqui? 

Vinícius: Eu só vim trazer esse chocolate que eu vi no mercado e lembrei que você gosta, mas eu já vou embora. 

Ricardo: Vini, espera, eu posso explicar. 

Vinícius: Não, não precisa explicar nada. Desculpa se eu atrapalhei vocês, tchau. (Sai)

Jennifer: Onde estávamos? (Agarra Ricardo)

Ricardo: Não Jennifer, pera aí. (Sai atrás de Vinícius)

Jennifer: (Brava) Ai que ódio! 

(Morro)

Ricardo: Vini, espera. Por favor, não fica bravo comigo, eu nem sei o que passou pela minha cabeça. 

Vinícius: Não precisa explicar nada, eu e ela não temos nada.

Ricardo: Mas você gosta dela desde pequeno.

Vinícius: Que bom que você sabe, embora isso não tenha feito diferença pra você. (Sai)

Ricardo: Meu Deus que droga que eu fiz, que droga! 

Cena 2/Mansão/Quarto de Verônica/Int./Noite

Yolanda: (Entra no quarto de Verônica) Verônica, o que é isso? 

Verônica: O que mamãe?

Yolanda: O jeito que a Maria Pia falou com você e você ficou omissa. O que é isso, minha filha? Você sempre vai deixar a sua filha pisar em você? Reage, minha filha!

Verônica: Agora, mamãe? A Maria Pia já é uma mulher formada, dona de si… 

Yolanda: É, mas ela ainda vive as suas custas, o mínimo que você deve impor pra ela é respeito.  

Verônica: Deixa mamãe, ela é assim mesmo. 

Yolanda: Ela é assim porque você e seu marido não souberam educá-la. Sempre passaram a mão na cabeça dela, nunca disseram um não pra ela. Olha aqui Verônica, a filha é sua mas a casa é minha. Da próxima vez que ela falar com você daquele jeito, eu expulso ela dessa casa só com a roupa no corpo. 

Verônica: Mamãe, por favor, não arruma confusão com ela. Você não percebe o quanto isso me afeta? 

Yolanda: No fundo ela tem razão, Verônica, você gosta de sofrer. Você não precisa nem dela e nem do Olavo, eles só te desgastam, você é muito mais que tudo isso e eu espero que um dia, você perceba isso. 

Verônica: Mamãe, A Maria Pia é minha filha, eu não posso largar ela. Quanto ao Olavo, foi com ele que eu decidi construir uma vida e prometi eternidade perante a lei dos homens e divina. Eu escolhi essa vida pra mim, e eu sou feliz com ela. 

Yolanda: Não minta pra você mesma, minha filha. Você ainda vai quebrar a cara quando perceber que eles não te amam e só estão do seu lado pelo dinheiro, e você sabe disso. (Sai)

Cena 3/Mansão/Int./Dia

(Amanhece)

(Todos tomam café da manhã até que Yolanda chega na mesa furiosa)

Yolanda: (Aos gritos) Olavo, o que significa isso? 

Verônica: O que houve mamãe? 

Yolanda: É o que eu quero saber. Olavo, você já olhou os gastos da construtora nesse mês? Cresceram absurdamente! Olha isso. (Entrega a fatura para Olavo) Você quer falir a minha empresa, é isso? 

Olavo: Sogrinha, veja bem. Todos esses gastos são para um grande negócio que eu estou fazendo pra construtora. Não se faz bolo sem quebrar ovos, minha cara.

Yolanda: E que negócio é esse que você está fazendo sem o meu consentimento? 

Olavo: Ué, eu sou presidente da construtora.

Yolanda: E eu sou dona. Se eu descobrir que você está roubando a minha empresa, eu te boto na cadeia.

Verônica: Calma gente, vamos tomar café em paz. Daqui a pouco começa a missa de aniversário do Miguel e eu quero que todos estejam em harmonia. Por favor, só hoje.

Yolanda: Pela memória do meu neto, eu vou deixar isso passar. Mas eu ainda quero saber tim tim por tim tim desse negócio que você está fazendo às escondidas. (À Olavo)

Cena 4/Casa de Raquel/Int./Dia

(O telefone toca)

Dolores: Raquel, atende o telefone pra mim, eu estou lavando louça. 

Raquel: (Sai de seu quarto e atende o telefone) Alô? Quem gostaria? 

Produtor: (Pelo telefone) Boa tarde, meu nome é Rogério, eu sou produtor de música. Eu vi um vídeo seu dançando na internet e gostaria de saber se você gostaria de participar do clipe de um cantor novo que eu estou lançando. O cachê é alto.

Raquel: (Sussurra para sua avó não ouvir) A gente poderia marcar um dia pra conversar melhor? Agora eu não posso. 

Produtor: Claro, passa aqui na produtora quando der. Anota o endereço aí. 

Raquel: (O produtor passa o endereço para Raquel e ela anota na mão)

Produtor: Anotou?

Raquel: Anotei sim.

Produtor: Então tá, eu estou te esperando. 

Raquel: Amanhã mesmo eu vou aí, obrigada! 

Produtor: Te aguardo então, tchau tchau. (Desliga)

Raquel: (Vai para seu quarto em silêncio e quando chega, comemora) Ai meu Deus, eu nem acredito nisso. (Pula de felicidade) Eu só preciso tomar cuidado pra minha avó não desconfiar de nada. 

Cena 5/Morro/Escritório de Rei/Ext./Dia

(Rei chega no morro e se assusta ao ver algumas casas demolidas e operários trabalhando)

Rei: Ei irmão, o que tá acontecendo aqui? 

Operário: Nós estamos trabalhando em nome de Olavo Bittencourt. 

(Escritório de Rei)

Rei: (Entra em seu escritório aos berros) Pô Mosquito, foi só eu deixar o morro na sua mão que o rato de gravar já veio aqui e fez a festa? 

Mosquito: Rei, já chegou? Calma, eu posso explicar.

Rei: Então me explica. 

Mosquito: O Olavo chegou aqui com um monte de cara, máquinas e eu não pude fazer nada, ele só mexeu nas casas que ele comprou. 

Rei: Mano, esse cara tá brincando com o perigo. Eu já fui muito bonzinho com ele, agora que ele partiu pro ataque, eu começo a guerra. (Calibra seu revolver e sai)

Fim do Capítulo.

POSTADO POR

Guilherme Teixeira

Guilherme Teixeira

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo