Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Falso Amor – Capítulo 23

Novela de Débora Costa

Escrita Por

Débora Costa 

Revisão de Texto

Marcelo Delpkin

Direção Artística

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber TV

Personagens no capítulo

ÁGATA

CRISTINA

DANIELA

EDGAR

FLÁVIO

GILBERTO

HENRIQUE

JANETE

MIGUEL

RÉGIS

ROBERTA

TAÍS

 

Cena 1/Mansão dos Werneck/Suíte de Henrique/Int./Dia.

Henrique está se arrumando. Cristina entra.

CRISTINA

Posso falar com você?

Henrique não olha Cristina.

HENRIQUE

Não.

CRISTINA

Mas eu preciso, é sobre Roberta.

Henrique olha sério para Cristina.

HENRIQUE

O que tem ela?

CRISTINA

Falta pouco para o casamento, uma semana.

HENRIQUE

Eu sei, e daí? O que tem isso?

CRISTINA

Ela pensa que vai se casar com Flávio. Não acho justo enganar a Roberta dessa forma. Ela não merece.

HENRIQUE

Isso não é da sua conta, Cristina. No lugar de ficar aí cuidando do casamento dos outros, deveria olhar mais para o seu.

CRISTINA

Por que você está falando isso?

HENRIQUE

Porque sei de coisas que você nem sonha que estão acontecendo.

CRISTINA

E você pretende me contar?

HENRIQUE

(sorri) Com todo prazer. Régis está te traindo. Ele tem outra mulher.

CRISTINA

(com vontade de chorar) Você só está me falando isso porque sabe que vai me ferir.

HENRIQUE

Também, mas é verdade, e, se não acredita em mim, posso te provar. É só não deixar ele desconfiar que você sabe, e hoje à noite você vai ver Régis com a amante dele.

CRISTINA

Quem é a amante dele?

HENRIQUE

Se eu te contar agora, a surpresa não vai ter graça.

CRISTINA

(chora) Henrique, você vai se arrepender da forma como me trata e de tudo que já fez por causa dessa vingança sem sentido.

Henrique segura Cristina pelo braço, a leva até a porta e a coloca para fora.

HENRIQUE

Vai chorar na sua cama. Não suporto isso, é muito irritante.

Henrique fecha a porta do quarto e sorri.

Cena 2/Rio de Janeiro/Favela/Praça/Ext./Dia.

Flávio e Gilberto estão sentados.

FLÁVIO

Até agora não entendi por que me trouxe aqui.

GILBERTO

As pessoas estavam sentindo falta de Henrique. É bom você ser visto.

FLÁVIO

A melhor coisa que você pode fazer é trazer ele e me deixar ir.

GILBERTO

Cala a boca, playboy. Isso só acaba quando eu quiser.

Flávio olha para a banca de jornal ao lado da praça. Vê uma revista onde Roberta e Henrique estão na capa. Ele se levanta, vai até a banca e pega a revista. Lê que Roberta e “Flávio” (Henrique) vão se casar e fica com vontade de chorar, aflito. Gilberto se aproxima.

GILBERTO

O que você pensa que está fazendo?

FLÁVIO

(exaltado) Ele vai se casar com Roberta! Isso não pode acontecer. Ela acha que vai se casar comigo!

Gilberto segura o braço de Flávio.

GILBERTO

Fala baixo! É melhor te trancar de novo.

FLÁVIO

Roberta não pode se casar com ele!

GILBERTO

E eu achando que você estava gostando de Daniela, mas pelo jeito ama mesmo a tal Roberta.

FLÁVIO

Eu gosto da Daniela sim! Mas eu não quero que Roberta faça parte dessa sujeira que vocês criaram.

GILBERTO

É tarde. A sua noivinha tem que se casar com Henrique ou todos vão desconfiar, e já chega dessa conversa!

Gilberto, segurando o braço de Flávio, sai da praça.

Cena 3/Apartamento de Edgar/Sala/Int./Dia.

A campainha toca. Edgar abre a porta. Vê Taís, sorri e a abraça.

EDGAR

Taís! Mas que surpresa boa!

Taís abraça Edgar e entra sorridente.

TAÍS

Estava com muita saudade, meu irmão.

EDGAR

Eu também. Você foi embora e não entrou mais em contato.

TAÍS

Eu precisava desse tempo, de sumir…

Taís se senta no sofá. Edgar se senta na poltrona.

EDGAR

Agora você veio pra ficar?

TAÍS

Sim. Pensei muito nesses anos e quero reparar um erro.

EDGAR

Erro?

TAÍS

É, uma coisa que fiz e me arrependo muito. Edgar, eu vim disposta a recuperar a minha filha.

EDGAR

(olhando Taís) Que filha?

TAÍS

(se emociona) Eu tive uma filha, Edgar. Escondi de todo mundo que estava grávida, por isso fiquei longe nove meses. Não queria que vocês soubessem. Quando ela nasceu, fiquei sem saber o que fazer. Meu namorado e eu tínhamos terminado. Eu era jovem, tinha muitos sonhos e me vi sendo mãe solteira… Foi então que tomei uma decisão… Eu deixei minha filha na porta da fundação da Cristina e fui embora.

EDGAR

(se levanta) E você sabe quem é a sua filha?

TAÍS

Sei… Roberta é minha filha.

Edgar fica surpreso e se senta de novo.

Cena 4/Grupo Werneck/Sala de Miguel/Int./Dia.

Miguel está sentado, usando o computador. Régis entra nervoso.

RÉGIS

Você pode me explicar por que cancelou o desfile beneficente da reabertura da Fundação da Cris?

Miguel continua mexendo no computador e não olha Régis.

MIGUEL

Porque isso aqui não é instituição de caridade. Não me interessa fazer esse tipo de coisa inútil.

Régis fica com raiva e dá um tapa no computador, derrubando-o no chão. Encara Miguel, que se levanta e olha sério para Régis.

RÉGIS

(raiva) Eu também sou dono desse grupo. Meu pai me deixou a parte dele, portanto mando tanto quanto você. Nunca mais se intrometa no que eu fizer aqui.

MIGUEL

(encara Régis) Não perca o controle, Régis, ou você vai se arrepender.

RÉGIS

Não tenho medo de você.

Régis sai. Miguel se senta pensativo.

MIGUEL

Preciso me livrar de Régis.

Cena 5/Grupo Werneck/Sala de Régis/Int./Dia.

Régis entra nervoso. Ágata entra e se aproxima de Régis.

ÁGATA

O que aconteceu, meu amor? Você está nervoso.

RÉGIS

O Miguel! Ele me tira do sério, adora me provocar. Cancelou o desfile que faríamos pra Cris.

ÁGATA

Até que isso não é tão ruim. Você faz tudo por ela.

RÉGIS

Já falamos sobre isso, Ágata. Eu ainda sou casado com a Cris.

ÁGATA

Eu sei, mas acontece que eu estou cansada de ser apenas a sua amante. Quero me casar com você.

RÉGIS

Ágata, eu não estou bem. Acabei de brigar com Miguel. Não quero falar sobre isso agora.

ÁGATA

(abraça Régis) Desculpa, meu amor.

Janete entra e vê Ágata abraçada a Régis; fica com ciúmes e raiva.

JANETE

O que está acontecendo aqui?

Cena 6/Fundação Frederico Werneck/Sala de Aula/Int./Dia.

Roberta está decorando a sala. Henrique entra Roberta, que não o vê , pois está de costas para a porta. Henrique se aproxima lentamente, a abraça por trás e fala no ouvido dela.

HENRIQUE

Oi, princesa.

Roberta sorri, se vira de frente para Henrique e o beija.

ROBERTA

Mas que surpresa boa, meu amor!

HENRIQUE

Eu estava indo para o grupo Werneck e, quando passei aqui em frente, sabendo que você estava aqui, tive que parar para te ver.

Roberta segura a mão de Henrique.

ROBERTA

Vem comigo. Vou mostrar como a fundação está linda e muito maior do que a outra.

HENRIQUE

Agora não dá, princesa. Só passei aqui por sua causa.

ROBERTA

Não vai falar com a Cris?

HENRIQUE

Não, estou com pressa.

ROBERTA

Sabe que às vezes estranho algumas atitudes suas? Antes você amava a Fundação, não queria saber dos negócios da sua família porque tinha vontade de ensinar música para as crianças, e agora… tudo mudou. Você nem toca mais piano ou violão.

HENRIQUE

O psicólogo me explicou que algumas mudanças de comportamento que tive foi do trauma por causa do sequestro.

ROBERTA

(abraça Henrique) Verdade, meu amor, mas não vamos lembrar disso. Não quero que você fique mal. (sorri) Eu fiz a última prova do meu vestido de noiva. Ficou perfeito!

HENRIQUE

(sorri) Não vejo a hora de te ver usando ele.

CRISTINA

(entra) Não sabia que você estava aqui, Flávio.

HENRIQUE

Estou de saída.

Henrique beija Roberta e vai saindo. Para, volta e olha Cristina.

HENRIQUE

Não se esqueça do nosso compromisso à noite, mamãe.

Henrique sai. Cristina fica pensativa e preocupada.

ROBERTA

Está tudo bem, Cris?

CRISTINA

Está, querida. Só estou um pouco cansada.

Cena 7/Apartamento de Edgar/Sala/Int./Dia.

Edgar está sentado, surpreso com Taís.

EDGAR

Você está falando da minha filha Roberta?

TAÍS

É, meu irmão… O destino apronta coisas inacreditáveis. Você adotou e cuidou da sua sobrinha esse tempo todo.

Edgar se levanta, um pouco inquieto.

EDGAR

Me explica isso direito, Taís. Você simplesmente desaparece anos sem dar notícias e agora volta falando que a Roberta é sua filha e que você a abandonou na porta da Fundação.

TAÍS

Quando ela nasceu, não sabia o que fazer. Fiquei com vergonha de contar tudo o que aconteceu.

EDGAR

Eu teria te ajudado! Taís, o que você fez é algo muito errado. Você acha que a Roberta vai entender tudo isso e te aceitar?

TAÍS

O perdão dela é tudo o que mais quero, Edgar. Eu acompanhei a vida dela de longe. Agora ela vai se casar e quero estar presente nesse momento tão importante da vida dela.

EDGAR

Você não faz ideia de como teve outros momentos que ela precisou de uma mãe. A sorte é que Cristina me ajudou.

TAÍS

(se levanta) Eu sei e lamento tudo isso. Realmente estou arrependida e vim disposta a conhecer melhor minha filha. Quando for o momento certo, eu direi a verdade a ela.

EDGAR

Nada disso, Taís. Você vai contar pra ela hoje. Eu não quero esconder isso da Roberta.

TAÍS

Edgar/

EDGAR

Eu vou chamar a Roberta aqui e você vai contar que é mãe dela.

Taís fica pensativa e com receio.

Cena 8/Grupo Werneck/Sala de Régis/Int./Dia.

Ágata se afasta de Régis e sorri para Janete.

ÁGATA

Calma, mamãe. Eu estava abraçando o tio Régis porque seu namorado o deixou nervoso.

RÉGIS

(se senta) Qualquer dia eu perco a cabeça, e Miguel perde os dentes.

ÁGATA

(sorri) Vai ser engraçado ver ele sem dentes. Bem, eu vou até minha sala terminar a campanha que Glauco me pediu, e fica calmo, tio Régis. Não vale a pena se estressar por causa do Miguel.

Ágata pisca para Régis, olha Janete e sorri. Sai da sala. Janete encara  Régis.

JANETE

Não gosto de te ver abraçando à minha filha, e tenho certeza que Cristina não vai gostar de saber disso.

RÉGIS

Janete, foi como Ágata falou. Ela me abraçou para que eu me acalmasse, e, se você quer contar isso para a Cris, pode contar porque não foi nada demais.

JANETE

Sei…

RÉGIS

O que você quer comigo, afinal? Fala logo, que estou ocupado.

JANETE

Há um problema em uma de nossas lojas. O gerente está destratando clientes e funcionários, e recebemos algumas queixas.

Janete coloca um papel na mesa de Régis, que pega o papel e lê.

RÉGIS

Eu vou até lá. Se era só isso, pode se retirar.

JANETE

(sorri) Está com raiva de mim?

RÉGIS

Sempre estive, e você sabe muito bem.

JANETE

Pelo menos é algum sentimento por mim. Você sabe que sou apaixonada por você há anos.

Régis se levanta, vai saindo e fala firme com Janete.

RÉGIS

Eu nunca mais quero ouvir isso, porque vou ser obrigado a contar para Cristina.

Régis sai. Janete fica com raiva.

Cena 9/Rio de Janeiro/Favela/Cativeiro de Flávio/Int./Dia.

Flávio está aflito. Daniela entra. Flávio se aproxima dela rapidamente.

FLÁVIO

Daniela, você tem que me ajudar. Henrique vai se casar com Roberta, e isso não pode acontecer!

DANIELA

(chateada) Você ainda a ama, não é?

Flávio se acalma e se afasta de Daniela.

FLÁVIO

Amo… O que sinto por ela não acaba da noite para o dia, e eu preciso ajudar ela antes que seja tarde.

Daniela fica com vontade de chorar.

DANIELA

Eu achei que todo esse tempo que a gente passou junto tivesse feito você se esquecer dela. Eu tive a ilusão que você estava gostando de mim.

Flávio se aproxima e segura a mão de Daniela.

FLÁVIO

Eu gosto de você e muito, Daniela.

DANIELA

Mas não é amor; pelo menos não o que você sente por ela, eu sei…

FLÁVIO

Eu preciso que você avise para Roberta que não sou eu e sim Henrique. Liga pra ela, por favor.

DANIELA

(enxuga as lágrimas) Dessa vez não posso fazer nada para te ajudar, Flávio. Sinto muito.

Daniela sai. Flávio vai atrás, mas a porta está trancada. Flávio fica nervoso.

FLÁVIO

Daniela! Volta aqui!… Droga!… Quando eu voltar pra casa e achar que algo é ruim, vou me lembrar de tudo que passo aqui. Tenho certeza que nada se compara a isso!

Cena 10/São Paulo/Apartamento de Edgar/Sala/Int./Noite.

Taís está sentada. Edgar abre a porta para Roberta. Taís se levanta. Roberta entra, abraça Edgar e sorri.

ROBERTA

Desculpa a demora, papai, mas só consegui sair da Fundação agora. Está tudo pronto para amanhã.

EDGAR

Não tem problema, minha filha.

Taís olha Roberta. Edgar segura a mão de Roberta e coloca a moça de frente para Taís.

EDGAR

Roberta, eu te chamei aqui porque quero te apresentar uma pessoa. Essa é Taís, minha irmã.

Roberta sorri para Taís.

ROBERTA

Já ouvi falar de você, É um prazer te conhecer.

TAÍS

Digo o mesmo. Queria muito te conhecer.

EDGAR

Minha filha, Taís tem uma coisa para te contar e, acredite, eu só fiquei sabendo hoje.

ROBERTA

O que é?

Taís não tem coragem de falar e olha Edgar.

EDGAR

Conta, Taís, porque, se você não contar, eu vou.

Roberta observa atenta. Taís a olha e se emociona.

TAÍS

Roberta, eu não queria te falar sem antes me aproximar de você, mas Edgar insiste para que eu te conte agora que você… é minha filha.

Roberta se surpreende; está com vontade de chorar.

Cena 11/Motel/Corredor/Int./Noite.

Cristina e Henrique saem do elevador. Henrique se aproxima da suíte de Ágata e Régis e pega uma chave para abrir a porta. Cristina está triste e nervosa. Henrique a olha e sorri.

HENRIQUE

Então, Cristina… Preparada?

CRISTINA

Não. Estou torcendo para Régis não estar ai.

HENRIQUE

Mas ele está e com a Ágata. Agora fica quietinha, se não o flagrante já era.

Cena 12/Motel/Suíte/Int./Noite.

Ágata e Régis estão fazendo amor. Henrique abre a porta, entra na frente de Cristina e sorri ao ver Ágata e Régis juntos. Cristina entra e chora ao ver o marido e a sobrinha na cama. Henrique aplaude, e só então Ágata e Régis veem Cristina e Henrique. Ágata se cobre com o lençol. Régis pede perdão a Cristina com o olhar.

HENRIQUE

(sorrindo) Eu não falei, Cristina? Régis te trai com Ágata.

Cristina está inconsolável. Fecha os olhos como se estivesse sentindo dor.

Fim do Capítulo

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

  • Oie. Estou de volta acompanhando. Ontem e hoje coloquei em dia hehe. A trama está cada vez mais surpreendentemente boa. Este final foi de lascar! Parabéns pela escrita que flui quando a gente lê!

  • >