Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Escândalo – Capítulo 26

CENA 01. REVISTA DE FOFOCAS. SALA DE REUNIÕES. INT. DIA.

Isolda e Norma conversam sobre o segredo de Miguel.

ISOLDA
Como é que ele ia se esconder por tanto tempo? Ele podia ser reconhecido a qualquer hora aqui em São Paulo, não acha?

NORMA
Ele passou uns tempos em outra cidade. Assim dava tempo de ele envelhecer, pegar barba, ficar com jeito de pé rapado.

ISOLDA
Mesmo assim. Ele era famoso quando morreu… quer dizer, quando foi dado como morto.

NORMA
Parece que o pai dele proibiu que falassem do Miguel, e aí o povo esqueceu.

ISOLDA
É, as pessoas esquecem rápido mesmo.

A conversa segue em FADE.

CORTA PARA

CENA 02. MANSÃO DE RUGGERO. SALA. INT. DIA.

Ruggero entra. Ciro e Guilherme se levantam do sofá e dão atenção ao velho, que os cumprimenta.

CIRO
Trouxe o rapaz pra uma reunião/

RUGGERO
Agora não. Tenho um encontro com a jornalista. Faz o seguinte: leva ele com você e mostra tudo que puder na Sonho e no jornal.

CIRO
Mas, doutor/

RUGGERO
Minha biografia primeiro! E não me desacate.

CIRO

Não foi minha intenção.

RUGGERO
A mocinha está?

CIRO
Está lá dentro com a Melita.

RUGGERO
Ótimo. (a Guilherme) Aproveite bem a aula do mestre aí. O que ele sabe aprendeu comigo.

Ruggero sai pelo corredor. Ciro e Guilherme se entreolham.

CORTA PARA

CENA 03. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

Lilian fala com Pedro ao celular, sentada no sofá ao lado de Melita.

LILIAN
(apreensiva) Ai, meu Deus! Ela é bem mais safada do que eu pensava. Só espero que a Isolda não faça nada. (Ruggero entra) Deixa eu desligar, que o doutor Ruggero já chegou. Depois te ligo. Obrigada. (desliga) Bom dia, doutor. Só não cumprimento o senhor porque/

RUGGERO
Se é por causa daquele vírus, é uma besteira, mas vou relevar porque é você que está pedindo.

LILIAN
Besteira, não é. O coronavírus já matou milhares de pessoas pelo mundo.

MELITA
Deixa, Lilian. Não insiste, que meu marido é uma mula empacada.

RUGGERO
(a Melita) Vivi mais que você e sei que é tudo doencinha de nada pra apavorar o povo. (a Lilian) Não é verdade?

MELITA
Vou deixar vocês a sós. Se ele te chatear demais, me chama. (sai)

LILIAN
Pelo sim, pelo não, prefiro me precaver.

RUGGERO
Nisso você tem razão. Uma moça bonita como você precisa de proteção. O que acha de um bom marido que te dê tudo que for possível pra você não ter que trabalhar mais?

LILIAN
Doutor, o que é isso? Eu gosto do que faço. Marido nenhum vai me proibir de nada. Bem, o meu namorado é perfeito nesse aspecto.

RUGGERO
Namorado? Você não me disse que/

LILIAN
Tem poucos dias. O César me faz sonhar; me faz querer ser uma mulher mais completa, sabe?

RUGGERO
César de quê?

LILIAN
Rinaldi. (Ruggero fecha a cara) O senhor teve problemas com ele, não foi?

RUGGERO
Ele te contou? Um moleque. Cafajeste, arrogante, pedante… Não sei o que viu nesse aí.

LILIAN
Comigo ele tem sido muito bom. Pena que com você não/

RUGGERO
Você que é muito boa pra ele… até demais. Se meu filho ainda fosse vivo, eu faria questão de ter você como nora. (Lilian desconfortável) O Miguel tinha lá seus defeitos, mas perto desse César/

LILIAN
Vamos mudar de assunto?

RUGGERO
Perdão, mocinha. É que esse César me tira do sério.

Ruggero desconfortável e Lilian pensativa.

CORTA PARA

CENA 04. MANSÃO DE RUGGERO. FRENTE. EXT. DIA.

Ciro e Guilherme saem pelo portão e andam pela calçada.

CIRO
Meu carro ficou lá na frente. O doutor não gosta que os empregados estacionem aí dentro.

Zu vem pelo sentido inverso e se aproxima dos dois homens.

ZU
Olha só quem encontro.

GUILHERME
E aí, gata?

CIRO
Vocês se conhecem?

ZU
A gente se esbarrou por aí.

GUILHERME
Derrubei as coisas dela e/

ZU
E aí rolou.

CIRO
Veio esperar a sua amiga? Ela vai demorar.

ZU
Não, só tava passando mesmo. Fala pro Pedro que passo qualquer dia na casa dele… de vocês.

GUILHERME
Passa na minha também pra gente conversar.

ZU
Manda o endereço pelo zap. (a Ciro) E você, vê se deixa a porta aberta de novo, tá? (ri; a Guilherme) Até qualquer dia.

GUILHERME
Até.

Zu segue caminho e se afasta de Guilherme e Ciro. O primeiro fica abobalhado.

CIRO
Já vi que gostou da piradinha.

GUILHERME
É, gostei. Ela não tem namorado, não, né?

CIRO
Não, fica tranquilo. Caminho livre. (ri)

Ambos voltam a caminhar em direção ao carro, onde entram.

CORTA PARA

CENA 05. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. DIA.

Laura e Milton conversam no sofá.

LAURA
Estou assustadíssima. Esse vírus se espalhando por todo lado. A gente não pode mais nem sair de casa direito, tem que tomar um monte de cuidados. Dia desse, eu trouxe uns dez frascos de álcool gel pra casa e pra duas vizinhas que também pediram. No dia seguinte, os preços foram lá pra cima.

MILTON
O dólar a cinco reais. O arroz a quase trinta. Onde já se viu?

LAURA
E agora tudo fechado: igreja, cinema, teatro… A gente, que é mais velho, corre mais risco. Minha filha lida com tudo que é gente. Agora a Haila está grávida e também corre risco.

MILTON
Na verdade, ninguém está livre de pegar a doença.

LAURA
Um horror. Nem quando a AIDS apareceu fiquei tão apavorada.

MILTON
Mas não adianta também se acabar por causa disso. A gente tem que se precaver, sim, mas não pode perder a calma.

LAURA
Difícil, meu amigo.

MILTON
Mudando de assunto, e o filho do Benjamin?

LAURA
Fez uma loucura, né? Jamais esperava que ele fosse chegar a tanto. A depressão é um câncer, se alimenta da gente aos pouquinhos e acaba com a vontade de viver. Não queria estar na pele do Benjamin nem na do Renato. Espero que, com o filho que está pra chegar, o Renato tenha um motivo a mais pra se agarrar à vida. Ele é um rapaz muito bom, educado; não merecia sofrer assim.

Laura fica pra baixo. Milton a abraça em consolo.

CORTA PARA

CENA 06. CASA DE MIGUEL. SALA. INT. DIA.

Miguel abre a porta para Lilian, que entra. Ele fecha a porta.

LILIAN
Vim ver como está.

MIGUEL
Péssimo. A Norma descobriu tudo. Veio pra cima de mim e quer porque quer contar pra aquele velho ordinário.

LILIAN
É, o Márcio me contou.

MIGUEL
Depois contou pro Guilherme, e ele me derrubou com um soco.

LILIAN
Às vezes parece que ele é filho só da Norma, sabia? O desprezo que ele tem por você me incomoda. Você aí com a tipoia, e ele com essas barbaridades.

MIGUEL
Pra piorar, ele tá trabalhando pro avô. Tenho medo de ele meter a língua entre os dentes e contar a verdade.

LILIAN
Pro Ruggero, ele é só um empregado. Não vai acreditar tão fácil.

MIGUEL
Mas a Norma conta e prova que eu sou o defunto que ele enterrou.

LILIAN
Ou a Isolda.

MIGUEL (aterrorizado)
Isolda? Não me diga que/

LILIAN
É, a Norma foi contar pra ela. O Pedro me ligou passado com a frieza dela.

MIGUEL
Eu disse que me separava se ela me… (chora) E agora? O que faço?

LILIAN
Não quero ser pessimista, não, mas é questão de tempo. Você e seu pai vão ter que se acertar.

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

MIGUEL (grita)
Isso nunca!

LILIAN
Eu também preferia que nada tivesse acontecido… Maldita hora que fui investigar o Ruggero.

MIGUEL
De todos nós, você é quem menos tem culpa. (chora) Como é que eu vou aparecer na casa dele e falar: “Olá, papai. Morri e agora estou de volta”. Como?

LILIAN
Também não é assim. Ele está perto de morrer. Em poucos dias vai ficar moribundo e/

MIGUEL
E aí a Norma, o Guilherme, a Isolda ou seja lá quem for conta pro velho… Como é que vou olhar pra cara dele?

LILIAN
Como, eu não sei. Mas você vai ter que se preparar.

=== SONOPLASTIA MUDA PARA DRAMÁTICA ===

MIGUEL
E ser o que ele sempre quis: uma máquina, um robô, uma marionete. (senta-se no sofá e chora compulsivamente) O que eu fiz pra merecer tanto mal?

LILIAN (se junta a ele e o consola)
Não fica assim. Ele está indo embora, e você vai poder ser o que quiser.

MIGUEL
Não, se depender da Norma.

LILIAN
Nem sei o que dizer. (segundos de silêncio) E se eu contar?

MIGUEL
Você?

LILIAN
Melhor eu, que sou sua amiga e lido bem com ele, do que outra pessoa. E a Melita, a mulher dele, confia em mim. Preparo com ela o terreno pra vocês dois, antes que a Isolda faça um escarcéu e ponha tudo a perder. (pausa) Agora tenho que ir. Marquei de encontrar meu padrinho na clínica.

MIGUEL
Ele tá doente? Não diga que/

LILIAN
Não, tá tudo bem. A Haila teve um desmaio e descobriu que tá grávida.

MIGUEL
Pelo menos ela pode ser feliz, não é? Manda os parabéns pra ela.

LILIAN
Volto assim que tiver conversado com teu pai… com o Ruggero. Se precisar de qualquer coisa, me liga.

Lilian se levanta e sai lentamente. Miguel chora.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 07. RUA. EXT. DIA.

Lilian anda pela calçada. Para em frente a uma loja e vê um vestido amarelo com faixas vermelhas na vitrine. César e Mônica vêm pela calçada e veem Lilian. Ele tem um impulso de se aproximar de Lilian, mas Mônica o segura.

MÔNICA
A sua namorada sou eu. Se comporta.

CÉSAR
Desculpa, amor. Não resisti.

MÔNICA
Então aprende. Deixa ela pra lá.

LILIAN (se vira e vê o casal)
Vocês por aqui? É, tô vendo que estão muito bem.

MÕNICA
Amor de verdade.

LILIAN
Aham, sei. Vê se ama mesmo teu namorado de verdade, porque da outra vez… Depois me liga. Tenho novidades do Ruggero. (sorri irônica) Tchau, Moniquinha! (se afasta)

MÔNICA (irritada)
Moniquinha é a tua/

CÉSAR
Deixa ela.

MÕNICA
Se eu souber que você tá de rolo com ela, já sabe.

Mônica anda apressada. César fica parado, nervoso com o comportamento dela, mas logo anda atrás dela.

CORTA PARA

CENA 08. CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. QUARTO DE RENATO. INT. DIA.

Renato dorme. Haila, sentada no sofá de frente pra cama, lê um livro de romance. Renato abre lentamente os olhos e se queixa de dores. Haila joga o livro no sofá, se levanta e vai até ele.

=== SONOPLASTIA: DRAMÁTICA ===

HAILA
Calma, amor. Não faz esforço.

RENATO
Onde é que estou?

HAILA
Na clínica. Você caiu da janela.

RENATO (chora)
Droga!

HAILA
Você se jogou, mas agora tá tudo bem.

RENATO
Não, não tá nada bem. Por que não me deixou morrer?

HAILA (chora)
Não fala assim. Se você morrer, eu vou junto.

RENATO
Eu não te mereço. Minha vida é uma merda, e eu tô acabando com a sua.

HAILA
Nunca mais fala isso. Você não acaba com a minha vida. Pelo contrário: você me deu o maior presente que podia esperar.

RENATO
Presente? Que presente? Um cara que mal sabe cuidar da própria vida, quanto mais cuidar da noiva.

HAILA
Sabe sim. A gente se ama, lembra? Nós dois vamos ficar juntos pra sempre. Nós três. (passa a mão pela barriga)

RENATO
Três? Do que tá falando?

HAILA (chora e sorri)
Você vai ser pai.

RENATO (faz o mesmo)
O quê? Repete.

HAILA
Vamos ter um bebê, meu amor. Você vai ser o pai do meu filho.

RENATO
(chora) E por que me escondeu? (sente dor)

HAILA
Eu só soube ontem, depois que já tinha acontecido. Desmaiei e… Vamos formar uma linda família. Vamos vencer juntos a depressão e vamos criar um lindo menininho ou uma linda menininha. Educar, dar todos os valores que alguém pode ter.

Renato chora. Haila o abraça, tomando cuidado para não machucá-lo.

CORTA PARA

CENA 09. CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. CORREDOR. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Cerca de quinze repórteres, fotógrafos e cinegrafistas cercam Benjamin e Raúla em busca de informações sobre Renato. Confusão. Muitos flashes.

REPÓRTER 1
Raúla, é verdade que teu irmão tentou se suicidar na tarde de ontem?

REPÓRTER 2
Por que ele quis tirar a vida? Tinha algum problema familiar?

RAÚLA
Não vamos falar nada agora. Respeitem a gente.

BENJAMIN
Peço que vão embora/

REPÓRTER 3
Você e seu filho tinham alguma diferença?

REPÓRTER 4
Ele brigou com a noiva?

RAÚLA
Não vamos falar nada.

BENJAMIN (tom)
Respeitem nossa dor.

RAÚLA
Ou vou ter que chamar a polícia.

REPÓRTER 1
Se não responderem, vamos ter que conversar direto com o Renato.

MÉDICO (tom)
Isto aqui é um hospital e não um lugar de balbúrdia. Exijo que saiam todos daqui de dentro e aguardem o boletim médico.

REPÓRTER 2
Como está o Renato Monte?

MÉDICO (tom)
Já falei pra aguardar lá fora.

REPÓRTER 3 (tom)
O senhor está obstruindo a liberdade de expressão.

MÉDICO
Algazarra não é liberdade de expressão. Aqui tem pacientes que precisam de paz e sossego. (chama) Seguranças!

Benjamin e Raúla se abraçam assustados. Os demais se afastam aos burburinhos em direção à saída.

CORTA PARA

CENA 10. RESTAURANTE ORIENTAL. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA: MÚSICA JAPONESA ===

Nara e Nando conversam sentados à mesa, enquanto comem harumakis.

NARA
É tão bom passar um tempo assim com você. A revista me estressa.

NANDO
A revista ou a Isolda?

NARA
As duas coisas. (ri) Ela tem feito umas coisas que não estão me agradando.

NANDO
Como o quê?

NARA
Se metendo com o trabalho da Lilian, com os assuntos do César Rinaldi… Agora é um tal de Miguel que tem deixado a Isolda curiosa demais pro meu gosto.

NANDO
É o trabalho dela, né?

NARA
É o trabalho dela saber o que acontece com as celebridades, mas não atrapalhar a vida dos outros em ganho próprio. A amizade dela com a Mônica Fischer, por exemplo. Tem algo muito esquisito quando as duas se encontram.

NANDO
Digamos que a Isolda nunca foi lá muito normal.

NARA
Você também implica com ela, que eu sei.

NANDO
É que eu sei do que é capaz. Se puder, até mata.

NARA
Que exagero! A Isolda não seria disso.

CAM em Sérgio, que entra com Breno, Júlio e Tony. Os quatro se sentam a outra mesa, mais afastada de onde Nara está.

TONY
Sabem o que tava pensando?

SÉRGIO
O quê?

TONY
Agora que o César e a Mônica voltaram, a gente podia deixar as cenas deles mais picantes, cheias de tesão.

BRENO
Sem muito exagero, se não a audiência sai correndo.

SÉRGIO
Não acho uma boa. O público de hoje é muito conservador. Já não estamos mais nos anos 90.

JÚLIO
Bons tempos de Algemas do Desejo, a novela mais quente de toda a história. Lembra, Breno?

BRENO (ri)
Não sei como saí vivo.

SÉRGIO
As pessoas tinham mais mente aberta ou, quem sabe, não se importavam tanto em ver sexo e terror a qualquer hora do dia. Hoje, se algum casal dá um beijo de língua, o povo rende assunto até um juiz qualquer reclassificar a novela, dizendo que é um mal exemplo pras crianças. Hoje não se pode mais nada. Estamos podados pelo politicamente correto.

JÚLIO
Falando em beijo e em outras coisas, já viu quem está aí?

SÉRGIO
Não. Quem?

JÚLIO
Olha pra trás.

SÉRGIO (obedece e vê Nara)
Preferia não ter visto.

CAM em Nando e Nara. Ele toca o braço dela com dois dedos e aponta para a mesa de Sérgio.

NARA
O que foi?

NANDO
Teu ex.

NARA
Por que me chamou pra ver esse traste? Perdi minha fome. Pede a conta.

NANDO
Tem certeza? Estes bolinhos estão tão bons.

NARA
A gente pede pro garçom guardar, e assim vamos embora.

Nando chama o garçom, levantando o dedo. Nara desconfortável. CAM à mesa de Sérgio.

BRENO
Eles vão embora.

JÚLIO
O bonitão chamou o garçom pra pedir a conta.

SÉRGIO
Melhor que vão mesmo. Preferia que ela viesse sozinha, mas esse cara me irrita com esse jeito de cínico.

TONY
Tá com ciúme porque ele tá mais em forma, é bonitão.

SÉRGIO
Estou pouco me lixando pra ele. É ela que me interessa.

TONY
Sei. Conta outra, Sérgio.

CAM foca Nando e Nara ao longe, saindo de mãos dadas.

CORTA PARA

CENA 11. CENÁRIOS DIVERSOS. PASSAGEM DE TEMPO.

=== SONOPLASTIA MUDA PARA Love Destination – Cherry ===

CORTES DESCONTÍNUOS entre sequências. Todas as conversas ocorrem em OFF.

SÃO PAULO. RUA. EXT. DIA.
– Nara e Nando andam pela calçada. Param em um ponto e se beijam.

RESTAURANTE ORIENTAL. INT. DIA.
– Sérgio, Tony, Júlio e Breno conversam.

CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. PÁTIO. EXT. NOITE.
– O médico dá o boletim de Renato aos jornalistas.

CLÍNICA PSIQUIÁTRICA. QUARTO DE RENATO. INT. NOITE.
– Benjamin e Haila conversam com Renato, sentado com as costas no travesseiro e mais animado. Haila o abraça.

ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO. INT. NOITE.
– Raúla grava um comercial. Na tela de fundo, informações sobre o coronavírus.

RUA. EXT. NOITE.
– Lilian anda pela calçada e é abordada por Jairo. Ele tenta beijá-la à força e leva um empurrão. Tenta se aproximar de novo, mas Lilian ameaça dar um tapa.

APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.
– Lilian conversa no sofá com Laura e Milton. Laura se levanta revoltada.

REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO. INT. NOITE.
– César grava uma cena de beijo com Mônica.

APARTAMENTO DE BRENO. QUARTO DE CÉSAR. INT. NOITE.
– César e Mônica se beijam com paixão. Ela tira a regata dele e o empurra pra cama.

CASA DE SÉRGIO. SALA. INT. NOITE.
– Sérgio comemora com Breno e Lilian. Breno quer encostar as taças, mas os outros dois se recusam com sorrisos.

RUA. EXT. DIA.
Benjamin e Melita se encontram em frente a uma banca de jornal. CLOSES alternados entre eles trocando olhares.

APARTAMENTO DE RAÚLA. SALA. INT. DIA.
– Haila recebe um enorme cesto com bombons e chocolates e o coloca sobre a mesa.

CASA DE BENJAMIN. SALA. INT. DIA.
– Benjamin e Raúla entram felizes junto com Renato. Este se senta no sofá, ainda com a tipoia no braço.

CASA DE MIGUEL. SALA. INT. DIA.
– CLOSE no braço esquerdo de Miguel sem a tipoia. CAM em PLANO MÉDIO. Miguel sorri e comemora com Lilian. CORTA. Ele fica triste e preocupado.

MANSÃO DE RUGGERO. CORREDOR. INT. DIA.
– Lilian fala sério com Guilherme. Ele se afasta contrariado. Lilian sai sem notar que Ciro observa por trás da porta entreaberta de uma das salas.

RUA. EXT. DIA.
– Zu conversa com Guilherme. Pedro aparece, vê o encontro e esconde o ciúme. Aproxima-se de Zu, e ela o apresenta a Guilherme.

APARTAMENTO DE BRENO. GARAGEM. INT. DIA.
– Breno sai do carro e atende o celular. Fica preocupado com o que ouve.

CORTA PARA

CENA 12. APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Mônica vem totalmente vestida e pega a bolsa em cima do sofá. César entra em seguida com a regata na mão.

CÉSAR
Não tô me aguentando de calor.

MÔNICA
Nem eu. Tá parecendo o Rio. E olha que nem tivemos verão direito. Ufa! (se abana com as mãos)

Mônica e César saem.

CORTA PARA

CENA 13. AEROPORTO. SAGUÃO. INT. DIA.

Breno anda pelo saguão. Olha para todos os lados. Expectativa. Dá alguns passos.

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

Ele vê algo que o incomoda e anda lentamente até parar em um ponto. Uma mulher (filmada de costas) se aproxima dele.

ROMINA (com sotaque romeno)
Olá, Breno!

BRENO
O que veio fazer aqui?

ROMINA (CAM mostra o rosto)
Saudade. Non é assim que falam en Brasil?

BRENO
Não devia ter vindo.

ROMINA
Por que non? Amo Tchéssar e estou louca pra encontrá-lo.

Breno preocupado e pensativo. Romina olha em volta, esperançosa.

CORTA PARA

CENA 14. MANSÃO DE RUGGERO. SALA. INT. DIA.

Arnaldo abre a porta para Lilian. Ela agradece e vai até o sofá. Melita vem do corredor aflita.

MELITA
Ainda bem que você chegou. O Pedro ligou pra mim e disse que a Isolda estava vindo pra cá pra… Você não recebeu nenhum recado?

LILIAN
(se levanta) Não. Deixa eu ver. (pega o celular e olha) Nossa! Ligação perdida. Vou ligar/

MELITA
Liga depois. Aproveita que ela ainda não chegou e conversa com o Ruggero de uma vez.

LILIAN
Melhor mesmo. Ele tá aí?

MELITA
No escritório.

LILIAN
Seja o que Deus quiser.

Lilian sai pelo corredor. Melita reza.

CORTA PARA

CENA 15. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

Lilian sentada à mesa, de frente a Ruggero.

RUGGERO
Vamos. O que você tem pra me falar que é tão importante.

CLOSES alternados entre Lilian e Ruggero. Ela está trêmula.

Efeito de fim de capítulo: imagem de Isolda congela; efeito de flash de fotografia; imagem fica em preto e branco.

POSTADO POR

Marcelo Delpkin

Marcelo Delpkin

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo