Partes de Mim – Capítulo 31

PARTES DE MIM

NOVELA DE:

RAMON SILVA

ESCRITA POR:

RAMON SILVA

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO

ADRIANA

ANA

BRUNA

CRISTINA

FLÁVIA

GAEL

GLÓRIA

JANDIRA

JOANA

KARINA

MARIA DE FÁTIMA

MARTA 

MIGUEL

MURILO

RENATA

RICARDO

ROSANGELA

SOL

VICENTE

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL:

FIGURAÇÃO


CENA 01. PRÉDIO DE MARTA. FRENTE. EXT. DIA.

Continuação imediata da última cena do capítulo anterior.

MARTA        —  Como você sabe da minha vida?

MARIA DE F.—  Foram semanas e mais semanas de investigações.

MARTA        —  Então foi você que a minha empregada viu aqui escondida?

MARIA DE F.—  É, talvez fosse eu. E olha… Devo parabenizá-la pelo excelente trabalho com os gêmeos! O Gael é mais vida louca, mas o Miguel é um amor de pessoa!

MARTA        —  Você fique longe dos meus filhos!

MARIA DE F.—  Seus não, né queridinha? Da Solange Moraes!

MARTA        —  O que você quer peste? Fala logo!

MARIA DE F.—  Olhe bem para o seu nível social e decida o que eu quero!

MARTA        —  É isso que você quer? (Tira da bolsa a carteira e entrega a Maria de F. algumas notas de cem) 

MARIA DE F.—  Só isso? Você acha que um plano de vinte anos vale essa miséria aqui? Só não vou rasgar esse dinheiro na sua lata porque eu não sou louca! Agora trate de abrir a mão e me dar mais! Caso, contrário… A Solange vai ficar sabendo que os filhos dela estão com a Martinha empregadinha… (Debochada) Ah, a propósito… Veio para o Rio pra dar o golpe, né? Tá aí toda trabalhada na madame! Tá podendo, hein!

MARTA        —  Só isso que você queria?

MARIA DE F.—  Por enquanto sim. Mas depois eu volto para terminarmos a nossa conversa! Tchau queridinha!

Marta dá de costas e volta para o prédio

MARTA        —  Ah, vá pro inferno!

Ela entra no prédio

MARIA DE F.—  (Sarcasmo, sorrindo) Nossa! Que bruta! Foi um prazer te ver depois de tantos anos! (P/si) Vou me divertir muito com essa daí! Agora sim a diversão vai começar!

Ela fica ali sorrindo e contando as notas de cem. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 02. APART DE RENATA. SALA. INT. DIA.

Renata vem do quarto, Bianca vem da cozinha bebendo um copo de suco.

BRUNA         —  E aí, mãe? A senhora sabe se o papai vai ter alta hoje?

RENATA       —  Não sei, minha filha. Estou indo lá no hospital agora ver se há alguma novidade.

BRUNA         —  É, depois de ter passado alguns dias sem ir lá, eu acho que tá na hora de vocês se verem novamente e conversarem!

RENATA       —  Filha, não é bem assim que as coisas acontecem. Seu pai e eu ainda não estamos lá essas coisas.

BRUNA         —  Mas eu acredito que isso é uma questão de tempo! Já, já vocês dois se acertam e a gente vai voltar a ser o que éramos antes!

RENATA       —  Tomara, filha! Tomara! Agora eu preciso ir. (Pega a bolsa que estava no sofá e saindo…) Tchau.

BRUNA         —  Tchau, mãe.

Renata sai.

BRUNA         —  (P/si) Tomara que essa briga deles seja passageira! Eu não quero ver eles separados! Ter duas casas deve ser uó!

Ela vai para seu quarto.

CORTA PARA:

CENA 03. PRÉDIO DE MARTA. FRENTE. EXT. DIA.

CAM vai buscar do lado oposto ao que Maria foi. Miguel e Gael vindo em direção ao prédio conversando.

MIGUEL        —  Eu não consigo entender. Poxa, eu pensei que ela gostasse de mim.

GAEL            —  Eu também pensei. Vocês dois parecem que foram feitos um para o outro.

MIGUEL        —  Pois é! Mas justo quando eu quero colocar a nossa relação mais séria, acontece isso.

GAEL            —  Mulheres, são enigmas indecifráveis, meu caro irmão!

MIGUEL        —  E o que mais tá me deixando assim é que ela tem me evitado! Ela tem corrido de mim nos corredores da universidade.

GAEL            —  Eu percebi. Todo quanto era tempo vago vocês ficavam juntos na cantina. Mas e a Adriana?

MIGUEL        —  O que tem ela?

GAEL            —  Você tem visto ela?

MIGUEL        —  De vez em quando eu dou de cara com ela na universidade.

GAEL            —  Será que você não se iludiu com a Karina, não?

MIGUEL        —  (Não entende) Como assim?

Eles entram no prédio conversando fora de áudio. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 04. CONSTRUTORA MACEDO. SALA CRISTINA. INT. DIA.

Cris digitando no notebook e Adriana arrematando.

ADRIANA     —  Pelo que me parece, a ladra de noivos não está muito bem com o Miguel.

CRISTINA     —  (Olhando p/ notebook) Sério? E por que você acha isso?

ADRIANA     —  Ah, sei lá, mãe! Mas pelo menos eu não estou mais vendo os dois juntinhos o dia todo. Dava até ânsia em ver aqueles dois juntos toda hora.

CRISTINA     —  (Olhando p/ notebook) Ah, tá, filha. Que bom!

ADRIANA     —  Mãe, a senhora está prestando atenção no que eu estou falando?

CRISTINA     —  (Olhando p/ notebook) Claro que estou filha!

ADRIANA     —  Deixa eu ver o que tanto a senhora olha aí nesse notebook!

Cris fecha rapidamente o notebook. E Adriana sem entender nada.

CRISTINA     —  (Disfarça) Eu estava olhando alguns gráficos financeiros. Você não entenderia.

ADRIANA     —  (Desconfiada) Ah, tá. Mas voltando ao assunto, a senhora acha que eles podem ter brigado?

CRISTINA     —  Não sei, filha. Por que você não faz o seguinte: vá até a casa da Marta, que eu sei que ela adora você, e ver como as coisas estão.

ADRIANA     —  Gostei da ideia! Vou ligar pra ela.

Ela pega o cel. e começa a discar.

CORTA PARA:

CENA 05. APART DE MARTA. SALA. INT. DIA.

Marta ali sentada em estado de choque. Miguel e Gael entram.

MIGUEL        —  É… Talvez eu tenha feito mesmo a escolha errada.

GAEL            —  Mas pense bem se é isso mesmo. Porque não adianta nada você achar que fez a escolha errada e cair novamente no erro!

MIGUEL        —  É, você tem razão! Eu tenho muito que pensar!

Gael percebe Marta ali e cutuca o irmão. Eles ficam sem entender nada, instantes depois arrematam.

GAEL            —  (Chama) Dona Marta?

MIGUEL        —  Nunca vi ela desse jeito. Deve ter acontecido alguma coisa. (Chama) Mãe? A senhora tá bem?

MARTA        —  (Cai em si) Ah… Oi meninos. Eu nem vi que vocês tinham chegado.

GAEL            —  Aconteceu alguma coisa?

MARTA        —  Não! Estava aqui apenas refletindo sobre a vida e as escolhas que fiz!

Ela se levanta e vai para o quarto.

MIGUEL        —  Você entendeu o que acabou de acontecer aqui?

GAEL            —  Não.

Eles ficam ali sem entender nada. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 06. APART DE MARTA. QUARTO DE MARTA. INT. DIA.

Marta ali sentada na cama. Ela pega o cel. e arremata.

MARTA        —  (P/si) Duas chamadas perdidas da Adriana. O que será que ela queria? (Muxoxa) Ah… Depois eu vejo isso. Há coisas muito importantes acontecendo agora pra eu resolver. Como essa desgraçada sabe da minha vida? Como ela sabe que eu estou morando aqui? São tantas perguntas e nenhuma resposta! (Desconfia) Será que a Solange descobriu tudo e mandou essa desgraçada vir atrás de mim? Até que é uma teoria bem plausível!

Ela fica ali intrigadíssima. Instantes. Tensão.

CORTA PARA:

CENA 07. TRÍPLEX DE SOL. SALA ENORME. INT. DIA.

CAM já com close em Karina ali feliz com o resultado final da decoração.

KARINA       —  (P/si, feliz) A Sol e a dona Glória vão adorar isso aqui!

Ela pega o cel. e disca.

KARINA       — (Ao cel.) Alô, Sol?

CORTA RÁPIDO PARA:

CENA 08. PRAIA DO LEBLON. AREIA. EXT. DIA.

Praia lotada. Sol e Glória caminhando ali na areia. Sol com o cel. no viva voz. Sol já reagindo.

SOL               —  (Ao cel.) Sério? Não brinca!

KARINA       —  (OFF) Sim, já está tudo pronto. E olha… Ficou um espetáculo! 

SOL               —  (Ao cel.) Ai que ansiedade! Não vejo logo a hora de olhar tudo!

GLÓRIA        —  (Ao cel.) Eu dou o veredito! Vejamos se ficou bom mesmo quando chegarmos aí!

SOL               —  (Ao cel.) Para com isso, mamãe! A senhora sabe que a Karina sabe o que faz.

GLÓRIA        —  (Ao cel.) Eu sei filha. Só estou brincando!

SOL               —  (Ao cel.) Agora nós vamos para o hotel fazer as nossas malas e tomar um banho porque estamos na praia. Daqui a mais ou menos uma hora nós estamos chegando aí!

KARINA       —  (OFF) Tá bom! Vou ficar aqui ansiosa no aguardo de vocês! Tchau!

SOL               —  (Ao cel.) Tchau!

Ela desliga.

GLÓRIA        —  Vamos logo que não temos tempo a perder! Eu quero ver logo como ficou o resultado final da decoração!

SOL               —  Nossa, mamãe! Tá toda interessadinha agora, é?

GLÓRIA        —  Claro! Foi muito dinheiro investido naquela casa! Agora vamos logo!

Glória praticamente sai puxando Sol. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 09. CLUBINHO DE FUTEBOL KIDS. PLATEIA. EXT. DIA.

Arquibancada lotada de pais e parentes ali presentes para prestigiar seus filhos, sobrinhos, etc. Campo vazio. CAM vai passando pela arquibancada e para em Flávia e Jandira.

FLÁVIA        —  Tô muito preocupada, mamãe.

JANDIRA      —  Tá preocupada com o que, minha filha?

FLÁVIA        —  Se o Vicente vem ou não. Foi muito trabalhoso pro Murilo desculpar o pai e agora se o Vicente não vem… Eu não sei qual vai ser a reação do Murilo!

JANDIRA      —  Calma, Flavinha. Calma… Eu tenho certeza que dessa vez o Vicente aparece!

FLÁVIA        —  Assim espero, mamãe! Assim espero!

JANDIRA      —  (P/si) Até porque se ele não vir… Terá que aguentar as consequências depois!

Ela sorrir malignamente. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 10. JORNAL. REDAÇÃO. INT. DIA.

Rosangela ali ministrando uma reuniãozinha com todos da redação. Joana séria.

ROSANGELA —Gente… Desculpe interromper o trabalho de vocês, mas essa reunião aqui é muito séria! Acabei de sair da sala da diretoria e eles disseram e o jornal de hoje chegou às bancas com erros grotescos de português!

Todos começam a falar ao mesmo tempo.

ROSANGELA —Gente, por favor! Vamos falar um de cada vez!

Uma figurante levanta a mão.

ROSANGELA —Pode falar.

FIGURANTE—  Eu tenho certeza que enviei a minha coluna para você sem erro algum!

ROSANGELA —Eu sei! Eu analisei tudo e tenho certeza que não tinha nada de errado!

JOANA          —  Como não tinha nada de errado? Se não tivesse nada de errado, nós não estaríamos aqui nessa reunião tosca que só serve para eu reforçar ainda mais a minha teoria.

FIGURANTE—  Que teoria?

JOANA          —  Que a Rosangela não é a pessoa certa pra assumir o cargo do Alfredo durante a sua ausência!

Todos voltam a falar ao mesmo tempo.

ROSANGELA —(Firme) Olha só! Eu não vou responder a tal provocação porque todos aqui presentes sabem que o meu trabalho é sempre feito de maneira correta e honesta! O fato é: alguém sabotou essa edição do jornal!

Todos voltam a falar ao mesmo tempo. Rô e Joana trocando olhares seriamente. Instantes. Tensão.

CORTA PARA:

CENA 11. HOTEL DE LUXO. QUARTO. INT. DIA.

Sol e Glória arrumando as malas.

GLÓRIA        —  Ah… Como eu vou senti falta desse quarto de hotel!

SOL               —  Logo que a senhora vai sentir falta do quarto. Então pode ficar aqui e eu vou curtir aquele tríplex sozinha.

GLÓRIA        —  Nem pensar! E para de fazer essa piadinha ridícula!

SOL               —  Ai mamãe. Eu ando com uma certa preocupação com a Karina, sabe?

GLÓRIA        —  Como assim? Preocupada com o quê?

SOL               —  É que ela me contou que não está falando com o Miguel.

GLÓRIA        —  Sim e daí?

SOL               —  Daí que eles formam um casal lindo e eu não quero que eles fiquem brigados.

GLÓRIA        —  Ih… Já vai você querer se meter no que não te interessa!

SOL               —  Isso me interessa sim! (Tem ideia) Tive uma ideia aqui, hein!

GLÓRIA        —  Ih… Lá vem bomba por aí.

SOL               —  Já sei o que fazer para juntar esses dois de novo.

Ela pega o cel. e começa a discar.

GLÓRIA        —  O que você vai fazer, Sol?

SOL               —  Aguarde que a senhora saberá.

CORTA PARA:

CENA 12. CLUBINHO DE FUTEBOL KIDS. PLATEIA. EXT. DIA.

Arquibancada com mais pessoas do que na cena 9. CAM mostra Vicente chegando e procurando por Flávia e Jandira.

FLÁVIA        —  (Vê Vicente se aproximando) Mamãe? Olha só quem tá chegando.

JANDIRA      —  (Olha) E não é que dessa vez ele resolveu aparecer?

Ele se senta ao lado de Jandira.

VICENTE      —  Desculpa a demora gente. O jogo já começou?

FLÁVIA        —  Ainda não, meu amor. Que bom que você veio.

VICENTE      —  Eu não podia deixar de vir prestigiar o meu filho querido nesse dia tão especial pra ele.

FLÁVIA        —  Que bom, meu amor. Que bom que você enxergou que isso aqui é muito importante pro Murilo.

JANDIRA      —  (P/Vicente) Enxergou com a minha ajuda, mas enxergou.

VICENTE      —  (P/Jandira) Que história foi essa de me chantagear e não me dá o endereço? Por isso que eu cheguei só agora.

JANDIRA      —  É, eu esqueci desse detalhe. Senta aqui perto da Flávia.

Eles trocam de lugares e Flávia logo segura na mão de Vicente. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 13. JORNAL. REDAÇÃO. INT. DIA.

Continuação imediata da cena 10. Todos ainda falando ao mesmo tempo.

ROSANGELA —Gente, deixa eu falar. Obrigado! Olha, se houve ou não alguém sabotando a edição do jornal, não se preocupem! Não se preocupem que tudo já está sendo investigado. (Olhando p/ Joana) E a pessoa responsável por isso, será penalizada! Bom, gente. Agradeço a atenção de todos. Por enquanto é só isso. Qualquer novidade, podem deixar que eu os aviso.

Todos voltam para o trabalho. Joana ali disfarçando. Rô séria se aproxima dela.

ROSANGELA —Você tá pensando que eu não saquei qual é a sua não, é?

JOANA          —  (Faz de desentendida) Desculpe, Rosangela. Mas do que você está falando?

ROSANGELA —Cinismo não combina com você! Eu sei muito bem que você está por de trás disso pra me derrubar!

JOANA          —  Gente… Como a pessoa te acusa assim sem ter provas? Olha que eu posso te processar por calúnia, hein!

ROSANGELA —Ah é? E eu por difamação! Vamos ver quem é que ganha! Só queria te deixar ciente de uma coisa… Quanto mais você lutar pra me derrubar, mais forte eu idem de renascer das cinzas! Assim como uma fênix.

Rô vai pra sua mesa aonde ainda fica encarando Joana por um instante e depois volta a fazer seu trabalho. Fecha em Joana, que dá de costas para Rô e fica ali invocada. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 14. PRÉDIO DO TRÍPLEX. CORREDOR. INT. DIA.

Corredor vazio. Karina sai do tríplex com dificuldade com dois sacões enormes de lixo. CAM mostra as portas do elevador se abrindo. Miguel sai e dá de cara com Karina.

MIGUEL        —  Oi.

KARINA       —  (Séria) Oi.

MIGUEL        —  Deixa que eu te ajudo.

Eles levam o saco até o elevador de serviço. E o colocam dentro do elevador.

MIGUEL        —  Não tem problema ter colocado o lixo pra descer sozinho?

KARINA       —  Não, porque eu avisei o zelador. Ele tá esperando lá embaixo.

MIGUEL        —  Ah sim. 

KARINA       —  A Sol que mandou você vir até aqui, é?

MIGUEL        —  É. Ela me convidou para ver como está o tríplex junto com ela e a dona Glória.

KARINA       —  Sabia que era ela.

MIGUEL        —  Não se preocupe, Karina. Se a minha presença for um incômodo, eu posso ir embora.

KARINA       —  Não. Não é isso.

MIGUEL        —  É o que então, Karina? Por que você tem que evitado?

KARINA       —  E ainda tem a audácia de me perguntar. Miguel o que nós fizemos não foi correto!

MIGUEL        —  Por que não foi correto?

KARINA       —  Porque você ainda está com a Adriana. Vocês só deram um tempo. Eu não quero ficar com esperança e depois me ferir.

MIGUEL        —  O que nós fizemos foi certo sim! Nós somos adultos! E eu não estou mais com a Adriana!

KARINA       —  Se você acha que podemos quem sabe um dia ficarmos juntos… Me procure! Agora, só esse tempo que você deu com a Adriana, não me faz ter certeza que o nosso possível relacionamento vá um dia dar um passo adiante!

Ela dá de costas pra ele e volta caminhando em direção a porta.

MIGUEL        —  Não faz assim, Karina!

KARINA       —  O que é, Miguel?

Ele a puxa e dá-lhe um beijo apaixonado. Instantes. Romance.

CORTA PARA:

INTERVALO COMERCIAL

CENA 15. PRÉDIO DO TRÍPLEX. CORREDOR. INT. DIA.

Continuação imediata da cena anterior. Karina interrompe o beijo.

KARINA       —  Você ficou louco, Miguel?!

MIGUEL        —  Ué! Eu pensei que a gente tava de boa!

KARINA       —  Não! Nós não estamos de boa! Você ainda é noivo da Adriana e eu me recuso a ser “a outra”!

MIGUEL        —  E quem disse que você vai ser “a outra”, Karina?

KARINA       —  Ninguém! Não precisa ninguém dizer o que eu já sei! Você ainda está noivo da Adriana!

MIGUEL        —  Não! Se o problema é esse, então eu vou conversar com ela para darmos um fim na nossa relação de uma vez por todas!

KARINA       —  Eu não quero você perto de mim!

Ela entra no tríplex e fecha a porta.

MIGUEL        —  Espera aí, Karina! E eu? Vou ficar aqui no corredor?

KARINA       —  (OFF) Vai! Quando a Sol e a dona Glória chegarem aí sim você vai entrar!

MIGUEL        —  (P/si) Era só o que me faltava! Agora vou ter que ficar aqui plantado nesse corredor esperando! 

CORTA PARA:

CENA 16. CONSTRUTORA MACEDO. SALA CRISTINA. INT. DIA.

Cris e Adriana sentadas. Adriana ao cel.

ADRIANA     —  (Ao cel.) Então tá. Daqui a pouco eu estou aí. Outro, tchau!

Ela desliga.

CRISTINA     —  Pelo jeito a sua ex-sogra quer mesmo te ver.

ADRIANA     —  Quer. Ela disse que vai ver um jeito da gente resolver isso.

CRISTINA     —  Então vai lá, filha. Vai lá que a Marta pode ter alguma carta na manga que garanta que você volte com o Miguel.

ADRIANA     —  É mesmo, mãe. Vou lá. Tchau.

CRISTINA     —  Tchau.

Ela sai rapidamente.

CRISTINA     —  (P/si) Graças a Deus a Adriana foi embora. Agora sim eu posso continuar a monitorar os passos do Vicente. Vejamos aonde você está Vicente. Tomara que ele tenha levado o celular da empresa.

Ela abre o notebook. CAM detalha a tela do notebook. Da imagem de satélite do rastreador do cel. dele, vemos que ele está no “Clubinho de Futebol Kids”.

CRISTINA     —  (P/si) Clubinho de Futebol Kids? Mas o que o Vicente tá fazendo nesse lugar? Deixa eu ver o nome da rua pra conferir isso pessoalmente.

Ela pega uma folha e anota o endereço. Ela fecha o notebook, pega sua bolsa e saindo arremata.

CRISTINA     —  (P/si) Vejamos o que ele tá fazendo nesse clubinho de futebol.

E sai.

CORTA PARA:

CENA 17. APART DE MARTA. SALA. INT. DIA.

Marta ali sentada. 

MARTA        —  (P/si) Hoje esses dois têm que voltar!

Gael vem do quarto arrumado para sair.

MARTA        —  Tá indo aonde todo perfumado desse jeito, Gael?

GAEL            —  Tô indo dar uma volta. Por quê?

MARTA        —  Nada. Só estranhei porque você não costuma se arrumar desse jeito.

GAEL            —  É que hoje me deu vontade, ué! Não posso não?

MARTA        —  Pode. Mas vê como você fala comigo, hein! E seu irmão?

GAEL            —  Saiu.

MARTA        —  Mas como assim saiu? Ele não chegou junto com você?

GAEL            —  Chegou. Mas depois ele recebeu uma ligação e saiu.

MARTA        —  Droga! Justo agora que ela vem aqui ele não está em casa.

GAEL            —  Ela quem? A Adriana?

MARTA        —  Claro! Quem mais seria? Essa outra aí que acabou com o noivado do seu irmão, eu não quero ver nem pintada na minha frente!

GAEL            —  Então tá, mãe. Fica aí armando os seus planos que eu vou sair.

Ele sai com ela arrematando.

MARTA        —  Vá com Deus, meu filho.

CORTA PARA:

CENA 18. LEBLON. AVENIDA. INT. DIA.

Carro de Sol. Ela ao volante e Glória no carona.

GLÓRIA        —  Você acha mesmo que foi uma boa ideia mandar o Miguel ir pra lá tão cedo assim?

SOL               —  Claro que foi uma boa ideia, mamãe! Assim eles tiveram bastante tempo para conversar e se entenderem!

GLÓRIA        —  É, eu só espero que eles não se entendam por completo dentro da nossa casa!

SOL               —  Que isso, mamãe?! Que horror! A senhora também pensa em cada coisa, hein!

GLÓRIA        —  Tem que pensar mesmo! Dois jovens no auge de suas juventudes não vão aproveitar um espaço vazio por quê?

Fecha em Sol meneando a cabeça negativamente e sorrindo. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 19. CONSTRUTORA MACEDO. RECEPÇÃO. INT. DIA.

Ana ali sentada mexendo no cel. e sorrindo.

ANA              —  (P/si) A Ju é muito boba.

Ricardo sai de sua sala e ela logo se recompõe.

RICARDO     —  Sorte sua que não era o Vicente ou a Cristina.

ANA              —  Com esses daí eu estou de boa. Eles não estão mesmo.

RICARDO     —  Como assim? O Vicente ainda não voltou?

ANA              —  Não. E a dona Cristina saiu logo depois que a filha saiu. As duas pareciam estar bastante apressadas.

RICARDO     —  Estranho! E mais estranho ainda é que o Vicente saiu feito um desesperado logo depois de receber um telefonema!

ANA              —  Mas quem era?

RICARDO     —  Não sei.

ANA              —  Será que aconteceu alguma coisa?

RICARDO     —  E eu vou saber? Esse povo só faz questão de explanar as podridões. Se for alguma coisa boa, ninguém fala.

ANA              —  Isso é verdade!

Os dois continuam a conversar fora de áudio. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 20. CLUBINHO DE FUTEBOL KIDS. PLATEIA. EXT. DIA.

Time adversário entrando em campo e a plateia na arquibancada vibrando.

VICENTE      —  Cadê o Murilo? Cadê o Murilo? Eu não estou vendo ele!

FLÁVIA        —  Calma, Vicente! Esse é o time adversário!

VICENTE      —  Ah, tá.

JANDIRA      —  Se viesse mais vezes, saberia que não é o time do seu filho!

CAM mostra o time de Murilo entrando em campo. Avó, mãe e pai vão ao delírio gritando seu nome. 

JANDIRA      —  (Ao mesmo tempo) Murilo, Murilo, Murilo….

FLÁVIA        —  (Ao mesmo tempo) Murilo, Murilo, Murilo….

VICENTE      —  (Ao mesmo tempo) Murilo, Murilo, Murilo….

CAM mostra todos indo para as suas posições. Corta para o campo: Murilo ali procurando seus familiares, um garoto do mesmo time que o dele, de aproximadamente 10 anos se aproxima e arremata.

GAROTO      —  Está procurando seu pai? Com certeza ele não vai vim como sempre.

Ele se afasta sorrindo. Murilo triste, até que escuta seu nome em meio a todo vibração da plateia. Olha e vê os três ali torcendo por ele. Ele acena para os familiares que gritam mais uma vez o nome dele.

ARBITRO     —  Vamos lá gente! Todos em suas posições!

Todos em suas posições. Murilo goleiro, vai para seu lugar. O arbitro apita e a partida começa. CAM vai alternando entre a partida de futebol e a plateia. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 21. CLUBINHO DE FUTEBOL KIDS. FRENTE. EXT. DIA.

Vários carros estacionados ali. CAM mostra o carro de Cris se aproximando. Ela encosta e desce o vidro do carro.

CRISTINA     —  (P/si) O GPS aponta que é aqui. Mas será que é aqui mesmo?

Atenção Sonoplastia: ouve-se daqui a plateia indo ao delírio e gritando: “GOL”!

CRISTINA     —  (P/si) Com certeza estou no lugar certo!

Ela procura uma vaga e estaciona o carro. Salta do mesmo e vai caminhando em direção ao clubinho. Instantes.

CORTA PARA:

CENA 22. CLUBINHO DE FUTEBOL KIDS. PLATEIA. EXT. DIA.

Todos indo ao delírio. Inclusive Jandira, Flávia e Vicente. CAM mostra o teime de Murilo ali todo feliz com o Gol.

Atenção Edição: Entra aqui um Flashback do exato momento do gol.

CAM mostra Cristina entrando na arquibancada olhando tudo ao seu redor. Ela sobe mais um pouco. Vamos alternando rapidamente entre Cris e Vicente, que não se percebem. Ela vê Vicente e logo se senta atrás de uma pessoa para que ele não a veja. Ele olha desconfiado.

FLÁVIA        —  O que foi, Vicente?

VICENTE      —  Podia jurar que vi alguém me encarando.

FLÁVIA        —  Deve ser impressão sua.

VICENTE      —  É, vai ver é isso mesmo.

Jandira vê um homem todo musculoso piscando pra ela e a chamando-a. Ela se levanta e arremata.

JANDIRA      —  (P/si, hipnotizada) Eu preciso ir atrás do meu rei.

FLÁVIA        —  Aonde a senhora tá indo, mamãe?

Ela segue caminhando sem dar a menor bola para Flávia.

VICENTE      —  Deixa a Jandira, Flávia. Ela deve ter ido ao banheiro.

FLÁVIA        —  Ou atrás de algum homem!

Corta para Cristina: ela tira uma revista da bolsa e tapa parte do rosto e fica a olhar os dois.

CRISTINA     —  (P/si) Então todo esse tempo eu estava certa. Ele está mesmo com outra.

Ela puxa o cel. da bolsa e tira várias fotos dos dois ali abraçados.

CRISTINA     —  (P/si) Quero ver dizer agora que não tem outra!

Fecha nela ali séria. Instantes. Suspense. Tensão.

CORTA PARA:

FIM DO 31º CAPÍTULO

padrao


Este conteúdo pertence ao seu respectivo autor e sua exposição está autorizada apenas para a Cyber TV.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on tumblr
Tumblr