E Vamos À Luta! Capítulo 10

ATENÇÃO: A Cópia e reprodução deste conteúdo fora da plataforma Cyber TV sem autorização prévia da administração, é proibida e viola os direitos legais do autor.

E Vamos À Luta!

Novela de Débora Costa

Baseada na telenovela “A Fábrica” de Geraldo Vietri

Escrita por
Débora Costa

Colaboração
Tainá Andaluz

Revisão de Texto
Marcelo Delpkin

Direção de Novelas
Anderson Silva

Direção Artística
Wellyngton Vianna

Núcleo
Cyber TV

Personagens no capítulo

ALEX

ALFREDO

AMANDA

ANGELA

BRUNO

CAMILA

CÉLIA

CÉSAR

CLARICE

DANIEL

DENISE

EDUARDA

ERASMO

FÁBIO

GABRIEL

ISADORA

IVAN

JOSÉ

JOSIVALDO

JULIANA

KIRA

LIZ

LÚCIA

MANUELA

MARTA

NICOLAS

OTAVIANO

PATRICIA

Cena 1/Tecelagem Santa Isabel/Administração/Sala de reunião/Dia.

ALEX

Liz, é um absurdo colocar um dos operários na reunião.

LIZ

Absurdo é tudo que você fez aqui, enquanto estive fora. Agora temos que correr atrás do prejuízo, e eu quero ter sempre presente nas reuniões um representante dos operários. No caso, o Fábio.

ERASMO

Eu concordo. Não vejo problema em termos um representante dos operários aqui.

EDUARDA

(sorri) Não vejo problema também.

ALEX

Então sou a minoria pelo visto. Muito bem. Se Fábio vai ficar, minha secretária também fica.

LIZ

Acontece que você não manda aqui, e eu acho a presença de Ângela desnecessária, e peço que acabe logo essa conversa, porque não vai levar a lugar nenhum.

Liz se senta, assim como Eduarda, Erasmo e Fábio . Alex e Ângela se olham. Ângela sai. Alex se senta.

LIZ

Finalmente vamos começar a reunião. Célia, por favor, entrega os relatórios.

Célia começa a entregar uma pasta para cada um deles.

Cena 2/Int./Mansão Camargo/Sala/Dia.

Camila entra. Kira desce as escadas.

KIRA

Tudo bem, Camila?

CAMILA

Tudo sim, e com você?

KIRA

Bem. Está vindo da faculdade?

CAMILA

Não, eu estava com o meu namorado. Vou para a faculdade daqui a pouco.

KIRA

Entendi. Me fala uma coisa: você conhece algum lugar sofisticado para se divertir por aqui?

CAMILA

(sorri) Conheço. Embora eu ache que, para se divertir, é sempre no pagode que o pessoal faz.

KIRA

(sorri) Pode ser uma experiência. No próximo que tiver, você me avisa? Mas me fala os lugares que conhece.

CAMILA

Tem um barzinho perto da faculdade, que minhas amigas mais patricinhas adoram ir.

KIRA

É nesse mesmo que eu vou então. Me manda o endereço por mensagem.

CAMILA

Pode deixar. Agora vou ver se minha mãe já terminou de fazer o bolo para eu levar na faculdade hoje.

KIRA

(sorri pensativa) Camila, você nunca quis saber quem é o seu pai?

Marta se aproxima. Kira e Camila não a veem. 

CAMILA

Eu sei quem é o meu pai. Infelizmente ele morreu.

KIRA

(cínica) Morreu?

MARTA

Camila, o bolo já está pronto, mas não tive tempo de cortar. É melhor você fazer isso.

CAMILA

Tudo bem. Até logo, Kira. Já te mando o endereço.

KIRA

Obrigada.

Camila vai para a cozinha. Kira se aproxima de Marta e sorri maldosa.

KIRA

Então quer dizer que a santa Marta é uma mentirosa?

MARTA

(séria) Eu te proíbo de falar sobre esse assunto com a minha filha.

KIRA

(ri) Me proíbe? Quem é você para proibir alguma coisa?

MARTA

Esse é um assunto meu.

KIRA

(provocando) Não é só seu. Eu conheço uma pessoa que ia adorar falar sobre isso. (sorri maldosa) Carlos.

Marta dá um tapa no rosto de Kira.

MARTA

(raiva) Cala a boca! Você vai se arrepender se abrir a boca pra minha filha!

Marta vai para a cozinha. Kira está com raiva, com a mão no rosto e com vontade de chorar.

KIRA

Isso não vai ficar assim.

Cena 3/Int./Tecelagem Santa Isabel/Sala de Reunião/Dia.

Liz, Alex, Fábio, Eduarda e Erasmo estão sentados. Célia está em pé, um pouco atrás de Liz.

LIZ

Eu vou diminuir a carga horária. Acho desnecessário ser das 7h às 19h. A partir de amanhã, será das 8h às 18h. Se houver a necessidade de hora extra, será remunerada.

ERASMO

Eu tinha sugerido isso ao Alex. Acho que isso pode mudar muita coisa.

ALEX

Se manter o horário como está, não vamos precisar pagar hora extra. Fica dentro do horário de trabalho.

LIZ

Será como eu estou falando, e, Eduarda, preciso que você crie mais modelos de roupas e comece a fazer mais divulgações da tecelagem.

EDUARDA

Claro, eu já estava trabalhando em algo novo, e acho que você também poderia criar mais modelos. Suas roupas sempre venderam muito bem.

LIZ

Não desenho mais. Perdi a inspiração. Enfim, além disso, eu vi que muitas máquinas estão dando defeito.

FÁBIO

A maioria, por mais que eu dê jeito, enguiça de novo.

LIZ

Eu vou comprar máquinas novas. Vamos ver isso juntos, Erasmo.

ERASMO

Perfeito.

LIZ

Fábio, eu já tenho os benefícios atrasados. Diga aos operários passarem na minha sala antes de irem embora e você também.

FÁBIO

Pode deixar.

LIZ

Por enquanto é só. Qualquer coisa só falar comigo.

Erasmo e Eduarda se levantam.

ERASMO

Já vou começar a ver algumas máquinas.

Erasmo vai saindo. Eduarda vai atrás. Eles se esbarram e se olham tímidos.

ERASMO

Pode ir na frente.

EDUARDA

(sorri) Obrigada.

Eduarda sai. Erasmo sai em seguida. Fábio se levanta.

FÁBIO

Vou passar tudo que a senhora falou para eles.

Fábio sai.Alex encara Liz.

ALEX

Liz, o que você pretende?

LIZ

Em relação a quê?

ALEX

A esse circo todo, às mudanças desnecessárias.

Liz se levanta.

LIZ

Circo estava até agora, com a sua administração. Uma palhaçada atrás da outra. E Alex, nunca se esqueça que aqui quem manda sou eu. Você é sócio, é o diretor, mas pode ser substituído facilmente. Eu quero e exijo o respeito que mereço.

Liz e Célia saem. Alex fica com raiva, se levanta e chuta a cadeira. Ângela entra.

ÂNGELA

Alex, fica calmo!

ALEX

(ódio, tom baixo) Eu vou matar ela… e esse inferno acaba!

Ângela acaricia o rosto de Alex, acalmando-o. Ela o beija e o olha nos olhos. 

ÂNGELA

Você vai pedir desculpas a ela.

ALEX

Ficou louca?

ÂNGELA

Não, mas pensei bem. Vi o jogo dela. Quanto mais desafiar a Liz, mais ela vai cantar de galo. A tática que vamos usar é tão velha, mas que sempre deu certo.

ALEX

Qual?

ÂNGELA

Vamos nos unir a nossa inimiga, meu querido. Fingir concordar com tudo que ela faz, nos mostrar arrependidos. Você vai falar que estava estressado, por isso agiu mal com a chegada dela.

ALEX

(sorri) Entendi, Ângela.

ÂNGELA

(sorri) Quando a gente puxar o tapete dela, ela nem vai imaginar que fomos nós, de tão íntimos que estaremos dela.

Alex ri e beija Ângela. 

Cena 4/Int./Tecelagem Santa Isabel/Fábrica/Dia.

José, Nicolas, Ivan e Josivaldo estão reunidos para ouvir o que Fábio tem para falar.

JOSÉ

E aí, como foi lá?

NICOLAS

Serviram alguma coisa pra comer?

JOSIVALDO

Esse aí é magro de ruim, porque o bicho come.

IVAN

Dá pra calar a boca?! Eu quero saber como foi na reunião.

FÁBIO

Eles falaram um monte de coisa, mas o que é pra gente aqui é que vai ter mais máquina. A gente vai ter novo horário de serviço. Eu gostei e, se tiver hora extra, a madame vai pagar.

JOSÉ

Gosto da Dona Liz.

FÁBIO

E eu tô deixando o melhor pro fim.

IVAN

Fala logo.

FÁBIO

(sorri) É pra todo mundo passar na sala dela antes de sair, porque hoje ela vai dar todos os benefícios atrasados.

Os operários comemoram, fazem barulho. Alex se aproxima.

ALEX

(sério) Vocês estão pensando que estão no cortiço que moram? Que algazarra é essa aqui?

FÁBIO

A felicidade da gente te incomoda?

ALEX

Incomoda, e você não sabe o quanto. Eu quero que fique claro que a Liz não vai vir aqui todos os dias. Eu ainda mando em vocês.

JOSÉ

A gente já vai voltar a trabalhar.

ALEX

Ótimo. Se querem conversar, que façam isso na hora certa.

Alex sai.

FÁBIO

Sabe por que ele está cuspindo fogo? (sorri debochado) A madame pisou nele, mas tão bem pisado que ele deve tá lá no chão ainda.

Fábio, José, Nicolas, Ivan e Josivaldo riem. 

Cena 5/Int./Tecelagem Santa Isabel/Administração/Escritório de Liz/Dia.

Alfredo entra.

LIZ

Quando a Célia disse que era você, nem acreditei.

ALFREDO

Já faz muito tempo que não venho aqui.

LIZ

Eu sei… Você agrediu o meu pai por causa da Clarice e ele te demitiu. 

ALFREDO

Sim. Não deveria ter feito isso, afinal eles nunca pararam de brigar.

LIZ

Pois é, mas o que você veio fazer aqui?

ALFREDO

Eu quero voltar a trabalhar aqui. Quero o meu cargo de volta.

LIZ

E foi hoje que você veio atrás disso? Anos depois?

ALFREDO

Não aguento mais ficar tanto tempo com a Clarice.

LIZ

Agora eu entendi.

ALFREDO

Eu posso voltar a trabalhar?

LIZ

(sorri um pouco) Pode.

ALFREDO

(feliz) Obrigado, Liz.

LIZ

Mas, Alfredo, você vai ter que estar aqui todos os dias, no mesmo horário que os outros funcionários, terá que ser tratado como os outros.

ALFREDO

Não tem problema, e pode confiar em mim. Não vou falhar.

Alfredo vai saindo e volta.

ALFREDO

Liz, eu posso ter uma assistente?

LIZ

(pensativa) Não sei se é necessário.

ALFREDO

É sim. Eu vou verificar a qualidade dos tecidos, fazer testes. Preciso de ajuda.

LIZ

Tudo bem. Se é assim, pode ter uma assistente.

ALFREDO

(sorri) Obrigado.

Alfredo sai. 

Cena 6/Int./Mercadinho/Dia.

Marta e Manuela estão conversando.

MARTA

Eu perdi a cabeça, Manuela. Meti a mão na cara daquela falsa.

MANUELA

Ninguém tem sangue de barata. A Kira provocou e você bateu nela.

MARTA

Agora vou viver com medo que ela abra a boca e conte a verdade para a minha filha.

MANUELA

Então fala você antes.

MARTA

Não! Para a Camila, o pai está morto e vai continuar assim.

MANUELA

E se um dia ele bate na porta, já pensou nisso? Ainda mais agora que a Liz está de volta.

MARTA

(preocupada) Não tinha pensado nisso… mas, mesmo assim, ele não sabe que a Camila é filha dele, então tudo fica como está.

MANUELA

Mas sabe que até hoje não entendo por que você escondeu dele que estava grávida.

MARTA

Ai Manuela… Nosso relacionamento não ia dar certo. Ele é um homem rico, advogado, e eu sou uma empregada.

MANUELA

Uma empregada que parece fazer parte da família, e ele te amava.

MARTA

E eu o amava e muito, mas não, Manuela… Tenho certeza que não ia dar certo.

MANUELA

Você nem tentou. Deixou o medo te vencer e perdeu aquele homão.

Marta fica pensativa e chateada.

Cena 7/Ext./Mais Tarde/Rua/Dia.

Cai uma forte tempestade na cidade. As ruas do bairro Vila Operária ficam alagadas.

Cena 8/Int./Mais Tarde/Bar/Noite.

Kira está sentada no balcão, tomando um drink. Alex entra. Ao ver Kira, a admira. Se aproxima, se senta ao lado dela e pede uma bebida. Kira o olha, mas disfarça.

ALEX

Eu frequento esse bar há muito tempo e nunca te vi por aqui.

KIRA

Isso porque não sou daqui.

ALEX

E de onde você é?

KIRA

Rio de Janeiro. Vim passar uns dias com uma amiga.

ALEX

Uma mulher tão linda deveria estar passando uns dias com homem.

Kira ri e coloca o copo em cima do balcão.

KIRA

Essa sua cantada foi um horror.

ALEX

(ri) Eu sei. Meu nome é Alex, e o seu?

KIRA

(sorri) Kira. Prazer, Alex.

Alex beija a mão de Kira e a olha nos olhos.

ALEX

O prazer é todo meu.

Alex e Kira se olham atraídos. 

Cena 8/Int./Tecelagem Santa Isabel/Pátio.

Liz está de saída. Fábio se aproxima.

LIZ

Você ainda está aqui? Eu achei que estava sozinha.

FÁBIO

Eu fiquei pra consertar uma máquina e acabei preso aqui porque a rua tá alagada e não dá pra sair.

LIZ

Como não? A tempestade já passou.

FÁBIO

Mais ainda tá chovendo. A água não baixa.

LIZ

Eu vou para a casa.

FÁBIO

Só se for nadando ou de barco, porque, a pé ou de carro, é impossível, madame.

LIZ

Eu tenho nome, sabia? É Liz.

FÁBIO

Eu sei.

LIZ

Boa noite. Eu vou para a casa.

Liz vai saindo.

FÁBIO

Deixa de ser teimosa. Eu não tô a fim de ter que mergulhar nessa água podre pra te resgatar não.

LIZ

Pelo jeito a chuva vai demorar para passar, e eu não quero passar a noite aqui.

Liz abre o portão e vê a rua alagada. Fábio se aproxima devagar e fala no ouvido de Liz.

FÁBIO

Eu avisei.

Liz se assusta e fica irritada.

LIZ

Eu consigo passar!

Liz vai saindo. Fábio a segura pelos braços. Eles se encaram.

FÁBIO

(irritado) Não dá pra passar. Deixa de ser teimosa!

LIZ

(irritada, nervosa) Eu sou capaz de ir nadando mesmo! Só pra não ter que te aturar! E me solta!

FÁBIO

Não! Vai sobrar pra mim, se a madame se afogar por capricho!

LIZ

(inconformada) Mas é muito troglodita mesmo!

FÁBIO

Eu nem sei o que é isso, mas daqui a madame mimada não sai!

LIZ

(irritada) Mimada/

Fábio beija Liz, que tenta se soltar, mas aos poucos vai cedendo e retribui o beijo.

Fim do Capítulo

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo
Suporte Cyber TV
Precisa de ajuda?
Olá! Bem vindo(a) a Cyber TV.
Como podemos lhe ajudar?