Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Escândalo – Capítulo 09

CENA 01. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

Continuação imediata do capítulo anterior.

Lilian e Pedro conversam sentados no chão, à frente da mesinha de centro.

LILIAN
Na internet a gente acha um monte de fofocas sobre ele; casos, gente oportunista se passando por filho dele, golpes… mas nunca vi sobre a relação entre os dois.

PEDRO
Olha, meu irmão lida com ele todo dia.

LILIAN
Isso é o que mais me intriga. Os jornais da época espalharam sobre a morte do filho, mas nada além disso. Muito menos que eles não se davam.

PEDRO
Vai ver, o Ruggero proibia. Nem o casamento dele com a Melita foi divulgado.

LILIAN
Só uma notinha no canto da página. (pausa) Qual era o nome dele mesmo?

PEDRO
Acho que era Márcio… ou Miguel… alguma coisa assim.

LILIAN
Já vi que vou mexer num formigueiro e desenterrar/

LAURA (entra)
Oi, filha! Não sabia que tinha visita.

Lilian e Pedro se levantam e cumprimentam Laura com beijos no rosto.

PEDRO
Como vai, Laura?

LAURA
Comigo está tudo ótimo. Fiquei muito feliz quando a Lilian contou que você foi trabalhar com ela.

PEDRO
É, o trabalho lá é ótimo.

LILIAN
O Pedro se adaptou rapidinho. Chamei ele pra gente conversar sobre o Ruggero, pra biografia.

LAURA
Então vou deixá-los à vontade. Se me dão licença…

PEDRO
Toda, Laura.

Laura sai pelo corredor. Lilian e Pedro voltam a se sentar no chão, em volta da mesinha, e conversam em OFF.

FADE OUT.

CENA 02. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

FADE IN. Letreiro: “Dias depois”.

Ruggero sentado à mesa. Sentada no sofá, Lilian abre o bloco de notas e pega uma caneta. Depois ela liga o gravador de voz e o coloca ao seu lado no sofá.

LILIAN
Já podemos.

RUGGERO
Como já disse muitas e muitas vezes, não nasci em berço de ouro. Pelo contrário: vim muito pobre, miserável, de pai italiano. Era um homem trabalhador, sem medo do esforço, que vivia debaixo de sol e de chuva numa das muitas fazendas dos Ferreira de Bragança, uma das famílias mais tradicionais do estado. Ítalo Fontana, esse era o nome do meu pai. Fazia de tudo. Cuidava dos bois, tirava a carne, mexia com as plantações… Ele ensinou os filhos a fazerem de tudo, eu e meus irmãos. (DISSOLVE) Minha mãe, dona Augusta Garcez, era brasileira. De Minas Gerais. Chegou ainda menina em São Paulo e aqui se tornou professora. Até que se casou com meu pai. Aí passou a servir só pra ele e pros filhos. (DISSOLVE) Ambicioso? Sempre fui… e tenho orgulho disso. Como acha que construí todo esse império. Sem modéstia alguma, colossal. O melhor do Brasil. Talvez do mundo. (DISSOLVE) Um amigo do senhor Francisco Ferreira de Bragança viu de longe a minha garra. Foi o Miguel Sobral que me deu a oportunidade de trabalhar numa rádio, na época em pleno auge. A televisão ainda engatinhava. Só rico tinha televisão. Objeto de luxo.

=== SONOPLASTIA: INSTRUMENTAL EM PIANO ===

Lilian faz anotações no bloco, enquanto Ruggero fala em OFF.

FADE OUT.

CENA 03. CENÁRIOS DIVERSOS. PASSAGEM DE TEMPO.

FADE IN. Entre efeitos de DISSOLUÇÃO na tela, spots em sequência.

APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. DIA

– Lilian e Pedro conversam em OFF, sentados no chão entre o sofá e a mesinha de centro. CORTA. Laura coloca uma bandeja de lanche sobre a mesinha de centro. Lilian pega um pão de queijo e põe na boca.

APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. DIA.

– César e Mônica se beijam.

ESTÚDIO DE MÚSICA. INT. DIA.

– Renato grava uma música em OFF. Haila e um produtor vibram do outro lado do estúdio.

PASSARELA. INT. NOITE.

– Raúla desfila pela passarela sob assobios e palmas em OFF.

REVISTA DE FOFOCAS. SALA DE NARA. INT. NOITE.

– Nara e Nando, sentados à mesa, trocam olhares de paixão.

APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. NOITE.

– Sérgio tenta escrever um capítulo de novela ao notebook, mas desanima e apoia a cabeça entre duas mãos.

RUA. INT. NOITE.

– Benjamin vê Melita de costas na calçada e tenta se aproximar dela, mas Ruggero sai de um restaurante e se junta a ela. Benjamin se entristece.

CASA DE ZU. QUARTO DE ZU. INT. NOITE.

– Zu conversa com um moreno bonito pelo site de relacionamentos. Está animada. CAM na tela. Zu digita: “Me encontra no The Pizza amanhã depois das 7”. PLANO PRÓXIMO em Zu, sorridente.

CASA DE HAILA. SALA. INT. NOITE.

– Haila e Renato se beijam.

RESTAURANTE. INT. NOITE.

– Ciro e Pedro jantam juntos. CORTA. Ciro se levanta e abraça Pedro. Ambos sorridentes.

BOATE. SALÃO. INT. NOITE.

– Mônica dança sensualmente no centro da pista. Isolda assiste de longe e tira uma foto de Mônica com o celular.

APARTAMENTO DE LILIAN. SALA/CORREDOR. INT. NOITE.

– Jairo tenta falar em OFF com Laura, mas ela fecha a porta na cara dele. CORTA. Jairo furioso. Ele chama o elevador e dá um murro na parede.

TEATRO. PALCO. INT. NOITE.

– Renato entrega um CD para Raúla, que pula nos braços dele e o beija no rosto. Haila o abraça por trás. A banda espalhada pelo resto do palco. Benjamin bate palmas do auditório lotado de fãs..

REDE SONHO DE TELEVISÃO. CIDADE CENOGRÁFICA. INT. DIA.

– Uma cidade interiorana está reproduzida no local, pronta para as gravações. Breno, César, Mônica, Sérgio, Júlio, Melita e Ruggero admiram o local. César e Mônica tentam trocar um selinho, mas são impedidos por Júlio.

MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

– Ruggero, sentado à mesa, conta sua vida para Lilian, no sofá. Melita observa de pé, perto da porta.

CORTA PARA

CENA 04. MANSÃO DE RUGGERO. SALA. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Melita e Lilian vêm do escritório e conversam animadas. Andam até o sofá, mas não sentam.

MELITA
Você está fazendo um bem tão grande pro meu marido… Ele está até mais carinhoso comigo.

LILIAN
Ah, que bom ouvir isso!

MELITA
Se depender de mim, você fica pra sempre, nem que tenha que escrever umas vinte biografias. (elas riem)

LILIAN
Só faço o que gosto.

MELITA
Que nada! Deixa de ser modesta. Você tem sido um anjo. Agora eu sei por que a Nara tem tanto ciúme.

LILIAN
Ela tem os motivos pra não gostar dele. Aí estou eu, sendo indelicada/

MELITA
Não, imagina. Ninguém melhor do que eu pra conhecer o jeito difícil do meu marido. Ruggero colecionou muitos inimigos.

LILIAN
Espero que ele não vire uma fera quando a gente entrar nessa parte.

MELITA
Xi! Se prepara, que lá vem.

LILIAN (olha o relógio de pulso)
A conversa tá ótima, mas eu tenho que ir. Tenho um compromisso daqui a meia hora.

MELITA
Tudo bem. Não vou te prender. Te espero amanhã?

LILIAN
Na sexta.

MELITA
Vou esperar ansiosa. A gente tem que aproveitar quando um santo remédio aparece.

LILIAN (sorri)
Até lá!

MELITA (aperta a mão de Lilian)
Tchau, Lilian!

Lilian sai. Melita sorri pensativa. Arnaldo entra pelo corredor.

ARNALDO
Com licença, senhora! O almoço já está na mesa.

MELITA
Já vou, obrigada!

Arnaldo sai pelo corredor. Ela ajeita um vaso de flores que está em cima da mesinha de canto.

CORTA PARA

CENA 05. APARTAMENTO DE RAÚLA. SALA. INT. DIA.

Raúla e Renato conversam empolgados no sofá sobre o CD dele.

RENATO
Um sucesso! Não sei quantas mil cópias num dia só…

RAÚLA
Só se fala disso no Braskut. Tive até que silenciar o celular porque não parava de chegar tiete querendo um CD autografado pela gente.

RENATO
E o pessoal da Sonho quer colocar cinco músicas nas novelas. Só na do Sérgio vão ser duas.

RAÚLA
Isso é pra mostrar que você não tem que ficar pra baixo, não. Gosto de te ver assim, felizão. (abraça-o e beija-o no rosto)

RENATO
A Haila falou a mesma coisa.

RAÚLA
A gente te ama. (toca a campainha) Ué? Quem será?

RENATO
Não sei.

Raúla vai até a porta e vê pelo olho mágico. Olha admirada para Renato e abre a porta para um entregador com flores na mão.

ENTREGADOR
Bom dia! A senhora Raúla Negri está?

RAÚLA
Sim, sou eu.

ENTREGADOR
São pra senhora. (entrega as flores)

RAÚLA
Obrigada.

ENTREGADOR (mostra um livro de entregas)
Assina aqui, por favor.

Raúla assina e agradece ao rapaz. Fecha a porta.

RENATO
Flores? Hum, tem alguém interessado em você.

RAÚLA
Será? Ah, não! Deve ser só um fã.

Raúla põe as flores em cima da mesa e pega o envelope que veio com o buquê. Ela tira uma carta de dentro do envelope e lê.

RAÚLA (V.O.)
Olá! Você não me conhece, mas eu te conheço muito bem. É a responsável por colocar amor de volta à minha vida. Sou um homem completo e apaixonado desde que entrou no meu caminho. As trevas se transformaram em cores. (troca olhares de admiração com Renato e volta a ler) Não sou só teu fã; sou o maior de todos. Quero ter a chance de poder compartilhar todo o meu ser do teu lado. Não sou mais capaz de existir sem a sua presença. Do teu amante apaixonado.

RENATO
Quem mandou?

RAÚLA
Não sei, não tem nome. Mas o cara tá perdido na minha. A carta dele me deixou tão… sei lá. Dá uma olhada. (entrega a carta a Renato) As flores não são lindas? Minhas preferidas. Vou agora mesmo colocar novaso.

Renato lê, enquanto Raúla leva as flores pra cozinha.

CORTA PARA

CENA 06. APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. DIA.

Breno e Mônica ensaiam o texto da novela, com roteiros nas mãos. César assiste sentado no sofá. É uma cena tensa entre vilão e mocinha.

BRENO (a Mônica)
Ou casa comigo, ou eu conto pros seus pais o que fazia no passado, quando fingia fazer faculdade.

MÔNICA
Não! Por favor, não faz isso! (aproxima-se de Breno) Eu caso com você.

BRENO (cafajeste)
É assim que eu gosto.

MÔNICA
Pra proteger o meu passado, faço qualquer coisa. Até ficar com um homem podre e mesquinho como você.

Breno ri sarcástico. A cena termina. César aplaude os dois colegas e se levanta.

CÉSAR
Assim a audiência vai explodir.

MÔNICA
Meu amor, se não for assim, nem quero.

BRENO
Vamos ver se o Júlio vai achar o mesmo que a gente.

MÔNICA
É claro que vai. A gente se garante.

CÉSAR
Isso mesmo! (dá selinho em Mônica) Atriz resolvida é outra coisa.

Em Mônica, sorridente.

CORTA PARA

CENA 07. LANCHONETE. INT. DIA.

Lilian, Zu e Pedro lancham juntos. Uma garçonete deixa copos de suco para os três. Lilian agradece, e a garçonete se afasta. Zu olha para o celular admirada e devolve o aparelho para Lilian.

ZU
Dessa vez, a Rah me surpreendeu. Logo ela, que não gosta de ser tratada como donzela do século passado.

LILIAN
Até ela, que se diz independente dos homens, se sente amada com um presente desse. Toda mulher gosta de um carinho assim, nem que seja de um admirador secreto. Queria que fosse comigo.

ZU
Um buquê de flores do César Rinaldi.

LILIAN
Para, que não tem graça.

ZU
Ah, tem sim. A gente sabe que você tá doida nele, mas não dá o braço a torcer.

LILIAN
Ele é igual ao Jairo: um safado mulherengo.

ZU
Do jeito que cê gosta.

PEDRO
Vocês até que têm química.

LILIAN
Até você, Pedro? Poxa! Tô cercada de amigos mesmo.

Um cliente vem de outra mesa e se aproxima de Lilian.

CLIENTE
Desculpa eu atrapalhar. Você não é a Lilian Cordeiro da Bomba!?

LILIAN
Sim, sou eu.

CLIENTE
Minha mulher te adora. Será que você não dava um autógrafo? Ela vai ficar doida.

LILIAN
Claro. Só um instantinho. (abre a bolsa e procura um bloco) Ai, meu Deus!

ZU
Que foi, miga?

LILIAN
Esqueci o bloco lá no Ruggero. (ao cliente) Pode ser no guardanapo?

CLIENTE
Claro!

Lilian pega a caneta na bolsa e autografa para o cliente.

CORTA PARA

CENA 08. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

Melita e Yoná entram e vão para o sofá.

MELITA
Ruggero me convidou pra jantar, acredita?

YONÁ
Nossa! Ele está mudado mesmo.

MELITA
A melhor coisa que ele fez foi trazer a jornalista pra cá. (olha o bloco de Lilian) Ih, ela deixou o bloco aqui.

YONÁ
Quer que eu deixe separado pra ela?

MELITA
Não. Ela pode precisar. Espera um pouco. (pega o celular e liga para Lilian) Fora de área! (pensa) Ah, já sei! Vou levar na casa dela.

YONÁ
Sabe onde fica?

MELITA
Sei, sim. Ela deixou o endereço pra caso aconteça alguma coisa com o Ruggero. Não é muito longe daqui. (anda até a porta) Se o Ruggero ligar, diz pra ele que não vou demorar.

YONÁ
Digo sim.

Melita sai com o bloco de Lilian na mão. Yoná pega um livro na estante, senta-se no sofá e começa a ler.

CORTA PARA

CENA 09. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. DIA.

Benjamin termina de tomar uma xícara de café. Ele está sentado com Laura.

BENJAMIN
O café estava ótimo, a conversa também, mas eu tenho que ir. Meu filho me espera.

LAURA

Ah, que pena! Manda um beijo pra ele e pra Haila. Fala pro meu afilhado que estou superfeliz com o sucesso dele.

BENJAMIN
Falo sim.

Laura e Benjamin se levantam. Ela abre a porta e se despede de Benjamin com beijos no rosto. Ele sai. Laura fecha a porta, senta-se no sofá e pega uma revista para folhear.

CORTA PARA

CENA 10. PRÉDIO DE LILIAN. PORTARIA. INT. DIA.

Melita entra pelo portão e se aproxima da portaria. Fátima a atende.

FÁTIMA
Pois não?

MELITA
Boa tarde. A Lilian Cordeiro mora aqui, não?

FÁTIMA
Sim, senhora… mas ela não está.

MELITA
Só vim deixar uma coisa pra ela. (pega o bloco de notas da bolsa) Entrega pra ela, por favor. Ela esqueceu lá em casa.

Benjamin sai do elevador e reconhece a voz de Melita.

FÁTIMA
Ah, sim. (pega o bloco) Entrego na mão dela assim que chegar.

MELITA
Ah, muito obrigada.

FÁTIMA
Não tem de quê.

BENJAMIN (aproxima-se)
Melita?

MELITA (vira-se)
Sim?

BENJAMIN
Não me diga que não se lembra de mim?

MELITA
Não, nem sei quem… (reconhece) Benjamin?

BENJAMIN
Quanto tempo, hein!?

FÁTIMA
Vou deixar os dois a sós. (afasta-se)

MELITA (olha-o atentamente)
Não esperava te ver de novo. Faz muito tempo. Éramos tão jovens, e depois você se casou com a Vi…

BENJAMIN
O tempo passou sim… mas não pra você. Continua a mesma mulher linda por quem me apaixonei.

MELITA
Não, Benjamin. Hoje sou outra. (troca de olhares) Foi bom te ver. Tchau!

Melita sai pelo portão. Benjamin a olha apaixonado. Fátima se aproxima dele.

FÁTIMA
Ah, o primeiro amor…

BENJAMIN
Como você sabe que…?

FÁTIMA
Essas coisas, farejo de longe.

Benjamin olha para o portão pensativo.

CORTA PARA

CENA 11. PRÉDIO DE LILIAN. FRENTE. EXT. DIA.

=== SONOPLASTIA: Naquela Estação – Adriana Calcanhotto ===

Melita anda pela calçada, perturbada pelo reencontro com Benjamin. Encosta-se a um muro. Põe as mãos no rosto e as esfrega para baixo. Cruza os dedos das mãos. Volta a andar e entra no carro a cerca de cinquenta metros. Benjamin sai pelo portão do prédio e vê Melita entrar no carro e partir com ele.

CORTA PARA

CENA 12. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Yoná lê o mesmo livro da cena 08. Melita entra transtornada. Yoná põe o livro que sobre o sofá, se levanta e se junta a Melita.

YONÁ
Algum problema, Melita? Você está com uma cara…

MELITA
(tenta disfarçar) Não, não foi nada. (vê o livro) O que está lendo?

YONÁ
Ai, desculpa, Melita.

MELITA
Não precisa se desculpar. A biblioteca é pra isso mesmo.

YONÁ
Bem… (olha o livro) o nome é O Jardim Florido da Saudade. É do Mário Fradique.

MELITA
Saudade… É o que define meu dia. (pausa) Nunca li. É bom?

YONÁ
É ótimo. Amo os livros do Mário Fradique. Acho ele tão sensível. Parece que ele conversa com a gente.

MELITA
Leva pra casa, se quiser. E depois passa pra mim, que eu também quero ler. (pausa) Ruggero voltou?

YONÁ
Ainda não.

MELITA
Está bem. Vou subir e repousar um pouco.

Melita sai. Yoná sorri. Volta pro sofá e pega o livro pra continuar lendo.

CORTA PARA

CENA 13. REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO. PROGRAMA DE AUDITÓRIO. INT. DIA.

Ruggero e dois executivos passam pelo cenário e conferem cada item.

RUGGERO
Troca esse verde! Isso parece a Amazônia. Nada a ver com um programa de… de quê mesmo?

EXECUTIVO 1
De jogos.

RUGGERO (aponta)
O verde sai… O roxo ali de baixo já passou da época faz tempo. Não estamos mais nos anos 30. E aquele telão? Troca por um novo. Na Itália colocam coisa muito melhor.

EXECUTIVO 2
Mas estamos no Brasil.

RUGGERO
Que se foda! Tem dinheiro pra meter coisa melhor no lugar desse troço. E esse fundo? É de papelão? Não quero! Manda trocar. Troca tudo! (derruba um totem) Que cenário podre! Troca!

Os executivos se entreolham. Ruggero anda por todo o cenário e chuta vários objetos.

CORTA PARA

CENA 14. REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO. CORREDOR. INT. DIA.

Mônica anda pelo corredor com o nariz empinado. Júlio sai por uma sala e espera Mônica chegar até onde ele está. Puxa-a pelo braço.

MÔNICA
Caramba! Que susto!

JÚLIO
Entra aí.

Júlio a traz pra dentro da sala e fecha a porta.

CORTA PARA

CENA 15. REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO. SALA DE REUNIÕES. INT. DIA.

Mônica tenta se soltar, mas Júlio a agarra e dá um chupão no pescoço. Mônica finge desagrado, mas se entrega.

=== SONOPLASTIA: SENSUAL ===

MÔNICA (rindo)
Me solta! Pode aparecer alguém.

JÚLIO
Está todo mundo em reunião com o velho caquético. Assim a gente pode namorar um pouco.

MÔNICA
Ai! Assim não, que me machuca. (dengosa) Sou comprometida, sabia?

JÚLIO
Assim que é mais gostoso. Me beija, vadia.

Júlio beija Mônica com luxúria.

MÔNICA
Uau, que feroz!

JÚLIO
Você me deixa louco, sabia?

Mônica o beija novamente.

=== SONOPLASTIA OFF ===

RUGGERO (V.O.)
Se eles pensam que vão tirar a Zilda de mim, estão muito enganados.

Júlio e Mônica param de se beijar e disfarçam. Ruggero entra com uma assessora e não gosta de vê-los na sala. Mônica finge embaraço.

CORTA PARA

CENA 16. PRÉDIO DE LILIAN. PORTARIA. INT. DIA.

Lilian entra na portaria, passa por Fátima e segue para o elevador.

LILIAN
Oi, Fátima!

FÁTIMA
Oi, Lilian! Deixaram uma coisa pra você.

LILIAN (volta)
O quê?

FÁTIMA (pega o bloco de notas e entrega)
Isso aqui. Você deixou na casa de uma tal de/

LILIAN
Ai, eu dei por falta mesmo… Obrigada! (coloca na bolsa) A Melita deve ter mandado/

FÁTIMA
Isso! Foi essa Melita que veio aqui.

LILIAN
Tá brincando? Ela é um amor.

FÁTIMA
Seu Benjamin também acha.

LILIAN (curiosa)
Benjamin?

FÁTIMA
Ele ficou todo xonadão na madame, tinha que ver.

JAIRO (aparece por trás de Lilian)
Assim como eu fico com você.

LILIAN
Você de novo? Quantas vezes vou ter que falar que/

JAIRO
Por que esse jogo duro comigo? Quando é que você vai me perdoar?

LILIAN
Nunca! Você me traiu com uma vagabunda e depois me beijou à força. Pelo bem de nós dois, procura outra e me esquece.

FÁTIMA
A Lilian tá certa/

JAIRO (tom)
Vê se não se mete, ô, fofoqueira!

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

LILIAN
O que é isso? Não fala assim com ela.

FÁTIMA
Já tô acostumada com cafajestes.

JAIRO (tom)
Ou cala a boca, ou/

FÁTIMA
Ou o quê? É cafajeste mesmo.

Jairo dá um tapa na cara de Fátima. Lilian se assusta.

JAIRO
Isso é pra aprender a não meter o bedelho onde não é chamada.

LILIAN (raiva)
Tá vendo por que não te quero mais?

JAIRO
Ah, não?

Jairo beija Lilian à força e põe a mão no bumbum dela. Lilian se solta e dá um tapa nele. Laura sai do elevador e vê a briga. Jairo revida o tapa em Lilian.

JAIRO
Mulher nenhuma me bate.

Jairo sai furioso pelo portão. Laura tenta correr atrás dele. Lilian se junta a Fátima.

LAURA
(enquanto isso) Volta aqui, covarde! Canalha! (volta para Lilian) Como ele teve coragem?

FÁTIMA
Ele também me bateu.

LAURA
Vamos denunciar agora mesmo.

LILIAN
Não, mãe.

LAURA
Como não? Não admito que ele te faça mal. Vamos nós três pra delegacia. (a Fátima) O zelador fica no seu lugar, não fica?

Lilian preocupada e pensativa.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 17. RUA. CARRO DE BRENO. EXT. ANOITECER.

Breno dirige o carro. Mônica está no banco do carona.

MÔNICA
Quase tive um treco quando o velho apareceu na sala. Eu e o Júlio estávamos nos… em reunião.

BRENO
Hum… imagino.

MÕNICA
Que é? Tá duvidando de mim?

BRENO
Calma! De você não. Mas o Júlio, eu conheço de outros carnavais. Não precisa mentir pra mim não. Dezenas como você passaram pelas mãos dele.

MÔNICA
(fingida) Sério? (pausa) Não conta pro César, tá? Por favor. Não quero que ele/

BRENO
Relaxa. O seu namorado também não é nenhum santo.

=== SONOPLASTIA: Coisa Boa – Gloria Groove ===

Mônica gargalha. Breno também sorri e continua dirigindo.

CORTA PARA

CENA 18. DELEGACIA DA MULHER. FRENTE. EXT. NOITE.

=== MÚSICA MAIS BAIXA ===

A música toca no rádio do carro do cachorro-quente em frente à delegacia. Laura sai abraçada a Lilian. Fátima está com elas.

LAURA
Agora, sim… denunciamos o crápula.

FÁTIMA
E ele vai ter que aparecer, se não vai preso.

LILIAN
Não sei se precisava de tudo isso.

LAURA
Filha, ele agrediu vocês duas. Não pode ficar solto. Quer o quê? Que ele bata em outras mulheres?

LILIAN
É, tem razão.

FÁTIMA
O que ele tem por você é obsessão. Não é coisa normal, não.

LILIAN
Nem sei mais o que acho. Mãe, vão vocês pra casa, que eu tô a fim de pegar um ar, andar por aí?

LAURA
Mas sozinha? E se ele/

LILIAN
Ele não vai me pegar perto da delegacia. Vou pra praça ali na frente, fico um tempo e depois pego um Uber.

LAURA
Está bem. Se acontecer alguma coisa, me liga.

LILIAN
Tá, mãe.

LAURA (beija-a no rosto)
Tchau, filha!

FÁTIMA
Tchau, Lili!

LILIAN
Não vou demorar. Beijo!

Lilian vê Laura e Fátima seguirem para longe. Olha para os lados e depois anda no sentido oposto ao das outras duas.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 19. PRAÇA. EXT. NOITE.

Lilian anda lentamente pela praça, pensativa.

LILIAN (V.O.)
Um príncipe virou um sapo. O outro me esnoba. Minha patroa tá estranha. Minha vida de cabeça pra baixo…

=== SONOPLASTIA: VIOLINO ===

O volume do instrumento aumenta conforme ela se aproxima. Um homem barbudo toca violino no centro da praça, ao fundo. Lilian vira a cabeça e consegue vê-lo. Curte a leveza da música clássica. Aproxima-se cada vez mais, até ficar a dez metros do homem. Miguel, concentrado e sério, atrai com o olhar a curiosidade de Lilian.

CAM alternada, em PLANO PRÓXIMO, entre Lilian e Miguel.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Efeito de fim de capítulo: imagem de Miguel congela; efeito de flash de fotografia; imagem fica em preto e branco.

POSTADO POR

Marcelo Delpkin

Marcelo Delpkin

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo