Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Falso Amor – Capítulo 21

Novela de Débora Costa

Escrita Por

Débora Costa

Colaboração

Tainá Andaluz

Revisão de Texto

Marcelo Delpkin

Direção Artística

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber TV

Personagens no capítulo

ÁGATA

BRUNO

CRISTINA

DANIELA

FLÁVIO

GILBERTO

GLAUCO

HENRIQUE

JANETE

MIGUEL

RÉGIS

ROBERTA

SILVIA

SUELI

TAMARA

 

Cena 1/Cemitério/Ext./Dia.

Continuação imediata do capítulo 20. Janete e Cristina estão paradas perto da saída do cemitério. Cristina com vontade de chorar, inconformada.

CRISTINA

Isso não pode ser verdade, Janete. Meu marido não faria uma coisa dessas. Régis não daria em cima da minha sobrinha; ao contrário, ela era quem estava atrás dele.

JANETE

Cris, se você quiser, podemos conversar sobre isso outro dia. Acredito na minha filha. A coitadinha vivia triste pelas investidas de Régis.

CRISTINA

Ágata pode estar mentindo para você. Confio em Régis.

JANETE

Você o ama e acha que ele é perfeito, Cris. Minha filha é linda, jovem e atraente. Régis é homem e se interessou por ela.

CRISTINA

Amanhã vamos falar mais sobre isso, e quero que Ágata esteja presente.

JANETE

Acho melhor não, Cris. Ela estava com medo de te contar. Isso tem que ficar apenas entre nós. Nem Régis deve saber.

CRISTINA

Perdi totalmente o apetite.

Cristina vai em direção ao velório de Frederico. Janete sorri.

Cena 2/Mansão dos Werneck/Sala/Int./Dia.

Henrique desce as escadas. Está de saída e abre a porta, Tamara entra. Henrique fica nervoso.

HENRIQUE

O que você está fazendo aqui, Tamara Júlia?

TAMARA

Tu sabe que odeio que me chame desse jeito, e vim aproveitar esse vidão que tu tá levando, Henrique.

Henrique segura Tamara pelo braço.

HENRIQUE

Se me chamar de novo de Henrique aqui dentro, você vai se arrepender! E para de me atormentar, periguete! Volta para o Rio de Janeiro e me deixa em paz!

Solta Tamara e a empurra, Tamara o encara.

TAMARA

Não deixo! Tu me deve muita coisa!

Henrique dá risada.

HENRIQUE

Essa foi boa. Posso saber o que te devo?

TAMARA

Toda vez que tu precisava eu tava lá, do teu lado, e como tu me pagou? Me colocando chifre, pegava toda periguete que aparecia. Tu nunca se importou com o que sinto. Agora quero lucrar com essa armação.

Henrique se aproxima de Tamara, sorri cínico e a encara.

HENRIQUE

Você fez tudo isso porque quis, Tamara, porque gostava de estar comigo, principalmente na cama. Você não vale nada, assim como as mulheres com quem fiquei. Coloca uma coisa nessa sua cabecinha ignorante. Elas, você…  são descartáveis. Usei e joguei fora.

Tamara fica com raiva e levanta a mão para bater em Henrique. Ele segura a mão dela, a puxa pela cintura e a beija, Tamara retribui o beijo. Henrique se afasta e dá risada.

HENRIQUE

Você é tão idiota que chega me dar pena. Agora vai embora porque tenho que ir no velório do velho.

TAMARA

(com raiva) Tu vai se arrepender!

HENRIQUE

Já chega desse show. Cai fora daqui antes que eu te coloque para fora a força.

Tamara se aproxima de Henrique.

TAMARA

Pode pisar em mim, falar o que quiser, mas o que tu tem comigo não vai ter com outra.

Tamara e Henrique se beijam. Roberta entra, vê o beijo, fica inconformada e fica com vontade de chorar.

ROBERTA

Flávio!

Henrique fica surpreso ao ver Roberta. Não sabe o que fazer. Tamara sorri olhando Roberta.

Cena 3/Rio de Janeiro/Favela/Cativeiro de Flávio/Int./Dia.

Flávio está sentado no chão, triste. Se levanta, caminha pelo barraco e chora. Daniela entra trazendo comida para Flávio. Ela está sem graça. Coloca o que trouxe em cima da mesa.

DANIELA

Não fica assim, Flávio. Sei que você queria estar com a sua família nesse momento, mas, se você ficar se consumindo assim, não vai ter forças para viver aqui.

FLÁVIO

Isso não é vida, Daniela.

DANIELA

Eu vou ver um jeito de te ajudar, embora eu tenha muito medo porque Gilberto e Henrique são ruins, perigosos.

Flávio segura a mão de Daniela.

FLÁVIO

Se você me ajudar a sair daqui, vou ser grato a você minha vida toda, Daniela.

DANIELA

A única coisa que quero é que você leve o Tico com você. Ele é da sua família e não merece viver abandonado.

FLÁVIO

Eu vou levar os dois, Tico e você.

Daniela não resiste e beija Flávio, que retribui o beijo. Daniela se afasta desconcertada, . Flávio fica confuso e não sabe o que falar. Daniela se aproxima.

DANIELA

Eu sei que você tem noiva. Mas ela não está aqui, e até você voltar pra ela… eu vou cuidar de você. Sei que vai doer muito quando tiver que dizer adeus porque eu te amo, Flávio.

FLÁVIO

Eu/

DANIELA

Não precisa falar nada. Até já sei o que você vai falar: que ama a Roberta. Eu sei.

FLÁVIO

Verdade, eu a amo e muito… Não vou negar que gosto de você, mas não vou me aproveitar da situação, Daniela. Seria baixo demais brincar com o que você sente por mim.

DANIELA

(sorri) O que mais gosto em você é esse seu jeito todo certinho… E pode deixar, que de mim cuido eu.

Daniela sai. Flávio se senta pensativo.

Cena 4/Apartamento de Sueli/Sala/Int./Dia.

Sueli está chorando, quando a campainha toca. Sueli abre a porta. Bruno entra.

BRUNO

Oi, eu vim ver como você está.

SUELI

Muito triste, Bruno, mas é melhor você ir embora.

BRUNO

Toda vez que eu me aproximo de você, sou expulso, por quê?

SUELI

(alterada, chora) Porque não quero mais problemas na minha vida! Olha tudo o que está acontecendo! Frederico era muito especial na minha vida. Me apaixonei por ele e ele por mim. Ele estava para se separar da Silvia, eu engravidei, e ela deu um jeito para que ele se afastasse de mim e ainda roubou meu filho! Não sei onde ele está e nem posso ir para o velório do Frederico. (Bruno abraça Sueli) É melhor você ir embora. Quero ficar sozinha.

BRUNO

Eu quero ficar.

SUELI

Quer saber? Pode ficar.

Sueli sai. Bruno vai atrás.

Cena 5/Mansão dos Werneck/Sala/Int./Dia.

Henrique se aproxima de Roberta.

HENRIQUE

Roberta, eu posso explicar/

ROBERTA

(chorando) Explicar o quê, Flávio! Eu vi. Vocês estavam se beijando. Você está me traindo com ela!

HENRIQUE

Nada disso, Roberta, me deixa explicar.

Roberta tira a aliança, coloca na mesa de centro e chora.

ROBERTA

Você mudou muito, não é mais o meu Flávio. É outra pessoa totalmente diferente… Acabou tudo, Flávio. Pode ficar com quem quiser você, está livre.

Roberta sai chorando. Henrique vai atrás . Tamara o segura.

TAMARA

Deixa essa sem sal ir embora. Tu não precisa dela.

Henrique, com raiva, dá um tapa no rosto de Tamara.

HENRIQUE

Some da minha vida, ou eu dou um fim na sua! E cai fora daqui!

Henrique pega Tamara pelos cabelos, abre a porta e empurra Tamara para fora. Bate a porta com raiva.

HENRIQUE

Droga! Isso não poderia acontecer!

Henrique olha a aliança de Roberta em cima da mesa e pega.

HENRIQUE

Eu vou fazer você gostar de mim, Roberta, e vamos nos casar. Tudo como estava planejado.

Cena 6/Mais Tarde/Restaurante/Noite/Interior.

Miguel está sentado a uma das mesas, acompanhando de Janete. O garçom serve champanhe e se afasta.

JANETE

Quando recebi sua ligação me convidando para jantar, confesso que não acreditei. Achei que talvez você pudesse estar de alguma maneira lamentando a morte do seu irmão.

MIGUEL

Estou comemorando a morte dele, Janete, e você é minha convidada. Quero brindar a morte de Frederico e a minha volta ao grupo Werneck. Tenho certeza que em breve estaremos aqui comemorando a sua vitória contra a sua irmã.

Miguel brinda com Janete. Os dois bebem um pouco do champanhe.

JANETE

O que você pretende agora?

MIGUEL

Nesse momento quero jantar, beber, comemorar. Depois que sair daqui, vou te levar para um hotel, e lá vamos passar a noite juntos. Amanhã vou assumir o meu lugar na presidência do grupo Werneck.

JANETE

Você está se esquecendo de Régis? Ele é herdeiro de Frederico.

MIGUEL

Dele e não meu. Eu nunca abri mão dos meus negócios. Tudo está em meu nome também, e, francamente, minha querida, não estou nem aí para meu sobrinho. Se tiver que passar por cima dele, eu farei isso.

JANETE

(sorri) Não sei se gosto dessa sua frieza ou se fico com medo. Não por mim, mas por Régis.

MIGUEL

(sorri) Chega de falar disso, Janete. Vamos aproveitar nosso momento, afinal hoje é dia de festa.

Janete dá risada e beija Miguel.

JANETE

Tem razão, e em breve eu estarei comemorando a minha vitória ao seu lado.

Miguel e Janete se beijam novamente.

Cena 7/Mansão dos Werneck/Quarto de Flávio/Int./Noite.

Henrique está se arrumando para sair. Cristina entra, e Henrique fica bravo.

HENRIQUE

Cristina, sai daqui. Não estou com saco pra te aturar.

CRISTINA

Eu só vim saber se você está bem.

HENRIQUE

Cristina, entenda uma coisa. Eu não preciso de você pra nada, nunca precisei, então poupa seu tempo vindo me procurar.

CRISTINA

Mas eu preciso de você, Henrique. Todo esse tempo você estava vivo e eu não sabia. Preciso de você e de Flávio, meus filhos que eu amo.

HENRIQUE

Então é isso. Você veio aqui para saber do Flávio. Ele está vivo. Só não sei se bem, mas isso não é problema meu.

CRISTINA

Deixa ele voltar pra casa. Você vai ter o seu lugar aqui.

Henrique termina de se arrumar e empurra Cristina ao sair.

Cena 8/Mansão dos Werneck/Sala/Int./Noite.

Silvia está sentada tomando café. Henrique desce as escadas.

SILVIA

Então você não é Flávio?

HENRIQUE

Não sou, e, como já devem ter te contado toda a história, não preciso perder meu tempo te contando.

SILVIA

(sorri) Você tem personalidade forte, diferente de Flávio, mas claro que é ele quem eu amo.

HENRIQUE

Pelo pouco que te conheço, acredito que a única pessoa que você ama é você mesma.

SILVIA

Talvez… Mas eu seria incapaz de dar um filho meu, ao contrário de Cristina, que com todo esse jeito de sonsa, acabou se desfazendo de você e foi fria para guardar esse segredo.

Henrique, sério, olha Silvia.

HENRIQUE

Ela te disse a verdade, então…

Cristina vem descendo as escadas. Silvia não a vê.

SILVIA

Sim, ela disse que não saberia criar dois bebês ao mesmo tempo e que somente um era esperado; no caso, Flávio.

Cristina se aproxima inconformada.

CRISTINA

Como você é capaz de inventar uma história dessas?

HENRIQUE

Quer saber de uma coisa? É melhor eu sair antes que perca a cabeça, e você, Cristina, pode parar de fazer esse teatro. Eu sei muito bem o que você fez e vai continuar pagando por isso.

Henrique sai. Silvia se levanta.

         CRISTINA

Silvia, isso que você fez é muito sério. Meu filho não acredita em mim, e você confirma essa ideia absurda de que eu o abandonei!

Silvia, fria, olha Cristina. Régis desce as escadas.

SILVIA

Não te suporto e o que estiver ao meu alcance para fazer da sua vida um inferno, farei.

Silvia sobe as escadas. Cristina se senta, triste e cansada.

Cena 9/Apartamento de Roberta/Sala/Int./Noite.

Roberta está deitada no sofá, chorando. A campainha toca. Roberta se levanta e abre a porta. Glauco entra.

GLAUCO

Oi, espero não estar te atrapalhando.

ROBERTA

Não está, Glauco. Pode ficar à vontade.

Roberta se senta. Glauco se senta ao lado dela.

GLAUCO

Você está assim por causa do Frederico?

ROBERTA

Não… É claro que fiquei muito triste com a morte dele, mas hoje tive uma decepção muito grande com Flávio.

Glauco acaricia o rosto de Roberta.

GLAUCO

O que ele te fez?

ROBERTA

Eu senti o Flávio muito diferente desde que foi sequestrado. Sei que as pessoas ficam traumatizadas e que isso pode mudar o comportamento, mas o que eu nunca esperava era que Flávio pudesse me trair.

Roberta chora. Glauco a abraça e a consola.

GLAUCO

Eu sempre disse que Flávio não era homem para você, Roberta. Cedo ou tarde, isso iria acontecer.

ROBERTA

Ele não era assim. Flávio e eu sempre nos amamos muito. Agora ele parece outra pessoa, alguém que não conheço. Terminei o noivado. Foi a segunda vez que o peguei beijando a tal Tamara.

GLAUCO

Fico feliz em saber que vocês terminaram. Vai ser melhor para você.

Roberta se levanta.

ROBERTA

Eu estou sofrendo muito, Glauco.

Glauco se levanta e segura delicadamente as mãos de Roberta.

GLAUCO

Roberta, eu sempre quis te falar uma coisa, mas nunca tive coragem para isso, e sei que agora chegou o momento de falar, mesmo porque já não aguento mais guardar esse segredo.

ROBERTA

Que segredo?

GLAUCO

Eu amo você.

ROBERTA

Eu também te amo, tio.

GLAUCO

Não, não é esse tipo de amor que sinto por você. Eu te amo como mulher Roberta, não como minha sobrinha. Nunca te vi assim.

Roberta fica surpresa com a declaração de Glauco e se afasta.

ROBERTA

Eu nunca percebi/

Glauco segura Roberta pelos braços.

GLAUCO

Você nunca percebeu porque a vida toda só teve olhos para o Flávio, mas agora que você viu que ele não te merece, pode me ver como o homem da sua vida. Você não sabe o quanto foi difícil esconder esse sentimento tendo você tão perto de mim.

Roberta fica com medo de Glauco e se solta. Abre a porta.

ROBERTA

Eu acho melhor você ir embora. Não sei o que te falar. Estou surpresa e assustada também. Não imaginava o tipo de sentimento que você tinha por mim.

Glauco se aproxima de Roberta.

GLAUCO

Eu te amo. Me dá uma chance, Roberta.

ROBERTA

Por favor, vai embora, Glauco.

Glauco beija Roberta, que o empurra e dá um tapa no rosto dele. Fica nervosa.

ROBERTA

Fica longe de mim!

Glauco segura Roberta com força.

GLAUCO

Não me trata assim! Vamos conversar!

ROBERTA

(assustada) Me solta!

Glauco tenta beijar Roberta à força. Ela se solta e cai sentada no sofá. Glauco a deita e segura os braços dela. Henrique entra e separa Glauco de Roberta; dá um soco no rosto de Glauco. Roberta se levanta assustada e com vontade de chorar.

Cena 10/Rio de Janeiro/Favela/Barraco de Gilberto/Int./Noite.

Gilberto está olhando pela janela, fumando, pensativo. Daniela entra.

DANIELA

Aconteceu alguma coisa?

GILBERTO

Não, por quê?

DANIELA

Você está aí com uma cara…

GILBERTO

É que eu cansei de ficar esperando a boa vontade do Henrique me ligar para dizer a hora de agir.

DANIELA

Agir?

GILBERTO

É, Daniela, agir. Eu quero ver a Cristina de novo, mostrar pra ela que me trair teve um preço alto.

DANIELA

Gilberto, por que você não desiste dessa vingança? Acho que essa Cristina já sofreu o suficiente.

GILBERTO

Eu não acho. Ainda falta muita coisa. Ela nunca vai ter os filhos dela Sempre vai faltar um ou quem sabe os dois.

DANIELA

(assustada) O que você vai fazer?

GILBERTO

Não é da sua conta. O que você veio fazer aqui?

DANIELA

Saber se Flávio pode sair um pouco. Eu fico com ele.

GILBERTO

Claro que não pode. Ficou louca?

DANIELA

Por favor, Gilberto. Meia hora, coitado…

GILBERTO

Se ele sair, vão achar que é Henrique. Não posso correr risco.

DANIELA

Eu vou estar com ele. Só meia hora. Ele está há dias trancado naquele barraco.

GILBERTO

Está porque ele foi sequestrado. Aquilo é um cativeiro e não um hotel cinco estrelas. O playboy não pode sair.

DANIELA

Poxa, Gilberto, o que custa?

GILBERTO

Tá bom. Vou deixar ele sair com você por meia hora. Vou estar de olho. Não vão para longe. E se ele tentar fugir, é de você que vou cobrar.

DANIELA

(sorri) Ele não vai tentar nada. Obrigada!

Daniela sai. Gilberto volta a olhar pela janela.

GILBERTO

Essa ai está apaixonada.

Cena 11/Apartamento de Roberta/Sala/Int./Noite.

Glauco encara Henrique.

GLAUCO

O que você veio fazer aqui? Você não merece Roberta, eu sim!

HENRIQUE

(raiva) Você está louco!

ROBERTA

Eu quero os dois fora da minha casa!

Glauco se aproxima de Roberta.

GLAUCO

Temos que conversar. Manda ele sair.

HENRIQUE

Se você não sair daqui, eu vou te arrebentar.

GLAUCO

Está com medo que Roberta fique comigo e não com você? Ela já perdeu tempo demais ao seu lado.

ROBERTA

Eu ouço você falar e não acredito, Glauco. Vai embora, estou pedindo.

GLAUCO

Não quero que você fique com medo de mim.

HENRIQUE

Você está surdo, cara? A Roberta não te quer aqui. Sai por bem, ou eu te tiro à  força.

GLAUCO

Agora ela já sabe que eu a amo. Vou fazer Roberta te esquecer.

Henrique dá um soco no rosto de Glauco. Roberta fica nervosa, Henrique empurra Glauco para fora, fecha a porta.

ROBERTA

Eu quero que você vá embora também.

HENRIQUE

Eu vim me explicar com você.

ROBERTA

Não tem explicação, Flávio. Aquela mulher vive te cercando. Já peguei vocês se beijando duas vezes!

HENRIQUE

Eu tive um caso com ela, sim, mas já acabou.

ROBERTA

(chora) E o nosso noivado também. Você está livre para ficar com quem quiser, Flávio. Agora sai daqui.

HENRIQUE

Você não pode jogar tudo o que vivemos fora por causa de um beijo.

ROBERTA

Eu sei que não é só isso, e, mesmo se fosse, é uma traição. O Flávio que eu amava e com quem cresci seria incapaz de mentir assim pra mim.

HENRIQUE

(raiva) Aquele Flávio não está aqui agora. O que está aqui é outro, e você tem que se acostumar!

ROBERTA

Eu não gosto desse Flávio.

Roberta abre a porta para Henrique sair. Henrique a olha com raiva.

HENRIQUE

Não vou ficar aqui me rebaixando, Roberta, mas te garanto que esse Flávio é muito melhor do que aquele babaca que você estava acostumada.

Henrique sai. Roberta fecha a porta e chora.

Fim do Capítulo

 

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

>