Escândalo – Capítulo 20

ATENÇÃO: A Cópia e reprodução deste conteúdo fora da plataforma Cyber TV sem autorização prévia da administração, é proibida e viola os direitos legais do autor.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

CENA 01. APARTAMENTO DE LILIAN. QUARTO DE LILIAN. INT. DIA.

Continuação imediata do capítulo anterior.

Laura, Lilian e Raúla no cômodo. Lilian curiosa.

LILIAN
Rah, procura uns brincos que combinam com o vestido ali na caixa pra mim, que eu já volto.

RAÚLA
Pode deixar, amiga.

Lilian sai acompanhada de Laura.

CORTA PARA

CENA 02. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. DIA.

Lilian e Laura entram pelo corredor. Breno está sentado no sofá.

LILIAN
Breno?

BRENO (se levanta e cumprimenta)
Oi, Lilian!

LILIAN
O César te mandou aqui?

BRENO
Não, ele não sabe. Aproveitei que ele saiu e vim pra cá. Acho que ele não me seguiu, né?

LAURA
Vou deixar os dois a sós. Com licença. (sai)

LILIAN
É que a gente já tava de saída.

BRENO
É muito importante.

LILIAN
Tá, senta.

BRENO
É sobre o passado do César. Ele te contou que não teve um passado muito fácil com o Ruggero, não foi?

LILIAN
Sim, e eu quero muito saber. Preciso. (pausa) O Ruggero me conta a vida dele, mas só o que lhe interessa. Aí a biografia fica toda cheia de buracos, e eu fico perdida por não saber como tapar.

BRENO
O velho nunca foi uma pessoa muito fácil. (olha para os lados) Olha, não quero mais tomar seu tempo. Quando a gente pode conversar com calma?

LILIAN
Pode ser de noite?

BRENO
Deixa eu pensar… Tenho gravação até umas oito ou nove. Às dez fica muito tarde, não fica?

LILIAN
Não, de jeito nenhum.

CORTA PARA

CENA 03. APARTAMENTO DE LILIAN. QUARTO DE LILIAN. INT. DIA.

Lilian entra e fecha a porta. Raúla entrega um par de brincos.

LILIAN
Esses estão ótimos. (põe nas orelhas)

RAÚLA
O que ele queria?

LILIAN
Me contar umas coisas sobre o César. Marquei na tua casa. Fiz mal?

RAÚLA
Que nada! Ela tá sempre aberta pra você. E lá o Jairo não vai aparecer.

LILIAN
Pior que nem tava pensando nisso. (se olha no espelho) Fiquei bem?

RAÚLA
Ficou, sim. Vamos.

Lilian e Raúla pegam as bolsas sobre a cama e colocam nos ombros.

CORTA PARA

CENA 04. APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. DIA.

Sérgio digita um capítulo da novela no notebook. Toca a campainha. Ele se levanta e vê pelo olho mágico. Abre para Mônica. Ela tenta abraçá-lo pensando que é César, mas se dá conta e fica com raiva.

MÔNICA
Você aqui?

SÉRGIO
O que você quer? O César não está e nem quer olhar pra sua cara.

MÔNICA
(entra) Eu espero. (senta-se no sofá)

SÉRGIO (fecha a porta)
Ele vai demorar, e eu tô ocupado. Você não tinha gravação agora?

MÔNICA
Tinha, mas o Júlio cancelou. Por quê? Não posso mais ver meu namorado?

SÉRGIO
Ex-namorado. Ele te largou por causa do faniquito que deu lá na praça.

MÔNICA
Cala a boca e me serve uma bebida, que eu tô com sede.

SÉRGIO
Você é muito cara de pau mesmo. Some daqui, garota.

MÔNICA
Vai ter que me pegar à força.

SÉRGIO
Não seja por isso.

Sérgio pega Mônica pelo braço e a leva até a porta. Quando abre, dá de cara com Nara, que fica atônita.

CORTA PARA

CENA 05. CASA DE BENJAMIN. SALA. INT. DIA.

Haila, Renato, Raúla, Laura, Zu e Lilian fazem silêncio. Há um bolo na mesa posta atrás do sofá. Expectativa. Benjamin e Milton entram papeando qualquer coisa.

LAURA e RAÚLA
Surpresa!

Todos cantam Parabéns Pra Você para Benjamin, que fica sem graça. Raúla abraça Benjamin e o enche de beijos.

BENJAMIN
Assim vocês me matam do coração.

RAÚLA
Isola! (bate na madeira do sofá)

LAURA
Vem pra cá e faz três pedidos.

Benjamin faz o que Laura pede e assopra as velas. Gritos e assobios. Enquanto Benjamin, de costas, corta o primeiro pedaço do bolo, Melita entra com Yoná.

LILIAN (surpresa)
Melita?

Benjamin se vira e vê Melita à sua frente. Fica distraído. Um sorri para o outro.

RAÚLA
Pai, o bolo.

BENJAMIN (desperta)
Ah, sim. Desculpa, filha.

Benjamin pega o pedaço de bolo e leva para Melita. Esta sorri sem graça, e os outros assobiam e gritam. Milton se aproxima de Laura. Melita pega o bolo. Benjamin a olha com amor.

CORTA PARA

CENA 06. APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. DIA.

Continuação da cena 04. Nara vê Sérgio segurando Mônica pelo braço.

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

NARA
O que significa isso?

SÉRGIO (solta Mônica)
Essa mocinha veio importunar o César.

NARA
Vamos entrar e esclarecer umas coisas.

MÔNICA
Uma ova! Tô indo.

NARA (tom)
Você fica!

Nara entra. Sérgio fecha a porta. Os três vão para o centro da sala.

SÉRGIO
O que veio fazer aqui?

NARA
Tentar um acordo com você; mas o que vi aqui só mostra que você não é capaz de fazer acordo com mulher nenhuma.

MÔNICA
Isso é verdade.

NARA
Não vou admitir que bata nesta pobre moça. Bendita foi a hora que descobri que estava casada com um monstro. (a Mônica) Ele te machucou? (vê a marca no braço de Mônica)

MÔNICA
Não, só ficou vermelho.

NARA
Vamos pra delegacia.

MÔNICA
Não precisa. Já vai passar.

NARA
(tom) É uma ordem. (a Sérgio) O que você fez é crime, e eu vou fazer você pagar. Tenha certeza disso.

César entra e estranha a situação.

CÉSAR
Mônica, o que tá fazendo aqui?

MÔNICA
Vim te/

NARA
Veio se encontrar com o amante.

SÉRGIO (censura)
Nara!

MÔNICA
Eu amante desse palerma?

CÉSAR
(a Sérgio) Cadê o Breno?

SÉRGIO
Saiu assim que voltei. (a Nara) E você, vai embora logo.

CÉSAR
É isso aí. Cai fora. Não quero confusão por aqui.

NARA
Vou mesmo. Assim não tenho que olhar pra um monte de calhordas. (a Mônica) Fique bem certa de que eu vou fazer a cabeça da Isolda contra você. (a Sérgio) Vou considerar isto como uma violência contra mim.

Nara fica com ódio e sai. Mônica tenta se aproximar de César.

CÉSAR (tom)
Você também. Fora!

Mônica olha César com raiva e também sai, batendo a porta. César e Sérgio se entreolham pensativos.

CORTA PARA

CENA 07. CASA DE BENJAMIN. VARANDA. EXT. DIA.

=== MÚSICA MUDA PARA Nada Vai Mudar o Nosso Amor – Jerry Adriani ===

Milton e Laura vêm da sala e se sentam num banco. Ele segura um copo de refresco.

MILTON
Conheci o Ben no programa da Suzete Rodrigues, que Deus a tenha.

LAURA
Você também cantava, não?

MILTON
Cantava, sim. Só gravei um disco e depois voltei pra noite. Ele continuou por mais tempo. Fez mais sucesso.

LAURA
Eu também quis ser cantora, mas aí veio o Luciano e casei com ele.

MILTON
E por que ele não veio?

LAURA
Porque está no céu. Ele se foi há uns meses.

MILTON
Meus pêsames.

LAURA
Agora ele está melhor do que nós… e eu vivo pra minha filha.

MILTON
A Lilian? Ela é uma ótima moça.

LAURA
Obrigada. Luciano e eu criamos com muito amor. Ela puxou ao pai, sabia? (os dois sorriem)

CORTA PARA

CENA 08. CASA DE BENJAMIN. SALA DE JANTAR. INT. DIA.

Lilian e Melita conversam. Benjamin ao fundo com Renato e Haila; Yoná com Raúla em outro canto.

MELITA
O Ruggero não acordou muito bem, então pedi pro Arnaldo levá-lo pro hospital. Assim aproveita pra fazer uns exames.

LILIAN
Ele vai melhorar.

MELITA
Não sei. Você sabe que ele está com os dias contados. A qualquer hora… (vê Benjamin olhando pra ela)

LILIAN
Espero conseguir fechar o material antes que ele/

Lilian nota a reação de Melita e olha para Benjamin. Sorri.

DISSOLVE

CENA 09. CASA DE BENJAMIN. SALA. INT. DIA.

=== MÚSICA MUDA PARA Croire – Lara Fabian ===

O relógio marca 10:30. Os ponteiros giram rapidamente até 1:20.

CORTA. CAM em Benjamin e Melita perto da saída.

BENJAMIN
Muito obrigado por ter vindo. Não imagina o quanto fiquei contente.

MELITA
Era minha obrigação, por tudo que… por toda a nossa história.

BENJAMIN
Quero que venha sempre.

MELITA
Não sei se posso, mas vou tentar.

YONÁ
Com licença. Melita, o carro já chegou.

MELITA
Me espera lá. (Yoná sai) Se eu pudesse voltar no tempo/

BENJAMIN
Não olha pra trás. Pensa no que vem pela frente. Ainda podemos ser muito felizes juntos.

MELITA
Será?

BENJAMIN
Por que não?

MELITA (após segundos de silêncio)
Feliz aniversário!

BENJAMIN
Que seja o primeiro de muitos com você.

Melita dá um beijo no rosto de Benjamin, e este lhe beija a testa. Melita sai. Benjamin sorri. Raúla se aproxima e abraça Benjamin. Lilian se aproxima.

BENJAMIN
Já vai, Lilian?

LILIAN
Vou sim. Marquei com o Pedro. (abraça Benjamin) Parabéns, padrinho! Que tudo de melhor se realize na sua vida. (beijos de rosto com Raúla) Tchau, Rah!

RAÚLA
Depois me conta como foi.

LILIAN
Tá bom.

Lilian sai. Benjamin e Raúla olham pra trás e veem Laura e Milton conversando animadamente.

RAÚLA
Agora acho que ela sai do luto.

BENJAMIN
Filha, não fala assim.

RAÚLA
Mas é verdade.

Benjamin e Raúla riem e se abraçam mais forte. Ele dá um beijo na testa de Raúla.

CORTA PARA

CENA 10. REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO. CORREDOR. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Jairo espera apreensivo, sentado no banco. Mônica entra e se junta a ele. Jairo se levanta.

JAIRO
Você demorou.

MÔNICA
Nem te conto o que aconteceu. Maldita a hora em que fui aparecer lá.

JAIRO
Lá onde?

MÔNICA
No César, né? Na Lilian é que não seria. E aí?

JAIRO
E aí nada. Tô esperando até agora.

Alguns segundos de silêncio, e entra a produtora. Esta se aproxima de Jairo e Mônica.

PRODUTORA
Com licença. Jairo é você?

JAIRO
Eu mesmo.

PRODUTORA
Me acompanha, que o diretor quer passar umas instruções pra você.

JAIRO
Então eu passei no teste?

PRODUTORA
Passou sim. (a Mônica) Se quiser, pode vir junto.

MÔNICA
Não, eu tenho gravação daqui a pouco. (a Jairo) Deixa eu correr lá.

Mônica dá um selinho em Jairo e sai apressada. Ele segue a produtora pelo sentido contrário, mais contente e tranquilo.

CORTA PARA

CENA 11. PRÉDIO DE MÁRCIO. PORTARIA. INT. DIA.

Lilian e Pedro entram. Ela está apreensiva.

PEDRO
Tá se sentindo bem?

LILIAN
Tô sim. É que tive uma intuição esquisita. Foi como se eu escavasse algum quintal e descobrisse um corpo ou coisa assim. (respira) Vamos.

A dupla se aproxima do balcão.

CENA 12. APARTAMENTO DE MÁRCIO. SALA. INT. DIA.

Sala enorme e muito bem decorada. Há quadros por toda parte, uma janela enorme ao fundo com uma porta à direita que dá para uma enorme varanda e um piano no canto esquerdo.

Uma moça muito elegante atende Lilian e Pedro.

GOVERNANTA
Queiram aguardar, que eu vou chamá-lo.

LILIAN
Obrigada. (a governanta sai) Pedro, olha aquele piano.

PEDRO
Deve ser caríssimo.

LILIAN
Até eu sonho com um desse; imagina o Miguel.

PEDRO (aponta)
Aquele violão é a cara do Renato.

LILIAN
Também achei.

MÁRCIO (entra com a governanta)
Desculpem a demora. Você deve ser a Lilian Cordeiro.

LILIAN
Eu mesma. Este é meu colega, Pedro.

MÁRCIO (cumprimenta ambos)
A que devo a honra?

LILIAN
Não sei se você sabe, mas estou investi… escrevendo uma biografia.

MÁRCIO (sorri)
Se é a minha, não estou sabendo.

LILIAN
Não, fique tranquilo. Mas estou aberta à possibilidade. Se um dia quiser…

MÁRCIO
Por que não? Vamos, sentem-se. (todos se sentam no sofá) Quem é o felizardo?

LILIAN
Alguém que provavelmente fez parte da sua vida: Ruggero Fontana.

MÁRCIO
(sério) Sei quem é. (pausa) Não tenho lembranças muito boas dele. Não acredito que ele vá querer ler no livro tudo que tenho pra dizer.

LILIAN
Mesmo que não entre, gostaria muito de saber o que aconteceu entre vocês.

MÁRCIO
Tem certeza?

LILIAN
Tenho. Foi por isso mesmo que te procurei. O Ruggero está à beira da morte, e eu queria ajudá-lo de alguma forma a resolver as pendências, nem que seja pelo livro.

MÁRCIO
Já que é assim, estou pronto.

Lilian abre a bolsa para pegar um bloco de notas e uma caneta.

CORTA PARA

CENA 13. CASA DE MIGUEL. SALA. INT. DIA.

Norma entra e vê Miguel pegar o violino.

NORMA
Não vai almoçar?

MIGUEL
Não tô com fome.

NORMA
Que bom! Assim sobra mais pro meu filho.

MIGUEL
Nosso filho. Hoje volto tarde. Não me espera pra jantar.

Miguel sai. Norma dá de ombros e volta pra cozinha.

CORTA PARA

CENA 14. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

Ciro entra no escritório e fecha a porta, com um celular no ouvido. Está tenso.

CIRO
Presta atenção. Já está quase tudo certo pra derrubar o velho do pedestal… direto pro caixão. (ri; tempo) Fácil, fácil. Fiz ele e a mulher assinarem uma papelada. Eles nunca leem, acredita? (tempo) Em um mês, as Organizações Fontana e todos os bens de Ruggero passam pro amado discípulo aqui. (tempo) Ele quis me derrubar, mas sou eu que vou vencer. Escreve bem o que estou te falando. (tempo) Me humilhou de todas as formas; agora é a vez dele. (Melita entra sorrateiramente) Seus dias estão contados. O império vai ruir quando menos esperar.

MELITA
Ciro?

=== SONOPLASTIA OFF ===

Ciro se assusta e desliga o celular rapidamente. Vira-se para Melita.

CIRO
Melita, não te vi entrar.

MELITA
De que império você está falando?

CIRO (nervoso)
Da concorrência, Melita. Da concorrência.

MELITA
É… eles têm inquietado muito o meu marido. Faz um favor pra mim. Não conta nada disso pra ele. Ruggero não está nada bem. Acabou de subir pro quarto, e quero que ele passe o dia descansando. Qualquer coisa, posso passar pra você, não posso?

CIRO
Claro, Melita. Com licença.

Ciro sai. Melita olha pensativa. Depois pega um livro na estante e sai com ele.

CORTA PARA

CENA 15. APARTAMENTO DE MÁRCIO. SALA. INT. DIA.

Continuação da cena 12. Lilian e Pedro conversam com Márcio, todos sentados no sofá.

MÁRCIO
O velho Seixas! Foi quem descobriu o talento do Miguel… e o meu também. Um dos maiores maestros que São Paulo viu no último século. Ruggero, óbvio, não gostava nada disso. Ele era mesquinho, prepotente, arrogante, dominador, megalomaníaco. Exigia que o filho fosse seu sucessor, como se fosse mais um de seus bonecos… Não se conformava com o que o Miguel tinha se tornado: idealista, humilde, amigo de todos e músico.

LILIAN
Você chegou a conhecer o Miguel?

MÁRCIO
Claro! Fomos colegas de turma no último ano da escola, nos formamos juntos. Ajudei muito o Miguel a passar. Vivia na mansão dele, estudando até altas horas. Vi os dois brigarem muitas vezes, a ponto de saírem tapas e socos.

LILIAN
Nossa!

MÁRCIO
Até o dia em que o Seixas me chamou pra visitar a faculdade de Música, e levei o Miguel junto. Ruggero descobriu e não gostou nada. O Seixas tentou convencê-lo, mas sabe como é o Ruggero: intransigente como uma rocha. Aí teve a festa da formatura. O Seixas apareceu e tentou convencer de novo o Ruggero a liberar o Miguel pra fazer Música.

LILIAN
E então?

MÁRCIO
Então que dois meses se passaram. (pausa) O Seixas morreu num acidente… que pra mim não foi acidente. Não tenho como provar, mas tem dedo do Ruggero nisso.

LILIAN (chocada)
Por que você suspeita dele?

MÁRCIO
Primeiro por causa do Miguel.

LILIAN
Tem outro motivo?

MÁRCIO
Tinha também uma mulher na jogada. O Seixas era viúvo, mas já estava namorando uma tal de Wanda Brites. Ruggero, por sua vez, também a desejava. Teve um caso com essa Wanda, mas o Seixas levou a melhor. Então o carro do Seixas caiu num precipício e explodiu. A Wanda estava com ele, só que escapou. Conseguiu sair do carro durante a queda. Telefonou pra uma amiga minha e do Miguel e, depois disso, nunca mais apareceu.

PEDRO
E depois teve a morte do Miguel. Como aconteceu?

MÁRCIO
Já vou chegar lá. (pausa) Pouco antes do acidente, fiz vestibular pra Medicina e o Miguel pra Direito. Eu passei, mas ele não. Um mês depois, no fim de janeiro, fizemos as provas pra Música. Passamos. Como eu já tinha feito dezoito anos, ia fazer a minha matrícula e a do Miguel, respondendo por ele. Mas aí o Ruggero descobriu e botou o filho pra fora de casa. Queria até que o Miguel morresse.

LILIAN
E morreu mesmo.

MÁRCIO
De um jeito muito triste. Ele passou uns tempos lá em casa. Fez dois meses de faculdade. Foi quando o Ruggero mandou dois seguranças levarem à força de volta pra mansão. No dia seguinte, ele fugiu e… e o encontrei morto, todo ensanguentado, no meio de um matagal que tinha atrás de um galpão. O rosto estava desfigurado, mas as roupas eram dele. Uma coisa horrível. Depois foi enterrado, e o maldito do pai dele proibiu que se falasse no Miguel onde quer que fosse.

LILIAN
No fundo, a culpa pela morte do rapaz foi toda dele.

MÁRCIO
Ruggero Fontana foi a pior pessoa que tive o desprazer de conhecer.

CORTA PARA

CENA 16. APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. DIA.

César pega o celular e liga para Lilian. Cai na caixa postal. Tenta ligar de novo e não consegue.

CÉSAR
Deve estar na mãe dela. (liga para Laura) Alô? César. A Lilian está? (tempo) Não, não vi. (tempo) Onde? (tempo) Tá bom. Ligo outra hora. (desliga; nervoso) Droga! Só espero que ela não se meta onde não é chamada.

César guarda o celular no bolso. Breno entra.

BRENO
Já voltou?

CÉSAR
Já, e já tô saindo de novo.

BRENO
Aonde é que você vai?

César sai. Breno fica pensativo.

CORTA PARA

CENA 17. APARTAMENTO DE MÁRCIO. SALA. INT. DIA.

Continuação da cena 15. Márcio, Lilian e Pedro em entrevista.

LILIAN
O seu depoimento foi de grande ajuda. Você sabe que as pessoas têm medo de contar o que sabem por causa do Ruggero, não é?

MÁRCIO
Eu não tenho nada a esconder. (se levanta) Faz um favor pra mim? Ajuda a fazer justiça contra esse senhor.

LILIAN
Não vai ser necessário. A justiça de Deus já basta.

MÁRCIO
Pensando por esse lado, é verdade.

LILIAN
Você por acaso tem uma foto do Miguel pra me mostrar? Nunca vi, acredita?

MÁRCIO
Estranho seria se já tivesse visto. Acho que tenho uma aqui na gaveta.

Márcio vai até a gaveta da escrivaninha e procura a foto. Lilian e Pedro se entreolham. Márcio acha a foto e a leva para Lilian. CAM na foto.

MÁRCIO (aponta)
Este sou eu.

LILIAN
Não mudou nada.

PEDRO
E o Miguel?

MÁRCIO (aponta)
Aqui ao meu lado.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

CAM alternada entre o CLOSE no rosto de Miguel na foto e a expressão de choque de Lilian.

LILIAN
Não pode ser.

MARCIO
Sim, é ele. Miguel di Capri.

LILIAN
Não, não pode ser. Se for quem estou pensando, vejo esse homem quase todo dia.

MÁRCIO
Do que está falando?

LILIAN
Do músico da praça. (a Pedro) Lembra que te falei que o músico da praça não gostava de falar do passado. (a Márcio) Esse homem tá vivo e tenho como provar.

Márcio se senta no sofá, chocado.

CORTA PARA

CENA 18. PRAÇA / CARRO DE CÉSAR. EXT. DIA.

CAM se alterna entre César (dentro do carro) e Miguel.

César dirige nervoso e sem atenção. Quase bate no táxi da frente, mas consegue se desviar.

Miguel vem para a praça e se prepara para atravessar a faixa de pedestres. Espera o sinal abrir para ele.

César continua avançando. O semáforo à frente pisca amarelo e logo vermelho, mas César não segue desatento.

Miguel olha para o lado. Vê o carro de César, mas acha que vai parar; atravessa.

César vê Miguel na faixa e tenta frear, mas não consegue e atropela o músico. O carro para mais à frente. Miguel cai no chão, se queixando de dores no braço e na cabeça, onde tem um pequeno corte.

As pessoas se aproximam de Miguel, assim como César sai do carro transtornado e também chega perto.

PLANO PRÓXIMO em Miguel.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Efeito de fim de capítulo: imagem de Miguel congela; efeito de flash de fotografia; imagem fica em preto e branco.

POSTADO POR

Marcelo Delpkin

Marcelo Delpkin

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo