Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Escândalo – Capítulo 24

CENA 01. CASA DE MIGUEL. SALA. INT. DIA.

Miguel se levanta do sofá e conversa com Márcio.

MIGUEL
Por mim, esse assunto fica enterrado pra sempre. Quanto menos gente souber, melhor.

MÁRCIO
Pelo menos dá uma chance pra Flora. Ela pode te ajudar.

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

Norma entra furiosa, anda até Miguel e dá um tapa violento nele. Márcio se assusta.

NORMA
Então é isso?

MIGUEL
Norma/

NORMA (grita)
Cala a boca! Agora você vai me ouvir.

MÁRCIO (se levanta)
Você ouviu a conversa?

NORMA
(tom) O que você acha? Não me diga que é cúmplice dessa palhaçada. (a Miguel) Você me enganou por todos esses anos. Achou que eu nunca ia descobrir? Responde, canalha!

MÁRCIO
Você precisa se acalmar.

NORMA (tom)
Não manda eu me acalmar! Esse traste aqui me fez passar por anos de pobreza, de humilhação, pra depois eu descobrir que é rico.

MIGUEL
Eu tenho meus motivos.

NORMA
Motivos? Que motivos? Brigou com o papaizinho e resolveu bancar o filhinho rebelde que joga tudo fora? (dá outro tapa em Miguel) Você me dá nojo!

MÁRCIO
Não vamos resolver nada com violência.

NORMA (tom)
Não se meta onde não é chamado. Fora da minha casa!

MÁRCIO (a Miguel)
Sua mulher está fora de si. Depois nos falamos.

NORMA
Espero que você morra antes disso.

MÁRCIO
Não antes de você. (aproxima-se) Como mulher, você não passa de um encosto/

Norma dá um tapa em Márcio. Ele põe a mão no rosto, encara Norma e sai. Ela se vira para Miguel.

NORMA
Depois dessa, eu dou graças a Deus de o meu filho tentar emprego com o Ruggero Fontana… ou melhor, com o seu pai. (Miguel chora) Assim que o Guilherme chegar, eu vou contar o que você fez e depois vou fazer uma visita pro meu sogro. E você não vai fazer nada. Agora quem dá as cartas nesta casa sou eu. Cansei de sofrer por tua culpa. (dá as costas)

MIGUEL (grita)
Norma!

=== SONOPLASTIA: DRAMÁTICA ===

Ela sai de casa sem dar ouvidos. Miguel se senta no sofá e chora compulsivamente por cerca de meio minuto.

CORTA PARA

CENA 02. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Lilian conversa com Raúla. Elas estão de pé perto da janela. Ambas preocupadas.

LILIAN
E o Rê?

RAÚLA
O médico achou melhor levar ele pra clínica.

LILIAN
Ele tava horrível quando chegou aqui. Fiquei com uma pena…

RAÚLA
Papai também tá abalado, né? O Rê nunca chegou a esse ponto.

LILIAN
Se Deus quiser, ele vai sair dessa.

RAÚLA
Tomara, amiga! A Haila, coitada, tá uma pilha de nervos.

LILIAN
O que é natural.

RAÚLA (após uma pausa)
Menina, te contei do buquê que recebi ontem?

LILIAN
Do admirador?

RAÚLA
É… Foi um troço muito esquisito. Ele tava tão apaixonado, caidinho por mim nas outras cartas. Agora ele tava obcecado, estranho. Fiquei até com medo.

LILIAN
Por quê?

RAÚLA
Ah, não sei. Ele disse que me viu com um cara e que não gostou, falou em matar.

LILIAN
Relaxa, que é só ciúme.

RAÚLA
Será? É, vou deixar rolando pra ver até onde ele vai.

LILIAN
Isso aí, amiga. Vai fundo.

RAÚLA
Já disse hoje que te adoro?

As duas sorriem uma pra outra e se abraçam. O celular de Lilian toca. Ela pega o celular e atende.

LILIAN

Alô? (tempo) Oi, Márcio! Fala. (tempo; Lilian preocupada) Ela o quê? (tempo; Raúla curiosa) Não acredito. (tempo) Do jeito que ela é, é capaz de ir correndo atrás do Ruggero. (tempo) De jeito nenhum! Ele infarta se souber. (tempo) Obrigada. Já sei o que fazer. (tempo) Beijo. Qualquer coisa, me liga. (desliga)

RAÚLA
O que foi?

LILIAN
Você vai cair pra trás.

RAÚLA
Fala logo, que tô nervosa.

LILIAN
Sabe aquela investigação que tô fazendo com o Pedro?

RAÚLA
Sei.

LILIAN
Pois é. A gente descobriu que o Ruggero e o Miguel são pai e filho.

RAÚLA
Peraí. O filho do Ruggero morreu, e todo mundo sabe disso.

LILIAN
Era isso que eu achava até semana passada. O Miguel forjou a própria morte pra fugir do velho.

RAÚLA
Lili, tô passada! Ele fez isso mesmo? Ele tem uma cara de tão inocente…

LILIAN
Ele é inocente. Só não aguentou a opressão do velho, né? Fico com uma pena dele, sabia? E o pior é que a mulher, que não sabia de nada, ouviu a conversa dele com o Márcio e descobriu tudo. Rolou tapa pra todo lado.

RAÚLA
Que bafafá! Uma coisa dessa na mão da Isolda vira uma bomba.

LILIAN
E eu não sei? (Laura entra) Se eu já tô tremendo de medo da recalcada da Norma, imagina com a Isolda.

LAURA
O que têm a Norma e a Isolda?

LILIAN
Rah, conta pra mãe, que eu vou ligar pra Melita. Só ela pra evitar uma desgraça.

Lilian sai pelo corredor. Laura olha espantada para Raúla.

CORTA PARA

CENA 03. MANSÃO DE RUGGERO. SALA. INT. DIA.

Melita fala com Lilian pelo celular, com Yoná por perto.

MELITA
Deixa eu ver se entendi. Uma mulher de nome Norma está vindo pra cá e quer falar com meu marido?

LILIAN (V.O., telefone)
Isso mesmo. Só que é uma coisa que ele não pode saber de qualquer maneira, por causa da saúde dele. Você entende?

MELITA
Entendo, sim. Se é tão grave como você está falando, sou a primeira a te apoiar.

LILIAN (V.O., telefone)
Outra hora eu te conto. Vou precisar mesmo de você pra ver como a gente vai lidar com isso.

MELITA
Está bem. Fiquei até preocupada agora. Fica tranquila, que eu dou meu jeito se ela aparecer.

LILIAN (V.O., telefone)
Obrigada. Depois te ligo. Tchau!

MELITA
Tchau, Lilian! (desliga; a Yoná) Se aparecer alguma Norma por aqui, o Ruggero não está. (Ruggero entra) Já voltou?

RUGGERO
Voltei. Fui acertar a contratação do rapaz que veio aqui no outro dia.

YONÁ
O Guilherme?

RUGGERO
Ele mesmo. Muito competente, se quer saber. Passou em todos os testes. O Ciro vai treinar ele. Melita, manda o Arnaldo preparar a banheira, que hoje vou demorar.

MELITA
Eu preparo. Yoná, se ela vier, já sabe.

RUGGERO
Ela quem? (Melita desconfortável)

YONÁ (mente)
Uma modelo que ligou atrás de emprego e disse que estava vindo pra cá. Falei pra ela procurar o Júlio na Sonho, mas ela insistiu.

RUGGERO
Se ela aparecer, manda ela falar com ele. Depois liga pro Júlio e fala pra ele chutar a biscateira.

MELITA
Vem, que eu vou arrumar a banheira do jeito que você gosta.

Melita pisca para Yoná sem que Ruggero perceba e sobe as escadas com ele. Yoná suspira aliviada.

CORTA PARA

CENA 04. CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. QUARTO DE RENATO. INT. DIA.

Renato dorme. Benjamin e Haila olham para o jovem e conversam preocupados.

HAILA
Ele estava tão bem até ontem.

BENJAMIN
As crises não avisam quando vêm. Do nada, ele passa da euforia pra tristeza profunda. Você mesma tem visto.

HAILA
Eu queria entender por quê. Assim, quem sabe, podia prevenir.

BENJAMIN
Não depende de nós. É isso que me deixa impotente.

HAILA
(abraça Benjamin) É uma sensação horrível. (chora) Às vezes tenho medo de perder o Rê.

BENJAMIN
Não fala isso. Com o tratamento, ele vai ficar melhor. Temos que confiar.

HAILA
Eu sei que a gente tem que confiar, mas tem horas que fico tão insegura.

BENJAMIN
Eu também. Chora não. Ele precisa te ver forte quando acordar.

HAILA
Não sei se consigo.

BENJAMIN
Consegue, sim. Vamos deixar ele dormir e dar uma volta.

Haila e Benjamin saem do quarto. Renato em sono profundo.

CORTA PARA

CENA 05. RUA. EXT. DIA.

Norma anda furiosa. Guilherme vem no sentido contrário todo contente e aborda Norma. Ela disfarça e conversa com Guilherme.

GUILHERME
Mãe? (murcha) Aconteceu alguma coisa?

NORMA
Teu pai, que aprontou de novo. Mas dessa vez ele passou dos limites.

GUILHERME (nervoso)
Ele brigou com você? Te bateu?

NORMA
Não. Fui eu que dei uma bolacha naquele desgraçado. Mas me conta: o Ruggero te contratou?

GUILHERME
Começo amanhã.

NORMA
Graças a Deus! Sabia que de você vinha uma notícia boa. (abraça e beija Guilherme) Ao contrário daquele traste, você só me dá alegria. Tá indo pra casa?

GUILHERME
Tô. Tem comida pronta?

NORMA
Se tiver apetite pra comer perto do teu pai… Deixei no forno, e aí você esquenta.

GUILHERME
Pensando bem, acho que vou comer na faculdade.

NORMA
Melhor mesmo. Vou resolver umas coisas que estão entaladas e depois preparar um presente de mãe pra você. (beija Guilherme no rosto) Fica com Deus, meu amor.

GUILHERME
Você também, mãe.

Norma se afasta pela calçada. Guilherme pensativo. Ele se vira de costas e esbarra em Zu, derrubando-a no chão. Ele olha para ela sem reação.

ZU
Qual é? Não vai me ajudar a levantar, não?

GUILHERME (obedece)
Só porque você é bonita.

ZU
Humm! Só não encaro como machismo porque amei o elogio e também porque tô carente. Você também é bem gato, sabia?

Zu sorri e segue caminho. Guilherme olha para ela confuso.

CENA 06. CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. CORREDOR. INT. DIA.

Benjamin e Haila sentados nos bancos. Ela encosta a cabeça no ombro de Benjamin. Raúla se aproxima a passos largos e se junta aos outros dois. Estes se levantam.

RAÚLA (abraça Benjamin)
Como ele tá?

BENJAMIN
Dopado. Não vai acordar tão cedo.

RAÚLA
Vocês querem dar uma volta, descansar? Fico aqui com ele.

HAILA
Quero ficar aqui também.

BENJAMIN
Pois eu vou dar uma saída e esfriar a cabeça.

RAÚLA
Vai sim, paizinho.

Benjamin beija Raúla no rosto, faz o mesmo em Haila e sai. Raúla abraça Haila, consolando-a.

CORTA PARA

CENA 07. MANSÃO DE RUGGERO. SALA. INT. DIA.

Melita fala ao celular com Benjamin.

MELITA
Ai, meu Deus! Nem sei o que dizer. (tempo) Meu marido está aqui, mas você pode vir, sim. Não vou sair hoje. Sabe onde fica minha casa, não sabe? (tempo) Ao lado. Portão de ferro. (tempo) Te espero.

Melita desliga o celular e fica penalizada.

CORTA PARA

CENA 08. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. DIA.

Lilian abre a porta para César, que entra cabisbaixo. Ela fecha a porta e tenta beijá-lo, mas ele vira o rosto.

CÉSAR
A gente tem que conversar.

LILIAN
Você tá estranho.

CÉSAR
Aconteceu um imprevisto.

César encara Lilian. CORTA. Eles estão sentados no sofá.

LILIAN (chocada)
Não consigo acreditar numa coisa dessa. Mentira: acredito, sim. Sabia que as duas eram sujas, mas não a esse ponto. Já sei até como aconteceu. A vaca da Lígia deve ter ouvido o Pedro falar comigo, correu pra contar pra Isolda, que bolou o plano maligno com a piranha da Mônica. Ai, que ódio!

CÉSAR
E agora tô num mato sem cachorro. Logo agora que a gente se juntou de novo.

LILIAN
Se fosse por outro motivo, eu ficava chateada, magoada, puta com você e com razão. Mas tem muita coisa envolvida na chantagem. Você vai ter que fazer o que elas querem, pelo menos até a gente resolver tudo. Pra piorar, a mulher do Miguel também descobriu e quer jogar a merda no ventilador.

CÉSAR
Não sei nem o que fazer.

LILIAN
Mas eu sei. (pensa) A gente pode fingir que rompeu e continuar se encontrando em algum lugar que nenhuma das duas conhece.

CÉSAR
Aqui. Por que não?

LILIAN
O Jairo vive rondando, esqueceu?

CÉSAR
Droga! Ainda tem esse cafajeste.

LILIAN
A gente arruma um jeito.

CÉSAR
Tá, mas e se descobrem a gente? Tá cheio de paparazzi pelos cantos.

LILIAN
Se descobrirem, tenho uma carta na manga. Se ela pensar em contar o teu segredo, esfrego o passado na cara dela. Sei de umas coisas bem pesadas daquela lá. Se não soltei até hoje, é porque tenho ética. Mas posso furar se ela provocar.

CORTA PARA

CENA 09. MANSÃO DE RUGGERO. JARDIM. EXT. DIA.

Arnaldo leva Benjamin até o banco do jardim, e este agradece. Arnaldo se afasta em direção à mansão, ao mesmo tempo que Melita se levanta e abraça Benjamin, que está triste.

MELITA
Benjamin, fiquei preocupada quando você me ligou. (ambos se sentam)

BENJAMIN
Meu filho não está nada bem. Ele sofre de depressão e tem crises de vez em quando; mas dessa vez veio bem pior.

MELITA
Me fala: o que posso fazer pra te ajudar?

BENJAMIN
Ora por ele. Acho que só isso pode ajudar nesse momento.

MELITA
Você parece tão cansado. Não quer desabafar?

BENJAMIN
Acho que é disso que preciso mesmo. Tenho minha filha, minha nora, minha amiga Laura, mas sinto falta de um colo a mais. Tem hora que acho que não vou conseguir suportar.

MELITA
Estou aqui pra isso. Se quiser chorar, gritar, sei lá… solta o que tá dentro de você.

BENJAMIN
Se a Vitória ainda estivesse comigo… mas ela se foi. Me sinto muito sozinho e com um peso nas costas. Queria que meu filho estivesse bem, saudável.

Melita abraça Benjamin. Arnaldo corre em direção a eles.

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

ARNALDO (afobado)
Dona Melita! Tem uma mulher aí. Quer falar de qualquer maneira com o doutor. Ela está uma arara.

MELITA (tensa)
Ela veio mesmo.

BENJAMIN
Ela quem?

MELITA
Me espera aí. (sai correndo com Arnaldo)

BENJAMIN
Eu vou também.

Benjamin acompanha os outros dois.

CENA 10. MANSÃO DE RUGGERO. SALA. INT. DIA.

Norma está furiosa e discute com Yoná.

YONÁ
O doutor Ruggero não está.

NORMA
Mentira! Vai chamar, que eu quero falar com ele.

YONÁ
A senhora não quer se acalmar?

NORMA
Não, não quero. E daqui não saio sem falar com seu patrão. Anda logo, embuste!

Melita, Benjamin e Alfredo entram.

MELITA
O que tá acontecendo aqui?

NORMA
(vira-se para Melita) Falar com o doutor Ruggero.

MELITA
Eu sou a mulher dele. Pode falar comigo.

NORMA
Posso uma ova. Você e esse aí são cúmplices do meu marido. Vou desmascarar todos vocês agora mesmo.

MELITA
Não sei do que está falando.

BENJAMIN
Essa é a mulher do Miguel. Uma louca que não sabe o que fala.

NORMA
Sei muito mais do que pensa. Peguei o canalha do Miguel no flagra.

BENJAMIN (se aproxima)
Sabia. Todo esse chilique porque está com ciúme da Lilian.

NORMA
Ah, essa vadia também tá nisso, é? Só podia mesmo.

BENJAMIN
Se ele levou a Lili pra cama, é porque você já está podre/

NORMA (esbofeteia Benjamin)
Filho da puta!

MELITA (tom)
Ei! Não admito baixaria na minha casa.

NORMA
Você já é a própria baixaria. Trai o próprio marido com mentiras sujas, assim como o Miguel fez comigo. Vou embora, mas não pensem que vai ficar por isso mesmo. (anda até a porta) Ah, só mais uma coisinha.

Norma volta e dá um tapa em Melita. Esta tenta revidar, mas Norma segura o braço, a empurra ao chão e sai furiosa. Benjamin e Yoná ajudam Melita a se levantar.

=== SONOPLASTIA OFF ===

MELITA
Bem que a Lilian disse que essa mulher era da pior espécie. (grita) Desgramada!

BENJAMIN (abraça Melita)
A Lilian deve ter deixado ela furiosa.

MELITA
A Lilian é inocente. A jararaca aí pegou o Miguel contando alguma coisa que não devia pro Márcio e saiu das tamancas.

YONÁ
É verdade. O Márcio ligou pra Lilian, e ela ligou pra cá.

BENJAMIN
Vim pra desafabar com você e presencio essa falta de compostura.

MELITA
Falta de caráter, isso sim. Se ela me bater de novo, eu quebro a cara dela.

Benjamin abraça Melita novamente. Yoná pensativa.

CORTA PARA

CENA 11. CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. QUARTO DE RENATO. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA: DRAMÁTICA ===

Renato acorda atordoado. Olha para os lados e começa a chorar de desespero. Segundos. Levanta-se da cama e anda lentamente até a janela. Olha para baixo. Pensativo. Senta-se na janela como quem se prepara para pular dali. Tensão.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 12. CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. PÁTIO DIANTEIRO. EXT. DIA.

Lilian se aproxima de Raúla e Haila, que estão sentadas num banco do pátio; troca beijos com elas.

LILIAN
Como é que ele tá?

RAÚLA
Dormindo como um anjo.

HAILA
Tomara que acorde melhor.

LILIAN
Deus queira. Vocês não vão acreditar no que aconteceu. Parece que tá tudo caindo na minha cabeça.

Barulho de algo caindo ao longe. Lilian tem uma sensação ruim pela cabeça. Raúla e Haila ficam aflitas.

RAÚLA
Amiga, você tá bem?

HAILA
Falou em coisa caindo na cabeça, e agora…

LILIAN
Tive uma sensação ruim. Ai, gente, depois eu conto. Não quero preocupar vocês ainda mais.

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

Uma correria de enfermeiros e médicos em direção ao pátio de trás. Lilian, Raúla e Haila ficam apreensivas.

RAÚLA
Gente, o que foi isso?

LILIAN
Vamos lá ver?

As três moças vão atrás da equipe médica.

CORTA PARA

CENA 13. CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. PÁTIO TRASEIRO. EXT. DIA.

Médicos e enfermeiros em quantidade em torno de um ponto. Lilian, Raúla e Haila correm atrás deles e tentam ver o que está acontecendo.

MÉDICA
Se afastem.

LILIAN
O que aconteceu?

MÉDICA
Um paciente caiu da janela.

HAILA (se desespera)
Meu noivo!

RAÚLA (abraça Haila)
Vira essa boca pra lá.

Alguns enfermeiros trazem uma maca, e aqueles que estão em volta do paciente se espalham. Renato está caído com uma poça de sangue saindo pela cabeça. Haila chora e logo desmaia. Raúla segura a moça.

LILIAN
Meu Deus! (põe as mãos no rosto)

RAÚLA (grita)
Socorro! Ela desmaiou.

Um médico e uma enfermeira se aproximam de Raúla. Ele pega Haila no colo e a carrega pra dentro. Outros levam Renato na maca na mesma direção. Lilian e Raúla os seguem desesperadas.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 14. REVISTA DE FOFOCAS. REDAÇÃO. INT. DIA.

Lígia entra correndo e vai até Isolda.

ISOLDA
O que você quer, ô, songa-monga?

LÍGIA
O Renato Monte tentou se matar.

ISOLDA
Tá me tirando? Ele tá no topo com a turnê dele. Por que faria uma burrice dessa?

LÍGIA
Sei lá. Só sei que as fontes ligaram pra cá e disseram que ele se esborrachou todo. Se jogou da janela da clínica de doidos. A Lilizinha tava lá.

ISOLDA
Sempre essa aí. Faz o seguinte: vai com a Michele e fica morcegando até conseguir a fofoca toda.

LÍGIA
Tá bom.

ISOLDA (grita)
Corre!

Lígia sai correndo. Isolda se aproxima de Pedro na estação dele.

PEDRO
O que foi?

ISOLDA
Me fala uma coisa: alguma vez a Lilizinha te falou que o irmão da Rah tava a fim de virar defunto?

PEDRO
Hein? Que pergunta!

ISOLDA
Responde pra amiga aqui. Ele tá deprimido com alguma coisa, não tá?

NARA (entra pela porta principal)
Isolda! Pra minha sala!

ISOLDA
Já vou, Narinha. Só tô conferindo um babado aqui com o Pedroca.

NARA (sorri)
Confere comigo e para de encher o saco dele.

Nara vai pra sua sala. Isolda revira os olhos pra cima e segue na mesma direção.

CORTA PARA

CENA 15. CASA DE MIGUEL. SALA. INT. DIA.

Guilherme estuda sentado no sofá. Norma entra furiosa e resmunga.

NORMA
Se eles pensam que vai ficar assim…

GUILHERME (se levanta)
Mãe, não vai me dizer que brigou com o papai de novo.

NORMA
Esse aí, não quero nem ver pintado de ouro, nem de fantasma nem de coisa alguma. Cadê ele?

GUILHERME
Não sei. Quando cheguei, ele já tinha saído.

NORMA
Melhor assim. (anda de um lado a outro) Filho, acho que é melhor você saber de uma vez.

GUILHERME
Saber o quê?

NORMA
Teu pai tá nos enganando, sabia?

GUILHERME
Não estou entendendo, mãe.

NORMA
Sabe o teu novo patrão?

GUILHERME
O doutor Ruggero?

NORMA
Ele mesmo. Ele te contou sobre o filho dele, não contou?

GUILHERME
Não, mas já ouvi um boato que ele tinha morrido.

NORMA
Isso mesmo: boato! O desgraçado do seu pai, aquele cretino, não é quem a gente pensa.

GUILHERME
Mas o que tem o papai com o filho do Ruggero?

NORMA
Seu pai é o filho do Ruggero. Ele fez o favor de se fazer de morto e de jogar fora uma fortuna que podia salvar a nossa vida. O Ruggero é teu avô.

Guilherme entra em choque com o que ouve. CLOSES alternados entre Norma e Guilherme.

Efeito de fim de capítulo: imagem de Guilherme congela; efeito de flash de fotografia; imagem fica em preto e branco.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Marcelo Delpkin

Marcelo Delpkin

>