Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on telegram

WangXian – The Idol – Ato 5 – O reencontro – Isa Miranda

Ato V – O reencontro

“Se, por acaso, não podemos estar juntos, pelo menos nos dê coragem e o direito de nos abraçar, para que você sinta meus batimentos cardíacos” 

Trecho de uma canção que Xiao Zhan interpretou no Tencent vídeo e Our Song 2020.

 

Trecho de uma canção que Xiao Zhan interpretou no Tencent vídeo e Our Song 2020

Momentos antes…

WuXian estava parado na calçada do outro lado da rua, olhando para o prédio da Gusu Entertainment Studios. O tempo frio fez ele espirrar chamando atenção de seu irmão e irmã.

— WuXian, estamos parados aqui tem 20 minutos, vai se resfriar e seu pé piorar. – Cheng estava chateado, inicialmente havia recusado levar ele até o local. – Vamos embora.

YanLi amparava-o segurando seu braço e olhou Cheng sorrindo gentil falou:

— A-Cheng, só mais uns minutos e chamamos o táxi. – Voltou o olhar para o irmão caçula. – A-Xian?

WuXian tinha os olhos perdidos naquele prédio, ele gostava de cantar e dançar, sabia que com o tratamento e fisioterapia conseguiria se recuperar. No entanto, o que mais lhe doía era não poder mais ter a chance de chegar perto de WangJi. Seus olhos lacrimejaram e ao ouvir seu nome baixou o olhar a irmã.

— Irmã, lembra quando eu tinha 6 anos e vi na TV da casa da tia, o WangJi debutar?

— Sim, ele era muito novo, tinha quantos anos?

— Ele tinha 16 anos. – WuXian virou o rosto para olhar o prédio. – Eu olhei-o e sua voz me atraiu, não consegui mais tirar os olhos da TV.

— Sim, você ficou bastante animado.

— Eu me sinto completo quando o ouço cantar. – Sorriu fungando um pouco. – Com ele, não me sinto só.

— A-Xian, você não está só.

— Idiota e nós somos o que? – Cheng apesar de ralhar com o irmão, sentia seu peito doer, realmente não imaginava o quanto era importante, até então, para seu irmão aquele concurso.

WuXian virou o rosto para o irmão e sorriu abertamente.

— Eu não estou desmerecendo irmão, mas espero que me entenda…

— Arrr… Deixa pra lá, estou mais preocupado com seu pé nesse frio… – Cheng pegou o seu smartphone e abriu a tela indo no aplicativo para chamar um táxi. – Vamos embora, tomar a sopa quente da irmã.

WuXian voltou a face para o prédio e seu coração pulsava forte, decidiu então pegar sua flauta de dentro do bolso do sobretudo pesado que usava.

YanLi estava ao lado dele e ficou atenta quando o viu levar a flauta aos lábios e começar a tocar.

Aquela canção que ele desde criança tocava a qual ela sabia que era a forma dele acalmar seu coração. Envolveu seu braço e encostou a cabeça confortando o irmão.

A canção ecoava na noite fria, WuXian fechou os olhos e um fileto de lágrima rolou a face. Quando finalmente encerrou, ele abriu os olhos e se deparou com a face alva e olhos claros. Ambos estavam estáticos frente a frente e silenciosos.

— Irmã… Estou sonhando… – WuXian mal conseguiu falar, sua visão escurecendo, sons de vozes em sua volta e por fim o silêncio.

 

 – WuXian mal conseguiu falar, sua visão escurecendo, sons de vozes em sua volta e por fim o silêncio

“Eu sou feliz quando vejo você, assistindo-o pela TV imaginando o que está fazendo no momento. O que está sentindo quando canta essa canção? Por que é tão sério? Você não sorri, mas vejo em seus olhos claros que seu coração é intenso. Eu sei que tenho algo especial, de todos seus fãs, por mais que tenho ouvido sempre a mesma coisa, acredite, eu sou diferente… Afinal nenhum outro o vê o que vejo. E nessa noite fria, eu estou aqui de pé mostrando a você que serei forte e um dia poderei te alcançar. Eu me recordo de vê-lo vir a mim, caminhando quase como uma divindade. Sua face fria, seus olhos claros e as pontas da fita na testa balançar. Sim, eu a vejo, ninguém mais. É por isso que sei que sou especial.”

— A-Xian?

— Ele está acordando.

— A-Xian!

WuXian girou a cabeça para o lado, estava se sentindo tonto e levou a mão aos olhos resmungando baixo.

— Minha cabeça… – Murmurou esfregou os olhos.

Notando que o lugar era quente e deitado em um algo macio abriu os olhos, piscou algumas vezes tentando acostumar a visão na luz do ambiente.

— Irmã, o que aconteceu?

— O que aconteceu? – Cheng se aproximou. – Você desmaiou, falei que era péssima ideia em vir no estúdio nesse frio.

— A-Cheng não briga com ele. – YanLi sorriu gentil e virou o rosto para uma pessoa que estava sentada ao lado. – Ele ainda está tonto.

WuXian estranhou a irmã falar com outra pessoa, virou o rosto para finalmente ver quem era.

— Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh…. – Arregalou os olhos, WuXian sentou no sofá largo ao qual estava deitado em seguida se arrastou para o canto. — Ele… É… Ele… – Gaguejando apontou o dedo.

“…” – Cheng rolou os olhos. – Ainda faz a gente passar vergonha.

Os três olharam surpresos para WuXian que olhava para WangJi ainda apontando o dedo.

WangJi estava sentado na cadeira de frente para o sofá, apesar da face inexpressiva seu olhar claro o fitava com leve preocupação.

— Irmã…

— Sim, A-Xian? – YanLi se aproximou e sorrindo tocou no rosto dele. – Sr. Wangji ajudou-o quando desmaiou, agradeça. – Gentilmente curvou a cabeça de lado.

— Desmaiei?… Ajudou… – Os olhos viajaram confusos entre a irmã e a figura de WangJi. – Irmã, é ele mesmo? – Sussurrou a ela.

WangJi levantou da cadeira e se aproximou do sofá, sentou ao lado dele e estendeu a mão.

— Wuxian, dê-me sua mão.

— Ah? – Wuxian mal acreditava. Com seus olhos surpresos estendeu a mão.

WangJi segurou seu pulso e ficou um tempo verificando, naquele instante transmitiu energia espiritual ao rapaz.

WuXian engoliu seco estava pela primeira vez estava sem palavras e tentando a todo custo organizar sua cabeça até que sentiu uma leve sensação confortante invadir seu corpo. Seu coração que pulsava tão rápido, aos poucos foi acalmando.

— Sr. WangJi, acho que agora ele está melhor, até voltou a ter um pouco de cor no rosto. – YanLi sorridente sentou novamente na cadeira ao lado do sofá, tocou o rosto do irmão caçula.

WangJi encerrou o fluxo de energia espiritual quando notou que WuXian se acalmou. Soltou o seu pulso e olhou a irmã.

— Possivelmente um mal-estar repentino. – Voltou a olhar para WuXian. – E o seu pé, ainda dói?

WuXian não conseguia abrir a boca para responder, estava incrédulo com aquele momento.

— Xiiii, dê um tempo Sr. WangJi. – Cheng se aproximou. — Já resolvo, vou ter que o trazer para terra… – Cheng se aproximou e puxou a orelha de WuXian. – Idiota, acorda está passando vergonha.

— Aiiii… Droga Cheng, odeio quando puxa minha orelha.

WuXian finalmente despertou daquele estado estupefato e estreitou os olhos para Cheng esfregando com a mão a orelha puxada.

YanLi sorriu baixinho.

— Irmãos.

— Pronto. – Cheng cruzou os braços. – Responda direito ao Sr. WangJi.

— Eu estou bem. – WuXian baixou a mão e virou timidamente o olhar a WangJi. Sorriu em seguida, curvando a cabeça. – Obrigado, por me ajudar.

WangJi esboçou um leve sorriso, respondendo em seguida.

— Não foi nada, mas não deveria ter saído nesse frio.

WuXian balançou leve a cabeça sem jeito.

— Eu estou dando trabalho.

— Não é trabalho nenhum. – WangJi olhava-o intensamente, voltou o olhar para o pé naquela bota ortopédica e inspirou baixo. – Precisa apoiar um pouco o pé. – Levantou andando pelo escritório pegando um puff. – Venha, vou ajuda-lo.

Quando WangJi abaixou para pegar a perna de WuXian, este estendeu a mão e nervoso acabou falando alto com ele.

— Nãooo… Eu faço… Vai sujar sua mão… – WuXian ainda tentava pará-lo, mas foi em vão.

WangJi estreitou os olhos para ele e pegou a perna colocando-a para apoiar o pé no puff.

— Calma, A-Xian. – YanLi segurava o braço dele. – Sr. WangJi está sendo gentil, ele estava muito preocupado com o que aconteceu, o seu acidente.

— Segurar seu pé é o de menos, ele te carregou no colo até aqui dentro. – Cheng tinha um sorriso divertido na face, sabia que o irmão iria surtar ao ouvir isso. – Então, para de frescura.

— COMO É? – Olhou para todos eles. – CARREGOU NO COLO? – A face estava vermelha, abaixou o rosto escondendo com as mãos. – Que vergonha… – Murmurou.

WangJi que ainda estava abaixado tocou a perna dele, desejava lhe transmitir mais energia espiritual, no entanto com os irmãos perto pareceria estranho. Levantou por fim e falou a eles.

— Não precisa se envergonhar eu não o deixaria caído no chão frio.

Nesse momento a porta do escritório abriu e XiChen entrou sorridente, se aproximou deles olhando diretamente para WuXian.

— Como está o rapaz? – Voltou o olhar a WangJi

— Ele está bem. – WangJi virou o olhar para o pé de WuXian.

— Que bom, então que tal sairmos todos para jantarmos? – XiChen olhou para o trio de irmãos.

WuXian levantou o rosto e olhava para eles, voltou-se para a irmã e o irmão.

— Não queremos dar trabalho, mais do que já estou dando. – WuXian falava baixo quando abriu um largo sorriso sem jeito a WangJi e XiChen.

A dupla se entreolhou e XiChen sorriu para o filho.

— Não é trabalho algum, vamos ficar chateados se não jantarem conosco.

— WuXian, eles estão convidando, vamos e não seja mal-agradecido. – Cheng aproveitava da situação para provocar o irmão mais novo.

— Agradecemos o convite Sr. XiChen e Sr. WangJi, nós vamos aceitar. – YanLi curvou a cabeça agradecendo.

— Ótimo. – XiChen sorriu a eles e virou-se para WangJi. – WangJi vamos na minha sala pegar aqueles documentos. – Caminhou até a porta abrindo-a. – Voltamos em alguns minutos. – Falou para os irmãos.

No momento que a dupla saiu e a porta fechou, WuXian puxou o braço de Cheng falando sussurrando.

— Rápido, vá ver se eles já foram.

— O que? Por quê? – Cheng estranhou.

— Vá logo… – WuXian ralhou para o irmão apontando para porta.

— Ah, tá… – Cheng chegou até a porta e abriu olhando para o corredor. – Já foram, está vazio.

WuXian tremeu todo e agarrou uma das almofadas do sofá colocando sobre o rosto, soltando um grito abafado.

— Calma, A-Xian. – YanLi se assustou e tentou puxar a almofada dele. – Parece coisa de destino, não é? Você queria tanto vir aqui e olha que surpresa. – Ela sorriu divertida quando conseguiu tomar a almofada dos braços do irmão mais novo.

WuXian estava eufórico, olhando todo o escritório. Virou o rosto a YanLi.

— É o escritório dele?

— Sim.

— Esse sofá é dele?

— Sim.

Cheng sorrindo provocou novamente.

— Sim, idiota. – Pegou o seu smartphone e abriu a tela. – E ainda foi carregado como princesa nos braços de WangJi. – Gargalhou mostrando a foto na tela do aparelho. – Eu tirei foto, porque, na boa, nem acreditei na cena.

WuXian arregalou os olhos pegando o telefone das mãos do irmão.

— Ele me carregou, no colo! – Wuxian apertou nervoso aparelho entre as mãos.

— Nossa parece coisa de filme, ele apareceu de repente na nossa frente. – YanLi recordava do momento. – Irreal.

— É verdade, eu fiquei até sem reação quase deixei meu telefone cair. – Cheng sentou no sofá ao lado do irmão. – E o nosso idiota de estimação o que faz? Desmaia. – Rola os olhos.

— Emoção! – YanLi juntou as mãos. – A-Xian finalmente está perto de seu ídolo, não o crítico. – Olhou-o. – Quem iria imaginar que seria tão inusitado esse encontro?

WuXian inspirou fundo e devolveu o smartphone do irmão, ele voltou a olhar o local queria guardar na memória todos os detalhes para quando voltasse para a realidade não esquecer nunca mais.

— Irmã, amanhã quando eu acordar desse sonho quero levar para sempre na lembrança.

— Bom, tenho a foto de você sendo carregado igual a uma princesa não vou deixa-lo esquecer. – Cheng riu divertindo-se enquanto era socado no braço por WuXian.

— Eu quero a foto, manda para mim… – Resmungou.

— Eu achei tão bonito. – YanLi corou. – Na TV ou mesmo naquele show que fomos havia produção e tudo mais, achava-o bonito.

— É mesmo, aquele olhar dele dourado, jurava que era lente de contato. – Cheng concordava com a irmã.

— Os olhos dele são lindos. – WuXian sorriu. – Ele é muito lindo irmã, a pele é perfeita, eu reparei, não é maquiagem.

— Se eu fosse rico como ele até minha pele seria perfeita rs. – Cheng brincou. – Será que vão nos levar naqueles restaurantes finos? – Olhou para suas roupas.

— Aceitamos o convite, agora é tarde para desistir. – WuXian olhou-se também. – Vamos chamar atenção bando de pobre invadindo o lugar, hahahahahahaha… – Riu nervoso.

No escritório XiChen conversava com o filho, estava feliz por vê-lo tão alegre, apesar de não estar explícito em sua face

No escritório XiChen conversava com o filho, estava feliz por vê-lo tão alegre, apesar de não estar explícito em sua face.

— Como é o destino, dizem que nós o fazemos, no entanto, olha a surpresa.

— Ele se lembra da canção.

— Sim, não resta mais dúvidas, encontramos o mestre Wei. – XiChen tocou o ombro de WangJi. – Ele não tem lembranças da vida passada, isso está claro apesar de fatos importantes estarem no subconsciente. – Afastou a mão e pegou seu smartphone. – WangJi, aos poucos tudo vai se ajeitar e vocês não serão mais separados.

— Ele precisa lembrar. – WangJi seguiu XiChen.

A dupla saiu do escritório e caminhavam pelo corredor.

— Devagar, aos poucos vamos ajuda-lo a recordar.

— Hn. – WangJi concordou.

Chegaram ao escritório de WangJi, entrando em seguida.

— Vamos? – XiChen olhou para os três.

WuXian puxou a perna fazendo uma leve careta para abaixar a perna, não queria falar, mas seu pé estava doendo muito.

“Dane-se dor maldita, não vou perder esse momento com WangJi.”

YanLi pegou a muleta e quando Cheng estendeu a mão para ajudar o irmão a levantar, sentiu uma mão tocar leve seu ombro.

— Eu ajudo-o.

WangJi se colocou a frente e estendeu a mão para que WuXian apoiasse no braço dele.

— Tudo bem. – Cheng se afastou dando a vez ao outro.

WuXian olhava WangJi estendendo o braço e seu rosto baixou escondendo o leve rubro.

— Obrigado.

— Vamos, se apoie em mim.

Quando WuXian levantou apoiando em seu braço, imediatamente WangJi abaixou e passou o braço por baixo das pernas e o elevou no colo.

— Segure em pescoço ou vai cair.

WuXian era alto, mas não tanto quando WangJi, que em comparação ficava alguns centímetros a mais que o outro. Ele pegou-o nos braços com muita facilidade, carregando-o pelo escritório sem se importar com os protestos do rapaz.

Cheng e YanLi sorriram baixinho e seguiram eles. XiChen foi na frente para abrir o carro.

— Por que está me carregando? – WuXian murmurou, envolvendo o pescoço do outro com seus braços.

— Seu pé, está doendo, não está? – WangJi caminhava com WuXian no colo, carregando-o sem nenhuma dificuldade.

— Só um pouco. – Torceu leve o nariz.

— Mentiroso.

WuXian abriu os olhos surpreso e murmurou.

— Não se preocupe, posso suportar.

— Hn.

Quando finalmente chegaram no estacionamento, XiChen esperou que todos entrasse e se acomodassem.

— Vamos leva-los depois de jantar para a casa de vocês.

WuXian estava sentado ao lado de WangJi no banco de trás da minivan, Cheng e YanLi em bancos do meio.

— Sr. XiChen, sei que vamos jantar, mas… – WuXian lembrava que eles não estavam vestidos para restaurantes refinados. – Não estamos com roupas apropriadas… – Olhou no canto dos olhos para WangJi. – Não estou fazendo desfeita…

WangJi virou o rosto para WuXian e falou:

— Escolhe o lugar.

— Ah? – Olhou-o surpreso e por fim disse: – Tem um lugar que desde que cheguei na cidade quero ir, dizem que a comida é boa.

— Vamos para esse lugar.

Poucos minutos depois, chegaram ao bairro onde WuXian e seus irmão moravam, na rua principal havia vários pequenos restaurantes de diversos tipos de comidas. O local onde WuXian queria ir era um restaurante de comida mais temperadas e alguns pratos tinham pimenta como destaque.

WuXian dessa vez preferiu a muleta e apoiar em Cheng quando entraram no estabelecimento. WangJi vinha atrás deles. XiChen solicitou o cardápio e depois que escolheram o pedido, puxou o assunto com o trio de irmãos.

— Uma grande surpresa encontra-los fora do estúdio. – Olhou para o filho e voltou a falar com os demais. – Eu e WangJi iriamos visita-los amanhã.

— Ah, visitar? – Cheng pegou um copo bebeu gole do suco. – Por quê?

— Queríamos saber como estava WuXian, sobre o acidente, enviei um e-mail e não recebi resposta. – XiChen sorriu a eles.

— WuXian não viu o e-mail? – Cheng bufou.

WuXian negou leve com a cabeça, pasmo por WangJi ter se sentado ao seu lado e lhe servido a bebida.

— Desculpe-nos Sr. XiChen, passamos por uma semana complicada com tudo e não paramos para nos atentar a e-mails. – Ele respondeu sem jeito. – Eu encaminhei uma mensagem e liguei falando com a Srta. Qing do ocorrido, acreditei que estava tudo certo.

— Srta. Qing nos passou o recado, ficamos preocupados afinal vocês são nossa responsabilidade, precisamos prestar assistência e WangJi queria saber de WuXian.

WuXian olhava para XiChen um tanto surpreso ao saber que eles sabiam dele, como poderia se importarem com uma dupla caipira em meio a tanta gente em um concurso? Ele estava curioso e ao mesmo tempo confuso.

— Sr. XiChen, não precisava tanto eu vou fazer o tratamento e logo meu pé estará bom.

— Claro, e vamos custear todo o seu tratamento até estar totalmente recuperado. – XiChen sorriu.

— Agradecemos a gentileza Sr. XiChen. – YanLi falou gentilmente. – Não temos como retribuir, A-Xian já está no tratamento público.

O garçom chegou com os pratos escolhidos e colocou sobre a mesa, enquanto se serviam, WuXian olhou WangJi, que servia uma tigela com um ensopado que tinha pimentas em meio a mistura. Colocou de frente a WuXian e lhe entregou os palitos.

— Coma.

“Ele está me servindo, inacreditável! Como pode? Como ele sabe que eu ia escolher esse primeiro? Ahhhhh, estou em um sonho, não quero acordar.”

— Srta. YanLi, por contrato todos os participantes do concurso sendo aprovados na eliminatória de canto fazem parte da Gusu Entertainment Studios, ou seja, já são da nossa empresa.

WuXian engasgou, Cheng arregalou os olhos e YanLi dava tapinhas nas costas do irmão mais novo.

— Eu não sabia.

— WuXian e Cheng, são nossos contratados. – WangJi serviu água e deu a WuXian.

— WuXian?! – Cheng chamou-o em tom irritado. – Você sabia disso?

WuXian bebia água ainda tentando recuperar o fôlego. Negou com a cabeça.

— Vocês não leram o contrato? – XiChen olhou-os.

WuXian colocou o copo sobre a mesa e sorriu sem jeito.

— Errr… Não li todo, havia muitas clausulas.

Cheng estreitou os olhos para ele.

— Idiota.

—Então… O contrato diz isso?

WangJi tinha um leve brilho oscilante percorreu os olhos claros, virou o rosto para WuXian.

— Típico.

— Ah? – Confuso, WuXian desviou o olhar voltando a sorrir nervoso.

— Contratos são complicados, explicando em miúdos, os aprovados da primeira etapa de canto se tornam parte do nossa empresa e mesmo que não vençam o concurso, receberão treinamento e preparação para futuramente estrearem como nossos astros. – XiChen comeu uma pequena porção de carne e gostou do sabor. – É bom, prove WangJi vai gostar.

Os três ficaram se olhando, Cheng no final sorriu e se preocupou com o estado do irmão devido ao acidente.

— WuXian deve demorar para se recuperar, ainda assim continuaremos a fazer parte da empresa mesmo não participando da eliminatória de dança? – Ele se recordava da mensagem que recebeu, ao qual dizia que seriam eliminados se não comparecessem até as 6 horas da tarde.

— Sim, vocês não estão mais no concurso, infelizmente, mas continuam fazendo parte do quadro de nossos treinandos. – XiChen confirmou.

WuXian inspirou fundo e virou o olhar a WangJi. Ele queria dizer-lhe tantas coisas, mas ele se sentia travava, por fim preferiu evitar olha-lo e não parecer um tipo de fã idiota o idolatrando.

— Cheng amanhã vá ao estúdio para acertarmos tudo, vamos precisar dos laudos médicos e documentação referente ao acidente, inclusive o boletim de ocorrência. – XiChen orientava o rapaz.

Cheng anotou tudo no bloco de notas de seu telefone, combinando que iria depois das aulas da faculdade.

Encerraram aquela refeição e depois de XiChen acertar a conta, insistiram em levar os três para casa. Ao chegarem, WuXian se sentia um tanto triste e ficou calado.

Aliás, ele não estava se reconhecendo, todo o momento se sentiu travado perto de WangJi. Ele sempre sonhou com esse encontro que iria rir e conversar com ele, falar do quanto ele mudou a vida dele com sua música.

— WuXian.

— Sim. – Olhou para WangJi.

WangJi estava na porta do carro e pegou um cartão, voltando para ele e estendeu.

— Meu número pessoal, gostaria de saber como está indo o tratamento.

WuXian pegou o cartão e curvou a cabeça agradecendo.

— Eu vou informar. – Murmurou olhando para o pedaço de papel com o número anotado.

Cheng amparava-o e agradeceu em seguida a carona e o jantar. YanLi após fazer o mesmo seguiu para a portaria com as chaves para abrir a porta e entrarem.

WangJi ainda olhava WuXian quando entrou no carro junto com XiChen.

— Cuide-se. – WangJi olhava para WuXian, hesitante seus lábios abriram-se ligeiramente desejando falar algo.

— WangJi, está na hora. – XiChen o chamou de dentro do carro.

WuXian sentiu seu coração saltar no peito quando o viu entrar no carro, acenou leve com a cabeça para eles.

WangJi acenou mantendo os olhos em WuXian, seu sentimento era único, queria cuidar dele.

O trio se curvou agradecendo a eles e seguiram com o olhar o carro se afastar saindo na rua principal.

— Vamos irmãos, sair desse frio. – YanLi abriu a portaria.

Todos no apartamento estavam sentados no sofá da sala, WuXian colocou a perna para cima, como seu pé estava doendo YanLi colocou bolsas de compressas de água morna.

— Não vamos mais abusar A-Xian, seu pé está muito inchado e foi esforço demais mesmo com a bota ortopédica.

— Obrigado, eu ainda estou…

— Foi surreal… – Cheng falou tirando o tênis. – Ainda não bateu na mente o que aconteceu hoje.

— Exatamente. – WuXian suspirou concordando.

— Eu acho incrível, vocês ainda podem realizar o sonho de cantar. – Ela sorriu a  dupla incentivando-os. – A-Xian vai ser tratado adequadamente e logo ficará bom, no fim tudo deu certo.

— É o idiota mais sortudo que conheço, além de conhecer o ídolo, foi carregado como princesa e tem o contato pessoal. – Cheng brincava. – Melhor que isso só se tornando um Idol da Gusu Entertainment Studios.

WuXian rolou os olhos quando ouviu que foi carregado.

— Não me lembre dessa vergonha. – WuXian olhava o cartão em sua mão e suspirou. – Eu queria ter dito tantas coisas para ele.

— É, realmente estranhei pela primeira vez vi você assim travado. – Cheng havia reparado já que conhecia bem o jeito de seu irmão. – Olha, não se culpe por não conseguir falar o que desejava para ele, até agora eu ainda estou meio besta com essa situação toda.

— Eu gostei dele, parece ser uma pessoa bem simples. – YanLi comentou. – Ele não se importou em ajudar, amparou nosso irmão e o tratou com muita atenção.

— É… Eu vou deitar, amanhã quero ler esse contrato todo e entender o que está acontecendo. – Cheng levantou e parou ao lado de WuXian. – Vamos, vou te ajudar a chegar no quarto, nossa irmã está cansada.

WuXian estendeu a mão e segurou a de Cheng, pegou a muleta e mancando foi levado para o quarto. Deitado, ele tinha o seu smartphone nas mãos, ao liga-lo diversas mensagens chegaram nas notificações, eram alguns amigos da faculdade, do trabalho e, por fim, outros que fizera no chat dos participantes do concurso. Pegou o cartão de WangJi e olhou-o por um tempo, bufou. Resolveu salvar na agenda de contatos.

Ele preferiu não mandar mensagens por enquanto, estava se sentindo um pouco angustiado. Rolou a tela, olhando os grupos do chat e algumas mensagens privadas quando uma notificação apareceu na tela.

“WuXian?”

Sorriu suave ao ver quem era e abriu o bate papo.

“Olá Zhan errr… desculpe eu não respondi suas mensagens.”

“Não se preocupe”

“Aconteceram muitas coisas fiquei internado sofri um acidente”

“Você está bem?”

“O pé dói bastante, quebrou e está com pinos”

“Tem que se cuidar”

“Estou me cuidando hahahaha… Zhan aconteceu algo surreal comigo”

“O que aconteceu?”

“Por causa do acidente eu e meu irmão estamos fora do concurso”

“Sinto muito, vocês cantam bem.”

“Hahahahaha obrigado, eu estava muito arrasado e hoje fui mais cedo ao estúdio”

“O que foi fazer no estúdio?”

“Não sei, acho que queria guardar na memória o lugar… E eu conheci WangJi”

“Muito bom saber, o que achou dele?”

“Foi surreal… Ainda não consegui colocar na cabeça que o conheci. Ele é lindo, gentil e foi muito bom comigo.”

“Está feliz por conhece-lo?”

“SIMMM muito feliz, mas…”

“Algo errado?”

“Eu não sei explicar, mas eu travei, queria dizer tantas coisas para ele. Travei e fiquei receoso. Nunca me senti tão sem jeito na minha vida. Hahahahahahahaha… Logo eu que não tenho vergonha de nada”

“Não se culpe, como você disse-me, era seu sonho e se realizou.”

“Está certo Zhan, deve ser por isso.”

“WuXian posso visita-lo?”

“Claro, vou te mandar meu endereço, conversamos e fico com menos tédio aqui sozinho.”

“Sozinho? Não tem ninguém para te ajudar?

“Meu irmão e minha irmã precisam trabalhar não tem como ficar comigo o tempo todo.”

“Eu vou cedo e o ajudo.”

“Não vai te atrapalhar? E o seu trabalho?”

“Estou de folga”

“Ah, está certo vou agradecer a ajuda e quando chegar conversamos.”

“Descanse, amanhã teremos tempo e conversaremos.”

“Boa noite Zhan”

“Boa noite WuXian”

WangJi encerrou a conversa e virou o rosto para XiChen.

— Ele está intimidado comigo.

— Natural é o ídolo dele. – XiChen sentou ao lado de WangJi no sofá. – Vai contar a ele que é o Zhan?

— Hn.

— Muito bem, de repente ele não se sinta tão intimidado e converse com você naturalmente. – XiChen levantou. – Vá descansar. – Acompanhou com olhar WangJi seguir para o quarto. Inspirou suavemente, sentia um certo alívio por finalmente terem encontrado Wei WuXian.

WangJi entrou em seu quarto, estava decidido a não sair mais do lado de WuXian. Queria ganhar sua confiança e aos poucos ajuda-lo a se lembrar de sua vida passada.

Final do ato V

Atualização dos Atos Segunda e Sábado às 23 h

 

   

POSTADO POR

Isa Miranda

Isa Miranda

Escritora, design digital, editora de vídeos, assessora e divulga autores iniciantes. Publica em plataformas digitais, participa de antologias, escreve para o Cyber TV, mãe de Rafael e Yasmin e não gosta de café.

COMPARTILHAR

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on tumblr
>
Rolar para o topo