Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

PESADELO SEASON 2 – Capitulo 4: A chave mestra

Jonas parece perdido em meio do pantano, Yon e Oreon não estão com ele, a escuridao torna dificil enchergar um palmo diante do nariz. Sem saber o que fazer, o garoto vaga perdido pelo lugar.

Jonas… Ele ouve um sussurro de uma voz conhecida chama por ele.

Quem está aí? – Pergunta o garoto tentando encontrar alguem em meio a escuridão.

Jonas… – A voz soa fraca em meio as sombras. – Eu preciso de ajuda!

Como uma sombra fantasmagorica Pandora aparece ao seu lado, o rosto abatidos lhe denunciam maus tratos.

O que aconteceu com você? Ele pergunta tentando toca-la sem sucesso.

Não temos muito tempo. Ela interrompe Essa é uma projeção astral, meu corpo esta em outro lugar agora.

– Onde voce esta? – Jonas olha aflito para ela, temendo o pior.

– Fomos feitas prisioneiras por Delfian. – Ela responde apressada. – Monstros marcham ao seu encontro, eles querem mata-lo.

– Onde voce esta? – Ele pergunta novamente.

– O castelo de delfian fica dentro de uma montanha, um dia e meio de viagem ao sul da cidade fantasma. – Ela contemplava o brilho das estralas. Delfian tem pressa em encontrar as chaves, ele esta buscando a minha chave, Jonas encontre-a antes dele. Proteja-a é a nossa unica saida.

Mas eu não sei o que fazer, nao sou forte o suficiente!

Não deixe que ele as pegue ou nenhum de nós estará seguro. Se ele encontrar a chave mestra não terá mais volta.

Chave mestra? – Jonas nao entendia o que Pandora estava tentando dizer.

Preste bem atenção. – Pandora fez uma breve pausa antes de continuar. – A chave mestra é formada pela união das sete chaves dos sonhos, protegidas a geraçoes pela minha familia. A chave mestrea é tão poderosa que é capaz de realizar qualquer desejo daquele que a possuir. Delfian já tem tres das sete chaves. Se ele conseguir a minha estara mais perto de seu objetivo.

Nós temos duas, mas Fingal pegou a minha chave. Jonas respondeu rapidamente com o olhar triste.

Eu escondi a minha dentro da cidade fantasma, encontre-a antes que ele o faça. Você está sendo caçado por toda Dharkus, então tome cuidado.

Pandora abaixou-se na margem do rio, cavoucou a terra um segundo e retirou dela uma chave dourada, olhou para ele com ternura, estendendo a para que ele a pegasse, ao toque de sua mão a garota o puxou para junto de si e deu-lhe um beijo demorado a margem do rio que dá acesso à cidade fantasma.

Sentindo as pernas bambearam por um segundo e borboletas dançarem em seu estomago Jonas retribuiu o beijo e apesar do susto aquela era a melhor coisa do mundo. Por um instante ele desejou que o mundo parasse de girar, sem se importar com o que viesse a segir.

Pamdora segurou seu rosto e olhou no fundo de seus olhos.

Venha depressa. Pediu num sussuro antes de desaparecer.

Sorrindo Jonas acordou de seu sonho, tendo em mente uma promessa.

Espere por mim princesa, eu irei encontrá-la.

 

 

Pamdora estava feliz depois de muito tempo, encontra-lo mesmo que em uma projeção astral deu a ela animo para continuar, saindo de seu transe viu Alfea encarando-a em busca de respostas.

– Voce conseguiu? – Perguntou ela aflita.

– Eles estao a caminho. – Pandora respondeu pondo-se de pé – Dei a localização exata da minha chave e de onde estamos. se tudo der certo eles estao vindo nos resgatar.

– Que os deuse te ouçam. – Alfea respondeu feliz – Agora precisamos descançar. recuperar nossas forças.

– Sem a chave como condutora fica mais dificil, nao é. – Pandora estava cançada tambem.

A viagem astral lhes cobrava um preço muito alto sem a ajuda das chaves para conduzir a energia de seus corpos, assim um esgotamento fisico e mental era inevitavel para as duas.

– Vamos fazer turnos de vigia, precisamos estar preparadas para o que esta por vir.

A manha havia chegado, depois de uma boa noite de sono as duas estavam revigoradas. Lacaios trouxeram-lhes alimento e com ele uma grande surpresa.

Delfian solicitava a presença das duas no templo das sombras.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr

POSTADO POR

Apollo Souza

Apollo Souza

Hélio Soares de Souza, desenhista e escritor, sob o pseudônimo de Apollo Souza, nasceu em 09 de dezembro de 1986 na cidade de Natal— RN. Formou— se em pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú no ano de 2012 na cidade de Santo Antônio do Salto da Onça, onde mora desde os 09 anos de idade. Leitor assíduo prefere temas que envolvam mitologia, magia e desenhos animados, sempre gostou de criar suas próprias histórias e desenhar os personagens que fizeram parte de sua infância. Decidiu escrever seu primeiro romance/ ficção após ler A arma Escarlate de Renata Ventura e se apaixonar por muitos de seus personagens cativantes e incertos.
>
Rolar para o topo