Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Memórias de um Passado – Capítulo 03

CENA 01/ CASA DE SANDRA/ QUARTO DE VANESSA/ INT./ DIA

Com extrema velocidade e fúria, Vanessa despeja suas roupas nas malas que estão abertas em cima da cama.

CORTE

Estamos no quarto de André. Sandra está ao lado da cama, enquanto seu marido está sentado nesta.

ANDRÉ

— Que diabos ela pensa que eu sou?

SANDRA

— André, não faz isso, a menina acabou de completar 18 anos.

ANDRÉ

— Mas parece que tem mais, está fazendo o que quer. Tem se mostrado tão independente, deve saber se virar sozinha. E outra, quem fala o que quer, escuta o que não quer! Me chamar de “velho mal amado”?! Você acha isso certo, Sandra?!

SANDRA

— Não, mas…/

ANDRÉ

— (interrompe/grosso) Sem “mas”, Sandra! Você quer passar pano pra ela, faça suas malas também e se dane.

SANDRA

— Não é isso, querido.

CORTE

De volta ao quarto de Vanessa que retira os objetos de sua estante. Logo, a jovem pega um porta-retratos com uma foto feliz de toda família.

VANESSA

— Deus salve a família tradicional brasileira!

Ela arremessa o porta-retratos na parede que reproduz um som estridente ao se chocar.

CORTE

De volta ao quarto de André. O som do porta-retratos se chocando com a parede assusta ambos os personagens.

ANDRÉ

— Que merda é essa? Vai ver o que aquela maluca está fazendo!

Sandra obedece.

CENA 02/ HOTEL/ QUARTO/ INT./ DIA

Laura está dormindo.

CORTE

Estamos no sonho da personagem.

A cena se situa na sala da casa de Leonor. A cena é captada a partir da percepção de Laura, que nesta época possui uma faixa etária aproximada de 7 anos de idade. Ela está trajada com um vestido azul e sapatilhas.

A garota se esconde atrás de uma parede, enquanto vê sua tia se despedir de André.

LEONOR

— Cuida bem dela, tá bom?

ANDRÉ

— Pode deixar amor, cuido sim.

Eles dão um selinho. Leonor sai. Laura corre para seu quarto. André percebe.

ANDRÉ

— (voz em baby talk) Laura, vem aqui. Vem brincar com o titio.

CORTE

Takes de Laura escondida em baixo da cama. Aos poucos, a voz de André fica mais grave. Laura chora. André encontra-a e pega-a pelo braço.

ANDRÉ

— (voz grave) Te achei. Que menina teimosa você é. Agora vamos brincar.

André arranca o vestido de Laura com força.

CORTE

Laura acorda do sonho assustada.

CENA 03/ CASA DE SANDRA/ QUARTO DE VANESSA/ INT./ DIA

Sandra entra.

SANDRA

— (preocupada) Filha, o que foi isso?

VANESSA

— Nada, foram umas coisas que eu precisava jogar fora.

SANDRA

— Eu não quero que você se vá. 

VANESSA

— Seu marido quem me impôs isso.

SANDRA

 Seu pai tem tomado muitos medicamentos, filha, eu acho que isso tem mexido com a cabeça dele.

VANESSA

— (baixo) Lá vem…/

SANDRA

— Mas, enfim, eu tenho uma ideia, mas preciso que você confie em mim e faça o que eu mandar.

CENA 04/ HOTEL/ QUARTO/ INT./ DIA

Laura se recupera do sonho que tivera.

LAURA

— Que merda, mano! (T) Mas eu vou te encontrar, desgraçado. Custe o que custar. Eu vou te buscar nem que seja no inferno!

CENA 05/ CASA DE LEONOR/ SALA/ INT./ DIA

Leonor se despede de Leonardo. Ele sai.

Leonor anda pela sala e fixa o olhar num porta-retratos com uma foto de sua irmã (Leonora) e o marido (Carlos), ambos os pais de Laura, mortos em um acidente. Ela pega o porta-retratos.

LEONOR

— (olhando a foto) Até hoje tudo está meio incerto e confuso, que falta vocês fazem. Que saudade eu sinto de vocês.

Leonor abraça o objeto.

CENA 06/ CASA DE SANDRA/ QUARTO DE VANESSA/ INT./ DIA

Vanessa levanta indignada.

VANESSA

— Quê?!

SANDRA

— Sim, filha, vai dar tudo certo, só é você não passar no quarto do seu pai, falar o mais baixo possível, que ele nem vai perceber que você ainda está aqui, ele fica o dia todo naquela cama, não sai pra nada.

VANESSA

— A senhora acha que do jeito que aquele velho é, ele não vai me perceber?

SANDRA

— Se você se esforçar, não.

Vanessa olha as malas prontas.

SANDRA

— Por favor, filha. Não abandona sua mãe agora.

CENA 07/ OURO PRETO/ VISÃO GERAL/ EXT./ DIA

Takes rápidos do avançar do dia na cidade.

CENA 08/ HOTEL/ QUARTO/ INT./ DIA

Laura está usando o celular e sentada na cama. Batidas na porta. Laura vai atender.

LAURA

— Quem é?

Sem respostas. Batidas mais fortes.

LAURA

— Quem é?

Laura tira uma faca pontiaguda da mala para se defender. Com cuidado ela abre a porta, é Vanessa.

VANESSA

— Buh! Se assustou?

Laura imediatamente esconde a faca entre as costas.

LAURA

— Nem um pouco.

VANESSA

— Como você está?

LAURA

— Estou bem, fique a vontade.

Elas se sentam na cama. Laura rapidamente esconde a faca na mala.

LAURA

— Veio buscar sua carteira?

VANESSA

— Também e desabafar um pouco, algum problema?

LAURA

— Claro que não.

Laura entrega a carteira para Vanessa.

VANESSA

— Obrigada. Briguei com meu pai e ele me expulsou de casa.

LAURA

— Nossa! Pela sua sexualidade, ainda?

VANESSA

— Sim, minha mãe acabou me convencendo de ficar, mas com o acordo de que eu entrasse muda e saísse calada de casa.

LAURA

— Você aceitou?

VANESSA

— Era minha única alternativa.

LAURA

— Eu lamento muito. E seu pai? Me fala mais sobre ele…

VANESSA

— Bom, ele sofreu AVC há uns anos e está de cama até hoje. 

LAURA

— (surpresa) Sério?!

VANESSA

— Sim, minha mãe quem cuida dele.

LAURA

— Ele trata-a bem?

VANESSA

— Não, ele trata todo mundo feito um lixo.

LAURA

— Já era de se esperar… Depois de tudo que ele fez comi…/ (corta) com você! 

VANESSA

— Sim, é horrível. Eu não aguento mais.

LAURA

— E o nome?

VANESSA

— Dele? André.

LAURA

— (voz tremula/ olhos cheios d’água) André?

VANESSA

— O que houve?

LAURA

— Nada.

Laura disfarça o choro.

LAURA

— Não se preocupe, não foi nada. Sabe o que você faz? Vem aqui amanhã, não estou muito bem, me desculpa.

VANESSA

— Mas, por quê?!

LAURA

— Por favor, Vanessa.

Laura acompanha Vanessa, que rapidamente está fora do quarto. Laura bate a porta de forma violenta e se derrama em prantos no chão do quarto.

CENA 09/ OURO PRETO/ VISÃO GERAL/ EXT./ NOITE

Takes rápidos do anoitecer.

CENA 10/ CASA DE SANDRA/ QUARTO DE ANDRÉ/ INT./ NOITE

André toma sopa com a ajuda de Sandra.

ANDRÉ

— E Vanessa, já foi embora?

SANDRA

— Já, ela foi desde mais cedo.

ANDRÉ

— Justo!

CORTE

O quarto de Vanessa está trancado a chave. A jovem está usando o celular e deitada na cama. Vanessa envia mensagem para Laura.

Vanessa: Você está aí?

CENA 11/ HOTEL/ QUARTO/ INT./ NOITE

Laura está sentada na cama e reflexiva. Seu telefone recebe a mensagem.

LAURA

— O que fazer agora? (T) Eu não posso deixar a Vanessa me atrapalhar, eu preciso de um plano. Urgente!

Ela pega o telefone e responde Vanessa

Laura: Estou sim. Desculpa pelo o que aconteceu mais cedo. Eu devia ter te contado no momento, mas fiquei muito mal. Meu pai faleceu faz uma semana, o nome dele também era André.

Vanessa: Meu Deus! Me desculpa, eu não sabia.

Laura: Não Precisa se desculpar. Você topa se encontrar comigo amanhã? Como um pedido de desculpas?

Vanessa: Claro. Onde?

Laura: No lugar que a gente se conheceu, te espero lá às 14h, preciso ir agora. Ainda estou me recuperando.

Vanessa: Tá bom, se cuida, bj.

Laura: Bj.

Encerra-se a conversa de ambas por telefone 

LAURA

— Pronto, agora só pôr meu plano em prática e adiantar isso.

FIM

POSTADO POR

Wesley Santos

Wesley Santos

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo