Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Falso Amor – Capítulo 29

Novela de Débora Costa

Escrita Por

Débora Costa

Colaboração

Tainá Andaluz

Revisão de Texto

Marcelo Delpkin

Direção Artística

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber TV

Personagens no capítulo

ÁGATA

BRUNO

CRISTINA

EDGAR

HENRIQUE

JANETE

LUCIANO

MIGUEL

RÉGIS

ROBERTA

SILVIA

SUELI

TAMARA

 

 Cena 1/Int./Mansão Werneck/Sala/Noite.

Régis está sentado no sofá, bebendo. Silvia desce as escadas e se aproxima.

SILVIA

Meu filho, não acredito que você está aqui, bebendo a essa hora. O que aconteceu?

RÉGIS

E você ainda pergunta? Cristina não quer mais saber de mim.

Silvia se senta ao lado de Régis.

SILVIA

Régis, há males que vêm para bem, querido. Essa mulher sempre foi um atraso na sua vida. Aproveita essa oportunidade e se separa dela de uma vez. Você merece uma mulher à sua altura.

RÉGIS

Quando você vai entender que eu amo a Cristina? Ela é a mulher que eu preciso ter ao meu lado.

SILVIA

Se amasse tanto como diz, não teria ficado com a Ágata.

Régis fica nervoso e se levanta.

RÉGIS

É diferente! Aquela vadia soube me seduzir. Eu cai na teia dela, mamãe!

SILVIA

Régis, não vem com essa, porque não cola meu filho. Assuma que você se sentiu atraído por Ágata, que a sua culpa dói menos. Seja honesto consigo mesmo.

RÉGIS

Quando você quer, você se torna insuportável, sabia?

Régis pega a garrafa de bebida e sobe as escadas.

SILVIA

Não posso fazer nada se a verdade dói.

Cena 2/Dia Seguinte/Int./Apartamento de Roberta/Sala de Jantar/Dia.

Roberta e Henrique estão tomando café da manhã.

ROBERTA

Você tem certeza que está bem, meu amor?

HENRIQUE

Tenho, princesa. Se bem que eu estaria melhor se você tivesse me deixado dormir com você.

Henrique sorri. Roberta sorri sem graça.

ROBERTA

Falta pouco para nosso casamento, Flávio. O fim de semana já está chegando.

HENRIQUE

Eu sei, princesa. Você sabe que sempre te apoiei nisso. Foi uma decisão nossa. Pena que a Ágata tenha me dopado para transar comigo.

ROBERTA

(surpresa) Então foi a Ágata e não a amiga dela?

HENRIQUE

Foi. Você não sabia?

Roberta se levanta nervosa.

ROBERTA

Claro que não! Ela me disse que tinha sido uma amiga dela! Por que você me escondeu isso todo esse tempo?

HENRIQUE

Fica calma, princesa. Eu e minha boca grande.

ROBERTA

(chora) Eu não posso acreditar que ela tenha feito isso comigo, Ágata é como uma irmã pra mim.

Henrique se levanta e se aproxima de Roberta.

HENRIQUE

Abre o olho, porque só você a considera uma irmã. Ela nunca te viu assim.

ROBERTA

Ela vai se haver comigo!

O celular de Roberta toca. Ela pega o aparelho, vê que é Bruno ligando e atende.

ROBERTA

Oi, Bruno. (tempo; fica sem reação) Quando foi isso? Como ela está? (tempo) Eu sinto muito, Bruno. Eu vou ter quer ir até a Fundação, mas passo aí com certeza. Até logo. (desliga)

HENRIQUE

O que aconteceu?

ROBERTA

Ágata sofreu um acidente e está entre a vida e a morte no hospital.

Roberta fica triste. Henrique não dá importância, mas abraça Roberta.

Cena 3/Int./Hospital/Sala de Espera/Dia.

Bruno e Luciano estão sentados, preocupados. Edgar entra aflito e preocupado; se aproxima.

EDGAR

Eu quero ver a Ágata. Onde ela está?

Bruno e Luciano se levantam.

BRUNO

Calma, papai. Os médicos não me falaram muita coisa. O que eu sei é que ela está passando por uma cirurgia agora.

EDGAR

(chora) Como isso aconteceu?

LUCIANO

Não sabemos exatamente, mas ela bebeu muito na balada.

BRUNO

Eu estava quase chegando em casa quando me ligaram e falaram que Ágata tinha batido o carro. Vim direto pra cá.

EDGAR

Vocês já avisaram para a Janete?

BRUNO

Eu tentei, mas o celular dela está desligado e em casa ninguém atende. Eu deixei um recado.

Edgar se senta triste.

EDGAR

Minha filha não pode morrer assim…

Cena 4/Int./Fundação Frederico Werneck/Sala de Cristina/Dia.

Cristina entra acompanhada por Sueli.

CRISTINA

Eu fiz muito bem em vir aqui, Sueli. Essas crianças sempre me deram força.

SUELI

Pra mim também, Cris. Estar com elas é estar um pouco perto do meu filho.

CRISTINA

Você não teve mais notícias do detetive?

SUELI

Não. Parece que, depois da morte do Frederico, ele parou de investigar.

CRISTINA

Eu tenho certeza que em breve você irá ter seu filho bem perto de você.

PROFESSORA

(entra) Oi, Cris, desculpa interromper, mas eu estou precisando de ajuda. Até agora só eu cheguei, e as crianças estão a mil.

CRISTINA

Só você? A Roberta não está ai?

PROFESSORA

Não, nem Bruno e Luciano chegaram.

CRISTINA

Que coisa estranha! Será que aconteceu alguma coisa?

Roberta entra acompanhada de Henrique.

ROBERTA

Desculpa o atraso, Cris.

Cristina olha o rosto de Henrique machucado, fica preocupada e se levanta.

CRISTINA

O que aconteceu com você? Está tudo bem?

HENRIQUE

Fui assaltado.

SUELI

(se levanta; à professora) Eu vou te ajudar até Roberta ir para a sala dela. (a Cristina) Com licença.

Sueli sai com a professora. Cristina se aproxima de Henrique e tenta acariciar o rosto dele. Henrique disfarça e se afasta.

CRISTINA

Você está bem?

HENRIQUE

Estou ótimo. Só vim trazer a Roberta. Tenho que resolver umas coisas agora.

ROBERTA

Obrigada por me trazer, meu amor.

HENRIQUE

Não precisa agradecer, princesa.

Henrique beija Roberta, vai saindo, olha Cristina e sorri um pouco.

HENRIQUE

(sarcástico) Aliás, mamãe… A Fundação ficou muito melhor aqui. Só toma cuidado para não ter outro incêndio.

Henrique sai. Cristina vê que Roberta está triste.

CRISTINA

Está tudo bem, Roberta?

ROBERTA

Não, Cris. Estou triste por algo que aconteceu, mas não vem ao caso agora. É melhor eu ir dar aula.

CRISTINA

Minha querida, você não confia mais em mim? Sabe que pode sempre contar comigo, e, se você não estiver bem, não tem problema se for embora.

ROBERTA

Claro que confio em você, Cris.

CRISTINA

Não se sinta pressionada a contar, meu amor, mas, qualquer coisa, conte comigo.

ROBERTA

Cris… Ágata sofreu um acidente de carro e está muito mal no hospital.

Cristina fica sem reação e se senta.

CRISTINA

Não sei o que dizer, Roberta. Ela me fez sofrer muito, mas é minha sobrinha, e sempre tive carinho por ela.

ROBERTA

Sei bem como você se sente, Ágata aprontou comigo também, e lamento muito o que aconteceu com ela.

Cena 5/Int./Motel/Suite de Janete e Miguel/Dia.

Janete e Miguel estão se arrumando para sair.

MIGUEL

Hoje o dono de alguns terrenos que quero comprar para o grupo Werneck ficou de aparecer por lá. Só não falou o horário.

JANETE

Odeio quando isso acontece.

Janete liga o celular. Vê que Bruno ligou muitas vezes, ouve o recado que ele deixou e desliga o celular. Respira fundo e fica séria.

MIGUEL

Janete, está tudo bem?

JANETE

(fria) Bruno me deixou um recado falando que Ágata sofreu um acidente e  que está entre a vida e a morte no hospital.

MIGUEL

E você fala isso assim? Como se fosse qualquer pessoa e não sua filha?

JANETE

E daí? Ela está colhendo o que plantou. Não estou nem aí pra ela, e vamos logo, se não vamos nos atrasar.

Miguel fica espantado com a frieza de Janete.

MIGUEL

Eu não sou perfeito. Odiei meu irmão por ele se envolver com a mulher que eu amava. Tenho meus defeitos, mas essa sua atitude é de dar medo.

Janete sorri pega a sua bolsa.

JANETE

Isso é bom. Vai te fazer pensar muito bem se um dia resolver armar contra mim.

Janete sai. Miguel fica sério e pensativo. Sai em seguida.

Cena 6/Int./Hotel/Quarto de Tamara/Dia.

Tamara está fazendo as malas. Batem à porta. Ela abre, e Henrique entra. Tamara o olha assustada. Henrique fecha a porta e encara Tamara.

HENRIQUE

Oi, Tamara Julia.

TAMARA

Como tu me achou?

HENRIQUE

Depois do que você fez, te acharia até no inferno.

Tamara está com medo e começa a se afastar de Henrique.

TAMARA

Não fiz nada.

Henrique segura Tamara pelo pescoço.

HENRIQUE

Você abriu o bico pro Glauco! Contou que eu não sou Flávio, e ele foi me ameaçar!

Tamara tenta tirar a mão de Henrique do seu pescoço.

TAMARA

Agora duvido tu casar com a princesinha.

Henrique dá um tapa no rosto de Tamara e aperta o pescoço dela.

HENRIQUE

Você é muito burra mesmo, periguete! Sabe o que aconteceu com o Glauco? Ele morreu. Eu acabei com ele e agora vai ser a sua vez!

Tamara chora. Está desesperada.

TAMARA

Tu não pode fazer isso comigo.

Henrique aperta mais o pescoço de Tamara, que começa a tossir.

HENRIQUE

Já estou farto de você! Não sabe guardar segredo, então vai ser obrigada a levar isso para o buraco aonde você vai!

Tamara começa a ficar fraca e olha Henrique nos olhos.

TAMARA

Eu te amo…

Henrique joga Tamara no chão. Ela tosse muito, recuperando o ar.

HENRIQUE

Vou te dar a última chance, Tamara. Você aceita a grana que vou te dar e some daqui e da favela para sempre. Esquece toda essa história, se não vou te matar, e você sabe que eu faço.

Tamara se levanta do chão, chorando.

TAMARA

Tu não sabe o quanto de amor tenho aqui sem tu merecer.

HENRIQUE

Eu nunca te amei e nem a ninguém, mas agora eu amo a Roberta. Esse sentimento é novo pra mim, e só ela desperta isso. Então, Tamara, aproveita a chance que estou te dando e some daqui.

TAMARA

Eu vou, Henrique. Nunca mais tu vai saber de mim, pode ter certeza.

HENRIQUE

Ótimo.

Henrique abre a carteira e entrega um cartão para Tamara.

HENRIQUE

Pega isso. Com ele você vai poder tirar o dinheiro que vou depositar pra você.

Tamara pega o cartão.

TAMARA

Tu não vai ser feliz, sabia? Nem com ela e nem com ninguém. Tu não merece. (pega as malas e chora) Só quero uma coisa antes de sumir da tua vida: um beijo.

Henrique se aproxima de Tamara e a beija com desejo.

HENRIQUE

Não volta mais e nem me ameace.

TAMARA

Pode deixar. Sei do que tu é capaz… Adeus.

HENRIQUE

Eu vou te levar até a rodoviária, aeroporto ou seja lá o que for. Quero ter certeza que você realmente vai embora.

Tamara e Henrique saem do quarto.

Cena 7/Int./Fundação Frederico Werneck/Sala de Cristina/Dia.

Silvia entra e encara Cristina.

SILVIA

Quero falar com você.

CRISTINA

Estou ocupada, Silvia, agora não dá.

SILVIA

Eu te aturei durante anos. Acho que alguns minutos do seu tempo não vão ser nada.

CRISTINA

O que você quer?

SILVIA

Você e Régis vão se divorciar. Quero que fique claro que vou fazer de tudo para que você não fique com um só centavo do que nos pertence.

CRISTINA

Você pode ficar tranquila, porque a única coisa que quero de Régis é a separação. Não quero o seu dinheiro. Nunca quis, Silvia.

SILVIA

Ótimo. Pelo menos você é sensata.

CRISTINA

Se era só isso, você pode se retirar.

SILVIA

É bom saber que nunca mais vou ter que olhar pra essa sua cara de sonsa.

Silvia sai. Cristina respira fundo e se senta.

Cena 8/Mais Tarde/Int./Hospital/Quarto de Ágata.

Ágata está deitada, com aparelhos ligados em seu corpo. Edgar entra, se aproxima e chora. Beija a testa de Ágata e sai do quarto.

Cena 9/Int./Hospital/Sala de Espera.

Edgar se senta. O celular toca, e ele atende.

EDGAR

Alô?

POLICIAL

(V.O.) Senhor Edgar Barreto?

EDGAR

Sim, sou eu mesmo. Quem fala?

POLICIAL

(V.O.) Sou da policia. O senhor conhece Glauco Barreto?

EDGAR

É meu irmão. Olha, seja lá o que ele aprontou, não quero saber. No momento estou no hospital porque minha filha está internada.

POLICIAL

(V.O.) O seu irmão está morto.

EDGAR

(incrédulo) Como?

POLICIAL

(V.O.) Acabamos de encontrar o corpo de Glauco Barreto em uma mata.

Edgar deixa o celular cair. Bruno se aproxima e fica preocupado.

BRUNO

O que foi, papai?

EDGAR

(as lágrimas escorrem) Glauco está morto.

Fim do capítulo

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo