Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Falso Amor – Capítulo 2

FALSO AMOR

novela de
DÉBORA COSTA
com colaboração de
TAI ANDALUZ

revisão de texto
MARCELO DELPKIN

direção artística
WELLYNGTON VIANNA

personagens no capítulo

ÁGATA

ANDERSON

BRUNO

CRISTINA/

DANIELA

EDGAR

FLÁVIO

FREDERICO/

GILBERTO

GLAUCO/

HENRIQUE

JANETE/

LUCIANO

PARCEIRO/

RÉGIS

ROBERTA

SILVIA/

SUELI

TAMARA

TICO

 

Cena 1/Mansão dos Werneck/Sala/Int./Dia.

Flávio e Roberta sentados no sofá, surpresos com a reação de Régis.

FLÁVIO

Papai, eu não quero discutir com você.

RÉGIS

E nem eu com você, Flávio, mas que fique bem claro que não vou deixar você sair da nossa empresa.

FLÁVIO

Depois vemos isso. (segura a mão de Roberta) Vamos dar uma volta.

ROBERTA

Até logo, Régis.

Flávio e Roberta saem. Em seguida, Cristina desce as escadas e vai até Régis.

RÉGIS

Você sabia que Flávio quer largar a nossa empresa para abrir uma escola de música?

CRISTINA

Sim, e o que meu filho decidir vou apoiar, meu amor.

RÉGIS

Isso é uma loucura, Cris!

CRISTINA

Régis, não briga com nosso filho por causa disso. Não vale a pena. Se ele vai ser feliz assim, que mal tem, meu amor?

RÉGIS

Você fica aí me olhando desse jeito, mas eu não vou deixar Flávio jogar a vida dele fora.

CRISTINA

(acaricia o rosto de Régis) A vida dele não está no grupo Werneck; a sua está. Pensa nisso, meu amor.

RÉGIS

(segura Cristina; beija-a) Eu já te falei o quanto te amo?

CRISTINA

(sorri) Hoje não.

RÉGIS

(sorri) Te amo Cris.

Régis a beija novamente.

Cena 2/Casa de Janete/Sala/Int./Dia.

Ágata entra com umas malas. Coloca-os no chão. Tira os óculos de sol e olha em volta.

ÁGATA

Não tem ninguém nessa casa?

Bruno desce as escadas, sorri e abraça Ágata.

BRUNO

Ágata!

ÁGATA

(sorri) Por incrível que pareça, eu senti sua falta, Bruno.

BRUNO

Também senti a sua, maninha. O que aprontou por ai?

Ágata e Bruno se sentam lado a lado no sofá.

ÁGATA

Nada, eu só fui espairecer um pouco.

BRUNO

Sei.

ÁGATA

Me fala uma coisa: Roberta vai mesmo se casar com o Flávio?

BRUNO

Vai. De nada adiantou aquilo que você fez.

ÁGATA

Não adiantou porque ela não sabe; mas é melhor que não saiba mesmo. Assim ela continua achando que eu sou a melhor irmã do mundo.

BRUNO

Você avisou para alguém que iria voltar hoje?

ÁGATA

Não, adoro ver as caras de surpresa. (se levanta) Eu vou me arrumar e vou até o grupo Werneck. Estou com saudades do papai.

BRUNO

E da mamãe?

ÁGATA

Nenhum pouco, Bruno.

Ela se encaminha para o quarto.

Cena 3/Rio de Janeiro/Favela/Ext./Dia.

Henrique anda pela comunidade. O menino Tico se aproxima de Henrique.

TICO

Henrique, o parceiro mandou te dar isso.

Tico entrega um pacote a Henrique. Este bate na cabeça de Tico.

HENRIQUE

Se manda.

TICO

(coloca a mão na cabeça) Nada disso! Quem trabalha de graça é relógio, pode me pagar.

HENRIQUE

Eu vou contar até três e não quero ver a sua cara na minha frente, moleque.

TICO

Me paga, que eu saio.

HENRIQUE

(segura Tico pelo braço) Não tô nem ai que você é criança. Vou te arrebentar, moleque!

Daniela se aproxima. Tira Tico de perto de Henrique, a quem encara.

DANIELA

Que é? É covarde agora? Vai bater no menino?

HENRIQUE

(sorri cínico) Se me der na telha, eu bato, e você não vai poder fazer nada.

DANIELA

Engano seu. Você não é o único a tocar terror aqui na comunidade. Eu tenho amigos, sabia? Amigos que te odeiam e dariam tudo pra te pegar.

HENRIQUE

(debocha) Estou morrendo de medo. (sai)

DANIELA

(brava) Tico, você ficou louco? Você sabe que Henrique não é flor que se cheire e fica provocando ele.

TICO

(chateado) O Parceiro mandou um pacote pra ele, e eu queria meu pagamento.

DANIELA

Ai meu Deus, Tico! (coloca a mão no bolso e dá algum dinheiro) Aqui, pronto! Vê se não gasta com bobagem.

TICO

Valeu, Dani.

Tico abraça Daniela, contente, e sai correndo. Daniela sorri olhando pra ele.

Cena 4/Rio de Janeiro/Favela/Barraco de Gilberto/Sala/Int./Dia.

Gilberto fuma, pensativo. Henrique entra.

HENRIQUE

Pode preparar o quarto para nosso convidado. Já arrumei grana para comprar tudo o que vamos precisar.

Henrique joga o pacote em cima da mesa, pega um cigarro, acende e fuma.

GILBERTO

Ótimo, Henrique. Agora só preciso arrumar um jeito de saber os passos do seu irmão.

HENRIQUE

Odeio quando você fala isso. Esse cara nunca foi nada meu.

GILBERTO

Mas ele é seu irmão gêmeo. Ele não faz ideia que Cristina te teve e te deu para mim.

HENRIQUE

(raiva) A pessoa que mais odeio no mundo é essa Cristina… Eu vou fazer ela pagar por ter me colocado nessa vida miserável. Ela vai sofrer muito, assim como eu sofri.

Cena 5/Apartamento de Flávio/Sala/Int./Dia.

Flávio entra com Roberta no apartamento grande ainda vazio, tampando os olhos dela com as mãos.

FLÁVIO

Já chegamos, Roberta.

ROBERTA

Para com esse mistério, vai. Aonde você me trouxe?

FLÁVIO

(tira a mão dos olhos de Roberta) Estamos no nosso futuro lar.

ROBERTA

(olha em volta) Meu amor, é lindo! Eu adorei! Quando você comprou?

FLÁVIO

Ontem. Vem comigo.

Ele pega Roberta pela mão e a leva para o corredor.

Cena 6/Apartamento de Flávio/Suíte/Int./Dia.

O quarto está sem móveis, mas enfeitado com pétalas de rosas vermelhas. Flávio entra com Roberta.

FLÁVIO

Isso eu fiz hoje de manhã. Sei que você gosta.

ROBERTA

Você foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Te amo, Flávio.

Roberta e Flávio trocam um beijo apaixonado.

ROBERTA

Não vejo a hora de ser sua mulher, de poder viver esse sonho.

FLÁVIO

(tenso; se afasta um pouco) Roberta, eu preciso te contar uma coisa.

ROBERTA

(apreensiva) O quê?

FLÁVIO

(segura as mãos de Roberta) Há um tempo eu fui a uma boate. Bruno me convidou para ir a uma balada com ele, e lá alguém colocou alguma coisa na minha bebida. E eu…acordei em um quarto de motel… Estava acompanhado por uma mulher/

ROBERTA

(solta a mão de Flávio) Você me traiu? Acabou com a nossa promessa?

FLÁVIO

(segura de novo a mão dela) Meu amor, eu não tive culpa. Eu não me lembro de nada que aconteceu, mas eu sei que aconteceu.

Roberta se afasta de Flávio com vontade de chorar.

ROBERTA

Nós tínhamos prometido um ao outro que ambos chegaríamos puros na lua de mel. (chora) Você não aguentou e, pior, me traiu!

FLÁVIO

Roberta, eu juro que não traí você! A mulher fez de propósito, ela colocou uma coisa na minha bebida e passou a noite comigo!

ROBERTA

Que mulher é essa?

Flávio sabe quem ela é, mas prefere não contar e mente.

FLÁVIO

Não sei. É uma amiga do Bruno. Ela sabia que nunca poderia ter nada comigo e jogou sujo!

ROBERTA

Não acredito em você!

Roberta sai magoada. Flávio vai atrás dela e também sai de cena.

Cena 7/Apartamento de Flávio/Sala/Int./Dia.

Roberta anda com pressa para sair, mas Flávio consegue segurá-la.

FLÁVIO

Não sai assim, meu amor. Por favor, acredita em mim! Estou falando a verdade. Eu já não aguentava mais guardar isso pra só pra mim. Você acha que se eu tivesse te traído te contaria o que aconteceu?

ROBERTA

(se solta) Não sei de mais nada, Flávio. Por favor, me deixa sozinha. (sai)

FLÁVIO

(chateado) Mas que droga! Se eu contasse que foi a Ágata, seria pior. Não posso perder Roberta.

Flávio sai e fecha a porta por fora.

Cena 8/Fundação Cristina Werneck/Quadra/Int./Dia.

Luciano está dando aula de educação física para as crianças. Bruno se aproxima dele, e Luciano lhe dá atenção.

BRUNO

Foi pra isso que você deixou de andar comigo? Para ser babá?

LUCIANO

Não sou babá, sou professor de educação física. Cristina me convidou, e eu aceitei, assim não perco meu tempo pensando na sua irmã.

BRUNO

Falando nela, Ágata voltou hoje de viagem.

LUCIANO

Não estou nem ai. Depois do fora que ela me deu na frente de todo mundo, quero ela bem longe.

SUELI

(se aproxima) Luciano, quando a sua aula acabar, não esquece de passar no meu consultório.

Bruno admira Sueli.

LUCIANO

Pode deixar, Sueli.

SUELI

(a Bruno) Você, é o sobrinho da Cris, não é?

BRUNO

Sou sim.

SUELI

Eu sou a psicóloga da fundação e tia do Luciano. (sorri) Muito prazer, me chamo Sueli.

BRUNO

(sorri) Bruno.

SUELI

Eu tenho que ir para o meu consultório, com licença.

Sueli se afasta. Bruno repara no jeito de ela andar.

LUCIANO

Bruno, pode fechar a boca.

BRUNO

Essa deusa é sua tia mesmo?

LUCIANO

É, e ela não é para o seu bico. Nem tenta nada ou vai levar um fora pior do que eu levei da Ágata.

BRUNO

Eu vou passar a vir mais aqui.

LUCIANO

Você nunca veio aqui antes.

BRUNO

Pois é, mas agora vou vir e acho até que vou seguir o seu exemplo. Vou pedir uma vaguinha aqui para a tia Cris.

LUCIANO

Você não tem jeito mesmo.

Bruno ri.

Cena 9/Rio de Janeiro/Favela/Barraco de Gilberto/Int./Dia.

Henrique está deitado na rede, pensando na vida. Gilberto sentado no sofá. Tamara entra e fala com Gilberto.

TAMARA

Cadê o canalha do Henrique?

Gilberto aponta para Henrique na rede e sai.

TAMARA

(nervosa) Então resolveu me trair com geral ontem? (joga a bolsa em Henrique).

HENRIQUE

(se levanta) Ficou louca, Tamara Julia?

TAMARA

Fiquei sim, e não me chama assim que eu odeio! E quer saber quando fiquei louca? Quando disse sim pra tu!

HENRIQUE

(puxa o cabelo de Tamara) Não grita comigo!

TAMARA

Me solta!

HENRIQUE

Só solto quando eu tiver vontade.

TAMARA

(bate em Henrique, tentando se soltar) Tu não vale nada! Te odeio!

Henrique beija Tamara. Ela se debate, mas acaba cedendo. Ele a solta. Tamara fica com vontade de chorar.

HENRIQUE

Odeia nada.

TAMARA

(empurra Henrique) Odeio sim! Tu não sabe o quanto cansei de ser humilhada, de ver as piriguetes daqui rindo da minha cara só de saber que tu me coloca chifre!

Tamara tenta sair, mas ele a puxa pelo braço.

HENRIQUE

Aonde você vai?

TAMARA

Pra bem longe de tu!

HENRIQUE

É ruim hein. (pega Tamara no colo, a deita na rede).

TAMARA

(nervosa, ofegante) Me deixa em paz! Vai lá com as tuas piriguetes! Safado!

HENRIQUE

(deita por cima de Tamara) De todas elas, você é a minha preferida. (beija Tamara).

TAMARA

Cretino, tu não vale nada.

Eles se beijam ardentemente.

Cena 10/Grupo Werneck/Sala de Edgar/Int./Noite.

Ágata entra e abraça Edgar.

ÁGATA

Papai! Senti saudades de você.

EDGAR

Eu também senti, querida. Que bom que voltou!

ÁGATA

(se senta) Sentiu nada, papai. Aposto que Roberta deu um jeitinho pra você nem lembrar da sua filha de verdade.

EDGAR

Não começa, Ágata. Você sabe que Roberta não é assim.

ÁGATA

Está bem, papai. Eu quero uma ajuda sua. Você sabe que eu sou uma ótima publicitária. Quero trabalhar aqui com você.

EDGAR

(sorri) Não sei de nada. Você terminou a faculdade e nunca fez nada na sua área; mas vou falar com o Flávio. Se tiver um lugar aqui pra você, vou ficar feliz em te ter ao meu lado trabalhando.

ÁGATA

Obrigada. (se levanta).

EDGAR

Vai jantar comigo hoje. Chama seu irmão também.

ÁGATA

Roberta vai estar nesse jantar?

EDGAR

Eu ainda não a convidei, mas pretendo. Ela também é minha filha.

JANETE

(entra, olha Ágata) Você aqui? Quando voltou?

ÁGATA

Agora há pouco.

JANETE

(a Edgar) Régis está chegando e disse para irmos até a sala de reuniões. Ele vai falar sobre o desfile de amanhã.

EDGAR

Obrigado, já vou para lá.

ÁGATA

Até logo, papai.

Janete sai, seguida por Ágata.

Cena 11/Grupo Werneck/Corredor/Int./Noite.

Ágata se aproxima de Janete.

ÁGATA

Ainda está com raiva de mim, mamãe?

JANETE

Por mim você não voltava nunca mais.

ÁGATA

(sorri) Eu sei. Por isso voltei.

JANETE

(raiva) Você disse coisas que nunca vou perdoar.

ÁGATA

Não exagera, mamãe. Eu só disse a verdade. Você nunca teve o tio Régis porque nunca foi capaz; já eu tive o homem que eu quis.

JANETE

Cala essa boca! E para de se vangloriar, porque Flávio vai se casar com Roberta e não com você.

ÁGATA

(sorri) Essa é a diferença entre nós: me contentei em passar uma noite com Flávio, já você queria passar a vida com o Régis.

Ágata manda um beijo cínico para Janete e se afasta.

JANETE

(séria) Insuportável! Se não fosse minha filha, daria um jeito nela.

Cena 12/Grupo Werneck/Elevador/Int./Noite.

Ágata espera o elevador. A porta abre, e Régis sai de lá.

RÉGIS

Nossa! Há quanto tempo que não te via?!

ÁGATA

Esse é o bom de chegar sem avisar. As pessoas se surpreendem.

RÉGIS

O que você vai fazer amanhã à noite?

ÁGATA

Por quê?

RÉGIS

Porque estamos organizando um desfile junto com a fundação da Cris. É um evento beneficente, e eu vou aproveitar para lançar uma coleção nova de roupas femininas. Você quer desfilar no evento?

ÁGATA

(sorri) Gostei! Quero sim, tio.

RÉGIS

Ótimo! Eu vou passar os últimos detalhes do evento agora na reunião, mas depois você fala com a sua mãe. Ela vai te falar melhor como vai ser.

ÁGATA

Prefiro a tia Cris. Estou brigada com a minha mãe.

RÉGIS

A Cris está cuidando somente da parte da fundação, então você fala com a Roberta. Ela também vai desfilar e sabe tudo sobre o evento. Agora eu tenho que ir. Com licença. (segue caminho).

ÁGATA

É… Até que o tio Régis é bem bonito.

Cena 13/Fundação Cristina Werneck/Sala de Aula/Int./Noite.

A sala está sem alunos. Roberta chora, sentada à mesa do professor. Cristina entra e se aproxima de Roberta.

CRISTINA

Roberta, o que aconteceu?

ROBERTA

(enxuga as lágrimas) Nada, Cris.

CRISTINA

(se senta ao lado de Roberta) Nada não faz chorar, querida. O que foi?

ROBERTA

Você sabe que eu amo demais o seu filho, não sabe?

CRISTINA

Claro que sei, querida, e ele te ama da mesma forma.

ROBERTA

(com vontade de chorar) Não sei se ele me ama, Cris.

CRISTINA

Ama, Roberta, e muito. Mas o que aconteceu?

ROBERTA

Flávio me traiu.

Roberta abraça Cristina, que a consola e está sem entender o que aconteceu.

CRISTINA

Ele nunca faria isso Roberta.

ROBERTA

Ele mesmo me contou.

CRISTINA

É difícil de acreditar. O que ele te falou?

ROBERTA

Que ele estava em uma balada, alguém colocou alguma coisa na bebida dele e que ele acordou em um motel com uma mulher.

CRISTINA

Mas que coisa! Flávio nunca me contou isso.

ROBERTA

(se levanta) É mentira dele, Cris. Essa história é absurda. Ele ficou com outra porque quis.

CRISTINA

Mas se fosse assim, ele não te contaria.

Flávio entra. Cristina se levanta.

FLÁVIO

Roberta, podemos conversar agora?

ROBERTA

Eu não quero falar com você.

CRISTINA

Eu vou deixar vocês a sós.

FLÁVIO

Não, mamãe! Eu quero que você fique. Não tenho nada para esconder. Eu vou te contar o que aconteceu.

CRISTINA

Eu já sei, filho. Roberta me contou.

FLÁVIO

Eu juro que estou falando a verdade.

ROBERTA

Que verdade, Flávio? Você nem sabe com quem passou a noite; deveria estar bêbado.

FLÁVIO

Eu não sou de beber muito e você sabe. Acredita, Roberta, armaram pra mim.

CRISTINA

Flávio, você não tem como provar?

FLÁVIO

Não.

ROBERTA

Até amanhã, Cris.

Furiosa, Roberta pega a bolsa e sai.

FLÁVIO

(com vontade de chorar) Eu sei quem armou pra mim mamãe, mas não posso falar para a Roberta. Ela nunca vai acreditar em mim… Foi a Ágata.

CRISTINA

Filho, ela não faria algo assim. Você tem certeza?

FLÁVIO

Viu? Nem você acredita. Mas foi ao lado dela que eu acordei nu, e ela estava nua deitada sobre mim e me disse com a maior cara de pau que foi tudo incrível.

CRISTINA

Mas então conte a Roberta.

FLÁVIO

Você não conhece a Ágata como eu, mamãe. Ela é ardilosa, vai se fazer de vítima para Roberta e me deixar pior do que já estou.

CRISTINA

Então eu vou conversar com a minha sobrinha. Vou ligar para ela e pedir que ela mesma conte o que fez para você.

FLÁVIO

Ela não vai fazer isso. E eu vou perder o amor da minha vida.

Cristina abraça Flávio, consolando-o.

Cena 14/Rio de Janeiro/Favela/Ext./Noite.

Henrique e Gilberto estão subindo o morro. Eles entram em um barraco pequeno e afastado.

Cena 15/Rio de Janeiro/Favela/Barraco Afastado/Ext./Noite.

O barraco todo sujo tem um quarto, um banheiro e uma cozinha, todos minúsculos. Há uma cama encostada na parede.

Gilberto entra com Henrique e acende a luz.

GILBERTO

Aqui vai ser o cativeiro do seu irmão.

HENRIQUE

Já falei pra você parar de falar isso. Eu não tenho irmão! Joga essa cama fora. Quero que você coloque uma corrente bem firme na parede. Assim ele não vai escapar. Também é bom reforçar essa porta. Quero uma coisa bem forte, e na janela faz a mesma coisa.

GILBERTO

Vou fazer isso.

HENRIQUE

Fazendo essas coisas, aqui fica perfeito. Só temos que saber o momento certo.

GILBERTO

Isso você deixa comigo. Tenho uns contatos. Vou saber tudo que o playboy faz.

HENRIQUE

(olhando o barraco) Quanto tempo ele vai aguentar aqui?

Gilberto e Henrique gargalham ardilosos.

Fim do Capítulo

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

  • Meu Deus é treta em cima de treta. Que isso mulher!!! Não bastasse a mãe a filha também é sem vergonha. Que família que não presta. E coitado do Flávio o futuro dele parece ser bem complicado.

    Raquel Machado

  • Meu Deus é treta em cima de treta. Que isso mulher!!! Não bastasse a mãe a filha também é sem vergonha. Que família que não presta. E coitado do Flávio o futuro dele parece ser bem complicado.

    Raquel Machado

  • Estreia dia 19 de Outubro

    Estreia dia 20 de Outubro

    >