Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

O Lobo e cordeiro – Chamada 2 – James Soltelinos

 

Charlotte! Quem é o James Soltelinos? 

 James é indescritível, rs. Talvez Alisson Baxter soubesse descrever melhor, afinal ele era o autor original da história. O que posso adiantar é que é uma personagem esférica, ele passa longe da caricatura. Tem 20 anos. Classe média alta. Vestibulando de medicina. Há grandes traços de mocidade clássica, aquela ingenuidade, aquele toque pueril, mas ao mesmo tempo uma força expressa em sua vulnerabilidade. Há um toque meio onírico também, confunde-se inconsciente a consciente, a narrativa assume esse corpo, bebe de arte conceitual. Ele não tem medo de buscar esse amor que tanto queremos, esse amor romântico, mas que aceitamos não existir ou deixamos de lado para fazer algo que está mais ao nosso alcance, então estamos mais no controle, sabe? James quebra com isso, pois se coloca numa posição de servidão ao outro, de dependência. Os psiquiatras o diagnosticaram com transtorno de personalidade borderline, mas eu como estudante de medicina o julgaria com transtorno de personalidade dependente mesmo. CID 10 – F 60.7

 

Qual é a proposta da personagem? 

Acho que não existe uma única proposta, são muitas. Alisson teve esse cuidado. Ele apresenta nos primeiros capítulos uma narrativa literária em primeira pessoa, fazendo essa sondagem interior do James, observamos suas dores, as justificativas para elas,  interpretações que saem dali, entendemos as atitudes do protagonista a partir delas e nos identificamos porque poderiam ser aplicadas para qualquer contexto das nossas relações interpessoais. Depois ele parte para um plano mais social e específico dando sua opinião sobre o quê muitos nichos LGBTs realizam contra próprios indivíduos que detém a mesma orientação sexual. Não é muito desenvolvido isso, talvez porque ele não tivesse tanto conhecimento, naquela época alguns debates eram muitos incipientes. Eu como autora, mostraria que essa exclusão se dá por uma superestrutura individualista , por essa cultura protocolar e eugenista que dita muito bem quais padrões importam e pelo advento da masculinidade tóxica a qual a figura masculina deve ser viril, fria, demonstrar poucos sentimentos, ser extremamente racional. James foge a tudo isso, por isso sofre muito e é muito real e tocante essa experiência, pessoas criativas e emocionais possuem pouco espaço na sociedade. É uma tendência que está mudando, mas há ainda muito caminho pela frente.

 

James se envolve com  Martim, um primo mais velho. Teremos cenas forte de incesto? 

Não posso dar spoiler, rsrsrs. Será? rsrsrs. Não sei porque todo esse espanto! Desde a antiguidade existem histórias que abordam a temática, Édipo e Jocasta está aí para nos dizer! Mas sim haverá um romance principal marcado por isso, intenso, como a própria história é. Aliás é muito bem estruturada porque você enxerga essa relação familiar nas falas de Martim para James, há um viés meio paternal. No entanto, o arco dramático segue por outro rumo, um rumo mais ágil em que vemos um folhetim clássico aparecendo, terceira pessoa, a definição de um vilão muito claro.

Houve uma redução de 20 capítulos originais da minissérie para 15 a fim de caber na grade da Cyber. Como isso foi feito? Não poderá prejudicar a leitura da trama, deixando capítulos muito longos? 

Não, uma vez que, a trama sofrerá algumas edições, logicamente que não atrapalharão o entendimento de toda história. Será exibida quase que na íntegra com seus erros e acertos. Espero que todos possam apreciar.

 

VEM AÍ A NOVA MINISSÉRIE DA CYBER TV

NA PRÓXIMA SEGUNDA, DIA 18

 

POSTADO POR

Charlotte Marx

Charlotte Marx

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo