Episódio 4 – Viva a Vida

CENA 01.RUA.NOITE

Alguns moradores saem de suas casas, e começam a gritar para os agressores, que saem correndo.

Morador: Alguém liga para a polícia e ambulância, ele está muito machucado!

Diz ele enquanto outras pessoas estão ao redor de Samuel, que se encontra no chão ensanguentado.

 

CENA 02.MATA.INT.NOITE

Depois de entrarem mata à dentro, Maria e Lauro tentam procurar algo, mas sem saber exatamente o que procuram.

Maria: Acho que a essa hora, será difícil encontrar algo.

Lauro: Pode até ser, mas vamos tentar. Eu tenho certeza que tem algo de errado nessa mata!

Os dois continuam seguindo com uma lanterna.

 

CENA 03.CASA DE SAMUEL.SALA.NOITE

Os pais de Samuel estão vendo TV, quando o telefone toca e a mãe dele se levanta para atender.

Ilda: Alô?….. Sim, sou eu sim. Por que? O que aconteceu?….. Ai meu Deus, estamos indo!

Ela desliga o telefone e corre para o quarto para se arrumar enquanto fala com o marido.

Ilda: O Samuel, aconteceu algo com ele na rua e ele foi levado para o hospital.

Diz ela aflita.

José: O que aquele imprestável aprontou agora?

Ele se levanta e vai se preparando para ir ao hospital.

Ilda: Vamos!

Os dois saem de casa e entram no carro rumo ao hospital.

 

CENA 04.RECEPÇÃO.HOSPITAL.NOITE

Eles chegam e pedem informações do filho, e logo depois são levados para um corredor enquanto aguardam notícias de Samuel.

 

CENA 05.MATA.INT.NOITE

Lauro e Maria continuam caminhando quando percebem um vulto.

Lauro: Você viu isso?

Maria: Tem alguém aqui, com a gente…

Um mão segura o braço de Lauro, que se assusta e grita.

Maria: Ah é você.

Lauro: Poxa Mauricio, você me assustou. Tinha que ter chegado assim?

Mauricio: Foi mal (risos). Mas e então, acharam algo?

Maria: Não.

Lauro: Ainda não, porque eu tenho certeza que tem algum mistério dentro dessa mata!

Mauricio começa a olhar para os lados e pede que eles voltem.

Mauricio: Está tarde, vamos embora. Nessa escuridão toda, será difícil achar algo.

Maria: É, ele está certo. Já estamos andando faz alguns minutos e até agora nada.

Lauro: Tá, ta bom. Me promete que viremos amanhã de tarde?

Maria: Por mim tudo bem, e você medroso?

Mauricio fica confuso.

Mauricio: Quem? Medroso eu? Ah claro que não!

Lauro e Maria começam a rir, e de repente eles ouvem o som de uma sirene.

Maria: Os seguranças devem estar vindo.

Mauricio: Alguém deveria ter imaginado? Ah, eu imaginei.

Diz ele em tom de ironia, e os três começam a correr para fora da mata e Mauricio e Lauro sobem na moto, enquanto Maria tenta correr para se esconder.

Lauro: Você vai deixar ela?

Mauricio: Só cabem dois numa moto! Ah não ser que…

Lauro: Ah não ser que o que?

Diz ele espantado quando Mauricio começa a correr com a moto em direção a Maria para pegá-la.

 

CENA 06.HOSPITAL.QUARTO.NOITE

Samuel já está deitado, quando seus pais entram.

Ilda: Filho? A mamãe está aqui.

Diz ela segurando a mão dele.

Samuel: Mãe, eu não estou bem.

Diz ele com os olhos lacrimejando.

Ilda: Vai ficar tudo bem, o médico disse que não teve nada fraturado.

José: Tá vendo, o que esse negócio de dança foi te meter?

Samuel: Não começa pai, se for pra culpar o que eu amo, pode se retirar.

José: Mas até com a cara toda machucada você não sabe me respeitar?

Ilda: Se acalmem, José nosso filho não está em condições de discutir agora. Deixa eu ficar aqui com ele, pode ir se quiser.

José: Até você?

Ilda: Vai logo! Eu vou dormir com ele essa noite. Amanhã te ligo.

José: Em casa a gente conversa senhor Samuel. Lá você não me escapa, e se não me respeitar vai levar outra surra!

Diz ele nervoso.

Samuel: SAAAAAAAAI!

José sai, e Samuel começa a chorar e sua mãe o consola.

 

CENA 07.PROXIMIDADES DA MATA.NOITE

Um carro de seguranças persegue Mauricio e Lauro, que tentam pegar Maria.

Mauricio: Ei, sobe!

Lauro: Nããão, não faz isso. Você cair!

Mauricio: Cala a boca Lauro. Vai, sobe.

Maria dá um impulso e consegue subir na moto, ficando os três sob a motocicleta.

A perseguição continua, e eles tentam despistar o carro dos seguranças, entrando em áreas proibidas.

Lauro: Você tá maluco?

Maria: Acelera essa moto pelo o amor de Deus!

A perseguição continua e o carro vai chegando cada vez mais perto deles.

Maria: Estão chegando perto.

Lauro: Tem uma passagem ali, vai nela.

 

CENA 08. HOSPITAL.QUARTO/SAMUEL.NOITE

Samuel se acalma e tenta explicar a mãe o que aconteceu.

Ilda: Filho, o médico explicou que você foi espancado. Mas por que? O que houve?

Samuel: Foram uns idiotas. Eu tava caminhando, e eles começaram a zombar de mim.

Ilda: Mas por causa de que? Estavam bêbados?

Samuel: Não mãe, me reconheceram da escola.

Ilda: Então eles estudam com você? Me fala quem são que vou na escola amanhã tirar satisfação com esses covardes!

Samuel: Não! Me reconheceram da escola de dança. Achei que você sabia, já que o pai já chegou falando que a dança me causou isso.

Ilda abaixa a cabeça e respira fundo.

 

CENA 09.HOSPITAL.QUARTO/CLARA.NOITE

Clara dorme e sua mãe entra no quarto, e começa a fazer carinho nos cabelos loiros da filha.

Isabel: Minha joia preciosa, princesa da minha vida.

Clara: Mãe? Já voltou?

Diz ela após acordar.

Isabel: Já avisei seu pai, amanhã ele vem nos buscar. E você, está passando a dor na cabeça?

Clara: Está melhorando, só não gostei de saber que vou ficar com um galo. Vou faltar na escola em!

Isabel começa a rir.

Isabel: O que é um galo perto da sua beleza minha filha? Ninguém nem irá perceber. Ao menos que você conte, aliás quer ligar para a Tamires?

Clara consegue lembrar de algo.

Clara: Tamires! Mãe, foi ela, ela que me causou esse acidente.

Isabel: O que? Vocês são tão amigas. Durma mais um pouco, você deve estar delirando por conta da pancada.

Clara: Eu não estou delirando! Foi ela, aquela ridícula.

Isabel: Que jeito de falar é esse da sua amiga?

Diz ela espantada.

 

CENA 10.PROXIMIDADES DA MATA.NOITE

A perseguição ainda continua.

Maria: Você consegue, vai acelera!

A moto começa a correr mais ainda, e Lauro fica desesperado.

Lauro: Não vai dar, não vamos conseguir.

Mauricio: Eu vou conseguir, eu consigo!

Neste momento, quando a moto cruza a passagem, uma camionete bate na moto, e os três são jogados longe.

A cena começa a ficar em câmera lenta, enquanto mostra Mauricio, Lauro e Maria sendo arremessados da moto, no ar, com expressão de desespero.

Quando volta ao normal, é cortada para a moto caindo no chão.

A cena apaga.

FIM DO EPISÓDIO

padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr