Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Falso Amor – Capítulo 37

Falso Amor

Novela de Débora Costa

Escrita Por

Débora Costa e Tai Andaluz

Revisão de Texto

Marcelo Delpkin

Direção Artística

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber TV

Personagens no capítulo

ÁGATA

CRISTINA

DANIELA

EDGAR

FLÁVIO

GILBERTO

HENRIQUE

JANETE

RÉGIS

ROBERTA

TAÍS

Cena 1/Int./Mansão Werneck/Jardim/Noite.

Henrique está sentado, fumando e pensativo. Cristina se aproxima e coloca a mão o ombro dele.

CRISTINA

Já faz horas que você está aqui, meu filho. Vamos entrar.

HENRIQUE

Precisava desse tempo sozinho, Cristina. Estava pensando em tudo que sofri quando era criança. Passei fome, frio, medo, não porque era pobre, mas porque Gilberto tirava as coisas de mim para falar que era culpa sua. Muitas vezes eu te disse que nunca precisei de você, mas era mentira. Eu tinha vontade de te encontrar, mas, a cada coisa ruim, ele te culpava e o ódio dentro de mim só aumentava… Gilberto que se prepare.

Cristina se senta ao lado de Henrique e segura a mão dele.

CRISTINA

Quando vieram com a notícia que você estava morto, eu fiquei sem chão. Passei dias deprimida, sofrendo muito, e Janete sempre estava ao meu lado, segurando minha mão… E no fim ela foi a pessoa que tirou você de mim e inventou toda essa mentira porque me odeia. O que ela fez é imperdoável… mas a única coisa que quero são meus filhos perto de mim, e por isso eu te peço, Henrique, não vá se vingar, apenas traga seu irmão e vamos recomeçar.

Henrique beija a mão de Cristina e a olha nos olhos.

HENRIQUE

Vou trazer Flávio, sim, mas não vou conseguir deixar para lá tudo o que eles fizeram, Cristina, então não me peça isso.

CRISTINA

Mas eu tenho medo que algo te aconteça.

HENRIQUE

Não precisa se preocupar, porque comigo nada vai acontecer. Sei me cuidar muito bem. Quem vai se dar mal será Gilberto.

Henrique e Cristina se levantam.

CRISTINA

Eu vou com você.

HENRIQUE

De jeito nenhum! Você não vai se arriscar assim. Já disse que sei me cuidar.

Henrique beija o rosto de Cristina e entra. Cristina fica preocupada.

Cena 2/Rio de Janeiro/Int./Favela/Cativeiro de Flávio/Noite.

Flávio está deitado. Gilberto entra, aflito e acelerado.

GILBERTO

Levanta dai, playboy. Vou te levar para outro lugar.

FLÁVIO

Por quê?

Gilberto segura o braço de Flávio e o levanta.

GILBERTO

Porque me deu vontade!

FLÁVIO

Não é o que parece.

GILBERTO

Cala essa boca! E vamos logo!

Gilberto sai segurando Flávio pelo braço.

Cena 3/Rio de Janeiro/Ext./Favela/Rua/Noite.

Gilberto está aflito, segurando o braço de Flávio e o levando para outro lugar. Daniela se aproxima.

DANIELA

Gilberto, para onde você está levando o Flávio?

GILBERTO

Eu sabia que ia te encontrar, garota! Sai da minha frente!

DANIELA

Não! Para onde você vai levar ele?

GILBERTO

Henrique já descobriu toda a verdade!

FLÁVIO

Que verdade?

GILBERTO

Eu não tenho tempo de ficar aqui jogando conversa fora! Tenho que prender você em outro lugar, e pode me agradecer porque sua tia mandou te matar, mas eu ainda não vou fazer isso.

Flávio e Daniela ficam espantados.

DANIELA

Como assim a tia dele mandou você matar o Flávio?

Gilberto suspira, nervoso e apressado.

GILBERTO

Janete e eu roubamos Henrique depois que ela pagou o médico para ele dar uma injeção nele e dizer para a Cristina que ele tinha morrido. Satisfeitos?

FLÁVIO

Minha tia nunca faria uma coisa dessas.

GILBERTO

Mas ela fez. Janete odeia Cristina. E vamos sair logo daqui!

Gilberto sai puxando Flávio pelo braço. Daniela vai atrás.

Cena 4/Dia Seguinte/São Paulo/Int./Mansão Werneck/Sala/Dia.

Miguel está sentando no sofá, lendo. Régis e Cristina descem as escadas. Miguel os olha.

MIGUEL

Bom dia.

CRISTINA

Bom dia, Miguel.

MIGUEL

Não quero ser intrometido, mas o filho de vocês saiu daqui agora há pouco. Disse que iria buscar Flávio.

CRISTINA

(desesperada) Eu vou atrás dele, Régis!

RÉGIS

De jeito nenhum! Você não sabe onde fica exatamente essa favela, Cristina. É perigoso!

CRISTINA

Eu procuro! Henrique vai fazer uma loucura!

RÉGIS

Vamos pensar com calma. Será que ninguém próximo ao Henrique sabe onde fica esse lugar?

CRISTINA

Tinha uma moça que vivia atrás dele… e um rapaz… Alexandre! Podemos perguntar.

RÉGIS

Eu não faço ideia de como achar eles, Cris.

MIGUEL

O filho da Sueli não veio da tal favela em que Flávio está?

Cristina sorri com esperança.

CRISTINA

Isso mesmo! Ele pode nos ajudar! Eu vou ligar para a Sueli no caminho para o aeroporto.

RÉGIS

Eu vou com você, Cristina.

CRISTINA

Vou pegar minhas coisas.

Cristina sobe as escadas.

RÉGIS

Por que você está nos ajudando?

MIGUEL

Por que eu sabia dessa história toda. Janete me contou e eu guardei segredo. Agora digamos que quero mudar, mas não muito.

RÉGIS

Sei…

MIGUEL

É verdade.

Cristina desce as escadas.

CRISTINA

Vamos, meu amor.

Régis e Cristina saem.

Cena 5/Int./Apartamento de Janete/Sala/Dia.

Janete está trazendo malas para a sala e se senta pensativa.

JANETE

Eu tenho que fugir daqui, mas antes preciso concluir a minha vingança. Cristina não pode ter os filhos e muito menos ser feliz com Régis.

Cena 6/Int./Fundação Frederico Werneck/Sala de Edgar/Dia.

Ágata e Edgar estão conversando. Ela está incrédula.

ÁGATA

Que a minha mãe sempre foi ruim, eu sei, mas ser capaz de roubar o filho da irmã dela, dizer que morreu, é monstruosidade.

EDGAR

Verdade. Eu não esperava algo assim e nem poderia. Nunca soube que Flávio tinha um irmão gêmeo.

ÁGATA

Por isso que ele estava tão mudado e, francamente, esse que estava aqui é bem mais interessante, não é chato como o Flávio.

EDGAR

Ágata!

ÁGATA

É a minha opinião, papai.

EDGAR

É melhor você ir começar sua aula.

ÁGATA

Vamos ver por quanto tempo vou aguentar esses pirralhos.

Edgar sorri para Ágata.

EDGAR

Você não tem jeito mesmo, meu amor.

ÁGATA

(sorri, morde o lábio inferior) Mudei a forma de fazer as coisas e não minha personalidade.

Cena 7/Int./Apartamento de Roberta/Sala/Dia.

A campainha toca. Roberta abre a porta. Taís entra e a abraça.

TAÍS

Como você está, querida? Edgar me contou tudo o que aconteceu.

ROBERTA

Eu nem sei mais como estou me sentindo, Taís. É uma mistura de sentimentos, raiva, tristeza, angústia. Estou me sentindo usada.

TAÍS

O que ele fez foi muito errado.

Roberta coloca a mão na cabeça e se apoia em Taís, que fica preocupada.

TAÍS

O que você tem?

ROBERTA

Tontura. Deve ser porque não comi direito. Vou me sentar um pouco.

Roberta se vira para ir até o sofá, mas se sente mal e desmaia. Taís fica desesperada.

Cena 8/Mais Tarde/Rio de Janeiro/Ext./Favela/Rua/Dia.

Henrique está indo para onde Flávio era mantido preso. Daniela se aproxima.

DANIELA

Flávio não está mais lá. Gilberto tirou ele hoje cedo.

HENRIQUE

Você sabe onde ele está agora?

DANIELA

Sei. Fica um pouco longe.

HENRIQUE

Não importa. Me leva lá agora.

DANIELA

Você vai soltar ele?

HENRIQUE

Vou.

DANIELA

Então vem comigo.

Henrique vai com Daniela. Eles sobem o morro até que param em um barraco afastado.

Cena 9/Rio de Janeiro/Int./Favela/Cativeiro de Flávio/Dia.

Flávio está algemado na janela. Henrique e Daniela entram e se aproximam de Flávio.

HENRIQUE

Eu vim tirar você daqui.

FLÁVIO

Você veio me tirar de onde você mesmo me colocou por não querer acreditar na verdade. Você usou e magoou as pessoas que eu amo.

Henrique pega um arame, coloca na fechadura da algema e consegue abrir.

HENRIQUE

Você está certo, mas agora não é hora de ficar aqui discutindo. Sai daqui com a Daniela.

DANIELA

E você?

HENRIQUE

Tenho que acertar as contas com Gilberto.

FLÁVIO

Eu também tenho.

HENRIQUE

Mas isso é assunto meu.

FLÁVIO

Quem ficou trancado aqui todo esse tempo fui eu!

DANIELA

Parem de discutir! Vamos sair logo daqui.

HENRIQUE

Vão vocês, eu já falei.

Henrique sai. Flávio fala com Daniela.

FLÁVIO

Eu vou ajudar ele.

DANIELA

Flávio, ele nunca precisou de ajuda, e, acredite, você não vai querer ver ele acertando as contas com Gilberto.

Flávio fica pensativo.

Cena 10/São Paulo/Int./Apartamento de Roberta/Sala/Dia.

Roberta está deitada no sofá. Taís vem da cozinha trazendo um copo de água e entrega para Roberta.

TAÍS

Você está se sentindo melhor?

Roberta pega o copo da mão de Taís e toma um pouco de água.

ROBERTA

Estou sim, obrigada. Foi só um mal estar. Deve ser tudo isso que estou passando.

Taís se senta ao lado de Roberta.

TAÍS

Você tem sentindo essas coisas há muito tempo?

ROBERTA

Não. Tem poucos dias que tive uma indisposição parecida com essa, mas foi só isso.

TAÍS

Roberta, você já pensou na possibilidade de estar grávida?

Roberta se senta assustada.

ROBERTA

Grávida?

TAÍS

Sim, Roberta. Você e… ele/

ROBERTA

(se levanta) Eu tenho certeza que não estou grávida. Não posso estar grávida de alguém que mal conheço e que só me usou!

TAÍS

Aconselho você a fazer um teste.

Roberta fica pensativa e preocupada.

Cena 11/Rio de Janeiro/Ext./Favela/Rua/Dia.

Régis e Cristina estão procurando o barraco de Gilberto. Flávio e Daniela se aproximam. Flávio abraça os pais.

FLÁVIO

O que vocês estão fazendo aqui?

CRISTINA

Viemos atrás de Henrique. Como você está, meu amor?

FLÁVIO

Bem, mas é melhor irmos embora.

CRISTINA

Não vou sair daqui sem seu irmão.

RÉGIS

Não fazemos ideia de onde esse sujeito mora.

DANIELA

Eu sei. Se quiser, levo vocês até lá.

CRISTINA

Eu quero, por favor. Temos que ir logo antes que aconteça uma tragédia.

Cena 12/Rio de Janeiro/Int./Favela/Barraco de Gilberto/Dia.

Gilberto está sentado tomando cerveja. Henrique entra e o encara. Gilberto se levanta.

GILBERTO

Você aqui?

HENRIQUE

Você sabe por que estou aqui, Gilberto. Descobri toda a verdade. Você mentiu pra mim a vida toda.

GILBERTO

Não é bem assim, Henrique.

Henrique dá um soco em Gilberto, que cai no chão.

HENRIQUE

(grita) Então como é, Gilberto?

Gilberto pega um revólver, se levanta e o aponta para Henrique.

GILBERTO

Não chega perto de mim!

HENRIQUE

Você sabe que essa arma não vai impedir que eu acabe com você.

GILBERTO

Tenta fazer alguma coisa contra mim e eu mato você!

Henrique vai pra cima de Gilberto, o desarma e começa a bater nele com raiva.

HENRIQUE

Você me tirou da minha família! Me fez acreditar que tinham me jogado no lixo!

Régis e Cristina entram. Cristina fica desesperada ao ver Henrique e Gilberto caídos no chão e brigando.

CRISTINA

Parem com isso!

Henrique se distrai ao ouvir a voz de Cristina. Gilberto consegue dar um soco nele. Régis bate em Gilberto e ajuda Henrique se levantar. Gilberto pega o revólver e aponta para Henrique.

GILBERTO

Aturei você a vida toda, Henrique! Mandando e desmandando, se achando o dono da favela e do mundo, mas você não é!

CRISTINA

(aflita) Gilberto, você já sabe a verdade. Sabe que eu não te traí. Por favor, me deixa levar os meus filhos.

GILBERTO

Você me deixou, Cristina, e isso nunca vou perdoar!

Henrique vai pra cima de Gilberto. Régis o segura.

RÉGIS

Vamos embora, Henrique!

HENRIQUE

Não vou deixar Gilberto sair dessa sem ter o que ele merece!

Cristina se aproxima de Gilberto.

CRISTINA

Eu nunca te fiz nada, Gilberto. A única coisa que te peço é que me deixe ir embora em paz com meus filhos.

GILBERTO

Você tirou a minha paz, Cristina. Eu amava você!

Henrique dá um soco em Gilberto, que aponta o revólver para Henrique.

GILBERTO

Vou acabar com você!

Cristina fica desesperada e se joga na frente de Henrique. Gilberto atira. Régis grita preocupado. Cristina olha Henrique nos olhos. As lágrimas escorrem.

Fim do Capítulo

POSTADO POR

Débora Costa

Débora Costa

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo