Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Escândalo – Capítulo 36

CENA 01. PRÉDIO MISTERIOSO. APARTAMENTO 209. SALA. INT. NOITE.

Continuação imediata do capítulo anterior.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

Raúla olha para a CAM, assustada. Segundos. PLANO MÉDIO. Breno de frente para Raúla.

BRENO
Vim te tirar daqui.

RAÚLA
Você é o admirador?

BRENO
Não, mas sei quem ele é, e ele tá vindo te matar. Vambora daqui.

Raúla tenta falar algo, mas Breno a leva pelo braço até a porta. Fausto aparece na porta com uma arma apontada para Breno e Raúla.

FAUSTO
Aonde vocês pensam que vão?

RAÚLA
Quem é você?

FAUSTO
Você não me conhece, mas eu te conheço muito bem.

BRENO
Esse é o médico do Ruggero Fontana.

FAUSTO (a Raúla)
Vejo que o guarda-costas está muito bem informado. A sua amiguinha me contou muita coisa de você, sabia?

RAÚLA
Você é um louco!

FAUSTO
E a culpa é sua de me deixar apaixonado. Gostou dos presentes? Das cartas?

BRENO
Deixa a gente em paz.

FAUSTO (tom)
Eu vou me apossar da minha noiva e depois… Pra isso, vou ter que acabar com você.

Fausto aponta a arma para Breno.

RAÚLA
Abaixa essa arma e faço o que você quiser.

BRENO
Não faça isso!

RAÚLA
Se é pra te salvar…

FAUSTO
Boa menina! Sabia que você é muito parecida com a única mulher que amei? Antes de você, claro. Mas ela preferiu ficar com outro homem. Maldito Benjamin! A Vitória era minha.

RAÚLA
Vitória é minha mãe.

FAUSTO
Exatamente. No dia em que seu pai matou a Vitória, eu jurei pra mim mesmo que ia me apossar da filha dele… você. Olha só que mulher se tornou.

Fausto olha para o corpo de Raúla com desejo. Breno ataca Fausto e o arrasta pro corredor.

CORTA RÁPIDO PARA

CENA 02. PRÉDIO MISTERIOSO. SEGUNDO ANDAR. CORREDOR. INT. NOITE.

Breno e Fausto lutam pela arma.

BRENO
Foge, Raúla!

Raúla vem devagar pro corredor, olha a briga e foge para a escadaria. Breno toma o revólver e dá uma coronhada em Fausto, que desmaia. Breno sai, levando a arma.

CORTA PARA

CENA 03. PRÉDIO MISTERIOSO. FRENTE. EXT. NOITE.

Raúla corre pra fora. Haila, Renato e o policial saem de trás do carro e se juntam a Raúla. Esta abraça Renato e chora desesperada.

RENATO
Onde ele tá?

RAÚLA
Lá dentro. O Breno tá com ele.

Breno sai com a arma. Olha para os lados, vê Raúla e se aproxima dela.

BRENO
Deixei o canalha desmaiado. Vamos lá, antes que ele acorde.

Breno entrega a arma pro policial.

RENATO
Mas quem era?

BRENO
O médico do doutor Ruggero.

RAÚLA
Aquele velho sujo, ordinário.

HAILA
Só podia mesmo.

RENATO
Por que só podia ser ele?

HAILA
Uma vez ouvi teu pai falar com o Miguel sobre esse médico; que ele era apaixonado na tua mãe e que não se conformou quando ela casou com teu pai. Não falei nada porque não queria acusar.

POLICIAL
E também porque podia ser qualquer um.

BRENO
Mas agora a gente já sabe que é o Fausto.

HAILA
Vamos pra delegacia?

POLICIAL
Era o que eu ia falar agora. Raúla, é o melhor a fazer.

RENATO
Concordo.

Raúla chora nos braços de Renato. Todos vão para o carro de Raúla. Renato senta ao volante e liga o automóvel.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CENA 04. MANSÃO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

Lilian fala ao celular com César, andando de um lado pra outro à frente do sofá. Melita também fala ao celular num canto, em OFF.

LILIAN

Pelo menos agora a Romina vai receber um tratamento adequado. Logo vai sair dessa. (tempo) Foi por pouco. (tempo) A Mônica? O Miguel esteve com ela lá na Nara. Acredita que ela tá disposta a colocar a Isolda na cadeia? (tempo) Nem te conto. Fiquei boba. Acho que a atitude do Ciro fez ela acordar pra vida. (tempo) Minha intuição diz que ela tá se transformando numa nova Mônica. (tempo) A gente aprende, né? (tempo) Ainda bem que minha mãe não viu. (tempo) Vai passar a noite no Milton e amanhã vem pra cá. As malas já estão no quarto dela. (tempo) O Mário ficou no apartamento. (tempo) É, o escritor. Você vai adorar conhecer. (Melita desliga o celular e se aproxima) Me espera um pouquinho. (a Melita) O que aconteceu?

MELITA
Pegaram o admirador secreto da Raúla.

LILIAN
E quem é?

MELITA
O Fausto. Podia jurar que ele fosse qualquer coisa, menos um louco. Tava assediando a tua amiga por causa da mãe dela, acredita?

LILIAN
(ao celular) César, depois te ligo, que caiu mais uma bomba aqui. (tempo) Beijo. (desliga; a Melita) Me conta direito essa história.

Lilian e Melita se sentam no sofá. A segunda fala em OFF.

CORTA PARA

CENA 05. CASA DE NORMA. SALA. INT. NOITE.

Norma, Guilherme e Zu jantam à mesa.

NORMA
Não repara na comida, não, que é o que a gente pode fazer.

ZU
Tá uma delícia, Norma. Eu, na cozinha, sou um desastre.

GUILHERME
Já disse que quem vai cozinhar sou eu.

NORMA
Modéstia à parte, meu filho é um ótimo mestre-cuca. Podia ser melhor se o pai dele não tivesse chutado a gente que nem cachorro de rua. Mas eu vou continuar lutando pelo que temos direito. Amanhã cedo vou ligar pro Ciro/

GUILHERME
Ah, mãe, esqueci de falar.

ZU
O Ciro morreu. Foi hoje de manhã.

NORMA
Como assim morreu? Ele estava tão bem até ontem.

GUILHERME
Ontem de noite, ele foi lá na Sonho tentar impedir o papai de aparecer na televisão e se meteu numa briga com a Mônica Fischer e com uma outra lá, e essa outra enfiou o canivete nele.

NORMA
E agora a gente podia estar bem, mas teu pai tinha que atrapalhar de novo. Aposto que essa mulherzinha tava a fim dele.

ZU
Se for quem tô pensando, é uma tal de Romina, uma ex do César.

NORMA
Que é o namorado da mulher do Miguel. Não sei nem como ele atura ver a Lilian com o Miguel. (pausa) Agora vou ter que caçar outro advogado. Que droga! Vamos comer antes que esfrie.

CORTA PARA

CENA 06. AVENIDA PAULISTA. EXT. DIA.

=== SONOPLASTIA: Is This Love? – Terra Samba ===

Amanhece. Imagens da avenida com pouca movimentação. Aparecem fachadas de lojas; uma banca de jornal com dois fregueses; a fachada de um prédio; uma moça andando de bicicleta; um ônibus em movimento.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 07. MANSÃO DE LILIAN. SALA DE JANTAR. INT. DIA.

Lilian e Haila entram e se sentam à mesa.

LILIAN
Já pedi pra empregada servir a gente.

HAILA
Você tá chique, hein?! Tem mordomo, empregada, mansão, carros… Tô com inveja. (ri)

LILIAN
Tirando a mansão, é tudo do Miguel, né?

HAILA
E seu também. Vocês são casados.

LILIAN
Em separação total de bens, pelo menos até o ano que vem. Depois disso, não sei mais nada, nem mesmo o que vou fazer da minha vida.

HAILA
Volta pro César, né?

LILIAN
Pode ser. Me fala de você. E o bebê?

HAILA
Lindo e maravilhoso aqui dentro. (acaricia a barriga) Ainda não dá pra sentir, mas sei que amo muito meu bebê.

LILIAN
Se quiser uma madrinha…

HAILA
Se eu te contasse a quantidade de gente que quer ser a madrinha…

LILIAN
E a Rah? Como ela tá?

HAILA
Aliviada, né? E pensar que era vingança. Sabe o que ele falou pro delegado? Que ia trancar a Raúla num carro e queimar viva na frente do Benjamin.

LILIAN

Deus me livre! (faz sinal da cruz) Vai ver, ele culpa o Benjamin pela morte da Vitória.

HAILA
Bem isso mesmo. Mas a gente sabe que foi acidente, né?

LILIAN
Claro. A perícia provou na época.

HAILA
A não ser que ele mesmo, por despeito…

LILIAN
Você acha? (pausa) Não duvido de mais nada. Só sei que, na minha frente, ele nunca deixou transparecer nada.

HAILA
Mas eu desconfiei. (pausa) E o César?

LILIAN
Nem voltou aqui depois que levou a Romina pro sanatório. Por pouco eu e Miguel não fizemos companhia pro Ruggero.

HAILA
Vira essa boca pra lá.

LAURA (entra)
Bom dia, meu amor!

LILIAN
Bom dia, mãe. Dormiu bem? Como foi lá no Milton?

LAURA
Tudo às mil maravilhas. (vê Haila) Como vai, Haila?

HAILA
Depois de ontem, até que estou bem.

LAURA
Acho bom, porque meu afilhado ou minha afilhada tem que nascer muito bem, ouviu bem?

HAILA
Não tô falando, Lili? Tá todo mundo doido no meu bebê.

A empregada entra com uma bandeja de alimentos para o café da manhã.

LAURA
Vou buscar o resto. (sai)

CORTA PARA

CENA 08. APARTAMENTO DE RAÚLA. SALA. INT. DIA.

Raúla sentada no sofá com Benjamin, Melita e Renato.

BENJAMIN
O pior é que eu não sabia que ele era tão chegado à tua mãe. Eu mal o conhecia. A Vitória mal falou nele nesses anos todos em que estivemos juntos.

MELITA
Ele também nunca sequer mencionou essa história na mansão. Estou assustada.

RAÚLA
Eu também fiquei.

RENATO
Pior foi a frieza com que ele contou as coisas na delegacia.

RAÚLA
Por sorte, quando a polícia chegou no apartamento, ele ainda tava desacordado. Levaram pro pronto-socorro pra colocar um curativo e depois pra delegacia. Não sei se sinto mais raiva ou mais nojo daquele verme.

BENJAMIN
Mais uma vez porque o Ruggero manipulou a vida de todo mundo como bem quis. (a Melita) Me impediu de ficar com você e me juntou com a Vitória, por quem o Fausto tinha obsessão. As coisas foram acontecendo até que…

RAÚLA
Não fala mais, pai.

BENJAMIN
Está bem, filha. Me desculpa.

RENATO
A Haila ouviu uma conversa que você teve como o Miguel e teve uma suspeita, mas nem assim a gente ia desconfiar do Fausto.

MELITA
Ele sabe esconder muito bem o que sente, o que pensa. Eu poderia achar qualquer coisa dele, até mesmo que estivesse com o Ciro no plano de pegar os bens, mas não isso.

RENATO
As pessoas podem nos surpreender da melhor ou da pior forma.

RAÚLA
Agora eu só quero descansar, ficar em casa. Depois chamo o Breno. Quero agradecer a ele pelo que fez por mim. (a Renato) A você e Haila também.

RENATO
Somos família, não somos?

BENJAMIN
É assim que se fala. Renato, você fica com ela até a Haila voltar?

RENATO
Fico, sim. Depois a Zu ficou de vir, pra gente marcar o casamento na igreja e no cartório.

BENJAMIN
Vocês não me disseram isso.

RAÚLA
Ia ser uma surpresa.

MELITA
Faço muito gosto. Vocês vão me convidar, não vão?

RENATO
Se perguntar de novo, te convido pra um castigo. (ri) Vai ter que casar com o papai e aturar ele pro resto da vida.

MELITA
Esse castigo, eu topo. Você me dá a mão do teu pai em casamento?

BENJAMIN
O que significa isso?

RAÚLA
Ela tá te pedindo em casamento, e eu e meu irmão damos a sua mão pra ela, sim.

BENJAMIN
Tá vendo, Melita?

MELITA
Já está decidido. Você vai ser o meu marido.

RENATO
Já era, papai.

=== SONOPLASTIA: Rumour Has It – Adele ===

Todos riem e continuam a conversa em OFF.

CORTA PARA

CENA 09. BANCO ARARAS DO BRASIL. COFRE. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

Letreiro: “Uma semana depois”.

Sala escura e em tons de cinza. Há uma enorme logomarca do banco colada na parede do fundo.

Miguel, Jacques, Nara, o gerente e sua assistente, o delegado e um policial na expectativa à frente de um armário lotado de cofres por toda a parede. Miguel, Jacques e o policial usam luvas brancas.

GERENTE
É esse aqui: 2-5-7-4, dígito 1.

MIGUEL
Quero abrir.

GERENTE
O senhor tem a senha?

MIGUEL
Tenho.

Miguel pega um papel do bolso da calça e abre. Por ele, segue as combinações no giro do botão e depois na digitação do código numérico. SOM de bipe e do destrancamento do cofre. Miguel abre a porta lentamente e olha para dentro. Há três malas empilhadas uma sobre a outra.

NARA
Mas não tem nada aí… Só essas malas.

MIGUEL
Talvez não.

Miguel pega uma mala após a outra, entregando todas a Jacques. Assim que Miguel tira a última mala, aparece uma caixa menor. Ele segura a mala pela alça e pega a caixa com a outra mão. Devolve as malas no lugar com ajuda de Jacques. Miguel abre a caixa. Ali está um revólver embulhado num saco transparente lacrado..

MIGUEL
Aqui está.

Miguel fecha a caixa e a entrega ao policial, que coloca a caixa numa bolsa maior. Nara apreensiva. Miguel guarda as outras malas com ajuda de Jacques e fecha o cofre.

CORTA PARA

CENA 10. MANSÃO DE LILIAN. FRENTE. EXT. NOITE.

Letreiro: “Dois meses depois”.

Imagem da fachada da mansão. Um carro de polícia entra pelo portão.

CORTA PARA

CENA 11. MANSÃO DE LILIAN. ESCRITÓRIO. INT. NOITE.

=== SONOPLASTIA MUDA PARA: TENSÃO ===

Lilian, Miguel, César, Melita, Laura e Jacques pelo cômodo. Melita e Lilian sentadas de frente a Miguel à mesa. César de pé ao lado de Lilian. Jacques e Laura mais ao fundo. Arnaldo abre a porta por fora. O delegado e o policial da cena 09 entram.

DELEGADO
Boa noite a todos.

MIGUEL, LAURA e MELITA
Boa noite.

O delegado se aproxima com o policial e fica entre Melita e Lilian, de pé mesmo. O policial fica por trás.

DELEGADO
Desculpem tamanha demora, mas com o surto da doença no pico, ficamos com poucos técnicos na perícia.

MIGUEL
Sim, contamos com isso. E então?

DELEGADO
Chegamos à conclusão sobre o revólver e também sobre o uso que foi feito dele.

LILIAN
E então? Houve mesmo um crime?

DELEGADO (após suspense)
Houve, sim, dona Lilian. O testemunho da senhora Veluma está correto. Isolda cometeu homicídio contra a vítima, Wilson Freitas. Depois cometeu outro homicídio, com ajuda de um enfermeiro chamado José da Silva Lunardo, contra Ciro, como Yoná Miranda e Mônica Fischer afirmam em outro depoimento.

CÉSAR
Não entendo. O Ciro levou uma facada da Romina Bogardo.

DELEGADO
Mas não foi a facada que o matou, e sim uma dose de cloreto de potássio no frasco de soro, aplicada pelo senhor José. Neste exato momento, uma ordem de prisão está sendo expedida por uma juíza em nome de Isolda Calderón.

LAURA
Eu sabia que ela era ruim, mas não a esse ponto.

MIGUEL
Ninguém esperava, Laura.

LILIAN
Que a justiça seja feita.

CÉSAR
Antes que ela volte pra matar mais alguém.

LILIAN
Pois é esse silêncio dela que mete mais medo. A última vez que ouvi falar dela tem quase dois meses.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 12. RUA. EXT. NOITE.

Zu e Guilherme andam pela calçada. Os dois param em frente a uma loja fechada. Encostam-se à vitrine, se abraçam e se beijam.

ZU
Parece que conseguiram provar que a Isolda matou mesmo aquele homem com a arma do teu avô.

GUILHERME
Se fosse em outra época, eu nem ligava. Até ficava do lado dele. Mas agora tô vendo o como eu tava agindo errado, influenciado por ele e pela minha mãe. Você me ensinou a ser melhor, sabia?

ZU
É tão bom ouvir isso. Teu pai vai adorar te ver assim.

GUILHERME
É… nunca mais falei com ele. Também… depois das coisas que disse e fiz pra ele.

ZU
Teu pai não é de guardar rancor.

GUILHERME
Eu sei, mas é que eu não sei como chegar até ele.

ZU
Chega como sempre chegou, ué?! Seja natural.

GUILHERME (sorri)
Impressionante como tudo pra você é fácil. É por isso que gosto de você.

ZU
Pensa num herói que me tirou da solidão eterna do Vênus em trânsito pela casa 12?

Zu e Guilherme se beijam novamente. Depois voltam a caminhar e se dão as mãos. Atravessam em uma faixa de pedestres e saem de cena.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

Ao longe, aparece Jairo andando lentamente em direção à CAM.

JAIRO
(V.O.) Acharam que eu ia ficar preso por muito tempo? (pausa) Isso aqui é Brasil, seus trouxas.

CLOSE em Jairo.

CORTA PARA

CENA 13. APARTAMENTO DE ISOLDA. SALA. INT. NOITE.

Isolda, sentada no sofá, assiste ao telejornal.

JORNALISTA (tela)
Acabou de sair um mandado de prisão contra a jornalista e blogueira Isolda Calderón. De origem mexicana, ela é acusada de matar duas pessoas, e há outras mortes sob investigação.

ISOLDA
Como assim? Estão me caluniando!

JORNALISTA
Um revólver calibre 38 foi encontrado num dos cofres do falecido empresário Ruggero Fontana pelo filho Miguel. Ele teria sido usado na morte do ator Wilson Freitas.

ISOLDA
Droga! (desliga a TV, se levanta e anda de um lado a outro) Aquele filhote de chocadeira me entregou. Ah, mas não vai ficar assim mesmo. O mundo vai ver Miguel di Capri morrer pela segunda vez, ou não me chamo… (tocam a campainha) Merda!

JAIRO (V.O.)
Isolda, abre a porta. Sou eu.

ISOLDA
Saiu da cadeia de novo? (abre a porta) Entra, estrupício! (Jairo entra; Isolda fecha a porta) Não podia vir em melhor hora.

JAIRO
Que cara é essa? Soltaram a bomba atômica, foi?

ISOLDA
Soltaram. Direto pra cá. Você vai me ajudar a fugir.

JAIRO
Como?

ISOLDA
Vou me esconder no meu carro, e você dá um jeito de levar a gente pra mansão da Lilizinha sem que ninguém perceba que tô junto.

JAIRO
Aí, sim. Tô contigo e não abro.

ISOLDA
Então vamos.

Isolda puxa Jairo pelo braço e o arrasta pra fora; apaga a luz e tranca a porta por fora.

CORTA PARA

CENA 14. PRÉDIO DE ISOLDA. GARAGEM. INT. NOITE.

Apenas Isolda e Jairo na garagem. Isolda entra pela porta lateral e se enconde entre os bancos, enquanto Jairo vê se alguém aparece. Assim que Isolda desaparece da TELA, Jairo entra no carro e se senta no banco do motorista. Liga o carro e parte com ele.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 15. MANSÃO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

Lilian e César conversam de pé.

LILIAN
Adivinha quem saiu da cadeia.

CÉSAR
Não vai me dizer que o Jairo…?

LILIAN
Pois é. Por sorte, o Franco disse que eu tinha me mudado, senão o Mário tava frito por minha causa.

CÉSAR
A essa hora, ele já deve saber que tá morando aqui.

LILIAN
Isso se não estiver atrás da Mônica ou da Isolda.

CÉSAR
Da Mônica, pode ser. Da Isolda, ele não seria burro.

LILIAN
Ou não sabe que ela tá sendo procurada pela polícia e está ajudando a fugir. Faz uma coisa: liga pra Mônica e avisa a ela.

CORTA PARA

CENA 16. APARTAMENTO DE MÔNICA. BANHEIRO. INT. NOITE.

Mônica vestida com um roupão e com uma toalha enrolada na cabeça. Está sentada na borda da banheira com o pé apoiado no bidê. Ela pinta a unha com esmalte enquanto fala ao celular com César.

MÔNICA
Saiu? Não fiquei sabendo, não. (tempo) Não apareceu. (tempo) Quero mais que ela se foda na cadeia. Já me ferrei muito por causa dela. (tempo) Uma falsiane, isso sim. (tempo) Se ele aparecer, te falo. Meu negócio é você e não ele. (tempo) Jairo foi só um brinquedinho dos tempos de piriguete. (tempo) Tá, tchau. Um beijo… na sua boca.

Mônica desliga o celular e ri.

CORTA PARA

CENA 17. CASA DE SÉRGIO. SALA. INT. NOITE.

Sérgio abre a porta para Breno entrar.

SÉRGIO
Pra vir a essa hora é porque tem coisa.

BRENO
Você viu o jornal?

SÉRGIO
Não. Tava escrevendo meu livro novo.

BRENO
Conseguiram provar que a Isolda não vale nada. É, Sérgio: você tava certo. Foi a Isolda que matou o teu irmão e jogou a Nara contra você. Ela tá na mira da polícia.

SÉRGIO
Você tem certeza?

BRENO
Claro. O César tava lá na hora em que a polícia mostrou o laudo pro Miguel.

SÉRGIO
(radiante) Agora, sim, vou provar pra Nara que… Dá um abraço aqui! (abraça Breno com toda a força)

BRENO
Cuidado pra não me esmagar!

SÉRGIO (solta)
Foi mal. É que foi a melhor notícia do ano.

BRENO
Vamos ver agora se a Nara topa voltar pra você, né?

SÉRGIO
Se o fotógrafo não atrapalhar.

BRENO
Duvido muito. A relação deles não tá mais lá essas coisas. Esfriou. Estão dizendo até que ele já tá com outra companhia.

CORTA PARA

CENA 18. RUA. CARRO DE ISOLDA. EXT. NOITE.

=== SONOPLASTIA: SUSPENSE ===

CAM à frente de Jairo. Isolda ainda escondida entre os bancos.

ISOLDA (O.S.)
Onde é que a gente tá?

JAIRO
Chegando já. Daqui a uns cinco minutos, a gente entra na mansão do ex-defunto.

ISOLDA (O.S.)
Manda ver.

JAIRO
Só se for agora.

CORTA PARA

CENA 19. MANSÃO DE LILIAN. ESCRITÓRIO. INT. NOITE.

Melita e Laura conversam no sofá.

MELITA
Meu marido teve muitas amantes, mas nunca pensei que a Isolda fosse uma delas. Ela sempre passou uma imagem tão… como é que falam quando a mulher é, assim, independente?

LAURA
Empoderada?

MELITA
Isso! Obrigada.

LAURA
Nunca confiei naquela lá. (tem uma sensação ruim)

MELITA
Está se sentindo bem?

LAURA
Não sei. Estou com uma sensação ruim, como se alguém quisesse fazer mal pra minha filha.

Melita preocupada. Laura respira fundo.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Efeito de fim de capítulo: imagem de Melita e Laura congela; efeito de flash de fotografia; imagem fica em preto e branco.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Marcelo Delpkin

Marcelo Delpkin

Estreia dia 19 de Outubro

Estreia dia 20 de Outubro

>