Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Falso Amor – Capítulo 18

Novela de Débora Costa

Escrita por

Débora Costa

Colaboração

Tainá Andaluz

Revisão de Texto

Marcelo Delpkin

Direção Geral

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber TV

Personagens desse capítulo

ÁGATA

CRISTINA

DANIELA

FLÁVIO

GILBERTO

HENRIQUE

JANETE

MIGUEL

PARCEIRO

RÉGIS

ROBERTA

SERJÃO

 Cena 1/Mansão dos Werneck/Suite de Cristina/Int./Noite.

Cristina está sentada na poltrona que fica perto da janela, chorando, triste. Régis entra arrependido. Ele se ajoelha de frente para Cristina e segura a mão dela.

RÉGIS

Me perdoa, Cris. Eu não sei o que deu em mim. Estou muito arrependido de como te tratei.

Cristina de cabeça baixa, triste.

CRISTINA

Tudo bem, Régis. Sei que pra você tudo isso que estamos passando também não é fácil.

O celular de Cristina toca. Ela pega o celular da bolsa e atende. Régis observa.

Cena 2/Hospital/Pátio/Ext./Noite.

Roberta está ao telefone.

ROBERTA

Oi, Cris! Estava tentando te ligar, mas não dava certo. Estou no hospital com Flávio.

CRISTINA

(off, preocupada) O que aconteceu com meu filho?

ROBERTA

A gente estava no shopping, e ele começou a passar mal. Eu o convenci de vir até o hospital. Fizeram alguns exames e deu que Flávio está com princípio de pneumonia. Vai ter que passar a noite aqui, mas não se preocupe, Cris. Ele está bem e vou ficar aqui com ele.

CRISTINA

(off) Eu vou até aí. Até logo, querida.

Roberta vê que Cristina desligou o telefone; fica pensativa e preocupada.

Cena 3/Mansão dos Werneck/Suite de Cristina/Int./Noite.

Cristina está conferindo algumas coisas dentro da bolsa. Está preocupada e aflita. Régis está de pé observando Cristina.

RÉGIS

Eu vou com você, meu amor.

CRISTINA

Não precisa, Régis. É melhor você ficar aqui e descansar.

Régis segura a mão de Cristina, a olha nos olhos com carinho.

RÉGIS

O que eu preciso é estar ao seu lado, seja qual for o momento.

CRISTINA

(chateada) Fica, Régis. Eu vou ficar bem. Qualquer coisa, te ligo.

RÉGIS

Se você quer, eu fico, mas me diz se me perdoa ou não.

CRISTINA

Claro que perdoo, Régis. Eu te amo. Só peço que não se deixe envenenar por sua mãe. Ela sempre me odiou e me ver longe de você é o que Silvia mais deseja. Temo que ela consiga.

Régis abraça Cristina, fecha os olhos.

RÉGIS

Ela não vai conseguir, Cris. Te amo.

Cristina sorri um pouco, pega a bolsa e responde a Régis.

CRISTINA

Também amo você.

Cristina sai. Régis se senta na cama pensativo.

Cena 4/Rio de Janeiro/Favela/Cativeiro de Flávio/Int./Noite.

Flávio está vestido como Henrique, sentado na cadeira e triste. Daniela entra e vai até Flávio.

DANIELA

O Gilberto falou pra você vir junto comigo.

FLÁVIO

Eu tenho outra escolha?

DANIELA

(nota que ele está triste) Você está bem?

FLÁVIO

Não. Meu casamento com Roberta é daqui a poucos dias. Se eu não conseguir fugir a tempo, ela vai se casar com o Henrique.

DANIELA

Você ama demais essa Roberta. Chamava por ela o tempo todo quando estava delirando de febre, até me confundiu com ela.

FLÁVIO

Amo muito. Sinto tanta falta dela. Fico imaginando como Henrique a está enganando. Os beijos que ele já deu na mulher que eu amo, as falsas juras de amor…

DANIELA

É melhor a gente ir. E vai se preparando. Gilberto vai te levar para falar com um dos caras mais temidos dessa favela. Henrique e ele sempre se odiaram.

Flávio se levanta, vai indo em direção à porta.

FLÁVIO

Espero me sair bem, então. Não por causa de Gilberto, mas pelo meu próprio bem. Não posso morrer nesse lugar.

Cena 5/São Paulo/Hospital/Quarto de Henrique/Int./Noite.

Henrique está deitado na cama. Parceiro entra e se aproxima.

PARCEIRO

Juro que não acreditei quando me falou que estava internado num hospital.

HENRIQUE

Eu também não acredito, Parceiro, mas fazer o quê?Se quero fingir ser o idiota do Flávio, tenho que fazer o que a Roberta me pede.

PARCEIRO

(sorri) Sei… Eu acho que você está a fim dela.

HENRIQUE

Eu não te chamei aqui pra ficar de conversa fiada. Daqui a pouco a Roberta vai chegar, então presta atenção: quero que você fale com o Gilberto; manda ele ligar pra Cristina amanhã.

PARCEIRO

Tudo bem, eu falo. Era só isso?

HENRIQUE

Sim, não queria te falar pelo telefone.

PARCEIRO

Henrique, eu quero falar de novo com a Ágata. Você pode me dar o telefone dela?

HENRIQUE

(sorri) Não é bem falar que você quer… Daqui a pouco te mando o número por mensagem.

Cristina entra e vê Henrique e Parceiro. Henrique fica bravo ao ver Cristina.

HENRIQUE

(nervoso) O que você está fazendo aqui?

CRISTINA

Vim ver como você está, e não adianta brigar comigo. Você é meu filho, eu me preocupo e, querendo ou não, vou ficar aqui até saber que está bem.

Henrique encara Cristina com raiva.

Cena 6/Mansão dos Werneck/Suite de Cristina/Int./Noite.

Régis está saindo do banheiro. Tomou banho. Está de roupão, secando os cabelos. O celular toca, e ele atende.

RÉGIS

Alô?

ÁGATA

(off) Estou aqui no restaurante te esperando. Se não vier, eu vou até a sua casa te buscar.

RÉGIS

(nervoso) Você quer parar de me atormentar, Ágata!?

ÁGATA

(off) Vou ser boazinha e te dar quinze minutos. Se não vier, vou até aí.

Régis percebe que Ágata desligou o celular e fica nervoso.

RÉGIS

Eu vou até lá para acabar com isso de uma vez por todas!

Cena 7/Grupo Werneck/Recepção/Int./Noite.

Miguel está de saída. Janete sai do elevador e se aproxima de Miguel.

JANETE

Soube que causou transtorno com a sua chegada, Miguel.

MIGUEL

(sorri) Pois é, acontece que não me queriam de volta, mas eu decidi voltar e retomar tudo que é meu… Como vai, Janete?

JANETE

Bem.

MIGUEL

Como eu sei que na minha casa não me esperaram para jantar, estou em um restaurante aqui perto. Quer vir comigo? Assim podemos conversar um pouco. Faz anos que não nos vemos.

Janete olha Miguel com interesse e sorri.

JANETE

Tem razão. Aceito seu convite.

Miguel sorri; sai com Janete.

Cena 8/Rio de Janeiro/Favela/Rua/Ext./Noite.

Gilberto e Flávio estão esperando Serjão.

GILBERTO

Você entendeu como é para falar com Serjão?

FLÁVIO

Entendi… Que não vou pagar nada porque ele tem uma dívida antiga comigo e vamos ficar por isso mesmo.

GILBERTO

Isso. E vê se melhora essa cara.

FLÁVIO

Eu ainda não estou me sentindo bem.

GILBERTO

Problema seu, playboy. Se vira. Agora você vai ser Henrique, e não esquece: ele sempre soube se defender muito bem. Então seja agressivo se precisar.

Serjão se aproxima acompanhado de dois homens e encara Flávio.

SERJÃO

Trouxe a minha grana, Henrique?

FLÁVIO

Não, e nem vou trazer… Você tinha uma divida comigo, lembra? Então vamos deixar tudo como está. Você não deu a minha grana, e eu não dou a sua.

Serjão dá risada e encara Flávio; fica sério.

SERJÃO

Tu acha que sou otário?

FLÁVIO

Não acho, tenho certeza.

Serjão encosta uma arma na cabeça de Flávio e o olha com raiva.

SERJÃO

Ou tu me dá a grana que me deve ou então acabo com a tua vida agora. Escolhe reizinho de meia tigela.

GILBERTO

Se você não abaixar essa arma, vai sobrar pra você.

SERJÃO

Ah é, meu irmão. Por quê?

GILBERTO

Você está na área do Henrique. Acha que não tem alguém apontando uma arma pra você nesse momento?

Flávio encara Serjão.

SERJÃO

Não acredito em tu, meu irmão. Vou mandar a cabeça desse otário pro espaço!

Flávio desarma Serjão, dá um soco no rosto dele, pega a arma e aponta para a cabeça de Serjão.

FLÁVIO

(nervoso) Agora acredita que tem uma arma apontada pra sua cabeça?

Gilberto sorri.

SERJÃO

Se tu fizer qualquer coisa contra mim, vai morrer! Não trouxe os caras à toa.

Flávio olha os dois homens que vieram com Serjão.

FLÁVIO

Se não jogarem as armas no chão, vou estourar a cabeça do Serjão, e não estou de brincadeira!

GILBERTO

Acho melhor obedecerem. Henrique pode matar os três de uma vez.

Os homens jogam as armas no chão. Flávio olha Serjão; está com a arma apontada para a cabeça dele.

FLÁVIO

Agora temos um acordo? Vamos ficar por isso mesmo, e você não me enche mais o saco por causa da sua grana.

Serjão caído no chão com medo, olhando Flávio.

SERJÃO

Tudo certo, cara. Esquece a grana.

FLÁVIO

Ótimo.

Flávio tira as balas da arma de Serjão; joga a arma em cima de Serjão e fala com Gilberto.

FLÁVIO

Vamos embora.

Gilberto e Flávio saem do local em que estão.

Cena 9/Rio de Janeiro/Favela/Cativeiro de Flávio/Int./Noite.

Flávio e Gilberto entram.

GILBERTO

Gostei de ver, playboy. Você se saiu bem.

Flávio se senta está passando mal, olha Gilberto.

FLÁVIO

Fiz o que você queria. Agora eu preciso de mais remédio.

GILBERTO

Vou pedir para a Daniela trazer para você. É só você se comportar bem, que vai ter tudo que precisa.

Gilberto sai. Flávio resmunga.

FLÁVIO

O que eu preciso é sair daqui e voltar pra casa.

Cena 10/Restaurante/Int./Noite.

Ágata está sentada a uma das mesas, bebendo vinho. Régis entra. Está nervoso. Ele se aproxima da mesa de Ágata.

RÉGIS

Eu só vim até aqui porque já estou farto da sua perseguição!

Ágata sorri serelepe.

ÁGATA

Você veio porque quis, porque tem vontade de estar ao meu lado, assim como eu tenho vontade de estar ao seu… Senta.

Régis se senta e encara Ágata.

RÉGIS

De onde você tirou esses absurdos?

ÁGATA

Não é absurdo, Régis. Você vai querer beber alguma coisa?

Ágata sorri. Régis a olha muito, encantado.

RÉGIS

Tenho passado por coisas muito difíceis, Ágata, e você piora tudo agindo assim.

Ágata segura a mão de Régis, o olha nos olhos.

ÁGATA

Não é hora de pensar em problemas, e sim de esquecer. Nós estamos aqui para relaxar, aproveitar o momento.

RÉGIS

O que você quer de mim?

Ágata bebe um pouco de vinho, olha Régis.

ÁGATA

Sexo, Régis! Quero que você me leve pra cama.

RÉGIS

Você perdeu o juízo, garota. Não se esqueça da Cristina. Ela é sua tia e minha mulher.

ÁGATA

(sorri) Não estou nem aí, Régis, e aposto que você também não, ou não estaria aqui.

RÉGIS

(se levanta) Eu realmente não deveria ter vindo aqui.

Régis vai saindo do restaurante. Ágata fica com raiva, paga a conta e sai atrás de Régis.

Cena 11/Restaurante/Garagem/Ext./Noite.

Régis abre a porta de seu carro. Ágata o segura e o olha nos olhos.

ÁGATA

Você quer parar de fugir de mim? O seu desejo está em seus olhos, Régis! Você me quer tanto quanto eu te quero!

Régis olhando Ágata; está ofegante.

RÉGIS

Não quero fazer nada do que possa me arrepender depois, Ágata.

Ágata sorri, morde o lábio inferior e fala no ouvido de Régis.

ÁGATA

Garanto que não vai se arrepender.

Ágata beija Régis, que retribui.

RÉGIS

Você não vai parar até conseguir, não é?

ÁGATA

Exatamente.

RÉGIS

Entra no meu carro. Vamos dar uma volta.

Ágata fica feliz. Janete se aproxima, acompanhada por Miguel e vê Ágata entrando no carro de Régis. Em seguida, este dá a partida e sai com o carro. Janete fica nervosa e inconformada.

JANETE

Não é possível! Vou acabar com ela!

MIGUEL

Do que está falando?

JANETE

(quase chorando) Da Ágata! Minha filha! Essa maldita!

MIGUEL

Nossa! Quanto amor pela sua filha!

JANETE

Se ela se atrever a me trair assim, vai se arrepender!

Cena 12/Hospital/Quarto de Henrique/Int./Noite.

Henrique está com Cristina no quarto e a olha com raiva.

HENRIQUE

Não te quero aqui! Vai embora!

CRISTINA

Henrique, eu só estou preocupada com você.

Henrique olha sério para Cristina.

HENRIQUE

Essa sua hipocrisia me irrita, Cristina. Você preocupada comigo? Com o filho que você jogou no lixo?

CRISTINA

Eu não fiz isso com você. Por favor, meu filho/

Roberta entra, enquanto Henrique interrompe Cristina.

HENRIQUE

(grita) Eu não sou seu filho!

Roberta se admira com a atitude de Henrique; se aproxima deles.

ROBERTA

O que está acontecendo? Flávio, por que você está falando que não é filho da Cristina?

Cristina está triste e fecha os olhos. Henrique olha Roberta, pensativo.

FIM DO CAPÍTULO

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo