Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

Se não for você, não será mais ninguém! – Prólogo – Inquérito – Isa Miranda

Prólogo

Inquérito

Pequim, China, Era atual…

O mundo da cultivação tornou-se um mundo encoberto pelas seitas em fachadas de grandes corporações que comandavam o comércio e outros bens na cidade, pessoas comuns não tinham ideia desse mundo à parte, onde o sobrenatural ainda imperava e necessitava dos cultivadores para caçar, purificar e exterminar o mal.

Em 1300 anos os tempos mudaram em tamanha velocidade que fora necessária essa adaptação, os cultivadores anciões nomearam novos líderes de suas seitas e criaram novas leis no mundo do cultivo, não era necessário que pessoas comuns soubessem da existência dos cultivadores, bastavam-lhe dizer que sempre onde houvesse necessidade, seria feita a limpeza espiritual da região que cada seita comandava. Logo, as quatro grandes seitas mantinham suas sedes tais como eram no passado e sempre se reuniam em conferência para estabelecer novas metas e adaptação as eras modernas.

Ninguém é tão incrível e perfeito assim, por isso, é importante reconhecer os defeitos e as partes ruins do outro. O amor é exatamente sobre isso, é sobre ficar mesmo quando nem tudo parece bom e certo. O amor é a única coisa que transcende o tempo e o espaço. O amor não é algo que inventamos. É perceptível, poderoso. Precisa significar algo.

Naquela manhã, Lan WangJi costumeiramente levantou às 5 horas e após seus afazeres habituais iria receber seu irmão Lan XiChen para uma reunião no escritório que ficava no prédio onde a empresa GusuLan instalara seus negócios de exportação e importação de bens e serviços com empresas estrangeiras.

Enquanto aguardava, sentou de frente a sua Guqin e iniciou mais uma vez o Inquérito, não houve sequer um dia desde que soube da morte de Wei WuXian que não dedilhasse naquelas cordas na esperança de uma resposta.

Suaves batidas na porta, seguidas do deslizar lateral, revelou aquele que WangJi aguardava, caminhando até seu irmão aguardou terminar seu Inquérito. Observava silencioso quando sentou ao seu lado. Alguns minutos depois, WangJi encerrou e virou a face para o irmão, curvando a cabeça solene.

— WangJi, estou preocupado, prometera que não voltaria a tocar para saber sobre ele.

 — Irmão.

 — Eu compreendo, mas já se passou tanto tempo…

 Lan WangJi levantou e caminhou para a mesa ampla sentando na cadeira principal, ligou seu computador e virou o rosto para seu irmão aguardando começarem a reunião.

 — Muito bem, não falarei mais sobre o assunto, vamos começar?

Era final do dia e caminhando pela rua movimentada, sentiu a neve cair sorrateira tocando a sua face, que era tão gélida e inexpressiva como a estação invernal que iniciava. Em todo lugar, pessoas caminhavam apressadas sem importar com aquele belo espetáculo, flocos de neve tornando branco o caminho por onde ele passava. Estava com o fone nos ouvidos escutando a última conferência a qual não participara, mas que seu irmão havia gravado e lhe enviado, quando fez uma pausa, ouviu um som familiar, de imediato começou a procurar de onde vinha, e ali do outro lado da calçada, uma pessoa de costas tocava a flauta naquela melodia que há muito tempo ele não tocara mais.

Lan WangJi, de onde estava, congelou, com olhar fixo na pessoa que tocava, afinal ele nunca compartilhou a melodia com outros, a não ser com Wei Ying. Tudo que mais desejou era a resposta para seu Inquérito e agora sem nenhuma explicação, estava ali perto dele a melodia que cantou para aquele que amava.

A pessoa que tocava a melodia, virou-se e sua face revelara quem tanto Lan WangJi desejava, em total estado de transe caminhou para a pessoa sem perceber um veículo que se aproximava.

— Amuletos do templo do dragão, comprem, protejam suas casas dos espíritos malignos… – O rapaz de sorriso largo nos lábios que encerrara sua melodia na flauta, começou a oferecer aos pedestres que passavam. – Amuletos do dragão.

 — Wei Ying.

Lan WangJi estava tão atordoado com a visão do rapaz idêntico a Wei WuXian que não conseguia ter atenção a nada em sua volta, até notar que o rapaz percebeu que o olhava. Ele sorriu e estendeu os punhados de amuletos lhe oferecendo. Como tudo a volta sumiu, sons e pessoas, WangJi somente via aquele rapaz sorrindo e continuou a caminhar em sua direção, não percebendo que um carro derrapou na pista molhada e vinha em sua direção.

Os olhos do rapaz mudaram de direção e gritou para WangJi, correndo em seu encontro empurrando-o para a calçada. O som do carro derrapando, em seguida o som de um baque, despertou Lan WangJi que viu cair a poucos metros dele, o corpo do rapaz que tocava a flauta.

Tumulto e pessoas se juntando para ver, WangJi rapidamente foi até ele, sua face fria empalideceu vendo o sangue que escorria no rosto do garoto.

— Wei Ying.

— Sinto muito, meu carro derrapou… – O motorista estava desesperado, pegou o smartphone e ligou informando do acidente.

Lan WangJi tocou o peito do rapaz e secretamente enviou-lhe energia espiritual, apesar de estar ferido ainda estava vivo.

— Wei Ying.

— Humm… – O rapaz esboçou uma reação soltando um gemido, abriu os olhos e levantou o braço tocando a cabeça. — Ai… O que aconteceu?

— Foi atropelado, não se mexa, já está vindo a ambulância. – Lan WangJi pegou seu celular e fez uma chamada. – Preciso de ajuda, enviando a localização. – Encerrou a chamada e enviou uma mensagem. — Não se mexa Wei Ying.

O rapaz ainda estava tonto, queria se levantar, mas a mão do outro o impedia, ficou deitado no chão frio quando um guarda dispersou as pessoas em volta e abriu um guarda-chuva. O rapaz virou o rosto para o guarda e depois para o homem que ele acabara de salvar.

— Ei, você está bem?

Lan WangJi olhou-o e suas sobrancelhas curvaram levemente.

— Hn.

O sorriso o rapaz denunciava estar satisfeito com a resposta e começou a tagarelar sem parar.

— Ah, eu fico feliz, meu primeiro cliente do dia e quase é atropelado, ainda bem que fui rápido.

— Wei Ying, está ferido, fique quieto.

— Eu estou quieto, mas o chão está me congelando e…

A ambulância chegou e os paramédicos logo o prepararam para levar para a ambulância, colocaram a proteção no pescoço e com cuidado prenderam firme para não provocar nenhuma lesão até examinarem, levaram para a ambulância. Lan WangJi já ia entrar no veículo quando lembrou dos pertences do rapaz, atravessou a rua e pegou a sacola, colocou dentro a flauta e amuletos que haviam sido largados no chão quando o rapaz saltou para lhe empurrar. Em seguida entrou na ambulância e sentou no banco de frente observando.

— Rapaz, vamos fazer algumas perguntas. – O paramédico examinava partes vitais.

— Eu vou ficar internado?

— Vamos examinar, fazer alguns procedimentos e se estiver bem, não precisará.

— Ah que bom, ainda tenho que vender meus amuletos. – Abriu os olhos preocupado. – Ahhhhhh eu esqueci, larguei tudo na rua tenho que pegar, preciso deles…

— Wei Ying fique calmo, estão aqui.

O rapaz rolou os olhos e viu a sacola soltou um suspiro aliviado.

— Obrigado. – Sorriu novamente. – Só uma pergunta, como sabe meu nome?

Lan WangJi pegou a flauta e mostrou onde estava gravada o nome do rapaz.

— Ah! Ha ha ha ha eu tenho essa mania, esqueço de tudo.

 Lan WangJi ainda mantinha a face fria, mas seu coração batia forte no peito, era Wei Ying, ele havia retornado.

Continua…

Glossário:

Cultivação❧ É o processo de melhoria da saúde, aumentar a longevidade e crescer a força. Treino do QI, treino das artes marciais e artes espirituais.

Cultivador  Alguém que treina artes místicas e marciais, geralmente para se tornar poderoso e aumentar sua longevidade. Meditação e cultivação de Qi são práticas comuns entre cultivadores.

Qi  A energia vital que existe em todas as coisas.

Guqin  Tipo de cítara (instrumento consiste numa série de cordas esticadas dentro ou sobre uma caixa de ressonância.) de origem chinesa.

Xianxia  Significa literalmente “Heróis Imortais”. Histórias fictícias com mágica, demônios, fantasmas, imortais, e uma grande variedade da mitologia e folclore chinês. Protagonistas (geralmente) querem cultivar para a Imortalidade, visando vida eterna e o pináculo da força. Fortemente inspirado pelo Taoísmo.

Inquérito❧ Melodia usada para inquerir espíritos afim de descobrir respostas e fazer questionamentos. Lan WangJi é mestre na técnica e usa a sua citara para obter respostas no âmbito espiritual.

 

 

Edição de imagens e vídeo: Isa Miranda
Revisão de texto: Apodyopsis Ferreira

POSTADO POR

Isa Miranda

Isa Miranda

Escritora, design digital, editora de vídeos, assessora e divulga autores iniciantes. Publica em plataformas digitais, participa de antologias, escreve para o Cyber TV, mãe de Rafael e Yasmin e não gosta de café.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
  • Gente, eu simplesmente amei! Parecia que eu estava assistindo a um shoujo e a um doroma ao mesmo tempo, e nossa, poder ouvir o som da flauta foi fantástico na imersão! E fiquei agradecida pelo glossário tb KKK claro que já dá pra ter uma noção do q tais coisas significam no próprio corpo do texto, mas como não sou aprofundada na cultura chinesa, foi muito instrutivo, gostei demais! Parabéns!

  • Boa noite,

    Primeiro devo confessar que gosto muito do jeito que você narra as histórias amiga, fazendo com que nós leitores fiquemos apreensivos e também curiosos pelos acontecimentos. Confesso não conheço muito de cultura oriental, mas achei muito legal as imagens, o som da flauta e o glossário no final, me fizeram entrar na história. Parabéns querida tem tudo para ser um sucesso.
    Beijos

  • >
    Rolar para o topo