Doces Mentiras – Capítulo 21

ATENÇÃO: A Cópia e reprodução deste conteúdo fora da plataforma Cyber TV sem autorização prévia da administração, é proibida e viola os direitos legais do autor.

 

Na construtora Brito de Carvalho…

Ao sair da sala de Inácio, Maurício dá de cara com Eduardo.

Eduardo: – Bom dia Maurício, conseguiu se explicar?

Maurício: – Não sei do que você está falando meu querido, infelizmente.

Eduardo: – Então só você não está sabendo, porque a empresa toda já sabe do fiasco que é o fornecedor que você arranjou.

Maurício: – Eduardo, meu querido, sua dor de cotovelo não vai afetar meu dia que já começou maravilhoso, ater mais.

Maurício dá uma tapinha no ombro de Eduardo e segue para sua sala.

 

No cortiço…

Carla falava ao telefone com Maurício.

Carla: – Sério? Amanhã já? Ai eu não vou pegar ônibus e nem metrô até aí tá me ouvindo?

Maurício: – Não se preocupe, vou te buscar todos os dias, aliás, você devia se mudar pro meu flat logo.

Carla: – Eu adoraria.

Maurício: – Então amanhã, as 8h da manhã eu te pego e a gente combina essa mudança.

Carla: – Meu amor, você me faz sentir a mulher mais especial desse mundo.

Maurício: – O mundo é nosso minha gata! O céu é o limite.

Os pombinhos estão certos de que vão pôr as mãos na fortuna da família Brito de Carvalho.

 

Na lanchonete Elvis…

Ainda não havia entregas para fazer e Billy estava sentando ouvindo suas músicas no fone de ouvido, quando Margarida se aproxima.

Margarida: – Filho eu tenho uma ótima notícia pra você!

Billy: – Oi mãe. –o rapaz dá um sorriso maia-boca.

Margarida: – Tava conversando com teu pai e a gente resolveu antecipar tuas férias.

Billy: – Férias? Mas ainda faltam 3 meses mãe. Quem vai fazer as entregas?

Margarida: – Já pensamos nisso também. E o melhor filho, você pode ir para o sul ficar na casa da sua tia, visitar teus primos e o resto da família.

Billy: – Não mãe, que coisa! Não sou criança pra você e papai ficarem decidindo minhas férias.

Billy, embora desiludido, permanece irredutível em aceitar a proposta da mãe.

 

No apartamento de Carolina…

A artista plástica já havia terminado o almoço e estava de saída quando Alexandre chega.

Alexandre: – Pra onde você vai assim?

Carolina: – Estou indo para o espaço onde funcionava o ateliê, comprei um material para começar a trabalhar e já devem estar indo fazer a entrega.

Alexandre: – Já tá se achando muito importante não é Carol? Espero que tenha feito pelo menos o almoço.

Carolina: – Não se preocupe querido, a comida está sobre o fogão, agora estou atrasada, beijo!

Carol parece ter recebido um novo fôlego de vida, sente-se animada e nem o machismo e o mau humor de Alexandre estragarão as coisas.

 

 

Na mansão Brito de Carvalho…

Na cozinha, Ofélia aconselha o filho.

Ofélia: – Meu filho, uma coisa está me preocupando.

Jonas: – Que foi mamãe?

Ofélia: – Jonas, eu quero que você evite ficar sozinho com dona Sônia no jardim.

Jonas: – Não estou entendendo mamãe, mas por quê?

Ofélia: – Já presenciei por duas vezes dona Maria Estela observando vocês pela janela.

Jonas: – Continuo sem entender mãe, não estávamos fazendo nada demais e dona Sônia é uma mulher digna e honesta.

Ofélia: – Mesmo assim Jonas, dona Maria Estela é uma mulher muito ardilosa.

Jonas: – Bom mamãe, eu não vejo motivo para tal afastamento, mas, eu sempre segui seus conselhos e vou te obedecer com toda certeza.

Ofélia: – Vai ser o melhor querido. Eu só queria não saber tanto a respeito desta família.

 

Na sala de estar da mansão…

Sônia lia uma revista no sofá e ao seu lado tia Leonor penteava os cabelos.

Leonor: – Minha querida, você acha que devo colocar um laço de fita? Ernesto sempre diz que eu sou a irmã mais bonita que ele tem. O que você acha?

Sônia: – Ernesto tinha razão, você é linda tia Leonor.

Leonor: – Pena que ela mandou ele ir embora, ela levou meu irmão pra longe.

Sônia fica pensativa com a fala de tia Leonor.

Sônia: – Ela quem tia Leonor?

Leonor: – Estelinha. Ela levou meu irmão embora e ele nunca mais voltou.

Maria Estela já ouvia a conversa há um tempo e nessa hora interrompe.

Maria Estela: – Eu não sei o que é pior Sônia, se é a Leonor delirando ou você aqui dando ouvidos aos devaneios dela.

Sônia: – E porque ela diz essas coisas sobre você?

Maria Estela: – Leonor nunca aceitou meu relacionamento com o irmão dela, sempre foi cismada comigo.

Sônia: – Devia ter suas razões não é? Se me dão licença.

Sônia coloca a revista em cima da mesa de centro e sai.

Maria Estela olha para tia Leonor e toma a escova com que ela penteava seus cabelos.

Maria Estela: – Me dá isso aqui sua maluca! Sempre falando demais não é infeliz?

Leonor: – Estelinha você está muito brava.

Maria Estela: – Você não viu nada.

A megera quebra ao meio a escova de cabelos da cunhada.

 

Após o almoço, Eduardo resolve passar perto da casa de Ligia e o rapaz fica surpreso ao vê-la na rua, próximo ao cortiço, vendendo doces com sua tia.

O advogado pára o carro e se aproxima.

Dulce: – Pois não senhor, fique a vontade, temos doces de frutas fresquinhos, trufas caseiras, quindim, cocada…

Eduardo está hipnotizado olhando para Ligia que está atendendo outro cliente e ainda não o viu.

Dulce: – Moço! Moço!

Eduardo: – Desculpa, eu vou querer um de cada, pode embrulhar pra viagem.

Dulce: – Eu não te conheço moço?

Nessa hora, Ligia toma um susto ao vê-lo ali.

Ligia: – Oi Eduardo, tudo bem?

Eduardo: – Tudo sim, que surpresa te encontrar aqui!

Ligia: – Era isso que eu fazia antes de ser modelo , e como tô de folga vim ajudar a tia hoje. Aliás, tia esse é o Eduardo.

Dulce: – Oi seu Eduardo!

Eduardo: – Como vai dona Dulce?

Dulce: – Tudo ótimo meu filho, graças a Deus.

Ligia: – E você Eduardo, tá perdido por aqui?

Eduardo disfarça.

Eduardo: – Na verdade, eu vim buscar uns contratos aqui perto, tava almoçando e passei aqui por acaso.

Os dois se olham e sorriem, enquanto Dulce os observa.

 

Algumas horas mais tarde no cortiço…

Carla não saiu o dia todo e da janela, ela vê Rodrigo, o sobrinho de Glória saindo do mesmo carro que veio buscá-lo no outro dia.

Rodrigo entra no cortiço e deixa cair do bolso uma corrente de ouro. Quando ele entra em casa, Carla vai lá e pega a corrente do meio do pátio.

Carla: – Humm… Parece ouro de verdade. –fala sozinha, enquanto analisa a joia.

 

No dia seguinte…

Carla chega à construtora Brito de Carvalho, acompanhada de Maurício e após passar pelo setor pessoal, já começa a trabalhar de imediato.

Maurício: – Esta é sua mesa, aquela porta a sua frente é a sala de Inácio. Não se preocupe com nada, já combinei com a Magda, a minha secretária para receber todas as ligações de hoje e direcionar para o velho.

Carla: – Sim, mas o serviço aqui é só ligações?

Maurício: – Claro que não, mas como hoje é seu primeiro dia, a Magda vai te auxiliar nas ligações e questões burocráticas. Boa sorte meu amor! Tenho que ir!

 

Inácio ainda não havia chegado e de repente, o empresário aparece na frente de Carla que arrumava sua mesa de costas para ele.

Inácio: – Bom dia!

O empresário faz um raio x completo na moça.

Carla: – Bom dia Dr. Inácio, eu sou Carla, a nova secretária.

Inácio: – Excelente!

Em tom sério, o empresário segue para sua sala.

 

 

Fim do Capítulo

-” ”>-‘.’ ”>

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr
  • Meu Deus, que site lindíssimo. Eu não li o capítulo, mas dá um gosto navegar por esse blog porque ele é o blog mais lindo que já visitei.

  • Meu Deus, que site lindíssimo. Eu não li o capítulo, mas dá um gosto navegar por esse blog porque ele é o blog mais lindo que já visitei.

  • LEIA TAMBÉM

    >
    Rolar para o topo
    Suporte Cyber TV
    Precisa de ajuda?
    Olá!
    Como podemos lhe ajudar?
    Estamos sempre disponíveis.
    Powered by