O que está por vir na 2a. temporada de “A difícil arte de se eu, Lucas”

Amanhã, 25, Lucas está de volta aqui, na CyberTV, com sua narrativa tensa e divertida sobre a iminência de sua partida para “Nárnia”, local conhecido como Laranjeiras, no interior de Minas Gerais, ainda que depois de esbravejar, contestar, fazer todos os dramas possíveis e imagináveis que estivessem ao seu alcance. E para piorar a situação, irá, ao menos a principio, sem a companhia de dona Lúcia, sua mãe.

No final da 1ª. temporada , a caminho da sua festa de despedida, promovida por seus amigos, que acontecerá na casa de Rômulo, ele, Lucas se depara com seu ex, David, à espreita, possesso, o aguardando para, com toda certeza, lhe tomar satisfações pela postagem difamatória depositada no SECRETS. Sem sombra de dúvida  a hora de um inevitável confronto está mais que notória. Resta saber o que resultará dessa batalha. 

Será que ainda vai ter clima para a festa de despedida? 

Como se não bastasse o Armagedon que se aproxima e só faz aumentar a cada hora que passa, Lucas também não consegue deixar de pensar em Thiago (o talzinho com aspas) e o encontro que tiveram na praia, acreditando que sim, é esse “Thiago”, enfim, a alma gêmea que tanto busca.

Vamos conferir um pouco do que está por vir nesta segunda temporada?

 

– Adivinha quem está aqui, no telefone? – desafio Gabriela,  ofegante.

– Posso estar enganada, mas é o David – ela responde carregada de uma certeza inabalável.

– Eu vou desligar – anuncio sem qualquer sombra de dúvida.

– Melhor não – Gabriela, por cima dos meus ombros, aponta para a rua com o seu queixo – O David está ali, do outro lado.

 

 

 

Eu e Gabriela nos entreolhamos, cúmplices. Não há dúvidas que esse deve ser o NOVO NAMORADO… Augusto? Foi esse o nome pelo qual David o chamou?

Incentivado por uma estranha sensação de despeito, refreada, mas presente, porém nada que seja relativo ao David, tão somente uma constatação sopesada, quase como que saciando um instinto sádico de me deparar com o “meu sucessor”, inclino um pouco o pescoço para a direita a fim de poder medir Augusto de cima a baixo.

Augusto…

Realmente ele parece um legítimo balzaquiano. Não deve ter mais do que uns 35 anos… E é bonito, preciso reconhecer. Um nariz aquilino sobre os lábios vermelhos, uma testa alta, olhos bem separados, além de alto, ombros largos, musculoso… Uma constituição poderosa e gritante se comparada ao meu biótipo magro, à minha silhueta timidamente definida…

 

 

 

– Lucas, meu amigo, você feriu a hombridade dele, não se esqueça – Gabriela me devolve ríspida – O seu ex faz parte de um grupo de gays que busca por uma masculinidade absoluta. Desses que estufam o peito e dizem aos quatro ventos que são gays, sim, mas com uma condição: só curtem “outros machos como eles”, e com isso se consideram superiores aos “veados”…

– Jura que você está fazendo esse discurso? Aqui? Agora? – interrogo com uma dose de ironia, batendo o pé, impotente, e Gabriela me fita como se eu tivesse quatro anos de idade, desprezando sem titubear a minha reação.

 

 

 

Consigo, por fim, me postar de pé, e, de frente para David, tendo apenas três degraus e a Gabriela nos separando, eu o chamo.

– Ora, ora, ora… – o tom de escárnio pontuando sua voz é o que recebo como resposta depois que os nossos olhares se cruzam – Então o boiolinha decidiu virar macho de uma hora para outra? Finalmente resolveu sair debaixo da saia da sua amiguinha?

David sorri torpe enquanto aponta para mim. Ódio e desgosto ardem em seus olhos à medida que rugas impiedosas começam a surgir nos cantos da sua boca.

– Vai embora David – Gabriela ruge, fazendo menção em avançar sobre ele.

– Deixa! – peço calcado de indecisão, juntando forças para não esmorecer diante do olhar penetrante do meu ex, ao passo que Gabriela se volta para trás e me encara, um tanto confusa – O que você quer David?

 

 

 

Rômulo apaixonado por mim? Merda. Por que a Gabriela foi me contar isso? Pelo menos estou indo embora para Laranjeiras e não vou precisar encarar o Rômulo, lidar com essa verdade, mesmo ele supostamente não tendo a menor ideia de que eu sei do seu segredo… Quer dizer, eu espero que a Gabriela tenha o bom senso de não lhe contar nada… 

 

 

 

Com passos firmes, ombros naturalmente relaxados, robusto, Thiago toma a direção das pequenas mesas, ignorando os bancos ao redor da ilha do quiosque, e, sem presa, atravessa cada uma delas…

Merda! Ele está olhando para cá e certamente me viu olhando pra ele igual a um pateta… Puta que pariu.

Viro-me para os lados para ter a certeza de que não existem outras pessoas próximas. Não há e Thiago está vindo em minha direção. Como assim? Meu corpo estremece da cabeça aos pés. Eu vou ter uma síncope…

Boa noite! – ele para, por fim, ereto, a poucos centímetros de onde estou sentado e me cumprimenta com uma voz grave e sorridente ao mesmo tempo em que estende sua mão direita – Mas que mundo pequeno, não? – Thiago completa com um ar brincalhão.

 

 

 

Thiago se afasta, ficando de pé.

O que eu estou esperando? Não tenho nada a perder… Amanhã não nos veremos nunca mais, eu sei disso, afinal ele não me quis dizer onde vive…

Em questão de segundos me levanto e me coloco à sua frente e, cara a cara, sem pensar, até porque se o fizer posso acabar desistindo de tudo, beijo sua boca; graças ao Criador não encontro qualquer sinal de resistência, tão somente Thiago me encara entre surpreso e abalado, com os seus olhos completamente abertos. Sua respiração, nossa respiração, segue entrecortada enquanto nossos lábios continuam se tocando…

Thiago permanece imóvel, completamente passivo e eu não posso acreditar no que ele está me permitindo fazer…

 

 

padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr

LEIA TAMBÉM