Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Escândalo – Capítulo 18

CENA 01. BOATE. INT. NOITE.

Continuação imediata do capítulo anterior.

=== SONOPLASTIA: Louca – Alice Caymmi ===

César e Lilian param de se beijar. Raúla está estranha.

RAÚLA
Vocês não sabem quem acabaram de entrar.

CÉSAR
E quem se importa com isso?

RAÚLA
Deveria. Por pouco eles não viram vocês e criaram o maior barraco. (a Lilian) Mônica e Jairo.

LILIAN
Era só o que me faltava.

RAÚLA
Juntos. Parecia um casal de amantes. Sei não, mas acho que eles querem se vingar de vocês.

LILIAN
Estão olhando pra gente?

RAÚLA
Não, foram lá pra trás.

CÉSAR
Se eles pensam que vão nos intimidar, estão muito enganados.

LILIAN
Não tô segura. Vamos pra outro lugar, César.

CÉSAR
Que bobagem! A gente chegou primeiro, agora eles que nos engulam.

RAÚLA
Também acho. Vamos nos divertir e deixar as duas cobras soltarem veneno bem longe da gente.

Uma repórter jovem e descolada aparece e aborda os três.

REPÓRTER
Desculpa atrapalhar o papo de vocês, mas não é toda hora que encontro tantas celebridades juntas.

CÉSAR
Se veio atrás de entrevista/

LILIAN
Eu topo.

RAÚLA
Eu também. Não vai demorar nadinha, César.

REPÓRTER
Só umas perguntinhas. (liga o gravador de voz portátil) Raúla Negri, é verdade que seu irmão, Renato Monte, vai casar?

CORTA RÁPIDO. CAM à mesa de Jairo e Mônica. Ele bebe drinque e conversa com ela.

=== MÚSICA MUDA PARA Coisa Boa – Gloria Groove ===

MÔNICA
A gente tem que fazer alguma coisa pra separar os dois.

JAIRO
Por mim, o César morria hoje mesmo.

MÔNICA
Tá, e eu fico sem namorado? Não quero violência. É só pra separar, ouviu bem?

JAIRO
Tá bom. E o que a gente faz?

MONICA
Não sei ainda. Tem que ser alguma coisa que humilhe aqueles dois na frente de todo mundo e que obrigue o César a voltar pra mim.

JAIRO
E eu?

MÔNICA
A Lilizinha vai estar livre pra você, né?

JAIRO
Já sei. Você dopa o cara, deita com ele e fica embuchada.

MÔNICA
E perco o papel que lutei tanto? Esquece. A gente tem que descobrir alguma coisa pesada que fode com os dois. Aí a gente faz chantagem.

JAIRO
O pior é que a Lilian é uma santa. Não tem nada pra jogar na cara dela. Já o teu macho…

MÔNICA
Também não sei de nada. (pausa) Claro! A Isolda pode ver pra gente. Você fala com ela.

JAIRO
Por que eu? Você que é amiguinha dela.

MÔNICA
A gente brigou. Mas você pode dar um jeito. Vai num dia desse lá na redação e joga uns verdes.

A conversa segue em FADE.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 02. REVISTA DE FOFOCAS. REDAÇÃO. INT. DIA.

Isolda conversa com Jairo. De longe, Pedro presta atenção à conversa.

ISOLDA
Deixa eu ver se entendi. Vocês querem que eu descubra alguns pobres do casalzinho. (pensativa) Com uma condição.

JAIRO
Faço o que você quiser.

ISOLDA
Vocês dois não podem, em hipótese alguma, aparecer como namorados. Se quiserem se juntar, que seja como amantes bem escondidinho. Se aparecerem juntos, eu mesma queimo a fama de vocês dois pra sempre.

JAIRO
Tá bom, deixa comigo; mas vai ajudar a gente?

ISOLDA
Vou pensar. Não prometo nada.

CAM alternada entre Jairo e Isolda.

CORTA PARA

CENA 03. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA DE JANTAR. INT. DIA.

Lilian e Laura tomam café da manhã à mesa e conversam sobre César.

LILIAN
Decidi dar uma chance pra ele.

LAURA
Sério? Que coisa boa, filha! Ele me parece bem melhor que seu ex.

LILIAN
Não quero nem lembrar que o traste existe.

LAURA
Depois me apresenta o César.

LILIAN
Ah! Eu chamei ele pra jantar com a gente hoje. Fiz mal?

LAURA
Claro que não, meu amor. Vou aproveitar pra dar uma passada no supermercado.

LILIAN
Queria ir com você, mas hoje vou pro Ruggero.

LAURA
E como é que está lá?

LILIAN
Tudo indo. O material tá ficando bom. Com ajuda do Pedro e da Zu, tô conseguindo muita coisa. (o celular toca; Lilian pega o aparelho) Falando no Pedro… (atende) Oi, Pedro! (tempo) Não, tô em casa ainda. (tempo) Tem certeza? (tempo; preocupada) Não acredito! Eles são mais baixos do que pensava. (tempo) Não vão conseguir nada. (tempo) Qualquer coisa, me liga. Obrigada! (tempo) Tchau! (desliga)

LAURA
O que ele queria?

LILIAN
O Jairo tá armando contra mim e o César. Foi pedir ajuda pra Isolda na revista.

LAURA
A Isolda é uma cobra, mas não acho que dê ouvidos a ele.

LILIAN
Não só aceitou, como exigiu coisa em troca. Ela não dá ponto sem nó.

Laura e Lilian preocupadas. Laura toma um gole de chá.

CORTA PARA

CENA 04. APARTAMENTO DE MÔNICA. BANHEIRO. INT. DIA.

Jairo conversa com Mônica. Ela está em frente ao espelho, retocando a maquiagem. Jairo sentado no vaso, que está com a tampa fechada.

JAIRO
Foi o que a Isolda falou: pra gente não aparecer junto por aí.

MÔNICA
Melhor assim. Só quero ver a cara do César quando eu obrigar a ficar comigo. (ri) Nunca mais vai ter a cara de pau de me trocar pela loira aguada.

JAIRO
Já que a gente tá junto nessa e que você tá por cima da carne seca/

MÔNICA
Não vem com chantagem pra cima de mim, não!

JAIRO
Quem falou em chantagem? Só ia te pedir pra descolar um papel pra mim na novela. Tô precisando de dinheiro/

MÔNICA
Tá, sem ladainha de pobretão, que não cola. Quando eu estiver com o Júlio, falo com ele.

JAIRO
É assim que eu gosto.

Jairo se levanta e, num impulso, beija Mônica. Ela se solta e dá um tapa nele. Jairo revida.

MÔNICA
Bruto!

JAIRO
Nem vem, que sei que é disso que você gosta.

Mônica e Jairo se beijam de novo.

CORTA PARA

CENA 05. MANSÃO DE RUGGERO. SALA. INT. DIA.

Arnaldo abre a porta para Lilian entrar. Melita a espera de pé, perto do sofá.

MELITA
Bom dia, Lilian.

LILIAN
Bom dia. Como vai? (troca beijos de rosto com Melita) O doutor Ruggero está?

MELITA
Ainda não acordou. Enquanto eu chamo, quer tomar um café?

LILIAN
Já tomei. Obrigada.

MELITA
Fica à vontade. Com licença.

Melita sobe as escadas. Lilian se senta no sofá.

CORTA PARA

CENA 06. MANSÃO DE RUGGERO. QUARTO DE RUGGERO. INT. DIA.

Ruggero dorme na cama. Tem um pesadelo e se debate.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

PESADELO:

REDE SONHO DE TELEVISÃO. PRÉDIO ADMINISTRATIVO. CORREDOR. INT. NOITE.

Tempo chuvoso e sombrio. Ruggero anda lentamente pelo corredor. Quando chega à porta da sala da presidência, olha para os lados.

Entra na SALA DA PRESIDÊNCIA e deixa a porta aberta.

Vai até a janela e olha para fora. Assusta-se com um trovão e depois com a porta que bate com força. Vira-se e vê um vulto todo negro e de rosto irreconhecível.

VULTO
A sua hora está chegando.

RUGGERO (com medo)
O que você quer?

VULTO
Sua morte.

RUGGERO
Quem é você?

VULTO (se aproxima)
Seu algoz.

O vulto se aproxima de Ruggero. Este tenta se levantar para fugir, mas é abraçado e esmagado pelo vulto.

CORTA RÁPIDO – FIM DO PESADELO

=== SONOPLASTIA OFF ===

Ruggero acorda apavorado. Melita entra e fica preocupada com o estado de Ruggero.

MELITA
O que aconteceu?

RUGGERO (esgotado)
Um pesadelo. Chama o Fausto.

MELITA
Tá bom, eu chamo.

Melita pega o celular e disca um número.

CORTA PARA

CENA 07. APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. DIA.

Breno fala ao celular com um jornalista. Sérgio, sentado à mesa, digita um capítulo da novela.

BRENO
Como é que você soube? (tempo) Não publica nada. Ela não pode desconfiar de nada. César tem um problema sério por causa disso. (tempo) Se ela perguntar de novo, fala que foi só um boato. Inventa qualquer coisa. (tempo) Até! (desliga)

SÉRGIO
Quem era?

BRENO
Um amigo lá da Itália. A notícia do rompimento César com a Mônica foi parar lá, e uma conhecida nossa ficou preocupada.

SÉRGIO
E por que não quer que ela saiba a verdade?

BRENO
Uma longa história. Só digo que o César não tem boas recordações dessa pessoa. Vai ficar aí?

SÉRGIO
Vou. Tenho um capítulo pra terminar ainda hoje, só não sei como. O César briga com a Mônica, e eu que resolva o que fazer com os dois, né?

BRENO
Não queria estar na sua pele.

SÉRGIO
Nem me fala.

BRENO (após segundos)
Vou lá, que tem muita gravação pra hoje.

SÉRGIO
Até mais!

Breno pega a carteira e sai. Sérgio continua digitando o capítulo.

CORTA PARA

CENA 08. REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO. SALA DE JÚLIO. INT. DIA.

Júlio está à mesa e faz anotações num roteiro. Mônica bate à porta e entra.

JÚLIO
Saudade de mim, gata?

MÔNICA
Só um pouquinho. (ri; senta-se) Queria conversar com você.

JÚLIO
É sobre o César, não é?

MÔNICA
Não. Na verdade, é sobre outra coisa.

JÚLIO
O quê?

MÕNICA
Um pedido.

JÚLIO
Seu pedido é uma ordem.

MÕNICA
Então… Eu tenho um amigo, que também é ator, e ele tava querendo um papel na novela. O Breno me falou que o Sérgio tinha criado um personagem novo e que se encaixava nesse meu amigo.

JÚLIO
É verdade. O personagem é um vilão, inimigo do personagem do Breno. É charmoso, cafajeste, tem cara de pobre; uns quarenta anos, por aí.

MÔNICA
Meu amigo é assim mesmo.

JÚLIO
Me passa o nome e o contato dele, que eu chamo pra um teste.

MÔNICA
(vibra) Ai, obrigada! (levanta-se e abraça Júlio) Depois te pago do jeito de sempre.

JÚLIO
Combinado.

Júlio dá um selinho em Mônica. Ela pega um pedaço de papel em cima da mesa e a caneta emprestada para anotar os dados de Jairo. Entrega tudo a Júlio e sai saltitante. Júlio sorri safado.

CORTA PARA

CENA 09. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

Ruggero dá entrevista a Lilian para a biografia.

LILIAN
Como seu filho era na escola?

RUGGERO
Nunca foi lá grande aluno. Não que ele não tivesse capacidade, mas não levava a sério, só pra me agredir. Desde cedo não se conformava em ser a minha sombra. Era o que ele tinha que ser. Nasceu pra isso.

LILIAN
Você nunca pensou que, pra ele, ser uma sombra poderia ser uma crueldade, talvez até a morte?

RUGGERO
A morte era o que ele procurava quando não acatava as minhas ordens. (fica triste) Só depois que se foi, é que vi que eu o matei aos poucos.

LILIAN
Você disse na outra vez que ele queria ser músico.

RUGGERO
Uma desgraça pra uma família que vivia do dinheiro. O que ele queria fazer nunca daria dinheiro. Não podia permitir. Queria que ele fosse advogado. Não perdoei o golpe quando meu filho se inscreveu pra aquela maldita faculdade de Música da USP. (Lilian arregala os olhos sem Ruggero perceber) Lembro bem. Foi em 80.

CORTA PARA

CENA 10. MANSÃO DE RUGGERO. FRENTE. EXT. DIA.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

Lilian sai da mansão. Enquanto anda pela calçada, telefona para Pedro e espera este atender.

LILIAN
Alô, Pedro?

PEDRO (V.O., telefone)
Fala, Lilian.

LILIAN
Acabei de sair da mansão do Ruggero.

PEDRO (V.O., telefone)
E aí? Ele soltou mais alguma coisa?

LILIAN
Uma pista. Você tá na redação?

PEDRO (V.O., telefone)
Não, tô de folga. Quer me encontrar aqui?

LILIAN
Pode ser. Chego aí rapidinho.

CORTA PARA

CENA 11. CASA DE CIRO. SALA. INT. DIA.

Pedro abre a porta para Lilian e a beija no rosto. Ela entra. Pedro fecha a porta.

PEDRO
Você disse que tinha uma pista.

LILIAN
Se for verdade, tenho uma bomba na mão. (ambos se sentam no sofá) Você sabe que o velho tenta esconder o máximo sobre o filho dele, né? Como era a relação deles, como o filho morreu, a proibição de falar dele… Mas, sem querer, ele soltou uma coisa que pode ajudar a gente. (pausa) O rapaz tentou prestar vestibular pra música na ECA.

PEDRO
Na ECA da USP? Mas isso é muito vago.

LILIAN
Não quando se chama Miguel Fontana. Pega o notebook lá, que a gente checa agora mesmo.

Pedro sai pelo corredor. CORTA. Lilian e Pedro com o notebook à frente. Ela digita no site de buscas “Miguel Fontana ECA 1980”. Expectativa. Lilian pesquisa entre as opções, mas não aparece nada de interessante. CAM nela e em Pedro.

PEDRO
Já faz muito tempo. É claro que não iam deixar a lista na internet.

LILIAN
Por que não? Meu pai fez faculdade antes, e minha mãe achou a inscrição dele no outro dia. Vamos tentar mais um pouco.

Lilian continua a pesquisa na internet.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 12. RUA. EXT. DIA.

Benjamin e Miguel andam pela rua e conversam. Miguel segura o violino.

BENJAMIN
Como aprendeu a tocar tantos instrumentos?

MIGUEL
Estudo desde que me dou por gente. O tempo foi passando, e agora não vivo mais sem música.

BENJAMIN
E desde então toca nas ruas?

MIGUEL
Na verdade, desde que conheci a Norma. Aí passei a tocar na rua pra conseguir uns trocados e sustentar a família.

BENJAMIN
E antes? Fazia o quê?

MIGUEL
Nada demais. Só estudava e tocava.

BENJAMIN
Seus pais deviam ter muito orgulho de você, não?

MIGUEL (mente)
É… tinham sim. Se me der licença, vou me apressar.

BENJAMIN
A gente se fala.

MIGUEL
Até mais!

Miguel anda apressado e se distancia de Benjamin. Este fica pensativo.

CORTA PARA

CENA 13. CASA DE CIRO. SALA. INT. DIA.

Continuação da cena 11.

Lilian descobre algo e se empolga. Pedro vem do corredor e se junta a Lilian. CAM alternada entre os personagens e a tela do notebook no decorrer da cena.

LILIAN
Achei! A lista dos vestibulandos!

PEDRO
Curso de música, janeiro de 80.

LILIAN
Vamos ver. (procura o nome) Aqui está! Miguel Fontana di Capri. Aprovado em segundo lugar.

PEDRO
Deixa eu mandar pra nuvem.

LILIAN
Boa!

PEDRO (executa o comando)
Pronto.

LILIAN
Vamos ver se tem mais… Hum! Já sei.

Lilian abre o site de busca e digita “Miguel di Capri 1980”.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

Abre uma lista de resultados. CAM destaca o texto “Maestro Newton Seixas presta condolências a Miguel di Capri”. Lilian surpresa.

PEDRO
Entra aí.

LILIAN
Vamos ver. (clica para entrar na página; lê) Um dos grandes nomes da música clássica paulistana, o maestro e professor Newton Seixas presta condolências ao jovem talento Miguel di Capri, que terminou sua vida tragicamente na última quinta-feira, 10 de abril, com apenas dezoito anos. Filho de um expoente das telecomunicações… (a Pedro) Consegue imprimir isso?

PEDRO
Claro. (executa comandos no notebook) Vai sair no escritório. Vou lá/

LILIAN
Não, depois você pega. Vamos ver se tem mais.

Lilian volta na página de buscas e vê outro link.

CORTA PARA

CENA 14. PRÉDIO DE LILIAN. FRENTE. EXT. NOITE.

Anoitece. Imagem da fachada do prédio. Raúla entra pelo portão.

CORTA PARA

CENA 15. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

=== SONOPLASTIA EM FADE ===

Benjamin conversa com Laura enquanto tomam cafezinho no sofá.

BENJAMIN
Não sei. Achei o Miguel meio estranho hoje.

LAURA
Por quê? Ele te fez alguma coisa?

BENJAMIN
Não, pelo contrário. É que estive conversando com ele hoje e, quando perguntei sobre a vida dele, ele quis esconder e foi embora.

LAURA
É, a Lilian já tinha me falado que ele não gostava de falar muito dele mesmo. Bem, vamos respeitar. (pausa) Tem visto a Melita?

BENJAMIN
Não.

Lilian e Raúla entram juntas. A primeira coloca a pasta de papéis e a bolsa na mesinha de canto. Lilian dá um beijo em Laura, e Raúla abraça Benjamin por trás do sofá.

LILIAN (enquanto isso)
O que tanto falam aí, hein!?

RAÚLA
Mal da gente, né?

LAURA
Que nada! A gente não tem um isso daqui pra falar de vocês. (faz gesto com os dedos juntos)

BENJAMIN
Isso é verdade.

Lilian e Raúla se sentam no sofá.

LILIAN (a Benjamin)
Ainda bem que você tá aqui. Você chegou a conhecer o Newton Seixas?

BENJAMIN
Tinha um maestro com esse nome. Não cheguei a conhecer, mas era muito famoso. Isso tem uns quarenta anos, por aí. Por quê?

LILIAN
Por nada. É pra uma reportagem que tô escrevendo. Aí apareceu o nome dele. Sabe se ele ainda tá vivo?

BENJAMIN
Não. Se não me engano, morreu faz tempo. Acidente de carro.

LILIAN
Nossa! Que tragédia!

BENJAMIN
Mas o Márcio pode te ajudar. Ele vive em Nova York, mas está de passagem pelo Brasil. Meu filho esteve com ele.

CORTA PARA

CENA 16. APARTAMENTO DE LILIAN. QUARTO DE LILIAN. INT. NOITE.

Lilian entra no quarto com o celular no ouvido e fecha a porta.

LILIAN
Alô? Sou eu.

PEDRO (V.O., telefone)
E aí?

LILIAN
Falei com uma pessoa que disse que o maestro já tá morto, mas que tem uma pessoa que pode ajudar a gente. Procura na net por Newton Seixas e Márcio Vergueiro.

PEDRO (V.O., telefone)
Márcio Vergueiro?

LILIAN
Aham. Esse Márcio foi discípulo do Seixas por um tempo e chegou a ser regente da Orquestra Sinfônica.

PEDRO (V.O., telefone)
E o primeiro colocado no mesmo vestibular de música ao qual o filho do Ruggero também concorreu.

LILIAN
Tem certeza?

PEDRO (V.O., telefone)
Tenho. Lembro exatamente desse nome.

LILIAN
Bom saber. (batidas à porta) Depois te ligo. (Raúla entra) Estão me chamando. Obrigada por tudo. Tchau! (desliga) O César chegou?

RAÚLA
Tá te esperando na sala.

LILIAN
Fala com ele que já vou.

Raúla sai. Lilian guarda o celular na bolsa e arruma o penteado à frente do espelho. Apaga a luz e sai.

CORTA PARA

CENA 17. CASA DE MIGUEL. QUARTO DE MIGUEL. INT. NOITE.

Miguel senta na cama e abre uma caixa. Folheia algumas fotos e recortes de jornais. Pega uma folha e coloca a caixa no chão. Abre o papel e lê. CAM nos escritos: “Miguel Fontana di Capri, aprovado para o curso de Música…”.

CAM em Miguel, com lágrimas caindo pelos olhos. Ouve um barulho vindo da sala. Ele dobra o papel e guarda rapidamente na caixa. Põe a caixa escondida no armário. Limpa o rosto com a mão, enquanto Guilherme entra sem bater.

GUILHERME
Mãe? Ah, é você?

MIGUEL
Já falei pra não entrar sem bater.

GUILHERME
Tá, foi mal. A mãe tá aí?

MIGUEL
Foi ao supermercado e já volta. Quando ela aparecer, diz que fui pra praça. (sai)

GUILHERME (fala baixo)
Pode ir até pro inferno, se quiser.

CORTA PARA

CENA 18. RESTAURANTE. INT. NOITE.

=== SONOPLASTIA: Falando de Amor – Edu Lobo ===

César e Lilian sentados à mesa. Um garçom serve vinho para ambos, e eles agradecem. O garçom se afasta.

CÉSAR (brinda)
A nós!

LILIAN (também brinda)
Ao sucesso e ao amor. Tintim!

César e Lilian tomam um gole de vinho.

CÉSAR
Você tá diferente.

LILIAN
Diferente como?

CÉSAR
(suspense) Linda. (sorri)

LILIAN
São seus olhos. Tô bem cansada, isso sim. (sorri)

CÉSAR
Muito trabalho no blog?

LILIAN
Não só no blog, como também com a biografia. Te falei que estou escrevendo um livro com a história do Ruggero, não falei?

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

CÉSAR (sério)
Você o quê?

Lilian estranha a reação de César. Ele fica com expressão de ódio.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Efeito de fim de capítulo: imagem de César congela; efeito de flash de fotografia; imagem fica em preto e branco.

POSTADO POR

Marcelo Delpkin

Marcelo Delpkin

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
  • >
    Rolar para o topo