Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Falso Amor – Capítulo 32

Novela de Débora Costa

Escrita Por

Débora Costa e Tai Andaluz

Revisão de Texto

Marcelo Delpkin

Direção Artística

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber TV

Personagens no capítulo

ÁGATA

BRUNO

CRISTINA

DANIELA

EDGAR

ELISA

FLÁVIO

GILBERTO

HENRIQUE

JANETE

LUCIANO

MIGUEL

PARCEIRO

RÉGIS

ROBERTA

SILVIA

SUELI

TAÍS

TICO

Cena 1/Int./Hospital/Corredor/Dia.

Edgar e Janete saem da UTI. Janete está com raiva, e Edgar nervoso.

EDGAR

Você perdeu a cabeça assim por quê, Janete? Tentar matar a própria filha!

JANETE

Ágata é um erro. Não deveria ter nascido!

EDGAR

Eu não quero mais que você venha aqui, entendeu? Deixa minha filha em paz.

JANETE

Ela tirou a minha paz, Edgar! A vida toda, só me trouxe problemas.

EDGAR

Eu sei por que você está assim. Ágata ficou com seu grande amor, esse amor por Régis que tira sua razão.

JANETE

Ela fez de propósito. Quis me provar que seria capaz de conquistar Régis.

EDGAR

(grita) Já chega, Janete!

Bruno e Luciano se aproximam.

EDGAR

O que você sente por Régis é doentio! Ele nunca vai olhar pra você porque ele é casado com a Cristina. Se Ágata o seduziu propositalmente, ele caiu numa armadilha, o que não tira a culpa dele, mas, pelo que eu sei, Régis ama Cristina!

Janete chora de raiva e encara Edgar.

JANETE

E eu a odeio por isso.

Janete sai. Bruno se aproxima de Edgar.

BRUNO

O que está acontecendo, papai?

EDGAR

Janete e Ágata brigaram.

LUCIANO

Eu posso ver a Ágata?

EDGAR

Pode sim. Vai ser bom pra ela falar com um amigo.

Luciano entra na UTI. Edgar se senta. Está cansado. Bruno se senta ao lado dele.

EDGAR

Cristina precisa saber que a maior inimiga dela é Janete.

Cena 2/Int/Hospital/UTI/Dia.

Luciano se aproxima da cama de Ágata.

LUCIANO

Oi, como você está?

ÁGATA

Essa sua pergunta chega a ser idiota. Estou derrotada, sem andar e, ainda por cima, Janete me bateu e tentou me sufocar até a morte.

Luciano se senta em uma cadeira ao lado da cama de Ágata e segura a mão dela.

LUCIANO

Vai ficar tudo bem, Ágata, você vai ver.

Ágata solta a mão de Luciano, vira o rosto para o lado em que ele não está.

ÁGATA

Não preciso da sua piedade e nem de incentivos. Nem sei por que você está aqui.

LUCIANO

Eu estou aqui porque te amo, Ágata. Sempre te amei.

ÁGATA

(olha Luciano) O amor não existe, Luciano. Eu não acredito nele. Quando fiquei com você foi só para curtir. Por isso te humilhei em público e te traí. Porque eu não dou a mínima para ninguém.

LUCIANO

Sabe que eu acho, Ágata? Que você tem medo de amar, medo de que alguém te machuque.

ÁGATA

(sorri) Isso é ridículo, sabia? Não tenho medo de amar. Eu não tenho amor, é bem diferente.

Luciano sorri e segura a mão de Ágata.

LUCIANO

Você pisou em mim, me humilhou, me trata mal, faz de tudo para me manter bem longe de você, mas eu não consigo porque te amo.

ÁGATA

Se isso é verdade, você está amando a pessoa errada.

LUCIANO

Isso vamos ver… Eu quero estar perto de você, Ágata, e não é por pena, mas sim por amor.

ÁGATA

Eu deixo você ficar perto de mim se parar de falar que me ama.

LUCIANO

Combinado então.

ÁGATA

Eu preciso de um favor, Luciano… Quero falar com a tia Cris. Você pode dizer isso a ela?

LUCIANO

Claro, mas hoje não vai dar. É o casamento do Flávio.

ÁGATA

Que seja amanhã, então, mas eu preciso muito falar com ela.

Cena 3/Int./Mansão Werneck/Suíte de Henrique/Dia.

Flávio está sentado em uma poltrona com a mão na nuca. Henrique está fumando. Parceiro entra.

HENRIQUE

Já era hora de você chegar. Leva esse otário daqui. Não deixa ele falar com ninguém. Leva minha arma.

FLÁVIO

Henrique, ela não merece ser enganada assim. É só isso que peço que você entenda.

HENRIQUE

E eu quero que você entenda que eu não estou nem aí pro que você fala.

Cristina entra, e  Flávio a abraça.

FLÁVIO

Não se preocupe comigo, mamãe. Eu vou ficar bem.

Henrique separa Flávio de Cristina e a segura pelo braço.

HENRIQUE

Parceiro, você está esperando o quê para levar esse cara daqui?

PARCEIRO

Vou levar agora, pode deixar.

Parceiro segura Flávio pelo braço e sai com ele.

CRISTINA

Henrique, deixa ele ficar. Vocês são irmãos. Eu nunca te dei. Vamos descobrir tudo o que aconteceu.

HENRIQUE

Fica quieta! Eu já disse que não acredito em você! Vivi todo esse tempo naquela maldita favela por sua causa!

CRISTINA

Alguém disse pro Gilberto/

HENRIQUE

Não me interessa, Cristina. Agora eu preciso começar a me arrumar pro casamento com a minha princesa e te sugiro fazer o mesmo.

Henrique solta o braço de Cristina.

CRISTINA

Está bem, Henrique. Não adianta eu ficar aqui batendo na mesma tecla se você não acredita em mim, mas, em relação a Roberta, eu acredito no seu amor por ela e é sabendo disso que acho que você deve contar a verdade o mais breve possível, porque, ao invés de ter o amor dela, você vai ter o ódio.

Cristina sai. Henrique fica sério, acende um cigarro e fuma.

HENRIQUE

Por mim Roberta nunca vai descobrir a verdade. Se bem que quero que ela me ame como Henrique e não como esse otário do Flávio.

Cena 4/Int./Mais Tarde/Apartamento de Sueli/Sala/Dia.

A campainha toca. Sueli abre a porta para Régis e Cristina. Sueli fica surpresa.

SUELI

Vocês aqui? Aconteceu alguma coisa?

CRISTINA

Nós temos uma surpresa para você.

Sueli sorri sem entender. Tico sai de trás de Régis. Sueli sorri.

SUELI

Oi!

TICO

Você é a minha mãe?

Sueli fica emocionada e olha surpresa para Régis e Cristina.

RÉGIS

Sueli, hoje Flávio apareceu em casa e trouxe esse menino que se chama Tico e morava na favela em que o prenderam.

Sueli chora sem acreditar.

SUELI

Vocês estão me falando que esse é o meu filho?

CRISTINA

(emocionada) Sim, minha amiga. Tudo indica que esse menino é o seu filho.

Sueli abraça Tico e chora.

SUELI

Não acredito nisso! Você não sabe o quanto eu te procurei, meu filho.

Sueli acaricia o rosto de Tico.

TICO

Você é bonita.

SUELI

(sorri) Obrigada. Você também é, meu amor.

RÉGIS

Sueli, eu queria trazer ele aqui só depois de ter o resultado do exame que vamos fazer, mas a minha mãe o viu e está furiosa. Achei melhor deixar ele com você.

SUELI

Claro. Eu não vou desgrudar dele um minuto.

CRISTINA

Eu tenho certeza que ele é seu filho, Sueli, você vai ver.

SUELI

(sorri feliz) Eu também Cris.

Sueli abraça Tico.

Cena 5/Rio de Janeiro/Int./Favela/Cativeiro de Flávio/Dia.

Flávio está preso com uma corrente no tornozelo, deitado no chão. Gilberto está batendo nele. Daniela entra, fica desesperada, corre até Gilberto e o segura.

DANIELA

Gilberto, para com isso! Olha como ele está.

GILBERTO

Que morra! Playboy maldito!

Gilberto chuta Flávio. Daniela empurra Gilberto para longe de Flávio; está desesperada.

DANIELA

Sei que não é grande coisa, mas por mim, Gilberto. Para de bater nele assim.

GILBERTO

Presta atenção, Flávio. Você vai ficar sem comer até a hora que eu quiser entendeu!

Gilberto sai. Daniela se abaixa para ver como Flávio está. Ele está fraco e muito ferido.

DANIELA

Meu amor, fala comigo. Como você está?

Flávio quase não tem força para olhar e falar com Daniela.

FLÁVIO

(fraco) Liga para Roberta… Conta a verdade pra ela.

DANIELA

Você não conseguiu falar com ela?

FLÁVIO

Não… Por favor, liga pra ela.

DANIELA

Eu ligo, mas é melhor você poupar energia, Flávio.

Flávio tira um papel do bolso e entrega para Daniela.

FLÁVIO

Esse é o numero dela… Liga.

DANIELA

Eu ligo, pode deixar. Vou dizer pro Gilberto que vou até a farmácia comprar curativos para você e ligo.

FLÁVIO

Obrigado.

Daniela beija Flávio.

DANIELA

Não demoro.

Daniela sai. Flávio fecha os olhos.

Cena 6/São Paulo/Int./Buffet/Dia.

Henrique entra, já arrumado para o casamento. Elisa se aproxima, sorridente.

ELISA

Você está lindo, Flávio.

HENRIQUE

(sorri) Obrigado, Elisa. Estou muito ansioso para ver Roberta.

ELISA

Eu também.

HENRIQUE

Quem mais já chegou?

ELISA

Janete e Miguel.

HENRIQUE

Meus pais ainda não chegaram?

ELISA

Eles foram deixar o menino na casa da Sueli antes de vir para cá.

HENRIQUE

Que menino?

ELISA

Não entendi direito. Só sei que o menino se chama Tico e é o filho que a Sueli procurava faz tempo.

Henrique se admira e sorri um pouco.

HENRIQUE

Quem diria?

Janete se aproxima, encara Henrique e sorri.

JANETE

Então, Flávio? Finalmente chegou o dia do seu casamento.

ELISA

Com licença, vou ligar pro Bruno e saber se ele vem.

Elisa sai. Henrique sorri.

HENRIQUE

Vou pedir para você guardar o seu sarcasmo, Janete.

JANETE

Francamente, não sei o que Flávio e você viram nessa sem graça. Sabia que Cristina chorou muito tempo por causa da briga que vocês tiveram. Coitada da minha irmã, você está sendo muito cruel com sua mãe.

HENRIQUE

Estou me lixando pra ela.

Henrique se afasta de Janete, que sorri.

JANETE

Eu também, Henrique.

Cena 7/Ext./Buffet/Dia.

Régis e Cristina descem do carro. Henrique se aproxima.

HENRIQUE

Ainda bem que encontrei vocês antes que entrassem.

RÉGIS

Veio nos contar que desistiu de se casar com a noiva de Flávio?

HENRIQUE

(sorri sarcástico) Agora Roberta é minha noiva e daqui a pouco será minha mulher. O que quero dizer é que Flávio está preso novamente, portanto portem-se bem, ou ele vai sofrer ainda mais. Quero os dois sorrindo e felizes durante a cerimônia e a festa.

CRISTINA

Como Flávio está?

HENRIQUE

Não te interessa, e presta atenção: você vai ter que me acompanhar até o altar. Vou ser obrigado a fingir que te amo e que estou feliz por isso, mas não se iluda: a cada segundo perto de você, te odeio mais.

RÉGIS

Escuta aqui/

CRISTINA

Não brigue, Régis. Eu entendi, Henrique. Pode ficar tranquilo, porque nada vai sair errado.

HENRIQUE

Ótimo.

Henrique entra no buffet.

CRISTINA

Não sei mais o que fazer, Régis. Parece que isso nunca vai ter fim.

RÉGIS

(abraça Cristina) Vai sim, meu amor, você vai ver.

Cena 8/Mais Tarde/Int./Buffet/Noite.

Começa a cerimônia do casamento de Roberta e Henrique. Cristina entra acompanhando Henrique, que sorri para todos ao chegar no altar. Henrique finge sorrir para Cristina, beija a testa dela e fala em seu ouvido.

HENRIQUE

Acredite: fazer isso foi um sacrifício.

Cristina fica chateada e vai para o lado de Régis no altar. Entram os padrinhos e as damas de honra. Roberta está nervosa e feliz à porta, de braço dado com Edgar.

ROBERTA

Papai, obrigada por ter vindo. Sei que Ágata está precisando de você.

EDGAR

Não tem o que agradecer, minha filha. Ágata não ficou sozinha. Luciano está com ela.

ROBERTA

Vamos entrar, papai.

Roberta sorri e entra no buffet acompanhada por Edgar. Todos a admiram. Roberta olha Henrique; sorri feliz e emocionada. Henrique sorri para Roberta assim que ela chega ao altar. Edgar beija o rosto de Roberta e vai para o lado dos padrinhos dela.

HENRIQUE

Você está linda, meu amor.

ROBERTA

(sorri) Você também está lindo, Flávio.

Henrique não gosta de ouvir Roberta chamando-o de Flávio, mas disfarça e sorri; posiciona-se com ela à frente do juiz. Este começa a cerimônia. Cristina está triste. Janete a observa e sorri com o sofrimento da irmã. Silvia está detestando estar ali. Miguel está pensativo. Elisa e Bruno estão felizes pelo casal. Taís admira a filha. Chega a hora da troca das alianças. Roberta e Henrique estão felizes. Já casados, se beijam.

Fim do Capítulo

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo