Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Falso Amor – Capítulo 36

Novela de Débora Costa

Escrita Por

Débora Costa 

Revisão de Texto

Marcelo Delpkin

Direção Artística

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber TV

Personagens no capítulo

ÁGATA

BRUNO

CRISTINA

DANIELA

ELISA

GILBERTO

HENRIQUE

JANETE

LUCIANO

MIGUEL

RÉGIS

ROBERTA

SILVIA

Cena 1/Int./Grupo Werneck/Sala de Janete/Dia.

Henrique, nervoso, segura Janete pelos braços.

HENRIQUE

Vamos, Janete, fala! Eu ouvi você falando com Gilberto! Você disse que tirou um filho da Cristina!

Janete se solta de Henrique, se levanta e se afasta.

JANETE

Você está ouvindo muito mal. Não conheço nenhum Gilberto.

Henrique pega o celular de Janete e vê o número de Gilberto registrado nos contatos.

HENRIQUE

Não conhece e tem o telefone dele? Eu exijo que você conte o que tem com ele, mas você vai fazer isso na frente da Cristina!

Janete dá risada e se senta.

JANETE

Definitivamente você está louco rapaz.

Henrique segura o braço de Janete e a levanta da cadeira.

HENRIQUE

Você ainda não viu nada!

Henrique sai levando Janete à força.

Cena 2/Rio de Janeiro/Int./Favela/Barraco de Gilberto/Dia.

Gilberto está preocupado e pensativo. Daniela entra.

DANIELA

Que cara é essa? Aconteceu alguma coisa?

GILBERTO

Eu estava falando com a Janete. Ouvi a voz do Henrique, e a ligação caiu.

DANIELA

Isso não tem nada demais.

GILBERTO

Tem sim. Se ele ouviu Janete me falando que tiramos ele da Cristina, que esse tempo todo eu menti, ele vai querer se vingar de mim.

DANIELA

E você está com medo dele?

GILBERTO

Você não teria, sabendo como Henrique age? Fala pra mim quantas pessoas que o enganaram aqui na favela estão vivas?

DANIELA

Nenhuma.

GILBERTO

Eu preciso estar preparado caso ele venha me procurar.

Cena 3/São Paulo/Int./Fundação Frederico Werneck/Pátio.

Bruno, Elisa, Luciano e Ágata estão conversando.

ÁGATA

Até que gostei desse lugar.

BRUNO

Nunca poderia te imaginar trabalhando aqui, Ágata.

ÁGATA

Nem eu, mas fazer o quê. Não posso reclamar de nada. É melhor tentar ser uma pessoa boa do que ficar causando mal às pessoas e recebendo castigo em dobro.

Luciano segura a mão de Ágata e sorri.

LUCIANO

E o que você vai fazer aqui?

ÁGATA

Acho que quero ensinar Artes. Sempre gostei.

ELISA

Gostei. O Luciano dá aula de Educação Física; Bruno, de música; você, Artes, e eu posso dar aula de Inglês.

Bruno beija Elisa e sorri.

BRUNO

Com você aqui, vai ser perfeito.

Régis se aproxima e olha Ágata com raiva.

RÉGIS

O que você está fazendo aqui?

ÁGATA

Agora eu vou fazer parte da Fundação. Vai ser comum a gente se encontrar, então pode tirar essa cara feia.

Régis ameaça ir para cima de Ágata, e Luciano o segura.

LUCIANO

Calma, Régis! Pode ficar tranquilo. Ágata está comigo.

RÉGIS

(sorri sarcástico) E daí? Pra ela isso não significa nada. Essa vagabunda quase destruiu meu casamento.

BRUNO

Eu não vou permitir que você fale assim da minha irmã.

ÁGATA

Obrigada, Bruno, mas eu sei me defender. Se eu sou vagabunda, você é o quê, Régis? Olha, eu não quero viver brigando com você. Minha tia me perdoou e me deu uma chance. Ela viu que estou sendo sincera. Não vou mais ser como era antes.

RÉGIS

Cristina ficou louca. Eu vou falar com ela.

Régis sai. Ágata fica chateada.

LUCIANO

Não entendo esse cara.

ÁGATA

Eu, sim. Ele está com esse ódio todo porque não resistiu, Luciano. Poderia ter sido qualquer mulher, e ele cairia na tentação. O ódio que Régis sente é dele mesmo.

Cena 4/Int./Mansão Werneck/Sala/Dia.

Cristina e Roberta estão sentadas no sofá.

ROBERTA

Meu Deus, Cris! Imagino o quanto você sofre com tudo isso.

CRISTINA

Sofri quando achei que meu filho estava morto; sofri quando o vi na minha frente, mas me odiando… não faço ideia de como fazer Henrique acreditar em mim e acabar com essa vingança sem sentido.

ROBERTA

Ele me usou nessa vingança, Cris… Me sinto tão mal. A vida toda, eu estava esperando para me casar com Flávio, que é meu amor; me guardei para ele…  (chora)

CRISTINA

Eu juro que queria te contar, Roberta, mas ele não deixou.

Henrique entra segurando Janete pelo braço. Cristina e Roberta se levantam assustadas. Janete olha Cristina e começa a chorar.

JANETE

Cris, ele perdeu o juízo! Me ajuda.

Henrique joga Janete no chão; está nervoso.

HENRIQUE

Conta pra Cristina o que você estava fazendo!

Cristina vai ajudar Janete a se levantar. Henrique a segura.

HENRIQUE

Você não vai ajudar ela! Ouve primeiro!

ROBERTA

Henrique, para de agir assim!

HENRIQUE

É até bom você estar aqui, princesa, porque pelo pouco que ouvi sei que Janete é a única que realmente pode contar a verdade sobre a minha história.

CRISTINA

Do que você está falando?

Janete se levanta, chora e abraça Cristina.

JANETE

Henrique está me acusando sem ter provas. Foi um mal entendido, Cris.

Henrique tira Janete de perto de Cristina, a segura e dá um tapa no rosto dela. Roberta fica assustada.

HENRIQUE

(grita) Minha paciência com você está acabando! Conta para Cristina com quem você estava conversado!

CRISTINA

(chora) Henrique, para com isso. Por favor, solta a Janete.

HENRIQUE

Cristina, você não faz ideia do que eu ouvi. Janete estava conversando com Gilberto.

Janete fica séria e pensativa, olhando Cristina.

HENRIQUE

(cont.) Ela estava rindo porque a Roberta se casou comigo e não com Flávio. Estava comemorando por ter tirado de você um filho!

Roberta fica admirada.

CRISTINA

Isso é verdade, Janete?

Janete encara Cristina. Henrique fica nervoso.

HENRIQUE

Claro que é verdade, Cristina! Eu ouvi! A Janete tem o número do Gilberto no celular dela!

Henrique puxa o cabelo de Janete. Régis entra.

HENRIQUE

(cont.) Fala, Janete! O que você fez?

Janete empurra Henrique e chora de raiva.

JANETE

(sem parar de encarar Cristina) Fui eu, Cristina! Eu tirei seu filho de você!

Cristina fica em choque. Régis se aproxima de Cristina. Roberta olha Henrique, que fica com vontade de chorar.

Cena 5/Int./Grupo Werneck/Sala de Miguel/Dia.

Silvia entra.

SILVIA

Miguel, que tanto você quer falar comigo?

MIGUEL

(sorri) Sente-se, Silvia.

SILVIA

Estou bem assim.

MIGUEL

Você quem sabe.

SILVIA

Fala o que você quer.

MIGUEL

Silvia, eu vi o testamento do Frederico.

SILVIA

E daí? Eu também vi.

MIGUEL

Me refiro ao novo que ele fez.

SILVIA

Novo?

Miguel sorri, pega uma pasta e joga em cima da mesa.

MIGUEL

Sim. Eu conversei com o advogado dele e descobri que Frederico estava passando os bens para que fosse dividido entre Régis e o filho que ele teve com a Sueli.

SILVIA

Ele morreu antes disso.

MIGUEL

A única coisa que faltava era a assinatura dele, mas como eu sou um irmão bacana, fiz um acordo com o advogado dele que sabia dessa vontade e assinei o testamento, afinal também sou um Werneck e concordei com a última vontade do meu irmão.

Silvia fica com raiva, pega a pasta, abre e começa a ler. Depois joga a pasta em Miguel.

SILVIA

Você só pode estar brincando!

MIGUEL

Não brinco com coisas sérias, cunhada. É oficial. Você não tem mais um centavo do que foi de Frederico. Vai ter que viver da caridade de Régis.

Silvia chora, vai pra cima de Miguel e bate nele.

SILVIA

Isso não vai ficar assim!

Miguel segura Silvia e a olha sério.

MIGUEL

A grande burrada da sua vida foi ter me contado que matou o amor da minha vida. Agora sai daqui!

Silvia está desesperada e chora.

SILVIA

Você não pode ter me deixado sem nada.

MIGUEL

Deixei, Silvia. Agora sai daqui, antes que eu chame os seguranças.

Silvia sai. Miguel sorri.

Cena 6/Int./Mansão Werneck/Sala/Dia.

CRISTINA

(chocada) Janete, eu não posso acreditar no que você disse.

Janete enxuga as lágrimas e encara Cristina com raiva.

JANETE

Você não acredita porque é uma sonsa! (ri e grita) Sonsa!

Henrique, Régis e Roberta ficam atentos no que Janete está falando.  Cristina chora.

JANETE

Cristina, você não sabe o quanto vai ser bom falar em alto e bom tom que eu te odeio! Odeio com todas as minhas forças!

CRISTINA

Eu nunca te fiz nada/

JANETE

Fez sim! Você nasceu! Cristina, a boazinha, inteligente, popular, queridinha de todo mundo… Daí eu me apaixonei pelo Régis, e quem ele escolheu? Você, sua maldita!

RÉGIS

Olha como fala com minha mulher!

JANETE

(nervosa) Eu quero que ela se exploda!

Cristina chora arrasada ao ver como a irmã a odeia. Janete sorri.

JANETE

Quando o Gilberto foi preso, eu fui até a cadeia e disse que você já tinha um caso com Régis, que você sempre o traiu, e ele, claro, acreditou. Eu tinha que acabar com sua felicidade, Cris… Essa felicidade que deveria ser minha! Quando você veio com aquele papinho de que com os gêmeos teria felicidade em dobro, já sabia como acabar com tudo. Procurei Gilberto novamente e disse que a vingança perfeita seria roubar um dos gêmeos e mentir que morreu.

HENRIQUE

(chora de raiva) Isso não está acontecendo!

JANETE

Mandei ele pegar o motivo da felicidade em dobro, ou seja, você, Henrique… ou Felipe, porque esse foi o nome que a Cristina te deu. Paguei o médico, que aliás eu matei para que ele não revelasse a verdade… e ele deu uma injeção que quem olhasse para o bebê juraria que ele estava morto… mas não estava. Daí o Gilberto o levou e fez a cabeça dele contra você, Cristina, e o motivo de tanta felicidade se tornou seu pior pesadelo. Você não sabe o quanto me dava prazer toda vez que você chorava no meu ombro, quando via Henrique te maltratando. Ver você sofrer me dava orgasmo de tanto prazer que sentia, Cristina. Sua sonsa! Todos foram marionetes nas minhas mãos para fazer você sofrer… Idiota!

Cristina dá um tapa no rosto de Janete. Está com raiva, transtornada.

CRISTINA

(grita) A vida toda, eu confiei em você! (dá mais um tapa) Eu te amava!

JANETE

E eu te odiava e te odeio!

Cristina vai pra cima de Janete. Bate nela e a derruba no chão. Ninguém se intromete. Henrique se senta e coloca as mãos na cabeça. Roberta o observa. Cristina bate sem parar em Janete.

CRISTINA

Maldita! Você roubou meu filho!

Régis tira Cristina de cima de Janete e abraça.

RÉGIS

Já chega, Cris! Se acalma!

Cristina chora inconsolável, abraçada a Régis. Roberta se aproxima.

ROBERTA

É melhor a Cris tomar algum remédio.

Janete se levanta. Está com o rosto machucado, nariz e boca sangrando. Henrique encara Janete.

HENRIQUE

O que Cristina fez foi pouco. Você e Gilberto manipularam a minha vida.

Henrique dá um tapa no rosto de Janete. Roberta se aproxima dele.

ROBERTA

Não vale a pena, Henrique.

HENRIQUE

Vale sim, princesa. Essa maldita e Gilberto vão me pagar!

Cristina olha Janete com ódio.

CRISTINA

Fora da minha casa! Nunca mais quero te ver.

JANETE

Você nunca vai ser feliz. Vou dar um jeito de Flávio morrer.

Janete sai e bate a porta. Cristina fica desesperada.

CRISTINA

Você acha que ela pode fazer algum mal contra Flávio?

Henrique está com vontade de chorar.

HENRIQUE

Eu vou buscar ele, Cristina.

CRISTINA

(chora) E agora, Henrique? Você acredita em mim?

Henrique começa a chorar e abaixa a cabeça. Cristina se aproxima e  segura a mão dele.

HENRIQUE

Eu fiz tanta coisa ruim, Cristina.

Roberta observa emocionada. Régis fica atento.

CRISTINA

Henrique, a única coisa que quero agora é um abraço seu… Você pode fazer isso?

Henrique abraça Cristina. Ambos choram.

HENRIQUE

Me perdoa, Cristina. Perdão!

CRISTINA

Não tenho o que perdoar, Henrique.

RÉGIS

(se aproxima) Eu também quero um abraço, Henrique.

Henrique abraça Régis. Henrique pede com o olhar que Roberta também o abrace. Roberta vai chorando para a cozinha. Henrique fica triste.

Cena 7/Ext./Rua/Dia.

Janete está com raiva. Pega o celular e liga para Gilberto.

JANETE

Gilberto, presta atenção. Por causa do Henrique, eu não aguentei e contei toda a verdade para Cristina. Eu quero que você acabe com Flávio! Mata ele agora!

Fim do Capítulo

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

>